FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo



______________________________
Visualizando o capítulo:

7. O Casamento


Fic: Harry Potter e a II Grande Guerra Bruxa . HG - 02.07


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Realmente, aquele foi um dia perturbador para os sentimentos... ou não!



Capítulo 7 - O Casamento



A noite fora demasiada longa para todos eles, cada um pensando em diferentes situações, e determinados fatos que haviam ocorrido. Um emaranhado e complexo conjunto de sentimentos eram compartilhados entre eles, e parecia que nenhum dos quatro estava preparado para entender, ou sequer controlar o que havia em jogo. O dia anterior ao casamento pareceu se deslanchar em questão de minutos, visto que não tiveram tempo sequer para esparecer por alguns minutos, pois todo o tempo eram requisitados para os preparativos do casamento. Tudo parecia estar correndo tranquilamente, e Molly já preparava a recepção para os diversos convidados que chegariam dentro de poucas horas.

Ao acordar na manhã do Grande Dia, Harry olhou-se por um momento no espelho, com o cérebro a mil, contradizendo-se constantemente, sobre tudo aquilo que era inevitável e iminente para ele. Um homem marcado, com um destino obscuro e cruel, que nunca poderia pensar em ser feliz, nunca poderia desfrutar da companhia daqueles que gostava, pois sempre que se apegava a alguém, parecia que o destino lhe pregava uma peça, e Harry estava mais uma vez sozinho, exceto por seus amigos. Mas será que Gina era realmente apenas sua amiga?

Decidiu deixar essas decisões para mais tarde, e desceu em direção a cozinha d´A Toca. Um número impressionante de panelas, facas, travessas e bandejas flutuavam e trabalhavam numa velocidade incrível, visto que eramos últimos preparativos para a cerimônia. Ao divisar o lado do quintal, reparou que Arthur, Gui e Carlinhos estavam armando uma bela tenda branca, que emitia um brilho esmeralda quando era coberta pelas sombras das árvores, e o vento parecia apenas uma leve brisa, como se estivesse esperando anciosamente por aquele dia. Dirigiu-se a eles, e chegando mais perto, percebeu pessoas aparatando nas cercanias do local, e sacou sua varinha, ao tempo que gritou para o Sr. Weasley que estavam sendo atacados...

Antes que pudesse sequer reagir, foi paralizado por Gui, que dirigiu-se a Harry com um enorme sorisso dizendo:

- Calma Harry, é só a Tia Muriel, com um de nossos primos, e um criado. Vejo que realmente você se tornou um ótimo guerreiro, mas não precisa estuporar uma senhora de cento e sete anos, correto? - disse Gui Weasley, em um tom irônico.

- Er, desculpe. É que com tudo que está acontecendo, acho que estou pegando essa mania de querer atacar primeiro, e perguntar depois. - Harry respondeu meio cabisbaixo.

Antes que tivesse tempo de argumentar novamente, Tia Muriel, que aparentava ser muito velha, porém possuia um andar austero, e um pouco encurvado pela sua altura e idade, se aproximou de Harry, e exclamou:

- Então era verdade, Harry Potter é realmente amigo de vocês - disse Tia Muriel, olhando para os três Weasley, e depois retornou a olhar para Harry. -, Vejo que você é realmente corajoso por estar aqui garoto. Ouvi boatos que estão oferecendo muitos galeões para quem conseguir capturá-lo, mas espero que os boatos a seu respeito também sejam verdadeiros, apesar de você ser discipulo de D... - mas tia Muriel não terminou a frase. Havia capturado a silhueta de Rony indo em direção a eles, e disse a Harry:

- Bem, depois teremos tempo para conversar. Agora deixe-me dar um beijo em meu sobrinho favorito. - e saiu em direção a Rony, que parecia extremamente tenso com a aproximação da tia.

