FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. O Segredo da Sangue Ruim.


Fic: O Mistério dos Sonhos.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N.A.: Quatro da manhã... E finalmente o último capítulo da primeira temporada de OMdS está postado! *-*
Eu lamento muito a demora para a postagem. Mas, é que as cenas finais foram realmente difíceis de escrever! ><” Infelizmente, eu não sou muito boa com cenas de batalha. xP
Mas, eu melhoro... Pode ter certeza! ^^v Mesmo porquê terei que começar a me acostumar com esse cenário ><”
Bem... Apesar, do capítulo não ter tido o desfecho desejado pela writer... Hehehe... ^^”
É muito bom vê-lo On! *-* Quero dizer... É incrível ver parte de um grande trabalho estar sendo concluída. *-*
A satisfação e a felicidade são muito grandes. E é claro que esse sentimento eu devo a vocês. Que me acompanharam até agora, sempre elogiando e criticando de forma bacana. Participando do desenvolvimento da fic. Colaborando para chegada dela até aqui. Ai! To ficando emocionada! Y.Y
Melhor parar por aqui... xD
Mesmo porque eu sei que provavelmente vocês estão doidas para ler. Hehehe...
E bem, eu confesso que... Estou doida para dormir! ><” SHAuahu... xD
O que era realmente é agradecer! Agradecer a todos vocês... Os que comentam... Os que não comentam. Os que eu sinto que já são como amigos... E também a aqueles que são ótimos conhecidos. Quero agradecer a todos! ^^
Minha fic está aqui devido a vocês! E vai continuar... Por vocês! :D
Obrigado! *-*

E então... Bem... Sem mais enrolações.
O cap está On! *-*
E autora vai ficar Off, porque já tá caindo em pé! xD
Curtam o capítulo e... See you and the next season! ^^v


~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

AGRADECIMENTOS:

Enviado por Doninha G. J. em 12/08/2007 amanhã? ebaaa to muito curiosa
R.: Obrigado pelo carinho Doninha! ^ ^

Enviado por Christine Martins em 13/08/2007: Esperando ansiosamente
R.: Valeu Chris! ^ ^v

Enviado por FeRNaNDiNHa*^^* em 13/08/2007: Na moral, vc pretende atualizar de 23:59 mim?!? É?!?! Pq é o q ta parecendo! ¬¬
R.: Pois, é Fer ><” Se viu, o que o meu Pc fez comigo, né? Máquina infeliz! ¬¬ HSuAHu... xD

Enviado por Máira Vivian em 13/08/2007: ..... esperei.... esperei.... esperei.... naum espero mais.... byyeee
R.: Poxa Mai! Não fica brava comigo! Y.Y Sabia que toda vez que eu vou escrever OMdS é me dá bloqueio ou coisa parecida, a primeira coisa que eu penso é: “Ai! A Máira vai ficar de cara comigo! ><” SHUSHu... xD O pior é que é sério mesmo! oO’ Heheh... xD Bjs!

Enviado por FeRNaNDiNHa*^^* em 14/08/2007: Num ia ser um presente?!?! O cap 9 junto com o 10?!?! Cade o 10?!?! ;*
R.: É! Ia! Y.Y Desculpas, Fernandinha! Eu realmente não consegui concluir o 10 a tempo! ><” O nove já foi um sacrifício ¬¬ SHUAhu... xD Bjs! ;*

Enviado por FeRNaNDiNHa*^^* em 14/08/2007: Putz foi mal, mais num tem NEM O CAP 9?!?! GOD EU VOU XORAR!!!!!!! Olhe o meu desespero, vc me fez fazer comentários!!!! Coisa q eu nunk faço tdu issu graças a vontade de esganar teu pescoço! ahUAHuhauHAUhau Brincadeira, mais sério se dê posta hj pelo menus o 6?!?1 ;*
R.: Desculpa! Desculpa! Foi o PC infeliz! Não carrego o cap! ¬¬ Não fica brava não, please? Y.Y Continua comentando! Mesmo que for para dizer que vai arrancar o meu pescoço oO” SHUAHAU... xD Bjs! ;*

Enviado por Máira Vivian em 14/08/2007: pq marcou o dia e naum postou???*magoada* eeu intendu o lance de naum ter conseguido terminar o cap 10 e talz... mas e o 9??? nem ele???o.O... nossa
R.:Poxa Mai! Se viu que foi o meu Pc, né? Y-Y Desculpa! ><”

Enviado por FeRNaNDiNHa*^^* em 14/08/2007: Parece q naum carregou todo o cap de novo! ¬¬ ahUAHUhauHAU Pow jogue seu computador fora viu?!?! ahuAHUhauHAU Brincadeirinha... ;*
R.: Pior! Estou pensando seriamente nisso! ¬¬ SHAUHAu... xD Mas, sem ele eu não vivo! *-* HSUAHu... xD Bjs! ;*

Enviado por Máira Vivian em 14/08/2007: ¬¬
R.: Desculpa! ><” Hehehe...

Enviado por Christine Martins em 16/08/2007: Muito perfeito!Mas o Draco não pode estar traindo a Ordem...mas uma pessoa que eu tenho certeza que ele vai proteger independente do que aconteça é a Mione.Tá ótima a fic!Posta logo!Bjos
R.: A pergunta que não quer calar... Draco está ou não está traindo a Ordem? oO” Hehehe... Acho que só eu sei dizer por enquanto! xD E apesar de não dizer para ninguém =x Isso eu posso confirmar para você! ^ ^ Você tem razão. A Mione, o Draco vai defender... SEMPRE! *-* Muito obrigado pelos elogios! *-* E pela paciência. Hehe... ><” Bjaum!!! ;*** Espero que curta o último cap. *-*

Enviado por Mione Malfoy em 17/08/2007: Depois de muito tempo eu estou de volta! Me perdoe pela demora!!!!!!!!! Mas é que estou na correria total aki! Bem, nem preciso flar que amo a sua fic né?! O beijo deles foi fofo... pena que eles estragaram tudo! Adorei a Belle... Parei no cap. 8... não deu para terminar... mas assim que eu terminar de ler eu volto aqui! BjauM! Até mais!
R.: Mione! Que saudade! *-* Que isso... Não precisa pedir desculpas. Eu entendo PERFEITAMENTE o que você está passando. ><” Você gostou do beijo? *-* Ah, da Belle todo mundo gostou! ^ ^ Ela é encantadora! *-* Tudo bem... Adoro-te! ^ ^ Bjs! ;*

Enviado por luuza; em 20/08/2007: uuuuh ameeii*nova leitora* :D posta loogo, sim! :D
R.: Ah! Que legal! Adoro gente nova! *-* Muito obrigada pelo elogio Luuza! ^ ^ Seja bem vinda a OMdS e esteja sempre convidada a comentar. Hahah... xD Espero que curta o último cap. dessa temporada. Bjs! ;*

Enviado por Anna-Chan Otaku em 04/09/2007: Amei, amei sua fic...muito boa mesmo....nem tenho palavras para dizer... Vc escreve muito bem!! Já entrei na comu do fic...e tudo.. Os detalhes que vc escreve então faz agente mergulhar e viajar na historia. Serio quando eu vejo essas fics perfeita me dá um desanimo e ao mesmo tempo animo...pq como pode escrever tão bem, pq comparando com a minha que escrevo a minha não chega nem aos pés da sua, mas são essas fics no final que anima agente a escrever e sempre tentar melhorar. Parabéns moça.^^ Vc tem talento para escrever. Até...\o/..bjos!!^^ ...ñ demora p/ atualizar viu...XD
R.: Ah! Muito obrigado Anna- chan *-* É extremamente gratificante, ler críticas como a sua e saber que o nosso trabalho vale a pena ^ ^ Que isso? Nanana... Desanimo nunca! Eu tenho certeza que você deve escrever bem sim! ^ ^ E só de você dizer que está sempre se esforçando para melhorar, já se vê que é uma grande autora ^^v Muito obrigado mesmo pelo carinho pela fic ^ ^ Espero que goste do cap 10, e que esteja conosco na próxima temporada! Bjs! ;*

Enviado por Mione Malfoy em 04/09/2007: Prometi e voltei!!!!!!!!!! Menina, AMEI o último cap.!!! Sério, está muitooo lindo! Bom, tá na hora da Mione parar de se fazer de boba e entender q ela tem que ajudar o Draco, tá bom, ela tá ajudando prá caramba, mas falta mais... rs A Bellle é a coisa mais fofa!!!! Tô encantada nela... rs A Gina melhorou um pouco, né??rs Ansiosa para ver esses dois se entenderem... ah, ODIEI o Luis!! Parabéns, sua fic está a cada dia melhor! Como expliquei, não estava comentando por falta de tempo, estou com uma fic "nova" que está me deixando doida, além de alguns probleminhas... mas agora voltei a ativa... rs Pelo q vi, sua vida tbm anda agitada... q as coisas melhorem... se cuida!!! ;-) Estou ansiosa pela att! BjS!!!!!!!!!!!!!!!!!!
R.: Oie Mione! ^ ^ Muito obrigado! Receber elogios seus é maravilhoso. Afinal... Eu sempre fui sua fã! *-* Hehehe... Concordo! Mione tem que ajudar o Draquinho, oras! xD Belle! Belle! Belle! Vamos fazer uma torcida organizada para ela! *-* Hehehe... Ela é simplesmente um doce e não conheço ninguém que não goste da pequena Malfoy! *-* Gina é uma menina com problemas assim como a Mione. Tem muita coisa em sua cabeça. Mas, ainda assim está sempre ali. Nesse cap vai se mostrar uma grande amiga ^ ^ Hehe... Luis! O vilão metido a galã! Ele é bem irritante mesmo! ><” Não se preocupe! Não precisa pedir desculpa! ^ ^ Eu que tô devendo uma passada na nova fic! *-* É que tem a OMdS e agora o especial de Natal, e a nova fic e a nova temporada! Ah! Será que eu vou aproveitar as férias? oO” SHUAhu... xD Muito obrigada Mione! Por tudo! Você sabe que já te considero uma amiga aqui, né? Adoro-te! ^ ^ Bjs! ;*

Enviado por Máira Vivian em 05/09/2007: nossa... depois de muito tempo minha curiosidade so cresceu... hauhauhauhaua... amei o cap... mas vou uma luta para le... vim aqui no dia q vc falou q ia posta e naum deu.. no outro? naaaaddaaa... ceus... e depois nada... vc viu aquele olhar malignos(¬¬)? foi pro seu pc... ele tem algum problema comigo?? hauhauhauhauhauha ma posso falar q valeu apena.. amei o cap!!! e agora... eu quero o 10!!! quando que ele aparece?????=D kisse... to esperando por mais!!!! logo logo, hein!
R.: Hahaha... xD Desculpa Mai! ><” É... Realmente foi uma árdua batalha! -.-‘ Meu PC tem problemas psicológicos, sabe? Ele está traumatizado por culpa da dona dele, que vive gritando e ameçando e brigando com ele! Muahahamuhahah... xD Que bom que gostou! *-* O 10 está finalmente ON! Ultimo da temporada! Ah... Não sabe quando dá um sentimento bom no peito de ver parte do trabalho chegando ao fim! *-* É toda uma satisfação, sem dor. Porque não tem “Adeus”, e sim só um começo! ^ ^ Espero que curta o cap 10. E que continue acompanhando! ^ ^ Você já faz parte de tudo isso aqui! xD Adoro-te ;*

Enviado por Melissa em 09/09/2007: Meu primeiro comentário na sua fic!! Nossa, leitor de fic sofreeeee! Kd o cap.? Tô esperando... Estou amando a fic, tah LINDA!! bjssss
R.: Nossa... Muito obrigado Melissa! Fico honrada! ^ ^

Enviado por Melissa em 18/09/2007: Puxa, td dia eu entro pra ver se vc att e nd. Por favor, atualizaaaaaaaaaaaa! Tô esperando, tah? Bejsssss
R.: Desculpa! ><” Eu espero que tenha lido os comunicados, e me perdoado. Autora cheia de coisas e problemas! ><” Mas, o cap tá On finalmente! *-* Espero que goste! See ya! Bjs! ;***

Enviado por Máira Vivian em 19/09/2007: ta agoora eu quase cai da cadeira... NOSSA q tanto de comentarios meus.. huahauhauhauha... as vezes naum me reconheço... huahuahauhauha... posso falar q fiquei feliz por ser uma das favoritas.. huauahuah.. estamos subindo de cargo!! nossa... mas pelo q eu vi tem comentario meu ate de uma fic antiga e da nova tbm!... nossa,.. mas naum vou falar disso naum, o caso é: eu quero o cap 10!!!! eu intendo, mas isso naum quer dizer que naum vou te encher ate postar... huahauhauhauhau... agora, acho q ja falei demais... fui.. kisses... byyy
R.: SHAUHAu... xD Cai não! Levanta e continua escrevendo! xD Eu adoro responder os seus comentários, porque já me sinto familiarizada com você! ^ ^ E fiquei mesmo feliz, logo vai ser nomeada fã número 1 da OMdS! Mas uma promoção! xD O cap 10 On! *-* Finalmente! E eu estou tão feliz com essa postagem quanto você! *-* Logo, logo temos o especial de Natal da OMdS! *-* Eu espero que goste ^ ^v Bjs Mai! See ya! ;***

Enviado por Lola_pottermaniaca em 25/09/2007: me deculpa por naum ter comentado no ultimo cap.. na verdade soh agora consegui ler... tenho mtas aulas durante o dia( naum to na facul to recem no 1 ano do 2) entasum eu praticamente fiko doidaaa naum eh facil naum. ah como sempre sua fic tah maavilhosaa, amo elaa, vc escreve mto bein!! ah eu vou postar o penultimo cap de "um conto de amor" axo q dpois d amanhã. se kiser dar uma olhadinha!! bjOo
R.: Oie Lola! ^ ^ Que isso! Tudo bem! Eu entendo perfeitamente, pode ter certeza! ><” Muito obrigado pelos elogios! ^ ^ E eu vou ler o cap assim que der, estou cheia de projetos inacabados, que são constantemente cobrados ><” Mas, vou passar lá com certeza! Afinal eu sei como voc~e escreve divinamente *-* Bjs! ;***

Enviado por isabella rodrigues em 30/09/2007: adorei a sua fic, atualiza:)
R.: Obrigada Isa! ^ ^ Tá atualizada! Espero que curta! ^ ^v

Enviado por Máira Vivian em 01/10/2007olha eu enchendo o saco de novo.. hauhauhauhauha... é pq adoro ve meu nome nas respostas q vc dá.. hauhauhuahuahauhuahauhua... zueira... o caso, é: EU NAUM ACREDITO QUE VC SO VAI POSTAR DIA 13!!! vc falou q sempre posta dia 13... mas isso é maldade!!!! muita maldade!!!! pensa assim: a semana da criança esta chegando... como eu sou criança(mesmo falando ao contrario) eu mereço um cap de presente... num acha naum??? faça essa eterna criança feliz eeee poste!!!! sim?sim?sim?sim?sim?sim?sim?sim?sim?sim? vou esperar!!! kisses... byyy
R.: Mai! Mai! Mai! *torcida organizada* HSUAhu... xD Vai ganhar fã clube já, já! xD Tudo bem, que por enquanto a única integrante sou eu ><” Mas... Ah! Eu te adoro! :D ShAUhu... xD Então... Eu até acho que você merecia um presente de dia das crianças, sendo assim uma leitora tão bacana ^ ^ Mas, a autora aqui é incompetente, você sabe! Hehehe... ><” Bjs! Adoro-te! ;*

