FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. You


Fic: Os Novos Marotos 4 De volta a Hogwarts


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A:: Gente eu juro que tentei responder os coments, juro mesmo, mas eu ainda tenho que terminar de escrever o cap novo de Morando com o Inimigo e de Draco Obliviate... E tenho que sair e ir em um niver de 15 anos tudo ainda hoje!!! Prometo que tento responder no próximo cap ok? Não me matem! Aproposito a música deste cap é a You do Switchfoot. Beijo Grande!



You


A imagem daquele labirinto havia desaparecido assim que três mulheres apareceram no mesmo local, ambas altas e imponentes, ambas vestidas de preto e com as varinhas erguidas, olhavam atentamente para aqueles oito jovens ali deitados inconscientes.

- Anotou Katty? – Samantha perguntava enquanto abaixava-se e retirava os cabelos ruivos da face de Megan.
- Sim, eu terminei de anotar... – Respondia Katty apontando a varinha para o céu murmurando um feitiço.
- Acha que Hera é capaz de levar esta carta até o Sr. Potter sem chamar atenção? – Samantha tornava a perguntar.
- Ela foi domesticada para não chamar atenção Sam! Esqueceu que acima de tudo eu sou uma cantora de sucesso? Imagina se minhas cartas pessoais fossem interditadas por fãs malucos? – A mulher falava indignada quando uma bela coruja marrom de olhos negros pousava em seu braço. – Vá e leve até o Sr. Harry Potter!

A coruja tomara a carta no bico e voara pela imensidão, Rachel nem desviara o olhar para as amigas, apenas estava séria fitando dois jovens, Carter e Amy estavam abraçados e pareciam estar dormindo o sono dos anjos.

- Vamos ter problemas... – A mulher falava séria mostrando as plantas ao redor de Carter completamente mortas.

Os olhos fechados delicados se abriram revelando-se azuis intensos tocados pelos raios de Sol daquela manhã de domingo, Amy esfregou os olhos com as costas das mãos e sentou-se na cama onde repousava, olhou ao redor, estava cercada por um cortinado muito branco, não trajava mais as roupas do dia anterior, mas sim um pijama muito confortável da cor lilás, olhou para as mãos e para o resto do corpo, cheios de curativos e ferimentos. Não... O dia anterior não havia sido um de seus sonhos malucos, havia sido real. Sentia-se exausta como se algo lhe tivesse sugado as forças, não conseguia nem erguer a mão para abrir o cortinado, na verdade nem fora preciso já que uma mulher o abrira e a olhara carinhosamente.

- Oh! Você acordou... – Falara Nana a nova enfermeira.
- Sim... – A garota respondera com uma voz rouca.
- Oh, pobrezinha deve estar exausta! Um milagre estarem vivos, realmente um milagre!
- Sra. Nana... – Amy falava fechando os olhos. – Como viemos parar aqui?
- A professora Kian junto da professora Wood os trouxe para cá, os encontraram feridos nas extremidades de Hogsmead, vocês deixaram todos nós muito preocupados...
- Onde estão os outros? – Ela tornava abrir os olhos lentamente.
- Ainda estão adormecidos, não se preocupe querida todos estão bem... Você deve descansar agora!

A loirinha fechara os olhos novamente, seu corpo inteiro estava dolorido, ela precisava apenas dormir só mais um pouco...

- Eu sei que... Que ás coisas no Labirinto ficaram confusas...

Uma voz chorosa sussurrava ao lado do leito de Amy, a loira abrira os olhos lentamente abrindo uma pequena fresta do cortinado, Ashlee estava sentada na cama de Blake acariciando seus cabelos castanhos, o Sonserino estava mais pálido do que o normal, parecia estar mais morto do que vivo...

- Minha mãe... Minha mãe sempre diz que nós só damos valor quando perdemos algo, e eu não quero te perder... – A garota limpava uma lágrima teimosa. – Aquela enfermeira maluca disse que até a Amy já despertou por alguns segundos, e você ainda nada... Já faz um dia inteiro e você não acorda Blake! Mas que inferno! – Ela levantava-se da cama ficando de costas para o garoto adormecido. – Primeiro você fala que me ama e depois... Depois quase morre, ou melhor, fica nessa aparência morto-vivo! Isso... Isso é... Droga! Volta logo!
- Ash… - Amy a chamara baixinho.

Os olhos verdes esmeraldas da Grifinória brilharam intensamente ao ver Amy do outro lado do cortinado, ela fungou como para segurar um choro, no entanto não conseguira por muito tempo, já que puxara o cortinado da amiga por completo e desabara no colo da mesma chorando tudo aquilo que tinha para chorar.

- Hey! Você anda na TPM? A Ash que eu conheço não é de chorar assim... – Amy falava carinhosa enquanto fazia cafuné na amiga.
- A Ashlee que você conhece viu seus melhores amigos quase morrerem, acho que você pode dar um desconto pra ela não é? – Ashlee erguia a cabeça e limpava umas lágrimas sorrindo levemente.
- Mas estamos vivos... – Amy sorria de volta. – O que houve com o Blake?
- Muito veneno em seu corpo, está todo espalhado, ajudaria se ele despertasse, mas... Mas ele não acorda! – Ashlee segurava o choro mais uma vez.
- E os outros como estão?
- Draco está com uma cicatriz enorme na barriga, ah! E o belo rosto de bebê dele está com um tremendo machucado na bochecha esquerda... Suzan se diz culpada por ele estar ferido assim, e bem ela está com alguns arranhões, parece que seu irmão cuidou bem dela... Harry e Megan estão com machucados na cabeça, mas não se preocupe, não perderam a memória! Estão bem! – Ashlee sorria fracamente. – E por último eu, que fiquei bem só com alguns arranhões de nada...
- Você não falou do Trent... – Amy franzia o cenho.
- Não tem o que falar dele... – Ashlee abaixava a cabeça. – Pelo que sei ele está em uma área reservada, sobre os cuidados dos professores, Draco entrou numa briga feia contra a professora Kian por causa disto, seu irmão anda se sentindo sozinho...