Hermione e Gina surgiram do nada, e carregaram Harry para a direção oposta, onde nenhum deles ficaria muito visivel aos recém-chegados. Por fim, Gina sussurrou teatralmente para Harry::

- Você tem muita sorte dela ter visto o Rony, senão você teria seríssimos problemas para se livrar dela, acredite Harry, ela é um pesadelo quando começa a falar. - disse Gina, com um sorriso enviesado no rosto, ao tempo que Hermione ria aprovadoramente das caretas e feições de Rony enquanto Muriel o beijava constantemente, e conversava de uma maneira que visivelmente parecia um sermão.




O dia passou assustadoramente rápido, e Gui Weasley já havia desaparecido de vista. Os garotos, após terminar de limpar o jardim e desgomizá-lo novamente, sentiram-se aliviados quando Molly os mandou se aprontarem para o casamento. Harry divisou o local da cerimônia, e agora via diversas pessoas estranhas trabalhando rapidamente, erguendo e ajeitando toalhas, mesas e cadeiras eram colocadas em posições estratégicas, e algumas mulheres conjuravam flores e as moviam constantemente, visivelmente preocupadas com a decoração.

Após contemplar sua fênix, que repousava tranquilamente em sua cama, analisou a si mesmo diversas vezes, e por fim decidiu colocar o colar que ganhou de Gina. Decidiu que não iria mais se importar com o que os outros pensasem, mesmo que nunca mais pudesse sentir Gina debruçada sobre ele, os cabelos ruivos dançando ao vento, e aquela leve brisa floral, um cheiro que somente a dona de seu coração possuia. Olhou pela última vez para o espelho, e desceu em direção a festa, que já recebia convidados, a julgar pelo barulho que se fazia ouvir, mesmo no sótão da familia Weasley.

Harry olhou abismado a festa que se formava no lado de fora d´A Toca... Ao divisar a tenda, percebeu que era ampliada magicamente, e comportava um número muito maior de pessoas que ele próprio poderia imaginar. Preferiu sentar-se numa mesa nas intermediações, onde não havia ninguém. Percebeu que havia diversas pessoas conhecidas, alguns cabelos ruivos entrando e saindo de sua visão, e logo Hermione se juntou a ele, com um elegante vestido dourado, que possuia uma delicada alça que parecia sustentá-lo por mágica, o vestido indo um pouco acima de seus joelhos, deixando uma pequena parte das pernas da garota de fora, o que Harry rapidamente fez questão de desviar o olhar. Com um andar torneado pelo pequeno salto que ela vestia, Hermione se aproximou e cochichou para o garoto:

- Vejo que não fui a única a vestir roupas trouxas, não é Harry? - disse Hermione, contemplando de maneira educada o garoto da cabeça aos pés, que vestia uma elegante blusa azul de gola alta, com suas calças e sapatos pretos, tremeluzindo a luz, combinando com os cabelos negros revoltos que Harry já não tentava mais pentear. - E realmente eu amei esse colar, onde você o comprou? - finalizou Hermione, sentando-se na cadeira ao lado de Harry, rindo aprovadoramente da careta que o garoto fizera.

Harry evitou responder, e apenas contemplou mais uma vez os convidados chegando aos montes, e uma quantidade enorme de pessoas já se encontrava na Tenda. A decoração deveria estar fantástica, mas ele iria deixar para conhecê-la só quando houvesse mesmo a necessidade, pois não queria ser alvo mais uma vez de inúmeros olhares, todos cheios de significados. Ao divisar uma cerca onde visivelmente os irmãos de Rony testavam algumas de suas invenções, pois estava destruida, Harry viu três pessoas aparatando, dentre elas uma garota loira, com pouca idade, porém com um andar suntuoso, uma beleza que parecia emanar dos seus poros, e assim que o viu, caminhou em sua direção. As duas pessoas se desviaram de um gnomo que passava rapidamente entre eles, e foram em direção a cozinha da casa, possivelmente eram os Delacour´s, pois a mulher parecia encantar a todos quando passava.

