FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. Um Futuro Insólito


Fic: Os Novos Marotos 4 De volta a Hogwarts


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Kiki estrala os dedos e fica com um sorrisão na face afinal hoje é o niver da revisora mais amada de todo o Brasil...

Cold:: Da para parar com a enrolação e começar logo? ¬¬
Blake:: É Kiki! Eu 'tô com fome -.-
Miguel:: Blake o que eu falei sobre irritar a Kiki? u.u
Blake:: Mas eu 'tô com fome Paiê! =~
Draco:: Graaandeee novidade o Blake estar com fome ^^"
Carter:: Não sei como o Sr.Zabine aguenta -.-"
James:: É incrivel como os afilhados vem puxando os padrinhos não acham?
Harry:: Verdade... Tio Cold e Blake são parecidos... o.o
Johnny:: Tem certeza que a Cenourinha não pulou a cerca Miguel? :D
Kitai:: GENTEEEE CALA A BOCAAAAAAAA!!! -.- Caramba que invasão! Merlim me livre u.u~ Tá vendo Danisóca a invasão aqui em casa por sua causa? Meo Deus é muita gente o.o Mas acho que você merece isso e muito mais não é? Então nós da ONM resolvemos fazer essa surprise para vc! xD Cada um deles vai falar algo para você e no final eu falarei ok? Então vamos lá!

Cold:: Dani, vc me ama? ^^\/ eu tbm me amo! xD Então hoje é seu niver e você 'tá ficando velha né? Quem sabe eu não te caso com um de meus gêmeos... Pq se depender da Kiki quando a fic terminar eu vou estar com 100 anos ¬¬ Só tenho a te desejar felicidades hoje viu! Por hoje é ritimooooo ritimo de festaaaaaaaa \o>
James:: Parabéns pra vocêêêê Dani! Afinal temos que babar seu ovo hoje se não a Kiki nos manda um Cruccios o.o" Mas vc sabe que nós te amamos demais não é? E que é você que nos defende dos ataques assassinos da autora maluca =~ Que você continue sempre conosco Dani! Parabéns e tudo de bom!
Miguel:: Amada Dani, só tenho a te desejar coisas boas nesse dia especial, que cada ano lhe dê mais sabedoria e paz em seu coração! Obrigado por fazer parte de ONM e estar sempre ao nosso lado e por ter esse carinho todo especial conosco. Feliz aniversário, e abraços!
Johnny:: Seus comentários sempre foram meus favoritos de responder! Você foi a primeira a cobrar mais minha aparição na série! xD Obrigado DANI! Te desejo tudo de bom e muita coisa boa em sua vida!!! Continue sendo essa garota marota! FELIZZZ NIVERRRR!!!
Blake:: CADÊ O MEU PEDAÇO DE BOLO? ¬¬ Se eu não ganhar eu fico de mau pelo resto da vida =~ Mas eu te desejo felicidades porque enfim vc me protege da ira da Kiki. Mas ainda sim quero comida ;P Feliz niver Danilda \o/
Draco:: Anule o comentário tosco do Blake, pois enfim não merece nem ser lido ¬¬ Só tenho a te desejar homens perfeitos como eu em sua vida, e se algum te magoar é só chamar \o> Continue comentando e sendo esperta! E é claro, nunca deixe de ser gatinha =X Feliz dia 8 Dani :D
Carter:: Parabéns Dani! Obrigado por confiar em mim e por estar ao meu lado \o> Que você consiga ser melhor autora do que a Kiki e que não seja tão cruel com seus personagens quanto ela é! xD Toda paz do mundo garotona!!!
Harry:: Parabéns Dani, que Merlim lhe dê muito conhecimento e um futuro promissor! que você nunca esqueça da gente e que sempre nos releia quando a fic acabar! Nós todos te amamos muito!!! Feliz niver e beijo imenso!!!

Kitai:: Que Deus te abençoe e te ilumine, que você alcanse todos seus objetivos, que você continue sendo essa pessoa maravilhosa que você é! Que lute pelo que acredita, que saiba enfrentar uma briga, que agradeça pelo que tem, que valorise suas amizades e que sua criatividade aumente cada dia mais! Parabéns Dani, você é especial e conquistou um lugar muito especial em ONM e em meu coração!!! TE ADORO GURIA!!!!


Vamos agora aos coments


Dani W. B. em 07/06/2007


Kitai:: Danisóca! Pensei que havia esquecido de nós humildes ONM xD Gostou da música? Ela é TDB!!!! Claro que conheço sua influência amada cunhada! haioahaio O vulto era a Kira -.- Que bom que gostou das armas Dani, sua aceitação é prioridade! E Amy e Cartie vão demorar um pouco para se encontrar eheheh xD Muita coisa rolará ainda... TE adoro Daniiiiiii
Draco:: Não sabe como foi ruim ter que pedir permissão aquela velha caduca =/ E tava na hora deu chutar o balde não é? Kiki anda realmente cruel. AMIGO DO POTTER? ¬¬ COLEGA? Estamos de TrÉGUA é algo completamente diferente! É eu pegava a Kira... -.- passado condenate não?
Blake:: Hey! Minhas cantadas são as melhores, caso contrário a Ashlee não teria se apaixonado pelo ser perfeito que eu sou ¬¬ E não se preocupe levaremos as menians ao Alabama xD Kiki anda sendo má comigo! Bate nela Dani!
Harry:: Acredite eu não seguirei os conselhos do Tio Cold, já sou traumatizado o bastante com os conselhos do meu pai...


