FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

20. The End.


Fic: Os Novos Marotos 4 De volta a Hogwarts


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Música: Innocence – Avril Lavigne



The End.


O Sol estava mesmo de matar, Carter havia limpado a testa pela décima vez enquanto ajudava seus Elfos domésticos a darem um jeito no jardim, que por sua vez estava em perfeito estado após tantos anos. Um barulho vindo dos portões atraiu ligeiramente a atenção do rapaz, olhou para o mesmo que os Elfos limpavam e tentavam retirar o enferrujado inutilmente e viu a imagem de um carro e uma bela moto verde, reconhecendo nos mesmos veículos Blake e Draco.

- CARTIEEEE!!! – Blake como sempre demonstrava o quanto era escandaloso.

O moreno girara os olhos, Draco que possuía os vidros abertos do carro resmungou algo a Blake sobre um dia deixa-lo surdo, Carter sorriu com o canto da boca logo mandando os Elfos pararem de limpar o portão e abrir o mesmo para seus amigos.

Os dois adentraram com os veículos os parando na limpa estradinha, cumprimentaram Carter do modo de sempre e adentraram a Mansão dos Trent’s.

- Uau! – Blake comentara olhando ao redor. – A última vez que estive aqui isso parecia um daqueles filmes de terror, e agora vejam só!
- Você é tãããoo discreto Vira-lata! – Draco girava os olhos azuis.
- Passei a madrugada e parte do dia de hoje arrumando isso tudo, mandei retirar todos objetos das trevas, quadros antigos essas coisas horripilantes... – Carter comentava. – Os Elfos acabaram de limpar a casa, o que está difícil mesmo é o lado de fora.
- Mas você realmente fez um bom trabalho Cartiezito! – Blake olhava para o corrimão dourado reluzente da escada. – Parece até ouro!
- É ouro seu imbecil! – Draco comentara dentre os dentes fazendo Blake arregalar os olhos como nunca.
- CARACA! – Berrara Blake dando leves socos no corrimão fazendo Draco murmurar algum xingamento e Carter segurar uma gargalhada.
- É impressão minha ou você não está num bom dia Draco? O que foi? Sua mãe reformou seu quarto enquanto você esteve fora? – Carter perguntara do modo irônico Sonserino de sempre.

Blake que estava no pé da escada averiguando se o corrimão era realmente de ouro aproximou-se dos dois amigos com um sorriso triste brincando em seus lábios, Carter olhou os dois amigos sem entender e indicou para que sentassem no sofá negro colocado frente à lareira na sala de estar.

- Draco está magoado! – Declarou Blake.
- Magoado? – Carter ergueu ambas sobrancelhas e olhou para o loiro que bufou em resposta.
- Suzan está em Paris, parece que se mudou para lá alguns anos atrás... – Blake comentara coçando o queixo levemente. – A trabalho, algo do tipo... Papai disse que ela é muito boa no que faz, parece que é um tipo de Diplomata, sei lá!
- Então o Lobinho está revoltado porque a dona de seu coração não está no país... – Carter comentara com sarcasmo.
- Não começa Carter... – Draco parecia avisar o amigo.
- Começar? Eu? Imagina... – Carter rolava os olhos. – Você fica alguns anos fora procurando algo inútil com seus dois melhores amigos abandonando a única garota que você teve algum tipo de sentimento! Então você volta para casa após quase quatro anos e descobre que ela é uma ótima profissional e se mudou de país, enquanto você ainda é um zero a esquerda!
- Carter eu estou avisando, não estou com paciência hoje... – Draco levantava-se do sofá e escorava-se na lareira, Blake até então apenas observava tudo em silêncio.
- Paciência? Hum... Claro! Você não tem paciência, mas espera que a mulher de sua vida tenha para te esperar por toda eternidade! Que coisa meiga... – Carter colocava as mãos atrás da cabeça e sorria de canto.
- O QUE VOCÊ QUER QUE EU FAÇA CARTER? VÁ PARA PARIS E IMPLORE PARA QUE ELA VOLTE COMIGO?

Os rostos de Carter e Blake iluminaram-se de repente, o loiro olhara ambos com o cenho franzido não imaginando na dimensão que suas palavras haviam tomado.

- Até que não é má idéia! – Blake falara sorridente.
- Você só pode estar brincando! – Draco falara nervoso.
- Eu sei que vou me odiar o resto da vida por isso, mas... – Carter engolira seco como se fosse dizer algo extremamente difícil. – O Vira Lixeira tem razão!
- Como é que é? – Draco parecia estupefato com as palavras do amigo.
- Você vai a Paris conversa com a garota e vê no quê que dá! – Carter falava como se fosse óbvio.
- Hã? Vocês ficaram loucos! – Draco declarara passando as mãos pelos cabelos.
- Podemos ser loucos, mas temos razão no que falamos! – Blake falara risonho.
- E o meu orgulho? Onde fica o meu orgulho nessa palhaçada toda? – O loiro falara tenso.
- Você a ama? – Carter perguntara sério.
- O quê? É claro que eu a amo seu idiota! Se eu não a amasse eu não estaria nesse estado!
- Então seu orgulho não importa.

