FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. ~*Encontro no Beco Diagonal*~


Fic: O Acordo


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 2:Encontro no Beco Diagonal



Hermione dormia a sono solto.Sorria de orelha a orelha,pois estava tendo um sonho realmente maravilhoso.Com aquele garoto.


Desde o início do verão a garota estava tendo sonhos com ele,nunca entendia o porquê,nem como;só sabia que amava sonhar com ele.Mesmo não tendo enxergado o rosto do garoto em nenhum de seus sonhos,parecia-lhe que ele era estranhamente familiar,só que ela,por mais que tentasse se lembrar,não conseguia deduzir de onde conhecia-o.Talvez fosse de Hogwarts,mas ela não tinha certeza de mais nada ultimamente.E neste exato momento,enquanto adormecida,sonhava com ele.


,b>Flashback:


Hermione estava sentada,escorada à uma árvore,na beira do Lago Negro,em Hogwarts.Admirava as misteriosas profundezas do lago,contemplando um lindo pôr-do-sol.

-Uma rosa por seus pensamentos.-sussurrou alguém em seu ouvido.

Ela abriu um largo sorriso,reconhecendo de quem era a voz.Virou-se para trás,e pegando a rosa branca que havia na mão do rapaz,disse:

-Eu estava pensando,em que quando esta guerra acabar,dependendo ou não do que vai acontecer,que nada será como antes.


-Não se preocupe,tudo acabará bem,eu prometo à você.E se algo mudar,pode ter certeza que será para melhor.-disse ele,carinhosamente,enquanto sentava-se ao lado da garota abraçando-a.

-Você jura?-perguntou ela.

-Juro.E também juro que não vou deixar nada de ruim te acontecer.-respondeu ele e,então,sorriu maroto e disse:

-Mas você também vai ter de me prometer uma coisa.

-Posso saber o que esta mente diabólica está pensando?-perguntou ela,num tom divertido e desconfiado ao mesmo tempo.

-Calma.Você acha que eu só penso besteira,é?-perguntou ele,fazendo-se de ofendido.Ela assentiu,rindo da cara dele.

-Tá,na maioria das vezes eu penso besteira.-admitiu ele,a contragosto,fazendo ela rir ainda mais.-Mas dessa vez eu juro que não é.


-Então o que é?-perguntou ela-Fala!

-Me prometa que quando esta guerra acabar,será a próxima Senhora Malfoy.-propôs ele,olhando fixamente nos olhos de Hermione.

-Você está querendo dizer o que eu estou pensando?-perguntou ela,com os olhos arregalados para o loiro à sua frente.Ele se ajoelhou em frente à garota.

-É isso mesmo.Hermione Jane Granger,aceita casar-se comigo depois que a Guerra acabar?-perguntou ele.

-Draco Malfoy,você não presta.-respondeu a garota após algum tempo,fingindo estar brava,ele sempre acreditava.

-Por quê?-perguntou ele surpreso e confuso ao mesmo tempo pela resposta.

-Por que cisma em fazer perguntas se já sabe a resposta?!-perguntou ela,com um meio sorriso.

-Isso quer dizer que...?-perguntou ele,esperançoso.

-É claro que eu aceito,seu bobo!-exclamou ela,sorrindo de orelha a orelha,assim como ele,após a resposta.

-Eu sempre soube que você nunca resistiria ao meu charme.-falou ele,divertido.

-Te odeio.-falou ela mostrando a língua para ele,como se fosse uma criança de 5 anos de idade.

-Também te amo,minha linda.-respondeu ele,rindo,e dando um selinho nela.

-Bobo.-falou ela.

-Chata.-ele respondeu.

-Feio.-falou ela.

-Linda.-ele respondeu.

Ela riu,acompanhada por ele.Seus rostos foram se aproximando cada vez mais.Estavam quase se beijando...

Fim do Flashback



-NÃOOO!-Gritou Hermione,assustada.Nunca em seus sonhos havia enxergado o rosto dele,mas agora,se arrependia amargamente de tê-lo o feito.Não acreditava que o rapaz lindo,doce e gentil com quem tanto sonhara por meses,era ninguém mais ninguém menos que a Doninha Saltitante,Draco Malfoy.



**********************************************************************



Draco dormia como um anjo.Ele estava sonhando com ela,então estava bem.


Fazia algum tempo que os contínuos pesadelos de Draco sobre torturas,mortes,e até mesmo do dia em que quase virara um Comensal da Morte,haviam sido substituídos por maravilhosos sonhos com uma garota de rosto difuso.Ela, em todos os sonhos que o rapaz tivera com ela,nunca vira seu rosto.Mas mesmo assim,tinha a sensação de conhecê-la.Só que ele não recordava de onde.


Talvez fosse de Hogwarts,porque a maioria dos sonhos se passava na escola de Magia e Bruxaria.Draco sorriu.Estava ingressando em mais um de seus sonhos com a linda castanha misteriosa.


Flashback


Draco corria pelos corredores de Hogwarts no encalço da castanha.


-Mione,por favor,devolve a minha agenda,nós vamos acabar nos atrasando.-pediu ele,sem fôlego de tanto correr.

-Venha pegar.-disse ela com um sorriso divertido e acelerando a corrida.

Draco enfim alcançou-a,a prensando na parede e encarando-a.

-O que aconteceu com a Sabe-Tudo-Que-Detesta-Se-Atrasar Hermione Granger?-perguntou ele,com as sombrancelhas arqueadas.

-Simples.Começou a namorar com Draco Malfoy.-a garota respondeu,rindo.

-Ah,é?!Sua...-e começou a fazer cosquinhas nela.

Suas forças se esgotaram,o garoto se aproximou,e quando estava prestes à beijá-la seu rosto foi se tornando cada vez menos difuso,até que ficou totalmente nítido....

Fim do Flashback


-PQP!!!!!!!!-disse Draco apavorado.Nem todo o treinamento que recebera para controlar suas emoções o preparariam para aquilo.Acabara de reconhecer a quem pertenciam tão belos olhos castanhos.Hermione Granger.

