FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. CAPÍTULO 3


Fic: In the past, our future! H² CAP 10! 29.01.09 Comentem!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Cho não sabia como iria tirar Hermione do seu caminho. Ela era tão certinha que a armação teria de ser bem planejada. Pensou um pouco na rotina que ela seguia e buscou em suas lembranças algo que pudesse usar contra ela.

De início, nada lhe ocorreu. Hermione tinha uma rotina simples: durante o dia estava no ministério e a noite voltava para casa. Não saia muito. Pelo que sabia as raras vezes que se permitia um pouco de diversão, era na companhia de Harry e do tapado do Weasley. Nos últimos meses, não saiu com ninguém, embora Olívio Wood parecesse bem interessado nela. Mas Cho sabia por que ela não saia: amava Harry, sem sombra de dúvidas. Só ele não conseguia ver isso! O jeito que ela o olhava, que sorria para ele, que fazia tudo o que Harry queria... Ela queria o lugar de Cho! Mas isso ela não permitiria, de forma alguma!

Voltou a pensar nas possibilidades de descobrir algo que a ajudasse com o plano. Já que a vida de Hermione se resumia ao trabalho e aos dois melhores amigos, suas opções eram poucas. Não podia tentar acertá-la através de Harry e nem de Rony, eles acreditavam em tudo que ela dizia, nunca daria certo. Mas tinha o trabalho dela, coisa que ficava claro para qualquer um, que tinha grande importância em sua vida. Tinha que atingir seu prestígio profissional.

Um sorriso malvado formou-se no rosto oriental. Sabia exatamente por onde começar.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Harry estava deitado no luxuoso sofá de canto de sua sala no ministério. O cargo de Chefe dos Aurores trouxe alguns privilégios a ele, sua sala era o exemplo vivo disso, a mobília e a decoração eram da mais luxuosa. A mesa central era feita de madeira pura, e com pequenos fios decorativos de ouro e bronze, em cima dela continha algumas estatuetas e objetos, que na opinião de Harry eram desnecessários. As cadeiras eram finas e confortáveis, com almofadas cobertas por couro. Nas paredes tinham obras caríssimas de pintores famosos, algumas sombrias, mas elegantes. Ao fundo tinha uma estante cheia de livros e alguns porta-retratos, a maioria deles era dos tempos de Hogwarts e alguns atuais como o da namorada.

Estava preocupado demais para trabalhar ou pensar em se concentrar em qualquer documente importante. Em mãos tinha um foto de sua melhor amiga, tirada a alguns anos atrás. Como foi difícil conseguir aquela foto, mas o esforço foi muito recompensador! Ela estava linda, estava tão simples e ao mesmo tempo tão encantadora; o sorriso, os olhos que exilavam um brilho que somente ela tinha a beleza pura, natural.

- Você não está agindo normal – disse Harry seco – Mas quando você quiser um amigo pode me procurar que eu vou estar aqui! – ele andou em direção a porta.

- Ah é? – disse Hermione irônica – Tem certeza que você vai estar aqui, Harry?


Ele suspirou.

Como poderia ter agido tão insanamente com ela, esquecer de sua melhor amiga? Ela estava certa em perder a confiança nele, ele mesmo mostrou a ela que não estaria sempre por perto quando precisasse dele.

- Você sentiu culpado porque não quis atender o meu telefonema te pedindo socorro, porque digamos... – ela respondeu irônica, batendo as mãos - Você estava numa situação muito melhor do que ajudar sua amiga!

- Hermione, você sabe que não é assim! – respondeu ele elevando o tom de voz.

- É assim, Harry! Você não quis me atender porque estava transando com Cho, enquanto eu estava sangrando no final de uma escada! – disse irritada.


Ela guardara tudo aquilo para um dia poder jogar na cara dele. Toda a raiva e magoa que ela sentira quando foi a deixou sozinha, quando ele não atendera ao telefone para ajudá-la, todo o fingimento que ela fez quando ele perguntou se ela estava magoada quando descobriu o acidente.

Flash Back

Harry passou apresado pelas grandes portas brancas, ao seu lado tentando manter proximidade Cho corria tentando o acompanhar.

- Harry será que podíamos ir um pouco mais devagar... Já estamos no hospital e ela já esta sendo cuidada...

- Ande logo Cho! – o moreno disse amargo olhando para os lados a procura de algum conhecido.

