FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

27. Epílogo


Fic: Férias de Verão


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

EPÍLOGO
******************************

Caminhou lentamente até a varanda segurando um copo de suco de morango. Sorriu ao apreciar a vista à sua frente. A areia branquinha, coqueiros, a água azul, da cor dos olhos dele, o cheiro de mar. O sol já estava alto e refletia nas águas límpidas.

Ainda custava em acreditar no que Rony tinha arrumado para eles. E o melhor, tinha organizado tudo sozinho!

Estavam em um chalé construído com pedras e madeira, à beira mar, em algum lugar no litoral inglês. Era praticamente deserto, só podia ver ao longe outra construção idêntica. Na verdade, parecia até ser uma praia particular e Hermione não pôde evitar imaginar o quanto aquilo havia custado. Mas se bem que não era o momento para pensar estas coisas.

O chalé era pequeno, mas aconchegante. Toda a decoração em motivos celtas. Constituído basicamente de um cômodo amplo onde ficava uma lareira, um tapete felpudo diante dela, um sofá para três pessoas, uma pequena estante, aparelhos de DVD e TV (certamente, era um local conhecido por trouxas). Ao canto havia uma “mini-cozinha” e separado por cortinas leves, uma cama de casal e um closet. Ah, lógico, havia também um banheiro decorado em tons de azul e branco. A varanda era toda construída em madeira. Nela havia duas cadeiras e uma mesinha na qual se podia fazer refeições.

Sentiu ele se aproximar e suspirou.

- Espero que eu seja o motivo desse suspiro.

Sentiu a voz dele macia em seu ouvido e os braços fortes ao redor de seu corpo.

- Na verdade – ela brincou – Eu estava aqui, diante de tanta água e sabe... Pensando na Lula Gigante...

- Oh... Agora me diz como eu posso competir com alguém tão... – ele fez uma careta – grande?

Ela girou o corpo e ficou de frente para o noivo.

- Bobo...

- Linda...

Então ela o beijou com suavidade. Rony retirou o copo da mão dela e colocou sobre a mesinha, assim puderam se abraçar melhor. Separaram-se e ele encostou a fronte na dela.

- Por que não me acordou? – perguntou ruivo.

- Você tava tão fofo dormindo...

- Boba...

- Lindo...

Desta vez foi ele quem a beijou. Mas não com suavidade, e sim com fogo.

Enquanto com Hermione tudo era cuidadosamente analisado, com Rony tudo era intenso. No fundo eles gostavam deste contraste. Era como uma forma de balancear as polaridades dos dois. Era a completude. Era quase a perfeição. Mas se bem que as brigas faziam parte disso, era a intensidade se chocando com o cuidado. Era até um movimento natural que abalava os alicerces, pois a perfeição pode ser muito chata às vezes. É preciso uma constante motivação para construir... e desconstruir, para novamente construir. Talvez esse fosse o motivo das brigas deles. Ah, e, obviamente, tinha também o “fazer as pazes” do qual nem se precisa falar.

Rony a conduzia para dentro da cabana desabotoando os botões da camisa do seu pijama, que ela estava vestindo, e a deitando no tapete.

- Ron, você já tomou café?

- Eu acho que tenho uma coisa mais interessante pra fazer...

- Tarado...

- Sinceramente, eu não entendo vocês mulheres... quer dizer, você, meu amor. – ele emendou diante a expressão furiosa dela – Se ficamos quietinhos é um “você não me procura mais” e quando procuramos muito, somos tarados... – ele fez uma carinha de cachorro pidão e completou – Me diga, como posso agradar a futura mais nova senhora Weasley?

Ela ficou em silêncio alguns segundos, pensativa.

- Na dúvida, seja tarado tá? – ele sorriu e começou a avançar para ela – Mas somente em alguns momentos! – ele começou a depositar beijos no pescoço alvo – Rony, nós temos que ir... Devem estar todos nos procurando!

Rony olhou para ela fazendo manha.

- Mione, nós já somos adultos e...

- Rony, sumimos desde ontem... No meio de nossas despedidas de solteiro, deixando apenas um bilhete vago... Todo mundo deve estar preocupado...

Ele bufou.

- Ron... Sejamos sensatos. Organizaram festas lindas pra nós dois...

- Ah, você não gostou do que eu organizei pra nós? – perguntou o ruivo de braços cruzados. – ela abriu a boca pra responder, mas ele cortou – Porque eu... Sinceramente... Eu estava na despedida de solteiro do Harry e achei muito sem graça. Foi exatamente igual ao que estava sendo a minha. Um bando de marmanjos bebendo e jogando... Conversando bobagens... Fazendo coisas ridículas!

- Rony...

- É. E nem adiantava tentar contratar aquelas stripers...

Desta vez Hermione ficou púrpura. Inspirou profundamente e estreitou os olhos. Seu tom de voz saiu profundamente magoado e irritado.

- Ah, é isso, então? Você queria stripers na sua despedida de solteiro? Se desejava tanto isso, que tivesse feito! Mas não jogasse isso na minha cara! Ou melhor, talvez nem precisasse... Bastava dizer que não queria mais casar. Já que uma mulher não basta não é? Mas se preferir, ainda podemos adiar...

- Hermione! – ele se levantou e a segurou pelos ombros desesperado – Me deixa terminar, por favor! – ela engoliu em seco diante da expressão dele – Não adiantava trazer aquelas mulheres, porque a única que eu queria ao meu lado era você... Assim como eu sabia que o Harry só queria estar com a Gina! Por isso eu te trouxe pra cá. Eu queria me despedir da minha vida de solteiro ao lado da mulher que eu quero pra toda a vida... Que sempre esteve ao meu lado nos momentos mais importantes... E minha última noite de solteiro, foi um momento importante pra mim!

- Sério? – disse ela baixinho.

Ele sorriu.

- Eu jamais mentiria pra você.

- Eu jamais suportaria uma mentira sua.

- Nem eu uma sua. Nossa relação é meu alicerce, Estrela. Sempre foi.

Ela se aproximou e o abraçou. Ele estreitou os braços ao redor dela. Sentindo o cheiro dela. Dos cabelos dela. Mais uma vez teve certeza de que não queria nenhuma outra coisa para sua vida.

- E então? – ele perguntou inseguro – Gostou?

Hermione desencostou a cabeça do peito dele e o encarou sorrindo.

- Se eu gostei? Adorei! Eu estava ficando entediada com toda aquela conversa feminina – ele sorriu – Além do mais... Você foi maravilhoso. Obrigada.

Ele se inclinou para beijá-la, mas Hermione se afastou.

- Mas é sério, meu amor... Temos que ir. Já são – ela olhou para o relógio que ficava em cima da lareira – Merlin! Já são 10 da manhã!

- Exatamente... O casamento é só às 5 da tarde... Ainda podemos ficar mais um tempinho aqui...

- Nada disso! Tenho que me arrumar... Afinal, hoje é meu casamento!

Ela terminou de falar e saiu para se trocar e arrumar as coisas.

- Nossa, é mesmo! – disse Rony em tom irônico – Como pude esquecer que hoje é o dia do seu casamento?

Hermione apenas apareceu pela cortina e lançou um beijo para ele.



************************************

Gina correu para a porta assim que ouviu o barulho de alguém aparatando no jardim.

- Hermione Jane Granger!

- Oi Gina... - Hermione respondeu sem jeito.

Estavam na casa de Harry e Gina, em Hogsmead. Os dois estavam morando em Hogwarts agora, mas haviam permanecido com a casa para terem mais privacidade.

- Onde diabos você se meteu?!?!?!

- Eu estava com o Rony...

- Ah, claro! Isso você escreveu no bilhete!

- Também escrevi para vocês não se preocuparem que eu estaria bem...

- Hermione minha filha! – era a mãe da noiva que corria em sua direção.

- Oh, querida! – Molly se adiantou.

- Calma, eu explico... O Rony organizou uma surpresa pra mim... Passamos a noite juntos... Não aconteceu nada de mais...

- Nada de mais? – assustou-se a mãe de Hermione.

- No meu tempo, essas coisas só aconteciam depois do casamento... – Molly pronunciou solenemente, recebendo o apoio da Srª. Granger.

Gina sorriu baixinho de uma Hermione extremamente corada.

