FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Tumultos


Fic: Encontro virtual


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo 4 - Tumultos




Matt:


Ve Jess a lua desta noite?


Nela não há traços de luar


Apenas uma cálida presença


A aquecer o horizonte


 


Vês a sombra? Como se mesclam com seus raios?


São eles mais belos do que o outro?


Ou unidos formam um todo?!


 


Vês a luz se filtrar pela madrugada


Vês apenas o que reflete na escuridão


A vês apenas como ao clarão


 


Consegue dizer quantas cores há ali?


Quanto dela mesma nós enxergamos?


Não, sim, poderia?


 


Não. A lua que vemos não pode ser distinguida


E ali esta sua beleza


Nessa confusão do olhar


Nessa mescla de luz e escuridão.


 


Jess25: Deu sorte que gostei da sua poesia! rsrsrs


Mat: Faço o melhor para agradá-la ma belle.


Jess25: Precisa mais do que isso…


Mat: Serve ter uma explicação?


Jess25: Posso pensar! Rsrsrs Sem problemas! srsrsrs


Mat: Desculpe, mas eu tive um compromisso nesse horário. Digamos que meio inesperado. Recebi uma ligação da minha familia.


Jess25: Esta tudo bem espero… ??


Mat: Sim, claro. Só as coisas de sempre.


Jess25: Fico feliz então.


Mat: Você se compra fácil então!


Jess25: Bobo.


Mat: Como foi seu dia Jess?


Jess25: Entediante. E o seu?


Mat: Demorado.


Jess25: Idem.


Mat: Você me julgaria um don juan se eu te dissesse que mal esperava para falar com você outra vez?


Jess25: Isso depende…


Mat: De que?! rsrsrs


Jess25: Você é sempre sincero assim? ;p


Mat: Isso é privilégio seu. Só com você! Ahauhauhauha


Jess25: Então sim! Sim, talvez eu te ache um don juan. Kkkkkkk Só que eu não posso dizer muito a meu favor, já que também queria falar com você.


Mat: Empatados?


Jess25: 1x1.


Mat: Qual Cd você esta ouvindo agora?


Jess25: Agora, agora, nada. Mas no meu MP3 o último Cd era dos Beatles.


Mat: Você também gosta?


Jess25: Não só deles, mas de algumas antigas. Rsrsrs. Minha amiga me acha adepta do movimento Hippie só porque eu mencionei o musical Hair.


Mat: Eu gosto desse.


Jess25: Minha mãe gostava também. =S


Mat: Então quer dizer que você é adepta ao Paz e Amor? :p


Jess25: Você está se divertindo às minhas custas, não é Matt??


Mat: Que isso! Só achando graça! Rsrsrs=D Me perdoe, não resisti.


Jess25: Desculpas aceitas. Mas, falando nesse assunto. Outro dia fiquei curiosa.


Mat: Sobre?


Jess25: Você trabalha com esse meio, digo, com algo relacionado a arte e cultura em geral?


Mat: Mais ou menos isso. No momento estou dentro de um projeto que esta adaptando uma obra literaria para o cinema.


Jess25: Deve ser fascinante. Que inveja. No bom sentido. Rsrsrs. Sou apaixonada por tudo relacionado a literatura, arte e cultura.


Mat: Somos parecidos nisso, não é mesmo?


Jess25: Verdade. Mas me diz como esta o trabalho. Que livros estão adaptando?


Mat: Bom, na verdade é um projeto ainda e não estamos autorizados a comentar, entende? Pode chegar onde não deve..


Jess25: Jornalistas?! Mas pelo suspense parece ser uma obra conhecida e famosa.


Mat: Sim. As gravações começam mês que vem.


Jess25: Poxa, que legal. Você deve estar odiando neh? ahushaushuahs


Mat: Como você mesma disse: estou odiando! É uma oportunidade única. E você, o que faz?


Jess25: Eu estudo biologia marinha.


Mat: Legal. Você gosta do oceano.


Jess25: Amo. Morava no litoral e desde muito pequena sou fascinada por animais bentonicos. A minha favorita é a estrela do mar.


Mat: Interessante. Então você não é dessas que sonham com um lar, marido e filhos??


Jess25: Sim e não.


Mat: Em cima do muro?