Enviado por taaa_hp em 04/10/2007: Amoooooo a fic entao ve se posta logo ok???? Bjooooooo
R.: Hahaha... xD Oie Taa! ^ ^ Tá postada, espero que goste! ^ ^ Muito obrigado pelo carinho e pela paciência! Adoro-te! ;***

Enviado por *snowqueen* em 04/10/2007: Oi Mione! Comecei lendo a sua fic. a pouco tempo mas ela já está nas minhas preferidas!!!! Eu achei a sua ideia muito original e interessante e devo dizer que você é uma boa autora e que escreve bem (apesar dos pequeninos erros no português, que, aliás, todo o mundo dá...) e é criativa! Tô adorando a história e o facto do carácter dos seus personagens não estar muito distanciado do original. Você conseguiu escrever uma fic. que é credível e por isso eu lhe dou os meus parabéns!...Agora passando à frente de todo o comentário construtivo... Eu tô realmente a-m-a-n-d-o essa fic. ela é simplesmente PERFEITA!!!!!!!!!Eu fiquei viciada!!Por isso não demora pra postar senão ainda me dá uma coisa má de tanta curiosidade junta!XD Beijos e POSTA LOGO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!bjs *snow*
R.: Oie! Nossa... Que bom! Fico muito feliz que OMdS seja uma de sua favoritas! ^ ^ Ah! Agradeço os elogios a respeito da idéia! *-* Já está se tornando um emaranhado tão grande, que creio que OMdS vai ultrapassar o número de caps que eu esperava ^ ^’ Quantos aos erros, valeu o toque! ^ ^ É que quase sempre posto as pressas. ><” E para piorar estive sem beta em quase todos os dias de entrega de cap. ><’ Mas, prometo melhorar agora com a nova fase ^ ^ Ah! Que ótimo ler isso! Manter a personalidade dos personagens era e sempre vai ser a minha maior preocupação em OMdS. Creio que as mudanças no pensamento e nas atitudes, tem que acontecer com calma e com boas explicações! ^ ^ Eu simplesmente amei o seu comentário! *-* Adoro comentários construtivos, porque além de saber aonde estou errando. Vejo como estou indo com os meus objetivos na fic! ^ ^ Muito obrigado! *-* Hahaha... xD Eu fico hiper ultra mega feliz que tenha gostado! *-* Espero que o último cap impressione! E que eu possa receber outro comentário seu! *-* Bjs! See ya ;***

Enviado por Kimi Tsukishiro em 13/10/2007: Eu amo a autora! S2
R.: Ah! *-* Eu também te amo Kimi! *-* Shauahu... xD

Enviado por Melissa em 18/10/2007: Puxa, kd o capítulo 10??? Tantooo tempo de espera, tanto tempo... Essa fic é incrível, muito legal. Adoro td esse ar de mistério, o jeito como vc escreve, TUDO! É uma das minhas favoritas, mas, será que vc poderia postar o capítulo novo antes que eu tenha um ataque do coração??? Por favor, vai!! Tô esperando, o.k? Bjws!
R.: O cap 10 tá finalmente On! *-* Agradeço de coração os elogios Melissa! E peço desculpas pela demora! ><” Espero que goste ! Bjs! ;***

Enviado por Clara Malfoy em 19/10/2007: Pq a demora? Cadê o cap? Tá boa d+, anda!
R.: Oie Clara! Desculpe a demora, a off teve alguns problemas. Eu espero que tenha lidos os comunicados e compreendido ^ ^’ muito obrigado pela paciência e pelo carinho! *-* Espero que goste! Bjs! ;***

Enviado por Máira Vivian em 25/10/2007: to de greve!!! quero post!!!
R.: NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!! Greve da Mai não pode! Y-Y

Enviado por Melissa em 04/11/2007: Tah, eu sei que é chato ficar recebendo comentários só pra pedir atualização, mas eu tenho que vir aki! E vc tah a um tempãooooooooooo sem postar, neh? POSTA LOGO! Vc tah sendo sádica, sabia? Bjs e, só pra relembrar EU AINDA ESTOU ESPERANDO!
R.: Não é chato, não. Chato é se sentir mal, por ter leitoras tão bacanas como vocês, e ser uma autora tão lesada como eu >< Hehehe... xD Desculpa, Melissa. Todo esse atraso teve uma explicação, e eu espero realmente que você tenha compreendido. ><” O cap 10 está finalmente On e eu espero que você goste! ^^ Bjs! ;*

Enviado por Michi o.O em 19/11/2007: sua fic eh p-e-r-f-e-i-t-a!!! eu comecei a ler ela ontm e quase me descabelei qnd eu vi q tinha acabado!!! nossa!! pra falar a vrdad eu nunk gostei desse shipper d/hr mas vc definitivament me fz mudar d opiniao!! e aind me deixou com um mont d duvidas na kbça...: tipo, d acordo com os sonhos da mione, ela vai nessa missao e algo vai acontcer e o malfoy vai morrer por ela??? nãããããããooooooooo!!! por merlim, faça ela lembrar do sonho na hora h e nao deixar ele se sacrificar por ela!!! seria um absurdo mata o malfoylindoemaravilhoso logo agora!! tadinho dele e aind por cima com a mae nas garras do tio voldy... naum teria como ela ser resgatada?? ou algo do tipo?? e a mione tah fantastica nessa fic!!! eu soh axei meio estranho e eu naum me lembro em q cap eu li isso, mas ela ficou o dia inteiro sem comer... como ela aguentou?? rsrs... eu tbm naum entendi direito essa historia do livro e talz e qm eh q conversou com a mione qnd ela desmaiou?? e o harry nessa fic tah meio... sei lah.. taum imaturo... naum, axu q infantil seria a palavra + apropriada... ele dvia cresce u pouco + jah q eh ele q vai tr q salvar o mundo bruxo no final... jah o rony tah d dar pena mas fzr o q?? esse foi outro q soh soube julgar precipitadament e acabou prdendo o amor da vida dele... humpf!! d qlqr jeito, a fic jah esta devidament votada e favoritada e eu espero ansiosa o proximo cap!!! bjoo e pls naum demora mt, tah??? eu preciso sabr o q vai acontcer!!! ^^
R.: Poxa! Você não sabe o quanto é bom ler isso! Porque eu também não gostava de D/Hr e fui uma fic excelente, que me fez mudar de idéia! *-* Fico até sem fala agora, sabendo que OMdS teve esse efeito em você! *-* Hehehe... OMdS é sinônimo de dúvidas! xD Tudo gera um... Por que? xD Realmente... Os sonhos da Mione sugerem muita coisa. O problema é que eles não são tão claros como ela gostaria. E algumas coisas a gente acaba tendo que deduzir... O que pode nos levar tanto a resposta certa, quanto a errada! ><” O Draco morrer? Bem... Eu não costumo tirar nenhuma dúvida *má xD* Mas, essa eu posso dizer. Não, por enquanto o Draco está livre de perigo. Ainda temos uma longa temporada onde vamos precisar daquele loiro lindo e maravilhoso *-* HUaHUA... xD Pois, é... Tadinho! ><” Ele ta passando por altas barras por causa do rapto da mãe. Mas, não se preocupe. Quem saiba não resolvamos isso logo? ;) A Mione agradece os elogios! *-* Hehehe... xD Foi no capítulo 7! Ela ficou o dia todo sem comer! oO” E por isso desmaiou no cap 8! ;) Heheh..xD O livro é um mistério ainda. Tem muita coisa a respeito dele e da Mione a ser revelado. O cap 10 talvez ajude em algumas dessas descobertas! ^ ^ Do desamaio posso explicar ^ ^ Não era “alguém” era apenas uma voz. Como uma consciência, ou uma força maior. ^ ^ Logo, esse voz também será melhor detalhada. Haha... xD Harry ta nervoso, poxa! Tadinho, a fic é da Mione é verdade! xD Mas, ainda assim, é ele que carrega o fardo de ser “o escolhido”. É muita coisa para um adolescente! oO” shuaHU... xD Mas, concordo! Ele precisa de mais maturidade. ><” Tadinho do Ron! Y-Y dá muita peninha! Porque perder o amor já é ruim. E ainda acha que perdeu para o maior inimigo... Ai! Complica, né? ><” Ah! Que tudo! *-* Eu fico super feliz em saber disso! ^ ^ Espero que curta esse último cap. E que continue com a fic na segunda temporada ^ ^ Amei muitooooooooo o seu coment *-* Bjs! ;*

Enviado por Lara Haun ;) em 19/11/2007: sua fic eh muiiitttoooo demais,incrivel,perfeita,simplismente AMEI!vc escreve muito bem e consegue deixar os leitores muito curiosos!!parabens pelo sucesso que sua fic ta fazendo! agora plixx ñ demora pra postar ñ!espero anciosamente pelo proximo cap!! bjinhos =]
R.: Muitooooooooo obrigado Lara! *-* Eu fico extremamente lisonjeada com todos os seus elogios. E agradeço a você pelo sucesso de OMdS. Já que é graças as leitoras que OMdS vai tão bem! ^ ^ O cap 10 está finalmente On. E espero ele que exceda as expectativas! Bjs! ;*

Enviado por Lilly Evans em 28/11/2007: uau!vc escreve muito bem!eu adorei! simplismente ficou muito perfeito!vc consegue deixar varios leitores ansiosos pelo proximo cap e eu sou uma delas!usahsausausah!porfavo nom demora a postar o proximo cap!eu to loca pra ler!!! bjinhos =]
R.: Oie Lilly!!! Muito obrigado mesmo! *-* eu fico super feliz em saber que você curte a fic ^ ^ E desculpa ai, por ter deixado na ansiedade. Hahah... xD Espero que o capítulo recompense a demora. Bjs! See ya ;*

Enviado por DrBlack em 02/12/2007: Muito boa a sua fic!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Parabens! Estou escrevendo a minha também! HARRY POTTER E MISTÉRIO DA NOVA PROFECIA! Já tem 3 capitulos emocionantes.
R.:OMG! Finalmente uma opinião masculina no recinto! xD Muito obrigado pelos elogios Dr.Black ^ ^ Eu li o trailer da sua fic! Incrível! *-* Já está indicada! ^ ^ E também entrou na minha lista de fics para ler quando tiver tempo xD Muito obrigado pelo coment! Espero que o cap 10 agrade também. Bjs! See ya ^ ^v

Enviado por isabella rodrigues em 05/12/2007: nossa até q fim!!!!!!!!!!!!!!!!!!
R.: Oie! Isa... Concordo! xD

Enviado por Teresa em 08/12/2007: estou louca pelo próx cap!!!! Bjoksss
R.: Oie Teresa! ^ ^ Ele está On finalmente! *-* Espero que goste ^ ^

Enviado por Christine Martins em 08/12/2007: Ah que bom!Eu não aguentava mais esperar.Sua fic é perfeita!Estou ansiosa pela próxima temporada!Bjos
R.: Oie Chris! (acha que tem intimidade xD ) quero te agradecer pelo carinho com a fic e pela paciência com a autora. Você é uma leitora muito especial e presente. Sua atenção é super importante aqui. Obrigado por tudo. Espero que cuta muito o cap 10. E que esteja com a gente na próxima temporada. Bjs! ;*

Enviado por Bruna Britti em 11/12/2007: Gostei pra caramba!
R.: Oie Bruna! Que bom! Fico extremamente feliz! *-* Obrigado pelo carinho! ^ ^

Enviado por Ingrid em 11/12/2007: Parabens ... eu estive esperando terminar os caps para comentar ! Estou impressionada ! Sua fic simplesmente é a melhor que eu já li ! Sua imaginação me causou arrepios ! Sua fic está ótima ... ótima mesmo ! xD Parabens mais uma vez ! Beijos ;** Ingrid Granger
R.: Nossa... Muito obrigado Ingrid! *-* Fico lisonjeada com tantos elogios. ^ ^ Espero que continue lendo, e que a segunda temporada lhe agrade ainda mais do que essa! ^ ^ Valeu pelo carinho e pela atenção! See ya! Bjs! ;***

Enviado por carolina em 12/12/2007:amei sua fic simplismente a melhor de mione e draco me surpreendi com a sua criatividade,vc em simplimente a propria J.K rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs eh qdo sai o proximo capitulo? Bjuu
R.: Nossa! *-* Muito obrigado mesmo Carol! A melhor? A própria J.K? *-* Assim, você me acostuma mal! xD Eu fico muitoooooo feliz que você tenha gostado ^ ^ O próximo cap já está On. Só esperando um comentário seu *-* Haha... xD See ya!Bjs! ;*

Enviado por isabella rodrigues em 13/12/2007: ele vai querer, pelo amor de Merlin, ele vai querer!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
R.: Infelizmente, ele se atrasou quatro horas Isa! ><”

Enviado por Michi o.O em 13/12/2007: *.*
R.: *.*

Enviado por ~whonna malfoy em 13/12/2007óh Salazar!*tentando se recuperar*Eu ainda estou tentando me recurar para escrever o 5 capítulo da minha fic. Sabe meu psiquiatra[ eu não sou louca ta?] falou que eu já tinha alguns problemas emocionais e tenho qe parar de ler essas tals fic's [que ele nem sabe direito o que é, pq eu só fao nelas U.u], mas parece que vira tentação ¬_¬, eu não quero nem saber. Mas continuando eu estava pensando ' quando o Draco ter que fazer o que Voldemort mandar, e a Mione souber, pensei com a mão no ♥ : Isso vai doer pra caramba. Tá, tá eu adianto as coisas, Tô sentindo a dor antes da hora.mas eu estou vivenciando o que está acontecendo, e esses sonhos da Mione estão me deixando atordoada. Não demore pra postar. Você é incrível. Estou apaixonada pela fic, já favoritei, ja´votei e não vou te deixar em paz enquanto não postar. Ah e concordo com a Carolina. Será que você não é filha da JK?U.u Nossa, não dá pra controlar a ansiedade. Vou recomendá-la para algumas amigas minha. Simplesmente maravilhosa sua fic. Infelizmente a imcopetente F&B[ o pior que eu não vivo sem esse site] só coloca notas de i a 5, porque eu daria uma nota infinita!Poste logo, antes que eu enlouqueça !Beijos!
R.: Parar de ler?! Não! oO” Seus psiquiatra precisa de um psiquiatra! xD Eu to morrendo de saudade de ler as minhas! Y.Y Há séculos não tenho tempo de ler! ><” Nem me diga! ><” O draco ta sofrendo muita pressão de todos os lados! oO” E o medo de perder a mãe... O medo de decepcionar a Mione... Medo de trair... Medo de ser aliar... Medo de ser descoberto... AH! oO” Eu já tinha explodido se fosse ele! ><” Concordo que os sonhos da Mione são perturbadores. ><” Mas, eles acabaram sendo de grande ajuda no futuro. Hehe... ;) Nossa... Muito obrigado! *-* Eu fico hiper feliz em que a OMdS consquistou o seu carinho! ^ ^ Hahah... Se o rpobelma era post, o problema ta resolvida! xD Espero que goste do capítulo! ^ ^ Eu??? oO” Não, não! J.K morre se ouve uma coisa dessas! ><” SHAuHAu... xD Ah! *-* Obrigado! Obrigado! *-* Sua fic também já está sendo indicada ^ ^ Infinita? *-* Você é muito gentil! ^ ^ Espero que goste do capítulo, e que continue acompanhando a fic. Rumo a segunda temporada! ^ ^v Bjs! ;*


~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*


Image Hosted by ImageShack.us
Ads By ImageShack.