Ele concluiu que a moça que se aproximava, se tratava de Gabrielle, a irmã mais nova de Fleur, que fora "salva" por ele em seu quarto ano em Hogwarts. Assim que a garota se aproximou de Harry e o cumprimentou com um efusivo abraço, como num passe de mágicas, Gina Weasley apareceu com Rony, dando a irmã mais nova de sua cunhada, um sorriso mortal e desdenhoso. Fora a deixa para Gabrielle sequer falar com o restante do quarteto, e só após ela se afastar alguns metros, Harry realmente olhou para Gina.


Em toda sua vida, Harry nunca havia visto a garota produzida daquela maneira, simplesmente irradiava beleza. Não parecia o encanto que as veelas provocavam nas pessoas, mas sim uma beleza única, uma visão que ele gostaria de ter para sempre na memória. Ela usava um lindissimo vestido dourado, com uma tonalidade que realçava os longos e ruivos cabelos de Gina, chegava quase em seus calcanhares, porém havia uma abertura em uma das pernas até o começo das coxas da menina, o que dava ao mesmo tempo um tom recatado e provocador ao vestido. O decote era firmemente preso por uma alça única, que trançava o pescoço de Gina como um espiral, deixando uma grande área dos braços e região entre o pescoço e bustos a mostra, e Harry, para seu desespero não pôde deixar de reparar que ela não era mais uma garotinha, devido a diversas curvas que agora estavam a mostra, com o vestido sob medida. Os calçados, por sinal bem modernos para uma madrinha, não foram sequer notados por Harry, que olhava bobamente para Gina, sem esboçar nenhuma reação.

Hermione, que notou um principio de olhar mortal por parte de Rony, chutou o calcanhar de Harry, que visivelmente surpreso pela pancada, se assustou e quase derrubou a mesa ao se levantar cambaleando, e ruborizar até o último fio de cabelo, pois Gina o fitava de um modo intenso, um olhar que o garoto conhecia tão bem, que preferia não encará-la nos olhos. Avistou a Prof. Minerva caminhando junto com Lupin, ambos bem arrumados, e resolveu tentar contornar a situação, e acenou em direção a ela, o que fez com que ela caminhasse na direção do quarteto. Entrementes, Gina e Hermione trocaram olhares cúmplices, e analisaram os dois garotos atentamente.

- Olá garotos, vejo que vocês estão ótimos - disse Minerva simplesmente. -, e capricharam no visual, pelo que eu vejo. Rony, estou espantada, finalmente você conseguiu se vestir de maneira elegante, até hoje eu fico horrorizada com aqueles seus trajes no baile de inverno. - finalizou a professora, provocando risos de todos eles. Dificilmente Minerva perdia seu tom severo, mas sempre que o fazia, ela realmente transpassava uma calma e carisma maravilhosos, fruto talvez de sua convivência com Dumbledore

- Professora, Hogwarts vai mesmo reabrir? - perguntou de sopetão Hermione, que não se controlou, mesmo sabendo que aquela não era a ocasião própria para isso.

- Sim, com certeza minha cara - exclamou Minerva com severidade. -, E mesmo que vocês insistam com aquele absurdo de não voltar a Hogwarts, terão que o fazer pelo menos no inicio das aulas, pois o testamento de Dumbledore será aberto na escola no dia Quatro de Setembro, e não há como vocês irem para lá por outro meio, senão o expresso de Hogwarts. Adotamos uma série de medidas de segurança, agora que Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado parece querer dominar nossa escola, visto que a única coisa que o impedia era Alvo. - disse a Professora. - Mas isso é assunto para outro dia, eu virei aqui na Toca assim que possível, e passarei a vocês todos os detalhes. - finalizou Mcgonnagal, dando um breve aceno e se dirigindo a um casal próximo, que acenava entusiasmadamente para ela.

Hermione fitou Harry com interesse, mas antes que ela pudesse dizer qualquer coisa, o rapaz se adiantou:

- Bom, tanto melhor para nós. Vamos para Hogwarts, ai teremos três dias para pesquisar algumas coisas, talvez conseguir a ajuda indireta de algum professor para aquele nosso livro, e depois do testamento partiremos para cumprir a missão que Dumbledore me deixou. - disse o garoto, visivelmente desconfortável.