Aluada Pontas Black em 04/06/2007


Kitai:: Obrigada pelo elogio! Fico feliz que goste tanto dela e não a ache clichê. A Ashlee não morrerá! Eu já disse isso e estou repetindo ahaiohaio.. Eu a amo d+ para matá-la =X E infelizmente ela não terá poder e não irá para a batalha, isso é para o Blake amadurecer sozinho pois sempre a teve ao seu lado.
Draco:: Hey eu discordo eu e a Suzan somos melhores que o Blake e a Potter do meio ¬¬
Blake:: Claro que somos o melhor casal! Somos perfeitos :D
Harry:: Eu e a Meg? Bem.. Er... xDD

Alexandra Zabini em 03/06/2007


Kitai:: Ela não morrerá!
Draco:: Daqui a pouco teremos uma Campanha!
Blake:: CKNMAA
Harry:: Traduzindo.. Campanha Kiki Não Mate A Ashlee

marcela santos de senne em 03/06/2007


Kitai:: Que bom que gostou dessa! Não a matarei não se preocupe haiohaio
Draco:: Muita coisa irá rolar ainda!
Blake:: ONM4 vai ser d+ xD
Harry:: Estamos no meio da fic ainda eheheh

?Aline Malfoy? em 03/06/2007


Kitai:: Eu sou cruel xD Exatamente por isso ela não irá lutar!
Draco:: Meu pai é forte não irá morrer!
Blake:: Se meu pai morrer eu mo mato :D
Harry:: o.O Atualizada!

bibi* em 31/05/2007


Kitai:: Agora eles irão ao treinamento xD ahioahaio
Draco:: Treinaremos
Blake:: Ficaremos fortes
Harry:: E mataremos os malvados :D

Gabih!* P.B. em 28/05/2007


Kitai:: Arrá! Dona Gabih! sumiu mesmo né? mas está perdoada por aparecer aaiahioah. Realmente muita coisa aconteceu... Que bom que está curtindo a fic tanto assim, não suma mais ok? Sentimos sua falta! Beijooss
Draco:: A Kiki vem nos maltratando a cada capítulo! =~
Blake:: A fic é boa por causa de nós :D
Harry:: Se tirar nota baixa em português culpe a Kiki! xD

Nina Delacourt Black em 28/05/2007


Kitai:: Começou o treinamento dlees ehehehe xD
Draco:: Nossa quantas perguntas O.o
Blake:: Nem eu sei responder... o.o
Harry:: Er... agora tô cheio de dúvidas.

Luisa232 em 27/05/2007


Kitai:: Ashlee ainda está viva! Não pire ahioahaio
Draco:: Ash não morre
Blake:: Se ela morrer nos matamos a Kiki!
Harry:: Minha mana nao morre non se preocupe

Lsla Malfsy em 26/05/2007


Kitai:: Se vc me mata quem escreverá ONM? 0o
Draco:: HaioHIOAh boa Kiki!
Blake:: Gostei dessa haioaha
Harry:: Coitada da Kiki, quantas ameaças!

Hannah Lú em 26/05/2007


Kitai:: Me abandonou =~ Que bom que gostou do cap. E não ela não está gravida e não morrerá.. ahaihaio
Draco:: Blake vc engravidou a Potter?
Blake:: Não que eu saiba o.o
Harry:: VC FEZ O QUE COM MINHA IRMÃ ZABINEEEEEEE???

Banana Potter em 26/05/2007


Kitai:: Até eu fiquei com pena do Blake =~ Num suma mais não ok? Era a Amy no Pégasus sim xD E bem.. se vc gosta do carter vc vai me detesta nesse cap ahaioahio
Draco:: Ursinhu de pelucia?
Blake:: Bundão? O.o
Harry:: ainda bem que eu não ganhei apelido.. xD

ca?sli?a em 26/05/2007


Kitai:: Ela está vivaaaaa \o ahioahahaio Não só o Voldi como... =X
Draco:: Poisé todos me abandonamm =~
Blake:: Morro de desgosto mesmo!
Harry:: Concordo a Meg tem que me perdoar xD Eu.. Bem.. Eu gos.. Eu...=X

Naty Granger Weasley em 25/05/2007


Kitai:: A floreios tem hora que nããão ajuda -.- Foto da Cassy? Vc pirou? As guerreiras são a Amy, a Meg e a Suzan... Nada de Cassy o.o Bem sobre a música já estão todas decididas, mas prometo pensar direitinhu ok?
Draco:: Gostou da trégua? :D
Blake:: Eu sou d++++ xD
Harry:: Tava na hora de eu e Draco nos entendermos...

Gê Black. em 25/05/2007


Kitai:: Que bom que gostou GÊ!!!! xD
Draco:: Continue comentando!
Blake:: Beijo!
Harry:: Abraçosss!!!




Para quem quer entender os poderes dos guerreiros do cap. anterior aqui está:

Draco - Gelo - Cor Azul - Espada Slyntherin - Determinação
Blake - Terra - Cor Amarela - Machado Slyntherin - Sinceridade
Harry - Água - Cor Vermelha - Espada Gryffindor - Coragem
Megan - Vento - Cor Laranja - Bumerangue Huple-Puff - Lealdade
Suzan - Fogo - Cor Rosa - Arco e Flecha Ravenclaw - Sabedoria.



Músicas inseridas no cap.::
1ª - If Everyone Cared - Nickelback
2ª - Hurt - Johnny Cash




Um Futuro Insólito


Havia mais de cinco horas que Blake estava lá, sentando ao lado daquela cama na Ala Hospitalar. Na cama podia-se ver uma bela garota com seus dezesseis anos de cabelos num louro muito escuro, o rosto extremamente pálido com um curativo na testa e alguns arranhões pela bochecha. O rapaz parecia exausto, mas não soltava a mão da garota por nada.

- Ficar aí ao lado dela não a vai fazer acordar... – Uma pessoa tocava-lhe o ombro. – Entretanto não posso impedi-lo de que fique ao lado dela... – Rachel lhe sorria oferecendo-lhe uma caneca com café.
- Quanto tempo ela vai ficar assim? – O sonserino pegava a caneca e olhava para a garota tristemente.
- É impossível saber... – Rachel puxava uma cadeira sentando-se ao lado dele. – Temos sorte dela ainda estar viva, Ashlee Potter é muito forte...
- Eu que o diga... – O garoto levava a mão até a bochecha da garota. – Aos cinco anos ela já conseguia me bater... – Ele sorria fracamente.
- Há outras pessoas sentindo a mesma dor que você Blake... Lily e Harry são irmãos de Ashlee, e ambos conseguiram chorar...
- Ashlee não me perdoaria se chorasse...
- E você se perdoaria se não chorasse? – A professora o abraçava carinhosamente.

O garoto apenas abraçara a professora de volta e chorara, sim ele chorara com todas as suas forças. Ashlee estava em coma, e por sorte escapara da morte. A Ala Hospitalar estava vazia, e a única coisa que se escutava ali era os soluços de um Sonserino que chorava por medo de perder a garota que mais amava em toda a sua vida.

Do lado de fora do castelo, Harry estava sentado frente ao lago, os olhos concentrados em suas mãos. A duas noites atrás, Hogwarts havia sido atacada e ele havia segurado em suas mãos a espada de Godric Gryffindor, e, além disso, ele havia conseguido controlar uma magia que jamais ouvira sequer falar. Cerrara os olhos verdes azulados, por Merlim como ele desejava que seu pai estivesse ali ao seu lado para lhe explicar o que estava havendo! Abriu os olhos levemente, e tocou a água límpida do lago da Lula Gigante, fora questões de segundos até a água começar a agitar-se.