Capítulo 10 – O Segredo da Sangue Ruim.

A manhã de sábado já havia surgido há um bom tempo. E o Sol antes calmo e lento, agora irradiava forte e majestoso através das altas e grandes janelas do Castelo. Seus raios de luz incomodavam um pouco a leitura de uma menina de cabelos cheios e expressão reflexiva, que se encontrava sentada sobre a cama ainda de pijamas. Os olhos vidrados nas páginas amareladas de um grosso livro vermelho, entreaberto sobre o seu colo.

O sonho é uma experiência que possui significados distintos se for ampliado em um debate que envolva religião, ciência e cultura.

“Com certeza ele não precisa ser envolto em nenhuma dessas categorias para ter significados distintos.” - ela refletia consigo entre uma frase e outra.
Havia despertado extremamente cedo. Graças a Merlin como ela mesmo clamara, fora por pura vontade própria. E não por incoviniências noturnas.
Não havia sonhado aquela noite. Na verdade... Há muito não sonhava. E só notara isso no dia anterior. Desde o dia da monitoria no Grande Salão, desde o súbito desmaio... A voz. Fora a última estranha visão que tivera quando incosciente.
Havia prometido a si mesma ignorar aqueles fatos. Estava se tornando assustador demais, e talvez Ginny tivesse razão. Poderia estar se transformando em uma obsessão para a castanha. Um desvio de atenção, que ela não precisava no momento.
Entretanto... Havia algo dentro de si que a impedia de cumprir sua promessa. Que não a deixava concordar com seus próprios princípios.
“Você pode impedir! Sabe que pode! Depende de você! Ele confia em você!”
“Está morto! Morto!”

Sempre que essas frases insistiam em ecoar em sua mente, ela sentia o corpo estremecer sombriamente. E era como se por um momento, não pudesse respirar.
Podia ser tudo uma besteira. Um stress mental, ou uma sobre carga psicológica. Qualquer coisa facilmente explicável e de rápida solução. Mas... Se não fosse.
Se não fossem apenas sonhos. Imagens criadas aleatoriamente sem nenhum motivo aparente. Se fossem mais do que isso. Então... Alguém precisava da sua ajuda.
E era isso. Era esse o pensamento, que sempre a fazia voltar atrás em sua decisão.

Para a Ciência, é uma experiência de imaginação do inconsciente durante nosso período de sono.

“Ah! Se alguma parte do meu inconsciente sentir algo por Draco Malfoy eu acabo com ela!” - revirou os olhos num misto de irritação e falso nojo.
Não entedia muito bem porque ainda se forçava a fingir certa formalidade e arrogância quando se referia ao herdeiro da famíla Malfoy.
As coisas haviam mudado consideravelmente entre eles. E essa hostilidade, só se permanecia por insistência de ambas as partes.
Talvez o orgulho presente nos dois, os forçassem a tal atitude. Mesmo que ela parecesse absurda depois da noite anterior.
“Quanto ao que o Potter disse... Disse sobre eu... Sobre eu cuidar de você... Eu vou. Sempre irei.” - ela lembrou-se das palavras do sonserino com um sorriso involuntário nos lábios. O qual fez questão de desmanchar assim que o notou.
Piscou os olhos castanhos escuros rapidamente, soltando um suspiro nervoso, e então se inclinando mais perto do exemplar, fixando sua atenção sobre as palavras com extremo interesse.

Recentemente, descobriu-se que até os bebês no útero têm sono REM (movimentos rápidos dos olhos) e sonham, não se sabe com o quê. Em diversas tradições culturais e religiosas o sonho aparece revestido de poderes premonitórios ou até mesmo de uma expansão da consciência.

- Poderes premonitórios... Isso quer dizer...
- Mione? Ainda está ai? – a voz calma e curiosa de Gina Weasley irrompeu por de trás da porta.
A castanha levantou os olhos, sobressaltada, fixando-os no local com o som de batidas se propagando em seguida, de forma repetida. Foi quando o silêncio retornou rapidamente, sendo quebrado na mesma velocidade, pela voz intrigada de Gina.
Hermione despertou-se de seu devaneio, saltando subitamente da cama e então fechou o livro com um estrepito, mirando aos arredores em busca de um bom esconderijo.
As íris corriam incertas e desesperadas pelo local, enquanto a maçaneta começava a girar.
Em um ato confuso e aflito, jogou o exemplar ao chão o chutando para debaixo da cama, no mesmo instante em que a porta se abriu,dando lugar a figura de uma menina de cabelos ruivos e de olhos incrivelmente azuis, que fitavam a castanha com curiosidade e desconfiança.
- Gi! Bom dia! - Hermione forçou um sorriso largo e contente, que parecera a ruiva, um tanto cínico.
- Estranhei sua demora para se levantar. Por isso vim te ver. - disse enquanto seus olhos corriam pelo quarto como se buscasse algo. – Por que não me respondeu? – focou a amiga com interesse e decisão.
- Ah... Eu... Eu... Não ouvi! Estava no banheiro. - se apressou a mentir fracassadamente.
- Sei. - a ruiva concordou distraída, se aproximando da garota, enquanto analisava todo o aposento. - Então, porque não está pronta ainda? – perguntou com um meigo sorriso, como se a desconfiança tivesse se esvaecido.
Hermione a encarou confusa. Surpresa com a mudança repentina de expressão da garota. E principalmente com a sua falta de curiosidade.
- Hã? Ah... Bem... Me arrumo em dez minutos. - disse em tom interrogativo, como se pedisse concordância da ruiva.
Gina apenas sorriu com um ar inocente e impassível, enquanto a castanha se dirigia ao banheiro, não tirando os olhos da menor até que fechasse a porta. A sexanista ainda fixou o olhar no lugar onde a outra sumira, esperando com um olhar ansioso para ver se ela não iria retornar repentinamente. Demorou uns instantes para desviar a atenção, torcendo os dedos enquanto rodava o pescoço em todas as direções a procura de algo que ela não sabia ao certo o que era.
Lançou-se ao chão subitamente, como se houvesse se lembrado de algo. Levantou a colcha que pendia pela beirada da cama, recaindo sobre o piso. E então pode vislumbrar... O exemplar de capa, vermelho sangue, encostado ao pé de madeira da cama.
O recolheu com certa cautela e dúvida. Não entendia por que Hermione esconderia um livro. Não fazia muito sentindo.
Recuperou a postura, pondo-se de pé, com o encadernado em mãos. Alisou a superfície, retirando o pouco e quase inexistente pó que havia sobre a capa. O virou por um momento, finalmente lendo os dizeres em dourado.
"O Mistério dos Sonhos"
- Mione... - a ruiva soltou um sussurro pesaroso, enquanto fechava os olhos em suspiro desapontado. Tinha achado que a amiga havia desistido de decifrar os supostos enigmas que a perturbavam desde o início das férias. Chegara perguntar a respeito e a castanha mesmo se recusara a expandir o assunto, com a afirmação de que não importava mais. Não iria se aprofundar naquilo. Pelo visto, ela havia mentido.
Mas, não era isso o que chateava a ruiva. Estava de certa forma acostumada com as omissões da melhor amiga. O que a incomodava era a idéia de que aquilo poderia estar fazendo mal a mesma. Hermione vinha estado tão inquieta e distante ao mesmo tempo. Quase não tinha controle sobre suas ações ou emoções. Algo não muito comum na grifinória.
Abriu o livro com lentidão, e ar analítico. Não sabia o porquê, mas tinha certa apreensão ao objeto. Rolou algumas páginas, os cenhos se franzindo em incredulidade. Tudo estava... Em branco.


“Oh, what a shame.”


“Ah! Foi por muito pouco.” - Hermione pensou consigo, ao atravessar a porta do quarto e caminhar em direção ao banheiro, no fim do corredor. Era a primeira manhã que fazia isso sem se preocupar em cruzar com o loiro da porta da frente.
Talvez, porque já fosse um tanto tarde, e ela esperasse que ele tivesse saído. Ou talvez, porque tivesse coisas mais importantes para se preocupar aquela manhã.
- Talvez devesse contar Gi. – refletiu consigo, em frente ao espelho, já dentro do aposento. Escorada a pia, os cabelos lhe cobrindo o rosto. – Não vou poder guardar isso comigo por muito tempo.
Soltou um longo suspiro, fechando os olhos com desanimo, e mordendo o lábio inferior com um ar nervoso. Levantou a cabeça lentamente, uma das mãos a testa afastando a franja insistente. A atenção recaiu-se mais uma vez sobre o próprio reflexo. O cenho franziu.
A imagem parecia estar de certa forma distorcida. Como se houvesse uma sombra branca sobreposta a sua. A mesma silhueta, os mesmos traços, mas... Havia algo diferente.
- Ah! – afastou-se com uma exclamação contida pela mão levada a boca.
Os olhos no espelho... Eram azuis.


" And when you take, you take the very best of me. "


- O que isso? – Gina perguntara prontamente, assim que a castanha abrira a porta, com um ar pálido e a expressão assustada.
A ruiva continha o livro sobre uma das mãos, enquanto a outra pousava sobre a cintura. De alguma forma a menina parecia tentar se mostrar decidida.
Hermione abaixou a cabeça, numa mistura de fraqueza e nervoso. Apoiou-se na maçaneta dourada, o corpo ligeiramente mole. Aquele era o pior momento para algo como aquilo acontecer.
- Gi...
- E sobre os seus sonhos, não é? Disse que havia os esquecido. Por que mentiu para mim? – a menina perguntou com um tom mais calmo e magoado. A expressão séria e firme, havia desaparecido. Provavelmente devido a preocupação que lhe atingia em relação a amiga.
A palavra “mentira” chegara de forma cruel até a castanha, que sentira o peito arder de dor. Não havia mentido. Queria... Queria realmente poder ignorá-los... Esquece-los como prometera. Mas, não podia.
Gina não entendia.
- O que esse livro diz? São... Só analises? – a amiga continuava a perguntar, diante do silêncio da outra. Tinha um tom calmo, que ela parecia tentar manter a todo custo. Provavelmente, não queira brigar. Mas, sentia traída.
- Você não o leu?
- Claro que não o li. Não se faça de desentendida Mione! – Gina soltara um pouco impaciente. O jeito como a castanha agia, era visivelmente dissimulado diante de seu conceito. – Senão confia em mim... Diz de uma vez. Eu... Eu só quero ajudá-la. Por mais que eu não consiga realmente entender toda essa história.
Ouvira a ruiva dizer, com um tom nervoso e ao mesmo tempo preocupado. Sentia a testa lhe suar e as pernas ficarem ligeiramente moles.
- Eu também não entendo. – respondeu com a voz fraca, cambaleando de repente.
- Você está bem? – Gina correra até a amiga, segurando-a por um dos braços e guiando-a até a cama.
- Entender... É o que estou tentando fazer.
Um silêncio perturbador pairou sobre as duas por um breve minuto, que pareceu longas e intermináveis horas.
- O que está havendo Mione? – Gina quebrou o incomodo, com uma voz preocupada e tremula. - Como... Como eu posso ajudar? Fala para mim.


“You never did give a damn thing, honey.
But I cried, cried for you.”



“Fiz porque tinha fé em você. E agora, vejo que eu estava certa...
A frase se repetia constantemente na cabeça platinada de um garoto loiro, que percorria os corredores com descaso e impaciência. Pousando os olhos, incrivelmente azuis e levemente acinzentados, sobre cada canto que passava de modo apressado.
“Estou vacilando demais. Essas demonstrações de...” - balançou a cabeça em sinal negativo a mera menção da palavra. “...Afeto.”
- Isso está acabando comigo. – concluiu o pensamento em tom audível.
- Falando sozinho primo? – a voz doce e divertida de uma menina de onze anos, soou nos ouvidos distantes do sonserino, que teve um leve sobressalto.
- Isabelle! – Draco repreendeu impaciente.
- Achei que eu nunca ia conseguir lhe assustar. – comemorou satisfeita, entre risos abafados. Recebendo um olhar de falsa severidade do garoto. – Devia estar mesmo distraído para eu ter conseguido. - ela refletiu em um tom de voz significativo. – Pensando em alguém? – concluiu marota.
Malfoy lançou-lhe um olhar incrédulo e logo soltou um suspiro entediado.
- Você é horrível e insinuações, Isabelle. – disse com descaso, dando as costas a pequena e voltando a andar.
A garota boquiabriu-se logo adquirindo uma expressão irritada, acelerando o passo para segui-lo.
- E você é super habilidoso na arte de desconversar. – rebateu com um sorriso superior. – Foi Hermione quem lhe ensinou?
Draco parou no mesmo instante, voltando os olhos para a castanha de olhos azuis, tentando esconder seu leve espanto. Belle realmente tinha o sangue da família Malfoy.
Ele só não sabia se isso era motivo para se orgulhar ou se preocupar.
- Acho que você precisa se afastar de Granger, Isabelle. – o loiro disse com uma espécie de sermão.
- Por quê? Assim, você vai ter mais tempo com ela? – perguntou com um sorriso maroto, e cínico. Muito semelhante ao que ele mesmo costumava usar. – Porque se for por isso... Tudo bem. – completou divertida, diante do silêncio espantado do primo.
- Tem aprimorado as piadinhas? – questionou com descaso, tentando se mostrar indiferente a afirmação da pequena, e voltando a caminhar.
- O que eu não faço para tentar distraí-lo, não é? – deu os ombros com falso ar inocente, arrancado um leve sorriso do menino. – Onde está indo?
- Ah, infelizmente... Não é de seu interesse Liss. – tentou não parecer grosseiro, embora não fosse muito bom nisso.
- É aquele seu assunto secreto de novo, não é? – ela questionou com preocupação, fitando o chão por um instante. Em que Draco a fitara alarmado. – O que está fazendo Draco?
- Não sei do que está falando Belle. – o loiro desconversou, desviando o olhar.
- Você tem agido estranho Draco. Pode enganar os outros, mas... Não há mim. – a menina afirmou simplesmente. O tom de voz fraco.
Malfoy soltou um suspiro pesado, levando uma das mãos a testa com um ar nervoso. Voltou as íris azuis para a prima postada ao seu lado, com os olhos tristonhos. E então se agachou próxima a mesma lhe segurando pelos ombros.
- Olhe Belle... Sei que... As coisas que ando fazendo são... São um tanto diferentes das que eu costumava lhe contar. Mas é porque... Eu... Eu estou numa situação diferente agora. Não posso ficar me metendo em confusão. Tenho que... Tenho que me empenhar em todas as atividades e... Evitar encrencas. – explicou com certa revolta.
A menina apenas riu levemente, balançando de leve a cabeça, fazendo esvoaçar algumas mechas dos lisos cabelos castanhos.
- Não é disso que estou falando. – afirmou com um meigo sorriso. – Na verdade gosto de te ver na Ordem e na A.D. Você parece tão responsável. – comentou em tom orgulhoso, enquanto Draco apenas riu confuso. – O que me preocupa... É a sua expressão tensa. – disse de repente, o tom de voz voltando ao lento. – Tem sido cada vez mais presente no seu rosto. E você... Parece cada dia mais preocupado com alguma coisa. O que... O que é Draco? O que está te preocupando? – Belle perguntou com a voz tremula meio receosa.
O garoto fitou o chão por um instante, e então se levantou extremamente rápido, de costas para a pequena. O ar perceptivelmente nervoso.
- Não é só a tia Cissy... Eu tenho certeza. Me diz o que houve Draco... Quem sabe... Quem sabe não possa ajudar? Eu, Hermione...
- Granger! – ele interrompeu a menina com uma alta exclamação.
Os olhos da menina marejaram no mesmo instante, sem que ele visse. Mesmo que estivesse de olhos abertos, a única imagem em sua mente naquele momento era o rosto sorridente de Hermione Jane Granger. O motivo de sua constante preocupação, e arrependimento. Por mais que não quisesse admitir. Ela era o motivo de tudo.
- Granger... Não pode fazer mais nada por mim. – tentou acalmar o tom ao se virar e dar de frente com os olhos marejados da pequena. – Belle... Olha, não... Não se preocupe comigo ok? – ele voltou a agachar-se, tentando acalma-la. - Eu estou bem. É só... Só esse novo estilo de vida. – ele forçou um sorriso debochado. - É só isso que tem me deixado um tanto nervoso. Mas... Você vê que... Está tudo bem. Eu até consigo controlar. – piscou maroto, fazendo a prima sorrir levemente.
Isabelle secou as poucas lágrimas ainda presas em seus olhos, com o dorso da mão. Sem deixar de fixar o rosto de Draco.
- Tudo bem. Se você diz... Eu confio em você. – afirmou com um leve sorriso. - Só não esquece que você... Não está mais sozinho. – completou com a voz calma e quase sussurrante.
O loiro sentiu as palavras lhe faltarem por um momento, em que o silêncio reinou majestoso. Forçou um sorriso, embora aquilo martela-se em sua mente um tanto dolorosamente. E então aproximou a pequena em um abraço.
- Não se preocupe Belle... Eu sei.