- Droga... Tudo isso atrapalhou nossa “noite”. – Harry parou de andar e olhou para Cho indignado.

- Não acredito! Como você pode dizer uma coisa dessas, Cho? Hermione está gravemente machucada e você só está pensando no seu bem estar...

- Mas Harry...

- A segurança de meus amigos, está em primeiro lugar para mim. – ele disse com a voz alterada.

- Mas não podemos considerar Granger apenas como amiga, não é Harry?

Harry olhou confuso para a oriental, mas evitou uma discussão novamente sobre aquele assunto.

- Quem cala consente, Harry! – disse ela com os olhos marejados.

Harry tentou devolver, mas alguém o chamou interrompendo.

- Harry? – Rony vinha ao seu encontro. – Cara, que demora.

- Desculpe... Tive alguns imprevistos! – Harry disse olhando friamente para Cho. – Como ela está?

- Não sabemos muito bem... – disse ele preocupado. – Estava bastante machucada, sangrava muito e quase não respondia aos comandos...

- Você não acha que ela... – Harry disse preocupado.

- Não. O médico disse que o máximo poderia haver fraturas em alguns ossos e grandes dores de cabeça. – Harry relaxou os músculos.

- Será que posso vê-la? – ele disse meio com receio do momento.

- Bem o médico liberou apenas duas pessoas, eu entrei, deixamos a outra para você. – disse o ruivo. – A porta é aquela ali... – disse ele indicando o caminho para o moreno.

- Obrigado Rony! – ele abraçou o amigo e lançou um olhar furioso a Cho. – Me espere aqui, não demoro. – e saiu andando antes mesmo de esperar a resposta da oriental.

Harry caminhou rapidamente até a porta, mas antes de abri-la, olhou duvidoso para a maçaneta. Ele não atendera ao telefone quando ela ligou. Será que ligou para falar sobre o acidente, pedindo socorro, ou apenas uma ligação corriqueira?

Respirou fundo, não adiantaria ficar tentando encontrar uma resposta. Entrou.

Ela mantinha uma respiração calma e ritmada. Hermione estava visivelmente pálida, tinha várias marcas roxas nos braços e alguns curativos. Ao lado da cama, tinha vários vidros de poções, alguns vazios, mas os outros continuavam cheios.

- Oh, Mione! Sinto tanto por não poder te salvar quando você precisou. – Harry sussurrou e beijou demoradamente a testa da amiga.

Ele se afastou da amiga e olho-a nos olhos, esperando que dissesse alguma coisa. Percebia pelas suas feições que estava visivelmente abalada, mas provavelmente seria por causa do acidente.

- Não foi nada, Harry – disse com a voz fraca – Afinal o que você poderia ter feito? – Harry percebeu um pouco de mágoa em sua voz, mas não queria entrar nessa conversa naquele momento.

- Nunca mais vou deixar você se machucar! – disse firme, segurando em suas mãos. Hermione deu um pequeno sorriso e sonolenta fechou os olhos. Uma enfermeira entrou logo depois, pedindo para que Harry se retirasse.

Ele olhou para a amiga uma ultima vez, que parecia um anjo que caiu do céu, por causa dos machucados, mas mesmo assim ela permanecia linda, como sempre fora.


Final do Flash Back


Harry levantou-se e se pôs a andar pelo escritório. Como pode ser tão cético, iludido diante da amizade deles! Talvez estivesse fazendo uma tempestade dentro de um copo d’água em relação a discussão deles, mais conhecia muito bem Hermione. Para ela ter falado todas aquelas palavras na cara dele, era porque estava num estado crítico. Seria complicado olha-la novamente, nada mais seria como antes. Ela estava magoada, assim como ele. Teria que reconstruir novamente a amizade. Mais será que conseguiria a confiança dela novamente?

Olhou novamente para a foto da amiga e sorriu, seria um novo começo. Acariciou levemente a foto e colocou-a apoiada na mesa central da sala. Teria que dar o primeiro passo.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------


Cho Chang entrou no ministério da magia pela rede de Flú. Encaminhou-se ao elevador onde apertou o botão do nível um. Quando uma voz anunciou o local desejado, ela desceu e caminhou lentamente pelos corredores procurando certo inominável. Ele seria de grande importância em seu plano e nada poderia sair de controle.