Jess25: Não. Eu quero ter uma família. Mas quero seguir minhas metas. Tipo: formar, trabalhar,  viajar e ai sim me estabelecer.


Mat: Tipo independente?


Jess25: É tipo independente…


Mat: Você é interessante! rsrsrs


Jess25: E você?


Mat: Eu quero ter uma esposa, filhos e uma vida sossegada. Quando encontrar a pessoa certa, não penso duas vezes.


Jess25: E no momento esta empenhado nessa meta? kkkkk


Mat: Bem que gostaria. Mas não se pode ganhar e ainda assim ter tudo, não é mesmo?


Jess25: Verdade. Mas não desanime, a pessoa certa irá aparecer. É só uma questão de tempo. É só ser paciente. rsrsrs


Mat: Eu tenho fé que sim. E você? Namorando?


Jess25: Hmm… Digamos que eu não seja do tipo que se apaixona. Tô num relacionamento longo com a escrita. kkkkkk


Mat: rsrsrs Sem graça. Você é diferente! Tem conteúdo. Mais do que garotas belas e fúteis.


Jess25: Hei! Nem todas as garotas bonitas são futeis. Pelo visto, você só conheceu garotas supérfluas. Mas teem muitas que são bonitas e inteligentes por ai… De qualquer forma, isso não esta mais em discussão. rsrsrs


Mat: Com medo de que eu te convença que você também seja uma delas? Kkkkkk Ou com medo que eu descubra que você é uma?


Jess25: Como você ilustruou mais cedo. Não enxergamos a lua apenas por ela mesma. Vemos muitas coisas embaralhadas e mesmo assim julgamos como uma só. Você quem me disse, se lembra?


Mat: Ok. Você é observadora. Sem argumentos contra minhas próprias palavras. Kkkkk


Jess25: Nem sempre olhar por um determinado angulo te da a melhor visão ou mesmo a chance de escolher.


Mat: Isso soa pessoal…


Jess25: Aprendemos, erramos e tentamos acertar todos os dias, não é mesmo?


Mat: Como se fossemos obrigados a ter uma visão ou uma opnião específica.


Jess25: Sim. Então, ser você mesmo nem sempre é tão fácil quanto imaginávamos…


Mat: É verdade. Você gosta de cinema, não é? Qual seu ator preferido?


Jess25: Hmm… Gosto de vários. Acho que o estilo de Jony Deep é incrível, mas não nos esqueçamos da atuação de Colin Firt que ganhou o oscar… Ele também é bom! E você?


Mat: Eu gosto da maneira de atuar de Al Patino e Angélica Houston. São geniais no que fazem.


Jess25: Concordo. De atriz acho que gosto de Nicole Kidman.


Mat: Atua bem.


Jess25: E bonita. Os anos não passam para ela. Rsrsrs Coitadas de nós, meras mortais.


Mat: Ah. Beleza não é algo muito relevante nesse mundo. Você ficaria impressionada com a quantidade de mulheres que ficam deslumbrantes com roupa, cabelo e maquiagem adequeadas. Hoje, o fundamental e básico esta na diferença de ter talento ou não.


Jess25: Eu sei. Desse jeito fica dificil interpretar você. Um completo enigma na minha cabeça… Gosta de coisas cultas, tem bom papo, filosofico, poeta… Você cozinha também? rsrsrs


Mat: rsrsrs Sim. Minha omelete é a minha salvação. aushauhsuahsa


Jess25: Me adimira que seja solteiro então. Rsrsrs. O que procura em um relacionamento??


Mat: Não tenho um padrão. É o que te disse. Não encontrei alguém ainda. Mas acho que primeira impressão é um quesito importante.


Jess25: Uma boa impressão? Quer dizer que sua namorada tem que passar por uma entrevista para ver se é boa para a vaga? kkkkk


Mat: Engraçadinha!


Jess25: Fala sério Matt. Você parece um velho falando! kkkkk


Mat: Hei. Eu sou muito novo. Tá! Na flor da minha juventude, rssrsr.


Jess25: Sei sei.


Mat: Tenho 22 e você??


Jess25: vou completar 18. rsrsrs


Mat: Nova.