Ás últimas palavras de Carter fizeram Blake bater palmas e Draco olhar o amigo com uma expressão indecifrável no rosto, ambos permaneceram em silêncio por alguns segundos até um Elfo entrar na sala e fazer uma reverência um tanto quanto exagerada para Carter.

- Sim Mutch? – Carter perguntara ao Elfo.
- O quarto do menino está pronto mestre!
- Quarto do menino? – Blake perguntara sem entender.
- Mandei Mutch e alguns outros elfos reformarem alguns quartos da mansão, digamos que fiz uma reforma na casa, alguns móveis novos devem chegar ainda hoje...
- Você mandou fazer o quarto para Caios não é? – Draco perguntara com um sorriso imenso.
- Caios? O garoto da visão? É por isso que você está reformando sua casa Cartie? Para... – Blake perguntava empolgado.
- Para ele e para minha irmã! – Draco falou simplesmente como se somasse um mais um. – Acontece que você ainda não foi atrás da Amy, creio eu...
- Eu ainda não fui, para falar a verdade sequer sei onde ela se encontra, mas isso é irrelevante afinal irei até o fim do mundo para acha-la se necessário. – Carter falava calmamente levantando-se do sofá e se espreguiçando.
- Quando for a ver então não apareça com essa cara de morto-vivo e essas roupas suadas! – Blake falara com uma cara de nojo.
- Eu sequer sei onde ela está sua anta! – Carter dava um tapa na cabeça do amigo que apenas girara os olhos reclamando baixinho algo sobre todos o baterem.
- St.Mungus. – Draco falara em alto e sonoro tom.
- O que tem o St.Mungus? – Carter perguntara monotamente.
- Amy trabalha lá, parece que se tornou médica... – Draco comentara com um imenso sorriso. – E então? Vai lá?
- Amanhã... – Carter sorrira de volta para o amigo. – Amanhã estarei em estado apresentável e irei até ela.
- Ótimo! Temos duas vidas resolvidas aqui, você irá até minha irmã amanhã e eu irei até Suzan. – Draco falara animado. – E você Fuça Lixo?
- O que tem eu? – Blake perguntara assustado.
- Quando vai ver a Potter? – Carter perguntara como se aquilo fosse óbvio.
- Hã... Não sei se quero ir... – Blake engolira em seco. – Ela disse que não iria me esperar, e quando eu partir a gente hã... Vocês sabem.
- Por acaso você ‘tá com medo de que a Potter do meio te bata ou te prenda em Azkaban? – Draco perguntara risonho.
- Ela tem poder para prende-lo? – Carter perguntara interessado.
- Parece que ela se tornou Auror! – O loiro respondera divertido.
- É Blake, parece que você vai mesmo ter que domar uma fera! – Declarou Carter gargalhando.
- Não vejo graça nisso!
- Mas nós vemos, nós vemos e muita! – Draco gargalhava junto de Carter fazendo logo com que Blake gargalhasse junto deles.


O resto do dia fora com conversas animadas sobre o que acontecera com os outros amigos, Carter recusava-se a acreditar que Cassy realmente havia se casado com Luke, aquilo era informação demais para uma cabeça só. Assim que o final da tarde chegara alguns móveis encomendados por Carter chegaram junto, fazendo Blake e Draco decidirem que já era hora de partir. Com uma despedida rápida os outros dois sonserinos abandonaram a Mansão Trent que ficou apenas com Carter e os elfos.



Dois dias depois:

Rua Queen 34


Uma mulher de seus 20 anos andava em passos rápidos. Os cabelos loiros escuros lisos presos em um rabo de cavalo no alto da cabeça, deixando apenas a franja cair sobre os olhos incrivelmente verdes. Trajada por uma roupa completamente negra e com uma capa da mesma cor sobre os ombros, perseguia com a varinha empunhe nas mãos um homem de seus trinta anos que corria e olhava para trás um tanto desesperado.

O homem com aspecto cansado havia ficado encurralado em uma rua e a garota deu um leve sorriso colocando a varinha no peito do mesmo que a encarava com um medo explicito em sua face.

- Por favor, não! Eu imploro! – Ele ajoelhava-se perante a garota.
- Quero nomes Donald! E quero imediatamente! – A garota falara séria.
- Eu... Eu não posso dizer Srta. Potter! Eles vão me matar!
- Você tem a proteção do Ministério, tem a minha palavra Donald! Não é o suficiente? Ou será que você acha que eu sou como a escória que você anda?
- Não! Jamais senhorita! – O homem chorava desesperado. – Você já tem minha varinha, eu já disse tudo! Tudo o que queria saber...
- Nem tudo... – A garota abaixava-se e ficava na altura dos olhos do homem. – Quais são os nomes?

O homem a encarava ainda mais desesperado, a garota levantara novamente vendo que aquilo não iria chegar a lugar algum, bufou levemente e conjurou algemas enfeitiçadas, virou o homem de costas e começou a coloca-las em suas mãos.