“Não,não pode ser!Eu só posso estar chapado.A Sangue-Ruim da Granger-Molares-Compridos não!É,aquele incompetente daquele elfo doméstico só pode ter trocado o meu suco de abóbora normal,com o suco de abóbora amansa-louco da minha mãe.Só pode ser !Mas não é que,pelo menos no meu sonho,a Granger tava gata...Que que é isso Draco Malfoy?Tá pensando o quê,meu filho?Achar a idiota da Sangue-Ruim gata só pode ser sinal de loucura!Pois eu vou acabar ficando louco mesmo,se continuar discutindo comigo mesmo!Pronto.Parei!Mas que merda(n/a:desculpem a expressão)!

-Ah,eu vou tomar um banho.-disse o loiro em voz alta.

Um banho era certamente o que ele precisava,para recuperar-se melhor do choque.Ficou um tempo no box do banheiro,deixando a água correr livremente por sua cabeça.

“Mas que a Granger tava gata,isso tava...”


**********************************************************************


Na manhã seguinte,Hermione acordou muito bem-humorada,sem nem mesmo saber por quê.Ela ainda não havia se lembrado do sonho que tivera na noite passada.Tomou um banho,colocou uma regata branca,bem delicada,e uma calça jeans de cor escura acompanhada de um par de sandálias de bico fino brancas.Estava linda.

O motivo de Hermione estar tão bem-humorada era que hoje ela iria ao Beco Diagonal,e provavelmente encontraria Harry e Rony também,se os dois comparecessem no horário marcado.Ela estava morrendo de saudades dos dois,principalmente de Harry.

Hermione ainda não voltara atrás com sua promessa,estava determinada.

Não iria mais implorar pela atenção de Harry,estava decidida a esquecê-lo.

A garota terminou de se arrumar,passou perfume e desceu para o café da manhã.

-Bom dia!-desejou a garota,sorridente.E sentou-se à mesa,servindo-se de suco.

-Hum.Parece que alguém aqui sonhou com um passarinho verde...-comentou a mãe de Hermione,divertida.

Hermione congelou.Todo o sonho passou por sua mente como em uma amostra de slides.Tal foi sua distração que derramou o resto de suco do seu copo em cima de sua blusa branca.

-O que foi,querida?-perguntou a mãe,curiosa.

-N-nada mamãe.É nada,não aconteceu nada.É,absolutamente nada.-respondeu Hermione,sem muita convicção.E subiu as escadas correndo,quase atropelando os degraus ao que subia num repelão.

-Ai,mas que droga!-praguejou a castanha alto quando bateu o pé no pé da cama.

“Ai,que que está acontecendo comigo?Sonhando com o Malfoy?Eca!Meu subconsciente só pode estar bêbado ou chapado para me aprontar uma dessas!Tinha que ser ele?!Logo a Barbie Malibu tinha que ser,literalmente,o garoto dos meus sonhos?”

Mas afinal,ela não tinha o porquê de dar a mínima importância à esse sonho.Tinha?Não,claro que não tinha.Era um completo absurdo!Ela e Malfoy?Nunca!E afinal,ela também não tinha de ficar nem um pouco perturbada com aquele sonho,não?Porque fora exatamente isso.Um sonho.

“Um sonho estranho,nojento,e perturbador,talvez...Mas apenas um mero sonho...”

Certo?

A castanha resolveu tomar um banho rápido,para esfriar a cabeça e tirar o cheiro de suco de laranja do corpo.

“Não,sonho não.Um sonho com o Diabo Albino do Malfoy só podia ser um pesadelo...isso sim...”-pensou a castanha,enquanto deixava a água correr silenciosamente por seu corpo.
**********************************************************************


Draco,após o “susto”,arrumou-se e desceu para tomar seu café da manhã.

-Bom dia mãe.-falou Draco,dando um beijo na face da mãe.


Após a prisão de Lúcio Malfoy,Narcisa e Draco haviam ficado mais unidos.

-Você vai ao Beco Diagonal hoje,querido?-perguntou a mãe.

-Sim,as aulas começam daqui a uma semana.-respondeu o loiro,sentando-se à mesa da sala de jantar.

-Nem acredito que o meu bebê já vai se formar!-falou a mãe,emocionada como toda mãe ao ver que seu filho cresceu tão “rápido”.

-Mãe,menos,por favor.-pediu Draco,meio constrangido.Ele se sentia desconfortável quando a mãe fazia isso.

-Desculpe,querido.Não conseguí evitar.É que tudo passou tão rápido!-explicou a mãe,recompondo-se.

-Só para você.-resmungou o garoto,em dúvida se a mãe teria escutado ou não.
-Parece que foi ontem que eu e seu pai levamos você àquela plataforma.Você sempre foi tão independente!E olhe só para você agora.Com 17 anos!Um homem lindo e independente!-recomeçou a mãe,já com lágrimas nos olhos.

-Mãe,a senhora está fazendo de novo.-alertou o garoto,desconfortável,já sentindo o calor subir-lhe pelo pescoço.


Hermione,após algum tempo debaixo do chuveiro,saiu do banho enrolando-se em uma toalha rosa e dirigindo-se à seu quarto.

O pensamento feliz de que logo iria rever Harry e Ron retornou à sua mente e a perturbação que ela sentia ao lembrar-se do sonho,ou melhor,pesadelo com Malfoy diminuíra um pouco,substituída por um sentimento de ansiedade em rever seus amigos.Por mais que estivesse decidida à esquecer Harry,a garota ainda sentia uma afeição tão profunda pelo rapaz que não tinha como negar que a garota ainda precisava vê-lo daquele jeito,uma última vez.A garota sentia-se um pouco culpada por isso.Mas ela precisava daquilo.Uma última vez contemplaria aquelas íris verdes de um jeito especial.E olhar não tirava pedaço,não é mesmo?

Dessa vez a garota optou por um vestido branco godê,com grandes estampas de rosa na saia do vestido,e com algumas rosinhas bordadas,no busto.Secou o cabelo com o secador,colocou um outro par de sandálias,também brancas,e desceu para tomar um café decente,já que sua primeira “tentiva” havia sido interrompida.

No primeiro instante em que a garota sentou-se à mesa sua mãe a encarou com um olhar inquisidor.

-Que foi,mamãe?-perguntou a garota,”inocentemente”.

-Pode ir falando,Hermione.-disse a bela senhora.