Jess25: E você é tão velhooOO.. kkkk


Mat: kkkkk


Eu estava começando a bocejar agora. Olhei pela janela aberta as copas das árvores do jardim. Lisa amava plantas e afins, o que era visivel pelo grande Flanboyant, dois deslumbrantes Ypes brancos que estavam florescendo e um grande Jacarandá que balançavam com o vento. Iluminados pelo luar.


Eu me perguntava o quanto e o que Matt tinha em seu jeito de escrever que me prendia aquele computador. Era como se fossemos antigos conhecidos. Eu me sentia eu mesma. Sem inibições. E no fundo eu imaginava como seria se nos encontrassemos pessoalmente algum dia.


Olhei para o relógio da escrivaninha, já era tarde, me despedi de Matt e fui dormir. Antes que me arrepndesse e amanhã acordasse com dor de cabeça pela falta de sono. Eu sei que sou sortuda. Além de ser “desorientada” com direção correta eu ainda tinha aquela dor de cabeça toda vez que dormia menos de 7 horas. Eu sei. Ressaca sem álcool. Vê como eu sou sortuda?


 


 


 


- Lily, você tem que ir…


Jessica gemia no meu ouvido. Estavamos no 4º período da manhã. Aula de zoodiversidade aquática I. Não que a aula estivesse interessante de qualquer forma. Mas o meu professor era bem rigido e odiava interrupções.


- Desculpa Jess, mas não vai dar.


Ela me lançou um olhar irritado e se voltou para frente ao datashow. Ótimo. Zangada comigo.


Mal dera 5 minutos e estavamos sendo liberadas, saimos em silencio até a cafeteria com Cissa que também estava estranhamente calada.


- Quem morreu? – Cissa se pronunciou assim que nos sentamos.


- Lily não pode ir na festa – ela guinchou para Cecilia – E até a sua mãe deixou…


Nós estavamos no fim do almoço, sentadas no refeitório do campus. Já havia uma semana que Jessica e até mesmo Cecilia tentavam me converncer a ir a essa festa na casa de algum “bem nascido” da faculdade.


E pelo visto ela não tinha acreditado muito no que eu disse a dois dias atrás.


- Eu tenho que ir a esse jantar com a lisa e o Tom. Na próxima eu vou…


- Fazer o que! – ela disse conformadamente chateada.


- Vai ser divertido – Cissa tentou anima-la.


- Não acredito que você não estará lá. Tenho quase certeza que o Sirius vai…


Era isso. Eu pensei tomando meu yorgut de morango diário. Mas eu nem sabia o que fazer para aproximá-los se esse fosse o caso. Olhei o olhar esperançoso que Jessica lançou ao redor do refeitório, observando cada mesa e cadeira de madeira. Eu era de opnião que a decoração do refeitório era bonita como um charmoso café Italiano.


O aroma do lugar era calmo e tranquilo, isso se devia é claro, ao fato de que muitos alunos não frequentavam o local naquele horário. Uma hora após o almoço.


Mas eu já sabia a resposta, antes dela mesma me dizer. Ele não estava ali. E tão pouco topamos com ele durante aquela semana, depois do shopping. Pelo que uma garota do curso dele, que era minha conhecida amiga de horas de estudo na biblioteca, me dissera vários acadêmicos estavam em um seminário sobre recursos naturais no palácio real naquela semana.


- E então, onde é essa festa? – Jess e Cissa me perguntaram ao mesmo tempo.


Jess ainda me olhava um pouco triste. Eu olhei ao redor e me espantei ao ver que já estavamos no estacionamento da faculdade. Eu estava tão distraída que mal notei o quanto já haviamos andado.


- Ai MEU DEUS – Cissa soltou lentamente e Jess soltou gritinhos olhando para algo que estava atrás de mim.


Pra ser exata, algo que estava na saída da faculdade. Mais precisamente à pessoa postada na escadaria principal no terceiro degrau que levava ao segundo andar. O cabelo castanho era levemente balançado pelo vento, parecia de um tom de louro escuro refletido pelo sol.


Eu podia ver o nariz ligeiramente pontudo e as covinhas de um sorriso surgirem no canto da boca. Eu tinha quase certeza que o tom de voz seria calmo, persuasivo e ligeiramente mandão. Ele podia estar tentando convencer alguém à algo, ou mesmo estar sendo ironico tentando contornar algo dificil. Era dificil deduzir com certeza daquela distância.