- Ok... Agora sabemos que ela está bem... E eu acho melhor começar a arrumar essa bonequinha de cachos né? Vamos? Qualquer coisa a gente chama vocês duas tá? É melhor cuidarem da decoração.

Hermione afirmou freneticamente com a cabeça. E as duas se encaminharam para o quarto de Gina, onde Hermione se arrumaria.

Gina fechou a porta e Hermione se jogou na cama com o rosto coberto pelas mãos.

- E então? – começou a ruiva – Pra onde meu irmão te levou?

A morena descobriu o rosto e exibiu um sorriso radiante.

- Um chalé... Numa praia... Lindo! Perfeito! Foi a noite mais maravilhosa que eu já tive! O som do mar... As estrelas... O vinho... O chocolate... O chalé lindo! Seu irmão...

Gina sorriu com a felicidade da amiga, mas de repente assumiu a postura de sua mãe e disse balançando o dedo indicador.

- Mas bem que podia ter esperado para fazer isso depois do casamento!

Hermione jogou um travesseiro nela.

- Nem ligo! – respondeu Hermione – Foi a melhor despedida de solteiro que eu podia ter.

- Ah, obrigada pela consideração Hermione!

- Não Gi... Ô, desculpa. É claro que eu adorei a festinha que vocês arrumaram pra mim...

- Mas a gente não pode competir com o Roniquinho né? Na verdade, eu nem quero! – a ruiva terminou com uma careta.

Hermione estirou a língua para a amiga.

- E então... Qual é a programação para o meu adorável “dia da noiva”?

- Oh, sim... – Gina assumiu uma postura esnobe e começou a fingir que segurava um bloquinho de notas e uma caneta – Ah, senhorita Granger, quase senhora Weasley não é? – Hermione afirmou com a cabeça – Bom, seu adorável “dia da noiva” iniciou-se com uma vigorosa massagem tailandesa* feita por um dos nossos melhores rapazes... O senhor Ronald – Hermione jogou um travesseiro na amiga, ao que ela desviou graciosamente – E agora continuará com um relaxante banho de banheira com ervas, pétalas de rosas e poções.

- O que estamos esperando para começar?

- Venha por aqui senhorita – Gina indicou a porta do banheiro – Vou preparar a água.


*************************

Rony caminhava lentamente pelos corredores de Hogwarts. Cumprimentava cordialmente cada quadro pelo qual passava, dando um animado “bom dia” e exibindo um sorriso que ia de orelha a orelha.

Chegou á porta do seu quarto próximo à torre de adivinhação assoviando uma música bruxa que sua mãe costumava cantar para ele quando era criança. Abriu devagar a porta e entrou em seu quarto. As janelas estavam abertas e ele achou que o quarto estava iluminado demais para um lugar onde ninguém havia dormido.

- Cara, onde você estava?

A atenção do ruivo foi atraída para um homem moreno de olhos muito verdes e cabelos espetados que estava sentado no canto do aposento.

- Posso saber o que você está fazendo no meu quarto, Potter?

- Pode sim. Estou salvando sua pele, mal agradecido.

Rony fez uma careta de quem não estava entendendo bulhufas, e Harry ergueu as sobrancelhas.

- Ô, gênio... Eu tô enrolando porque, simplesmente, está todo mundo doido atrás de você e da Mione!

Então um clarão de entendimento iluminou o rosto sardento.

- Ahhhh, é isso? – Rony fez um gesto displicente com a mão direita – Vocês não deviam ter se preocupado tanto. Deixamos bilhetes não foi?

- Ah, tá... Como isso fosse tranqüilizar os pais da Mione... E os seus né?

- Não tô nem aí pras broncas... O que importa é que valeu a pena.

Harry suspirou frustrado.

- E aí, vai ou não vai dizer onde vocês estavam?

Rony sorriu satisfeito. Passou a mão pelos cabelos ruivos e sentou na cama.

- Estávamos no paraíso...

- Vocês morreram? – ironizou o moreno.

- Rá, rá... Muito engraçado Potter. Estávamos em uma praia...

- O que vocês foram fazer numa praia?

Rony soltou o ar pela boca e revirou os olhos, num gesto típico de Hermione.

- Bonecos de neve, Harry...

Harry estreitou os olhos.

- Ignorante!

- Eu aluguei um chalé pra nós – respondeu o ruivo, ignorando o xingamento – Resolvi que a melhor despedida de solteiro seríamos somente nós dois em um lugar paradisíaco. Um lugar aconchegante, vinho, chocolate, já que estamos falando de Hermione, o mar... – ele olhou para cima com um sorriso abobalhado brincando nos lábios – Foi muito bom. Ela adorou...

Harry olhava para o amigo com uma expressão surpresa.

- Uau... Por que eu não tive uma idéia dessas?

- Porque você é um quatro olhos tapado, meu caro amigo – Rony deitou na cama e cruzou as pernas tranqüilo. Harry quis protestar contra o xingamento, mas Rony o impediu – E... Não tem um anjo da guarda como Luna Lovegood em sua vida...

- Foi idéia da Luna?

- Foi sugestão da Luna... Ela disse que um programa assim ia agradar... Até me ajudou a escolher o lugar.

- Se a Mione souber disso, você já era meu amigo.

- Ela só vai saber se você contar... – Rony se inclinou ameaçadoramente para o amigo – E se você contar, vai preferir ter sido morto por você-sabe-quem..

- Estou morrendo de medo, Weasley...

- Atreva-se, nanico...

- Ei! Não ofende!

De repente os dois começaram a rir da briga sem sentido em que estavam. Harry se acomodou melhor na cadeira e Rony se esticou mais no colchão.

- Rony...

- Que é?

- Depois me ensina que lugar é esse... Eu gostaria de levar a Gina para um fim de semana romântico...

- Claro.

- Bom, talvez seja melhor eu ir avisar aos outros que você “acordou”.

- Você disse que eu estava dormindo?

- Agradeça mais tarde.

Rony bocejou e espreguiçou-se lentamente.

- Talvez seja bom eu ir com você né? Assim o povo se acalma de vez. Mas antes, eu gostaria de comer alguma coisa... Não deu tempo de tomar café... Tô morrendo de fome.

- Que tal uma visitinha à cozinha?

- Pare de usar legimiência...

- Não é legimiência... É o óbvio!

Eles riram. E caminharam para fora, seguindo para o corredor com quadros de comida.

- Não deu tempo de tomar café foi, Don Juan? – perguntou o moreno com a sobrancelha levantada.

Rony fez uma expressão intrigada. Harry sempre esquecia que ainda havia coisas do mundo trouxa que ele não conhecia.

- Esquece! – exclamou o moreno – O que importa é que você está em jejum até uma hora dessas... Quem é você e o que fez com o Rony?

- Dormimos um pouco a mais – respondeu Rony desconfiado – Além do mais, Hermione quis voltar logo. Só não estamos lá até agora, porque ela disse que tinha que se arrumar...

- Claro, é o dia do casamento dela!

De repente, Rony ficou sério.

- Oh, como eu pude esquecer um detalhe tão importante... Hoje é realmente o casamento dela, não é?- disse Rony com sarcasmo, ao que Harry apenas deu um sorrisinho debochado.

***************************

Era uma linda tarde de verão. O sol brilhava, o céu estava mais azul que o usual. Nuvens branquinhas, aqui e acolá, enfeitavam o céu deixando-o mais simpático.

Era tempo de férias escolares, mas ainda assim os jardins de Hogwarts estavam especialmente agitados neste dia. Pessoas arrumavam um pequeno púlpito e cadeiras onde se realizaria a cerimônia de casamento de Hermione Granger e Ronald Weasley. Haviam postes de madeira de onde pendiam cachos de flores do campo e entre as cadeiras um tapete branco se e estendia.

O local escolhido ficava perto de uma árvore frondosa próxima ao lago, porém perto da entrada do castelo. As águas estavam calmas, mostrando que a Lula Gigante havia decidido colaborar com a festa.

Realmente não tinha sido fácil encontrar um lugar para o casamento. Devia ser um lugar onde alguns parentes trouxas de Hermione pudesse ir sem ficar chocados. Os noivos tiveram muita dor de cabeça, por querer agradar a gregos e troianos, mas por fim conseguiram. Minerva cedeu o castelo, por ser período de férias, e disse que tudo seria organizado de modo que os trouxas não precisariam de um obliviate depois.