“You put up walls and paint them all a shade of gray.
And I stood there lovin' you and washed them all away.”



- Isso... Isso... Eu... Eu não sei o que dizer.
Gina estava sentada por cima dos cobertores desarrumados da larga cama da castanha, que se encontrava a sua frente. A cabeça levemente abaixada, os olhos fixos sobre o livro em seu colo.
Hermione havia se rendido. A perspectiva de continuar suportando todas aquelas situações, e todos aqueles inexplicáveis acontecimentos. Precisa compartilhar aquilo com alguém!
Poder dizer o que pensava. Partilhar os medos que lhe afligiam. Precisava de alguém para ouvi-la, e tentar entende-la. Se continuasse mantendo tudo só para si... Acabaria enlouquecendo!
Embora suspeitasse que sua sanidade já havia a abandonado.
- Eu acredito em você.
O silêncio fora quebrado subitamente, pela voz sussurrante de Gina.
A castanha levantou os olhos lentamente, fitando a amiga sem expressão. Por um segundo não conseguia absorver a informação. Acreditava que Ginny só dizia aquilo por solidariedade. Por saber o quanto precisava de apóio e ajuda naquele momento. Dizia aquilo, por amizade a castanha.
Mas, os motivos da ruiva não importavam a Hermione. O que importava era que ela estava do seu lado. Era só disso que precisava no momento. Alguém que a escutasse.
Jogou-se na direção da menina, a envolvendo em um abraço. As lágrimas rolando desesperadas pela face.
- Gi... Obrigada! Obrigada mesmo!
- Que isso, Mi! Calma... – a ruiva tentava tranqüilizar a amiga. – A gente... A gente precisa manter o controle agora, certo? Para podermos descobrir o que está havendo.
Hermione segurou o choro por um minuto, ainda com a cabeça recostada sobre o ombro da amiga.
- Podermos descobrir? – repetiu vacilante, como se tivesse ouvido errado. Afastando-se vagarosamente da menina, para poder mirar o seu rosto.
- Ora! Claro! – a garota replicou como se fosse óbvio. – Acho bom nem sonhar em me excluir disso Hermione Granger. - repreendeu num misto de seriedade e diversão. – Eu vou te ajudar, você querendo ou não.
Sequer conseguia crer nos dizeres da amiga. Ela... Realmente acreditava em tudo!
Sorriu involuntariamente, voltando a abraçar amiga.
- Obrigada Gi.
- Somos amigas, certo? É para isso que estou aqui.


“And I know you wouldn't have told nobody. "


- Já era Harry! Não sei a quem estou tentando enganar!
Um garoto de cabelos incrivelmente ruivos reclamava com um ar zangado para um moreno, consideravelmente menor, que seguia ao seu lado. Andavam pelos corredores em direção ao hall da escola. Iam fazer uma visita a Hagrid. Provavelmente arrancar algumas informações do amigo guarda-caça.
O menor, que possuía lindos olhos verdes esmeralda, os cabelos despenteados e uma cicatriz em forma de raio na testa, fitara o ruivo de esgoela com uma expressão apreensiva. Parecia refletir sobre o que dizer.
A verdade era que queria apoiar o amigo. Mas, não sabia se podia discordar do que ele dizia. As situações atuais não lhe davam motivos para isso. E sim, para simplesmente concordar e desiludi-lo.
- Faz mais de uma semana que combinamos de conversar, e... Ela não me procurou. Não me procurou uma vez sequer. Age até como se tivesse esquecido. – Ron voltava a praguejar diante do silêncio do amigo.
- Ela não anda conversando muito com ninguém Ron. Tem andando bastante ocupada. – tentou apaziguar.
- Tem estado ocupada para todos. Menos para “ele.” – resmungou consigo. – O dia inteiro! Para cima e para baixo com aquele sonserino dos infernos.
- Hamham!
O barulho chamou atenção dos garotos, que atravessam o hall em direção aos terrenos naquele instante. Viraram para trás num movimento automático e simultâneo, visualizando as figura de Gina e Hermione, a primeira com um sorriso significativo direcionado ao irmão, que corara rapidamente ao ver as duas a sua frente. Hermione mordendo o lábio inferior enquanto mirava o chão insistentemente.
- Ah... Bom dia. – Harry cumprimentou sonsamente, quebrando o silêncio.
Gina balançou a cabeça negativamente com um ar debochado, num meio riso consigo mesma. O que deixou o moreno um pouco sem graça.
- Bom dia, Harry. - Hermione respondeu rapidamente, finalmente levantando o olhar. – Ron... Eu... Posso falar com você?
O garoto pareceu realmente se surpreender com as palavras da castanha. E a fitou com um olhar curioso e abismado, antes de fazer um sinal de afirmação com a cabeça e então dar as costas aos amigos, esperando que a garota o acompanhasse. Hermione lançou um último olhar a Gina que lhe sorriu otimista. E então para Harry, que tentou fazer o mesmo. E logo seguira o ruivo, com um ar um tanto nervoso.
- Ainda bem que eles vão finalmente se resolver, não é? – o moreno disse distraidamente, os olhos verdes desviando das costas dos amigos que se afastavam e repousando sobre a garota a sua frente.
- É. Eles são maturos o suficiente para conversar. – Gina alfinetou sem conseguir evitar.
Harry engoliu em seco desviando o olhar por um breve instante.
- Acho que também conseguiríamos... Se tentássemos.


“Just walk away, no use defending words that you will never say.”


Caminharam em silêncio ao longo do corredor que dava para os jardins. Hermione fitando o chão constantemente, os dedos sendo torcidos em nervosismo, de modo discreto. Ron ia ao seu lado, não muito mais calmo. A encarava de esgoela frequentemente.
A garota estava ligeiramente aflita e distante. Embora ainda assim, sentisse se bem mais tranqüila do que antes, depois da conversa com Ginny. Era por causa da amiga que estava ali agora. Havia contado tudo a ela. Ou pelo menos, quase tudo. E a ruiva dialogara com a castanha de forma racional e objetiva. Algo que nem mesmo ela acreditava que se podia fazer com um assunto daquele tipo.
Acabaram chegando a uma espécie de acordo. Onde se uniram para desvendar esses supostos “mistérios”, que cercavam a menina trouxa. E concordaram, que o primeiro passo para isso era se livrar dos problemas solucionáveis o mais rápido que pudessem. Por isso, estava ali, ao lado de Ron.
Mesmo com a garganta presa, e as mãos suadas. Não dava mais para fugir. Havia problemas... Maiores.
Seguiram assim, ao longo dos jardins em passos inconscientes até a beira do lago, próximo a uma árvore. Pararam no local ambos um tanto sem jeito. Quem visse de longe, poderia pensar que haviam se conhecido há pouco tempo, devido a distância que mantinham sem perceber, e o jeito calado e tímido que pairava a volta dos dois.
- Parece que todos os nossos grandes momentos esse ano vão ser debaixo de uma árvore. – Ron refletiu divertido, ao se dar conta. A conversa na Toca, o primeiro beijo... Tudo acontecera num cenário semelhante.
Hermione também não pode deixar de esboçar o mesmo sorriso, ao entender o raciocínio do amigo. E o fitou de esgoela por alguns instantes, enquanto o mesmo sentava-se, descontraído, no gramado.
- Precisamos conversar, não é? – perguntou, engolindo em seco ao fixar os olhos na menina ainda de pé. E então desviar a atenção para o lago escuro, um tanto nervoso.
- É, temos sim. – ela concordou quase sem voz, sentando se ao lado do ruivo com certa lentidão.
- Se ainda não estiver bem o suficiente Mione, eu...
- Não. – a castanha o interrompeu, prontamente. – A gente já adiou essa conversa demais.
Embora, não tivesse dito nada naquele momento. Ron agradecia internamente as falas da castanha. Realmente aquela incerteza já estava o enlouquecendo.
- Então... Vai me explicar o que houve? – o ruivo perguntou vacilante.
- Se estiver mesmo disposto a ouvir.
O garoto apenas fez um sinal positivo com a cabeça, sentindo um nó crescer em sua garganta, enquanto fitava a menina.
- Naquele dia... Em que você me viu no corredor com Malfoy... Nós tínhamos discutido de manhã. Ele me tratou com grosseria e falta de reconhecimento. E bem... Eu estaria totalmente acostumada com aquilo se fosse em outros tempos. Mas, agora... Estávamos juntos. Tínhamos combinado deixar as diferenças de lado pelo menos até tudo isso chegar ao fim. – ela dizia um tanto mais calma, agora que apenas relatava o acontecido.
Ron por outro lado, ouvia tudo com certa angustia. E no momento em que a garota disse: “Estávamos juntos.” Mesmo sabendo que ela se referia a Ordem, e tudo mais. Ele sentira o coração apertar de modo desistente.
- Nós passamos a tarde todas juntos, se lembra? Eu, você e o Harry... Foi divertido. – lembrou-se consigo num sorriso. – E bem, eu não pude entender o que havia acontecido, para ele ter agido daquela maneira, já que não tinha o visto o dia todo. Foi por isso que eu fui procurá-lo depois. Para tentar compreender o problema. – o sorriso sumira da face, assim que o assunto voltava ao incidente. – Eu o encontrei em cima do telhado, quando passei por aquele corredor onde você nos viu. Eu pedi para ele descer para gente conversar, mas... Ele me fez subir. – suspirou irritada com a recordação.
- Você tem medo de altura. – Ron comentou simplesmente, como se tentasse informar a mesma do equivoco. Ou mesmo como se tentasse lembrar a si mesmo que conhecia a menina muito bem.
- É, eu tenho. – ela concordou vagamente. – Mas, Malfoy não é tão compreensivo como você. – resmungou consigo.
- Então subiu mesmo assim? – questionou retoricamente, só porque não conseguia acreditar na resposta.
- É, subi. – a castanha respondeu num quase sussurro, notando como aquilo incomodava o ruivo. – Foi ai que a gente acabou brigando de novo, e ele me trancou no telhado, fechando a janela. Por isso os gritos que você ouviu. – mudou o rumo, apressando os fatos.
- Eu não ouvi muita coisa. Eu vi. – o garoto dissera com o olhar preso na paisagem à frente. A voz mostrando totalmente a sua magoa contida.
- Eu cai Ron. Por mais difícil que seja de acreditar... Foi isso o que aconteceu. – tentou explicar com certa vergonha. - Ele abriu a janela e eu... Grr! Eu tava com tanta raiva! Não consegui me controlar, e comecei a bater nele. Quando eu vi...
- Eu sei. – interrompeu meio a contragosto.
O silêncio dominou o lugar por um tempo que pareceu uma eternidade diante dos pensamentos de ambos.
Era um tanto estranho falar sobre aquilo, depois de tanto tempo. Parecia até desnecessário e um tanto bobo agora que já haviam o feito.
- Eu acredito em você. – Ron destruíra o silêncio, chamando a atenção da castanha que o fitara surpresa, enquanto ele ainda sentia se um pouco tentado a manter os olhos distantes da face da menina. – Não tem porque mentir. E, peço desculpas... Por ter duvidado no começo.
Hermione mal podia crer nos dizeres do ruivo. O encarava um tanto perplexa, um sorriso involuntário se formando em seu rosto.
- Ah... Tudo bem. Eu talvez reagisse do mesmo modo se estivesse no seu lugar. – disse com um meio sorriso, sendo acompanhada pelo menino, que a fitara fazendo o mesmo.
- Que bom que entende. É só que... É um tanto difícil te ver tão perto de alguém que há tão pouco tempo, você ficava feliz quando a gente o matinha distante. – comentou com certo pesar, embora tivesse um sorriso forçado no rosto.
- Ah... – a menina suspirou sem jeito. - Foi como eu lhe disse antes, Ron. As coisas mudaram... Eu mudei. - a garota abaixou levemente a cabeça de repente, meio tristonha. Engolindo em seco as palavras presas em sua garganta.
- Eu sei... Mas, o que eu sinto por você não. – as palavras saíram calmas e sussurrantes, e despertaram a atenção da menina. - Você pode contar sempre comigo, Mione. Foi o que eu lhe disse antes... – ele grifou em um sorriso involuntário, antes de fitar a menina. - E é o que sempre vou dizer.
Hermione não pode conter o impulso. E aproximou-se o menino em um abraço, igualmente correspondido. Ficaram juntos, presos naquele momento por alguns longos minutos. Até que se afastaram gradativamente. Um sorriso estampado em ambas as faces.
- Então... – o ruivo murmurou interrogativo.
Era óbvio que a questão no momento era... Como eles ficariam agora?
Estava tudo resolvido, mas... Ainda assim. Tanta coisa mudara. Os sentimentos eram os mesmo, como o próprio ruivo afirmara. Mas... As circunstâncias não.
As dúvidas, e os problemas que pairavam sobre a mente da garota. Não conseguia se concentrar em praticamente nada, e estava sempre se vendo envolta em um novo surto de informações assombrosas e inexplicáveis. Ao qual ela se via obrigada a tentar compreender. Não era o momento, para reatar as coisas. Mesmo que quisesse... E sinceramente. Dentro de si... Não sabia se queria.
Inevitavelmente, sem sequer perceber, ela sorriu com uma lembrança loira de olhos azuis.
- Eu realmente vou torcer para Gina jamais saber que eu disse isso. – ela riu divertida consigo, não se dando conta de onde os seus pensamentos haviam pairado segundos atrás. – Mas... Talvez Harry tenha razão. No meio de todo esse caos. Talvez... Seja melhor se manter sempre centrado nas ações e... Se desligar um pouco das emoções. – concluiu a idéia meio tristonha, o sorriso se esvaecendo de repente. - Amigos? – a garota perguntou meio vacilante.
Por mais que já esperasse aquelas palavras. Ron não podia se mostrar animado ao ouvi-las.
- Claro. – concordou com um forçado sorriso. – Eu posso esperar mais um pouco.
A castanha sorriu sem graça desviando o olhar, logo o retornando com a boca entreaberta, procurando algo apropriado a dizer.