-O quê,mamãe?-perguntou a garota novamente,tentando se fazer de desentendida.

-Você não me engana com essa cara,mocinha.Pensa que não escutei você chorando noite passada e em todas as noites desse verão?Sem falar no seu comportamento.O que foi aquela cena de manhã cedo?Eu quero saber o que está havendo,querida.O que aconteceu com você?-perguntou a mãe ternamente,com uma certa tristeza em seus olhos castanhos,iguais aos da filha.A Sra.Granger detestava ver sua filha daquela maneira.

-Mãe,não é nada,sério...Estou bem.-mentiu a garota,mas antes que se levantasse,a Sra. Granger a interrompeu:

-Hermione Jane.-disse a mãe apenas,em um tom mandão muito semelhante ao que Hermione usava algumas vezes.-Sente-se-ordenou a mãe.

“Pronto,pensou Hermione,agora estou ferrada!”

Sempre que a mãe a chamava assim,mesmo que não demonstrasse estar brava,era um sinal de extremo perigo.E pelo olhar de secar mandrágora com que a jovem senhora agora lhe lançava,dava para ver que ela estava furiosa.

A garota obedeceu,e esperou a “avalanche” chegar.

Para a sua surpresa,a Sra.Granger,em vez de começar à dar-lhe uma bronca,a olhou com uma expressão de preocupação no rosto e enfim disse:

-Minha filha,você nunca escondeu nada de mim.Lembra da promessa que fizemos,de nunca guardar segredos uma da outra?Pois então minha filha,você pode ter certeza de que o que quer que seja que você me conte,não sairá desta cozinha.

-Eu sei,mamãe.-murmurou a garota,constrangida.-É que é...

-Complicado?-completou a mulher,e Hermione assentiu com a cabeça.-Bom,querida,eu sou casada com seu pai há 18 anos e sou mãe de uma adolescente,que ainda por cima,é uma bruxa.Você acha que eu não vou conseguir te entender?-perguntou a mãe sorrindo,fazendo a garota sorrir também e,se possível,ainda mais constrangida.

A garota viu que não tinha saída e então começou:

-Bom mamãe,se lembra quando eu te falei,quando eu estava prestes à começar o meu 3º ano em Hogwarts,que eu achava que estava apaixonada pelo meu amigo Rony?-a Sra.Granger assentiu e então a garota continuou-Bom,quando eu estava no 5º ano eu percebi que não era dele que eu gostava e sim do...

-Harry?-perguntou a Sra.Granger.

A garota a olhou surpresa.

-Minha filha,estava tão óbvio.Mas por que você me escondeu isso por quase 2 anos?-perguntou ela.

-Eu estava muito confusa,mamãe.E daí,com tudo o que aconteceu depois,achei que não era muito importante.

-Filha,nada para mim é mais importante do que a sua felicidade!-disse a mãe.-Mas,por favor,querida,continue a sua história.

-Bom,é...era do Harry que eu gostava sim-admitiu a garota-e para falar a verdade,acho que eu ainda gosto.Mas como ele nunca me notou,estou determinada à esquecê-lo-disse a garota,com a voz um pouco mais forte agora.

-Querida,mas como ele nunca a notou?Você é tão linda minha filha!-falou a mãe carinhosamente.

-Sabe o que é,mãe,é que na noite que eu decidi contar à ele o que eu sentia,no quinto ano,ele apareceu falando que acabara de dar o seu primeiro beijo na Cho Chang.-respondeu a garota,triste.-Daí,no final do quinto ano,quando eles se afastaram,eu senti um fiozinho de esperança.Esperança que acabou quando ele começou a namorar a Gina.Cho e Gina sempre foram tão populares,lindas e todos os garotos beijam o chão onde elas pisam.O que o Harry iria querer com a melhor amiga CDF,feia,traça-livros,nenhum pouco popular,Hermione Granger?!-concluiu a garota,quando uma lágrima solitária de tristeza rolou por sua face.

-Minha filha,por acaso essas garotas têm pelo menos 1/3 da sua doçuraou da sua coragem,ou da sua inteligência?-perguntou a mãe.

-Bom...não-admitiu Mione,corando.

-E minha filha,quem foi que te falou que você é feia?-perguntou a mãe novamente.

-Bem...ninguém,mas dá para perceber pelo jeito que as pessoas me olham-disse a garota,amarguradamente.

-Já passou por acaso nessa sua cabecinha brilhante que podem ser olhares de inveja,despeito,ciúmes e admiração?

-Bom...não-admitiu Hermione novamente,corando mais ainda.

-Pois pode apostar que é isso minha querida.-disse a Sra.Granger.-E quanto à esse Harry,minha querida,só tenho um conselho para lhe dar.

-Qual,mamãe?-perguntou a garota.

-Nunca chore por quem não choraria por você.-sentenciou ela,simplesmente.

Hermione sentiu-se muito aliviada,conversando com sua mãe,e também porque não precisara falar de seus “sonhos”.Mas quando já estava se preparando para sair...

-Espere um minuto,mocinha.Eu aprecio profundamente que você tenha me contado tudo isso,mas acho que não foi por causa disso que você se comportou estranhamente no café da manhã.Tem mais alguma coisa a perturbando?-perguntou a mãe,analisando o semblante cada vez mais pálido de sua filha.

As entranhas da garota reviraram de susto,vergonha e desespero.Teria de contar à sua mãe sobre os “sonhos”.

-Mamãe,você não acha que eu vou acabar me atrasando para...-Mas a garota acabou se calando ao ver o olhar de sua mãe.

-Hermione Jane Granger,você começou a me contar e agora terá de ir até o fim!-exclamou a mãe.

-Bom,mamãe...-começou a garota,vendo que não tinha outra saída-É que eu ando tendo esses “sonhos”...
-Hum,e como são esses “sonhos”?-perguntou a mãe.

-Com um garoto.-murmurou a garota,envergonhada.

-Muito bem.-disse a Sra.Granger,decidida a manter uma face inexpressiva para não rir da cara de constranginmento de sua filha-E o que acontece nesses sonhos?-perguntou.

-Bom...nesses sonhos eu e ele estamos muito felizes juntos...namorando.-a última palavra a garota disse quase num mexer de lábios.

