FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. O dia mais longo do ano


Fic: Harry Potter e a II Grande Guerra Bruxa . HG - 02.07


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Antes mesmo de qualquer reação, Lupin voltou ao quarto, acenou com a varinha, e apareçou no colo de Harry uma caixa muito grande, enquanto o ex-professor dizia: - Feliz Aniversário Harry, estava quase me esquecendo do seu presente. Aproveite-o bem. - e saiu sem dizer mais nenhuma palavra.


Capítulo 4 - O dia mais longo do ano




Os garotos ficaram em silêncio, enquanto Harry tentava a todo custo desembrulhar o pacote feito por Lupin. Quando finalmente conseguiu se livrar dos inúmeros artefatos que impediam o pacote de ser aberto, Rony conseguiu soltar apenas uma exclamação inaudível de tão absorto que estava ao ler o que Harry segurava na mão. As letras garrafais e douradas, toda aquela sensação de euforia, com certeza era verdade, e Rony Weasley estava olhando para ele, o livro que ensinava a arte da animagia.

Harry após examinar atentamente o presente e folheá-lo displicentemente, pronunciou a um Rony boquiaberto: - Com certeza precisaremos da Hermione, eu havia me esquecido que uma vez Lupin havia comentado comigo se eu não tinha o interesse em animagia e... - mas parou abruptamente com os nomes que constavam na capa interna do livro, dentre eles o de seu pai, e uma breve instrução escrita em um garrancho parecido com o seu: “Pule direto ao capitulo 12 e poupe-se de ouvir as baboseiras que vêm antes dele”.- Rony se debruçou e também leu o que estava escrito, e olhou apreensivo para Harry, vendo que o amigo não tinha reação nenhuma ele disse: - Harry, esse livro é muito raro, somente bruxos formados, com ótimas indicações e com uma ficha impecável podem comprá-lo, além do que, o valor dele se equivale a sua Firebolt.- terminou um Rony realmente achando que estava em um sonho.

Após ouvir as palavras do amigo, Harry Potter deu um grande sorriso, agradeceu mentalmente por Lupin ter se dado ao trabalho de lhe dar esse livro, e fez sinal para Rony, indicando a saída para a cozinha, porém ao ultrapassar a soleira da porta, Hermione apareceu com um ar ligeiramente constrangido e disse: - Por favor, Harry, não desce agora, a mãe do Rony 'tá terminando de arrumar uma pequena festa para você, então espera mais um pouquinho... - ao tempo que o empurrava de volta ao quarto. - E não pense que estou feliz com você Senhor Potter, pois você sabe muito bem que o que você está fazendo é errado, tanto que até seu melhor amigo ali, que parece uma colher de chá sem sentimentos, concorda comigo, mas tem medo de falar isso diretamente para você. - finalizou entrando no quarto, e estagnou ao ver o livro em cima da cama.

"Craque”.

E os gêmeos aparecerem ao lado da porta, com uma expressão de pura maldade no rosto, mas foram detidos pela cena que se seguia, com uma Hermione estática e com os olhos brilhando em direção ao livro, Rony esperando algum dos amigos dizer alguma coisa e Harry com o olhar perdido, provavelmente pensando que alguma coisa estava para acontecer. Com um grito ensurdecedor, todos foram tirados de seus devaneios, pois os Gêmeos começaram uma verdadeira algazarra em torno de Harry, lhe dando o famoso "cuecão" e o parabenizando por conseguir ser a pessoa mais azarada de todo o planeta. Felizmente, o tom dos gêmeos não permitia uma leitura séria da situação, e em poucos segundos Harry foi jogado ao chão, com Fred, Jorge, Rony e até Hermione em cima deles, fazendo com que o garoto perdesse a noção de como era mexer os membros do seu corpo.

Para a alegria e constrangimento de Harry, ele foi tirado debaixo de toda essa muvuca por Gina, que pronunciou em um tom frio de voz: - Mamãe está te chamando lá embaixo Harry, e a propósito, feliz aniversário. - mas não deu chances a ele de agradecer, pois ao passar em direção a seu quarto, quase derrubou a porta, com a força que aplicou para fechá-la.

Os Gêmeos acabaram por não ver o livro, e Harry agradecia mentalmente, dando a desculpa que ia trocar de roupa, ele escondeu o livro embaixo da cama e se dirigiu ao andar debaixo d'A Toca. Ao chegar na sala da família Weasley, e para sua surpresa, estavam além de Fred, Jorge e Molly, o ex-auror Moody, Ninfadora Tonks e Hagrid, seu amigo meio-gigante, que para o espanto de Harry estava com uma aparência feliz, e visivelmente com a força mais que recuperada, pois o abraço que ele lhe deu, quase arrancou as costelas do lugar.

- Diga algo que somente o Harry saberia... - indagou Moody ao tempo que Harry virava para ele e pronunciava com um tom falsamente sério - Aquela ali, disse apontando Tonks, namora um Lobisomem, que por coincidência era amigo do meu pai, que era um animago, e meu patrono se transforma exatamente no animal que ele se convertia, um cervo. - completou Harry, tentando ao máximo segurar a risada, pois Tonks olhava indignada para ele. Infelizmente ela não teve tempo de revidar, pois após cessarem as risadas, Molly fez com que todos os presentes de Harry aparecessem na frente dele.

O garoto começou a abrir um por um, entre eles descobriu o já famoso suéter Weasley, uma luva especial para capturar o pomo sem que ele lhe escapasse, presente de Rony, alguns livros de magia avançada, dados por Moody e faltavam apenas dois embrulhos. Um tinha uma aparência horrível, e freqüentemente fazia alguns barulhos estranhos, o que fez Harry concluir que era o presente de Hagrid, e o outro era uma caixa florida, de tonalidade vermelha e lilás, que rapidamente o menino reconheceu ser o presente de Gina, afinal aquele aroma floral poderia ser detectado a milhares de kilometros por Harry.