“And now that I'm sittin' here thinkin' it through…”


- Draco?
Com certeza aquilo não era a palavra apropriada que procurava.
- Atrapalho algumas coisa? – a voz arrastada e irônica do sonserino se propagou até os ouvidos de Hermione e Ron, enquanto o garoto os fitava curioso, em pé apoiando uma das mãos no tronco da árvore.
- Você sempre atrapalha Malfoy. – Ron respondeu irritado, pondo se de pé.
- Tem razão. – o loiro concordou dando os ombros, sarcástico. – Nem sei porque pergunto já que... Não me importo.
- Malfoy... – Hermione suspirara com desaprovação. - O que veio fazer aqui? – perguntou entediada, levando uma das mãos a testa num gesto impaciente.
- Vim te ver. – Draco respondeu simplesmente. Um sorriso maroto nos lábios.
A garota levantou os olhos intrigada, e um tanto surpresa. Mas, logo entendo o que o sonserino pretendia, ao ver o olhar irritado de Ron, que soltou um suspiro zangado, como um bufo. E então retornou o olhar para Hermione que também suspirava, mas decepcionada.
- Vou procurar o Harry. – ele disse, tentando manter a calma e ignorar a existência do outro. - É hoje o... Dia. Ele tá meio nervoso, e... Talvez, fosse bom que você falasse com ele também, antes de McGonagall nos chamar. – sugeriu.
- Claro! Sem dúvidas irei...
- Mas, tarde. – Draco completou a frase no lugar da garota, num tom decidido. Cruzando os braços e sorrindo ao final.
Ron voltou os olhos para ele, fechando os punhos automaticamente, numa expressão de ódio. A castanha o pegou pelo braço no mesmo instante, embora de modo discreto.
- Pode deixar, eu vou Ron. – disse com um sorriso terno, tentando acalmar o amigo, e conseguindo irritar o sonserino ao mesmo tempo. – Mais tarde. – grifou num tom irritado e indireto, a Draco. Como se lhe alertasse que não havia gostado daquilo.
Malfoy por outro lado só entendeu que havia vencido, e sorriu vitorioso ao ver o ruivo despedir-se da menina e partir em direção ao castelo em passos duros e nervosos. Lançando olhares mortais ao garoto.
- O que você ganha com tanta arrogância? – a castanha perguntou irritada as costas do garoto, o fazendo retirar os olhos azuis da imagem do grifinório que se distanciava, e pousa-los sobre a mesma com um olhar surpreso.
- Ora! Ganho o que quero. Você ficou, não é? Como eu disse. – ele respondeu cheio de si, arrancando uma exclamação de revolta e incredulidade da garota.
- Você é tão... Grrr! – não conseguiu concluir diante de sua instabilidade. – Eu não vou mais tentar entender você! – ela disse dando os ombros, como se ele compreendesse sobre o que ela falava. – Não mesmo! – concluiu irritada, dando lhe as costas, com um aceno impaciente com as mãos.
- Hey! Granger! – chamara nervoso, seguindo a no segundo seguinte. Meio surpreso com tamanha a irritação da garota. – Que isso? Foi só uma piada! Sabe que eu não gosto do Weasley! – ele disse como se isso justifica-se seus atos.
- Ron também não gosta de você! E nem por isso te alfineta! – a castanha rebateu nervosa, ainda caminhando.
- Ora! Não provoca na sua frente, não é? Grifinórios são todos falsos santinhos. – desdenhou irritado.
- Como é? – Hermione parou de chofre encarando o loiro com um ar chocado.
Draco não pode evitar o riso diante da expressão da menina.
- Vamos lá Granger? Não quer mesmo que eu acredite nesse papo de lealdade e coração valente, não é? – questionou num meio riso. – Quero dizer... Se isso fosse mesmo verdade... O que Neville faz em Grifinória? – o loiro caiu em gargalhadas com a própria reflexão.
A castanha sequer conseguira juntar palavras e formar uma frase, tamanho era sua descrença nas atitudes do garoto. Ele era... Ele era... Tão... Tão mutável!!!
- Não vou perder o meu tempo discutindo com você. – resmungou simplesmente, voltando a caminhar e tentando manter a calma.
Draco ainda teve que engolir os risos, e voltar a compostura antes de apressar os passos atrás da menina, acelerando o suficiente para adentrar em sua frente.
- Hey! Hey! Espera! – ele pediu ainda num meio sorriso. – Também não quero discutir. Eu... Eu estava falando sério, quando disse que vim lhe ver. – informou coma voz mais calma, e um tanto vacilante.
- O... O que? – Hermione não pode evitar gaguejar curiosa, sem entender o que o rapaz queria dizer.
Draco sorriu diante do jeito da menina.
- Trombei com a Weasley no corredor, e... Ela me disse que você não estava muito bem. – explicou dando os ombros, com fingida falta de importância. - Aconteceu alguma coisa? – fixou os olhos nas íris da garota, já não podendo esconder tão bem a preocupação.
- Ah... Não. – balançou a cabeça negativamente, fitando a chão meio nervosa, com uma das mãos na cabeça. – Tá tudo bem. São só... Alguns dilemas. – voltou a fita-lo com um sorriso forçado. – Todo mundo os tem, certo? – completou divertida.
- Certo. – o loiro concordou num meio riso. – Mas, isso acontece porque você é estressada demais. – completou num fingido tom repreendendor.
- Ah! Estressada? Eu? – a garota repetiu realmente indignada.
- Viu?! É exatamente disso que estou falando! – confirmou com um riso. – Não consegue agüentar um simples comentário.
- Ah! Isso não é verdade! – ela retrucou tentando manter o tom calmo. – São os seus comentários que eu não agüento. – grifou, cruzando os braços, ligeiramente irritada.
- Devo encarar isso como uma crítica pessoal? – o loiro ironizou divertido.
- Talvez. – a castanha confirmou mantendo o mesmo tom, e desviando o olhar da direção do garoto, que rira ainda mais.
- Quanta hostilidade! Depois diz que sou eu quem provoca nossas brigas. – alfinetou maroto.
- Talvez se você se contiver suas ironias e piadinhas sarcásticas, eu seja mais calma. – rebateu, voltando a atenção para o menino com um meio sorriso irônico nos lábios.
- Temos um trato então?
- O que?
- Se eu parar com as piadas... Você para com os chiliques? – explicou em um tom matreiro.
- Chiliques?! – ela repetiu pasma, fazendo o loiro revirar os olhos, divertido. Enquanto ela notava o próprio equivoco sem jeito. – Ah, tá! Feito. – concordou, estendendo a mão ao sonserino.
- Ótimo! Finalmente uma concordância. – sorriu apertando a mão da garota.
- Sem ironias Malfoy! – ela alertou num leve sorriso.
- Ah! Claro! Talvez eu tenha dificuldades nisso... – riu de leve. – Assim, como eu sei que você vai ter problemas, com o seu... Temperamento.
A garota lançou-lhe um olhar assassino ao ouvir o comentário.
- Mas, fica tranqüila. Eu vou te ajudar com isso. – completou sorridente.
Hermione não pudera entender, até o momento em que o loiro lhe puxara pela mão e lhe pegara no colo em um movimento extremamente rápido.
- O que está fazendo? – questionou nervosa, se vendo nos braços do garoto, enquanto o mesmo andava com um sorriso satisfeito e malicioso nos lábios.
- Não se preocupe Granger. É uma nova técnica zen. – brincou divertido, enquanto se aproximava do local desejado. – Chama-se... Esfriar a cabeça.
- O que você...
Não pudera terminar a frase, pois o que ela terrivelmente previa... Aconteceu!
Draco se lançara ao lago, com a menina aos braços.
Ela pudera sentir o frio lhe prepassar o corpo, lhe causando arrepios devido a água gelada.
- Seu... Seu... Grrr! Está louco?! – a menina questionava perplexa para o garoto, que ainda lhe envolvia pela cintura entre risos, enquanto ela lhe batia nos ombros.
- Nossa... Nem isso lhe esfria a cabeça? – questionou irônico entre risos.
- Achei que tínhamos combinado nada de piadinhas irônicas. – brigou, empurrando o sonserino se afastando do mesmo.
- Isso se você... Parasse com os chiliques. – ele nadou adentrando em sua frente, mantendo a ironia, acompanhada de um sorriso divertido.
Hermione o fuzilou com os olhos, e então puxou todo o ar que pode, e o soltou lentamente como um modo de se acalmar. Logo sorrira falsamente, para o loiro que segurava-se para não rir.
- Ok. Então... Eu devo fingir que estou extremamente feliz por você ter insensatamente me jogado nessa água gelada sem nenhum bom motivo aparente? – ela manteve o sorriso, enquanto dizia com uma calma forçada.
- Que bom que a proibição da ironia é só para mim, não? – o loiro riu divertido.
- Grrr!!! Você está sendo irônico de novo!!! – a castanha não pode conter a irritação, descontrolando-se de vez, e batendo as mãos na água, respingando-a por todos os lados. – Que droga!!!
- Hey! Calma! – Draco a interceptou entre abafados risos, envolvendo a pela cintura sem que notasse o quão estranho era aquela ação. – Eu paro com as ironias, ok? – disse divertido.
A castanha corou notavelmente, notando a aproximação do loiro. Desviara o olhar do mesmo, meio nervosa e confusa.
- Por que nos jogou aqui? – questionou ainda um tanto irritada, embora o seu tom fosse notavelmente mais baixo.
- Sinceramente? – ele riu consigo. – Eu também não sei. – confessou num tom baixo, levando uma das mãos a cabeça e coçando a nuca num meio sorriso sem jeito. – Acho que queria me distrair um pouco antes de partimos para bem... Busca pela horcruxe. – deu os ombros soltando a garota, embora sem se distanciar. – Sabe? Tem algum divertimento. Um motivo para rir.
- Entendo. – a menina assentiu com a cabeça, meio distante e seus pensamentos. Era primeira vez que vinha Malfoy ter um sentimento semelhante ao seu.
Aproveitar o tempo, com um certo receio de que ele fosse curto. Ficar perto das pessoas queridas. Embora, ela não acreditasse que ela fizesse parte da lista do sonserino de pessoas que mereciam o seu afeto.
- Está com medo?
Despertou subitamente com a pergunta do garoto, que a fitava com um ar preocupado e curioso.
- Um pouco. – confessou pesarosa. – Se não encontrarmos nada... Harry vai acabar desistindo da idéia de permanecer por aqui. – refletiu temerosa, rodeando os próprios braços com as mãos, tentando afastar o frio. – E se... Encontrarmos. Bem... – preferiu não concluir a idéia, porque a mera menção lhe causava assombro.
Por mais que parecesse tudo extremamente bem planejado. Hermione tinha certeza de que se estivessem mesmo certos. Se houvesse algo nas casa dos Riddles... Haveria também alguém.
Draco não disse nada, mesmo que internamente procurasse palavras reconfortantes. A verdade é que não era bom nisso. E já havia se exposto mais do que devia.
Ás vezes não entendia suas próprias ações. Fazia coisas fora do seu feitio e de seu costume constantemente quando se via perto da grifinória. Ou quando a tinha dominando seus pensamentos. Tentava cada vez mais evitar esse controle que ela parecia ter sobre ele. Mas, ele se tornava mais forte e inexplicável a cada dia. Embora, o loiro ainda se forçasse a negar para si mesmo.
- Funcionou. – riu repentinamente.
- O que?
- Você não está mais berrando.
- Ah! – Hermione o fitou incrédula, embora tivesse um meio sorriso nos lábios. – Estou calma, mas estou com frio. – reclamou divertida, mostrando a língua para o garoto num falso sinal de revolta.
Ele rira maroto, aproximando-se mais um pouco com um olhar malicioso.
- Se quiser... Eu posso te esquentar. – sugeriu cínico, o rosto extremamente perto do da castanha. Seus olhos cinza, mergulhados nos dela.
- Não vai conseguir parar com as piadinhas nunca , não é? – a garota questionou impaciente, sentindo-se nervosa com a pouca distância entre eles e com o contato visual direto, o qual ela não conseguia quebrar.
- Talvez... Se eu... Me calasse um pouco... – o loiro surrara pausadamente, roçando seu nariz no da castanha e errando os seus lábios propositalmente.
Hermione fechara os olhos, sentindo-se inebriada pelo cheiro do hálito do garoto. Ficara petrificada naquele exato momento. Não sabia explicar o domínio que o menino tinha sobre ela.

“Ela caminhava lentamente, contra um vento de razoável força. Não via nada... Além do chão que pisava.

O piso era cinzento e frio. O vento cada vez mais forte.
Seus olhos alcançaram os pés de alguém. Havia gente bem a sua frente.

Ela subiu os olhos mirando lentamente... As pernas... O tronco... O pescoço...
Os lábios finos de um garoto.

Os lábios lhe tocaram docemente. Em um beijo calmo e carinhoso.
Como um beijo de despedida... O último o beijo...”

- Está morto.