- Aonde você está quando eu preciso de você... Pai... – Murmurou baixinho retirando a mão da água a fazendo parar de se agitar quase imediatamente.

Ele nem se dera conta que atrás de uma árvore uma ruiva de Lufa-Lufa o observava, os olhos azuis banhados por lágrimas ao mesmo tempo em que ela parecia controlar a própria respiração. Ela sentia raiva por seu pai não estar ali, sentia raiva por não entender tudo aquilo. Escorregou as costas pelo tronco da árvore e sentou-se no chão cabisbaixa, aquilo tudo era uma loucura até mesmo para Megan Weasley.

- Tudo no final dá certo, se não deu ainda é porque não chegou ao fim... – Uma voz ecoava frente à ruiva a fazendo erguer os olhos e deparar-se com Dean Zabine. – Sua irmã está preocupada com você...
- Não sei se é seguro ficar ao meu lado... – A ruiva declarou levantando-se.
- Harry disse a mesma coisa a Lily hoje cedo, ela não ficou nada satisfeita... – O garoto sorrira fracamente. – Meg, você e os outros têm que parar com isso! Vocês são heróis! Se não fosse essa força mística que habita em vocês, certamente teríamos perdido a batalha de dois dias atrás...
- Acontece que eu não sei se sou capaz de controlar este poder Dean, e com isso me torno uma arma viva... – A ruiva apenas ajeitou a capa grossa que vestia e dirigiu-se para longe dali.

O outro Lufa-Lufa apenas a observou se afastar, suspirou cansado logo virando o olhar para o Grifinório ao lado do lago, todos eles tinham semblantes de preocupação evidentes. Hogwarts estava em silêncio naqueles dois dias, e nem o riso das crianças do primeiro ano era escutado.

- Me sinto um inútil... – Murmurou o rapaz dirigindo-se para dentro do castelo.



Um vento gélido batera na face de um rapaz alto, os cabelos castanhos arrepiados balançavam junto com sua jaqueta de couro de dragão negra, ao seu lado a bela moto negra de Sirius Black estava parada. Carter mantinha os olhos cerrados, a cada dia que passava longe de Hogwarts sentia mais dificuldade em controlar o mau em seu coração. Seus olhos pareciam estar se adaptando a cor verde viva, e isso de certo modo o assustava. Como ele queria saber o que estava acontecendo em Hogwarts naquele momento, daria tudo para rever alguém dali, daria tudo para estar ao lado de Amy naquele momento sombrio.

From underneath the trees,
Debaixo das árvores,
We watch the sky
Nós prestamos atenção no céu
Confusing stars for satellites
Confundindo estrelas com satélites
I never dreamed that you'd be mine
Eu nunca sonhei que você seria minha
But here we are, we're here tonight
Mas aqui estamos nós, aqui esta noite


Abrira os olhos bruscamente sacando sua varinha ao escutar passos atrás de si, virou-se como um lobo preste a abocanhar sua presa quando se deparou com aquela visão.

Singing amen, i'm alive
Cantando amen, estou vivo
Singing amen, i'm alive
Cantando amen, estou vivo


A imagem de Amy Malfoy o fez abrir a boca categoricamente, ela estava lá e ele se perguntava se aquilo não era mais uma de suas malucas alucinações.

- Amy... – Murmurou.


If everyone cared and nobody cried
Se todos se importassem, e ninguém chorasse
If everyone loved and nobody lied
Se todos amassem, e ninguém mentisse
If everyone shared and swallowed their pride
Se todos compartilhassem e engolissem seu orgulho
We'd see the day when nobody died
Nós veríamos o dia que ninguém morrerá


Ele apenas abrira os braços, como se a chamasse para o abraçar, os olhos azuis da garota deram um brilho diferente e ela correu, sim ela correu o abraçando fortemente, ele com aquele abraço pôde sentir o cheiro de rosas emanando do corpo dela, do corpo da pessoa que mais amara e sentira saudades em sua vida.

And i'm singing
E eu estou cantando
Amen i, i'm alive
Amém eu estou vivo
Amen i, i'm alive
Amém eu estou vivo


- Por Merlim como é bom te ter perto de mim... – Ele a abraçava mais fortemente como se jamais quisesse a perder.


And in the air the fireflies
E no ar, os vagalumes
Our only light in paradise
E sua única luz no paraíso
We'll show the world they were wrong
Nós mostraremos ao mundo que ele estava errado
And teach them all to sing along
E ensineramos todos a cantar conosco
Singing amen i'm alive
Cantando amém eu estou vivo
Singing amen i'm alive
Cantando amém eu estou vivo


As recordações lhe invadiam a mente como nunca, desde o primeiro momento que a viu até aquele presente momento, todas aquelas sensações de tê-la em seus braços mais uma vez, era tão surreal que se amaldiçoava por questionar aquilo tudo.

If everyone cared and nobody cried
Se todos se importassem, e ninguém chorasse
If everyone loved and nobody lied
Se todos amassem, e ninguém mentisse
If everyone shared and swallowed their pride
Se todos compartilhassem e engolissem seu orgulho
We'd see the day when nobody died
Nós veríamos o dia que ninguém morrerá


Ele afastara-se dela para encarar aquela face angelical, os cabelos loiros caindo graciosamente por aquela pele leitosa, os lábios rosados e os olhos muito azuis. Ela era perfeita, a beijou nos lábios com fervor, a beijou como se fosse seu último beijo e ela parecia corresponder na mesma intensidade.

If everyone cared and nobody cried
Se todos se importassem, e ninguém chorasse
If everyone loved and nobody lied
Se todos amassem, e ninguém mentisse
If everyone shared and swallowed their pride
Se todos compartilhassem e engolissem seu orgulho
We'd see the day when nobody died
Nós veríamos o dia que ninguém morrerá


Separou-se do beijo a abraçando mais uma vez contra seu corpo, sentia algumas lágrimas saltarem de seus olhos verdes vivos, sentia-se fraco ao mesmo tempo em que forte e isso era horrível.