Olhava atentamente as salas que antecediam o departamento, construídas para que as pessoas fossem recebidas, já que o centro do departamento era de entrada exclusiva dos inomináveis que ali trabalhavam. Chegou à terceira porta do lado esquerdo e olhou para as letras douradas que indicava de quem era à sala. “Johnny Foster”. Sorriu. Era hora de por o plano em prática.

Levantou a mão e bateu na porta três vezes. “Só um momento”. Respondeu uma voz grossa. Ela esperou alguns segundos até que a porta foi aberta por um homem alto e loiro que não deveria ter mais que vinte e sete anos.

- Cho Chang? – ele sorriu – Não acredito no que meus olhos estão vendo! – ele se inclinou e beijou-a no rosto duas vezes.

- Por que não John? – ela lhe ofereceu seu melhor sorriso – Achava que eu não lembrava mais de você?

- Na verdade, achava sim! Nunca mais nos falamos desde aquela noite... – ele sorriu um pouco sem graça.

- Ah, águas passadas! – ela falou fazendo um gesto despreocupado com a mão – Não tem nada que impeça que nós dois sejamos amigos.

- Nem o Potter? – ele perguntou perspicaz.

- Nem ele – ela respondeu seca.

- Isso é muito estranho Cho... Até onde me lembro você me deu o fora, depois de dormimos juntos, para poder ficar com o Potter.

Ela não estava gostando do rumo que a conversa tomava. Se John resolvesse discutir a antiga relação dos dois no lugar de querer relembrar, seria o fim para os planos dela.

- John, eu não quero discutir. Só queria ter uma conversa amigável com você – comentou dissimulada.

Ele a fitou, desconfiado. Há mais ou menos dois anos, se envolveu com Cho. Poderia classificar o relacionamento deles com intenso. Conheceram-se numa festa do ministério e foram apresentados por um amigo em comum. De cara ele se sentiu atraído e passou o resto da noite tentando saber mais sobre ela. Com o tempo, foi se aproximando e começaram a sair juntos. Até que Harry Potter apareceu. Ele ficou arrasado quando ela o deixou, mas ainda sentia algo muito forte por ela.

- Certo – suspirou.

- Fiquei curiosa para saber o que você faz. – falou com falsa inocência.

- Cho, você sabe que não posso falar o que faço aqui!

- Sim eu sei. Mas você também sabe que eu não contaria para ninguém!

- Claro – falou sem jeito.

- John, eu tenho uma amiga que trabalha aqui. Você conhece Hermione Granger?

- Claro que conheço. Todo o departamento a conhece. Desde que ela veio trabalhar aqui, muita coisa foi resolvida. Dizem que do jeito que está indo, ela será a próxima a ocupar o cargo de chefe de departamento!

- É mesmo? Mas ela não é muito nova não? – perguntou a oriental com inveja.

- Hermione é nova, só que é muito competente e isso é o que mais vale para se conseguir o cargo. E ela tem o dom da liderança, faria uma carreira brilhante aqui.

- Ah, minha amiga é muito inteligente! – falou com fingida admiração e não gostando nada dos elogios que ele dispensava a Hermione – Você sabe onde é a sala dela?

- Lógico que sei Cho! Trabalho com ela há três anos! – ele sorriu.

- Ótimo! Poderia me levar até lá? Quero fazer uma surpresa para ela! – falou animada.

- A Hermione não está agora no departamento Cho. O ministro pediu para falar com ela sobre o projeto do vira tempo e... – ele parou de falar repentinamente, percebendo que revelara demais – Droga!

- Sobre o que? Você disse vira tempo? – os olhos dela brilhavam.

- Não posso falar nada sobre isso com pessoas que não sejam do departamento – disse muito sério.

Ela sorriu sensualmente para ele e foi se aproximando. Pôs as duas mãos sobre o peito dele e falou com voz melosa.

- Sei que não sou do departamento, mas juro que não conto para ninguém! – voltou a sorrir enquanto deslizava as mãos sobre o abdômen dele - No que minha amiga Hermione anda trabalhando?

- Eu... – John estava paralisado pela carícia, Cho ainda mexia muito com ele. Engoliu em seco – Você realmente não vai contar a ninguém, certo?

- Prometo que não conto. Agora me diz: a Hermione está projetando um novo vira tempo, é isso?