-E por que motivo esses sonhos fizeram você se comportar tão estranhamente ao café da manhã?-perguntou a mãe.

-Nos sonhos eu nunca via o rosto dele,mas nesse...

-Você viu o rosto do rapaz?-perguntou a mãe novamente,perspicaz.A garota assentiu.-Muito bem,e quem era o tal rapaz misterioso para te deixar tão assustada?Você o conhece,por acaso?-perguntou a Sra.Granger.

-Sim.-confirmou a garota.

-E...?

-Era Draco Malfoy.-falou a garota.Mas ela disse tão baixo que a Sra.Granger não conseguiu escutar.

-Como?Eu não escutei,querida.

Hermione parecia estar usando todas as suas forças para repetir.Mas acabou dizendo num repelão,com a voz esganiçada:

-Era Draco Malfoy!

-Draco...?-repetiu a Sra.Granger,mas então,o entendimento tomou conta de sua face.-Mas esse não é...-começou a mãe,mas Hermione a interrompeu.Tinha começado,agora iria até o fim.

-O garoto que transformou a minha vida em Hogwarts no inferno toda vez que abria a boca?-completou ela-É ele sim!Aquele sonserino arrogante,prepotente que se acha superior à tudo e à todos!E eu aqui,perdendo o meu precioso tempo tendo sonhos românticos com ele!Justo com ele!Por quê?!Pelas Barbas de Merlin!-a garota parecia realmente desesperada.

-Ah,minha querida!-exclamou a Sra.Granger,compreensiva,pulando da cadeira onde estava sentada para abraçar a filha.-Não fique assim,meu anjo.Tudo vai ficar bem.Como você mesma disse,foram apenas sonhos,não?!

-Sonhos não,pesadelos!-exclamou a garota,bufando.A Sra.Granger sorriu e disse:

-Bom,agora vá lavar o rosto para se acalmar,pois você tem que ir comprar o seu material escolar.

-Foi muito bom falar com você,mamãe.-disse a garota.

-Pra mim também.-afirmou a Sra.Granger,sorrindo.-Você pode contar comigo sempre que precisar,minha filha.

-A senhora sabia que eu te amo muito?!-perguntou a garota.

-É,eu sei.-disse a mãe,sorrindo e piscando para Hermione.-Agora,vá se arrumar logo!

-‘Tá bom,mamãe!-disse a garota.


Draco,após o café da manhã,resolveu jogar um pouco de Quadribol nas propriedades da mansão.


Pela amplitude dos domínios da Família Malfoy,ele nem precisava se preocupar com o caso de,eventualmente,uma goles ou alguma das outras bolas usadas no esporte acabarem indo parar no povoado trouxa à algumas milhas dali.

Após umas duas horas,o garoto voltou,exausto,para dentro da mansão.Fazia muito tempo que não tinha disposição e nem humor para o Quadribol.Até sua mãe deve ter reparado nisso,porque logo após o garoto sentar-se junto à ela,que estava lendo um livro,disse:

-Tomou um café da manhã saudável e sem chocolate...jogou Quadribol por mais de duas horas...-comentou,listando nos dedos-Quem é você e o que fizeram ao meu filho?-perguntou sorrindo.

Draco riu,e disse:

-Nada mãe...só levantei bem disposto.Só isso-disse,servindo-se de um copo de suco de abóbora.

-Draco Malfoy,eu conheço muito bem,pois não sei se você sabe,mas eu sou sua mãe.-disse ela,um pouco irritada porque aparentemente seu filho não confiava nela.-Anda sonhando com alguma garota,por acaso?-pergunto a mãe,perspicaz.

Draco engasgou.

-C-Como assim,mamãe?-perguntou ele.Será que sua mãe sabia de alguma coisa?

-Quem é ela,Draco?-perguntou Narcisa,sorrindo.

-Como você sabe...?Quero dizer,como você sabe se tem alguém ou não?-perguntou o garoto,nervoso,sem nem ao menos saber o porquê.

-Filho,não é preciso usar Legilimência para saber que algo ou alguém está te perturbando.E,se eu te conheço bem,do sexo feminino,não é?!


Por isso e muito mais que Draco às vezes tinha quase certeza que sua mãe era legilimente.

Vendo que não iria conseguir escapar dessa,ele começou:

-Bom,não é exatamente uma garota,é uns sonhos qe ando tendo desde o início das férias...-disse ele,constrangido.

-E...?-incentivou-o a mãe.

-E que,por acaso,incluem uma garota.-disse o rapaz,e,ao enfatizar bem o “por acaso”,fez sua mãe sorrir.

-Hum...continue Draco.-pediu Narcisa.

-Mãe.eu realmente preciso...?-mas calou-se imediatamente ao ver o olhar da senhora loira à sua frente.

-Draco Malfoy!-ela exclamou,repreendendo-o.

-Ok,ok...-suspirou o garoto,derrotado.


-Bom... -continuou o garoto-Nesses sonhos eu nunca via o rosto dela,mas sempre a achei extremamente familiar.Mas,na noite passada,para o meu total desgosto,eu ví.

-Hum... Então significa que você conhece a garota?-perguntou a Sra.Malfoy.

-Sim ,respondeu o garoto ,de má vontade.

-E quem é?-perguntou a mãe,impaciente.

-Hermione Granger.-respondeu o garoto num murmúrio.

Mas Narcisa ouviu.

-Ah!Agora estou começando a entender o que está te abalando .-afirmou ela,finalmente compreendendo o comportamento estranho do filho.

-Me abalando?Francamente,mamãe!A senhora realmente acha que uma garota ,ainda mais uma Sangue-Ruim,poderia me abalar?-desdenhou o garoto.

-Draco Malfoy,eu conheci você nove meses antes que qualquer outra pessoa,você saiu de mim,sou sua mãe,e como sua mãe,acho que sei quando meu filho está abalado ou não!-ela exclamou,censurado-o.

-Ok,eu posso estar um pouco abalado.-admitiu o loiro,de má vontade--Muito pouco,se quer saber.Mas deve ser apenas porque isso nunca me aconteceu antes!Não existe nada com o que se preocupar!-afirmou o rapaz.