And as we lie beneath the stars
E como nós nos encontramos abaixo das estrelas...
We realize how small we are
Nós percebemos o quao pequeno nós somos
If they could love like you and me
E se nos pudessem amar como eu e voce
Imagine what the world could be
Imagine como o mundo poderia ser


- Você não é real... – Ele murmurara com a voz embargada.

Ele a afastou delicadamente e a olhou nos olhos.

- Não é real, mas é o melhor sonho que eu já tive... – Ele a beijara na testa.


If everyone cared and nobody cried
Se todos se importassem, e ninguém chorasse
If everyone loved and nobody lied
Se todos amassem, e ninguém mentisse
If everyone shared and swallowed their pride
Se todos compartilhassem e engolissem seu orgulho
We'd see the day when nobody died
Nós veríamos o dia que ninguém morrerá


Cerrou os olhos novamente e afastou-se da imagem de Amy, sentira novamente aquela dor da separação em seu peito. Quando tornou a abrir os olhos, notou que ela não estava ali, entretanto notou que havia adormecido durante sua viagem de moto, esfregou as costas das mãos nos olhos e suspirou fundo.

We'd see the day, we'd see the day
Nós veríamos o dia, nós veríamos o dia
When nobody died
Quando ninguém morrerá
We'd see the day, we'd see the day
Nós veríamos o dia, nós veríamos o dia
When nobody died
Quando ninguém morrerá
We'd see the day when nobody died
Nós veríamos o dia, nós veríamos o dia quando ninguém morrerá


Esfregou a face ao notar que sua moto descia para o solo, esta logo estacionou abaixo de uma imensa árvore. Carter sorriu levemente, logo a frente um imenso castelo se encontrava, um castelo com toques rústicos e sombrios.

- Agora estou indo ao encontro de meu destino... – Falou para si mesmo apanhando a mochila sobre a moto e a deixando para trás enquanto caminhava em direção ao castelo.




Draco estava lá sentando em uma das cadeiras da biblioteca, a sua frente uma pilha de livros se encontravam, todos abertos, parecia exausto, entretanto não desistia de procurar sobre seus poderes naqueles livros. Sentiu uma mão macia e delicada tocar-lhe os ombros, sorriu levemente ao ver Suzan, a garota inclinou-se e depositou um beijo nos lábios do rapaz.

- Ai! – Ele resmungou afastando-se levemente dela.
- Hum? Que foi? – Ela perguntara com ambas sobrancelhas arqueadas.
- Você me queimou... – O loiro levara as mãos aos lábios.
- Desculpe... – A ruiva murmurara encabulada. – Não sei controlar isso... Quando estralo meus dedos uma leve chama aparece! Megan espirrou no corredor do segundo andar e derrubou todos os quadros, Harry consegue fazer ondas no lago... É loucura demais para minha cabeça!

O loiro apenas sorriu a puxando para seu colo, Suzan enterrou a cabeça no ombro do rapaz, ele apenas soprou-lhe um ventinho gelado no pescoço a fazendo cócegas.

- Que gelado! – Ela gargalhara o encarando.
- É, eu agora posso soprar coisas geladas, não se preocupe Ruiva, quando estiver quente demais eu apago seu fogo! – Ele sorria malicioso recebendo um tapa nos ombros dado por ela.
- Por Merlim como você é bobo! – Ela girava os olhos. – Mas me conta, achou alguma coisa?
- Não... – Draco suspirava tristemente. – Nem na Ala proibida... Você conseguiu falar com seu irmão?
- Blake não conversa com ninguém, não sai do lado de Ash... – Suzan baixava os olhos.
- As coisas estão piorando Su... – O loiro a encarava sério. – Precisamos reverter essa situação o quanto antes!
- Concordo com vocês... – Uma voz lhes falara severa. – Tonks quer vê-los em sua sala imediatamente! – A professora Parkinson falara tão secamente que os dois alunos levantaram-se quase que imediatamente a seguindo para a sala da diretora.



Estavam os cinco lá, ambos em pé com cara de poucos amigos frente à mesa da diretora. Tonks estava com as mãos enlaçadas em cima da mesa os encarando séria, ela analisava cada um, pareciam amedrontados, com raiva e confusos. E ela sabia que eles logo se uniriam para planejar um plano para saírem dali. Suspirou fundo mudando a cor de seus cabelos para um branco prateado logo começando a falar-lhes:

- Como tem lidado com as pequenas chamas que saem de seus dedos Suzan? – Perguntara a ruiva a fazendo arquear uma sobrancelha.
- Eu, bem... – A ruiva procurava uma palavra para descrever aquilo, mas não conseguia.
- Entendo, entendo... – Tonks apanhava os óculos e colocava na face. – Blake faça-me um favor de fazer minha planta voltar a viver sim?
- Como quer que eu faça isso? Se eu pudesse reviver as coisas certamente Ashlee não estaria naquela cama até agora! – O sonserino girava os olhos.
- Tente... – A diretora insistia.
- Argh! Que seja! – Ele esbravejara aproximando-se do vaso de planta onde uma flor encontrava-se morta. – Volte a viver plantinha! – Ele apontava a mão para a mesma sem obter resultado. – Não sei como isso vai ajudar!
- Concentre-se Blake... – Tonks o encarava severa.

O garoto voltou os olhos para a planta e suspirou cansado, lembrou-se de Ashlee, levou a mão à têmpora, não conseguia concentrar-se em nada com a garota que amava na Ala Hospitalar, tocou a planta morta e em apenas alguns segundos a planta voltara a viver fazendo com que o sonserino se assustasse assim como os outros quatro ali presentes.