- Você Reymond Donald está preso por Confraternização com Magia Negra e ocultação de nomes para com o Ministério, Ashlee Kaitlin Potter reside sua prisão, você tem direito a um julgamento descente no Ministério da Magia e que Merlim o ajude Donald, pois você precisará muito dele...

Ashlee afastara do homem, as algemas pareceram gravar toda a conversa, pois começaram a repetir as palavras de Ashlee logo após a garota terminar. Ela então olhara tristemente ao homem e com um feitiço ele desaparecera de sua frente, indo para a prisão.

Ela soltou os cabelos do rabo de cavalo, começou a andar no meio da rua como se nada de anormal houvesse ocorrido ali, sentiu algo estranho, virou para trás e ergueu sua varinha, tinha certeza que estava sendo seguida, sempre estava alerta, sabia que algo estava errado.

- Quem está aí? – Perguntou séria.

Não houve resposta, ela realmente não esperava que houvesse até que notou um cachorro negro sentado a encarando com os olhos verdes, olhou para o cachorro séria.

- Ótimo! Agora me sinto ameaçada por um cachorro! – Resmungou baixinho.

Voltou a andar sem notar que o cachorro a seguia, parando então no final da rua notando uma moto verde imensa parada, franziu o cenho e em seguida sentiu a ponta de uma varinha em suas costas.

- Deveria sempre suspeitar de animagos Ashlee... Pensei que fosse mais esperta!

Aquela voz a fez tremer de corpo e alma, não queria ousar virar de costas e ver que tudo não passou de uma ilusão maluca, entretanto quando a sensação da varinha em suas costas desaparecera, ela criara toda a coragem do mundo para virar e ver a imagem sorridente de Blake Zabine.

Ele estava mais alto, mais encorpado e com um ar de mais velho, o que de certo modo lhe acrescentava um charme. O sorriso continuava o mesmo, o mesmo sorriso cafajeste que ele lhe lançava desde que eram pequenos.

- Blake... – Ela o encarava com os olhos esbugalhados o fazendo sorrir mais ainda. – Seu Vira Lata Miserável de uma Figa! – Ela começara a falar alto em seguida o batendo com os punhos.

Blake gargalhava limitando-se em falar “AI, AI” e a defender-se dos socos, tapas e chutes que Ashlee começava a lhe dar, acabou por conseguir segurar a garota a prendendo em seus braços, ela o olhava com raiva e ele realmente sentiu que se a soltasse ela voltaria a lhe espancar novamente.

- Olha me bater não vai adiantar nada! – Ele falara a encarando nos olhos.
- Me solta Blake! – Ela falara severa o encarando nos olhos.
- Ash... – Ele a encarava tristemente, mas a soltando em seguida.

Ela apanhara sua própria varinha que estava no chão, havia caído por conta de seu ataque de nervos. Blake a olhara tristemente.

- Ash... Qual é? – Ele falara decepcionado.
- Quase quatro anos Blake! – Ela o olhara severa um olhar típico de Pansy Parkinson.
- Mas eu voltei, não voltei?
- E você ainda acha que eu estou te esperando?
- Não... Realmente não acho, sinceramente faz três dias que cheguei e se te procurei hoje foi por pensar muito nisso...
- Nisso o quê? – Ela perguntara o olhando com menos severidade.
- De você estar com outro cara sei lá... – Blake encostava-se na parede e olhava para os pés. – Não é fácil para um sonserino engolir o orgulho sabe?

Ashlee pareceu o analisar por um longo tempo, guardou a varinha nas vestes e virou para olhar a moto passando a mão pelo banco da mesma e olhando cada detalhe desta.

- Seu pai acabou escolhendo a verde então... – Ela comentara normalmente. – Eu disse que verde era sua cor favorita, sabia que ele iria confiar.
- Você o ajudou a comprar a moto? – Blake perguntara desencostando da parede.
- Ele me perguntou se achava se você iria gostar, eu apenas dei minha opinião.
- Entendo... – Blake falara sentindo a esperança esvair de seu corpo.
- E então? – Ela virara-se para ele com um pequeno sorriso nos lábios.
- E então o que?
- Não vai me perguntar o que está te matando por dentro? – Ela perguntara com ambas sobrancelhas arqueadas.
- Você ‘tá com outro cara? – Ele falara analisando as feições da garota.

Ashlee estava visivelmente mais velha e atraente, o corpo que ela escondia por trás da capa e das roupas negras era bem sensual, o modo no qual ela andava era provocante assim como os lábios avermelhados, os cabelos estavam maiores e mais brilhantes assim como os olhos da garota, talvez ela nem tivesse mudado tanto, talvez fosse apenas pelo tempo que ele passou longe dela.

Ela demorara um tempo o analisando também, e ele rezava internamente para que ela respondesse sua pergunta, a garota sorriu, o sorriso mais bonito que Blake já vira em sua vida.

- Você realmente perdeu os modos! – Ela girou os olhos subindo na moto dele. – Vamos, me leve para comer algo! Estou com fome.
- Isso quer dizer que... – Blake sorria abertamente sentindo a esperança retomar ao seu corpo de maneira avassaladora.
- Estou solteira Blake, agora anda antes que eu comece a comer pedras!

