FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. Um dia Perturbador


Fic: Harry Potter e a II Grande Guerra Bruxa . HG - 02.07


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Assim se passaram os dias que antecediam o casamento, e o pior martírio de Harry Potter, era que sua convivência com Gina estava atingindo um ápice tão grande, que a amizade deles tinha se tornado o ponto que Harry se apegava inconscientemente quando precisava enfrentar as faltas de pessoas importantes para ele, que o garoto havia perdido cruelmente, vidas separadas por conta de acontecimentos sempre ligados a eles. " Até quando as pessoas que são importantes para mim vão morrer? Será que eu não mereço ser feliz? Ou será que tudo que eu posso ver em meu futuro seja Lord Voldemort? "Esses pensamentos apenas eram suprimidos por Gina, e não como sua namorada, e sim como companheira, algo que Harry não conseguia definir, fruto de um amor sem limites, algo que estava fora até mesmo do alcance de definição daquele que fora o maior de todos os bruxos, aquele que ensinara a Harry que amar era sua maior força, e finalmente, apesar de toda a mágoa, Harry James Potter começava a compreender o quão sábio era Dumbledore.




Capítulo 6 - Um dia "Perturbador"





Na manhã da ante-véspera do casamento, Harry acordou parecendo mais bem humorado do que esteve em muitos dias, mas não sabia explicar o que estava acontecendo com ele, porém a sensação era ótima. Levantou-se com os roncos desafinados de Rony, e após um banho longamente demorado, desceu em direção a cozinha. A Sra. Weasley já se encontrava de pé, lendo o jornal que Harry identificou como O Profeta Vespertino, e a única coisa que o garoto conseguia ver era uma grande imagem de Alvo Dumbledore, o que fez Harry sentir-se como o mais terrivel dos seres, pois ele foi imprestável o suficiente para não ter conseguido evitar aquilo que parecia ainda não ter acontecido, e esperava que poderia enfim acordar de um pesadelo horrível. Porém era real, tão real quanto as mortes das pessoas que Harry tanto amou...

Sentou-se calmamente na mesa, com os pensamentos ainda confusos, e seu visivel bom-humor já o havia deixado. Encontrou O Pasquim, com marcas amassadas e folheado, e Harry presumiu que Molly estava devorando todos os tipos de informações sobre o mundo Bruxo. Pegando lentamente o jornal e passando displicentemente as páginas, percebeu na contra capa do jornal uma publicação no minímo inusitada. A Manchete dizia claramente:



Inomináveis Recrutam ?!



Fontes confidencias do Ministério da Magia, confidenciaram a reportagem de nosso jornal, que fatos estranhos estavam ocorrendo demasiadamente no Departamento de Mistérios, que as fontes oficiais sempre evitam de comentar, inclusive nos ameaçando absurdamente com prisões e punições, provando que o direito de imprensa e a tirania estão em toda a parte no governo atual.

Soubemos por meio extremamente secreto, que alguns funcionários desapareceram misteriosamente ao longo dos meses, e que isso está intrigando os chamados Inomináveis, que infelizmente não tivemos acesso a tais funcionarios, porém para nossa grande surpresa, um nome recém contratado para esse departamento chegou em nossas mãos, e em primeira mão, iremos divulgá-lo, com exclusividade a vocês, leitores.

Após diversos testes, dos quais especula-se que incluem até as maldições imperdoáveis, um membro de uma das familias mágicas mais antigas de nossa comunidade foi admitido, e para a surpresa de todos os que estão lendo, o nomeado, ou inomeável, foi Arthur Weasley.......




Harry extremamente confuso com a matéria, acabou esquecendo de terminar a leitura, e ergueu os olhos para Molly, que já o estava encarando, atenta a leitura do rapaz.

- Eu sei querido, eu também fui pega de surpresa, e após essa notícia, eu recebi em seguida uma coruja de Arthur, confirmando que era realmente verdade, porém ele não poderia se explanar melhor. A unica coisa que eu entendi foi que ele insinuou que tem algo a ver com Dumbledore. Eu realmente não entendo, que missão será essa? Será que Alvo não poderia escolher outra pesssoa? Cada dia que passa as coisas estão ficando mais perigosas, Voldemort já tem praticamente o ministério sobre o seu controle, e Arthur agora está no local exatamente onde todas as atenções estão voltadas. Ah Harry, chegaram as corujas de Hogwarts para vocês - Molly apontava para algumas cartas no canto de uma mesa, onde jazia alguns itens que Harry não fazia idéia do que eram, e se mostrou aturdido demais com o fato de Hogwarts reabrir, olhando bobamente das cartas para os objetos, e suspirando a matricarca dos Weasleys continuou -, Eu sei meu querido, Ruffos acabou de decretar a reabertura da escola, e Minerva foi extremamente eficiente, e já aproveitou e enviou também os resultados dos exames escolares. Espero que a Gina...