- Não! – abriu os olhos de repente, empurrando o garoto num impulso incontrolável.
Levara as duas mãos a testa, os dedos adentrando as mechas do cabelo molhado. Sua respiração era descompassada e a imagem do jato verde de luz e o vulto negro caindo ao chão, ainda se fazia presente. Lhe deixando trêmula e imóvel ao mesmo tempo.
Draco a mirava com um ar curioso. Um misto de surpresa e preocupação. Não tinha mínima idéia do que estava acontecendo, mas não gostava do ar perturbado da menina.
- Granger, eu... Me desculpe, se eu... – não sabia o que dizer. Gaguejava nervoso, encarando os olhos subitamente marejados da castanha.
- Está acontecendo! Eu não sei como, nem porquê, mas... Está acontecendo! – repetia aflita e desconexa, os olhos fechados na esperança de que as imagens sumissem. Embora elas apenas ficassem ainda mais nítidas.
- Granger... O que... O que está havendo? O que está acontecendo?
- Tudo! Tudo o que eu vejo! – ela exclamava nervosa consigo mesmo. - De uma maneira ou de outra...
Não conseguia entender absolutamente do que ela dizia. Mas, no momento não era isso o que lhe importava. Só queria dar um jeito de acalmá-la e faze-la parar de chorar. Não conseguia vê-la naquele estado.
- Calma! – aproximou-a novamente, a prendendo em um abraço. – Vai ficar tudo bem.Confie em mim.
“Eu sou alguém que daria a minha vida pela sua... Confie em mim..”
A castanha apertou o tecido das vestes do garoto com força, raiva e tristeza ao ter essa breve recordação. E então o afastou com mais força do que da primeira vez, dando as costas e tentando sair da água o mais rápido possível. As lágrimas lhe correndo os olhos desesperadamente.
Tudo era muito confuso, mas fazia sentido ao mesmo tempo.
Draco não conseguira se mover. Fixara os seus olhos na castanha que se distanciava depressa, e já quase sumia de sua vista.
O vento calmo e tranqüilo que a pouco dominava a paisagem, com o Sol baixo e calmo. Agora se tornava forte e rápido, enquanto as nuvens ganhavam um tom cinza e dominavam toda a área celeste.


"What a rainy ending given to a perfect day. "


“Em diversas tradições culturais e religiosas o sonho aparece revestido de poderes premonitórios...” - a frase impressa do livro, lhe gritava na mente. Misturado as diversas falas ouvidas em seus sonhos. Todas gravadas em sua cabeça.
“Você esconde as respostas de si mesma. Você sabia. Sabia que era ele... Desde o começo.”
- PARA! – Hermione berrava consigo mesma, jogando-se ao degraus da porta de entrada do hall do castelo. As primeiras gotas de chuva, se misturando as lágrimas de seu rosto. – Eu não quero... Não quero mais. – choramingava sozinha, abraçando-as pernas próximas ao corpo, e escondendo a face nos joelhos. – Não quero que seja assim...
A voz sussurrante e em suplica da garota era abafada pelo chão das água que caiam do céu, acompanhada dos trovões e relâmpagos.Ela não se importava com isso.
Havia uma dor dentro de si, como se houvesse lhe ficando uma estaca coberta de veneno em seu peito. Doía-lhe tanto, que ela sequer sabia como podia suportar.
“Sobre eu cuidar de você. Eu vou... Sempre irei.”
Não tinha mais controle algum sobre seus pensamentos. E eles mudavam constantemente, de momentos felizes para profecias cruéis. Como se manipulasse a garota, para lhe mostrar o quanto a vida era injusta e fria.
- Estava tudo dando certo... – dizia consigo, na esperança de se apegar as suas palavras e esquecer os seus pensamentos. – Nós voltamos... Draco estava a salvo... Do nosso lado... – o choro lhe dificultava a fala, e ela se via sempre voltando a dar atenção a dor. – Não é para ser assim.
A idéia de que tudo havia saído melhor do que o esperado... As pazes com Ron... A volta a Hogwarts... A aceitação de Draco, e a mudança do próprio...
Tudo aquilo lhe revoltava ao ver que... Não adiantaria nada.
“Sabe que pode! Depende de você!”
As lágrimas cessaram de repente. O rosto vermelho e inchado da garota levantou gradativamente, mirando o horizonte com um ar reflexivo e distante.
“Você pode impedir!”
Havia um jeito! Havia uma maneira de mudar tudo aquilo. De evitar o pior e salvar...
“Acho que queria me distrair um pouco antes de partimos para bem... Busca pela horcruxe”. - a voz do loiro ecoou em sua mente, logo seguida de Ron. “É hoje o... Dia.”

“O lugar era escuro, e um tanto sombrio. Porém, familiar.
Uma forte luz verde surgiu clareando o lugar.
O garoto pulou em sua direção, e ela fechou os olhos com o susto.”


- É... É hoje. – gaguejou tremula com a seqüência de imagens lhe passando aos olhos, mesmo eles estando abertos.
A busca pelas horcruxes não tardaria a começar. Uma batalha podia acontecer... Não tinha mais tempo a perder.


"If I died, died for you.
Died for you."



- Não os vejo em canto algum. – a pequena Malfoy de longos cabelos castanhos e olhos azuis, reclamava consigo, enquanto caminhava pelos corredores com um olhar atento e observador.
Já fazia alguns longos minutos que saíra em busca do primo ou da grifinória de cabelos cacheados. Mas, não encontrara nenhum dos dois. Nem juntos, nem separados.
Começava a ficar entediada, embora a idéia de que talvez estivessem juntos lhe agradava.
Isabelle sabia muito bem do afeto que existia entre Hermione e Draco. Talvez, até melhor do que eles mesmos, já que... Se negavam a ver.
A proximidade dos dois lhe agradava muito. Pois, o efeito bom que Hermione tinha sobre o loiro era extremamente notável para a pequena que o conhecia tão bem.
Ás vezes se pegava, imaginando como podia ajudá-los a parar com tantas criancices. Para que parassem de perder tempo. Mas, no fim acaba se flagrando rindo das situações que presenciava entre os dois. E acabava vendo que do modo natural era mais divertido.
O sorriso matreiro lhe sumiu dos lábios no mesmo instante em que foi arrancada de seus pensamentos, despertando devido a um pigarreio esquisito que pudera ouvir sair de uma das salas. Aquietou os passos, caminhando lentamente em direção da porta entreaberta, postando-se ali sorrateiramente.
Havia um vulto dentro do lugar. Estreitou os olhos claros para ver melhor, e então pode reconhecer a bizarra figura de Sibila Trewalaney, professora de Adivinhação.
A mulher estava escorada sobre uma das mesas da sala vazia. Vestia as vestes longas e de cores escuras, mesclada a tons berrantes. Os óculos grandes, de lentes enormes não impediam de ver os seus olhos fixos e assombrosos. Sua boca entreaberta formava os estranhos ruídos que a menina ouvira.
Belle ouvira muito pouco a respeito da mulher antes de sua entrada na escola. Apenas sabia que era uma charlatã, que inventava profecias e só sabia predizer desgraças mirabolantes. Não tinha muitas esperanças ou expectativas de que ela pudesse estar a ponto de revelar algo surpreendente. Na verdade, começava a se perguntar se a professora não estaria passando mal.
- O dom... Finalmente despertou no corpo de uma confusa descrente dos mistérios das visões sobrenaturais. – a voz agora grossa e aterrorizante, irrompera dos pulmões da mulher, assustando a pequena que se vira subitamente tentada a ouvi-la. – Seu poder será de grande ajuda para a decisão na batalha final do duelo constante entre as trevas e os bons. Seus olhos verão o modo de salvação. E os conselhos dados às pessoas certas trarão a glória ao lado merecido.
Os olhos azuis da menina não eram os únicos vidrados em cada palavra da profetiza. Havia um outro par de íris azuis, na curva do corredor, debruçado sobre a parede da mesma forma que a sonserina. Os olhos fixos na porta, e os ouvidos atentos as falas de Sibila.
- Porém... Todo bem pede um sacrifício. E para que luz retome o mundo e traga consigo a paz...Ah! Cof! Cof! – Trewalaney limpara a garganta antes de começara tossir descontroladamente.
Isabelle afastou-se da porta num pulo de costas. Ainda fitando a o vulto da professora pela semi abertura.
No canto oposto da parede, um sorriso cínico e satisfeito se formava nos lábios do outro curioso.
- Sacrifício? . – Ashatan refletiu em um sorriso. - O lorde gostara de saber disso.


"I've never been anywhere cold as you."


Subira as escadas em passos rápidos e desenfreados, muitas vezes tropeçando e segurando com força o corrimão para não cair desastrosamente. Seus olhos tinham um brilho aflito e sua respiração era tão ofegante que podia ser ouvida a curta distância.
Já não sentia o frio, embora ainda espalhasse água e formasse poças por onde passava. Estivera tão afoita, que não se preocupara em secar-se ou fazer qualquer outra coisa.
O importante agora era encontrá-lo. Precisava dele... Precisava do livro.
Alcançou o corredor com um ar desesperado, e exclamou a senha com um ar nervoso para uma Violeta curiosa e irritada com a falta de informações.
- Onde está?! Onde está?! – questionava consigo, ao adentrar em seu quarto agora já perfeitamente arrumado, provavelmente pelo serviço dos elfos domésticos.
Procurara embaixo da cama, dentro das gavetas, no armário... Não o via em canto algum.
- Onde eu coloquei? Por tudo o que mais sagrado! Eu preciso me lembrar! – esfregava–a testa de modo ansioso, como se forçasse a se recordar.
Foi quando subitamente ela pode ver os dizeres dourados da capa do livro refletirem no espelho da penteadeira. Hermione sorriu inevitavelmente num suspiro aliviado ao ver o exemplar em cima do armário, abandonado a uma grande caixa de cor salmão.
Esticou-se, ficando na ponta dos pés, e alcançando o encadernado com a ponta dos dedos finos das mãos.
Pegou-o firmemente voltando a postura comum, e lançando-se para fora do quarto na esperança de sair da Sala de Monitoria antes que Draco ou alguém aparecesse. Voltava a correr em passos apressados, quando chegava a passagem no quadro que se abrira repentinamente, lhe tirando o sorriso da face.
- Sabia que tinha algo haver com esse livro. – Malfoy surgira através do retrato com um a expressão indecifrável, embora seu tom transmitisse certa irritação, ou mágoa.
Hermione suspirou nervosa, desviando o olhar sem jeito. Não era o momento para explicar a Draco. Sequer sabia se queria o faze-lo. O que importava agora era entender. Não havia mais tempo para nada. Precisava ir atrás de Ginny! Precisa desvendar de uma vez por todas aqueles sonhos. Ou pelo menos, um deles.
O que fosse evitar que ela ouvisse o berrar de “Está morto!” em sua mente outra vez.
- Draco... Eu... Não posso falar agora! Preciso ver Ginny! É urgente! – suplicara aflita. Os olhos vagando de um lado para o outro de modo agitado.
- Eu pedi para me contar quando soubesse do que se tratava Hermione. – o sonserino dissera ignorando as palavras da garota. – Por que não me disse? Por que ainda não confia em mim? – questionou tentando conter a visível e irritação e mágoa.
- Não é isso... É só que...
- Você acha que eu não me importo? Que tudo que eu faço é um teatro para rir de você? É isso que ainda pensa de mim Granger? – sem que ele pudesse evitar, ou conter, seu tom ia aumentando gradativamente, enquanto a castanha lhe fitava com um olhar choroso. A íris já envoltas em lágrimas.
- Não! Eu...
- Hermione! – o chamado gritante de Gina interrompera o gaguejo da garota, que desviara os olhos de Draco para mirar intrigada a figura da amiga que atravessa a passagem.
- Harry mandou te procurar. – avisou ofegante, parando ao lado do loiro e descansando as mãos nos joelhos, antes de recuperar a postura e fita-los. – Está na hora.


" So I start a fight 'cause I need to feel somethin' "


Os nervos de ambos ainda ferviam certamente. Draco bufava irritado, tentando corrigir a respiração, enquanto evitava mirar a castanha, que encarava Gina com um ar pasmado. O livro envolto apertado em seus braços.
Havia milhares de coisas entaladas na garganta de ambos. Mas, os dois sabiam as prioridades do momento. Mesmo porque... Draco sabia que aquela busca era sua prioridade em todos os momentos.
Sem dizer sequer uma palavra, deu as costas sem olhar para a castanha ou para a ruiva, atravessando o quadro em passos duros em direção ao corredor.
- O que... O que aconteceu? – Gina perguntou curiosa e confusa diante da atitude indiferente do loiro para com a castanha.
- Eu lhe explico tudo depois. – a grifinória explicou num suspiro cansado. – Tome conta disso para mim. Não tire os olhos dele por nem um segundo, ok? - alertou nervosa, entregando o livro as mãos da amiga e saindo em disparada no mesmo rastro do sonserino.
A ruiva sequer tivera tempo de responder, ou dizer qualquer outra coisa. Apenas apressou-se a passagem enquanto vira o vulto da garota dobrar o corredor, com o esvoaçar de seus cabelos crespos.


“No use defending words that you will never say.”


- Está atrasada Hermione! – Harry reclamara nervosa assim que a castanha adentrou a sala de Minerva McGonagall, Draco havia chegado apenas alguns segundos antes.
- Me descu...
- Sou em quem tem o direito de punir aqui Sr. Potter. Portanto, vou avisando previamente que quem não estiver em condições de obedecer ou manter-se calmo, pode optar por ficar no Castelo. – a diretora avisou em tom seco e com certa indireta. – A chave foi posicionada Remus?
- Sim, senhora. Podemos ir quando quiser. – a voz de Lupin surgiu do canto da sala. – Moody e Ninphadora nos esperam lá embaixo.
- Não haverá mais ninguém? Sr. Weasley? Ou os gêmeos? – Draco questionou um pouco nervoso.
- Alastor pensou em os convocar. – o professor informou, deixando o loiro incrivelmente aliviado. – Mas...
- Vamos deixar algumas coisas claras então, antes de partimos.- Minerva o interrompeu, chamando a atenção de todos, no segundo seguinte.
De todos, menos de Hermione. Que fitara Malfoy com uma expressão curiosa e intrigada. Notara sua preocupação prematura com o número de pessoas que iriam até a Casa do Riddles. E não entendia de onde viera aquele receio, uma vez que tudo fora muito bem planejado pelos responsáveis. E as chances de enfrentarem realmente algo ou alguém eram mínimas.
Pelo menos, era o que pensava até aquele momento.
- Embora tudo pareça muito simples. O que vamos fazer é perigoso, e arriscado. Se nossas suposições estiverem certas e a Mansão dos Riddles obtenha algo que procuramos. Mesmo que os seguidores das trevas não saibam de nossa chegada, o local terá inúmeras formas de defender-se por si só. Espero que tenham consciência disso.


"You put up walls and paint them all a shade of gray."