Na verdade, todos sabiam que Minerva queria mesmo era que Hermione casasse naqueles terrenos. A noiva era como uma filha para a diretora da escola. Sempre foram muito parecidas. Meninas perfeitas, mas que – no fundo – gostavam mesmo é de aventura e burlar as regras.

A cerimônia seria no jardim, porém a festa, aconteceria no salão principal. Bruxos foram contratados para servir de garçons, já que a comida não poderia aparecer magicamente. O teto estrelado sofreu um feitiço de desilusão e somente poderia ser visto por olhos bruxos.

A decoração estava toda em tons de branco. Lírios e rosas brancas espalhados por todos os lugares. Mesinhas para seis pessoas preenchiam o salão e, onde ficava a mesa dos professores, um pequeno palco onde uma banda formada por bruxos e trouxas se apresentaria. Mais na frente havia uma pista de dança.

Para os parentes de Hermione, foi dito que seria apenas uma cerimônia simples. Nada de rituais muito elaborados, pois a própria era contra tanta formalidade. Além do mais nunca fora muito religiosa, ao que duas tias dela ficaram escandalizadas, e não fazia questão de casar numa igreja.

No entanto, a felicidade dela era tão contagiante que inclusive aqueles que diziam que ela ficaria encalhada para sempre, pois só pensava em trabalhos e vivia soterrada naquele internato onde lecionava, vieram compartilhar deste momento importante na vida dela.

As horas passaram-se calmamente. Serenas como se não tivessem pressas de chegar. Afinal, tudo estava bem. O mundo estava em paz. A humanidade segura – pelo menos não haviam bruxos malucos e com sede de poder à solta. Havia bruxos felizes, que usavam suas varinhas apenas para feitiços banais, e não de proteção. Enfim, tudo estava em seu devido lugar. Uma paz tão desejada que se tornava preciosa e vivida com intensidade.

**********************************

- E então? Que achou do meu trabalho?

Gina sorriu e mostrou um grande espelho para Hermione, que sorriu feliz ao encarar-se.

Os cabelos caíam em cachos grandes e sedosos por suas costas, nos quais pendiam delicadas miniaturas de flores encantadas para não caírem. A maquiagem em tons claros de pérola e bege ressaltavam os olhos cor de chocolate e nos lábios uma leve camada de gloss cor de rosa.

- Quem precisa de maquiador quando se tem uma cunhada tão perfeita como você Gi?

Gina fez um gesto, que pretendia transmitir modéstia, com as mãos.

- Não há de quê, minha cunhada preferida. Agora, tenho que me maquiar. Vou chamar sua mãe pra lhe ajudar com o vestido tá?

Hermione concordou e logo em seguida Gina a deixou sozinha no quarto. Olhou ao redor e viu o buquê de lírios em cima da cama. Aproximou-se e tocou as pétalas delicadas. Pareciam feitas de sonho. Na verdade, tudo ali parecia um sonho... Não resistiu ao impulso e deu um pequeno beliscãozinho no braço. Emitiu uma pequena exclamação de dor e sorriu por ter uma atitude tão infantil.

- Hermione meu bem, posso entrar?

- Claro mãe.

A Srª. Granger colocou a cabeça para dentro e sorriu docemente para a filha.

- Nervosa? – disse ela entrando e fechando a porta.

- Um pouco... Mas é natural não é?

- Claro meu bem... Claro.

- Onde está o papai?

- Foi buscar sua tia Clarice e seu tio Alberto. Já devem estar em Hogwarts...

- Será que foi boa idéia mamãe... – Hermione torcia as mãos – Sabe, trazer todos pra cá... Talvez eu devesse ter pensado em uma cerimônia trouxa...

- Eu e seu pai ficamos muito felizes. É sua vida. Se ela tem duas “metades”, então devemos conciliá-las da melhor forma. – ela encarou a filha – Molly sobe daqui a pouco para nos ajudar. Mas, vamos colocando este vestido?

Hermione sorriu.

O vestido era composto por um corpete de cetim branco, com alguns bordados em linha fosca, também branca. Era fechado atrás por várias tiras de cordão, bem apertado para que a pele dela não ficasse á mostra. A saia era formada por várias camadas de um tecido alvo finíssimo, transparente, e esvoaçante, do qual eram feitas também as mangas que começavam mais justas, nos ombros, e iam se alargando como um sino, deixando as mãos delicadas, praticamente escondidas. Todo o visual deixava Hermione com a leveza de uma fada.

Hermione colocou o vestido com delicadeza e ficou de costas para a mãe. Esta pegou os cordões e começou a apertá-los.

- Mamãe... – disse Hermione com dificuldade – Eu preciso respirar.

- Foi você quem escolheu o vestido, querida...

Rapidamente, Hermione voltou-se para a senhora e perguntou preocupada.

- Mãe... Você acha que eu engordei?

- De onde você tirou uma idéia dessas? – era Molly que havia entrado no quarto, seguida por uma Minerva emocionada. – Uma menina magra como você...

- Minerva! – Hermione sorriu. – Como estão as coisas em Hogwarts?

- Perfeitas... Seu casamento será lindo! – respondeu a diretora.

- Está vendo querida... – atalhou a Srª. Granger – Agora só falta você me deixar fechar esse vestido.

E dizendo isso, tomou novamente os cordões entre os dedos.

- Só vou apertar para não ter o perigo de abrir no meio da cerimônia viu?

Hermione respirou fundo.

- Certo.

Com o vestido fechado, dois pares de mãos começaram a dar os últimos retoques, ajeitando ali e aqui. Hermione parecia um manequim de vitrine e McGonagall apenas sorria com os braços cruzados no corpo.

- Oh, meu Deus... Você está tão linda...

- Mamãe... – disse Hermione compreensiva – Não chore... Molly, por favor... Deixem as lágrimas para a cerimônia está bem?

- Agora só faltam as jóias – disse Molly – Onde estão querida?

- Em cima da penteadeira – respondeu Hermione.

- Ah, esperem – McGonagall falou – Eu trouxe uma coisa... E conjurou uma caixa de veludo vermelho. – É meu presente pra você.

Hermione pegou a caixa e olhou agradecida para a amiga. Abriu. Três exclamações foram ouvidas no quarto.

- Minerva... É... São lindos... Eu...

- Aceite. – Minerva cortou – Eram da minha mãe. Ela me deu. Disse para usar no meu casamento... E, bom... Eu não casei.

- Mas... Ainda há tempo, Minerva – dessa vez foi Molly quem falou.

- O único bruxo com quem eu casaria não está mais entre nós Molly... Quero que fique com você Hermione. Sei que está em boas mãos.

A noiva controlou as lágrimas e abraçou a amiga.

- Obrigada...

- Vamos, coloque! Tenho certeza que combinam perfeitamente com seu vestido.

Era um conjunto. Uma bela gargantilha de ouro branco na qual estavam incrustadas pequenas pedrinhas de brilhantes transparentes. Os brincos eram as mesmas pedrinhas penduradas em fios, delicados, de ouro branco.

Hermione olhou-se no espelho. Ouviu os elogios das mulheres ali presentes. E teve certeza que estava em um sonho, do qual nunca mais iria acordar.

*****************************

- Pronto Rony?

Era Harry que entrara no quarto.

Rony estava de frente para o espelho, com o olhar perdido e um sorriso nos lábios. Vestia uma elegante capa branca, os cabelos, no cumprimento das orelhas, estavam presos em um rabo de cavalo bem feito – obra de Gina, que viera vê-lo mais cedo.

Ele olhou para o lado com uma expressão deslumbrada.

- Eu vou casar com a Mione, cara...

Harry riu pelo nariz.

- É... A gente sabe.

- Não parece surreal?

- Pra mim isso sempre foi meio que... óbvio.

- Ainda assim é surreal... Maravilhoso...

- Ok, vamos logo senhor eu-vou-casar-com-Hermione-Granger-e-estou-agindo-como-um-bobo.

- Escuta aqui, Potter... Eu vou casar com a Hermione e nada vai estragar meu humor! – disse o ruivo caminhando para fora do quarto.