Ele a puxara da moto com força a erguendo em seu colo e a beijando furiosamente, Ashlee gargalhara com aquela situação, Blake a beijava por completo, por todo o rosto e pescoço, e ela retribuía cada carinho como se o mundo estivesse para acabar naquele exato momento.


França – Paris

O prédio da sede do Ministério da França era extremamente alto, várias pessoas entravam e saíam do mesmo com pressa segurando pilhas e mais pilhas de papéis.

Um rapaz de boné, blusa e calça jeans estava encostado na parede do mesmo enquanto fumava um cigarro. Parecia estar ali por um longo tempo, entretanto, não saía de lá nem por um decreto. Este mesmo rapaz desencostou rapidamente da parede quando vira uma garota sair pela porta de vidro do Ministério Francês.

Suzan Zabine estava imponente, ele a olhou embasbacado, jamais imaginara Suzan daquela forma. Os cabelos ruivos estavam ondulados, seu rosto com as bochechas rosadas e os lábios no mesmo tom, trajada em uma roupa respeitável azul bebê segurando uma pasta negra em uma das mãos, enquanto a outra passava a mão pelos cabelos flamejantes.

Draco apagara o cigarro imediatamente, vira Suzan abrir uma pasta e retirar um papel de dentro da mesma. Em seguida a garota passara por Draco sem o notar já que o mesmo escondera o rosto com o boné.

- Zabine ! Svp, il attend ! (Zabine! Por favor, espere!)

O loiro vira Suzan parar de andar imediatamente e espiar sobre os ombros, viu também um moreno de olhos negros aproximar-se da ruiva com um sorriso débil estampado no rosto.

- Pode falar em inglês comigo Matt! – Suzan sorria amavelmente.
- Ah é... Desculpe! Essas mudanças de língua têm me matado! – Ele sorrira encabulado.

Draco se sentira um idiota naquele momento, já que estava escondido atrás de uma árvore tentando escutar a conversa daqueles dois.

- Com o tempo você se acostuma... – Suzan falava risonha. – No começo eu começava a falar francês e inglês ao mesmo tempo, ninguém entendia nada!
- Você vai ficar aqui o resto do ano? – Matt perguntara encarando a garota. – Andam dizendo que vai voltar para a Inglaterra...
- Sim é verdade, ando pensando em retornar para lá, sinto falta dos meus amigos e de minha família...
- Mas você está tão bem aqui! – O rapaz protestava. – Não quero perder a única garota bonita deste Ministério!

Draco arregalou os olhos, não estava acreditando naquilo! Ele estava cantando Suzan, DESCARADAMENTE!

- Não seja bobo! Há outras lindas aqui! – Suzan gargalhava.
- Para mim só tem uma... – Matt falara gentil fazendo a ruiva corar furiosamente.

Draco saíra de trás da arvore, aquele idiota havia saído das linhas, como ELE ousava cantar a ruiva de Draco Malfoy? Quem aquele cara pensava que era? Parou atrás de Suzan com uma cara mal humorada que só os Malfoy’s sabiam fazer quando estavam irritados.

- Suzan. – Falou com uma voz extremamente rouca.

A ruiva sentiu seus ossos congelarem, Matt a encarou preocupado já que ela ficara pálida e extremamente assustada, encarou o loiro atrás da ruiva e franziu o cenho sem entender.

- Dra... Draco? – Ela virou-se jogando os cabelos para trás.
- Ainda lembra do meu nome? Devo me sentir honrado! – O loiro cruzava os braços lançando um olhar assassino para o tal de Matt.
- Você o conhece Suzan?
- Sim ele... Ele é...
- Draco Malfoy. – Draco falara sério vendo a cara de espanto do garoto. – Neto de Draco Malfoy I, Hermione Malfoy, Harry Potter, Gina Potter e filho de Cold Malfoy e Maya Malfoy, prazer!

Matt abrira a boca categoricamente, parecia que não conseguiria falar nada por semanas, Draco sabia que os nomes de seus avôs e pais sempre assustavam pessoas indesejáveis, e sempre que podia usava tais nomes. Suzan revirara os olhos ao ver a hostilidade na qual Draco a tratara e a Matt, certamente estaria pensando que ela e Matt estavam tendo algum relacionamento afetivo.

- Draco... – Suzan murmurara séria.
- O que foi Suzan? Estou apenas me apresentando ao seu novo amigo. – Draco frisara bem à parte do amigo fazendo Matt arrepiar-se mais ainda.
- Será que podemos conversar em particular? – Suzan sugeria ao loiro com uma expressão desgostosa estampada na face.
- Ah! Que falta de educação Su! Aposto que o seu amigo Matt iria amar participar de uma conversa entre ex-namorados, afinal creio que você adora essa palavra né? Ex...! – Draco ironizava.

Suzan lançara um olhar feio para o loiro o segurando pelo pulso e apartando dali com ele. Ambos pararam frente a um prédio no qual Suzan arrastou Draco e ambos subiram algumas escadas até pararem frente a um apartamento no qual adentraram logo.