- Como você fez isso? – Draco perguntava assustado.
- Só Merlim sabe! – Blake olhava assustado para as mãos.
- Cada um de vocês herdou um poder assim que suas almas fundiram-se com as armas dos fundadores de Hogwarts... – Tonks começara a falar atraindo a atenção de ambos. – Este é o motivo pelo qual as armas desapareceram assim que deixaram de as usar na noite em que Hogwarts fora atacada.
- Está dizendo que elas estão dentro de nós? – Megan indagava.
- Se assim fica mais fácil de entender, sim... Elas estão dentro do corpo de vocês...
- E como tira? – Blake arregalava os olhos.
- Isso é uma questão para vocês resolverem... – Tonks sorria carinhosa. – Cada arma possuía um símbolo, creio que quando descobrirem como controlar tais poderes os símbolos apareceram em seus corpos...
- Ótimo, eu sempre quis ter uma tatuagem! – Megan sorria de lado.
- Você sabia não era Tonks? Sabia o tempo todo o que estava para acontecer! – Harry batia com força na mesa da mulher.
- Sim Harry, eu sabia... – Ela o fitava séria. – Desde que vocês tinham seus sete, oito anos de idade que seus pais e eu soubemos do que estava por vir...
- Foi na época que Amy foi seqüestrada... – Suzan murmurava.
- Sim, foi naquela época que soubemos da profecia que falava sobre os guerreiros que estavam por vir, sobre o mal e sobre as armas, e com o passar dos anos sabíamos que o dia que o mal regressaria estava cada vez mais próximo.
- POR QUE NÃO NOS CONTARAM? – Fora à vez de Draco explodir.
- Porque vocês não tinham maturidade o suficiente! – Tonks levantava-se da cadeira. – Tivemos que esperar sermos atacados em Hogwarts para ver o que vocês eram capazes, as armas eram as únicas a saberem se vocês estariam prontos ou não! A partir do momento em que elas foram até vocês, lhes dando mais magia e força para lutar eu pude ver que estavam prontos.
- Quer dizer que todas as vezes que eu espirrar móveis irão voar? – Megan perguntava séria.
- Os poderes que adquiriram são fortes, e vocês não estavam acostumados com eles, devem aprender a controla-los antes de irem para uma batalha, como eu disse antes, quando souberem controlar os poderes e as armas, os símbolos das mesmas apareceram em seus corpos.
- Haverá outra guerra? – Suzan perguntava.
- Sim Suzan, haverá a última guerra... – Tonks suspirava cansada. – A guerra que definirá qual mundo deve reinar, o da luz ou o das sombras...



A noite caíra como uma pluma, e os cinco jovens se encontravam na biblioteca. Blake olhava sério pela janela, inconformado por terem o proibido de passar a noite ao lado de Ashlee, atrás de si Megan estava escorada em uma pilastra enquanto Harry permanecia sentado em uma cadeira cabisbaixo. Suzan e Draco estavam sentados sobre umas das mesas, todos não pareciam nada satisfeitos com a conversa que obtiveram com Tonks.

- Droga... – Draco murmurara ao congelar a varinha com os dedos. – Suzan, se incomoda? – Ele perguntara mostrando a varinha para a namorada.
- Não... – Ela sorria levemente, olhando com os olhos castanhos para a varinha a fazendo pegar fogo e descongelar.
- Err... Pode apagar agora sabe? – O loiro sorria amarelo vendo sua varinha em chamas.
- Bem... Eu só sei acender... – A ruiva mordia o lábio inferior.
- Deixem que eu ajudo! – Megan soprava a varinha, fazendo com que esta pegasse mais fogo. – Ótimo eu não sabia que vento fazia o fogo aumentar! Deviam ensinar isso em Hogwarts...
- Droga... – Draco coçava a cabeça.
- Deixa comigo... – Harry apontava para a varinha de Draco fazendo chover dentro da biblioteca e apagando o fogo.
- Parabéns Potter, apagou o fogo! – O loiro sorria levemente. – Além disso, nos molhou e está alagando a biblioteca...
- Er... Pelo menos eu tentei... – O moreno coçava a cabeça.
- Isso é uma droga! – Suzan exclamava olhando para a chuva que não cessava. – Argh odeio ficar molhada! – Ela erguia as mãos fazendo com que a chuva parasse.
- Como fez isso? – Draco erguia uma sobrancelha.
- Eu não fiz nada! – Suzan girava os olhos.
- Eu fiz... – a voz de Samantha atraiu a atenção dos quatro. – Gelo, Fogo, Água, Vento e Terra... Realmente é incrível como conseguiram esses poderes do dia para a noite...
- Realmente muito interessante... – Katty aproximava-se de Megan lhe sorrindo carinhosa.
- Cada um com um poder diferente... – Rachel surgia atrás das outras duas professoras. – Precisam aprender a trabalhar em equipe e a controlar os poderes, caso contrário não conseguiram lutar contra todo o mal que está por vir e muito menos poderão ajudar Amy e Carter...
- Pode nos ajudar a controlar? – Blake perguntava sem tirar os olhos da janela.
- Eu não, mas vocês podem... – Sam olhava para a janela colocando-se ao lado do garoto.
- Fora de Hogwarts, na floresta das Veelas, elas são as únicas capazes de lhes ajudar a controlar tais poderes... – Katty narrava calmamente.
- A floresta das Veelas... – Harry abria a boca levemente. – Mas...
- Fica a dois dias de Hogwarts... – Rachel sorria deixando sobre uma mesa da biblioteca um saquinho de veludo lilás. – Tonks fortaleceu a barreira de Hogwarts, apenas com esse pó poderão passar por ela, espero que não revelem a ninguém sobre nossa ajuda isto realmente nos prejudicaria...
- Por que estão nos ajudando? – Blake perguntara magoado.
- Porque desde o começo queríamos treinar vocês, entretanto seus pais e Tonks nos proibiram, agora que seus poderes estão maiores que os nossos seria arriscado por demais tentarmos treina-los... – Samantha os fitava.
- As Veelas tem muito conhecimento místico e são muito poderosas, sabem como controlar poderes e são as únicas que podem os ajudar... – Katty analisava Megan.
- E como chegamos na floresta delas? – Suzan perguntava.
- Isso é com vocês, já lhes demos a dica de como devem chegar lá... – Rachel começava a caminhar para fora da biblioteca. – Apenas podemos lhes desejar sorte.

As três professoras logo partiram da biblioteca os deixando a sós, logo vários alunos de Hogwarts começaram a adentrar a biblioteca, os cinco ali se assustaram com o tanto de gente que entrava ali. Cassy caminhou até frente de todos e lhes sorriu carinhosamente.

- A biblioteca é grande, precisarão de muita ajuda para achar essa tal floresta! Estamos dispostos a ajudar vocês! – A morena falara risonha.

Não demorou nem dois segundos até todos aqueles alunos começarem a procurar os livros sobre as Veelas, Cassy caminhou até Blake o tocando carinhosamente nos ombros, Blake a beijou na mão e lhe sorriu.

- Você tentou salvar Ashlee, sou eternamente grato Cassy...
- Eu faria tudo para te ver sorrir novamente Blake... – Ela o acariciava na face. – Cuidarei dela para você, agora tente se preocupar apenas em controlar seus poderes e nada mais!
- Eu... – Ele baixava os olhos. – Obrigado.