Draco estava sentado em sua cama olhando intensamente pela janela, estava sozinho pela primeira vez em toda sua vida, Carter havia sumido e Blake, este não acordava de jeito nenhum, sentia-se furioso por isto, detestava a Ala Hospitalar! Queria sair dali e ver o que estava acontecendo, queria noticias de seu pai, no entanto não as tinha...

- Oi... – Amy tocava-lhe o ombro.
- Oi... – Draco respondera a encarando com um leve sorriso. – Devo soltar fogos de artifício por você estar bem?
- Hum... Não... Acho que um abraço já basta... – A loirinha sorria levemente abraçando o irmão e recebendo um beijo na testa. – Soube que protegeu a Su...
- Fiz o que qualquer um faria... – Ele dava os ombros. – Você esteve com Carter no Labirinto, ele...
- Ele me salvou... – Amy encarava o irmão. – Devo muito a ele...
- Trent posando de Herói, Blake desacordado sem tagarelar em minha cabeça, Merlim que mundo foi esse que eu acordei?
- Draco... – Amy sorria fracamente. – Estou preocupada, algumas coisas andam acontecendo... Coisas fora do normal...
- Papai nos disse há alguns anos lembra-se? Algo estava para acontecer e nós deveríamos estar preparados...
- Sinto falta dele... – A loirinha enterrava a cabeça no colo do irmão.
- Eu também sinto... – Draco falara carinhosamente.

Na cabana de Hagrid uma movimentação diferente fazia com que um par de olhos castanhos esverdeados abrisse e olhasse a sua volta, Hagrid parecia cozinhar algo enquanto Firenze o olhava intensamente e três bruxas brincavam com suas varinhas nos dedos.

- Ótimo, um gigante, um cavalo, três mulheres... Cadê as fadas e os gnomos? – Carter ironizava sentando-se na cama com dificuldade.
- Seja bem vindo ao mundo Sr. Trent... – Firenze sorria levemente.
- Obrigado Alazão! – Carter sorria debochado.
- Coma isto Carter, vai lhe ajudar a recuperar as forças... – Hagrid o empurrava um prato de sopa.
- Essa sopa, está azul... – Carter apontava com cara de nojo para a mesma.
- Não quer dizer que não esteja gostosa! – Hagrid se fazia de ofendido.
- Coma logo Trent, temos algumas coisas a conversar... – Rachel encarava o aluno.
- Estou sem fome... – Carter colocava de lado o prato de sopa e encarava as mulheres. – E estou a todos os ouvidos!

Rachel sorriu levemente, Sam apenas se remexera na cadeira na qual estava sentada e Katty encarava o sonserino com uma expressão de dúvida evidente na face, Hagrid puxava uma cadeira e sentava-se ao lado da cama do rapaz e Firenze se mantinha indiferente a situação, como se já tivesse previsto aquilo antes.

- Diga-se Sr. Trent, porque você um Sonserino de elite, Herdeiro das Trevas, salvara uma Grifinória cujo poder é uma das maiores magias Brancas do mundo Bruxo? – Rachel perguntava séria.
- Onde ela está? – Carter ignorava a pergunta.
- Então você realmente tem um interesse particular em Amy? – Samantha se manifestava. – Um bruxo das trevas e uma bruxa do bem... Grande ironia!
- Onde ela está? – Carter franzia o cenho aumentando o tom de voz, todos ali sentiram os pêlos de seus corpos arrepiarem-se ao ver os olhos castanhos esverdeados adquirirem um verde intenso.
- Ela está bem Carter, não se preocupe... – Hagrid o tocava amigavelmente no ombro. – Apenas com alguns ferimentos, mas nada para se preocupar...
- E os outros? – O sonserino perguntava acalmando-se.
- Estão todos bem... – Hagrid respondia carinhoso.
- Então você ama Amy não é? – Katty falava com um carinho indescritível. – Você a salvou do espelho da morte...
- Ela é a irmã do meu melhor amigo... – Carter falava sentindo as bochechas corarem, porque ele estava se sentindo tão idiota assim por causa daquela loira irritante.
- Sr. Trent não podemos negar que você não é das Trevas, que é um perigo não só para si mesmo como para todos os alunos desta escola... – Rachel falava séria. – Entretanto, não podemos negar que você salvou Amy Malfoy, e que tem uma amizade muito forte por outros alunos desta escola, características de um bruxo de magia branca, o ponto que eu quero chegar Sr.Trent, é que está em dúvida... Seu sangue briga com sua alma...

Carter estava sério e impaciente, ele já sabia de toda aquela palhaçada que Rachel estava falando, era como falar que Papai Noel não existe! O sonserino olhou para as flores da casa de Hagrid todas estavam mortas, e ele sabia que era por sua causa, baixou a cabeça e respirou fundo.