Draco encostou-se na parede carrancudo e Suzan arremessara sua pasta em cima do sofá encarando o loiro como se esperasse alguma explicação, do tipo como ele foi parar ali, como foi a tal missão dele, com quem razão ele quase azarara Matt. A ruiva tinha tantas perguntas na cabeça que acabava por esquecer que podia ler sentimentos e pensamentos.

- E então? Estou esperando! – Ela falara mal humorada.
- Não pedi para vir até sua casa! – Draco falara ríspido.
- O que faz em Paris?
- Não é da sua conta! – Ele falara rabugento.
- Ah claro que não! Você frisou bem não é? Somos eeexxxxx namorados, não devemos nada um ao outro!
- Quem parecia animada com a expressão EX era você com aquele tal de Matt sei lá do quê! – Draco reclamara a encarando nervoso.
- Matt é meu amigo não que você tenha algo haver com isso Draco Malfoy! – Ela falara visivelmente irritada.

Draco murmurara palavras inaudíveis e caminhara em direção a janela onde ficou por alguns instantes sentindo uma brisa tocar-lhe a face, ele realmente estava nervoso. Suzan suspirou fundo começando a sentir a sua volta todo sentimento e pensamento emanados do loiro.

“Ótimo! Agora ela se atraca com o tal Matt e eu fico com cara de idiota! Eu sabia que vir atrás dela não iria dar certo! Eu MATO Carter e Blake quando voltar para Londres!”.

- Draco você veio até Paris apenas para me ver não foi? – Suzan perguntara com compaixão aproximando-se do loiro.
- Já disse que não interessa Suzan! – Ele virara para encara-la.
- Será que você pode parar de ser estúpido por um segundo? – Ela perguntara cansada o encarando nos olhos.

Os olhos castanhos dela sempre o atraíram, fitou os olhos da garota enquanto ela parecia ler cada pensamento mirabolante que se passava na cabeça do loiro, por Merlim como ele amava aquela ruiva e como havia sentido falta dela, ele perdeu o tempo em que ficou perdido naquela imensidão cor de avelã até ela o abraçar fortemente.

- Eu não estou com ninguém droga! – Ela reclamara no ouvido dele. – Por que você simplesmente não faz o que está com vontade de fazer e para de me torturar?

O sorriso de Draco nunca parecera tão sincero e sapeca quanto naquele momento, a afastando levemente de si, ele a beijou como nunca logo a deitando no sofá. O tempo simplesmente parou naquele momento.


Inglaterra – Londres – St.Mungus.

Uma mulher loira examinava um menino, sorrira e falara algo bondoso para o mesmo logo colocando suas mãos sobre um corte imenso na perna deste fazendo com que o corte desaparecesse. O menininho sorrira gentil logo saindo do consultório da médica de mãos dadas com a mãe.

Amy Malfoy largara-se na cadeira atrás de sua mesa, logo seu plantão terminaria e ela não via a hora de chegar em seu apartamento e dormir. Jogou a cabeça para trás quando alguém bateu na porta de seu consultório. Voltando a sua compostura falou um sonoro “entre”, a porta abrira-se e duas pessoas adentraram risonhas, pessoas que ela logo identificaram como Meg e Harry.

- Vocês? Não acredito! – Ela corria até ambos os abraçando fortemente. – Como foi a viagem até Romênia? Virão muitos Dragões?
- Foi maravilhosa! – Harry falava empolgado. – Tenho material para boas aulas em Hogwarts, para DCAT! Algumas coisas para Hagrid também!
- Digamos que de dia eram aventuras e de noite uma nova lua de mel! – Megan falara pomposamente arrancando gargalhadas da loira e fazendo Harry ficar desconcertado.
- Megan essas coisas a gente não comenta! – Ele murmurara encabulado.
- Rá! Até parece! – Megan revirava os olhos. – Você acha que eu não fofoco sobre nossas experiências sexuais com sua irmã e as meninas não é?
- Megan! – Harry arregalava os olhos arrancando mais gargalhadas da esposa e de Amy.
- Não se preocupe Harry, em suas experiências sexuais você parece ter ótimo desempenho pelo que Megan conta!- Amy falava em tom brincalhão fazendo Harry corar mais ainda se é que era possível e Megan gargalhar mais alto.
- E então Amy? Que horas acaba seu plantão? – A ruiva perguntara gentil.

Amy consultara o relógio de pulso vendo a hora marcada e logo sorrindo triunfante.

- Agora! Por que?
- Estávamos pensando em ir comer algo, como estávamos passando aqui perto... – Harry começava.
- O que acha de jantar conosco? – Megan perguntava animada.
- Não sei se serei boa companhia, ando meio cansada... – Amy falava docemente.
- Você sempre é boa companhia! E eu preciso de alguém ao meu lado para fazer Harry passar vergonha, ele ainda continua certinho sabe?
- Entendo! – Amy gargalhara ao ver a expressão de desgosto na face do amigo. – Bem, sobre tais circunstâncias eu aceito ir!

A loira retirara o jaleco o guardando em um armário no escritório, retirando do mesmo uma bolsa branca. No caminho da saída do St.Mungus acenara e despedira-se de vários pacientes, enfermeiras, curanderias e médicos. Megan comentara algo sobre Amy ser quase a Madonna do Hospital o que gerou uma boa gargalhada vinda de Harry.