- Nem eu quero fazer isso meu amigo... Nem eu quero!

Saíram do castelo e Rony olhou ao redor. Inspirou profundamente e sentiu-se confiante, mais do que diante de um tabuleiro de xadrez. Sentiu-se como de uma forma que jamais imaginara sentir-se em toda sua vida. Era como se o mundo inteiro estivesse girando em torno daquele lugar. Como se os pássaros cantassem apenas para a cerimônia que se realizaria. Era fantástico! Então, de repente ele começou a perceber... Não, ele não estava completamente confiante... Na verdade, estava em pânico!

Parou e soltou o ar, pesadamente, pela boca.

- Tá tudo bem amigão? – era Harry que voltara ao perceber que o amigo havia ficado para trás.

- É que de repente... Eu tô me sentindo estranho... Como se não fosse conseguir me conter e sair saltitando de felicidade... E como fosse desmaiar a qualquer momento...

- É só respirar fundo... Quando a cerimônia acabar passa... Eu garanto.

Rony encarou o amigo seriamente. Harry apenas falava com as sobrancelhas arqueadas. Então resolveram voltar a caminhar. O sol já brilhava mais fracamente e uma brisa suave tocava a pele dos convidados já presentes.

Os dois amigos paravam para um cumprimento rápido aos conhecidos. Tonks não se conteve e se jogou nos braços do noivo, quase o derrubando, dizendo que eles mereciam, depois de tudo o que tinham passado. Remo ao contrário da esposa, apenas apertou a mão dele, num gesto mais polido.

- Eu sempre soube que esse momento chegaria. – Hagrid havia se juntado aos quatro amigos – Desde a primeira vez que os vi discutindo... Tinha certeza que era um grande amor nascendo...

- Como você é perspicaz, Hagrid – Rony falou – Na época, eu pensava que era simplesmente antipatia.

- Porque você era um cabeça de fósforo tapado... – devolveu Harry com um sorriso irônico – Mas confesso que só me dei conta do que estava acontecendo no famoso “baile de inverno”.

- Só não vou te dar uma boa resposta, Potter – Rony alfinetou – Porque eu acho que você tem razão.

- O importante, é que as pessoas crescem. – Remo disse – E amadurecem.

- Embora tenha demorado um pouco – Tonks deu de ombros.

Nesse momento, Arthur – o mais novo Ministro da Magia – se aproximou do grupo. Quando a decisão saiu, foi uma grande festa na casa dos Weasley. Na verdade, ninguém estava muito certo do que tinha ouvido. Porém, nunca antes, o mundo mágico tinha vivido meses tão bem governados.

- E então... Como vai meu caçulinha?

- Tentando fazer o estômago parar de dar voltas... Mas acho que sobrevivo.

- Eu tenho certeza disso, meu filho... – ele lançou ao ruivo mais novo um enorme sorriso orgulhoso.

- Na verdade, eu também acho que a Hermione tá demorando muito.... – desabafou Rony esfregando as mãos...

- Ora, Rony... Ainda não está na hora dela chegar... – Tonks disse – Além do mais, ela tem todo o direito de se atrasar um pouco, e fazer uma entrada triunfal... É o casamento dela!

Rony respirou fundo e Harry segurou o riso.

- Ah, claro Tonks! – ele deixou os braços penderem - Bom, acho melhor ir dar atenção aos convidados da Mione, já que ela tem todo o direito de não estar aqui, já que é o casamento dela.

Então ele saiu em direção a um grupo, onde estavam o pai e os parentes de Hermione.

- O que foi que eu disse? – perguntou Tonks sem entender muito bem o que havia feito de errado.

****************************

Gina aparatou diante dos portões de Hogwarts, arrumou melhor seu vestido de seda vermelha no corpo e caminhou decidida – em seu salto de 15 cm também vermelho – para os jardins do castelo.

De longe, reconheceu os cabelos espetados de seu marido, junto a uma cabeleira cor de rosa e um grande homem barbudo.

- Olá meus queridos! – e deu um beijinho em Harry.

- Está linda Gina!

- Obrigada Hagrid! Cadê o Rony?

- Tá ali, com a família da Mione – disse Harry ainda embasbacado com aparência da esposa.

O vestido dela, lembrava um traje tradicional japonês, de mangas curtas. Os cabelos, estavam soltos com uma mecha na lateral da cabeça, segura com uma presilha de brilhantes.

- Bom, vou falar com ele. Ah, é melhor todos se aprontarem... A Mione já está chegando...

Ela foi então encontrar o irmão que estava em uma conversa animada com o pai, a tia e duas primas de Hermione.

- Oi maninho!

- Hei! Essa é minha irmã... – Gina as cumprimentou com um sorriso – E então, como está minha adorável noiva? Ela já está lá fora?

- Ainda não, mas está chegando. Seria melhor se fossem tomar seus lugares – Gina disse para as mulheres. – Sr. Weasley...

- Eu vou indo para a entrada do castelo. – ele falou e saiu.

Gina deu o braço ao irmão e caminhavam lentamente para o lugar reservado para a cerimônia.

- Não gostei daquela prima da Mione...

- O que tem ela?

- Tava te comendo com os olhos!

- Não começa, Gi...

- Tem a maior cara de piranha!

Rony a olhou com uma sobrancelha arqueada.

- Que foi? Eu só tô dizendo o que acho! – respondeu ela dando de ombros.

- Por que a Mione tá demorando tanto?

- Ah, - Gina fez uma cara entediada – A mamãe viu uma mancha no sapato dela... Estão lá, tentando limpá-lo.

Nesse momento, Harry se juntou aos dois.

- Francamente! – disse Rony escandalizado – É por causa de uma besteira dessas?

- Ronald Weasley! Não é besteira! – dessa vez até Harry se encolheu – Eu entendo que até a mãe dela estejam fazendo de tudo para que a Mione esteja perfeita hoje... Simplesmente porque é o casamento dela!

De repente a expressão assustada de Rony sumiu, dando lugar a um olhar duro e engraçado às vistas de Harry.

- Será que alguém aqui pode fazer o favor de lembrar que eu também estou casando?!?!?!?!?!

Gina estancou onde estava e disse graciosa.

- Não faz drama, irmãozinho...

- Não é drama... É que parece que todo mundo tá preocupado só com ela... – ele suspirou – Eu também tô nervoso!

- Claro que está – Gina o abraçou – E desculpa...

- Queridos – era Molly e Minerva que vinham se aproximando – Hermione já está aí fora... – os olhos de Rony brilharam – Gina, ela pediu para você ir lá um instante. – então a Srª. Weasley começou a arrumar a capa do filho – Querido, leve seus padrinhos para o altar sim? Harry acompanhe Minerva ao lugar dela...

Como tudo o que envolvia Rony e Hermione, a escolha dos padrinhos foi um capítulo á parte. Somente após muita discussão, os dois chegaram a um acordo.

***FLASHBACK***

Os dois estavam no quarto dele em Hogwarts, organizando a lista de convidados, quando o assunto “padrinhos de casamento” surgiu. Dois nomes, Harry e Gina, foram imediatamente lembrados... E motivo de mais uma briga.

- Eles vão ser meus padrinhos! – disse Hermione já exaltada.

- Nem pensar! Serão meus padrinhos! – ele retrucou rubro.

- A Gina é minha melhor amiga!

- Grande coisa! Ela é minha irmã!

- Mas nós somos amigas há mais tempo!

- Que absurdo!

- Você vivia brigando com ela na escola!

- Eu e você também vivíamos brigando na escola...

- Além do mais, - Hermione cortou – o Harry é como um irmão pra mim!

- Ah, Mione, conta outra! Cadê o laço de sangue?

A boca da morena se escancarou.

- Isso não importa quando a amizade é verdadeira!

- Ah, é... O critério é amizade? – ela afirmou freneticamente com a cabeça, ele estreitou os olhos para dar o golpe de misericórdia – O Harry e eu somos amigos há mais tempo... Afinidade de cara!

Hermione se calou. Os olhos brilhando.

- Ok. Você venceu. Harry e Gina são seus padrinhos. – deu uma fungadinha,e baixou a cabeça, não deixando as lagrima saírem – Mas não precisava ser cruel comigo.