- Você está entre dois planos... – Katty falara séria. – O plano de Herdeiro das Trevas e o Plano de Guerreiro da Luz...
- Conhece a história sobre as seis armas dos fundadores de Hogwarts? – Sam perguntava ao rapaz.
- Antes de você aparecer eu sempre dormia em história da magia sabe? – Carter sorria sarcástico.
- Tudo aconteceu quando os quatro fundadores de Hogwarts perceberam que eles precisariam muito mais para proteger sua escola do que simples magia e varinhas, cada um deles criou uma arma, no entanto Salazar Slyntherin querendo demonstrar sua força criou mais de uma arma, criou duas! A espada e o machado... Salazar nunca fora visto como um bruxo bom ou um bruxo mau, sempre se encaixava no meio termo, então em uma reunião os quatro fundadores uniram suas forças criando mais uma arma, no entanto esta era formada pelos quarto, foi assim que surgiu a Foice do Destino. Os anos se passaram e batalhas vieram, algumas destas armas foram usadas em algumas Guerras Bruxas, como por exemplo a espada de Godric... Mas a Foice jamais fora usada, ela fora deixada nos confins do mundo Bruxo onde nem o bem nem o mal tem poder, onde ambos são iguais, acontece que hoje enfrentamos sérias circunstancias, precisamos de todas as armas possíveis, pois o que sabemos é que...
- Que as Trevas estão se reerguendo pela última vez e com mais força do que nunca... – Carter finalizara.
- Queremos você ao nosso lado Sr. Trent... – Firenze finalmente se manifestava. – Sabemos o risco que corremos lhe falando sobre a Foice do Destino, afinal se você for para o lado sombrio, terá uma das armas mais poderosas do mundo bruxo em suas mãos...
- Esta arma é capaz de revelar que eu sou realmente? – Carter franzia o cenho.
- Sim... Pois ela tem o bem e o mal encravados na mesma, ela dirá qual é sua essência... – Rachel encarava o garoto.
- As trevas estão se apossando do meu corpo a cada dia que passa... – O sonserino indicava as flores mortas. – Vai ter uma hora que não vou conseguir controlar, preciso da localização e de como fazer para chegar até essa Foice o mais rápido possível!
- Tem medo de machucar alguém em especial? – Katty o encarava como uma mãe.
- Já perdi todos meus familiares, alguns dei Graças a Merlim por terem morrido... No entanto... Não quero perder e nem machucar ninguém... – O garoto voltava a deitar-se.
- Durma mais um pouco garoto, prometo que trabalharemos duro para achar a localização da Foice... – Firenze falava gentilmente indicando para que todos saíssem e deixasse o sonserino descansar.

Uma coruja de penugem marrom pousara na janela de uma mansão, uma senhora de cabelos ruivos indicara o braço para a coruja, mas esta apenas voara para dentro da casa pousando apenas frente a um senhor de orbes verdes escondidos por um óculos.

- Obrigado... – Harry apanhava a carta do bico da coruja.
- Noticias de nossos netos? – Gina adentrava a sala encarando o marido.
- Aquelas três são mais competentes do que imaginei... – Harry sorria com o canto dos lábios. – Conseguiram identificar a motivação de cada um deles e as armas que usarão na grande batalha...

O velho Potter jogara a carta para sua esposa, esta franzira o cenho ao ler o conteúdo:

Determinação – Espada da Slyntherin – Draco Malfoy II
Coragem – Espada de Griffyndor – Harry Potter II
Sabedoria – Arco e Flecha de Ravenclaw – Suzan Zabine
Lealdade – Bumerangue Huple-Puff – Megan Weasley
Sinceridade – Machado Slyntherin – Blake Zabine.
Esperança – Lança La Blanck – Amy Malfoy
Honra – Foice do Destino – Carter Trent.

- Harry... A Foice...
- Certamente Carter irá atrás dela, lembra o que James nos disse? Ele disse que Cold achava que o rapaz tinha algo de especial... E devemos ser maduros para perceber que quase nunca Cold errou sobre uma pessoa...
- Eu temo por nossos filhos e netos Harry! Até quando nossa família vai estar entre batalhas?
- Infelizmente eu não posso te responder isto minha querida... – Harry abraçara a mulher gentilmente.

Amy nunca se sentira tão impaciente quanto naquele dia de segunda feira, se sentia terrível por ter traído Harry com Carter dentro do labirinto, e sentia-se pior ainda por só pensar no sonserino, aquela Ala Hospitalar realmente não estava ajudando muito. Respirou fundo quando Harry sentara em sua cama e tentara a beijar, esquivou-se e encarou os olhos azuis do rapaz com tristeza.

- Você anda distante... – O moreno falara tristemente.
- Muita coisa acontecendo de uma vez só... – Tentava se justificar a loira.
- Você antes não era de se preocupar com o Trent...
- Quem disse que eu estou preocupada com ele? – Amy franzia o cenho.
- Vi você perguntando para a Sra. Nana sobre ele mais de cinco vezes hoje, e olha que ainda é de manhã!
- Você anda escutando minhas conversas?
- Eu não sei o que aconteceu naquele Labirinto, ou até antes dele, o que eu sei é que você e o Trent andam estranhos! Acha que eu não percebi a fúria dele quando soube que estávamos juntos? Ou a troca de olhares de vocês? Ou melhor, de você evitando o encarar nos olhos? Eu não sou idiota Amy!
- Eu... – A garota mordia o lábio inferior.
- Por Merlim não me coloque no meio de vocês! Se querem se matar, se amar seja lá o que for, não me coloque no meio como desculpa para não fazer o que seu coração manda!
- Não é bem assim! Eu...
- Você gosta de mim, é eu sei... Mas não ama como eu te amo! – O moreno franzia o cenho. – Pare de mentir para si mesma, talvez assim você pare de se magoar e magoar os outros...
- Harry eu... Eu sinto muito... – Amy abaixara a cabeça quando uma lágrima escorrera de seus olhos.
- Olhe o lado bom... – O moreno forçava um sorriso. – Nós somos o casal que namorou por menos tempo em Hogwarts...
- Harry...
- Bem, eu me sinto bem! Se a Sra. Nana perguntar diga que eu fui para a sala comunal da Grifinória...