- Você quer dizer, Nos , não é mesmo Harry? - disse Gina, o encarando de maneira séria.

- É, vocês entenderam. - Harry murmurou contrafeito, e em seguida caminhou em direção a tenda. - Vamos? - perguntou o garoto, retardando o passo para seus amigos o alcançarem. ( " E que comece a festa." - pensou com amargura, tentando parecer feliz com aquela situação.)




Harry nunca havia ido a um casamento bruxo, por isso sua cabeça pareceu latejar um pouco assim que adentrou a tenda. Uma infinidade de mesas e cadeiras brancas e douradas estavam espalhadas ao redor do salão. No centro, havia algumas fileiras de cadeiras, e uma passarela que se elevava a alguns centímetros do chão, com uma decoração extremamente bela, e no chão, Harry reparou, havia pétalas de estranhas flores, num misto de pedras brilhosas, com cores constratantes, o que dava a impressão de que havia uma ponte voando, formada por pedras, e flores caídas no outono.

A luminosidade parecia vir da própria tenda, não sendo necessário nenhum outro tipo de iluminação. Harry concluiu astutamente que os candelábros que flutuavam sobre as cabeças dos convidados, eram apenas para enfeite. No centro da balburdia, havia um imenso palanque, no qual a "ponte flutuante" terminava, totalmente enfeitado, mas com apenas um simples palanque, e algo que pareceu ao garoto uma espécie de megafone mágico. A um canto, Harry divisou uma porta, em que pessoas desconhecidas, vestidas de branco, caminhavam para dentro e fora dela, carregando grandes bandejas, o que despertou um animal adormecido no estômago dele, e lembrou-se que havia se alimentado muito mal o dia todo.

Graças a distração de Harry, ele não percebeu que realmente as pessoas estavam olhando para ele, desviando os olhares vez ou outra, e voltando a olhá-lo. Rony com um copo de cerveja amantegada na mão, cutucou o amigo e apontou a mesa onde estavam Gina e Hermione conversando, e foi em direção a elas. Harry apenas o seguiu e juntou-se aos amigos.

- Está surpreso não é? - perguntou Rony ao amigo. - Aposto que é o primeiro casamento bruxo que você comparece, mas não deve ser tão diferente assim dos casamentos dos trouxas, certo? - finalizou Rony, capturando alguns salgados da bandeija de um garçom que passava por eles nesse momento.

- Ah, eu não sei dizer realmente. Eu nunca fui a um casamento trouxa, meus tios não me levavam, e com certeza esse é o primeiro que eu venho. - disse Harry simplesmente. Antes mesmo de Rony voltar a falar com a boca extremamente cheia, Hermione o cortou.

- Eu já fui em alguns casamentos não-mágicos, e é quase a mesma coisa, Harry. A diferença é que tudo aqui é mais bonito, e é feito por magia, então, sabe como é, as coisas ficam do jeito que os noivos querem. Nada é impossivel. - concluiu Hermione, com seu ar mandão, lembrando muito a Harry a primeira vez que a vira no expresso de Hogwarts, procurando o sapo de Neville.

Não se passaram longos minutos, e Gina deixou a mesa dos garotos, para se juntar a Gabrielle no altar, onde os presentes já se arrumavam, para o grande momento. A movimentação aos poucos ia cessando, e Harry vislumbrou Gui Weasley adentrar o salão, passando lentamente pelo caminho de pedras, ao lado de Molly, que estava com os olhos cheios de lágrimas e um sorriso constratando com a aparente tristeza da matricarca dos Weasleys. Ao chegar no altar, o noivo se pôs ao lado direito de Harry, e Molly se juntou a Arthur, na primeira fileira de cadeiras, que formavam um quadrado em torno da passarela, e eram ladeados depois por mesas postas ao redor, com convidados exultantes, esperando pela noiva.

