FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. Volta para Casa


Fic: Herdeiros das Trevas


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Harry e Hermione perderam a noção do tempo enquanto estiveram na sala secreta testando as armas, acabando por escolherem cerca de dez cada. Os dois deixaram as armas na sala que costumavam usar e se dedicaram a preparar o jantar, já que Calisto só deveria voltar mais tarde. Às nove horas, quando Calisto chegou, já encontrou a mesa posta e os dois a sua espera.

-Então o que fizeram hoje? –Pergunta os observando atentamente.

-Exploramos o castelo, mas passamos a maior parte do dia em uma sala com armas mágicas! –Harry fala empolgado, queria logo ver o que Calisto acharia das armas.

-Armas mágicas? Interessante. Onde elas estão? –Após esta pergunta Harry e Hermione se revezaram em contar todos os detalhes de onde acharam e das armas que separaram e deixaram na sala.

Após o jantar, Calisto foi até a sala e testou as armas diante dos olhares de Harry e Hermione, deixando algumas de lado, alegando que já as conhecia. Mais surpreendente que as funções novas que Calisto descobria, eram os defeitos que ela apontava em cada item.

-Vocês até que foram bem criteriosos, mas há muitas coisas aqui que acabariam sendo inúteis para vocês e o que é inútil atrapalha. Portanto, aconselho-os a ficarem apenas com a armadura e com uma arma. Aliás, Hermione, como você gostou dos círculos, acho que deveria ficar com este cajado, já que ele pode se transformar em duas outras armas.

-Certo. Eu já havia gostado muito dele, sem falar que aumenta bastante a potencia de meus feitiços. –Hermione fala em concordância.

-Você já tem uma espada, não é Harry? –Calisto pergunta observando a pilha que Harry separara.

-Sim, por isso imagino que eu deva escolher uma arma de médio a longo alcance, certo? –Calisto apenas sorriu e assentiu à dedução de Harry. –Neste caso, quero que escolha uma arma para Rony, nós dois havíamos pensado em levar algo para ele, já que com certeza ele nos acompanhará nas batalhas.

-É verdade. Não pode ser algo muito complexo porque não teremos muito tempo para ensiná-lo a manejar. –Hermione observa e Harry concorda.

-Certo. Vou escolher algo especial, agora os dois para cama, que levantaremos antes do Sol nascer. –Nenhum dos dois questionou, apenas seguiram para seus respectivos quartos.

Quando Calisto disse que acordariam cedo, imaginaram que levantariam para partir, já que o caminho a pé era longo, no entanto o que aconteceu foi bem diferente. Hermione acordou com algo pesado caindo sobre si e não precisou abrir os olhos para saber que era Calisto em forma lycan. Sem saber como conseguira prever, ergueu a mão a tempo de bloquear as garras da lycan e logo depois usou as pernas para tomar impulso e girar, mas antes que pudesse encaixar algum golpe, os pés de Calisto a lançaram fortemente contra a parede. O impacto fora tão forte que parte da parede rachou, assim como a cabeça de Hermione, que imediatamente sentiu o liquido quente e viscoso escorrendo-lhe pelo pescoço.

Harry acordou com uma forte dor no estômago, mas sabia que não vinha dele, então saiu do quarto já se transformando e pegando a espada nas costas. Sentiu o cheiro do sangue de Hermione e mal pôde pensar antes de investir contra o ser peludo que pretendia voltar a atacar Hermione. No entanto, a lâmina que separaria a cabeça do pescoço do lycan, foi parada pelas garras do mesmo, que ainda usou o pé para atingir Harry e fazê-lo bater contra a porta do quarto em frente.

Hermione ficou atordoada uns instantes, mas se transformou e se atirou sobre a lycan que ferira Harry. As duas rolaram trocando golpes com as garras afiadas e mordidas violentas, até que um raio vermelho saiu da mão de Calisto e lançou Hermione, que estava em cima, no teto. Em frações de segundo, Calisto se ergueu e usou a mão para socar Hermione, que dessa vez quebrou a parede que dava para o corredor.