O trio havia acabado de atravessar as portas do hospital quando Harry olhara seriamente para um ponto no outro lado da rua.

- Acho melhor deixarmos este jantar para outro dia... – Ele comentara olhando a esposa e a amiga com carinho.
- Mas por quê? – Megan perguntara indignada.
- Esqueci algo importante que tenho que fazer Meg, infelizmente temos que ir para casa imediatamente! Perdoe-me Amy...
- Tudo bem, eu estou cansada mesmo... – Amy dava os ombros.
- Tudo bem o escambáu! Eu quero sair para jantar! – Megan cruzava os braços revoltada.
- Outro dia combinamos Meg, bem eu vou indo! Até logo! – Amy acenava coma cabeça seguindo um rumo pela rua contrario do casal.

Megan ainda olhava indignada para o marido que apontara com a cabeça para o outro lado da rua, a ruiva levou as mãos a boca e viu um vulto andando em direção a Amy.

- Espero que eles se entendam desta vez. – Harry murmurara. – E então? Qual restaurante a Sra. Potter deseja ir?

Megan alargou um sorriso e beijara o marido na boca com extremo afeto.


Amy tinha sorte de seu apartamento e de Ashlee ser apenas um quarteirão do St.Mungus, assim lhe poupava tempo e magia para deslocar de um lugar ao outro, estava prestes a entrar pelo portão do prédio quando escutou passos atrás de si, virou-se rapidamente com a varinha erguida, a varinha que acertou o meio do peitoral de um rapaz alto e belo.

- Após tanto tempo é assim que me recepciona? – Carter erguia ambas sobrancelhas.
- Você? – Amy Arregalava os olhos.
- Sabe eu acho melhor você não entrar aí, Blake e Ashlee estão... Digamos que fazendo as pazes.

A garota o olhara com uma expressão cansada, ele a encarava com ternura, fazia tempos que não via Amy, ela parecia ter mudado tão pouco.

- O que sugere que eu faça? Passe a noite em um Hotel? – Ela perguntara nervosa.
- Pode passar em minha casa se quiser... – Carter falava simplesmente recebendo um olhar assustado. – Sem segundas intenções! – Ele falara rapidamente. – Poderíamos conversar um pouco quem sabe...

A loira olhou para a janela do seu andar, as luzes acesas, suspirou fundo, estava realmente cansada.

- Tudo bem, mas sem segundas intenções Trent! – Ela falara seca.

Carter sorriu inocente e a encaminhou em direção a um luxuoso carro conversível, o caminho até a casa de Carter fora silencioso, ambos permaneciam no mais absurdo dos silêncios até chegarem em uma mansão. Amy ficara atônita, aquela mansão certamente era maior do que a de seus avós.

Quando adentraram a casa, ela pode ver as peças talhadas em ouro e prata, tudo bem organizado e delicado, como se a casa tivesse acabado de ficar pronta.

- Reformei, tem alguns dias já... – Carter falara casualmente. – Antes era um tanto quanto mórbido, como diz Blake... Parecia um filme te terror.

Amy sorriu, havia até se esquecido o quanto Carter era amigo de Draco e Blake, aquilo lhe trazia recordações de Hogwarts, olhou carinhosamente uma foto colocada em uma estante na sala, uma foto em que os três Sonserinos gargalhavam, Carter fazia chifrinhos em Blake enquanto Draco bagunçava os cabelos do mesmo, certamente estavam no terceiro ano.

- Eu gosto dessa foto... – Carter comentara.
- Blake sempre foi o menor entre vocês, uma espécie de irmão mais novo... – Amy analisava a foto.
- Amy eu quero te mostrar uma coisa. – Carter falara sério retirando a fotografia das mãos da mulher.

Ela apenas consentira com a cabeça e se sentiu puxada pela mão em direção a escadaria, no segundo andar ambos pararam frente a uma porta, Carter abrira a mesma dando passagem para Amy que logo identificou aquele quarto como um quarto de bebê.

Ela olhara tudo com uma profunda ternura, se recordando do que vira na mente de Carter alguns anos atrás no meio da Guerra. A visão de um mundo destruído onde apenas Draco, Carter e o filho dela e dele Caios estavam vivos.

- Amy eu não me esqueci de você...
- Você sempre vai embora Carter... – A garota falara com a voz amargurada enquanto segurava um hipogrifo de pelúcia.
- Você sabe que eu não tive escolhas.
- Mas teve a escolha de se despedir! – Ela o encarava tristemente. – De todas ás vezes que você foi embora, você não se despediu nenhuma! A única coisa que fez foi fazer algo que me deixasse sentir mais sua falta, que me deixasse mais... – Ela mordera o lábio inferior ao sentir as lágrimas saírem de seus olhos.
- Você sabe o porquê deu nunca me despedir? – Ele perguntara tristemente e ela balançava a cabeça negativamente. – Amy, a coisa mais difícil para um homem é dizer adeus à pessoa que ele mais ama no mundo! Eu sequer sabia se iria voltar vivo, todas ás vezes que parti sem me despedir foi por não ter certeza de que voltaria...