Carter havia acabado de adentrar em tal castelo, este parecia realmente em ruínas. Ao seu redor havia sujeira, teias de aranha, escuridão e muitos objetos quebrados, entretanto ali possuía uma beleza completamente diferente que lhe atraia por completo. Ele estava em um imenso salão quando sentiu alguém caminhar atrás de si, virou-se com os olhos verdes brilhando intensamente.

- Não vai me matar, vai Carter? – Um homem velho de cabelos muito grisalhos, vestido completamente de preto analisava o rapaz.

Os olhos verdes voltaram ao castanho esverdeado e puseram-se a fitar o homem, este se aproximou do garoto e afagou-lhe o cabelo como se já o conhecesse há muito tempo.

- Bem que seu pai disse que ficaria um homem exuberante!
- Eu não tenho pai Crainte!
- Oh sim, claro! – O homem cujo nome era Crainte sorria maroto. – Creio que não possua também uma mãe e uma madrasta!
- O que faz aqui? – Carter franzia o cenho.
- Vim lhe receber ora mais! Que tipo de amigo de seu pai eu seria se não estivesse presente no momento em que seu único filho partisse para o lado das trevas!
- Quem disse que eu vou para o lado de vocês? – Carter sorria maldoso.
- Carter, Carter, meu caro... – Crainte balançava a cabeça negativamente. – Você pode escolher e creio que saberá fazer a escolha certa!
- E como sabe que essa escolha certa é as trevas? – O rapaz o encarava severo.
- Apenas sei o que a Foice sabe...

O velho retirara uma varinha do bolso e a apontara para o chão, logo uma passagem abrira-se no centro do salão, relevando uma escada para baixo. Carter encarou o homem com os olhos voltando a brilhar em verde vivo.

- Não me olhe com esses olhos Carter! Sabe que eu não o temo! – Crainte o analisava nervoso. – Abaixo deste salão encontra-se a sala da Foice do Destino, creio que veio para encontra-la não é?

O garoto nem respondera tratara de descer as escadas com Crainte logo atrás de si. As luzes da sala logo se acenderam quando ele já se encontrara nela, esta era toda revestida de ouro, prata e bronze, algumas estatuas de animais cercavam a mesma. Assustou-se ao deparar-se com a imensa Foice do Destino, feita completamente de Ouro, Bronze, Prata e Pedras Preciosas. Era a arma mais bela que Carter já vira em sua vida, ele havia acabado de entender o porque de ficar tão escondida, além de poderosa, a foice era magnífica. Aproximou-se lentamente da foice quando sentira sua mão sendo segurada.

- Ainda não Carter... – Crainte o olhava severo.
- Solte-me Crainte!
- Você quer mesmo que uma arma defina seu destino? Precisa que uma arma lhe diga a que natureza pertence? Sinceramente esperava mais de você Carter...
- O que quer dizer?
- Esta arma irá o controlar assim que colocar seu destino nela!
- Minha vida não lhe diz respeito Crainte!
- Oh, meu jovem... – Crainte sorria sarcástico. – Realmente não me diz, entretanto sua escolha pode afetar várias outras vidas...

Carter afastara-se da foice para encarar melhor a visão do velho Crainte, o velho parecera relaxar ao ver a curiosidade daquele garoto de dezessete anos, sorriu confiante e continuou:

- Eu posso te mostrar o futuro Carter, você pode ver o futuro através da foice, você pode a usar sem que ela o use! Sem que ela interfira em sua escolha, ela pode te mostrar o que acontece com seus amigos se você ficar ao lado deles...
- Pode... Pode me mostrar o futuro?
- Ela é a arma mais poderosa do mundo Carter... – Crainte fitava a foice. – E você é o único capaz de controla-la, sem ser controlado...
- O que você ganha se eu ver o futuro?
- Nada Carter, apenas quero que você veja com os próprios olhos o que acontece assim poderá tomar a própria escolha, entretanto se ficar ao lado do bem peço que não me mate...
- Tem a minha palavra que não o matarei... – Carter o analisava. – Como faço para ver o futuro Crainte?
- Direi um feitiço enquanto segura a foice, ela lhe levara para um mundo novo, onde você no momento deseja estar.

Carter hesitara um pouco antes de tocar tal arma, mas reuniu toda coragem que havia dentro de seu peito e a tocou, sentiu uma tonteira, escutava de longe a voz de Crainte, era como se tudo ao seu redor desaparecesse a cada milésimo de segundo.



Os olhos castanhos esverdeados abriram-se levemente, sentia uma imensa dor de cabeça, olhou ao redor, estava em um quarto imenso e desorganizado, deitado em uma cama de casal com uma roupa que ele não lembrara de ter vestido, olhou para o lado de sua cama e vira sobre um criado mudo uma garrafa vazia de Whisky de fogo, ao lado da garrafa um porta retrato derrubado. Olhou ao seu redor, estava em um belo quarto, este tinha móveis clássicos e rústicos, franziu o cenho ao ver a porta do mesmo abrir-se e um garotinho de seus 8 ou 9 anos de cabelos muito loiros e olhos muito verdes, adentrar.

- Pai... – O garoto aproximava-se calmamente. – Tio Draco está aqui...
- Você... – Carter sentiu sua voz sair mais grave, mas logo falhara ao ver o garoto erguer o porta retrato e revelar a foto. Era a foto de Amy, ela parecia mais madura e bela. – Amy...
- Não devia ter bebido... – O garoto apanhou a garrafa de Whisky de fogo e a encarou sério. – Você prometeu...

A porta mais uma vez abrira-se, Carter que estava sentado na cama arregalou os olhos, a imagem de Draco o fez quase berrar de felicidade, mas Draco estava diferente, os cabelos loiros raspados, a barba por fazer e os olhos azuis não tinham mais um brilho maroto, tinham um brilho de seriedade inexplicável.

- Caios retire-se. – Ordenou Draco. – Seu pai e eu precisamos conversar!

Pai? Então ele realmente era pai daquele garoto. Sentiu sua boca abrir e quase não fechar mais, o garoto apenas jogara a garrafa sobre a cama e saíra do quarto batendo a porta atrás de si. Carter levantou-se da cama e logo recebera um belo murro na face dado por Draco, o loiro estava furioso e isso era evidente.

- Você prometeu ao seu filho que não beberia mais Carter! Sabe como me senti ao entrar aqui hoje e ver o olhar de mágoa nos olhos de meu sobrinho? SABE?
- Draco eu...
- Tome um banho, eu não conversarei com você nessas condições!