Ela levantou os olhos e percebeu quando os ombros de Rony baixaram. Segurou um sorriso. Já tinha descoberto o golpe para vencer Ronald Weasley. Ele não suportava vê-la triste ou perdida, principalmente quando o próprio era o motivo. Bastava que ela mantivesse o controle e não se deixasse levar pela irritação. O que muitas vezes tornava-se impossível.

- Estrela... – ela levantou um pouco a cabeça e colocou uma mecha de cabelo atrás das orelhas. Ele se aproximou da cadeira onde ela estava sentada e se ajoelhou – Não vamos brigar por isso, okay? Olha, você pode chamá-los para serem seus padrinhos... O que importa pra mim, é a presença deles lá.

Primeiramente, Hermione quis zombar na cara dele, fazendo dancinha da vitória e gritando a plenos pulmões que havia ganhado mais uma. Depois uma vontade incontrolável de pular no pescoço dele e beijá-lo por ser tão perfeito a ponto de abdicar de algo tão importante por ela. Mas preferiu uma terceira opção.

- Você tem certeza? – ela arriscou ainda com carinha desolada.

- Claro meu amor... Não tem problema algum – ele levantou-se e a beijou com carinho, depois sentou-se novamente – Só tem uma coisa.

- O que é?

- Eu ainda preciso de padrinhos – ela concordou – Então, dois nomes me vieram á cabeça agora... Neville e Luna.

Por um segundo, Rony viu a tensão se instalar no corpo da noiva. Exatamente no segundo em que o nome de sua ex-namorada havia sido pronunciado.

- Sem problemas – disse ela dando de ombros – Se eles são importantes pra você...

- Obrigado meu amor – ele se levantou e novamente a beijou.

Rony também tinha sua jogada fatal. Após anos analisando todas as estratégias possíveis, tinha chegado a uma simples palavras: compreensão. Bastava agir como um cara extremamente compreensivo, lançar um sorriso inclinado, emitir as palavras – cuidadosamente escolhidas – em um tom de voz macio e... Xeque mate! Salientando que muitas vezes a tática não funcionava, simplesmente por causa da impulsividade dele.

********************************

Gina chegou aos portões de Hogwarts, onde uma linda charrete puxada por dois cavalos brancos estava parada.

- Mamãe, é melhor a senhora ir agora – Hermione falava com doçura – Papai, suba aqui comigo... Francamente, eu acho essa charrete um exagero!

- Está linda! – Gina se aproximou – Eu acho que dá um charme a mais... E pare de reclamar!

Hermione sorriu para a amiga e perguntou ansiosa.

- Como ele está?

- Lindo, nervoso e completamente apaixonado – Gina respondeu sonhadora – Ah e pode começar, eu juro que não vou fazer gracinha...

- Começar?

- É, respiração cachorrinho...

As duas começaram a rir diante da expressão intrigada dos pais da noiva.

- Depois eu explico mãe, pai... E, não Ginevra... Eu não vou fazer isso. Basta respirar profundamente e bem devagar... Agora por favor, pode levar a mamãe?

- Claro. Venha comigo Srª. Granger! – e as duas sumiram pelos jardins.

Hermione sorriu para seu pai. Eles estavam sentados um ao lado do outro. Dobby, com elegantes vestes negras servia de cocheiro.

- Sabe querida... – o pai dela começou – Eu tenho tanto orgulho de você! De início, essa história de você ser bruxa me assustou... Mas agora... Você heroína de guerra, professora de uma escola como essa – e apontou para o majestoso castelo de Hogwarts – Bom, e sinceramente, eu acho que hoje é a decisão mais certa que você tomou em toda sua vida...

- O senhor sempre soube não é?

- Desde que você tinha 14 anos e mandou aquela carta onde você detonou a imagem do Ronald... Depois do tal baile, lembra?

Hermione riu ao lembrar-se das palavras nada amigáveis com as quais descrevera a atitude do ruivo na ocasião. Tomou as mãos do pai entre as suas e as beijou. Então sentiu os cavalos se movimentando. Estava na hora.

Aos poucos a imagem das margens do lago foram se formando á sua frente. Viu a decoração, exatamente como os dois tinham planejado. Avistou as pessoas sentadas, com destaque para Hagrid, Harry e Gina de pé, Luna e Neville também, mas o que chamou sua atenção foi seu noivo. Alto, ruivo, lindo naquelas vestes! Ele não tinha deixado que ele sequer desse uma olhadinha no que vestiria. Disse que se não podia ver o vestido dela, Hermione também não poderia ver a roupa dele. Merlin! Ela teve que usar todo seu autocontrole para não saltar da carruagem, correr e agarrá-lo ali mesmo! Ela riu ao perceber o cabelo cor de fogo preso em um rabo de cavalo. Molly implorou para que ele cortasse, mas o mesmo disse que só o faria se Hermione quisesse... E sinceramente... Ela adorava a maciez daqueles fios tocando em sua pele, portanto, o cabelo ficou.

Desceu da charrete com a ajuda do pai e uma música suave começou a tocar. Respirou fundo e olhou para a frente. Sentiu suas pernas fraquejarem e seu coração falhar duas batidas quando Rony a olhou daquele jeito que só ele fazia. De cima abaixo, como se tivesse visão de raio-x. Sorriu para disfarçar o rubor na face e, junto do seu pai, caminhou decidida para o altar.

Rony a olhava extasiado. Como ela conseguia ficar cada vez mais linda aos seus olhos? Só podia ser feitiço. Firmou-se mais para não se deixar levar por uma súbita vertigem... Aliás, como ela conseguia estar tão serena? Ele estava ali, com o pulso acelerado... as mãos suando e ela simplesmente sorrindo! Não que ele não estivesse sorrindo também, mas seu nervosismo devia estar escrito bem no meio da sua testa.

Então o espaço entre eles foi ultrapassado. Rony apertou com firmeza a mão do sogro, murmurando um obrigado. Queria mostrar que a filha dele estava em boas mãos. E depois sorriu para a quase esposa e pegou a mão esquerda dela e a beijou. Ela estava tremendo e com a mão gelada. Afinal, não estava tão impassível assim...

Para tu amor lo tengo todo
Desde mi sangre hasta la escencia de mi ser
Y para tu amor que es mi tesoro
Tengo mi vida toda entera a tus pies


Hermione fechou os olhos ao sentir os lábios dele em sua mão, uma lágrima teimosa percorreu o caminho por sua face. Ela realmente adorava quando ele fazia isso. Depois sorriu cúmplice para ele. Estavam os dois muito nervosos, mas estavam ali. E nada poderia acontecer para separá-los. Ela olhou ao redor e viu Harry e Gina. Havia um brilho no olhar deles... Uma felicidade estampada nos sorrisos. Depois viu Luna e Neville. Ele estava namorando sério com uma medibruxa e ela, estava noiva do Draco. Incrível não? Pois é. E num segundo, todo o ciúme que sentia da loura desapareceu, pois percebeu o quanto ela estava sendo sincera. Aliás, ela sempre fora sincera. E se estava ali, era porque queria a felicidade dos dois.

Y tengo también
Un corazón que se muere por dar amor
Y que no conoce el fin
Un corazón que late por vos


- Bom, meus caros – o mago (pastor para os trouxas ali presentes) começou seu discurso – estamos aqui reunidos para celebrar a união de Ronald Weasley e Hermione Granger. União que há muito já se fez notar. Não é de hoje que conhecemos a história de amizade e lealdade que envolve esses dois... O que há de novo, é o sentimento motivador. Se estão aqui hoje, significa que a amizade não é mais suficiente. Algo maior surgiu. Algo que envolve sim, a amizade, mas que nos transforma. O amor só torna-se completo se há companheirismo. E isto é algo que deve ser construído. No caso de vocês, isto é sólido o suficiente para construir uma vida juntos. É com alegria que celebramos o enlace de apaixonados. Pois a eles pertencem os sonhos e, como conseqüência, o mundo. Por favor, as aliança.