Assim que Harry pousou no chão, se concentrou para invadir a mente de Calisto e enfraquecê-la para que Hermione a derrotasse, mas um paredão se ergueu diante dele. Usou seu poder e concentração, mas havia uma força mágica o impelindo, era como tentar nadar contra a correnteza de um rio, perto de uma cachoeira. Por mais que fizesse força e tentasse adentrar a mente, mas longe estava de onde queria chegar. Quando viu Hermione voar pelo quarto, rapidamente abandonou suas tentativas e avançou com a espada em punho contra Calisto, que já sentira o movimento e chutara o braço que empunhava a espada, quebrando o pulso de Harry a ponto de deixá-lo pendurado.

-Patético! –Calisto falou enquanto esmurrava a face de Harry, fazendo-o bater de cara na parede de pedra.

Hermione lançara um feitiço de extinção que seria capaz de derrubar um dragão, em Calisto, no entanto o feitiço bateu em algo e ricocheteou no teto e parede, causando um grande tremor em todo andar do castelo. Sem parar para ver isto, Calisto, por magia, fez a espada de Harry se erguer do chão e voar na direção de Hermione. Mesmo a curta distância, Hermione saltou por cima da espada, no entanto o pé de Calisto a atingiu no meio do mortal para frente, as garras penetrando a pele de Hermione, que ganiu, enquanto era atirada em cima de Harry.

Harry, que demorara alguns segundos para focar novamente, viu um feitiço passar perto de si e depois Hermione sendo atirada em sua direção, então aparatou e pegou Calisto no meio do movimento de rotação do chute, conseguindo acertar um golpe. Era uma chance única e Harry pôs toda a sua força no soco, que atravessou o peito direito da lycan, perfurando-lhe o pulmão.

Ao tempo que Hermione viu o golpe de Harry, saltou na direção de Calisto com as garras preparadas para lhe causar um grande estrago, porém a lycan desaparecera no ar, fazendo Hermione cair em cima de Harry e as garras da mão direita entrarem no ombro esquerdo do vampiro.

-Harry! Desculpe, eu não tive como parar, ela sumiu de repente! –Hermione fala atordoada, enquanto tira as garras do ombro dele e o põe sobre sua cama.

-Tudo bem, você está sangrando bem mais que eu. –Harry fala ao observar o pêlo avermelhado, ainda mais vermelho com o sangue que descia por seu pescoço. –Me deixe cuidar da sua cabeça, volte a sua forma humana. –Harry se levanta e após encaixar a mão direita no lugar, pega a caixa de medicamentos dentro do armário com a mão esquerda.

Sem questionar e sentindo a consciência começar a vacilar, Hermione volta a forma humana e imediatamente é acometida por uma forte dor, havia uma grande pressão em seu cérebro e manter a consciência acabou sendo impossível.

Três horas depois o Sol nascia e iluminava o ambiente, despertando Hermione da escuridão em que mergulhara. Virou-se e sentiu uma pontada na nuca, mas nada se comparou a dor e a pressão que sentiu ao se sentar.

-Não devia ter se levantado. A pancada na cabeça foi muito forte e poderia ter matado uma pessoa normal. –Harry fala em tom preocupado enquanto a amparava e ajudava a se deitar novamente, ele havia adormecido em uma cadeira a seu lado.

-Obrigada, mas não precisa se preocupar, logo, logo eu estarei bem. –Hermione fala de modo tranqüilo, após verificar que ele parecia estar totalmente recuperado, apesar de sua face esquerda estar levemente inchada. –Quem trocou minhas roupas? –A pergunta veio assim que viu as roupas e lembrou-se do ferimento sério de Calisto.

-Eu, mas juro que não me aproveitei de você. –Harry tinha um sorriso divertido no rosto, que fez Hermione desejar esmurrá-lo.

-Não consigo fazer magia. –Hermione disse quase sem acreditar, assim que tentou fazer a cadeira onde ele se sentaria, se mover para o lado, deixando-o cair no chão. –me de o cajado, Harry! –Agora a voz dela tinha um tom urgente, quase grave.

-Não. Acalme-se. Você sofreu uma pancada forte, deve ser uma seqüela temporária, por isso quero que você descanse e só faça magia quando estiver totalmente bem. –Harry fala de modo sério, mas passando tranqüilidade a ela, que timidamente assente.