As sombrancelhas em formato de um meio arco ligeiramente arqueadas davam ao rosto bonito uma expressão de maturidade apesar de dificilmente ter mais que 23 anos. Os olhos dele se viraram rapidamente em minha direção. Como se estivesse ciente todo o tempo que eu o observava. Pela distancia eu não podia afirmar nada, mas pareciamos não ter sido as únicas que repararam.


Do lado dele estava outro rapaz. Parecido com ele. Com covinhas bem aparentes e de cabelos negros encaracolados. Poderiam se passar facilmente como irmãos. Apesar de Thiago Potter, o segundo, ser mais incorpado que o rapaz que eu reconhecia, me derrubou na rodoviária quando cheguei. A quase um ano atrás.


- É o Thiago. – Jessica me disse e junto com Cissa me arrastaram até próximo onde ele se encontrava.


Qual a probabilidade? Claro, alguém tão bonito só poderia ser famoso. Eu tinha que admitir que Thiago Potter era simpático ao distribuir aquela quantidade de autógrafos para aquela pequena multidão. Parecia que o outro também estava bastante ocupado o ajudando.


- Ele não é fofo? Lindo e Deus Grego? – Jessica me disse em disparada, ela estava tendo um dos costumeiros ataques que eu tinha nomeado de sindrome de Thiago.


- Qual a chance de além de tudo isso, ele ser simplesmente humano? – eu indaguei sarcastica – Legal, amigo e tal?


- Ele é tudo isso. – Ela disse e Cissa concordou olhando embevecida. – você vai ver, ele vai dizer que é loucamente apaixonado por mim. Vamos nos casar em Veneza, na Itália. Teremos um casal de filhos e você vai passar os fins de semana conosco. E Jessica e você serão madrinhas de nossos filhos. – ela dizia embevecida olhando para cima em uma nitida expressão sonhadora que era digna de um retrato. Juro. Eu tava me segurando para não rir e magoa-la.


- Ok. E eu serei a próxima rainha de nossa país. – eu fiz piada.


- E vai ser mara amiga.  – ela me disse ainda olhando para o prédio principal.


- Ok Cinderelas! Mas só recapitulando. Ainda estamos de dia… E HELLÔOO… Mais tarde passamos em uma loja para comprar uma sapatilha e vocês perdem-na na próxima vez que o encontrarmos para ele poder encontrar. Ou melhor... – eu coloque meus dedos sob os lábios. Pensando – Atirem o sapato nele. Mais garantido que ele vai achar, pegar!!!. – eu ri.


Ela e Cissa fizeram cara de magoadas.


- Isso ri, faça PIADA. Mas quando eu for – ela olhou para Cissa – nós formos – acrescentou e a Cecilia sorriu – oficiais dele, não vamos te chamar para o casamento.


- Bigamia é crime. Sabiam? – eu disse rindo ainda mais.


Ela suspirou e fez como se eu tivesse a apunhalado pelas costas.


- Ok. Quando você for NAMORADA dele, você – eu apontei as duas – pode me chamar para ser madrinha, não importando quem seja a escolhida.


- Mas diz – Cissa disse – Ele não é lindo?


- Vamos logo meninas. Se não a LINDA da minha tia tem um ataque. – eu disse isso para apressa-las, que pelo visto não pareciam muito felizes por deixarem a faculdade naquele fim de tarde.


Eu olhei o orelhão do outro lado do campus, em frente a cantina. Talvez…


- Jess, Cissa… Se vocês não vão eu posso ligar para Lisa me pegar. – eu ofereci.


- Ótima idéia – Jess me disse intusiasmada. – Você pode avisar que chegaremos mais tarde.


- Por favor… - Cissa implorou – Se eu for com você minha mãe não vai me encher a paciencia…


- Cecilia – eu gemi em uma prece muda que minhas amigas não quisessem se juntar a festa também.


- Por favor Lily!


Eu olhei esperançosa para o telefone. Mas elas estavam praticamente implorando por aquilo. E já que eu não iria na festa com elas, que mal poderia haver?


No máximo conseguiriam um autógrafo. E um Oi e Tchau. Bastante promissor e provável.


- Ok. Mas eu não vou lá – eu indiquei a pequena aglomeração. – Espero vocês ali. – apontei para o gramado e comecei a andar para o orelhão.