Ele beijara a testa da loirinha e saíra pelo cortinado branco, Amy engolira seco, Harry estava magoado por demais, ferido por demais e a culpa fora toda dela.

Ashlee ainda estava lá, ao lado da cama de Blake quando o cortinado fora aberto e uma garota de olhos negros e cabelos loiros a fitara com desprezo, Annett tinha um ar de superioridade esbanjado pelas sonserinas.

- Finalmente eu posso ver meu namorado! – Ela caminhara até o lado do garoto.
- Afaste-se dele! – Ash apontava sua varinha.
- Poupe-me Potter! Ele é meu namorado, você é que está de intrusa aqui!
- Escute você Annett! Se encostar nele eu juro que vai ficar uns três anos no St.Mungus!

Ambas tinham olhares ferozes como duas felinas prestes a se atacarem a qualquer segundo, fora quando os olhos verdes escuros de Blake abriram-se, ambas voltaram o olhar para o sonserino que sentava-se com dificuldade na cama, os olhos de Ashlee lacrimejaram como nunca e antes que ela pudesse dar um abraço daqueles no sonserino, Annett o beijara, e ele deixara ser beijado, assim que ela descolara os lábios dos dele, Ashlee o encarou tristemente.

- Blake...
- Acho que você já sabe do meu namoro com a Annett não é? – Ele falara amargo.

Os olhos verdes da garota arregalaram-se, ela sentia o coração se destroçar a cada caricia que Annett fazia no mesmo.

- Sejam felizes... – Ashlee falara magoada saindo pelo cortinado.

Blake suspirou tristemente, ele tinha seu orgulho! E o que Ash fez? O fez o jogar o orgulho fora para levar mais um fora da garota, não iria ficar atrás dela para sempre! Não iria ficar mal para sempre! Ele era um sonserino acima de tudo! Seus pensamentos foram desviados pelo cortinado sendo aberto pela Sra. Nana que o olhava carinhosa, e logo atrás dela Draco aparecera com um imenso sorriso no rosto.

- Pensei que iria dormir para sempre! – O loiro sorria debochado.
- Eu não iria dar este gostinho para você! – Blake piscava maroto olhando ao redor. – Cadê o terceiro mosqueteiro? Onde tá o Trent?

Os olhos de Draco tornaram-se tristes novamente, e os dois sonserinos pareciam trocar informações pelos olhares. Fora questão de segundos até Blake saltar da cama e apanhar sua varinha, Draco sorrira maroto e correra apanhando a própria varinha, sobre protestos da enfermeira ambos saíram na Ala Hospitalar de pijamas, Suzan prendia uma boa gargalhada ao ver o irmão e o loiro saindo da Ala Hospitalar com Nana atrás deles resmungando e esbravejando.

- CARTIEEEEEEEEEEE CADE VOCÊEEEEE??? – Blake berrava pelos corredores.
- CARTIZITOOOO???? – Draco o acompanhava.

Os alunos que estavam em aula naquela segunda feira abriram as portas e correram para os corredores para ver o que estava acontecendo, Harry que estava no meio do corredor sorriu levemente, Draco e Blake sabiam quebrar o gelo de uma forma assustadora. Os dois sonserinos desceram até os jardins ainda procurando o amigo, fora quando viram de longe saindo da cabana de Hagrid, um moreno alto de olhos muito verdes, Carter estava lá...

- CARTER!!! SEU LOBO FEDIDO DE UMA FIGA!!! – Blake transformava-se em um Labrador e correra em direção ao amigo.

Carter fora derrubado pelo labrador negro que não parava de morde-lhe e lamber-lhe a cara.

- ECA! SAI DAQUI VIRA-LATA! FICOU LOUCO? - Ele resmungava empurrando o cachorro de cima de si.
- Assim você magoa os sentimentos caninos dele... – Draco sorria maroto oferecendo a mão para o amigo.
- Eu vou quebrar o focinho dele se ele me lamber de novo! – Carter limpava a cara.
- Essa magoou Cartie! – Blake voltava ao normal.
- O que você ‘tava fazendo na cabana do Hagrid? – Draco franzia o cenho.
- Não sabia? Eu virei gay e me apaixonei por um velho meio gigante! – Carter girava os olhos. – O QUE VOCÊ ACHA QUE EU TAVA FAZENDO LÁ???
- Sendo cuidado por causa de seus ferimentos? – Blake respondia sorridente.
- Eu não sabia que você havia virado gay! – Draco debochava. – Acho que terá de parar de andar conosco, vai que se apaixona por mim?
- Você não faz meu tipo Drakie! – Carter batia levemente no ombro do amigo.

Amy assistia a tudo da janela da Ala Hospitalar, vira o sorriso imenso nos lábios de Suzan e o sorriso triste nos lábios de Ashlee, do outro lado vira Megan sorrindo carinhosa para si, o importante era que estavam todos bem.