A garota segurara o hipogrifo com força em suas mãos enquanto Carter se aproximava e a segurava no rosto com profundo carinho e admiração.

- Você sempre foi o que me fez permanecer bom Amy... Tornou-se uma guerreira, uma mulher de fibra admirável... – Ele beijara a testa dela levemente.
- E se você for embora de novo? Como vai ser Carter? – Ela murmurara.
- Eu não vou embora... – Ele a encarara nos olhos.

Os olhos verdes dele, ainda marcados pela guerra e os azuis ternos dela, encontrando-se novamente após tantos anos, o sentimento era o mesmo.

- O que me garante que não vai? – Ela perguntara seca.
- Isso...

Carter havia ajoelhado e retirado do bolso uma caixinha, os olhos de Amy nunca brilharam tanto quanto naquele exato momento, ele estava de joelhos e em suas mãos um lindo anel de diamante repousava. Um anel de noivado.

- Amy, me aceita como seu noivo e futuro marido? – Ele perguntara num fio de voz.

Ela ainda o olhava atônita como se não acreditasse em tudo aquilo, demorou uns dois minutos até sua ficha cair e ver que aquilo não era um sonho ou algo do tipo, era um fato real que realmente estava acontecendo. Sua resposta fora óbvia quando ela jogou-se nos braços de Carter ainda ajoelhado e o derrubou no chão o beijando com todo amor que havia guardado durante anos.

Waking up I see that everything is OK
Acordando eu vejo que tudo está bem
The first time in my life and now it's so great
Pela primeira vez em minha vida e agora isso é maravilhoso
Slowing down, I look around and I am so amazed
Devagar eu olho ao redor e eu estou tão impressionada
I think about the little things that make life great
Eu penso nas pequenas coisas que fazem a vida ser tão boa
I wouldn't change a thing about it
Eu não mudaria nada sobre isso
This is the best feeling
Este é o melhor sentimento.


Lá estava ele, Carter Trent, no altar montado lindamente nos jardins de sua mansão, ao seu lado direito estavam os padrinhos: Draco Malfoy II, Blake Zabine e Harry Potter II.

Ele podia sentir suas mãos suarem, olhou para o lado esquerdo onde Suzan Zabine, Ashlee Potter e Megan Potter estavam, ambas com vestidos azuis claros idênticos, que marcavam elas serem as madrinhas.

Viu Maya Malfoy na primeira fileira ao lado de vários outros familiares lhe acenarem e lhe sorrirem, ele estava nervoso e não entendia o porquê de pensamentos patéticos como "Ela não vai vir" invadiam sua cabeça.

Foi quando ele a viu de longe que tais pensamentos abandonaram sua mente e corpo.


This innocence is brilliant
Esta inocência é brilhante
I hope that it will stay
Eu espero que ela fique
This moment is perfect
Este momento é perfeito
Please don't go away
Por favor não vá embora
I need you now
Eu preciso de você agora
And I'll hold on to it
E eu me agarrarei a isso
Don't you let it pass you by
Não faça isso deixar passar por você


Ao lado de Cold Malfoy estava ela: Amy.

Cold sorria abertamente enquanto encaminhava sua filha caçula em direção ao altar, trajado em um terno negro fazendo com que seus cabelos loiros se destacassem, Carter notou o velho Draco Malfoy I murmurar algo para Cold quando este passara por ele em uma das fileiras, algo do tipo "Pare de sorrir como um completo demente." Não prestou muito atenção já que estava maravilhado com a imagem de Amy.

Ela parecia um anjo, trajada com véu e grinalda. O vestido branco lhe caíra como pluma, este com detalhes em brilhante e prata o que davam um ar quase imperial a garota. A maquiagem leve e bela que lhe destacavam os olhos azulados, a coroa repleta de diamantes e o buquê de rosas brancas, Amy estava perfeita.

I found a place so safe, not a single tear
Eu achei um lugar tão seguro, sem uma única lágrima caindo
The first time in my life and now it's so clear
A primeira vez em minha vida e agora está tão claro
Feel calm, I belong, I'm so happy here
Sinto a calma que eu pertenço, eu estou tão feliz aqui.
It's so strong and now I let myself be sincere
É tão forte e agora eu me deixo ser sincera
I wouldn't change a thing about it
Eu não mudaria nada sobre isso
This is the best feeling
Este é o melhor sentimento.


Quando Cold a entregou em suas mãos ele se sentiu o homem mais sortudo da face da terra, principalmente quando ela lhe dirigiu um doce sorriso que seria capaz de desarmar uma tropa inteira de bruxos das trevas. Escutou durante um longo tempo o blá, blá, blá do juiz de paz, ele não conseguia pensar em mais nada além de Amy e o quanto ela estava linda em sua frente.

- Se continuar me olhando assim seus olhos vão cair... - Ela murmurou de um modo que apenas ele escutasse.

Carter sorriu abertamente demonstrando toda sua felicidade ali.