-Tem certeza de que não há nada mais?-perguntou a mãe.

-Mãe,sério!

-Mas,querido,você tem certeza de que essa garota realmente não significa nada para você?-insistiu a mãe.

-Ah,mãe,por favor!A idiota da Granger não passa de uma sangue-ruim imbecil!Bom,e chega de interrogatório,ok?!Eu já ‘tô atrasado para ir ao Beco Diagonal.-disse o garoto dando um beijo na testa de sua mãe e subindo as escasas.Mas quando Draco já havia desaparecido de seu campo de visão,Narcisa disse baixinho,para si mesma,sorrindo:

-Isso não responde a minha pergunta.

Algo dizia à ela que iria ser um ano e tanto.

*******************************************
Hermione,após se arrumar(outra vez)e se despedir de sua mãe,aparatou direto para a sorveteria Florean Fortescue,onde combinara de se encontrar com Rony e Harry.

Ao lembrar de Harry seu estômago deu uma pequena cambalhota.

A garota então avistou uma cabeleira ruiva e outra preta,do lado oposto ao que ela estava.Era isso.A última vez que veria Harry daquele jeito,não falharia com sua promessa;dessa vez era pra valer.Respirou fundo,ignorando as borboletas que agora tomavam seu estômago e marchou lentamente até os garotos.Quando chegou lá e cutucou o ombro de Ron,porém,algo muito estranho aconteceu.Harry,que estava de frente para a garota,franziu a testa e perguntou:

-Desculpe moça,mas a senhorita está precisando de algo?

Hermione,incrédula,perguntou:

-Você ‘tá de brincadeira comigo,né Harry?

Então Rony entrou na conversa:

-Desculpe,mas nós nos conhecemos de algum lugar?Você me parece familiar,mas não consigo me lembrar de onde.

Hermione não conseguia acreditar.Será que seus melhores amigos não estavam reconhecendo-a?Ou era alguma mais uma de suas brincadeiras?A garota,optando pela segunda hipótese,respondeu,sarcasticamente:

-Ah,sabe o que é,né?!Tipo,vocês nem devem lembrar de mim.A gente só se conhece desde os 11 anos de idade,passamos aventuras inimagináveis juntos,e passamos as férias juntos desde o 4º ano.No caso de vocês ainda não se lembrarem,meu nome é Hermione Granger e nós marcamos de nos encontrar aqui.

Os garotos à olharam embasbacados.

-Mione,é você mesma?!-perguntou Rony,incrédulo.

-Não,Roniquinho,sou um clone!-respondeu Hermione.

-É Rony,é a Hermione mesmo.-concluiu Harry rindo e levando um tapa da amiga no braço.

Mas embora Harry estivesse rindo por fora,estava realmente surpreso por dentro.Hermione estava mudada.Não era à toa que eles não haviam havia reconhecido-a.A garota estava absolutamente linda.Como Harry nunca havia notado-a antes?

O garoto foi trazido novamente à realiade pela voz da garota à sua frente:

-E aí,quais são as novidades?-perguntou a garoto sentando-se no meio dos dois.Rony foi quem começou à falar.

-Bom,Mione,eu estou namorando!- o garoto parecia estar se segurando há algum tempo para contar a novidade.Hermione deu um de seus típicos berros histéricos de alegria(que atraiu os olhares de todos no estabelecimento)e abraçou o amigo,enchendo-o de beijos.

-Ahh!Eu não acredito!Isso é maravilhoso!Quem é ela?Ela é de Hogwarts?É bonita?Como foi que vocês dois se conheceram?Como...?


O ruivo a interrompeu e então disse:

-Calma,Mione!Me deixa respirar um pouco,está parecendo a minha mãe quando soube da notícia!

Hermione fechou a cara,e então disse:

-A sua sorte,Ronald Billius Weasley,é que como estava morrendo de saudades suas eu não estou brava como deveria por você não ter me contado antes!-exclamou a garota.

O ruivo,sentindo o perigo da situação,se apressou e disse:

-Ok,Mione!Sem brigas,certo? -perguntou ele.

-Ok,sem brigas!-concordou Hermione-Mas quem é ela?-perguntou a castanha,curiosa.

-Luna Lovegood-respondeu Rony.

Ahh!!!-gritou a garota e abraçou Ron aos pulos.Após algum tempo,Harry disse:


-Mione,acho que você já está sufocando o Ron.

-Oh!-exclamou a garota,constrangida,soltando o ruivo,que soltou um suspiro de agradecimento à Harry.-Me desculpe,Rony-disse ela.

-Não tem problema,baixinha.-disse Ron rindo,mas logo soltou um “ai”,por causa do soco no ombro que levou da garota logo em seguida.Harry,que riu também,acabou levando um dos “leves” socos da melhor amiga.

-Mas,Mione,eu tenho uma perguntinha pra te fazer.-disse Ron

-Pergunte então-respondeu a castanha,desconfiada e curiosa.

-O que é um clone?-perguntou o garoto,confuso.

Hermione riu,e então disse:

-Ron,você não tem idéia de como eu sentí sua falta!De vocês dois,aliás.-disse ela rindo ainda mais e abraçando os seus amigos.Aquele seria um longo dia...


Draco,após tomar banho e ser arrumar,seguiu aparatando para o Beco Diagonal.


Enquanto isso,Hermione conversava animadamente sobre suas férias com Rony e Harry.

Na verdade,só com Rony mesmo,pois Harry estava calado,parecendo absorver cada palavra que a garota dizia,encarando-a.

Mas só parecia mesmo,pois Harry,na realidade estava absorvendo cada traço de mudança do no rosto da amiga.O rapaz simplesmente não conseguia acreditar em quão formidável Hermione estava.

Ela parecia transmitir uma delicadeza sobrenatural e cada movimento seu parecia hipnotizar.

Harry sempre soube que Hermione tinha um sentimento mais forte com relação à ele,mas não sabia realmente como agir ou o que dizer à ela.Ele nutria por ela apenas um forte amor fraternal..E nunca pensou em ter algo mais com ela.Pelo menos,não até aquele momento.

Ele unca achara Hermione feia,mas em contra-balanço,ela não tinha certamente “aquilo” que os adolescentes procuravam,e,por isso,nunca quis ter nada além.