- É exatamente isso – suspirou derrotado – Você deve saber que, quando ela e o Potter eram alunos de Hogwarts, vieram ao ministério e encontraram comensais. Na luta contra eles, todos os vira tempos foram destruídos. Agora estamos tentando projetá-los novamente.

- Você disse “nós”? – ela falou boquiaberta. Ele confirmou com um aceno de cabeça. Ela não podia acreditar na sorte que estava tendo.

- Ajudo Hermione cronometrando o tempo e vendo se realmente está funcionando porque no inicio, não conseguíamos voltar no exato momento que queríamos. Mas agora está quase tudo pronto.

- Ah John! Deixe-me ver! Nunca vi um vira tempo de perto antes!

- Não! Não posso fazer isso Cho! – ele se negou.

- Por favor! Juro que só vou olhar! - pediu com voz doce e se aproximando cada vez mais do corpo do inominável – Não vou te causar problemas!

Ele a olhou longamente enquanto sentia o toque das mãos dela sobre si. Sabia que recusar um pedido dela era quase impossível para ele. O que sentia por ela era tão profundo que mesmo magoado com a separação dos dois, não pode conter a felicidade de tê-la por perto. Derrotado, só pode concordar.

- Está bem – ela sorriu e lhe abraçou. O homem fechou os olhos, aproveitando as sensações que ela despertava - Mas é rápido viu? E sem tocar em nada!

- Sem problemas – ela se afastou dele e deu um sorriso malicioso.

John pegou a varinha, abriu a porta e caminhou pelo corredor. Cho muito animada o seguia. Até agora estava dando tudo certo. Quando chegaram ao fim do corredor, ele parou na frente de uma parede onde não tinha nenhuma abertura, levantou a varinha e pronunciou algumas palavras tão baixo, que Cho não conseguiu escutar.

Assim que ele parou de murmurar, uma porta de madeira com detalhes dourados começou a aparecer. John deu um passo à frente e encostou a varinha na fechadura da porta. Uma luz muito forte fez com que Cho fechasse os olhos. Quando ela tornou a abri-los estava em uma sala redonda e muito iluminada, com paredes claras onde algumas estantes estavam organizadas com centenas de livros. Uma mesa, também redonda, estava no meio do recinto e sobre ela um objeto suspenso por magia. John fez um sinal confirmando para a Cho que o objeto era o vira tempo. Ela se aproximou e ficou olhando admirada.

- Agora que você já viu é melhor irmos – falou o inominável, visivelmente nervoso.

Cho se aproximou dele, sorrindo com malicia. Parou na sua frente e passou os dois braços pelo pescoço do homem. Ele imediatamente ficou tenso com a proximidade da mulher. Mas não resistiu e enlaçou sua cintura.

- Obrigada por me trazer aqui.

- Foi um prazer Cho – ele falou enquanto inclinava o rosto em direção ao dela.

John estava tão envolvido que não percebeu que a mão de Cho deslizava até sua cintura onde sua varinha se encontrava. A garota afastou o rosto do loiro e sorriu. Ele retribuiu o sorriso e beijou seu pescoço. Cho aproveitou e murmurou o feitiço.

- Estupefaça! –John caiu no chão.

Ela andou rápido em direção a mesa redonda e olhou para o objeto. Apontou a varinha para um ponto específico e lançou o feitiço.

- Diffindo! – o vira tempo tremeu um pouco e depois parou. A oriental sorriu. Voltou para o lugar onde John estava caído.

- Obliviate! – não queria que seu plano estivesse arriscado, tinha que apagar um pouco da memória de John - Enevarte – falou e logo depois escondeu a varinha.

- O que... Que foi que aconteceu? – ele perguntou aturdido. Cho se abaixou e demonstrou uma falsa preocupação.

- Não sei! Você desmaiou de repente! – ela ajudou o homem a se levantar.

- Mas eu não me senti mal... – disse confuso.

- Deve ser o cansaço! Tenho certeza que anda trabalhando muito!

- É... Acho que foi isso mesmo... – falou incerto.

- Então vamos sair daqui. Que tal você me pagar um suco de abóbora? – ele concordou e saíram da sala.


---------------------------------------------------------------------------------------------------------


Hermione entrou na sala do departamento bufando. Tinha perdido uma tarde inteira de trabalho conversando com o ministro! Já estava tarde e poucas pessoas deviam estar no Ministério.