Embora o local fosse envolto por uma camada de fumaça fria e sombria, ele podia ver o vulto se aproximar na penumbra. Os passos calmos e tranqüilos, o sorriso sempre constante em sua face. Algo que não lhe costumava incomodar.
Não dava atenção a meros detalhes, como expressões e sentimentos. Muitos menos quando estes vinham de seus subordinados.
Mas, aquela era uma situação diferente. O sorriso largo estampado no rosto do jovem rapaz que se dirigia até ele, o irritava profundamente. Não só por ver alguém contente, enquanto ele se via preso em uma raiva infinita ao saber dos últimos acontecimentos. Mas, também porque... Aquele sorriso lhe tinha um ar cínico. Já que grande parte de sua ira se devia aquele moleque imprestável que agora lhe fitava radiante.
- Venho com mais, boas notícias, Mi Lord. – Ashatan saudou com uma reverência cordial, e contente.
- Mais? – a voz rastejante do senhor das trevas, soou como o guizo de uma cascavel ouriçada. – Acho que estou um tanto farto de suas “boas” notícias por hoje Ashatan. – o senhor reclamou irônico, pondo se de pé sem alterar o tom. Mas, ainda assim já conseguindo sumir com o sorriso na face do outro, que agora o fitava aflito.
- Perdoe o atrevimento Mi Lord, mas... Não compreendo o que quer dizer. – o rapaz de olhos claros, perguntou humildemente, com a cabeça baixa em sinal de submissão.
- Por acaso tem alguma idéia de onde Nossyla, Zabini, Scott, Snape e McKinnon estão agora? – Voldmort questionou calmamente em tom indiferente, enquanto fitava a chuva fina e tranqüila cair do lado de fora da janela. Dava as costas para o servo, não muito interessado em avistar o seu medo, ou esperar pela sua previsível clemência.
- Não... Não tenho a mínima Mi Lord.
- Estão em Little Hangleton, um pequeno povoado trouxa. Conhece?
- Sim, senhor. – Luis assentira começando a suar frio ao ouvir as últimas palavras de seu mestre. – É... É onde fica a casa dos Riddle. A casa de seus...
Voldmort virou-se rapidamente num único movimento, fazendo com que o rapaz se calasse ao se ver debaixo dos olhos cruéis e impiedosos do lorde.
Não admitia que ninguém se referisse aos Riddles como seus parentes. A associação de seu sangue ao sangue sujo dos mesmos o enojava.
- Tem alguma mínima idéia do que eles estão fazendo lá, Ashatan?
- Não... Não Mi Lorde.
- Eles estão detendo o... POTTER! – berrara com ódio, lançando-se em direção ao jovem, que com o susto caíra de costas no chão. Os olhos um tanto aterrorizados, vidrados no superior.
Voldmort bufara extremamente próximo a face do outro. Sua respiração gélida quase petrificando o garoto. Lhe fuzilou com os olhos uma única vez. E então recobrou a postura, dando as costas novamente. Os passos guiados até a janela mais uma vez.
- Agora... – voltara a dizer paciente. - A pergunta que não me canso de fazer é...O que Potter e os membros da Ordem fazem em Little Hangleton?
Luis engolira em seco, pondo se de pé com certa dificuldade e arrumando a capa escura, um tanto amorratada.
- Creio... Creio que Malfoy tenha sugerido o lugar, Mi Lorde. – respondeu cauteloso, a voz um quase murmúrio.
O vulto sombrio do mestre voltou a retornar seus olhos semi cerrados e frios para Luis, que forçava-se a manter o corpo firme. Embora tremesse internamente.
- Qual era a missão de Malfoy? – perguntou em sua voz rastejante, encarando o rapaz.
- Mudar... Mudar o trajeto da Ordem. – respondia vacilante. – Evitar que eles fossem a Grodic’s Hollow.
- E qual era a sua missão?
O castanho engoliu em seco, ao ouvir as palavras grifadas do superior.
- Manter os olhos em Malfoy e me certificar de que tudo ocorreria conforme os seus planos Mi Lord.
- Ótimo. – Voldmort concordara com um sorriso cínico nos lábios, um dos dedos contornando o queixo de modo falsamente reflexivo. – Então... Se o jovem Malfoy sugeriu um local inapropriado e equivocado, e isso sequer chegou ao meu conhecimento. Creio que a culpa seja....? – evitou a conclusão propositalmente, esperando que o próprio servo reagisse.
- Minha, Mi Lorde. – Ashatan assumiu pesaroso, abaixando a cabeça levemente, como se algo pesasse sobre os seus ombros. – Me perdoe Mi Lord, mas... Eu não tinha a mínima idéia de que o garoto pudesse apontar tal lugar. Sequer sabia que Little Hangleton era um lugar importante para os planos de...
- VOCÊ NÃO TEM QUE SABER! – enraivecera-se por completo. A voz gritante ecoando por todos os cantos do largo e praticamente vazio salão. – SOU EU! É A MIM QUE DEVE INFORMAÇÃO! EU DEVO SABER DE TUDO E VOCÊ... VOCÊ APENAS TEM QUE OBEDECER-ME E CUMPRIR MINHAS ORDENS CONFOMRE O MEU PEDIDO SENÃO QUISER SOFRER CONSEQÜÊNCIAS!!!
- Per- Perdão Mi Lorde. O senhor tem razão! O senhor tem toda a razão! É por isso que vim até aqui! Porque tenho informações senhor! Há uma nova profecia! A visão do fim desse duelo! – Luis exclamava rapidamente, os braços envoltos na cabeça abaixada, e o tom de notavelmente suplicante.
O senhor das sombras parou por um instante e o fitou de modo curioso como se nada houvesse ocorrido. Afastou-se gradativamente, corrigindo a postura com um ar majestoso.
As palavras do rapaz de muito lhe agradariam se verdadeiras. Destino era algo ao qual ele fazia descaso. Não acreditava que as pessoas podiam ser inevitavelmente destinadas a algo ou a alguém, se quem pudesse haver uma mudança de rota ou de futuro.
Acreditava, porém, em predições. As via... Como um modo de destruir esse chamado “Destino”
- Uma profecia? – repetiu consigo.
- Sim senhor, Mi Lord. Presenciei o momento em que Trewalaney a obteve. – Ashatan dizia, tentando ser entendido com o seu tom embargado.
- E o que ela dizia?
- Dizia que um dom de adivinhação tinha surgido em alguém. Em alguém que não acreditava nesse poder. – o castanho esforçava-se a lembrar o mais corretamente possível das palavras, remexendo as mãos com certo desespero. – Havia algo... Sobre sacrifício...
- Sacrifício? – o lorde se mostrara interessado.
- É! Ela disse que essa pessoa... A dona do poder... Ela predirá o final da batalha. Saberá como e quem vai vencer. Só que... Alguém terá que morrer para isso. – concluiu num quase sussurro assombrado.
Voldmort permaneceu em silêncio por longos minutos, pensando consigo mesmo.
Não lhe vinha a mente quem poderia ser esse novo profeta, a quem a outra profetiza se referia. E dessa maneira, também não conseguia deduzir quem seria o sacrificado.
As coisas estavam obscuras demais para o seu agrado. Precisava de mais informações... Precisa saber o nome dessa pessoa. Precisava saber... Que era ela!
- Há algo de muito valor para mim, na casa onde Potter e a Ordem estão. – disse de repente, como se ignorasse o resto já dito. – Eu espero para o seu próprio bem, que ninguém o encontre. E que seus companheiros me voltem com boas notícias. – dizia em um tom calmo, porém ameaçador.
Ashatan apenas fez um gesto positivo com a cabeça engolindo o medo em seco, e dando leves passos para trás num sinal de retirada, que ele sabia que era o que devia fazer, ao ver o mestre lhe virar as costas mais uma vez.
- E Ashatan! – a voz soou autoritária mais uma vez, impedindo que o rapaz continuasse seu caminho. – Você tem uma nova missão agora. Quero que me descubra mais a respeito dessa profecia, a começar em sabe r saber de quem ela se trata.
- Sim senhor Mi Lorde. Não vou decepcioná-lo mais uma vez.
- Isso será uma sábia decisão. Se tiver algum apego a vida.


" Just walk away… "


- VENHA! ANDE! – a voz de Harry soara em berros nos seus ouvidos, enquanto ela sentia ser empurrada para dentro de uma sala. A visão ligeiramente embaçada e confusa devido as luzes dos diversos feitiços que cercavam a sua volta segundos atrás.
- Onde está o Ron?! – perguntara assim que a porta fechara a suas costas com um baque.
- Está com Tonks. No térreo. – informou sem fitar a amiga, os olhos fixos na brecha que abrira da porta. Um ódio lhe brilhando as íris esmeraldas.
- Não temos tempo perder! Temos que procurar!
- Procurar?! – ele repetira debochado num misto de irritação, fechando a porta mais uma vez e voltando os olhos para a castanha. – Será que não vê Hermione?! Não há o que buscar! Fomos pegos numa armadilha! – exclamou com raiva. A frustração lhe saltando dos olhos.
A castanha o mirara um tanto inquieta e nervosa. As coisas giraram em sua mente, cada vez mais e mais rápido. Entreabrira os lábios para responder, no mesmo instante em que a porta se irrompeu. Obrigando ela e o amigo a erguerem as varinha em punho e manterem os olhos atentos.
- Precisam sair! Ele estão vindo para cá! – Draco adentrara nervoso, com um olhar autoritário.
- Malfoy! – o moreno exclamara com o sangue lhe pulsando nas veias. Mal conterá os seus impulsos indo com toda velocidade na direção do sonserino.
Hermione mal tivera tempo para tentar evitar a possível briga. Mas, também não fora preciso. Pois, no segundo em que Harry fizera menção de acertar o loiro. A porta se partiu em pedaços, dando a visão de figuras de capas negras e máscaras de tom cinza.
Mal se preparam e um jato de luz vermelho adentrou a sala com força e grande diâmetro. Draco desviara com rapidez, enquanto Harry se defendera com o uso do “protego”. O loiro atravessou a sala em direção a castanha, puxando a pelo braço em direção a porta presente na outra extremidade do lugar.
- Não pode ficar aqui! – ele reclamara nervoso e zangado, guiando-a através da porta, a envolvendo subitamente em seus braços, antes de lançar-se contra a parede num novo esquivo de feitiço.
- Não! – ela se recusara a adentrar a nova sala, assim que o menino lhe soltara, lhe guiando para dentro.
A frase dele ecoava em sua mente. E lhe trazia péssimas lembranças.
“ - PARA COM ISSO HERMIONE!!! NÃO PODE FICAR AQUI!!!!!”.
”- Não vou!!! Nem sei quem você é!!!”


- Para com isso Hermione! – ele protestou irritado no mesmo instante em que ela se desvencilhou de seus braços.
A castanha o contornou rapidamente, disposta a não arriscar-se de modo algum a se ver num cenário semelhante aos de seus pesadelos.
Ergue a varinha, no mesmo instante vira um dos vultos jogar-se contra ela. Mas, ele fora ao chão antes mesmo que ela pudesse tentar se defender. Harry o acertara nos mesmo instante, e agora vinha em direção ao loiro e a castanha sem possuir mais aquela sedenta necessidade de acertar a face do sonserino.
Mal abrira a boca para se dirigir-se a eles quando a porta que a pouco Draco tentara a todo custo fazer Hermione adentrar, se abrira.
- Ah... Malfoy, traidor do sangue e Potter, o falso escolhido dos mestiços. – o comensal conhecido por Nossyla, saudara irônico e sorridente os garotos de postos armados. Parecia não se dar conta nenhuma da presença da menina. – Eu com certeza achei os melhores prêmios. – debochou sarcástico, antes de se pôr em posição, num movimento incrivelmente rápido.
Draco aproveitara a defesa que o moreno fazia, para abrir a porta do armário lateral e empurrar a castanha para dentro sem muita delicadeza.
- AI! – ela exclamara mais com surpresa do que com dor, abrindo os olhos fechados com o simples piscar. E então se vira envolta em escuridão total.
Pigarreou irritada. Ele estava a tratando com uma criança indefesa. Prendendo-a no armário?!
Colocou-se de pé, e empurrou com força a porta. Mas, ela apenas deu alguma pequenas movidas, sem realmente abrir. Chutou-a algumas vezes, e o efeito foi o mesmo.
- ESTUPEFAÇA!
Os gritos do lado de fora lhe afligiam ainda mais. Suspirara nervosa, e extremamente zangada.
- Quando eu sair daqui, antes de aceitar qualquer Comensal... Eu vou arrancar a cabeça do MAlfoy! - resmungava, enquanto pressionava as duas pernas contra a porta, jogando o peso do corpo contra a parede. Fizera um impulso e no segundo seguinte...
- Ahhh!
Por mais bizarra que pudesse parecer. Ao invés da porta se abrir, a castanha se vira caída de costas. A madeira do armário debaixo de si... Uma passagem.
Levara uma das mãos a testa sentindo a latejar de dor devido ao baque. Piscara algumas vezes, consertando a vista embaçada antes de se dar conta de sua “descoberta”.
Semicerrou os olhos curiosa, ao ver os entalhos de serpentes por toda a extensão do lugar onde estava. Não muito maior do que armário em que se encontrava antes.
Apoiou as mãos sobre o piso, levantando-se lentamente.
Os olhos se arregalaram surpresos no mesmo instante em que virou para analisar o local. Na parede ao fundo... Lá estava.
Protegido por uma coluna de vidro, com as molduras de madeira todas cobertas de cobras esculpidas... O Medalhão de Salazar.
Levantou uma das mãos erguendo-a em direção ao vidro, e a parando em frente a figura do brasão. Tinha medo de toca-la. De algum modo, não sabia o que podia acontecer se alguém se sangue “impuro” tocasse o objeto.
Circulou os olhos ao redor da moldura e do vidro. Havia dizeres. Mas, nada que ela pudesse compreender. Jamais vira aquela língua antes.
- HERMI…
- … one.
A castanha baixara a cabeça, escondendo os olhos com uma das mãos ao ver a luz invadir o “ armário” antes tão escuro.
- Você... Você encontrou. – Harry mal podia crer.
Mirava a jóia reluzente através das vidraças, quase tão bestificado quanto Draco, que sequer adentrara o pequeno cubículo pasmado com a visão.
O moreno tocara as palavras talhadas ao redor da moldura, e entreabrira os lábios como se pudesse lê-las. Logo sua voz soara de modo estranho e singular.
“ A língua das cobras...” - Hermione pensara consigo, compreendendo subitamente.
Logo a vidraça se abriu. E o medalhão de ouro, que antes parecia flutuar dentro da mesma, caiu sobre a parte inferior de dentro da guarita.
Harry ainda hesitou por um momento, antes colocar a mão sobre a jóia e pega-la, trazendo-a para si.
Os três não puderam deixar de admira-la por um breve momento. Não muito por sua beleza e preciosidade. E sim, porque... Finalmente haviam encontrado!
Um barulho se fez ouvir não muito distante. Arrancando-os de seus momento de devaneio.
- Precisamos ir! – Harry alertou, guardando o medalhão no bolso das vestes.
- Antes precisamos substituí-lo. – Draco informou inquieto.
- Substituir? – o moreno questionou confuso e meio nervoso.
- Será melhor se ele achar que não a temos. – o loiro explicou agitado, dando as costas para o garoto e a castanha, voltando a sala a procura de algum objeto de metal.
- Acha mesmo que se ele ver a peça não vai reconhece-la. – Harry questionou um tanto debochado, ao acompanhar o outro para fora do lugar.
- O problema Potter... É que ele não verá. – respondera irônico, um tanto irritado com os questionamentos do grifinório. – Voldmort não vai se deslocar até aqui para conferir. – disse distraidamente, alcançando com satisfação um candelabro de aparência antiga. Mas, que ainda reluzia a ouro. - Mandará alguém no seu lugar. – continuou fazendo um aceno com a varinha, e girando o objeto em sua mãos como se o esculpisse. - E bem... Duvido que esse alguém tenha o mesmo dom que você. – explicou indiferente, não muito disposto a dar glórias ao outro. Logo tinha uma boa replica do medalhão em suas mãos.
Colocou-o novamente dentro do envolto de vidro, e antes que solicitasse. Hermione o enfeitiçou para voltar a flutuar. Fecharam as portas com cuidado, e então o loiro se colocara a tentar levantar as placas de madeira, que escondiam a passagem. Recendo a inesperada ajuda do grifinório. Que no fim não serviu de muita coisa.
- Ah... Com licença. – a castanha resmungou impaciente, ao ouvir um outro ranger se aproximar do lado de fora. Afastou-os dois, e com um gesto de varinha levitou as placas, as encaixando novamente no lugar.
- Muito bem pensado Granger. – Draco não pode evitar a ironia.
Fechavam a porta do armário vitoriosos e satisfeitos, quando uma figura surgiu.
Por um momento petrificaram-se, receosos. Mas, logo todos puseram-se a suspirar de seu próprio modo aliviado, ao ver a cabeleira ruiva de Ron Weasley surgir por entre a fumaça que surgia do corredor.
- Os procurei por toda parte! McGonagall está ordenando retirada, todo mundo para fora para pegar a chave de Portal! – o ruivo avisou em berros, esperando os porta.
Não hesitaram sequer um segundo e logo percorriam o corredor, ao longo das escadas. Os degraus cobertos de destroços e algumas vezes, até de pessoas desacordadas. Por sorte, até aonde haviam visto, só Comensais.
Ainda se ouvia exclamações altas, e se via o lampejo de feitiços. Mas, era apenas três ou quatro pessoas. A verdade, era que por sorte o número de Comensais era pequeno, extremamente pequeno.
Alcançaram o térreo sendo interceptados por Scott, um homem alto de aparência cadavérica. Extremamente magro, alguns ossos visíveis na mão seca. E Zabini, moreno, forte e de aspecto rude.
Lançou contra o grupo de garotos uma das mesas de madeira pura e pesada, com um simples feitiço de levitação. Hermione destruíra o objeto em pedaços ainda no ar. Entretanto as talhas de madeira ainda se esvoaçaram causando ferimentos leves, tanto em si próprios, como nos Comensais.
Harry aproveitara o momento para aceitar Scott que distraíra-se com o raspar de uma das talhas em sua face.
- ESTUPEFAÇA! – berrara apontado a varinha na direção do homem, que se viu lançado para longe.
- EVERTE STATUM! – Zabini usara a mesma tecnica do moreno, acertando-o enquanto ele se encotrava “distraido”.
O corpo do grifinório foi jogado alguns centimetros acima do chão, e girou-se algumas vezes antes de ser lançado longe.
Foi quando Draco pode ver... O medalhão jogado ao chão, no canto da porta do salão de visitas da Mansão.
No meio do duelo de Zabini, Hermione e Ron. Se o Comensal o notasse, tudo estaria perdido. Engoliu em seco, apertando com força a varinha por entre os dedos, afastando-se da movimentação, correndo em direção a jóia. Não fora tão difícil como pensara. A recuperara em poucos minutos. Chegava a se surpreender com a sorte.
Fora em direção a Harry, que parecia despertar da queda vagarosamente. Hermione e Ron já haviam resolvido o resto do problema, agora era só partirem e pelo menos parte do pesadelo teria acabado. Viu o grifinório se levantar, enquanto ele mesmo o apressava nervoso. Entregou-lhe o medalhão as pressas, assim que o garoto se pôra de pé. E o dissera para sair, pronto para fazer o mesmo em seguida. Foi quando seus olhos notaram algo. Mais especificamente... Alguém.
Parado, imóvel muito próximo ao lugar onde o sonserino estivera a muito pouco tempo atrás, recolhendo umas das horcruxes de Voldmort. Bem ali, na entrada do Salão... Snape mantinha os olhos fixos sobre ele.
- Anda! – Hermione o puxara pelo braço, o arrancando de seu devaneio e o levando para fora da casa, em direção ao grupo de professores que os esperava impaciente. Moody, ainda divertindo-se com um dos macascarados de vestes negras.
Apressaram-se a se juntarem em volta da grande bacia de prata, que muito se assemelhava a uma penseira. Todos tocaram a borda da mesma, os olhares se cruzando naquele momento. As expressões extremamente distintas em cada rosto.
Draco era o único que não levantara os olhos uma vez sequer. Sua visão ainda estava na imagem do antigo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, parado a sua frente. Encarando-o sorridente.
“ Se ele viu o medalhão... Então não há mais esperanças.” - fechou os olhos com dor, no mesmo momento em que a chave os sugara para outro espaço.