Rony as entregou

Para tu amor no hay despedidas
Para tu amor yo solo tengo eternidad
Y para tu amor que me ilumina
Tengo una luna, un arco iris y un clavel


- Estes anéis representam a aliança, - o mago continuou – ou seja, um acordo feito por espontânea vontade. Aliança onde se afirma o desejo de compartilhar o amor, o respeito. – discretamente, um feitiço foi lançado para os anéis – Que ao usarem, honrem este compromisso. E que este dure o tempo dos sonhos de vocês. Por favor, coloquem as alianças um no outro. – os dois o fizeram – Que a paixão e amizade caminhem de forma harmoniosa na vida de vocês, estes são meus votos. – e sorriu para os noivos – E agora, é o momento onde vocês podem declarar todo o sentimento que trazem em si, como forma de selar a decisão aqui tomada.


Hermione sorriu. Mas algumas lágrimas começaram a brotar de seus olhos. Rony, com delicadeza as limpou.

Y tengo también
Un corazón que se muere por dar amor
Y que no conoce el fin
Un corazón que late por vos


- Er... – ela começou – Bem, eu vou ser sincera... Eu não escrevi nada. Não fiz um belo discurso... Porque, oras você sabe que se eu o fizesse ia sair algo extremamente metódico e sistematizado... E só por hoje, eu não quero ser assim. Só por hoje eu quero deixar meu lado racional de lado e te falar com isso aqui – e ela colocou uma mão sobre o coração – Afinal, essa foi o maior ensinamento que você me deu. Me ensinou que existe algo maior, algo mais verdadeiro. Ensinou que devemos entrar em contato direto com nossos sentimentos, pois você é assim meu amor. Você me mostrou isso desde a primeira vez que nos vimos, desde a primeira vez que brigamos, desde a primeira vez em que eu tive vontade de pular no seu pescoço e te beijar. – ele riu, os olhos azuis marejados

Por eso yo te quiero tanto que no sé como explicar
Lo que siento
Yo te quiero porque tu dolor es mi dolor
Y no hay dudas
Yo te quiero con el alma y con el corazón
Te venero
Hoy y siempre gracias yo te doy a ti mi amor
Por existir


- O que você me faz sentir é tão grande que não consegui guardar em um local específico dentro do meu arquivo mental. O que você me faz sentir se espalha por todo meu ser e me transforma em algo sem limites. Eu não sei se conseguiria ser totalmente feliz sem isso. Obrigada. Obrigada por me fazer tão especial. Por ter me escolhido (ou será que foi o destino que nos escolheu?). Por abrir as portas e me deixar entrar em sua vida. Obrigada ser tão adorável e me fazer te amar. Obrigada por me trazer até aqui... Eu sempre te amei e hoje sei que esse sentimento só cresceu, e não vai acabar.


Para tu amor lo tengo todo
lo tengo todo y lo que no tengo también
Lo conseguiré
para tu amor que es mi tesoro
Tengo mi vida toda entera a tus pies


Ela passou a mão no rosto dele, limpando uma lágrima que descia pela pele sardenta. Ele segurou a mão dela contra o rosto e suspirou.

- Minha Estrela. Minha luz. Eu não acredito que você conseguiu ficar sem escrever nada... Estou tão orgulhoso! – todos riram – Se você diz ter aprendido tanto comigo... Merlin... O quanto eu aprendi com você? Por você eu sobrevivi. Somente para ter mais um vislumbre do seu sorriso, o calor do seu abraço. Em quantas e quantas vezes esse não foi meu motivo para lutar... Bastava saber que no fim, você correria em minha direção e se jogaria nos meus braços. Quantas vezes eu não me controlei ao máximo para não largar tudo e somente protegê-la. Estar ao seu lado é um sonho lindo.

Y tengo también
Un corazón que se muere por dar amor
Y que no conoce el fin
Un corazón que late por vos


- Hoje, eu não entendo aquele garoto desengonçado que te chamou de pesadelo. Hoje eu sei que ele era somente um menino assustado diante de algo tão grandioso. Obrigado por me perdoar, daquela vez, e de tantas outras. Com você eu cresci, aprendi a ser o homem que eu sou, amadureci. Por mais longe que você estivesse, era sua voz que me guiava em todas as decisões importantes. Sempre foi o seu sorriso que iluminou meu caminho. E meu Deus... Como eu agradeço por você ser tão brilhante... Por me surpreender. Em cada gesto eu descubro o quanto estar apaixonado por você é maravilhoso... pena que passamos tanto tempo pra reconhecer né? Mas enfim, nossa busca acabou... porque nossas almas se entenderam... E nos amamos... Essa certeza é o que me faz viver... Obrigado por acreditar que dentro deste legume insensível também bate um coração que te ama.

Por eso yo te quiero tanto que no sé como explicar
Lo que siento
Yo te quiero porque tu dolor es mi dolor
Y no hay dudas



Para encerrar a cerimônia, eles se beijaram com ternura, sob o aplauso de todos que ali estavam.

Yo te quiero con el alma y con el corazón
Te venero
Hoy y siempre gracias yo te doy a ti mi amor



******************

Logo após, todos se dirigiram para o salão principal do castelo. Os parentes trouxas de Hermione ficaram embasbacados com a imponência de Hogwarts. Mas afinal, todo mundo ficava, até o bruxos!

O casal recebeu os cumprimentos dos convidados na entrada do salão, onde a banda já tocava sucessos trouxas e algumas músicas bruxas (as mais discretas).

- Oh, meu Merlin! – Rony exclamou ao ver o irmão – Não vimos você chegar, Carlinhos.

Ele vinha com sua esposa pelo braço.

- Chegamos logo após o início da cerimônia. – respondeu ele. – Eu jamais perderia seu casamento com a Hermione!

- Ah, os votos de vocês foram tão lindos! – Priscila Weasley comentou secando uma lágrima.

- Obrigada... – Hermione respondeu com um sorriso enorme no rosto.

Quando o tumulto ao redor deles passou. A família Weasley inteira veio felicitá-los.

- Ora, ora, Roniquinho... – era Jorge – Finalmente se amarrou heim?

- Pelo menos a mamãe vai parar de encher seus ouvidos... – completou Fred.

- O que significa que somos os únicos Weasley disponíveis meu irmãozinho...

- Tem razão Jorge... Agora as fãs dos cabelos ruivos terão uma menor possibilidade de fazer uma escolha errada...

- Meninos! – Molly se manifestou – Parem já com isso!

- Pelo menos eu não vou mais ficar entre as brigas dos dois – disse Harry solenemente – E isso já é fantástico!

Gui soltou a cintura da esposa e esfregou as mãos.

- Bom... – olhou para os irmãos – Agora?

Carlinhos e os gêmeos se entreolharam com sorrisos marotos e afirmaram com as cabeças.

- O que foi...

Rony tentou perguntar o que estava acontecendo, mas foi interrompido, pois seus irmãos – menos Percy, que os olhava com reprovação – o pegaram nos braços e começaram a jogá-lo para cima.

- Ai meu Deus! – disse Hermione angustiada – Parem, vocês podem deixá-lo cair!

Todos no salão se voltaram para ver. Molly brigava com os filhos enquanto Arthur apenas ria.

- Harry, faça eles pararem! – pediu Hermione.

- Eu? – disse Harry empolgado – De jeito nenhum! Vou me juntar a eles – e o fez.

- Gina...

- Ora, Mione... Não vai acontecer nada... Além do mais, o Roniquinho é forte!

- Minha gente... Eu gosto dele...

Depois de um tempo, que para Hermione pareceu uma eternidade, Rony foi colocado no chão, mas ao invés de estar emburrado, estava ofegante e sorridente.

- Eu adorei esse negócio!

- Rony... – Hermione falou num tom que lembrava o da Srª. Weasley.

- Mas não gostaria de fazer de novo... – completou ele sem graça.

************************

A festa transcorria tranqüila e animada. A comida era farta e a música era do agrado de todos.

Rony e Hermione estavam em momento particularmente “cuty” comendo o bolo, quando a mãe da noiva se aproximou.

- Querida...

- Sim, mãe?

- Meu bem, eu sei do seu esforço para fazer sua festa tão boa para a nossa família, mas você sabe que existem tradições...

- Mãe?

- Ok. Estão perguntando quando vocês vão dançar a valsa.

- Merlin! Esqueci disso!

- Eles querem que a gente dance? – Rony perguntou – A gente pode fazer.

****************************

- Não! Definitivamente não!