Foi até a mesa em que trabalhava o vira tempo. Pegou uma prancheta com suas anotações sobre o projeto. Olhou o pequeno objeto e se largou na cadeira mais próxima.

- Como vou entregar o relatório preliminar amanhã? – disse para si mesma, colocando os cotovelos em cima da mesa e apoiando o rosto nas mãos.

Virou o rosto ao escutar alguém entrar na sala.

- John? Não esperava encontra-lo a está hora! – disse surpresa.

Johnny tinha entrado apressado na sala. Tinha se despedido de Cho há poucos minutos, mas tinha que fazer alguma coisa antes de ir embora. Queria verificar se estava tudo bem com o vira tempo. Alguma coisa lhe dizia para fazer isso!

Seguiu rapidamente para a sala dourada. Esperava não encontrar ninguém àquela hora, mas quando avistou Hermione, seu sangue gelou.

- Sim – tentou controlar seu nervosismo – Fiquei até agora arrumando uns papéis na minha sala – inventou.

- Eu também tenho que fazer isso – disse divertida, se levantando – Por causa dele – ela apontou para o vira tempo – Minha mesa está atolada de livros, resenhas e papéis!

Johnny riu nervoso. Levou a mão a nuca apreensivo.

- Está tudo bem com o vira tempo? – perguntou tentando parecer normal.

- Pelo o que eu pude constar, está sim – disse olhando para o aparelho – Mas porque a pergunta?

- Por nada – sorriu aliviado – Pergunta rotineira!

Hermione sorriu para o homem.

- Então eu já vou indo. Nos vemos amanhã Hermione?

- Claro – respondeu e observou Johnny indo embora. Olhou para o aparelho em sua frente novamente e se lembrou do presente problema.

Olhou para os lados a procura de mais alguém ali, mas não encontrou. Mordeu o lábio inferior. Estaria quebrando umas vinte regras em fazer isso, mas não via outra solução. Precisava terminar o relatório, mas para isso precisava terminar de recompor o aparelho.

- Merlim, espero que ninguém descubra!

Foi num armário que ficava no fundo da sala e pegou um pano especifico. Se iria tirar o vira tempo daquela sala, precisava protegê-lo de todas as maneiras possíveis.

Com cuidado, embrulhou o aparelho no pano e o guardou numa pequena caixa. Colocou um feitiço para que ele ficasse estabilizado ali dentro. Com a caixa em suas mãos, foi até sua bolsa e o colocou ali dentro.

Tinha ido para o ministério de carro, mas queria evitar qualquer tipo de acidente, então resolveu aparatar em casa, no dia seguinte pegaria o carro, não teria problemas!
Olhou para a sala dourada uma ultima vez. Sabia que teria que chegar bem cedo amanhã para ninguém sentir falta do vira tempo. Teria uma longa noite!

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Harry tocou a campainha e ficou esperando impaciente. Quando Gina abriu a porta, ele sorriu para a amiga.

- Oi Gina – ele cumprimentou. A ruiva retribuiu o sorriso e deu espaço para Harry entrar na sala confortável que fora decorado por Hermione.

- Ora, se não é o famoso Harry Potter! Veio visitar nossa humilde casa? – disse brincalhona, então olhou para os lados e para o espaço atrás de Harry – E veio sem a Cho? Nossa! Estou realmente surpresa!

- Ah Gina, até parece que passo meses sem vir aqui – a ruiva ergueu a sobrancelha – Ta bem, sei que demoro a vir visitar vocês!

- Ainda bem que admitiu. Achava que você nem sabia mais onde ficava!

- Desculpe Gina, sei que não estou sendo um amigo muito presente, mas isso vai mudar.

- Vai mesmo? – ela perguntou. Ele fez que sim com a cabeça.

- Sim. E vai começar agora. Preciso conversar com a Hermione e pedir desculpas por algumas coisas quem vêm acontecendo. Ela está?

- No porão trabalhando. Está sempre lá ultimamente por causa do projeto secreto do qual ela é responsável.

- Ok. Vou lá falar com ela - estava ansioso por conversar com Hermione e fazer as pazes.

- Harry não sei se é uma boa idéia. Hermione não gosta que entrem lá. Eu mesma nunca entrei!

- Eu sei disso, Gina. Mas é realmente importante o que preciso dizer a ela.

Gina ponderou por uns instantes.

- Harry, realmente acho...