Na opinião dele,no sentido de ela não ter “aquilo” que os adolescentes de sua idade procuravam,Hermione continuava a mesma.Mas a razão para isso parecia ter mudado,pelo menos para ele.Ela agora não era mais uma adolescente,era uma mulher,uma deusa,e por isso estava muito acima de meros rapazinhos mortais.
E esse era o tipo de garota que Harry gostava.

“Hermione-pensou ele,sorrindo-você será uma ótima diversão”




Draco,ao chegar ao Beco Diagonal,decidiu ir primeiro ao Boticário comprar um novo Kit de Poções.Mas ao entrar na loja,arrependeu-se amargamente.Dera de cara com o seu maior pesadelo.A horripilante e,felizmente única,Pansy Parkinson.O garoto tentou sair da loja silenciosamente para que ela,que estava de costas para a entrada,o visse.Mas já era tarde demais.

-Drakki!!-gritou uma voz fina,esganiçada e pra lá de irritante,na opinião de Draco.-Tenho taaanta coisa pra te contar!

-Oi Pansy.-murmurou Draco,desanimado.Mas a garota ou não notou ou não se importava e o ignorava por completo,pois “continuava falando”-pensou Draco,amargamente.

A garota o arrastou para cada loja de roupas femininas do Beco Diagonal.Desde lojas mais comuns como Madame Malkin-Roupas para todas as ocasiões e Trapobelo Moda Mágica,até as mais exlusivas como Talhejusto e Janota,e outras cujos nomes Draco não conseguia pronunciar.


Mesmo sendo verão as nuvens começaram à dar indícios de chuva.Dito e feito.Não demorou muito e logo uma chuvinha fina e inofensiva começou à cair sobre eles.Pansy ficou horrorizada.

-Ai,Draco!Minha Poção Alisadora vai se desmanchar!-guinchou ela.

Draco teve muita vontade de dizer aonde Pansy devia enfiar a tal Poção Alisadora,mas se conteve,em vez disso,respondeu:

-Ok,Pansy,então,para onde você gostaria de ir?-perguntou Draco,entre dentes.Ele não iria permanecer paciente por muito mais tempo.

-Bom,tem um lugar aqui no Beco Diagonal,que está super in agora,chamado Fabulous Witch.Está no top dos spots mais hots do Beco Diagonal,segundo o Semanário das Bruxas!-esganiçou ela,animada.

-Então vamos lá,querida.-enfatizou Draco,cinicamente.Mas,mais uma vez ela não entendeu ou não se importou com o cinismo do rapaz,pois logo disse:

-Bom,Draky,já que você insiste..-e sorriu para ele como uma cascavel pronta para abocanhar sua presa.Ou pelo menos era assim que Draco se sentia.-Vamos!-e arrastou o garoto pelo braço aos pulos.
*********************************************


Harry,Rony e Hermione decidiram,após alguns sundaes,passear um pouco pelo Beco Diagonal,para aproveitarem um dos últimos dias do verão.

A chuva fina continuava,mas eles não se importaram e saíram.Ao sair da fachada da sorveteria,o sol se abria por entre a nuvens,mas a chuva ficou mais forte.No entanto,não fazia mal,era apenas uma chuvinha de verão.

Ao passarem pela vitrine do Boticário,os três,então,escutam uma voz familiar atrás de deles:

-Ah,então é aqui que você anda escondendo o meu namorado,não é,Granger?-disse a voz,brincalhona.

Eles se viraram...

-Luna?!-exclamou Hermione,abraçando-a-Que saudades!Você está linda!

-Eu também estava morrendo de saudades suas!E você também está lindérrima,haha.-respondeu a loira-Você já soube da novidade?-perguntou ela,indicando Ron com a cabeça.

-Sim!-respondeu Hermione,feliz-E desejo tudo de bom para vocês!Pode deixar que eu ajudo à manter o Sr.Weasley na linha quando você não estiver por perto!-disse a castanha,rindo.

-Sabia que podia contar com você.-respondeu a loira,rindo também,deixando um Ron extremamente desgostoso.

-Conte-me TUDO e não escondas NADA-Hermione citou o ditado,fazendo Luna rir,e então disse-Como foi que aconteceu??

-Ah,na verdade é uma história bem engraçada,não é,Ron?-perguntou Luna,mas Ron não falou nada.-Ron??

Os garotos haviam sumido.

-Vocês realmente acharam que iríamos deixar donzelas indefesas sozinhas aqui?-surgiu a voz de Harry ao ouvido de Hermione,fazendo a garota estremecer involuntariamente.O garoto sorriu de satisfação por dentro.Hermione estava no papo.

-É que nós decidimos deixar as duas comadres fofocarem à sós...-surgiu a voz de Ron,ao que ele apareceu,risonho,ao lado da namorada.

-Ron!-exclamaram as duas garotas.Mas ele simplesmente deu de ombros e beijous Lunas rápida,mas carinhosamente.

Hermione teve que se segurar para não soltar um suspirado “oh” e estragar a cena romântica.Harry apenas a observava,de canto de olho,atentamente..Quanto antes ele pusesse seu plano de conquistá-la,melhor.

De repente,a chuva intensificou-se desagradavelmente.


-Não acham que é melhor voltarmos à sorveteria?!-sugeriu Harry.

Os outros concordaram imediatamente,e então eles seguiram rumo à sorveteria.No caminho para lá,eles viram uma construção em andamento.Hermione,que já lera sobre o método mágico usado para construções de edifícios bruxos,em lugares como o Beco Diagonal,estranhou que não houvesse nenhum suporte mágico na obra,que parecia prestes à desmoronar a qualquer momento.Então a garota comentou com os outros:

-Qual é a dessa construção?!Sem nenhum suporte mágico,nenhum sistema de segurança criado por bruxos-avaliou ela-Se esse prédio não estivesse situado no Beco Diagonal,eu diria que é uma construção de...

-Trouxas?-completou Ron,e a garota assentiu.-Esse prédio é o mais novo investimento das Gemialidades Weasley,uma loja de cheia de artigos de mágicas trouxas para bruxos excêntricos como o papai,como aqueles que são vendidos na loja,só que com uma loja dedicada apenas pra isso,e com muito mais variedade.O negócio está indo muito bem mesmo e eles resolveram expandir isso.-explicou Rony.