- Não precisa. – ela me chamou remechendo na bolsa e retirando um iphone dali.


- Desde quando?!


- A minha mãe me deu no dia que saimos no shooping – ela disse- Rastreamento via satélite – disse envergonhada e eu e Cecilia rimos. Me entregou o celular e com Cecilia me arrastaram uma em cada braço para perto da multidão. Era covardia. Eu estava sendo arrastada.


Estavamos literalmente esmagadas pelas garotas que estavam ao redor deles. Eu imaginei como seria se fosse Brad Pitt. Dali guarda costas que a platéia de hoje não seria nada em comparação.


E o ego?


Melhor nem comentar.


Eu me esgueirei para fora e fui sentar no gramado um pouco distante dali. Em um lugar em que poderia as ver perfeitamente e que seria fácil para elas me acharem.


Sentei-me sob a sombra de uma árvore, no tapede macio verde e comecei a escrever uma mensagem para o celular da minha tia.


“Lisa. Vou chegar mais tarde. Estou com Jess e Cissa, o celular é de Jess. Lily.”


Eu pressionei enviar e retirei meu MP3 da bolsa. Aquele dia havia sido cansativo. Principalmente depois de dois sermões sobre os exames finais que ainda tinha o semestre inteiro pela frente, mas pelo menos a faculdade fazia um esforço para ganhar uma competição contra as melhores faculdades da região. E que pela 1ª vez em 15 anos seria realizado ali em nosso país.


Concordava com nossos professores. Era nossa chance de começar a construir nossos nomes e uma carreira própria. Embora pouquissimos alunos parecessem entender a amplitude daqueles resultados.


Eu me lembrava perfeitamente agora das palavras da professora Macgonagal:


“Empenho. Isso pode ser uma tinta fosca ou fluorescente para vocês!”


Tradução: Se dêem mal e vocês realmente irão se lamentar quando sairem daqui.


Eu até que achava a professora Minerva Macgonagal simpática.


“- Não esqueça de sintonizada e muito por dentro” Cissa fazia questão de frizar. Como se fosse culpa da coitada estar noiva da antiga paixão de minha amiga. Não! Minha professora não era adepta à onda de jovens.


Tampouco era velha. E eu tinha que dizer: ela estava muito bem com seus 30 anos, cabelo negro estilo chanel e 1,60 de altura com uns provaveis 55 kg. Lógico que Cecilia era linda em comparação. 1,65, cabelo castanho escorrido e olhos mel. Além der magérrima como Jess. Mas eu já desisti a um tempo de lhe dizer que o amor é cego. E que talvez nosso antigo professor achasse o mesmo.


Paciência. Ele era até bonito. Mas sinceramente: ele é uns 15 anos mais velho que minha amiga. Angela poderia ser maior de idade, mas na minha opnião, isso era um grande abismo entre eles.


Eu fechei os olhos rapidamente enquanto o som da voz conhecida tomava conta dos meus ouvidos, me relaxando.


What the world needs now


O que o mundo precisa agora


Is love, sweet love


é de amor, doce amor


It's the only thing


É a única coisa


That there's just too little of


que há pouco espaço de


What the world needs now


O que o mundo precisa agora


Is love, sweet love


é de amor, doce amor


No, not just for some


Não, não apenas para alguns,


But for everyone


mas para todos


Minha música favorita.


Ela era tão linda e mesmo assim, tão triste. Verdadeira. Se apenas dessemos a mão a quem esta de nosso lado. O mundo seria muito melhor.


- Moça?! – Eu abri meus olhos e me deparei um tênis nike preto com detalhes em branco, um tanto grandes para pertencer a uma mulher. Assim como a mão que me cutuva para chamar a minha atenção, bloqueada pela música alta.


Eu quase entalei com a bala de hortelã que tinha na boca, quando reparei nos jeans azuis quase brancos e na camisa polo branca listrada de rosa.


Eu definitivamente senti meu coração ir a mil por hora ao fitar novamente aqueles olhos verdes.


 


 


NA: Autora malvada!! Kkkk. Podem dizer! Rsrsrsrs Quem será esse? E quem estava na escada com Thiago? Lilian confundiu?? Kkkk. Até o próximo capitulo! Ashuahsuahusha


Valeu Patricia! A Jess é a cara de uma amiga minha!! =D





Beijocas.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.