-Onde está Calisto? –A pergunta surgiu após Hermione tentar sentir o cheiro ou a presença dela e não conseguir.

-Não sei. Desapareceu desde a luta, mas o ferimento não foi grave, ela deve estar bem. Talvez volte quando seu orgulho permitir. –Harry fala em tom divertido e Hermione ri, mas logo pára ao ver que isto lhe causava dor. –Vou pegar algo para você comer, não se mexa.

Duas horas depois, Calisto apareceu pronta e encontrou Harry e Hermione no quarto dela, jogando xadrez bruxo. O quarto estava aparentemente arrumado e não havia sinais da luta de algumas horas atrás.

-Já estão prontos? –Calisto pergunta com um sorriso satisfeito ao ver que os dois também pareciam completamente recuperados.

-Sim, mas depende de como você pretende que a gente volte. Creio que não seria bom irmos andando, já que Hermione ainda não está totalmente bem. –Harry fala cauteloso e Calisto olha preocupada para Hermione.

-Eu ainda estou um pouco zonza e não consigo fazer magia, também não posso fazer movimentos bruscos. Acho que ainda preciso de algumas horas para meu cérebro se recuperar da pancada. –Hermione fala um pouco sem jeito, não queria parecer muito frágil diante de Calisto.

-Entendo, devia ter pegado um pouco mais leve já que você tinha acabado de acordar e não estava transformada. Mas não tem problema, creio que Harry seja capaz de nos aparatar direto para Toca. O que acha Harry? –Havia um claro tom avaliativo na pergunta.

-Eu nunca tentei aparatar para um lugar tão distante, mas eu acredito que não terá nenhum problema. –Calisto pareceu aprovar a postura confiante de Harry.

-Antes disso, me responde uma questão que não me sai da cabeça. –Hermione fala e Calisto volta sua atenção para ela. –Como você conseguiu repelir meu feitiço e a mente de Harry?

-Fico feliz por ter perguntado isto, significa que estava atenta. –Hermione sorriu com o elogio. –Eu pela primeira vez em séculos usei esse medalhão dado por Mérlim. –Ela retirou um cordão dourado e com um pingente circular, com uma pirâmide circunscrita, havia uma inscrição em hieróglifo no centro da pirâmide. –Este medalhão aumenta minha resistência e me protege de muitas coisas, mas quando os dois estiverem perto do poder máximo que possuem, certamente este medalhão não me servirá de muita coisa. –Foi inevitável que os “irmãos” trocassem um olhar e exibissem sorrisos satisfeitos. –Agora peguem suas coisas que temos muito que fazer na Inglaterra.

Rapidamente Harry foi até seu quarto e voltou levitando um baú com suas coisas, depois levitou o baú de Hermione e a ajudou a descer as escadas que levavam a saída. Os três atravessaram a ponte invisível e logo depois Calisto segurou os baús dos dois e Harry segurou as duas pela cintura, aparatando-as para o jardim da Toca.

-Odeio aparatar! –Calisto fala sentindo-se enjoada e deixando as bagagens de lado.

-Hermione desmaiou. –Harry informa e rapidamente Calisto parece se recuperar. –Mas está bem, não se preocupe. –Se apressa em acrescentar, vendo o modo como Calisto observava a garota.

-Harry! –Carlinhos, que estava no jardim, se aproxima ao vê-los chegar. –O que houve com Hermione?

-Ela desmaiou, mas está bem. É que ela havia sofrido uma pancada na cabeça e aparatar uma distância grande não deve ter ajudado. –Harry fala a segurando nos braços, enquanto Carlinhos levitava os baús.

-Melhor entrarmos então. Ela deve estar precisando descansar. –Carlinhos fala já se encaminhando para a casa.

-Não tem muita gente em casa, onde estão todos? –Calisto pergunta depois de verificar as presenças no local.

-Só a mamãe ficou para fazer o almoço, enquanto papai levou todos ao Beco Diagonal para a compra dos materiais escolares. Aliás, as cartas de vocês estão aí. –Carlinhos falou entrando em casa e abrindo passagem para os outros.