- Gina, isso não é um pedido – a ruiva levantou as sobrancelhas surpresa – Eu preciso falar com Hermione e eu vou descer! – Harry passou por ela e seguiu pelo corredor que dava acesso ao porão.

- Ainda me surpreendo com o seu cavalheirismo! – disse ironicamente – Quando acabar de falar com ela, suba. Estão todos aqui para comemorar meu aniversário!

O moreno parou de andar e se virou.

- Gina, me perdoe. Eu esqueci completamente do seu aniversário! – disse sincero.

- Você acha mesmo que eu já não tinha percebido isso?

Harry sorriu sem graça para a ruiva.

- Depois eu subo e comemoro com vocês então!

- Se a Hermione não te matar por você entrar no escritório dela, veja se consegue traze-la um pouco para o convívio social!

- Está bem – disse sorrindo.

Gina deu as costas e subiu as escadas para o piso superior. Harry respirou profundamente antes de abrir a porta do porão.

Sabia que Hermione ia ficar bem irritada com a atitude dele, mas Harry não estava pensando nisso naquele momento. Pelo menos não muito.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Escutou passos no andar superior e pensou que Draco devia estar em casa. Revirou os olhos. Esperava não escutar nada de demais.

Foi até um armário que tinha no seu porão e pegou uma nova ampulheta. Olhou para ela tentando descobrir que o tamanho estaria bom. Teria de estar! Era o último que ela tinha.

Foi até a mesa que tinha posto o vira tempo e com cuidado, trocou a ampulheta que tinha ali e botou a nova. Sorriu ao ver que tinha encaixado perfeitamente. Pegou sua prancheta e escreveu a mudança do aparelho. Terminou de escrever assinou o relatório. Tinha sido errado trazer o vira tempo para sua casa, mais o resultado era recompensador!

Orgulhosa, ficou olhando o vira tempo na sua frente. Não media mais de quinze centímetros, pois cabia todo em sua mão. Era grande comparado aos antigos vira tempo, mas sem ter uma noção de tamanho para construir aquele, Hermione diria que estava até pequeno. Banhado em prata e ouro, o objeto era muito valioso, mas não apenas pelo seu valor material, mas sim por ser o único vira tempo existente.

Estudou mais passos no andar superior. Porque quando as coisas estavam críticas, sempre surgia um novo problema? Ficou olhando para o teto e percebeu os passos se afastarem. Definitivamente, tinha mais pessoas em casa do que Gina e Draco.

Ainda olhando para cima, abaixou a cabeça rapidamente ao escutar a porta do porão se abrindo. Nervosa, foi até a entrada, desviando das mesas ali dentro, mas chegou tarde.

Harry estava no fim da escada olhando surpreso para todos os aparelhos no porão. Desceu o ultimo degrau e foi a mesa mais próxima. Tinha alguma parafernália fazendo barulho ali. Agachou-se e ficou olhando como o aparelho funcionava. Existia um grande tubo prateado no formato de um círculo, onde uma bola transparente, do tamanho de um botão, ficava girando nele, aparentemente sem que nenhuma força estivesse sendo exercida em cima dela.

- O que seria isso? – perguntou apontando para o aparelho que estava olhando.

- Uma coisa que você nunca devia ter visto – respondeu rispidamente. Hermione passou por ele e colocou um pequeno pano em cima do aparelho – O que faz aqui, Harry?

- Precisava conversar contigo – disse dando um passo em sua direção.

- Harry, este não é o melhor momento e muito menos o melhor lugar!

- Eu sei, mas eu não consigo parar de pensar na nossa discussão, Mione!

Hermione ia responder, mas percebeu que Rony e Neville desciam as escadas. Eles só podiam estar de brincadeira!

- O que vocês estão fazendo aqui? – perguntou saindo de perto de Harry.

- Nem me olhe com essa cara – disse Rony – Ele desceu, porque também não podemos? – ele apontou para Harry.

- Acontece que ele já estava de saída! – disse empurrando o ruivo para a saída.

- Mione, eu não sabia que você tinha um arsenal no nosso porão! – comentou Gina descendo as escadas com Draco e Luna.

Hermione ficou desesperada. Não tem mais ninguém para descer, não? Pensou. Quem sabe o ministro em pessoa?

- Mas o que vocês estão fazendo aqui? – perguntou.