-Bem coisa do Fred e do Jorge mesmo.-admirou-se Hermione.

-É. –concordou Rony-Só que eles querem fazer TUDO do modo trouxa,até a construção.

Hermione franziu o cenho,apreensiva:

-Mas,e se acontecer algum acidente?Pelo que vejo,mesmo para método de construção trouxa,essa construção não parece nada segura...

-Vamos torcer para que nada aconteça!-afirmou Luna,fervorosamente.

Enfim eles retornaram à Florean Fortescue.Luna e Ron sentaram-se lado a lado e começaram a típica cena de dois namorados se beijando em uma sorveteria.Hermione,para evitar o constrangimento,começou à olhar o menu do cardápio distraidamente,enquanto Harry a observava atentamente.Aquela era a hora perfeita.Ele iria pôr em prática o plano para conquistar Hermione.

*************************************


Ao entrar no pub,as entranhas de Draco se revoltaram.Tudo ali parecia muito “Pansy”,ou seja,falso e ridículo.E com a própria Pansy do lado,a situação só ficava cada vez pior.

Pansy não parava de falar um minuto.Draco não conseguia captar nem metade das coisas que ela falava,de tão depressa que a boca de gárgula dela se mexia.

Eles se sentaram à uma mesinha ao fundo.Então Pansy começou um monólogo que começou com ela listando as características dos novos vestidos de gala que ela havia comprado na Espanha.A paciência de Draco estava no limite.Para não perder a cabeça com a garota,ele foi ao bar do pub pegar um gim e assim esfriar a cabeça.Mas,quando ele voltou,Pansy começou a falar outra vez.

-Oh,Draquinho,você não acha que vai ser maravilhoso quando o Lorde das Trevas retornar ao poder?!-perguntou ela,animada.

Draco se manteve impassível.Estava usando todas as suas forças para não perder a calma.Mas Pansy continuou:

-Imagine só,Draco.Todos aqueles trouxas imundos sendo colocados em seu devido lugar!Como minha mãe sempre diz:”Primeiro vêm os elfos domésticos,depois os trouxas!”-e então ela deu uma gargalhada malévola,quase cruel.Ao notar que Draco não estava rindo com ela de sua “piada”,na verdade estava mirando-a com uma expressão facial de completa e evidente incredulidade,ela perguntou,inocentemente:

-O que foi,Draky?Por que você está me olhando todo estranho?

Dessa vez foi demais.Draco nem notou o que estava fazendo,quando se deu conta,estava gritando em altos brados para todo o pub ouvir:

-“O que foi,Draky?”!Como você pode ser tão cruel?Te agrada a idéia de seres humanos como nós serem tratados como escravos por um Bruxo das Trevas moribundo?Você não se toca,não é,garota?A vida não é feita só de desfiles de moda,Pansy!Antes de tudo,são precisos sentimentos e escrúpulos,coisas que obviamente não vieram nessa sua embalagem de Barbie Sem Cérebro!Vê se cresce!

Pansy estava às lágrimas.Mas Draco não ligava.Fazia muito tempo que ele desejava falar aquilo.Pansy,suplicou,chorando:

-Draco,por favor,espere!

-Quer saber?!Eu já cansei dessa palhaçada!-disse ele,chutando a cadeira e se encaminhando para a porta.

-Draco!-gritou Pansy,com a voz um pouco mais firme agora-Quando foi que você ficou assim?Cadê aquele Draco que me compreendia?

Draco olhou para trás e respondeu,simplesmente:

-Quando eu parei de fingir que aquele Draco era o meu verdadeiro eu.

E então,Draco Malfoy saiu,deixando uma Pansy furiosa e boquiaberta,e uma “platéia” completamente abobada.




Os minutos passavam e a chuva se intensificava,ao que os beijos de Ron e Luna também.

Hermione estava cada vez mais constrangida.Harry,para conseguir se aproximar da garota e começar a abordagem,sugeriu, “inocentemente”:

-Mione,que tal nós darmos uma volta pela sorveteria?Porque,pelo jeito esses dois aí não irão emergir tão cedo!-disse ele,risonho.

Hermione sorriu,um pouco menos constrangida e concordou.Sem nem imaginar as reais intenções do rapaz.


Eles foram para dentro da sorveteria e sentaram-se em uma mesinha afastada do resto.Por algum tempo,ninguém falou.Então Harry puxou a conversa, “displicentemente”:

-Nossa,faz um tempão que nós dois não conversamos sozinhos,só nó dois,não é,Mione?

Hermione assentiu.Mas preferiu não falar nada.Harry estava agindo muito estranhamente ou era apenas impressão dela?

Vendo que a garota o olhava um tanto desconfiada,Harry decidiu então,recomeçar por outra abordagem,afinal,Hermione não era burra,se ele falasse uma coisinha errada,ela já acaria qual era a dela na hora:

-Hum...-limpou a garganta,e então perguntou-E aí,Mione,como vai a vida?

-Vai bem-disse ela-mas nós não acabamos de falar sobre isso com o Ron?

-Eu sei,Mione.Mas eu não estou falando de coisas superficiais,como as férias,por exemplo-insistiu Harry.-Eu quero saber de você.E aí,como vai o coração?

-Vai bem,obrigada Harry.Sem doenças cardíacas e artérias entupidas,enfim,sem complicações.-respondeu ela,risonha.

-Você entendeu o que eu quis dizer-era uma afirmação,não uma pergunta.-Quero dizer,você está saindo com alguém,ou está apaixonada...?

-Claro que não Harry!-afirmou ela,començando,involuntariamente,à corar.Então perguntou,um pouco irritada com o caminho pelo qual o rumo do “interrogatório” seguia.-E por que você está me fazendo todas essas perguntas?Nunca se interessou em saber essas coisas da minha vida.Por que a mudança?

- Eu mudei,Hermione-disse ele,sério.-Assim,como hoje,depois de todos esses anos,eu percebí que você mudou.