-Eu vou levar Hermione pro quarto de Rony, devo ficar lá até ela acordar, caso ela precise de algo. –Harry fala já indo em direção as escadas.

-Eu vou cumprimentar sua mãe, as bagagens são dos dois. –Calisto fala e Carlinhos segue Harry pela escada.

Menos de meia hora depois, Hermione acordou e desceu com Harry para a cozinha, levando o presente de Rony, devidamente embrulhado. Surpreenderam-se ao verem Calisto cozinhando e conversando tranquilamente com Molly, mas resolveram não perguntar nada e se dedicaram a conversar com Carlinhos, que os informou sobre os treinos de Rony e a hospedagem de Draco, caso que os surpreendeu ainda mais.

Na hora do almoço, todos os Weasley e Draco chegaram, o que rendeu uma série de cumprimentos sorridentes, com exceção de Draco e Gina, que se mantiveram a distância dos dois, apenas observando o que acontecia.

-Então Malfoy, decidiu trocar de lado? Sempre soube que era um oportunista, deve ter sentindo quando o jogo começou a pender pro nosso lado, não é? –Harry fala de modo provocante, queria deixar Draco nervoso para entrar em sua mente sem ser notado.

-É uma habilidade que todo bom jogador tem, mas não precisa se preocupar, a não ser que queira jogar pôquer comigo. –O tom irônico de Draco o teria irritado muito antes, mas agora estava muito controlado e não se deixaria abalar.

-Não sabia que conhecia o jogo, podemos combinar uma parceria depois. –Hermione tenta aliviar as tensões e Draco a olha atentamente antes de responder.

-Só se ao invés de galeões, apostarmos roupas. –O tom malicioso fez Hermione corar.

-Nunca mais brinque com isso, Malfoy. –Draco sentiu o hálito gélido de Harry e ouviu a voz grave e fria sussurrada em seu ouvido. Mas foi o não perceber o movimento de Harry, que o deixou com medo.

Uau! Vejo que andaram treinando por lá! –Rony fala impressionado e feliz por Harry ter feito Draco ficar ainda mais branco que o normal.

-Calisto é mais dura do que você imagina. Uma mestra sem igual. –Hermione fala mostrando admiração pela lycan, que cora, mas sorri feliz.

-Imagine! Dentro de pouco tempo meus príncipes é que serão meus mestres, aprendem com uma rapidez incrível. –Calisto fala contente, enquanto terminava de servir o almoço.

-Ela ainda chama vocês assim? –Rony pergunta franzindo o cenho, enquanto se sentava junto aos amigos.

-Sim, mas não imagine que isso signifique que ela alivia conosco. –Harry fala fazendo uma careta exagerada.

-Realmente, hoje eu acordei com uma lycan caindo de joelhos na minha barriga e quando tentei reagir fui lançada contra a parede e tive a cabeça tão rachada quanto à parede! –Hermione fala trocando um sorriso cúmplice com Harry, mas logo vê a expressão chocada de todos. –Ela está certa, quer dizer, chegando perto da morte aprendemos mais rápido e a cada ferimento grave que temos, nossa recuperação melhora ainda mais.

-Hermione tem razão, nossos treinos práticos nos renderam mais que os teóricos. Mesmo que estes tenham sido feitos com manuscritos de Mérlim. –Harry de imediato nota as expressões chocadas de todos, até Draco o olhava como se ele estivesse com o próprio Mérlim.

-Trouxemos algumas coisas de lá, mas depois mostramos. –Hermione acrescenta tentando acabar com a tensão.

-E esse embrulho aí atrás é o que? –Fred pergunta curioso.

-É presente para gente? –Jorge completa em expectativa e todos olham o enorme embrulho adornado com fitas.

-Não, é um que escolhemos pro Rony. –Harry fala sem conseguir evitar sorrir pro amigo, que fica com os olhos brilhando.

-Mas só vai abrir depois do almoço! –Hermione fala o segurando, já que Rony se levantava para pegar o embrulho.

-Poxa isso é sacanagem! Pelo menos posso saber o que é? –Rony fala sentando de frente para o prato e enchendo a boca de comida.

-Isso estragaria a surpresa! –Harry responde tentando permanecer sério, apesar da cara engraçada que o amigo fazia.