"And I stood there lovin' you and washed them all away."


Bastou alguns breves e nauseantes minutos, até que todos se vissem de volta ao hall todo de mármore do Castelo.
- Todos bem? – a voz um tanto afogada de Minerva McGonagall perguntou com certa apreensão.
A resposta foi um murmúrio geral, resmungos não entendíveis. Mas, todos de confirmação.
- Estamos vivos. Mas, ainda na estaca zero! – Moody reclamou zangado, o olho de vidro girando por toda a órbita.
Hermione, Harry, Ron e Draco os ouviam dizer, enquanto esperavam que concluíssem para que eles pudessem lhe mostrar a descoberta.
- Desde o início sabíamos que havia essa possibilidade. – Lupin rebateu sensato. – Pelo menos, vemos que agora talvez tenhamos razão. Por que Você-Sabe-Quem os mandaria lá, caso o contrário. – refletiu.
- Talvez? Talvez tenhamos razão? Tudo isso para mais um talvez? – o auror perguntara irritado. – Olha! Não que eu não goste de mostrar a esses cães imprestáveis o que eles merecem mais, eu já estou ficando cansado de lutar sem obter recom...
O homem se calara no mesmo instante.
Harry havia retirado do bolso o medalhão reluzente de ouro. Que agora brilhava exposto entre seus dedos, propositalmente. Na tentativa de chamar a atenção dos responsáveis.
- ...pensas.
- Nós trouxemos a recompensa.


" A great little story… "


A conversa a respeito da horcruxe poderia ter demorado horas, talvez até dias, se não fosse o ar decidido e autoritário de Minerva McGonagall.
A verdade é apesar de ser uma grande injustiça, já que foram os jovens os responsáveis pela o obtenção do Medalhão. Os adultos foram quem tomaram as decisões.
Por sorte, elas foram sábias. E um tanto rápidas.
McGongall decididira manter a jóia no Largo Grimauld, uma vez que a antiga mansão dos Black tinha pontencial de esconderijo. Uma casa onde tantos outros Comensais já haviam vivido anos antes.
Moody seria o responsável pela segurança do objeto, sendo o seu guardião. Naquela mesma noite já se encaminhava para o lugar, com a jóia nas mãos.
A pequena comemoração fora um tanto inevitável. As saudações, abraços e discussões. Todos tinham um ar animado. Todos... Exceto Draco.
Se encontrava nos primeiros degraus do hall, como se estivesse pronto a sair do lugar a qualquer momento. Bastante que sentisse que não havia atenção alguma sobre si.
Os olhos negros e de expressão satisfeita de Severo Snape estavam constantemente em sua lembrança. E as conseqüências disso, também o atormentavam.
A ida a Little Hangleton, não seria algo fácil de excplicar a Voldmort. Mas, ainda sim o loiro tinha a desculpa de não ter o conhecimento do paradeiro das horcruxes do lorde. Isso talvez, o ajudasse na hora de agüentar as conseqüências.
Mas, capturar uma horcruxe... Para isso não haveria desculpa alguma. Muito menos perdão.
Suspirara pesadamente, com os pensamentos presos em sua mãe. Era um covarde! Isso é o que era.
Estava totalmente a salvo agora. A Ordem tinha total confiança em si, depois dessa noite. Mas, ela... Ela não tinha proteção alguma. E pagaria por qualquer erro que ele cometesse aos olhos de Voldmort.
Subiu os degraus com pressa, sem mais se preocupar se alguém notaria sua ausência ou não. Duvidava muito que isso acontecesse em meio ao estado extasiado em que estavam.
Mas, se enganara, pois... Um par de olhos castanhos o acompanhara.
Logo o seguindo na mesma velocidade, a expressão num misto de felicidade e preocupação.
- Draco! - exclamara em alto tom, na intenção de detê-lo até que pudesse alcançá-lo.
O sonserino parou de chofre, no alto da escada, os olhos cinzas se recaindo sobre a menina. A grande responsável por todas as suas ações impulsivas.
Naquele momento, ele sentia-se como se todo o ódio que sentira por ela a vida toda, retornasse em si, correndo em suas veias como queimando em seu sangue.
Era por causa dela. Por sua culpa agia daquela maneira. Por sua causa se propusera a mudar. Por sua causa, sentia remorso toda vez que se via de planos com Ashatan. Era por sua causa, que agora talvez Voldmort torturasse Narcisa. Ou fizesse coisa ainda pior.
A odiava tanto naquele momento, que temia até mesmo o que podeira fazer se aproximasse. Quem era ela afinal, para se ver no direito de fazê-lo... Sentir?
- Está tudo bem? - a castanha questionou um pouco nervosa, vendo o olhar estranho e fixo do garoto.
Ele parecia tão diferente. Tinha a expressão tão irratidiça e zangada como quando a virá com o livro nas mãos, algumas horas atrás no Salão de Monitoria.
- Isso você quem me dirá Granger. - disse seco, como se lê-se os pensamentos da menina. - Ainda precisamos conversar.


"Oh, what a shame.
What a rainy ending given to a perfect day.
Just walk away, no use defending words that you will never say."


- Então… A sangue ruim é a profetiza? – o lábios finos, quase invisíveis de Voldmort esboçaram um sorriso. – Pois, eu prevejo que nosso jovem Malfoy recebera uma nova missão.





You have a way of coming easily to me.
Você tem um jeito de chegar em mim facilmente
And when you take, you take the very best of me.
E quando você tira, você tira realmente o melhor de mim
So I start a fight 'cause I need to feel somethin'
Então eu começo uma luta, porque preciso sentir algo
And you do what you want 'cause I'm not what you wanted.
E você faz o que quer,porque eu não sou o que você queria

Oh, what a shame.
Oh, que vergonha
What a rainy ending given to a perfect day.
Que final chuvoso dado à um dia perfeito
Just walk away, no use defending words that you will never say.
Só vá embora, não use palavras defensivas que você nunca diria

You put up walls and paint them all a shade of gray.
Você levanta paredes e pinta todas em um tom de cinza
And now that I'm sittin' here thinkin' it through,
E agora que eu estou aqui sentada pensando distante
I've never been anywhere cold as you.
Eu nunca estive em nenhum lugar frio como você

You put up walls and paint them all a shade of gray.
Você levanta paredes e as pinta todas em um tom de cinza
And I stood there lovin' you and washed them all away.
E ainda sim eu estive te amando, enquanto as via sumirem
And you come away with a great little story
E depois você vem com uma ótima historinha
Of a mess of a dreamer with the nerve to adore you.
Sobre a confusão de uma sonhadora com nervos pra te adorar

Oh, what a shame.
Oh, que vergonha
What a rainy ending given to a perfect day.
Que final chuvoso dado à um dia perfeito
So just walk away, no use defending words that you will never say.
Então, só vá embora, não use palavras defensivas que você nunca diria
And now that I'm sittin' here thinkin' it through,
E agora que eu estou aqui sentada pensando distante
I've never been anywhere cold as you.
Eu nunca estive em nenhum lugar frio como você


You never did give a damn thing, honey.
Você nunca me deu a mínima atenção, amor
But I cried, cried for you.
Mas, eu chorei, chorei por você
And I know you wouldn't have told nobody
E eu sei que você não diria pra ninguém
If I died, died for you.
Se eu morresse, morreria por você
Died for you.
Morreria por você


Oh, what a shame.
Oh, que vergonha
What a rainy ending give to a perfect day.
Que final chuvoso dado à um dia perfeito

Every smile you fake is so condescending.
Todo sorriso que você falsifica é tão convincente.
Counted all the scars you made.
Contei todas as marcas que você deixou
Now that I'm sittin her thinkin' it through,
E agora que eu estou aqui sentada pensando distante
I've never been anywhere cold as you.
Eu nunca estive em nenhum lugar frio como você


~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

HARRY POTTER E O MISTÉRIO DA NOVA PROFECIA! By Dr.Black
http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=24506

«£Fantasy£«® By ~whonna malfoy
http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=22973

Muito Além By Máira Vivian
http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=18981

Mémorias Marotas By Máira Vivian
http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=20288

Forgive-me By Máira Vivian
http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=23737

----++----Alianças----++---- By Anna-Chan Otaku
http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=24136

"Quase amor...será??" By Anna-Chan Otaku
http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=21859

O garoto da janela ao lado - Triologia. By Christine Martins
I - http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=15239
II - http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=15880
III - http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=18112


~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*





~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~

Música: Little Voice
By: Hilary Duff

I won't tell you what I'm thinking
Eu não vou te dizer o que eu estou pensando
Cause it's not the same thing you're thinking to
Porque não é a mesma coisa que você está pensando
You could say I got a best friend
Você pode dizer que eu tenho uma Melhor Amiga
And she's Always telling me what to do
E que ela está sempre me dizendo o que fazer

She's out of sight
Ela está fora de vista
But easy to find
Mas fácil de se encontrar
She's in the front of my mind
Ela está na frente da minha mente

The little voice in my head won't let me forget
A pequena voz na minha cabeça não me deixa esquecer
The little voice in my head is never misled
A pequena voz na minha cabeça nunca está enganada
All of this noise is what keeps me from making a mess
Todo esse barulho é o que evita que eu faça uma bagunça
The little voice in my head just won't let me get with
you

A pequena voz na minha cabeça simplesmente não me deixará ficar com você


Lalala lalala lalala la la Lalala lalala lalala la

When I see you I admit I start to lose my grip and all
Quando te vejo eu admito que começo a perder meu controle e toda
Of my cool
A minha tranquilidade
You smell so sweet just like my perfume
Seu cheiro é tão doce quanto meu perfume
What have you been doing since I left you?
O que você tem feito desde que eu te deixei?
You're always in my thoughts
Você sempre está nos meus pensamentos
But that doesn't mean that it's on
Mas não quer dizer que está agora

The little voice in my head won't let me forget
A pequena voz na minha cabeça não me deixa esquecer
The little voice in my head is never misled
A pequena voz na minha cabeça nunca está enganada
All of this noise is what keeps me from making a mess
Todo esse barulho é o que evita que eu faça uma bagunça
The little voice in my head just won't let me get with
you

A pequena voz na minha cabeça simplesmente não me deixará ficar com você

I know I sound insane
Eu sei que pareço insana
Like I'm playing games
Como se eu estivesse jogando
Cause all I really want is you
Porque tudo o que eu realmente quero é você
But there are somethings a girl won't do
Mas há algumas coisas que uma garota não faz

The little voice...
A pequena voz…
The little voice...
A pequena voz…

The little voice in my head won't let me forget
A pequena voz na minha cabeça não me deixa esquecer
The little voice in my head is never misled
A pequena voz na minha cabeça nunca está enganada
All of this noise is what keeps me from making a mess
Todo esse barulho é o que evita que eu faça uma bagunça
The little voice in my head just won't let me get with
you

A pequena voz na minha cabeça simplesmente não me deixará ficar com você


Lalala lalala lalala la la Lalala lalala lalala la

The little voice
A pequena voz

Lalala lalala lalala la la Lalala lalala lalala la

The little voice
A pequena voz

Lalala lalala lalala la la Lalala lalala lalala la

~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.