Foi na manhã de terça feira que a Sra. Nana liberou as garotas da Ala Hospitalar, já que os garotos haviam sumido dali a tempos. Suzan andava tranqüila na tarde de terça feira pelos corredores, lembrava-se de como fora estranho estar naquele labirinto, e de como estava sendo um saco ser parada por todos os alunos curiosos querendo saber o que aconteceu ali, finalmente o corredor estava vazio, sem ninguém para atormenta-la, até começar a escutar passos a suas costas.

- Não acredito... – Resmungou para si mesma virando-se. – EU NÃO VOU EXPLICAR O QUE ACONTECEU LÁ! – Berrara ela assustando-se ao ver a face de Draco.

O loiro erguera uma sobrancelha e sorriu com o canto dos lábios, a ruiva sentiu as bochechas arderem ao vê-lo ali parado a sua frente.

- Bem, eu estava lá! Então acho que não perguntaria isso... – Draco sorrira sarcástico.
- Acontece que toda Hogwarts resolveu me amolar! – Suzan girava os olhos. – Desculpa...
- Digamos que você anda tendo seu momento de fama, no começo é ruim, mas depois você se acostuma... – Draco encostava-se em uma estátua.
- Falou a voz da razão! O famoso Draco Malfoy II! – Suzan debochava.
- Sabe, você anda convivendo muito com seu irmão! – Ele sorria maroto. – E então? Já sabe com quem que vai para o baile?
- Erick me chamou assim que eu sai da Ala Hospitalar, fiquei de pensar... – Ela encostava-se na parede.
- Kunis? Argh! Pensei que tinha bom gosto ruiva! – Draco fazia cara de nojo.

Suzan girara os olhos, era estranho ela e Draco terem uma conversa descente, encarou o garoto com o canto dos olhos, ele desencostara da estátua e ficara frente a ela, colocando uma mão na parede como a encurralando, os olhos azuis dele encaravam os castanhos dela de maneira avassaladora.

- E com quem você sugere que eu vá? – Suzan o desafiava.
- Bem...

O loiro nem conseguira terminar a frase já que sentira alguém saltar de cavalinho em suas costas, Suzan franzira o cenho ao ver Kira soltar-se do loiro e o beijar de maneira feroz nos lábios. A ruiva esbravejou como se já soubesse que o loiro sempre seria aquele mulherengo idiota e escroto de sempre! E pensar que ela, Suzan Zabine, Grifinória estava pensando em sair com ele, ou até quem sabe ir ao baile com ele! Girou os calcanhares saindo dali.

- Suzan! Espera eu... – Draco a chamara em vão encarando com desgosto Kira que estava presa em seu pescoço – Dá para soltar?
- Ah qual é Drakie! – Kira o beijara novamente. – Senti sua falta... – Ela mordia o lóbulo da orelha do mesmo.
- Eu não estou afim ok? – Ele soltava-se dos braços da sonserina.
- Mas EU estou! – Ela o jogava contra a parede.
- Qual é Kira, eu preciso falar com ela... – Draco girava os olhos.
- Depois você fala, agora você é meu! – Ela olhava para a parede onde formara uma porta, assim a abrindo e puxando o loiro para dentro. – Você só saíra daqui quando eu estiver satisfeita... – Ela sorrira maldosa dentro de um quarto muito luxuoso o derrubando em uma cama.

Harry estava lá no corujal olhando o nada quando escutara passos atrás de si, assim que virara-se dera de cara com os olhos azuis e os cabelos flamejantes de Megan, a garota o olhava com um carinho indescritível.

- Você e a loira terminaram mesmo não é?
- Sim... – Harry passava as mãos pelos cabelos.
- Olhe o lado bom, agora além de ter sobrevivido ao labirinto sombrio você é o cara que teve o namoro mais rápido de toda a história de Hogwarts! – Megan sorria abertamente fazendo Harry sorrir também.
- Sabe acho que você bateu a cabeça forte demais! – Ele sorria maroto.
- Minha cabeça vai bem obrigado! – Megan mostrava a língua.
- Parece que os Potter’s não andam com sorte no amor... Lily e Jay brigaram esta manhã e ele passou a tarde me alugando falando como reconciliar com ela, Ashlee e Blake tinham tudo para darem certo, mas pelo visto não estão dando e eu... Eu me ferrei com a Amy...
- Digamos que vocês enfrentam uma fase negra na vida... – Megan sorria gentil. – Mas isso não quer dizer que será assim para sempre...

O moreno sorriu gentil abraçando a ruiva, ela sempre estava ali para ele nos momentos mais difíceis, sempre o ajudando e o fazendo sorrir, Megan surpreendeu-se com o abraço no entanto permitiu ser abraçada, gostava de ser enlaçada pelos braços protetores de Harry, aqueles braços fortes e carinhosos.

Amy subia em direção ao corujal, queria mandar uma carta a sua mãe quando vira Harry e Megan abraçados, a loira sorriu levemente e saiu dali pé ante pé não querendo interromper nada, descia as escadas e vira de longe Carter frente ao lago, jogando pedrinhas no mesmo. Respirou fundo e foi caminhando até ele parando em suas costas, Carter virou-se assustado ao vê-la ali.