Após o almoço todos se reuniram na sala para ver o presente que Rony ganhara. Os gêmeos, Carlinhos e até Draco debatiam o que poderia ser, enquanto Arthur Weasley e Gina apenas observavam. Calisto e a Sra. Weasley haviam ficado pela cozinha conversando animadamente.

-Então, vão ou não me dar o meu presente? –Rony fala ansioso e Harry e Hermione se entreolham divertidos.

-Tudo bem, mas já avisamos que você precisará de muito cuidado ao manejar isto, não queremos que se machuque. –Harry avisa seriamente ao entregar o pesado embrulho.

-Vai nos prometer que vai treinar muito antes de usá-lo! –Hermione adverte enquanto Rony rasgava a fita e o embrulho.

-Uau! Ele parece incrível! –Rony fala ao retirar o imponente machado de prata com adornos em ouro de dentro da caixa.

-O trouxemos na caixa porque não podíamos tocá-lo. –Harry explica e Rony rapidamente entende que o artefato era de prata.

-Com ele você poderá acabar com vampiros e lobisomens facilmente! –Draco fala em tom neutro, mas não deixando de causar um grande efeito.

-Exatamente. Nem todos os vampiros e lobisomens se unirão a nós, então é bom que Rony esteja bem armado. –Hermione explica e o clima tenso se desfaz.

-É maninho, está com tudo! Um machado desses pode rachar a cabeça de qualquer um. –Fred fala e todos concordam.

-Na verdade este machado é mágico e dependendo da força mágica de quem manejar, pode partir qualquer coisa em dois. –Ao ouvirem o que Harry falou, todos olharam de Rony para o machado e o ruivo quase teve medo de segurar a arma.

-Nesse caso Rony poderia sem querer se machucar com a arma. É muito perigoso. –Arthur fala preocupado com o filho.

-Não se preocupe Sr. Weasley, Rony provavelmente só usará essa arma quando estiver usando a armadura que trouxemos. –Hermione o tranqüiliza e imediatamente todos adquirem uma expressão engraçada imaginando Rony dentro de uma das armaduras velhas de Hogwarts.

-É mesmo necessário? Quer dizer, não estamos mais na idade média! –Rony argumenta com a mesma cara de quando vira a roupa que sua mãe lhe dera para ir ao baile no quarto ano.

-Não se preocupe Rony, as armaduras são mágicas e se ajustam bem ao corpo, também não são pesadas e podem te proteger de qualquer arma normal e de muitos feitiços fracos. –Harry fala completamente seguro e sensato.

-Então vocês também vão usar? -Jorge pergunta com uma cara engraçada.

-Qual o problema de usarmos armaduras? –Hermione pergunta sem entender então os gêmeos dão um risinho.

-É que não conseguimos imaginar uma lobisomem com armadura! –Fred fala entre risos.

-Deve parecer um cachorro com roupinha! –Draco zomba divertido e os gêmeos riem ainda mais, até Gina e o Sr. Weasley seguravam risos, enquanto Hermione ficava totalmente sem jeito.

Já preparados para dormir, Harry, Rony e Hermione conversavam sobre como Rony estava treinando e aproveitaram para planejarem o que fariam nos próximos dias, estando para o dia seguinte, marcado um teste para verem o nível de Rony.

-Então vocês vão para Hogwarts ou, como combinado, nós vamos atrás das horcruxes? –Rony pergunta assumindo um tom sério e compenetrado como só viram antes nos momentos mais tensos, como no jogo gigante de xadrez no primeiro ano.

-Não há como irmos para Hogwarts com a guerra contra Voldemort e tendo que assumirmos nossos lugares diante de lycans e vampiros. –Harry fala seriamente e Hermione assente em concordância.

-O que vocês querem dizer com assumir seus lugares diante de lycans e vampiros? –Rony pergunta um pouco temeroso, não queria que os amigos se juntassem as trevas.

-Nascemos para liderar as duas raças e torná-las irmãs. Não é como se realmente quiséssemos nos meter nisto, mas precisaremos deles se quisermos acabar com Voldemort. –Hermione fala de modo objetivo e claro.