- O que eu fiz dessa vez? - exclamou a garota descendo as escadas, com seus cabelos extremamente ruivos esvoaçando por suas costas, o que fez com que Harry olhasse com um sorriso extremamente bobo, e se embriagasse novamente naquele cheiro floral, que somente ela era capaz de transmitir, fazendo com que Gina rapidamente percebesse a profundidade daquele olhar, e o retribuiu de maneira doce, como só ela sabia fazer. A garota parou sob o olhar de sua mãe, e recebeu a carta de Hogwarts, onde constavam os resultados de seus NOM´s.

Harry acompanhou cada gesto, cada mudança facial de Gina. Ela era realmente linda, mas possuia algo além, parecia uma aura envolvente, que o prendia e o acalmava, fazendo-o perder a noçao da realidade. Ele a amava, e o sentimento era tão forte, que só de pensar que podia perdê-la, era uma dor alucinante que o comprimia, e mesmo sabendo que o amor dela era incondicional, ele se perguntava se realmente merecia tudo aquilo, se conseguiria manter sua decisão de ficar afastado de algo que só lhe fazia bem.

Gina abriu lentamente a carta, e agora passava rapidamente os olhos em seu conteúdo, com um rosto extremamente enigmático e impassivel, impossivel para Harry e a Sra. Weasley dinstinguir o conteúdo da carta. Após o que pareceram horas, ela despejou a carta na mão de sua mãe, e pulou sobre Harry com um entusiasmo tão grande que o derrubou contra a parede, e seus rostos ficaram colados, as respirações entrecortadas, e o perfume floral de Gina embriagando Harry de uma tal maneira, que o garoto quase esqueceu que a mãe de Gina estava presente.. Extremamente embaraçados, viram que Molly estava com os olhos vidrados na carta, mal notando a cena que havia acontecido, e antes que Gina pudesse dizer a Harry quais foram suas notas, a Sra. Weasley exclamou:

- Gina, minha filhinha, eu sempre soube que você faria jus a nossa familia, seus irmão vao ficar tão orgulhosos; isso aqui é melhor do que eu realmente havia esperado - e voltou-se para Harry, com a carta na mão, os olhos chorosos, e balançando frenéticamente a carta. -, Excedente Expectativas em todas as Matérias, e um Ótimo em Defesa contra as Artes das Trevas, Harry, dá para acreditar?. - completou Molly sob o olhar atônito do garoto, que ia de Gina um pouco embaraçada pelo "escândalo" da mãe, e para a carta, que Harry não conseguia ler. -, Espera só o Arthur saber disso, estou tão orgulhosa, tão orgulhosaaaa....



"Craque"



E os Gêmeos aparataram com suas varinhas em riste, quando Fred perguntou:

- Quem foi morto? Estamos sob ataque? - completou o Gêmeo, com seu sorriso extremamente irônico.

- Ou será que o Cicatriz está atacando a nossa irmãzinha? - disse Jorge com uma expressão terrivelmente maldosa. -, acho que teremos que agir, certo, Fred? - finalizou Jorge, avançando em direção a Harry.

- Com certeza, Jorge. - e apontou a varinha diretamente para Harry, que olhava a cena extremamente confuso e com um pouco de receio, pois vindo dos Gêmeos, com certeza não seria boa coisa.

- Dá para vocês pararem com isso? - exclamou a Sra. Weasley. - Sua irmã acabou de receber os NOM´s, e ela foi aprovada em TODAS as matérias, inclusive, um Ótimo em DCAT, coisa que vocês dois juntos não conseguiram. - completou Molly, levando suas mãos a cintura num gesto clássico de impaciência. Gina nesse momento adquiriu um tom rosado, sob o olhar sarcástico dos irmãos.

- Vejo que nossa irmãzinha está seguindo os passos de uma certa pessoa, pela qual nosso irmão está caidinho - completaram os Gêmeos simultaneamente, e depois desataram a gritar. -, Gina tirou um Ótimo em DCAT, Gina tirou O em DCAT...

Algum tempo depois, e constantes mudanças na cor do rosto de Gina, a maioria dos Weasleys estavam na mesa tomando café, ou na sala conversando despreocupadamente, enquanto Harry esperava Rony comer toda a comida que lhe era possivel, para jogar xadrez bruxo. Horas se passaram, num dia que parecia extremamente calmo, pontuado apenas pelos constantes comentários sobre o fato de Arthur ser promovido ao departamento de mistérios. Os rostos pareciam exultar de felicidade, pois finalmente o pai de Rony tinha um emprego realmente importante, porém Hermione ficava extremamente desconfortável quando os assuntos rumavam para essa vertente.