This innocence is brilliant
Esta inocência é brilhante
I hope that it will stay
Eu espero que ela fique
This moment is perfect
Este momento é perfeito
Please don't go away
Por favor não vá embora
I need you now
Eu preciso de você agora
And I'll hold on to it
E eu me agarrarei a isso
Don't you let it pass you by
Não faça isso deixar passar por você


- Sr. Carter Evan Trent aceita Amy Rose Malfoy como sua legítima esposa, para amá-la e respeitá-la, na alegria e na tristeza, e por toda eternidade por quanto o amor durar?
- Aceito. - Carter falava certo de si apanhando uma aliança e começando a colocar no dedo de Amy a olhando nos olhos profundamente. - Amy Rose Malfoy eu lhe aceito como minha esposa, prometo lhe amar e ser digno de seu amor enquanto eu viver.
- Srta. Amy Rose Malfoy, aceita Carter Evan Trent como seu legítimo marido, para amá-lo e respeitá-lo, na alegria e na tristeza e por toda a eternidade por quanto o amor durar?
- Aceito! - Amy falara sorrindo lindamente e começando a colocar a aliança no dedo de Carter começou a falar. - Carter Evan Trent eu lhe aceito como meu marido, prometo lhe amar e ser digna de seu amor enquanto por toda a minha vida.

Uma fumaça rosa saíra da varinha do juiz de paz enlaçando as mãos do novo casal, em seguida Carter beijara furiosamente Amy recebendo vários aplausos de todos que estavam ali e eram cúmplices daquele amor incondicional.


It's the state of bliss you think you're dreaming
É o estado de felicidade que você pensa que você está sonhando
It's the happiness inside that you're feeling
É a felicidade dentro de você que você está sentindo
It's so beautiful it makes you wanna cry
Isso é tão bonito que te faz querer chorar
It's the state of bliss you think you're dreaming
É o estado de felicidade que você pensa que você está sonhando
It's the happiness inside that you're feeling
É a felicidade dentro de você que você está sentindo
It's so beautiful it makes you wanna cry
Isso é tão bonito que te faz querer chorar
It's so beautiful it makes you wanna cry
Isso é tão bonito que te faz querer chorar


Eles correram pelo imenso tapete vermelho recebendo uma bela chuva de arroz, sendo cumprimentados como o novo casal Trent. Cold parecia tentar amparar Maya que chorava emocionada, enquanto os gêmeos assaltavam a mesinha de doces junto de outras crianças. Lily e Jay mostravam sorridentes as alianças de noivado para Melanie e James, o que faziam Mel sorrir abertamente e James aderir uma carranca inigualável, o que era um tanto cômico de se ver.

Cassy estava lá com um barrigão à mostra, ao seu lado Luke estava todo satisfeito fazendo todas as vontades da esposa, Johnny e Lana paparicavam a filha como nunca enquanto alfinetavam Harry e Megan pela demora de produzirem um neto o que deixava o casal extremamente envergonhado.

A terceira idade estava toda sentada em uma mesa, contando seus feitos pela vida, Hermione Malfoy, Draco Malfoy I, Rony Weasley, Luna Weasley, Harry Potter I e Gina Potter, todos contando sobre as batalhas e aventuras que se enfiaram quando ainda eram jovens, deixando muitas crianças ali admiradas.

De longe se podia ver Miguel e Sophie dando os parabéns pelo noivado de Draco e Suzan, enquanto Blake e Ashlee falavam animadamente sobre o próximo casamento que seria o deles, tudo estava realmente feliz e emocionante.

This innocence is brilliant
Esta inocência é brilhante
I hope that it will stay
Eu espero que ela fique
This moment is perfect
Este momento é perfeito
Please don't go away
Por favor não vá embora
I need you now
Eu preciso de você agora
And I'll hold on to it
E eu me agarrarei a isso
Don't you let it pass you by
Não faça isso deixar passar por você


Um ano depois e já estava no hospital, Carter nunca havia se sentido assim na vida, aquele sentimento de impaciência. Amy já estava na sala de parto a mais de duas horas e nada de ninguém dar noticia, estava preste a azarar alguma enfermeira quando Draco o impediu alegando que era assim mesmo.

Fora então que Maya Malfoy saíra do quarto risonha.

- Quer conhecer seu filho Carter? – Ela perguntava fazendo com que o rosto do rapaz se iluminasse.

A multidão de Malfoy's, Weasley's, Potter's e Zabine's que se encontrava na sala de espera adentraram como loucos no quarto de Amy que tinha um lindo bebezinho nos braços e um sorriso angelical brincando em seus lábios.

This innocence is brilliant
Esta inocência é brilhante
I hope that it will stay
Eu espero que ela fique
This moment is perfect
Este momento é perfeito
Please don't go away
Por favor não vá embora
I need you now
Eu preciso de você agora
And I'll hold on to it
E eu me agarrarei a isso
Don't you let it pass you by
Não faça isso deixar passar por você


- Qual vai ser o nome dele? - Cold perguntara enquanto dava tapinhas camaradas nas costas de Carter.
- Caios! Caios Cold Trent. - Carter falava sorridente.

Tudo estava bem, finalmente eles tinham certeza disso.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.