-Quanto mais vampiros e lobisomens ao nosso lado, menos inimigos poderosos teremos. –Harry explica a matemática simples e Rony é obrigado a concordar.

-É um raciocínio lógico e até bem óbvio, mas o problema é que com isso vocês estarão em três guerras: Voldemort contra bruxos e trouxas, lobisomens contra vampiros, vampiros contra vampiros e lobisomens contra lobisomens. Estão cientes e preparados para isso? –Rony pergunta os analisando atentamente.

-Sim, Calisto trabalhou tudo isto conosco e já agendou para amanhã uma reunião entre lycans e lobisomens importantes onde Hermione se apresentará. Além disto, ela me deu uma pista sobre um vampiro que poderá facilitar as coisas para o meu lado, vou procurá-lo amanhã à noite. –Harry fala mantendo o mistério e Rony resolve não perguntar, afinal Harry deveria ter um bom motivo para lhe esconder isto.

-Vamos te falar sobre os clãs antigos que guiam os lycans e lobisomens e um pouco sobre os clãs vampiros mais tradicionais. –Hermione começa e Rony apura os ouvidos para ouvir a explicação dos seus futuros aliados ou inimigos.

No dia seguinte o café da manhã foi agitado, Lupin, Tonks, Moody, McGonagall e todos os Weasley fizeram várias perguntas a Calisto, Harry e Hermione sobre seus planos e depois se uniram no jardim para ver a demonstração que Harry e Hermione fariam ao testar o nível de Rony.

O céu estava nublado e havia um vento gélido que não provocava bons pressentimentos em Rony, que já previa o massacre. Harry tentou acalmá-lo, dizendo que não pegariam tão pesado e que o amigo ainda poderia usar a armadura que ganhara de presente.

-E então, onde Rony está? –Moody pergunta ao ver Harry e Hermione saírem da casa. Todos estavam acomodados em uma arquibancada improvisada e bem protegida por um círculo de proteção que Hermione fizera.

-Ele está colocando a armadura que trouxemos, achamos que seria mais justo. Além de não o machucarmos muito. -Harry responde ao se apoiar em uma árvore, desfrutando de sua sombra.

-Eu realmente espero que não machuquem meu filho! Lembrem-se que ele não tem um poder de cura como o de vocês, é só um menino. –Os apelos emocionados e preocupados da Sra. Weasley deixavam Harry e Hermione desconfortáveis, mas os dois não poderiam pegar leve, já que os inimigos também não o fariam.

-Dependendo do que a gente vir aqui, vamos ter que repensar e muito os nossos planos. –Draco sussurra para Gina, que assente.

-Mas eu não vou desistir da vingança. –A ruiva responde com os olhos fixos em Hermione.

Alguns minutos depois, Rony apareceu vestido com o que parecia uma roupa super-justa e de cor roxa. A parte do peito e das costas parecia uma chapa metálica que dava a impressão de que Rony tinha músculos definidos, ligando as duas chapas algo que se assemelhava a borracha, pois possuía certa elasticidade para não prejudicar os movimentos. Os ombros e joelhos também pareciam ter uma proteção metálica, enquanto os braços e pernas pareciam protegidos com o mesmo tecido emborrachado, que ligavam as chapas metálicas do peito. Os pés eram protegidos por botas que mesclavam a parte de borracha e metal, enquanto nas mãos havia uma luva de couro. O elmo consistia em uma máscara que protegia o rosto, mas possuía uma ótima abertura para os olhos e para respiração. No peito havia um pequeno brasão azul com um machado e um cajado cruzados, como alguns brasões de famílias tradicionais bruxas.

-Consegue se mover bem, Rony? –Hermione perguntou ao vê-lo se mover devagar, parecendo hesitante.

-Sim, muito bem! –Rony tenta responder de modo confiante, mas sua voz revelava sua hesitação.

-Ótimo, porque nós vamos começar! –Harry fala e troca um olhar com Hermione, a qual corresponde com um sorriso.