Após o almoço, Gina decidiu que iriam fazer um pequenique nas cercanias de uma cachoeira próxima, o que foi prontamente aceito por Hermione, e arrancou gemidos de Harry e Ron ("Teremos que andar muitoooo, meninas."). Por fim, como era o esperado, eles rumavam em direção as cercanias do local onde se localizava a cachoeira. Andaram durante alguns minutos, e por fim chegaram ao famoso local, onde havia uma queda d´água razoável, com árvores ao redor do local, e algumas pedras circundavam a "piscina" formada pela água.Gina prontamente estendeu uma toalha e depositou uma parte dos pertences que ela estava levando, sendo seguida pelos demais, que se sentaram para apreciar a paisagem.

O local em si era extremamente agradavel, porém estranhamente assustador ao mesmo tempo, pois o vento uivava ao perspassar as árvores e obstáculos naturais, fazendo folhas serem jogadas ao longe, num espetáculo de profusões de elementos que só a mãe natureza sabia fazer. Por ser um local não muito adequado à luz solar, o número de animais era pequeno, porém flores belissimas, que aparentemente não necessitavam de tanta luz solar, ainda permaneciam brilhosas e em grande número, apesar da chegada iminente do outono.

O clima parecia propicio aos visitantes, pois o vento acalmava a temperatura de certo modo elevada, dando uma sensação de liberdade e alivio ao quarteto, pois todos estavam realmente precisando. Ambientes carregados, discussões e mortes foram pontuados nos últimos dias, e aquele local parecia um oásis, um pequeno refúgio de que todos precisam, principalmente àqueles que tem um fardo tão pesado em seus caminhos. Não saberiam dizer quanto tempo cada um pareceu absorto em pensamentos, sem se comunicar com palavras, porém linhas de compreensão perspassavam seus rostos, afinal uma amizade tão forte como a deles era construida por muito mais do que palavras, era algo indefinivel e até mesmo inexplicável, um amor incondicional que movia montanhas. Mal sabiam eles que essa arma era demasiada forte até mesmo para Voldemort....

- Gente, tem algumas trilhas aqui atrás, eu vou mostrar pro Harry as árvores que a gente costumava se pendurar e brincar, e voltamos já ok? - disse Gina encarando demoradamente Hermione, que por alguma razão corou brutalmente. Rony até pensou em perguntar porque aquele sorriso brotava dos lábios da irmã, ou porque Hermione não o chamou também para todos irem conhecer as trilhas, mas uma força interior o fez ficar indiferente a situação, apenas olhando seu melhor amigo e irmã caçula sumindo em meio as folhagens, e por alguma razão que nem mesmo ele sabia de onde veio, disse por fim:

- Muito bom que eles curtam os momentos deles, ai com certeza podemos ficar a sós e...- mas parou bruscamente a frase, pois ao analisar o que havia dito, seu rosto adquiriu um tom próximo ao roxo, o que Hermione interpretou, de tão estupefada que estava, que poderia finalmente ser um indício de que por trás daquele legume insensivel existia um sentimento? Será que ele fazia idéia de que há mais de seis anos era reciproco? Ela não saberia dizer como começou, e nem o motivo pelo qual ela se apegou de maneira diferente ao menino de cabelos ruivos e sardas no rosto, porém, quando ela se deu conta, já estava totalmente envolvida, e por mais que tentasse compreender seus sentimentos, mais eles se complicavam, como se quisessem dar um nó em seu cérebro.

As árvores adquiriam um status maior, e foram dignas da atenção de Rony por tanto tempo, que Hermione resolveu finalmente intervir:

- Rony, você poderia falar comigo, ou vai me deixar aqui plantada como uma mandrágora? - emendou a garota de uma só vez, esperando a reação de Rony.

- Ah, é que eu estava distraido Mione, me desculpe. Você tá afim de nadar? A água parece tão gostosa... - disse Rony com uma voz extremamente desconfortável.

- Não, Ron, obviamente eu não quero nadar. Você não reparou que apesar dessa queda ser muito bonita, ali onde você sugeriu nadar, possui uma concentração incomum de "peixes" vermelhos, que eu tenho quase certeza que são piranhas? - disse Hermione com seu habitual tom presunsivo. - E tem mais, você está me evitando? O que foi que eu fiz dessa vez, Rony Weasley? - finalizou a garota, levando uma garrafa de suco de abóboras a boca, seu cérebro processando as informações de maneira nada eloqüente, que ela não conseguia sequer entender o que queria realmente expressar com aquelas palavras.