E então,ele fez uma coisa inesperada,pegou na mão de Hermione,mantendo-a entre suas duas,fazendo o coração de Hermione palpitar de nervosismo.Ela vira cenas assim em filmes trouxas,e elas sempre acabavam de um jeito que fazia Hermione não acreditar no que estava acontecendo.Justo agora que ela havia feito uma promesa,ou melhor,um juramento de abdicar de seu sentimento nada fraterno por Harry,ele aparecia com essa?!

Harry,então,vendo que o gesto havia surtido o efeito esperado,continuou:

-Hermione,você está linda.-ele declarou.

Hermione ruborizou por completo depois que o rapaz disse isso. E então ela teve certeza:aquilo não ia acabar nada bem.A garota tentou pensar rapidamente em algo para mudar de assunto,mas Harry prosseguiu:

-Eu nunca achei você feia,Hermione,e você sabe disso.Mas agora,uau,você está maravilhosa.-disse ele,olhando-a intensamente,então continuou:

-Hermione,nós dois sabemos muito bem que você sente algo mais que amor fraternal por mim.

A garota engoliu em seco.

-Harry,de onde você tirou isso?Sinceramente,acho que devíamos ir ver se Luna e Rony...

Harry a interrompeu,olhando-a “gentilmente”:

-Hermione,por favor,não tente disfarçar,nós dois sabemos a verdade!-ele exclamou,e então disse:-Acontece,Mione,que quando eu vi você hoje,algo mudou,e eu não sei bem ainda o que é,mas estou cem por cento disposto a descobrir,e é por isso que eu quero dar uma chance para nós dois.

Hermione ficou pálida.Estava em choque.Não podia acreditar que aquilo pelo que almejara tão desesperadamente outrora,estava acontecendo de verdade.E justo na hora errada.Sem saber o que fazer,ele limpou a garganta e disse:

-Hum,Harry...Isso é tudo mutio repentino para mim,preciso pensar um pouco.Com licença,já volto.

E sem nem ao menos esperar Harry dizer alguma coisa,ela correu para o banheiro feminino.Precisava pensar por alguns segundos.

A garota segurou-se na pia,mantendo a cabeça baixa por um momento,então lavou o rosto e ficou naquela posição de cabeça baixa por algum tempo.

Aquilo não estava certo.Simplesmente não podia ser.Mas,e se fosse verdade?E se Harry havia finalmente se apaixonado por ela?Por que não dar uma chance?Ou,pelo menos,escutar o que ele tinha a dizer?Afinal,não poderia se machucar ainda mais,poderia?

Como estava enganada.

Ao sair do banheiro,Hermione deparou-se com uma cena surpreendente:

Harry estava no maior amasso com uma das garçonetes!


Aquilo,definitivamente,não podia estar acontecendo.Só podia ser mais de um de seus pesadelos.

A castanha só ficou para alí,em choque,por longos minutos.

Harry e a garçonete se separaram.A garçonete voltou para o seu posto,enquanto Harry exibia um sorriso de satisfação.Sorriso que se dissipou rapidamente ao ver Hermione parada ali,do outro lado do estabelecimento,mirando-o sem reação.

Harry,dando um sorrisinho constrangido disse:

-Hermione,eu posso explicar.

Como se algo a locomovesse,Hermione caminhou como uma sonâmbula na direção de Harry,parou na frente dele,e então,quando Harry já tinha certeza que nada de ruim iria acontecer.....PLAFT!

Harry sentiu a marca dos 5 dedos da mão direita de Hermione arder como fogo em sua face.

-Como você pôde,Harry?-perguntou a garota,com a voz fraca e cheia de mágoa.

O garoto se enfureceu,e de repente,se viu desdenhando de Hermione:

-Oh,Mione,você nunca ouviu falar no ditado “Saiu do ar,perdeu o lugar”?!Então,você saiu,ela entrou.-e então deu um sorriso canalha.

PLAFT.Outro tapa de Hermione ardeu na face esquerda de Harry.

-IDIOTA!-ela gritou,à beira das lágrimas.

-Pra começo de conversa,garota,nós nem temos nada para você ficar me exigindo satisfações.Ah,e se você não sabe,os tempos mudaram,mas acho que mesmo os tempos sendo outros você vai continuar a mesma CDF idiota e ingênua de sempre!

Foi a gota d’água.Hermione,se segurando para não chorar na frente de Harry,pegou sua bolsa e saiu correndo da sorveteria,deixando uma clientela embasbacada e um Ron e uma Luna confusos,ao passar por eles num repelão.

Hermione correu e correu,sem saber aonde ia,cega pelas lágrimas e pela chuva cada vez mais forte.

Ela desejava acordar e descobrir que tudo aquilo não passara de um sonho ruim.Não podia estar acontecendo.O Harry que ela conhecia e amava nunca a humilharia daquela maneira.Mas estava claro,agora,o Harry que ela amava havia morrido,assim como o amor que ela sentia por ele,que foi substituído por um ódio incandescente.


Cansada de correr e esgotada emocionalmente, Hermione sentou-se na calçada que ficava na frente de um prédio que ela achou vagamente familiar,mas,no estado em que estava,não tinha como ter certeza de nada.

E lá ela ficou,com sua tristeza,definhando com seus pensamentos tristes.De repente,ela escutou um estrondo vindo de cima.Toda a parte de cima da nova loja de Fred e Jorge estava desmoronando com a chuva intensa,e uma viga estava caindo no ponto exato onde Hermione estava.A garota não soube o que fazer.Estava sem energia nenhuma,só esperou a viga cair...

Mas,em vez da viga pesada e molhada em suas costas,Hermione sentiu um par de braços fortes a empurrando para o lado.

Então,de início,tudo o que pôde ouvir foi o estrondo da viga chocando-se com o solo,e tudo o que pôde ver foi uma nuvem de poeira de fuligem,que se dissipou rapidamente devido à chuva,e então ela pôde localizar o corpo da pessoa que havia salvado-a.Parecia estar inconsciente,não se mexia.Por um momento funesto,Hermione pensou o pior.Então,correu até o corpo,tendo que passar por cima da viga(que separava Hermione de seus salvador e por sorte não havia atingido-o),e checou seu pulso.Respirou aliviada.Estava vivo.Gentilmente,ela o virou,para ver o seu rosto.Mas o choque a congelou.....

-Malfoy?!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.