Antes que Rony pudesse fazer qualquer coisa, Hermione soltou um rugido bastante ameaçador enquanto seu corpo crescia e era coberto por pêlos castanhos avermelhados. Os olhos totalmente negros e os dentes pontudos fizeram Rony engolir em seco, os espectadores gelaram e mal podiam acreditar que aquele ser gigantesco e feroz, era a delicada Hermione.
Mais um urro preencheu um ar, então todos viram, surpresos, Rony voar para frente e cair dois metros a frente de cara no chão. Harry estava atrás deles e havia acertado um chute nas costas de Rony, enquanto todos olhavam para Hermione.

-Não devia se distrair! –Hermione fala com sua voz grave e a platéia, que já estava surpresa, passa a observar tudo quase em choque. –Não está em um duelo justo. –A lycan dizia enquanto pegava Rony colocando uma mão a cada lado de seu corpo e o atirando para cima.

Rony pegou sua varinha e se surpreendeu quando viu o sol ser encoberto por asas negras. Mal teve tempo para pensar, quando usou um feitiço explosivo para evitar o golpe com a espada que Harry tirara de algum lugar. Porém, apesar de Harry ter sido empurrado com força para trás, Rony caiu mais rapidamente e antes que pudesse tocar o solo, foi atingido no peito por um murro de Hermione, que o fez voar alguns metros e rachar o tronco de uma grossa árvore, que estava ali muito antes da Toca ser construída.

O ruivo sentia seu peito arder e uma pressão invisível parecia impedir seus pulmões de armazenarem ar, como se a sua caixa torácica houvesse diminuído consideravelmente. Mas uma sensação de perigo o fez rapidamente pegar sua varinha e lançar um feitiço para frente, um gemido o fez sentir que acertara alguém.

“Preciso me esconder, dificultar o ataque dos dois!” –Rony pensou rapidamente e notou que sua roupa mudara de cor, ganhando a tonalidade dos troncos das árvores do bosque. – “Gostei disso!” -Pensa empolgado enquanto se coloca atrás de uma árvore.

No entanto, um punho com garras atravessa a árvore em que ele se apoiava e o puxa, fazendo “atravessar” a árvore e jogando-o contra outra árvore. Agora sua cabeça girava e era difícil raciocinar, contudo a visão da enorme besta o fez lançar o feitiço mais forte que lhe veio à mente, o que pegou Hermione de surpresa. A lycan foi atingida no peito e voou alguns metros, antes de cair de pé, o peito ardia e a visão havia ficado distorcida.

-Muito esperto, mas não o bastante! –Harry fala enquanto aterrissa a frente de Rony, que aponta a varinha com firmeza e lança um feitiço negro na direção de Harry. Este faz um escudo mágico que rebate o feitiço. Rony tem tempo para se defender do próprio feitiço, mas não para evitar que Harry o segurasse e o levasse pelo ar até onde o pessoal aguardava para ver a batalha. –É melhor que todos vejam você perdendo.

Não querendo levar aquele desaforo e lembrando-se de que aquele era só seu velho amigo. Rony faz um movimento para frente e consegue passar suas pernas em torno do pescoço de Harry, que ainda os matinha a mais de dez metros do chão. Harry se moveu agoniado tentando se soltar, mas sem lagar os pulsos de Rony, que por sua vez tentava soltar os braços, conseguindo sem querer fazer com que enormes garras saíssem das costas das luvas e atravessassem os pulsos de Harry, que guinchou. No entanto não deixou barato e vez uma onda de chamas saírem de suas mãos e cobrirem o corpo de Rony, que assustado soltou Harry e caiu na direção do solo.

Hermione assistia a tudo com atenção e viu quando Rony caiu no chão com um grande barulho e um gemido de dor abafado, provavelmente pela falta de ar. Não demorou muito e Rony moveu os braços e pernas, como se pretendesse levantar, o que foi um sinal para que Hermione se aproximasse e pisasse sobre o peito dele com força.

-Você é um fraco, Rony! Está sendo esmagado e não é capaz de fazer nada contra isso! –Os olhos azuis de Rony podiam ver com clareza os dentes da bocarra, que salivava como se pretendesse devorá-lo assim que estivesse morto.

-Não vou ser seu jantar! –A voz soou fraca, mas foi confusa o bastante, para Hermione hesitar um segundo, o que deu ao ruivo a chance de lançar um feitiço de extinção nela, que voou para trás uivando, mas conseguiu pousar de quatro, os pêlos do peito estavam chamuscados.