Sentindo um incomum calor subir pelo seu corpo, e o cheiro dos cabelos de Hermione invadindo seus pulmões, causando uma sensação de torpor que ele jamais presenciou, e tentava compreender o que estaria acontecendo com seu próprio corpo, porque cada vez mais, ele sentia o ar faltar aos pulmões só de pensar na distância que ele gostaria de ficar, e isso comprimia seu peito de uma maneira cruel, quase desumana.

Instintivamente, seu corpo parecia querer uma solução para todas aquelas inquietações, e a única solução que ele encontrou foi tirar a camiseta e pular tão rápido na água, que Hermione não pôde nem esboçar uma reação...

Alguns segundos foram suficientes para se perceber que realmente Hermione estava certa, e Rony já havia desatado a praguejar muito alto, e a nadar contra aquele "cardume" de peixes famintos, procurando a todo momento remoer sua carne em busca de assegurar o jantar que se dispunha tão facilmente a eles. Hermione, que em poucas vezes se descontrolava, fez o que qualquer pessoa em um primeiro impulso faria, ou não?

Pulou na água, e nadou descompassadamente em direção a Rony, que se deu conta que Hermione estava tendo extrema dificuldade em nadar, e sem pensar nadou em sua direção, mesmo havendo uma sequência de rochas delineadas pela ação do tempo, que estavam fixas ao lado de um coral e algas que margeavam toda a borda do rio, muito próximas a ele. Alguns segundos apenas, entrecortados por Rony tentando chamar a atenção de Hermione, a dor rapidamente sumiu, seus olhos não conseguiam enxergar devido a diversos brilhos intensos, e quando conseguiu finalmente abrir os olhos, se viu deitado ao lado de Hermione, recostada sob uma árvore, extremamente pálida, com os dentes rangendo uns contra os outros, numa sinfonia entrecortada da respiração de seus "salvadores".

Harry e Gina estavam de pé, com suas varinhas em riste, apontadas agora contra as roupas dos dois, secando-os totalmente.

- O que diabos vocês estavam tentando fazer? - disse Harry extremamente confuso. - Eu sei que você, disse olhando para Rony, não teria percebido que realmente havia piranhas lá, mas você Hermione... - finalizou Harry, olhando de um para o outro, esperando uma explicação. Gina ria sem parar agora, levando as mãos a barriga, balbuciando palavras entrecortadas e inaudiveis durante uma risada e outra.

- Isso não tem a menor graça - Hermione começou seu discurso. -, o seu irmão, Gina, simplesmente pulou na água, sem mais nem menos, e as piranhas começaram a mordê-lo, e eu não soube o que fazer, e então pulei para tentar puxá-lo para a margem do rio.- disse a garota, mas seu tom de voz era cada vez mais baixo, e ela sentia uma estranha tremedeira em suas mãos, que nada tinha a ver com o frio, que já havia se esvaido.

- Engraçado, sabe, Mione. Eu usaria minha varinha, acho que um simples feitiço de levitação seria suficiente para tirá-lo da água, e mesmo que você quisesse fazer isso de modo mais, digamos, emocionante, deveria ter usado uma modalidade que você soubesse praticar, e não aquela coisa horrível, com braços e pernas arqueando ao redor do corpo, mais jogando água para todos os lados do que nadando. - finalizou Gina, ainda com um sorriso extremamente sarcástico em sua boca.

O mais perfeito feitiço do silêncio parecia ter sido utilizado, Rony tentava a todo custo se desviar da conversa e dos olhares irônicos de Harry e Gina, e Hermione estava tão vermelha e sem fala, que Harry puxou a mão de Gina, e por fim ele disse:

- Recolham as coisas, estaremos esperando vocês no quintal lá d´A Toca. - disse Harry, já sumindo entre as árvores.

- E demorem o tempo que quiserem... - gritou Gina, já fora do alcance de visão dos "nadadores."


Não muito tempo depois, Harry e Gina avistaram os dois caminhando em direção as árvores que ambos estavam recostados, e notaram que Rony e Hermione evitavam deliberadamente se olhar por mais de um centésimo de segundo. Comprimiram as risadas, na esperança de saber o que realmente havia acontecido, mas foi em vão.Passaram por eles rapidamente, e se dirigiram para dentro.

Trocaram um último olhar cúmplice sob as árvores, observando o final do dia, e também entraram, com a certeza de que ambos teriam conversas idênticas, em quartos separados.