- Meu amor... – Rony tentava adular a esposa.

- Vamos Mione! – Gina interveio – É só vestir o personagem...

- Não sei se consigo...

- Você fez a semana passada... – Harry falou antes de colocar uma garfada de bolo na boca. – Eu achei que já estava até adiantada...

- O vestido... – Hermione tentou argumentar.

- A gente dá um jeito... – Gina parecia empolgada. – Aí você pode matar aquela sua prima que disse uma vez que você era sem graça.

Hermione ponderou um pouco.

- Ok. Eu topo!

Alguns minutos depois, Gina foi para o meio do salão e falou algo com os músicos. Depois anunciou que os noivos dançariam.

Rony e Hermione entraram no salão. Ele já sem a capa, somente com uma camisa de mangas largas e a saia do vestido de Hermione já sem tantas camadas e mais curta (posteriormente, foi explicado para a família, que fazia parte do modelo do vestido, mas na verdade, fora obra da varinha de Gina).

O som do acordeon tomou conta do salão. E Rony sorriu para a esposa, que apenas lhe lançou um olhar esnobe. Ele entrou no jogo e piscou sedutoramente para ela.

Por una cabeza
de un noble potrillo
que justo en la raya
afloja al llegar,
y que al regresar
parece decir:
No olvidéis, hermano,
vos sabés, no hay que jugar.


Ela caminhou ao redor dele, que apenas a olhava com desejo. Então ele se pôs de frente para ela e a tomou nos braços. Ela, com graça, deixou-se conduzir no passo básico: quatro passos para trás e um cruzado, depois um passo para o lado.

Por una cabeza,
metejón de un día
de aquella coqueta
y risueña mujer,
que al jurar sonriendo
el amor que está mintiendo,
quema en una hoguera
todo mi querer.


Depois disso eles giraram pelos salão.

Por una cabeza,
todas las locuras.
Su boca que besa,
borra la tristeza,
calma la amargura.


Quando pararam, Rony jogou o corpo dela para o lado, ela foi e voltou, sem tirar os olhos dele. Deslizou sua perna pela do esposo e então fez um, dois, três ganchos, logo após o abraçou por trás, deitando a cabeça no ombro largo.

si ella me olvida
qué importa perderme
mil veces la vida,
para qué vivir.

Rony, então, a trouxe de volta de frente para ele e com vigor caminharam pelo salão.

Cuántos desengaños,
por una cabeza.
Yo jugué mil veces,
no vuelvo a insistir.


Com leveza, Rony a suspendeu no ar. Hermione pousou com graciosidade no chão, porém desequilibrou-se rapidamente, mas ele a manteve firme e a conduziu a desenhar alguns “8” no chão com os pés.

Pero si un mirar
me hiere al pasar,
sus labios de fuego
otra vez quiero besar.


Novamente eles deram vários rodopios pelo salão.
Basta de carreras,
se acabó la timba.
¡Un final reñido
ya no vuelvo a ver!
Pero si algún pingo
llega a ser fija el domingo,


Rony a soltou e ela girou sozinha uma vez. Ele se aproximou dela de novo e a puxou com força pela cintura. Hermione colocou uma mão na nuca dele, que se inclinou para frente fazendo com que ela se jogasse para trás, com as costas arqueadas, segura pelos braços fortes dele no mesmo instante em que a música parou.

yo me juego entero.
¡Qué le voy a hacer..!


Ficaram alguns segundos nessa posição, ofegantes. Aplausos foram ouvidos. O salão estava todo de pé para prestigiá-los. Devagar, ele foi erguendo-a e trazendo-a para seus lábios. Terminaram a coreografia com um beijo apaixonado, cheio de lascívia – como o tango.

- Estou te desejando ardentemente** – cochichou Hermione quando se separaram.

- E eu a você – disse ele apertando a cintura dela.

Chegaram com dificuldade à mesa onde a família, Gina e Harry estavam sorrindo em apoio.

- Que lindo! – Gina aplaudia os dois.

- Obrigada Gina...

- Eu sabia que você ia conseguir, Mione – Harry falou animado – Só falta eu aprender agora...

- Harry, meu amigo – Rony começou – A Mione, pode fazer qualquer coisa, simplesmente porque ela é brilhante! Já você... – e calou-se, pois Gina jogara um docinho nele.

- Fica na sua irmãozinho... Agora a gente tem uma coisa pra contar. – os olhos de Gina brilharam.

- Lembra que você nos deve um pronunciamento solene? – disse Harry.

- Sim – Rony deu de ombros.

- Pois é... estamos cobrando agora ... – Harry continuou. – Bom... er... É melhor você amor...

- Tá – Gina sorriu – Estou grávida!!!!!!

Imediatamente todos começaram a sorrir bobamente. Abraçaram os futuros pais e Molly começou a chorar. Os bruxos no salão comemoravam a notícia. O filho de Harry Potter! Os parentes de Hermione não entenderam muito bem, mas instintivamente sabiam que aquele moreno de olhos verdes era muito importante.

Ainda estavam comemorando, quando Hermione viu que faziam um sinal para ela, perto da porta. Ela caminhou até lá e sorriu para o amigo.

- Olá John! Já vai?

- Sim, deixei o Luke com minha mãe... Preciso buscá-lo. – ele sorriu para ela – Está uma festa linda Hermione... Espero que seja muito feliz!

- Obrigada!

- O Luke está radiante! Ronald é o ídolo dele... Só fala no quanto vocês são perfeitos juntos.

Hermione corou e sorriu.

- Ele é um doce...

- É, meu filho é realmente especial...

- Olha, John... Desculpa se eu...

- Shhhh... Você está radiante... É isso o que importa!

- Obrigada...

Então Hermione sentiu o perfume de Rony se aproximando, virou-se para trás e viu que era ele mesmo. Sorriu para o marido.

- Oi amor... O John queria se despedir...

- Claro – ele estendeu a mão para o homem – Mas ainda está cedo...

- Tenho que buscar meu filho.

- Oh, tudo bem... Eu acredito que ele terá futuro no quadribol...

- Obrigado. Bom, tenho que ir. Ronald, parabéns! Você será muito feliz, com ela ao seu lado... e sei que fará a Hermione muito feliz também.

- Pode ter certeza disso.

John Fontaine saiu e Hermione olhou para Rony com desaprovação.

- Ron!

- Que foi que eu fiz? – perguntou ele inocente.

- Precisava ser tão duro? Ele só estava nos felicitando.

- Ah, Mione! Então porque só chamou você aqui? E vi bem o jeito que ele olhava pra você.

Ela revirou os olhos.

- E ainda bem que aquele búlgaro não pôde vir! – ele completou – Nem o tal do professorzinho de aritmancia...

- Rony, o Vítor está noivo e o Antony está namorando!

- Grande coisa... Eu também já namorei outras garotas mesmo gostando de você...

Ela sorriu para ele e o abraçou.

- Nós dois já passamos por isso. – e o encarou – E não precisa desse ciúme bobo, sabe por quê?

- Por quê? – ele estreitou o abraço.

- Porque quem está aqui comigo hoje é você? Foi a você que eu jurei amor eterno... Hoje é o dia do seu casamento comigo... E nenhum outro nunca vai viver isso.

Ele a levantou no ar e girou no próprio eixo.

- Você é tão perfeita!

- Que foi?

- Só você meu amor... Obrigado por lembrar que também estou casando hoje...

Ela gargalhou.

- Eu tô falando sério... – disse ele com cara de cachorrinho pidão.

- Eu te amo, mesmo sendo dramático...

- E eu te amo, só porque você é brilhante... Mas, sabe, bem que podíamos seguir o exemplo do talzinho... E ir embora, que acha?

- Ron!

- Ah, Mione... – ele ia prostestar.

- Eu acho uma ótima idéia!

Ele sorriu maroto e ela retribuiu.

Já era hora de se despedirem e partirem para uma bela Lua de Mel nas praias brasileiras.

*******************************

*A saber, Massagem Tailandesa é um tipo de massagem na qual o massagista fica completamente nu. Dizem que é ótima hehehe...

**Vi essa fala no filme “O quarteto fantástico e o surfista prateado”. A Mulher Invisível diz isso para o Sr. Fantástico. Eu achei o máximo!