-Vá devagar com a minha irmãzinha! –Harry disse pousando a frente de Rony, que já se preparava para lançar um feitiço, quando sentiu uma pontada forte no centro da cabeça.

Sabia o que estava acontecendo e fechou sua mente, era um trabalho que exigia muita concentração, mas havia treinado muito para erguer as muralhas em torno de sua mente. A escuridão tomou conta de tudo ao redor, era difícil se concentrar em um lugar seguro como uma fortaleza se não conseguia enxergar, afinal as trevas nunca eram seguras, sempre escondiam os mais terríveis perigos.

-Vai precisar de muito mais que isto para fugir de mim, Ronald! –Aquela voz grave e abafada lhe era familiar, mas não conseguia se lembrar onde a ouvira. –Estou aqui em cima.

Assim que Rony se virou para ver o que estava o chamando, soltou um grito aterrorizado, lá estava Aragogue com seus olhos negros brilhantes e aparência faminta. Com medo e querendo correr para o mais longe possível dali, Rony deixou sua fortaleza e de repente se viu na floresta proibida, tinha apenas doze anos e estava sozinho e apavorado.

-Um grifinório não tem medo! Volte e lute! –Harry, em sua forma vampírica, estava lá, mas assustador e perigoso que nunca.

-Eu não posso, ela vai me devorar, ela vai me devorar! –O pânico na voz do amigo que se encolhia no chão, aterrorizado com a aranha gigantesca que se aproximava, fez Harry parar o teste.

O que todos viam e não entendiam, era um Rony ajoelhado no chão, berrando apavorado e falando coisas sem sentido, enquanto Harry e Hermione apenas o olhavam como se esperassem que ele fizesse algo. De repente tudo parou e Rony caiu inconsciente, sendo erguido nos braços por Harry, que rapidamente desapareceu com o ruivo. Hermione, que voltava a sua forma humana, se aproximou dos outros para contar o que havia acontecido e tranqüilizar os Weasley sobre o estado de saúde de Rony.



N/A: Oi, cap grandinho pra compensar o de outras fics que ficaram meio pequenos, no entanto vocês têm que entender que cada cap tem uma história, quando ela termina, eu não posso ficar enrolando.


Michele Ramos Machado: Oi, obrigada pelos elogios, eu tento me esforçar para fazer o melhor. Quanto a D/G nesse cap não teve muita coisa, mas no próximo haverá o primeiro plano deles, já o Rony apareceu bastante e está totalmente nos planos de Harry e Hermione.
Ioseff Cesar Maia: O relacionamento dos dois vai ficar na mesma por um tempo, mas não se preocupe, aos poucos os dois vão se acertando.

Tayson Potter Griffyndor: Teve um pouco de ação, mas não foi o Draco que apanhou, pelo menos não por enquanto.

Danny Evans: Harry e Hermione têm uma ligação muito especial e por isso não vão conseguir ficar brigados, mas não espere que eles se acertem logo. Nesse cap deu pra ter uma pequena idéia de como vão lutar, mas muitas surpresas acontecerão no próximo cap.

Amanda dos Santos Lucas: eu também adoro vampiros e amores entre opostos, contanto que tenha coerência ao contrário do que a JK fez, mas espero que curta também D/G porque esses se acertam logo, logo.

*ThaisPotter*:Pode comentar à-vontade que eu não me canso! Eu amei saber que você não era H² e mudou por causa das minhas fics, isso me deixa feliz e com mais disposição ainda para escrever! Já que eu não posso mudar a cabeça da JK, que mude a dos R/Hr que existem por aí^^

Pink_Potter: Como sei que você adora frases pervas, pode ficar à-vontade pra comentar sobre o joguinho proposto por Draco rsrsrs

Anyelle: O Rony treinou 2 semanas mais ou menos, então ainda não está muito forte, mas ta aprendendo! Quanto às armas, você já viu mais ou menos a da Mione e já sabe a do Rony, a do Harry é surpresa!

Anderson potter: Rony vai ficar mais forte sim, mas as armas eu vou mostrando aos poucos, tem algum chute? Quem sabe não acerta!


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.