- Oi... – Ela murmurava.
- Oi... – Ele a encarava nos olhos.
- Como... Como você está?
- Sobrevivi... – Carter voltava a olhar para o lago.
- Eu fiquei com medo de que...
- De que acontecesse o pior? Sinto te decepcionar Loirinha, mas eu não sou fácil de morrer assim... – Ele virara-se sério para ela. – Fique longe de mim Amy...
- Eu disse que não ficaria, que ficaria ao seu lado...
- Não me importa o que você disse... – Ele falara sério. – Não quero ser responsável pela sua morte!
- Eu não vou morrer por ficar ao seu lado!
- Olhe para meus pés Amy! – Carter a cortara severo.

A garota olhara para a grama que cercava Carter, a grama estava morta, a garota abriu a boca categoricamente voltando o olhar para ele, sim ele era das trevas, mas isso não importava! Ele a salvara, e ela sentia algo por ele, algo forte, algo capaz de superar se ele era do bem ou do mal...

- Eu não me importo!
- EU ME IMPORTO! – Ele vociferava. – Não se aproxime de mim novamente... – Ele sussurrara saindo dali a deixando sozinha.

Amy virara para encarar as costas de Carter, limpou uma lágrima teimosa e abaixou-se para ver a grama morta, fora apenas a garota tocar na mesma que esta ganhara vida. A verdade é que ela e Carter eram dois extremos, e ela sabia que era capaz de curar toda a dor, toda a tristeza e toda decepção e mesmo que ele não quisesse ela ficaria ao lado dele.

Ashlee andava cabisbaixa pelos corredores, ver Blake com Annett doía demais, e talvez fosse aquela dor que o Sonserino sentisse quando a vida com Matt, respirou fundo, não abaixaria a cabeça por qualquer coisa.

Draco saíra de dentro da sala precisa e correra por todo o castelo a procura da ruiva, só faltava procurar nos jardins e não dera outra, Suzan estava sentada num banco lendo algum livro no qual ela não desgrudava a atenção por sequer nem um segundo.

- Precisamos conversar... – Draco falara sério.
- Não tenho nada para conversar com você! – A ruiva fechara o livro e levantara-se do banco sem encarar o loiro.
- Hey! Da onde veio toda essa agressividade? – Ele a puxara pelo braço.
- Me solta Draco! – Ela o encarava com raiva nos olhos. – Eu sabia que não devia confiar em você! Homem nenhum merece confiança!
- Como é que é? – O loiro erguia ambas sobrancelhas.
- Por que você não vai ficar com a Sian e me deixa em PAZ?
- Hey! Ow! Calminha aí! – Draco a puxava para encarar em seus olhos. – Eu fui atacado tá legal?
- Você não me deve satisfações de sua vida amorosa! E me solta! Você tá com cheiro de perfume de mulher! Todos os homens são idiotas!
- Você não confia nos homens não por eles serem idiotas, mas por ter medo de amar!
- E o que você sabe sobre o amor Draco?
- Sei que eu te amo e você não vê! – O loiro esbravejara encarando os olhos da ruiva.

Ela parecia analisar cada feição do rosto dele, cada milímetro, ela não desviava os olhos castanhos dos olhos azuis por nada do mundo, ele soltara o braço da garota passando a mão pelos cabelos loiros demonstrando sua impaciência.

- Você não vê o quanto é importante para mim?
- Isso tudo é besteira! – Suzan o encarava com raiva.
- Que parte? – Ele franzia o cenho.
- TUDO! – Ela virava de costas.
- EU TE AMO! – Ele berrava ao vê-la se afastar.
- PROVE! – Ela berrara com raiva adentrando o castelo.

Draco passara as mãos pelo rosto, aquela ruiva estava o tirando do sério, antes era só ele falar que gostava de uma garota que a mesma estava aos seus pés! Mas nãããoo a ruiva tinha que dificultar sua vida, tinha que manda-lo provar! Como ele faria isso? Não sabia nem provar que 2+2 era 4! Imagina provar seu amor pela ruiva! Girou os olhos, aquilo só podia ser brincadeira. Vira Carter passar por ele com uma cara de poucos amigos, puxou o braço do amigo o fazendo lhe encarar.

- Dia difícil Cartie? – Sorrira amarelo o loiro.
- Nem me fale! – Carter girava os olhos.
- Preciso... De hum... Sua ajuda...
- Não me diga! – Carter sorria debochado. – Você? Precisando de mim? Que lindo!
- Rá!Rá!Rá! Você é hilariamente patético! – Draco girava os olhos.
- Sabe assim você não me convence a te ajudar... – Carter sorria irônico.
- Eu preciso provar pra ruiva que amo ela!
- Ahhh!!! Então você admite que está apaixonado pela Zabine?
- Não sei se você percebeu, mas eu estou mais desesperado! – Draco franzia o cenho. – Quando eu fui convida-la pra ir ao baile comigo a Kira me atacou...
- Ah... Os ciúmes femininos, você anda um sucesso em Hogwarts sabia?
- CARTER! – Berrara Draco nervoso.
- Ok, ok! Sem estresse! Vamos pensar em algo para que a ruiva acredite em você! – Carter sorria abertamente fazendo Draco revirar os olhos.

Blake andava sozinho pelo corredor, finalmente havia conseguido dar um “perdido” em Annett, não imaginava que aquela maluca conseguia ser tão insuportável, vira de longe Ashlee debruçada em uma janela vendo o Sol se pôr, ela parecia triste, mas ele não daria o braço a torcer, reparou que ela não notara sua presença e olhara profundamente para ela, ela tinha lágrimas escorrendo de seus olhos? Engoliu em seco e se aproximou.