Draco saíra pela porta a batendo atrás de si, Carter acariciou a face, o murro de Draco havia realmente doído. Ele realmente estava no futuro, caminhou até uma outra porta e ao abri-la descobriu o banheiro, fitou sua imagem frente ao espelho da pia. Seus cabelos estavam mais curtos e arrepiados, sua face estava mais exausta do que nunca. Entrou no boxe e logo tomou um banho. Ao entrar novamente no quarto deparou-se com um traje de roupas separado sobre a cama, a mesma estava arrumada assim como todo o quarto. Trocou-se e saiu do mesmo vendo um extenso corredor, ele estava em sua casa? Sua antiga casa? Franziu o cenho e andou pelo extenso corredor até achar uma escada, a desceu lentamente e viu na sala sentados no sofá negro Draco conversando com o garoto, o garoto chamado Caios que era seu filho.

- Vejo que já está em condições... – Draco o olhava de cima a baixo. – Caios dê bom dia a seu pai...

O garoto apenas franzira o cenho para o tio, e Draco lançou-lhe um olhar feio, um olhar que fez até Carter sentir medo.

- Bom dia. – Caios analisara o pai passando por ele e subindo as escadas.
- Draco, eu...– Carter falara sério ao ver o filho desaparecer na escadaria.
- Não me venha com mais uma desculpa Carter! – Draco erguia-se do sofá. – Sabe que Caios precisa de você! Enquanto o garoto não tem uma infância descente como tivemos você apenas bebe! Raios eu sei que estamos enfrentando um período complicado, mas virar um alcoólatra não vai nos ajudar!
- Olha eu...
- Recebi hoje uma carta de Megan... – O loiro fitava Carter tristemente. – Harry faleceu em combate ontem de madrugada...
- Harry?

Carter não entendia nada, desde quando Draco chamava o Potter de Harry? E que combate era esse? E como assim ele havia virado um alcoólatra? Seu filho havia chamado Draco de Tio Draco, ou seja, ele casara-se com Amy, mas... Onde Amy estava?

- Com Blake em coma no hospital, mais a morte de Harry estamos em desvantagem e eu agradeceria a Merlim que você se mantivesse sóbrio!
- Eu ficarei sóbrio, não se preocupe! – Carter falara com a voz fraca.
- Ótimo! – Draco voltava a sentar-se. – Estranho isso não é?
- O que? – Carter franzia o cenho sentando-se ao lado do amigo.
- Em Hogwarts eu sempre pensei que me casaria com Suzan, jamais pensara que ela morreria e me deixaria só... O mesmo com Blake, desde o ataque a Hogwarts que ele não se perdoou pela morte de Ashlee, e tampouco você...
- Eu?
- Desde que Amy morreu que parece que você perdeu sua identidade...

Um nó em sua garganta formou-se ao escutar aquelas palavras de Draco, o loiro tinha uma tristeza inigualável nos olhos e Carter sentiu-se fraco. Amy estava morta. Naquele futuro onde ambos tiveram um filho ela estava morta. Sentiu seu coração quebrar-se em mil pedaços com aquelas palavras sufocantes.

- Amy não está mais aqui Carter, mas Caios está... – Draco erguia-se do sofá limpando algumas lágrimas. – Por Merlim não faça o garoto sofrer mais do que já sofre com a ausência da mãe...
- Como Amy morreu Draco? – Carter perguntara com os olhos baixos. – Eu preciso escutar de você, como eu perdi minha mulher?
- Já tivemos essa conversa outras vezes... – Draco virava-se de costas. – Não quero lembrar daquele dia novamente!
- Prometo que é a ultima vez... – Carter apoiava a cabeça sobre os braços.
- Foi quando a mansão de meus pais foi atacada, Amy estava brincando com Caios nos jardins quando começou o ataque, ela ficou para duelar enquanto Suzan correu com meu sobrinho para fora dali. Caios era pequeno então Suzan o escondeu no armário... Estávamos em uma missão no dia, e nesse dia eu perdi minha irmã e a mulher de minha vida e você perdeu Amy, por sorte Caios sobreviveu... Por Merlim você sabe como seu filho se sente culpado? – Draco olhara Carter com tristeza.

O loiro logo parara de falar erguendo a cabeça para cima, Caios estava descendo as escadas com uma mochila nas costas. Ele caminhou até o tio e colocou-se ao lado dele.

- Vamos ver o tio Blake agora? – O garoto perguntou sério.
- Sim, nós vamos Caios... – Draco forçara um sorriso. – Vem conosco Carter?
- Sim... – Carter falara com a voz mais fraca do que nunca.

Eles adentraram no carro de Draco, Caios permaneceu mudo no banco de trás, Carter sentia todas aquelas informações em sua cabeça, parecia um filme de terror! Amy estava morta assim como Ashlee, Suzan e Harry! Blake estava em coma e Megan estava enfrentando batalhas. Quando o carro parou frente ao hospital St.Mungus, ele sentiu seu coração apertar.

Caminhou ao lado de Draco e Caios por todo corredor até chegarem há um quarto onde um homem estava deitado e ferido. Ao lado da cama uma senhora de cabelos brancos com fios ruivos e olhos verdes o olhava ternamente.

- Oi Vovó Sophie! - Caios abraçava a mulher ternamente.
- Olá querido! – Sophie o beijava na testa logo olhando Carter e Draco. – Que bom que vieram...
- Sabe que jamais deixaríamos Blake sozinho aqui não é? – Draco beijava a testa da mulher.
- Oi Tio Blake... – Caios sentava na beirada da cama de Blake. – Você prometeu que iríamos domar Dragões nas férias, e bem... Ás férias estão chegando, volta logo ok?

Carter apenas suspirou cansado dirigindo-se para o lado da cama de Blake. Era estranho ver Blake Zabine naquele estado sereno e irritante. Suspirou derrotado e apoiou-se na cama.

- Escute idiota, não te perdoarei se não acordar logo, você prometeu algo a meu filho e ira cumprir... – As palavras de Carter fizeram Draco sorrir com o canto dos lábios e Sophie o olhar ternamente, Caios apenas fitou o pai sem entender.
- De volta ao que era antes Carter? – Draco perguntou dando tapinhas no ombro do amigo.
- Sim... De volta ao que era antes... – Carter sorriu fracamente.

A saída do hospital fizera com que Carter analisasse mais as ruas, não havia quase ninguém, o comércio estava fechado e tudo parecia realmente diferente, parecia tudo mais sombrio e medonho. Foi quando passaram frente ao cemitério que Carter mandara Draco parar.