Uma porção de barulhos, gritos, fogos e luminosas estrelas, deu entrada para Fleur Delacour. Ela se encontrava parada, ao pé do começo da passarela, com um vestido em tons de branco, dourado, e detalhes creme, num espiral de bordados. Sua presença parecia abafar o ambiente, o que Harry pensou que fosse o sangue veela de sua familia. O vestido caia longamente por ela, como uma cascata de cores, deixando um rastro de dois metros ao chão, mas estranhamente deslizava junto com sua dona, parecendo flutuar míseros centimetros.

Ao som de uma linda música, ela caminhava lentamente na passarela, ao lado de seu pai, um sujeito baixo, bem vestido, mas que passou desapercebido, pois todos pareciam hipnotizados ao olhar para a noiva. Harry vislumbrou que ela usava a tiara da tia de Rony, e lembrou rapidamente do terror que era a tia Muriel. Despediu-se do pai, e se juntou a Gui, com um grande sorriso e viraram-se para o celebrador, ladeados por Gina e Gabrielle.

A cena toda pareceu se dissolver, e Harry vislumbrou um portal, uma imensa confusão se formava nele, pessoas lutavam, feitiços ricocheteavam na parede, e os acontecimentos iam passando lentamente ao garoto. A imagem de Dumbledore e Sirius eram sobrepostas pela batalha, e o que deixou Harry mais curioso, foi ver Arthur Weasley ao lado de Dumbledore, lutando contra os atacantes. Com certeza era um sonho, mas parecia tão real... O garoto parecia querer absorver o máximo possível daquelas imagens, e tentar discernir o que realmente era sonho e realidade, mas com certeza não passava de alucinações, pois seu padrinho e diretor estavam mortos...


- Vamos dançar? - propôs Gina ao grupo, quebrando as divagações de Harry acerva do que acabara de ver.

("Ah, não, eu não sei dançar!") ("Eu 'to comendo, Mione.")

Hermione levantou decidida, pegou na mão de Gina, e ambas foram para a pista, onde algumas pessoas já ensaiavam passos de dança, ao som de uma banda que Harry nunca ouvira antes. Agradeceu mentalmente que ninguém tivesse reparado, porque ele perdeu a noção de onde estava e sequer viu o "sim" entre os noivos. Sentiu seu rosto corar por ser tão mesquinho.

Passaram-se longos momentos, em que Harry apenas acompanhava os movimentos suaves de Gina. Ela estava muito animada, e dançava com estusiasmo ao lado de Hermione. Cada detalhe de seu rosto, o modo como os cabelos dela balançavam com a música, o jeito de se mover, tudo parecia inebriante a Harry. Por vezes achou que ela estava realmente o enfeitiçando, pois seu cérebro não conseguia pensar em mais nada, apenas nela, não importando todo o resto, ele queria apenas ser feliz, mas será que poderia?

Rony comia febrilmente, e acompanhava com as orelhas extremamente vermelhas, alguns jovens se aproximando de Hermione e Gina, e emitia grunhidos com a boca muito cheia, que Harry interpretou como implicâncias no jeito delas dançarem, ou de como as pessoas se aproximavam delas. Harry, no entanto, estava muito atento ao que acontecia, e divisou rapidamente que nenhuma delas sequer notava a presença de outras pessoas, apenas dançavam, não importando o que, quando ou como o dia de amanhã seria, só queriam aproveitar uma noite, e se divertir como se fosse a última, afinal, quem poderia saber quando poderiam desfrutar de algo assim novamente...

Algum tempo depois, as meninas voltaram completamente enxarcadas de suor, bebendo algo que parecia suco de abóbora, e se sentaram ao lado de um mal-humorado Rony, e um intrigado Harry.

- Vocês deveriam ir dançar com a gente, está muito boa a música. - disse Gina, olhando para Harry de uma maneira peculiar.- Acho que agora vai começar a tocar as Esquisitonas, pelo menos foi o que eles falaram. Vocês vão ir para a pista, nem que seja por uma música, ou vou azarar vocês dois. - finalizou Gina, tentando a todo custo permanecer com a expressão séria.