- O aniversário de Gina é amanhã, se lembra? – disse Draco – Combinamos de vir aqui hoje e comemorarmos!

- Isso não dá o direito de vocês invadirem minha área de trabalho! – estourou. Luna se encolheu e deu um passo para trás de Neville, que também estava assustado pela reação da morena.

- Hermione se acalme – pediu Gina.

- Vocês não entendem! – disse exasperada – Tudo isso – ela apontou para os aparelhos e documentos espalhados pelo porão – É confidencial! Tem coisa aqui que nem eu devia saber que existem. Vocês muito menos!

Olhou para seus amigos. Sabia que estava mais estressada e que eles deviam estar assustados com sua reação, mas não conseguia evitar.

Quando os viu descendo por aquelas escadas, um pânico invadiu sua mente ao pensar nas coisas que eles poderiam descobrir. Existiam informações que Hermione poderia pagar com a própria vida se por acaso elas vazassem para o resto do mundo bruxo.

Confiava em seus amigos e sabia que eles jamais fariam algo para prejudicá-la, mas todo cuidado era pouco. Afinal, existiam aparelhos ali muito frágeis que se não fossem manuseados com extremo cuidado, poderia ocorrer um sério acidente que Hermione não queria pagar para ver.

- Hermione, não fique brava com todos – disse Harry se aproximando – Eu queria falar com você. Gina me disse que estava aqui embaixo e que não era para vir incomodá-la, mas eu ignorei o que ela disse – ele olhou para Gina e virou-se para Hermione novamente – Me desculpe por ter invadido seu escritório! – disse num sorriso sem graça.

Hermione olhou para o amigo. Se não estivesse tão nervosa, daria um sorriso para Harry, mas parecia que os músculos de seu rosto tinham congelado.

- Tudo bem, Harry – ela olhou para o resto dos amigos presentes – Me perdoem se fui grossa com vocês, mas eu realmente fiquei nervosa ao vê-los aqui...

- Mione o que seria isso? – perguntou Rony curioso. Hermione se virou e procurou o amigo. Ele estava debruçado sobre o novo protótipo do vira tempo que Hermione estava trabalhando por semanas.

- Rony, não mexa... – advertiu andando em direção ao amigo, mas foi tarde demais. Rony esticou a mão e girou a ampulheta recém trocada por Hermione.

As coisas aconteceram muito rápidas e antes que Hermione dissesse mais alguma coisa, um grande clarão branco tomou conta do porão e ela não viu mais nada.

CONTINUA...

N/A (Nick): Oi gente! Mais um capítulo da nossa fic!Esse foi escrito pelas três e foi muito interessante de fazer, pelo menos para mim. Nós dividimos de acordo com o tema que cada autora se identificava mais. Aposto como vocês não descobrem qual parte foi a minha! Eu gostei bastante do resultado e espero que vocês também. Abraço a todos!

N/A (Nety): Oiie; sei que vocês devem estar se perguntando, poxa a nety não escreveu nada ate agora na fic, mas esse capitulozinho tem um pedaço de mim, será que alguém advinha qual é? E o próximo capitulo provavelmente não será somente meu também, ( Acho que elas não confiam no meu prazo de escrever um capitulo, só porque eu atraso alguns meses! Rum!) terá a participação de nós três e talvez o quinto capitulo será escrito somente por mim, que emoção! Gente rapidinho posso fazer uma propaganda? (Pode) É sobre a fic que escrevi de presente de niver para a Nick; chama Ainda amo você! [http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=27079]; Passe lá se puder. BeeijO

N/A (Binks): Eis que me faltava inspiração para essa N/A. Então vamos elogiar essa fic e minhas amiguinhas que escrevem comigo! ( idéia da Nick, falo mesmo! ) "A Nick é demais! A Nety é demais! Tudo é demais!." Alias, sinto muito pelo atraso da fic! As meninas não postaram porque eu não tinha escrito nada da minha N/A desse cap! Reclamações dessa vez pode ser comigo!
Esse cap foi um dos que eu mais gostei... as meninas contaram? Escrevemos juntas esse cap!!! EHHHHH
Afinal três mentes pensam melhor que uma!
Vou parando por aqui... Ah! Conseguem imaginar o que aconteceu?!? Rsrsrsrs
Esperem o próximo cap!

Obrigada Shammy, Andréa Pismel, Josy e Gina Luv! Valeu pelos comentários!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.