Música da cerimônia: Para Tu Amor (Juanes)
Tango: Por uma cabezza (Carlos Gardel) – Sim, eu amo Tango ^.^

***

*Val Weasley falando*

Pois é… Eu betei o epílogo! E tenho que dizer que foi uma honra. Porque desde que eu descobri essa fic em um dos meus passeios pela Floreios e Borrões procurando alguma fic boa R/H que eu ainda não tivesse lido eu me apaixonei por ela. Sério... Ficava que nem uma mala pedindo atualização e fazia propaganda mesmo, falava muito dela no fórum RH que participo até que surgiu a oportunidade de fazer a análise dela em uma comunidade no Live Journal de análises de fics RH. Fiz a análise da fic e a Lady me propôs a betar o epílogo!

E esse epílogo foi a coisa mais fofa... Eu quero um Rony desses para mim! Urgente! Mesmo! Que despedida de solteiro mais cuty! Que tango! Que casamento! Que votos! E resumindo... Que fic, não? Da até uma certa tristeza saber que acabou, mas eu, por exemplo, posso matar a saudade e ler quando quiser, já que a tenho toda impressa!

Vou ficando por aqui e dizendo um baita de um OBRIGADA à Lady por essa fic maravilhosa!

Besitos a todos!

***

N/A: Pois é... Enfim, o fim.

Agora, que está acabando (sniff, sniff), vou deixar de ser a Lady um pouquinho e falar como Ana Paula (sim, este é meu nome!).

Na minha concepção, epílogos são sempre curtos. Mas eu simplesmente fugi a esta regra e deu no que deu né? Foi tão difícil escrever esse epílogo... Assim como deve ser difícil abandonar um filho kkkkk Pode até ser exagero, mas é complicado saber que uma longa jornada chega ao fim. O que mais pegou na hora de colocar o epílogo no papel, foi aquela vozinha que sempre diz “podia ter saído melhor”... Mas, resolvi que chegou a hora do desmame kkkkkkk

Bem, adoraria deixar um recadinho especial para cada um de vocês, como era no início... Mas são 66 páginas de comentários \o/ O que posso fazer agora é agradecer: Muito, muito, muito obrigada mesmo! Pela força, paciência (muita né? Hehehe...), pela motivação, pelos pedidos de atualização... Por tudo!

Lembro de como eu fiquei receosa em publicar a história. Que na primeira semana só recebi 5 comentários e pensei “ninguém gosta da fic!”, mas agora me sinto vitoriosa, graças ao carinho de vocês! Aqui me diverti muito com alguns comentários, fiquei toda prosa com outros, e até consegui lindas amizades... Esse mundo das fics é maravilho né?

Um agradecimento especial à Val Weasley, que aceitou betar o epílogo!

Agora queria fazer algumas propagandas tá?

1º - Existe um fórum R/H muito bom “Not as a last Resort” e eu recomendo passarem lá viu? Eu já estou ^.^ http://www.alqaenon.org/resort/index.php?sid=ee2471489dea9eae5e3e7bbc30950c09

2º - Minha querida Val Weasley (Beta deste capítulo ^.^) Escreveu uma análise da fic! Pois é... Ficou linda! Faz parte de um site só com análises de fic R/H e eu garanto que são todas muito boas! Passem lá! http://community.livejournal.com/resortrh/1316.html

3ª – Elisa J. Lupin me passou o link de uma fic a qual eu recomendo a todos. Fala sobre um assunto de extrema importância para nós: http://www.floreioseborroes.net/menufic.php?id=20169
Chama-se “World hold on” e a autora é Samara Ridle

E como não podia deixar de ser... Quero dizer que estou viciada nesse negócio de escrever kkkkkkkkk É verdade, já tenho 2 shorts e 3 fics na cabeça, prontas para sair! Fiquem atentos à comunidade do orkut (Sei que estou sumida, mas prometo aparecer mais ^.^), pois deixarei detalhes tá? Ah, a primeira short (R/H) está bem perto de vir!

Comunidade da fic: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=30367718

Perfil da Lady: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=12219372102736562391

E pra finalizar, eu tentei pegar o nome de todas as pessoas que comentaram, desde o primeiro capítulo. Infelizmente não foi possível, pois descobri que a F&B apaga os nomes dos posts mais antigos =[

De toda forma um beijo especial em cada uma das pessoas que comentaram. Se seu nome não está na lista, não fica triste. Pode ter certeza que sua presença aqui fez uma grande diferença para mim tá?


' Nanninha Weasley; - natinha weasley; #Belle Sarmanho#; **Pri**; **Robertinha**; *Amanda Potter Grint*®; *Ginny Weasley*; -=¢ä®£!ñ|-|@=-; A Ruiva Potter♥♥♥; Adi R Potter; Akasha; Ald Black; Alexandre Wilcox; Alice Potter; Amanda Alves Silva; Amanda Morais; Amanda Regina Magatti; Amy Lee; ana carol; Ana Carolina Guimaraes; Ana Carolina Marvila; Ana Fuchs; Ana L. Weasley; Ana Potter; Ana Teles; andressa domingues; Ann Ross; Ara Potter;; Ariane Rodsrigues; Ariele Caroline; Audrey Raphaella; Bárbara Mattos; Bella Hacke; Binha_bst; Brebs; bruna carmo; Bruna Perazolo; Bruna Poli; Bruno Rodrigues dos Reis; camila nyuri ; Carol Cardilli; Carol Weasley!; Carolina Villela Good God; CaRoLzInHa_Potter; Catia Bell; Catuncha; Ceh_Mota; ; Cindy Nolte; Cintia Kalinowski; Clara Meira Moraes; Dani_Potter; Daniela Ferron Carneiro; Deby; Dessuxa; deya-amy_loka; Dibiela; Edn; Elisa J. Lupin; Emi_Mione; Emilly Carvalho; Expert2001; Fefa!; Felipe Vieira; Fernanda Black; Flávia - psY; Flavinha Weasley; Gabih!* P.B.; Gabriel Rocha; Gina W.Potter; Ginny Weasley Potter; Giselle Viana Lima; Hannah Lú; Helenira Nina Lopes Barroca; Hellen Silva Soares Vaz; Hellzita; Henrique Malfoy; Henrique Malfoy; Isa Potter; Isabela C; Izaura; Jaqueline Santos Do Nascimento; Jeann Potter; Jéssica Holanda de Castro; Jessika Láine Mendonça Batista; Joy_; Jujubalândia; Kacau_hpmaluk; Kammy Lupin; Karol Malfoy; karyna; Kekinha Malfoy; L.Käfer; Larissa Manhães; Larissiiinha Potter; Letícia M. Klein; Lica Martins; Lisa Evans; Lisandra; Lívia Sardo; Lóide Eunice Sacramento; Lorena Alves Gorito; Lorraine; luana karen de almeida; Luisão; lunny lupin ; Luuh ;P; Male Radcliffe; Manu Riddle; Marcele Bezerra; Mari Granger; Mari Macedo; Marina Lestrange; Marina***; Mayana Sodré; Mel Malfoy; Michelle Granger; Mila Feitosa; MiLiNhA pOtTer; Milleena; Mione_Love_Granger; Mrs Evans; Myrthes; Nanda Radcliffe; Nandagina; nathalia falasz somenzari; Nathalia Granger Weasley; Nick; Nina.Potter; Olívia Mirisola; Patoloko; Patricia Ribeiro; Paula Eliza Granger; Paulinha Potter; Priscila Louredo; Raissa; Raiza Prince; Remaria; Renata Freire; Renata Martins; renato pontes do amaral; Rhaissa Black; Sally Owens; Sâmya Carvalho; Sra. Gabriela Felton; Srtª Granger; Srtáh Míííhh; Stefanie; Sueniaaraujo; taciana weasley; Tammie; Tata Lima; Tattyy Potter ( Agora e para sempre ); Thiago Florencio; Uanda ElvePotter; Val Weasley; wellington dias burgos; Wellington Potter; ღ Nath Black ღ


Beijos, beijos...
Amo todos vocês!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ananda Honorato em 06/02/2013
Relendo...
Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 02/10/2011

Lindo nossa acho que foi uma das melhores fic que eu já li na vida *---------------------------* Perfeiiito e Parabens! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.