- Ash...
- Hum? – A garota se assustara limpando o rosto rapidamente. – Ah... Oi...
- Você tava chorando? – Ele erguia as sobrancelhas.
- Eu? Ficou louco? Eu não sou de chorar esqueceu? – Ela franzira o cenho.
- Seus olhos estão vermelhos...
- Ahhh não conte pra ninguém ok? Andei bebendo um pouco, sabe como é...
- Para de mentir... – Blake a fitava nos olhos.
- Pare você de mentir! – Ashlee se afastava dele.
- Em que eu menti para você?
- Veio com o papo! Ai Ashlee eu te amo! Qual é! Se me amasse não estaria com a Nanett!
- É Annett! – Blake revirava os olhos. – E eu não menti sobre meus sentimentos, mas você sim! Você mente para si mesma o tempo todo!
- Jura? Eu estava até pensando que o idiota aqui era você! – Resmungara a garota. – Sabe quem ficou ao seu lado até você acordar? Rezando para você não morrer, e segurando sua mão? FUI EU! SABE POR QUE? PORQUE EU DESCOBRI QUE GOSTO DE VOCÊ! MAS VOCÊ PREFERIU IR PARA A ANNETT! E QUER SABER BLAKE QUE SE DANE VOCÊ E ELA DE UMA VEZ SÓ!

O sonserino não sabia se ria ou gargalhava, Ash gostava dele mesmo? Ok... Ele estava com a Nanett, ops.. Annett, mas nada que impedisse dele beijar a grifinória naquele momento, afinal adorava ver o quanto Ashlee ficava nervosa.

- POR QUE VOCÊ ‘TÁ COM ESSE SORRISO DEMENTE NO ROSTO?
- Eu também te amo Ash... – Ele sorrira maroto a puxando para si e a beijando furiosamente.

Ela não teve nem tempo de protestar, pois ele já tinha os lábios colados nos seus, sentiu um misto de sentimentos lhe invadir de forma avassaladora, ela sorriu dentre o beijo empurrando Blake contra a parede e o beijando com mais força, como se ela fosse quem comandasse a situação. O beijo só cessou quando escutaram um sinal indicando que o jantar estava sendo servido, ambos separaram-se arfantes com sorrisos imensos nos lábios.

- Me da até o fim da noite para acabar com a Annett? – Ele perguntara sorridente.
- Te dou uma hora... – Ashlee o encarava risonha.

Suzan estava com um péssimo humor, enquanto Ashlee sorria abertamente e Amy brincava com a comida, Harry e os outros Grifinórios olhavam as três com um tremendo ponto de interrogação estampado na face, não tiveram tempo de perguntar nada já que uma música começara a soar. Todos viraram-se para a porta do salão principal onde um loiro aparecia com um microfone na mão.

There's always something in the way
Sempre há algo no caminho
There's aways something getting through
Sempre a algo se interpondo
But it's not me,
Mas não sou eu,
It's you, it's you...
É você, é você...


Suzan arregalara os olhos, não estava acreditando naquilo, vira a expressão de fúria de Kira na mesa da Sonserina assim que o loiro se aproximava da mesa da Grifinória em passos lentos, ele só olhava naquele momento para Suzan, ninguém mais ali importava, apenas a ruivinha.

Sometimes ignorance rings true
Às vezes a ignorância chama a verdade
But hope is not in what i know
Mas a esperança não está, naquilo que sei
Not in me it's in you!
Não em mim, está em você!


Ele ficara frente a ela, encarando aqueles olhos castanhos intensos, muitas garotas suspiravam achando aquilo tudo lindo de mais.

- O que pensa que está fazendo? – Suzan murmurava ao sentir as bochechas arderem.

Todos tinham os olhares vidrados nos dois, os professores pareciam bastante atentos com tudo aquilo que estava acontecendo.

It's all i know
É tudo o que eu sei
It's all i know
É tudo o que eu sei
It's all i know
É tudo o que eu sei


Draco parecia ignorar o estado beta da ruiva, parecia mais concentrado em cantar para ela e dizer tudo o que sentia apenas para ela! Pouco lhe importava se estava na frente de toda a escola e que depois iria levar um pé na bunda... Quer dizer... Isso importava! Mas nada importava mais do que colocar dentro daquela cabeça flamejante que ele gostava dela de verdade.

I find peace when
Encontro a paz
I'm confused
Quando estou confuso
I find hope when
Encontro esperança
I'm let down
Quando estou desapontado
Not in me but in you!
Não em mim, mas em você!


Suzan prestava atenção em cada palavra que saía da boca do loiro, pareciam tão sinceras e límpidas. Não sentia vontade de contestar, quer dizer... Ela o mandou provar que estava mesmo apaixonado por ela, e bem... Era isto que ele estava fazendo, não era?

I hope to lose myself for good
Espero me perder de mim mesmo por bem
I hope to find it in the end...
Espero encontrar isso no final...
Not in me
Não em mim
In you, in you...
Em você, em você...


Draco sorriu levemente ao ver a cara que Suzan fazia, mas tudo aquilo que ele cantava era o que ele sentia, sentia por ela! Desde quando eram pequenos... Sempre teve medo de seus sentimentos, mas já estava mais do que na hora de crescer, ele oferecera a mão para ela esperando que pelo menos ela aceitasse, pelo menos para que tudo aquilo que ele estava fazendo valesse a pena.