- Caios e eu ficaremos aqui, nos encontramos depois Draco...
- Tem certeza? – Draco perguntava ao ver o amigo saltar do carro e logo o sobrinho.
- Sim... – Carter virava de costas.

Draco apenas suspirara cansado e saíra com o carro. Caios tinha os olhos serenos, Carter apenas adentrou o cemitério com o filho logo atrás de si. Eles andaram um pouco, Carter deixava as pernas o levarem, não sabia bem onde estava indo até que ele vira abaixo de uma imensa árvore uma lápide com uma estatua de anjo em cima. Caminhou até a mesma e viu o belo nome “Amy Rose Trent” escrito em letras douradas, ajoelhou-se e tocou a lápide ternamente.

- Amy... – Carter murmurara logo voltando os olhos para Caios.

O garotinho tinha os olhos baixos e a face banhada por lágrimas, Carter o fitou por um longo tempo esperando que Caios falasse algo.

- Me perdoe papai... – O garotinho começara. – Se eu não estivesse lá... Tia Suzan poderia ter ajudado mamãe e... E ela não... Não teria morrido e... Merlim sabe como eu não queria ter quatro anos de idade naquele dia! Pai eu...

Carter não agüentara escutar mais nenhuma palavra, ele abraçara o filho contra o peito, Caios soluçava enquanto abraçava o corpo do pai. Carter odiava aquele futuro, odiava que Amy não estivesse nele, odiava que a maioria de seus amigos estivesse mortos, odiava Blake estar em coma. Ele não queria aquilo, a única coisa boa de seu futuro era Caios.

- Não se preocupe filho... – Ele começara a falar. – Eu te prometo que nada vai ser assim mais, não terá mais essa tristeza, Caios eu te juro! – Ele olhava nos olhos do garotinho.



I hurt myself today
Machuquei a mim mesmo hoje
To see if I still feel
Pra ver se eu ainda sinto
I focus on the pain
Eu focalizo a dor
The only thing that's real
É a única coisa real
The needle tears a hold
A agulha abre um buraco
The old familiar sting
A velha picada familiar
Try to kill it all away
Tento matá-la de todos os jeitos
But I remember everything
Mas eu me lembro de tudo


Ele havia voltado para casa com o pequeno Caios, e agora o observava dormir. Sentia-se um inútil, sentia que ali não era seu lugar certo. Amy estava morta e seu filho era infeliz. Aquela não era a vida que desejava, aquele não era o sentimento que ele desejava. Afagou os cabelos loiros do menino e se retirou do quarto.

Caminhou até a sala e largou-se sobre o sofá, cerrou os olhos, já havia tomado sua escolha e não precisava ver o outro futuro. Tudo o que ele sabia é que ali não era o seu lugar.



What have I become
O que eu me tornei?
My sweetest friend...
Meu doce amigo...
Everyone I know goes away
Todos que eu conheço vão embora
In the end
No Final


Quando abriu os olhos novamente notou que não estava mais em sua casa, estava de volta ao castelo. Olhou atentamente para a foice brilhando intensamente, sentiu uma dor em seu coração ao lembrar-se da lápide de Amy.

And you could have it all
E vc poderia ter tudo isso
My empire of dirt
Meu império de sujeira
I will let you down
Eu vou deixar você pra baixo
I will make you hurt
Eu vou fazer você sofrer


- Quer ver o outro futuro? O futuro no qual você segue o mau? - O velho perguntara as costas de Carter.
- Não é preciso. Já tomei minha decisão... - O rapaz falara amargurado.
- E então Carter? Qual é a sua decisão?
- Eu sou o Herdeiro das Trevas, se eu ficar ao lado do bem não terei a vida que devo ter...
- E isso quer dizer que?
- Estou ao lado das trevas...

I wear this crown of thorns
Eu uso essa coroa de espinhos
Upon my liar's chair
Sentando no meu trono de mentiras
Full of broken thoughts
Cheio de pensamentos quebrados
I cannot repair
Que eu não posso consertar
Beneath the stains of time
Debaixo das manchas do tempo
The feelings disappear
Os sentimentos desaparecem
You are someone else
Voce é outro alguém
I am still right here
Eu ainda estou bem aqui


Uma fumaça negra emanara da Foice do Destino e envolvera Carter, Crainte arregalara os olhos, era muita energia negativa, muita magia negra envolvendo aquele garoto de 17 anos. Dentro daquela fumaça Carter sentia seus olhos arderem, sentia seu corpo pegar fogo, e ele urrou de dor. Agarrou com as duas mãos aquela foice e berrou como nunca.

What have I become
O que eu me tornei?
My sweetest friend...
Meu doce amigo...
Everyone I know goes away
Todos que eu conheço vão embora
In the end
No Final


A fumaça começara a desaparecer, e o velho Crainte ajoelhara-se perante o rapaz. Os olhos de Carter estavam verdes vivo, os cabelos negros bem arrepiados. Trajava uma calça negra com botas de couro da mesma cor. Vestido com uma camisa totalmente negra e uma capa da mesma cor. Suas mãos escondidas por luvas de couro de dragão e em sua face um semblante de maldade jamais visto antes.

And you could have it all
E vc poderia ter tudo isso
My empire of dirt
Meu império de sujeira
I will let you down
Eu vou deixar você pra baixo
I will make you hurt
Eu vou fazer você sofrer


- Meu senhor... - Crainte falava aos pés de Carter.
- Erga-se Crainte e leve-me até onde os outros estão reunidos... - Carter falara sombriamente. - Está na hora de pensarmos num modo de abrirmos os portões do inferno sem que nos interfiram...
- Pelo que sei nosso exército perdeu uma batalha em Hogwarts, para os... Para os Guerreiros, os que protegem a magia branca...
- Se eles interferirem desta vez, os mataremos sem piedade...


If I could start again
Se eu pudesse começar de novo
A million miles away
A milhões de milhas daqui
I would keep myself
Eu poderia me encontrar
I would find a way
Eu poderia achar um caminho


A capa negra balançava de um lado para o outro conforme Carter saía do castelo na companhia de Crainte. O rapaz segurava na mão esquerda a foice. O Herdeiro das trevas havia retornado ao seu trono, o mal estava com mais um aliado, e talvez o mais forte aliado que eles já tiveram. O apocalipse estava preste a acontecer.



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.