Harry finalmente se rendeu a insistência das meninas, e para desespero de Rony, o arrastou junto para a pista, pensando literalmente em se transfigurar em um galho de árvore, se ele soubesse como fazer isso, mas infelizmente, transfiguração humana era demasiado dificil para ele. Extremamente desconfortável, acabou se rendendo e ensaiando alguns passos, desincronizados, mas muito melhores do que seu amigo ruivo, que fazia caretas tão engraçadas, que Harry acabou esquecendo que não sabia dançar, e por alguns minutos, apenas se divertiu, como há tempos não fazia, como não sabia se já havia feito, pois sua vida era marcada por crueldade, ódio e morte. Isso o fez acordar para a realidade, e ao se dar conta do que estava acontecendo, não havia mais como fugir.

Os noivos valsavam de um modo pomposo em meio aos convidados, e Gina puxara Rony para dançar, o que fez com que Hermione rapidamente puxasse Harry em direção a valsa. Se houve ou não resistência, Harry não saberia dizer. Ao final da valsa, o Dj, para desespero do garoto, emendou outra música lenta, e rapidamente os pés das garotas começaram a ser massacrados.

Gina, se aproximando com extrema dificuldade do outro "par", provou que os treinamentos de quadribol haviam lhe rendido ágeis movimentos, concluiu Harry, pois ela virou-se com Rony, o empurrou em direção a Hermione, e puxou a mão de Harry para o garoto se juntar a ela. A confusão e choque inicial foi inevitável, e a garota ruiva aproximou sua boca da orelha de Harry e sussurrou:

- Agora vamos ver se o destino não dá uma força para esses dois, Merlim sabe que eles estão precisando. - e sorriu marotamente, recomeçando a dançar, sem dar ao garoto qualquer chance de procurar uma desculpa para não o fazer. Harry, poucas as vezes desde que terminara com Gina, chegou tão perto dela, e para seu imenso desespero, o já conhecido inebriante perfume floral que exalava de Gina, parecia vir da essência da garota, e não somente de seus cabelos, enganando seus sentidos, enquanto uma manada de hipogrifos desembestados parecia correr sem parar pelo seu estômago. Quando achou que não conseguiria mais resistir, ela encostou a cabeça no ombro de Harry, o que significou muito mais do que diálogos ou atitudes, e o afilhado de Sirius Black agradeceu mentalmente por ela existir, por ela o completar de maneira tão doce, e por compreendê-lo, e mesmo achando que Harry estava errado, ela o aguardava.

Ao som do que parecia uma música extremamente melodiosa, onde alguns convidados já pareciam estar indo embora, Harry focalizou seus amigos, que ainda dançavam, de maneira suave, exceto pelas caretas que Hermione fazia ao ter seu pé esmagado diversas vezes. Seu amigo, olhava para o teto, para os casais ao lado, a abraçava, mas nem por um momento sequer, conseguiu olhá-la nos olhos. Talvez ele já o tinha feito, mas conhecendo o ruivo do jeito que Harry conhecia, as coisas ainda não haviam se resolvido.

Ao som de uma música familiar a Harry, ele se retirou com Gina, ambos se despedindo lentamente, cada um absorto em pensamentos, em como o destino parecia os unir, e como apenas um homem parecia controlar o destino de todos eles... Alguém que Harry desprezava mais do que qualquer pessoa no mundo, alguém que tirara de Harry a chance de conhecer seus pais, de ter um padrinho, e um futuro...


---------------


Gente, depois eu coloco aqui os agradecimentos individuais, porque eu preciso sair, e se eu nao postasse hj, eu iria receber algumas pedradas.
Por enquanto, eu Agradeço IMENSAMENTE, muito mesmo, a todos que leram a fic, aos que estao lendo, e a todos que deixam comentários.

Espero que gostem do cap, foi feito com tranquilidade, e levei mais tempo doq eu gostaria...

Aguardo comentários, para saber o que voces acharam dos capitulos.


Abraços a todos. E Obrigado novamente.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.