It's all i know
É tudo o que eu sei
It's all i know
É tudo o que eu sei
It's all i know
É tudo o que eu sei


Suzan surpreendera-se ao ver aquela mão estendida para si, podia-se ouvir os murmúrios das garotas de Hogwarts dizendo o quanto ela era sortuda por ter Draco Malfoy ao seus pés, ele ainda estava lá com a mão esperando ela. Talvez ele não fosse tão insuportável assim, sorriu abertamente quando aceitara a mão do loiro, ele parecia surpreendido por ela ter aceitado.

There's always something in the way
Sempre a algo no caminho
There's always something getting thorugh
Sempre a algo interpondo
But it's not me,
Mas não sou eu,
It's you, It's you, It's you...
É você, é você, é você...


Quando ele finalizara a música, parecia que toda aquela cena em que eles estavam no meio de um jantar em Hogwarts tivesse desaparecido e só houvesse os dois, Draco a abraçou a trazendo para perto de si, e antes que a ruiva permitisse algo ele a beijara com um carinho inigualável.

- EU NÃO ACREDITO QUE ELE BEIJOU MINHA IRMÃ! – Berrara Blake inconformado indo em direção a mesa da Grifinória.
- Blake... Relaxa! – Ashlee gargalhava alto.
- DEAN SEU IMPRESTÁVEL FAÇA ALGUMA COISA! – O sonserino gritava para o irmão.
- O que você quer que eu faça? Ele é seu amigo não é?
- Por isso mesmo babacão! Bata nele! Eu não posso espanca-lo até a morte! – Blake girava os olhos.

Kira tinha os olhos brilhando em fúria, ela apenas levantara-se da mesa da sonserina inconformada e na companhia de Annett saíra dali. Fora Cassy que começara a salva de palmas para o novo casal, Ashlee encarara a cornival com ternura e piscara para a mesma, Cassy apenas retribuíra com um sorriso e um aceno de mão.

Carter encarava toda aquela cena clichê, será que as coisas poderiam ser tão incrivelmente perfeitas assim? Riu pelo pensamento idiota. Ele não era de ter um final feliz, saíra do salão e estava preste a subir as escadarias quando escutara passos atrás de si, virou-se para ver quem seria vendo apenas a imagem de sua professora.

- Sabe, eu não gosto muito de gente me perseguindo...
- Ela estava bastante triste no jantar... – Rachel o fitava severa. – Você disse que gostava dela!
- Não, eu não disse nada! Você deduziu sozinha! – Carter bufara.

Amy ao ter visto o sonserino sair do Salão logo resolveu ir atrás do mesmo, no entanto escondeu-se atrás de uma estátua ao vê-lo conversar com a professora Kian.

- Ora não seja infantil! Nós dois sabemos que se afastar dela não vai dar em nada!
- Você mesma disse que enquanto eu estiver em dúvida sobre a que lado pertenço sou perigoso! Está se contradizendo professora!
- Quer dizer que vai se afastar dela por medo de feri-la? – Rachel o fitava com olhos maternais.
- Escute aqui Kian, eu perdi todos da minha família... Eu não estou disposto a perder Amy, Draco e Blake também!
- Deveria ao menos ser sincero com ela... Contar-lhe a verdade!
- E o que eu diria? Prefiro deixar do jeito como está! Agora vê se vai torrar o saco de outra pessoa!

Carter subira as escadas depressa deixando Rachel para trás, Amy estava com a boca entreaberta, jamais esperaria deparar-se com uma cena daquelas. Quer dizer que Carter gostava dela, mas estava se afastando por medo de algo? Como ele OUSAVA fazer isso? Ele depois teria de lhe dar boas explicações.

Carter adentrara a sala precisa, estava cansado, ou melhor exausto! Quando a porta da sala abrira-se ele apenas girara os olhos, só podiam estar brincando com ele! Estava preste a soltar vários palavrões quando vira os cabelos rosa chiclete da diretora a encarou assustado endireitando-se.

- Essa sala realmente anda famosa... – Tonks sorria gentilmente. – Acho que precisamos ter uma conversinha Sr. Trent...

No próximo capítulo:

Tonks: Esta daqui é a localização exata onde você encontrará o que procura...
Hermione: Quando pretende partir?
Carter: Após o baile...
Suzan: Ando preocupada com Amy, ontem todos os objetos do quarto estavam flutuando em torno dela...
Draco: Meu pai sempre disse que Amy era especial... Nunca soube bem o porquê...
Ashlee: O baile está chegando e eu pensei em cantarmos!
Blake: Garotas? Cantando? Ok... Você pirou?
Megan: Podemos provar o que sabemos!
Harry: Eu dou o maior apoio!
Amy: QUEM VOCÊ PENSA QUE É PARA ACHAR QUE PODE ME PROTEGER SE AFASTANDO DE MIM!
Carter: EU NÃO SEI QUEM EU SOU!
Amy: MAS EU SEI QUEM VOCÊ É E O QUE VOCÊ NÃO É! ISTO NÃO É O BASTANTE?
Carter: Eu sou um demônio e você é um anjo Amy... Somos de mundos diferentes...
Sam: Eu tenho medo que esta relação dos dois pode afetar o equilíbrio entre o bem e o mal...
Rachel: Ou pode beneficiar um dos lados...
Maya: Não conseguiram achar nenhuma pista de Cold e dos outros?
Melanie: Queria lhe confortar Maya, mas infelizmente não achamos nada...
Cold: realmente eles deveriam ter achado um calabouço melhor para nos prender não é mesmo?
James: deveria agradecer a Merlim por estar vivo!
Johnny: Cara aqui fede muito!
Miguel: Shii! Silêncio... Eles estão falando algo sobre Hogwarts!



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.