Realmente, aquele foi um dia perturbador para os sentimentos... ou não!


================================

Aháaaa, pronto, finalmente consegui terminar esse capitulo, confesso que foi um desafio e tanto para mim, pois eu não sou digamos, especialista em momentos R/Hr.
Achei que devia isso a vocês, e ai está. A fic é basicamente um sétimo livro, pontuado por muito mais romance, e com acontecimentos que eu gostaria que tivessem acontecidos. Então nao fiquem bravos comigo se eu mexer em coisas que voces gostaram ein?! xD
Espero que gostem, e todas as criticas serão levadas em conta, afinal eu sou um marinheiro de primeira viagem. Em relação ao restante do capitulo, eu tentei encaixar o casamento, mas existiam coisas que eu precisava falar, e se eu colocasse junto, ficaria uma salada de frutas, com muitas informações e pouco conteúdo.
Então, o próximo capitulo com certeza será sobre o casamento de Gui e Fleur, e com certeza algumas surpresas aguardam vocês.

Agradecimentos:

Thaty: Muito Obrigado mesmo pelo apoio, seus comentários foram essenciais para eu conseguir terminar o 5 e 6 capitulo. É sempre bom escrever, mas é muito melhor quando as pessoas gostam do que você escreve. Só o que eu tenho a fazer é agradecer muito pela sua leitura, e desejar que você realmente goste muitoooo desse capitulo, pois foi o mais dificil até agora para mim escrever.

Leticia: Brigadooooo ! Então, espero que gostem do capitulo 6, e continue lendo. Prometo que eu nao vou demorar para atualizar agora a FIC, até já comecei a escrever o cap 7. Tah vendo?? Agora vc nem vai precisar ler a fic inteira de novo.. hahahaa... thx a lot.

Nandaginaaa: Finalmente einnn? Ufaaaa. Ainda tou te devendo um comentário, eu já li o novo cap da sua fic, mais como eu tinha que terminar esse aqui senao vc ia me lançar uma maldição imperdoavel, eu decidi primeiro postar. xD
Esse cap realmente nao teve momentos H/G, porém logo logo eu apronto de novo, e faço algumas coisas que voces realmente vao gostar. Thks a lot por perder alguns minutos lendo o que eu escrevo, é muito gratificante.

Jubs: Nossa, um capitulo inteiro dedicado a mim? Eu confesso que fiquei sem palavras, já paguei os comentários que eu devia, mas ainda estou mto feliz por voce ter lembrado. Agora, não esqueça que se vc nao atualizar a sua fic, eu vou infernizar vc no forum todo dia, entao vamos logo escrevendo. *rod com a chibata na mao*. Vlw blw tambem por dar uma passada aki e ler, fiko mto feliz que bons autores leiam a minha fic. Dedico também esse cap a voce, com momentos R/Hr

Bruna Malfoy: Uiii, excessoes soh pros seus parentes, certo? Espero que goste da fic, estou aguardando seus comentarios ein. Bjus bjussssss

Hamilton: Só tenho a agradecer, realmente eu me esforço muito para me manter fiel aos perfis de cada personagem do livro, e qualquer hora que voce notar algo diferente, pode puxar a minha orelha ok? Thks ...e aproveite o capitulo. \o\

Lari: Brigado Brigadooooo. Espero que goste do novo capitulo. Foi um incrivel desafio para mim escreve-lo. xD . E continue acompanhando a fic ein, não vá me esquecer.

Gina: Leia esse novo cap ein? E espero mais comentarios seus como sempre. Obrigadooo demais por ler as minhas ideias loucas.

Mel Malfoy: FIlhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa \o\. Le logo a minha fic, senao vou te deixar uma semana de castigooo . E espero um comentariozinho seu einnnn. Bjus bjus bjus. E eu kerooo minha capaaaaaaaaaaaaaaaaa \o\. lalalaaaa

Bernardo: Meu grande autor de quadribol, espero que leia o cap. e deixe resenhas. é muito importante para nos, como vc sabe. \o\

E quero agradecer também a toda irmandade FiCWriter( IngLuna, Adriana, Mia, Sarahh, Bruna, Mel, minhas irmãs mais velha, Morgana, Asrail e todas as outras que eu esqueci o nome agora), que são pessoas maravilhosas e sempre nos ajudam quando precisamos. Tks a lot people.

E o último agradecimento vai a todos os leitores, que mesmo nao deixando comentarios, estao lendo minha fic, ou passando por ela, e isso é realmente gratificante. Obrigado a voces todos, e espero um dia receber um comentario de voces.


Abraços e Boa Leitura.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.