Ao abrir com extremo cuidado e receio, e após diversas gargalhadas, para o total espanto de Harry, ali pousava uma Fênix muito pequena, que se debatia aonde estava presa, e por isso fazia com que os barulhos parecessem tão ameaçadores, visto que a proteção da caixa era feita de um metal especial. Antes que Harry pudesse dizer alguma coisa ele ouviu ao fundo: - Gostaria que você aceitasse Harry, tive muito trabalho para conseguir essa Fênix, e com certeza ela lhe vai ser útil, pegue-a e vemos se ela aceita você como seu acompanhante, pois as Fênix não possuem dono, como Dumbledore já deve ter dito a você - deu uma pausa com a voz embargada, mas os olhos de Hagrid cintilavam de alegria ao ver que a Fênix já havia se aninhado ao ombro de Harry.

Harry extremamente embaraçado disse enfim: - Nem sei como agradecer Hagrid, e para homenagear Dumbledore...- nesse momento um bolo se formou na sua garganta, e todo o seu corpo esquentou, fazendo com que ele tivesse a impressão de que fosse vomitar toda a comida do dia. Após respirar por alguns segundos, por fim ele disse: - O nome dessa Fênix será Fawkes, mesmo não sendo a mesma, pois eu sempre lembrarei daquele que foi o maior bruxo de todos os tempos, e que morreu de uma forma covarde e horrível. - finalizou, tendo uma concordância geral, ora em movimentos discretos com a cabeça, ora em movimentos bruscos e espalhafatosos, com o dos Gêmeos e o de Hagrid.

Quando Harry pegou o último embrulho, subitamente todos os convidados foram até a cozinha, com um pretexto de que estavam com sede e iriam pegar uma bebida. O menino riu muito quando ouviu seu amigo Rony resmungar " Mas eu não estou com sede Mione, aiii, não precisa me beslicar assim." Não conseguiu parar de rir por alguns segundos, e imaginou quando esses dois teimosos iriam se acertar. Pegou o embrulho de Gina, e ficou por alguns segundos observando a perfeição com que ele estava embrulhado, sem rebarbas ou quaisquer dobras e amassados. Foi retirando o papel cuidadosamente, e para seu desespero, flashs de momentos felizes com a ruiva vinham a sua mente, fazendo com que aquilo se tornasse pior que uma maldição Cruciatus. Quando por fim conseguiu tirar todo o embrulho, ele abriu a caixa e se deparou com uma carta, uma foto dos dois, no dia em que eles ganharam a taça de Quadribol no sexto ano, com uma montagem ao fundo de um Rabo-Córneo Húngaro olhando ameaçadoramente para eles, e um pequeno embrulho, que mais parecia um saquinho de pó-de-flu, no qual Harry viu um colar com a letra G e um papel grudado escrito: "Leia a carta."

Desdobrou a carta e sentiu novamente seu estômago dar as famosas piruetas, fazendo com que sua dor fosse maior ainda por estar afastado de sua amada.

Querido Harry,

Esse colar foi um presente de Dumbledore para nós, pouco antes daquela tragédia ocorrer. Você deve estar se perguntando porque eu não havia comentado nada a respeito do colar, mas Dumbledore me fez jurar que só iria entregá-lo quando você completasse dezessete anos, não me pergunte o motivo, pois ele não me disse. Pelas palavras dele, esse colar foi feito pessoalmente por magos poderosíssimos, e mais uma vez ele não me disse quem e nem porque o colar foi feito. O pingente é apenas um complemento que ele achou necessário que houvesse, mas gostaria que você não usasse o pingente se não for da sua vontade...
Lembre-se, o colar é extremamente importante e você não deve tirá-lo nunca, esse foi um dos pedidos de nosso antigo diretor.
Ele é bem simples, quando algo errado estiver acontecendo, você o sentirá vibrar e existe uma proteção mágica nele, acho que já cansei de dizer isso, mas o diretor também se recusou a me dizer, que irá ajudá-lo em sua "Jornada".
O pingente funciona como um elo entre nós dois, ele fica gelado quando estamos distantes, e sua temperatura vai aumentando de acordo com a nossa proximidade. Na época que ele me deu, confesso que fiquei extremamente feliz com o presente, mas não sei se você vai querer usá-lo. Existe apenas mais uma coisa, quando um de nós estiver em perigo, a letra em seu colar ficará brilhando com um azul intenso.

Gostaria muito de te dar um Feliz Aniversário como você merecia, mas nem sempre podemos ter tudo que queremos certo?
Bom, saiba que eu estarei sempre aqui para tudo que você precisar...

De sua Eterna amiga,

Gina Weasley




Segurando o ímpeto de não sair de lá na mesma hora e subir ao quarto de Gina, ele respirou fundo algumas vezes, se concentrou e prometeu a si mesmo que poria fim àquela tortura ao fim da noite.

Ao voltar em direção a cozinha, as conversas cessaram-se quase que instantaneamente, e um imenso bolo, com os dizeres “Parabéns Harry Potter, Que você seja muito feliz.” Se materializou em sua frente. Ficou divagando em como sua vida era engraçada, afinal como ele seria feliz com um maníaco tentando a todo custo matá-lo, tendo perdido metade de todas as pessoas que ele realmente gostava, e para completar estava longe de Gina.

Deu um sorriso enviesado, e com um rosto extremamente ruborizado, foi obrigado a ouvir os parabéns, e diversos gritos e injurias a sua pessoa, ditos provavelmente pelos Gêmeos.
Ao final da saudosa canção de aniversario, Harry, extremamente envergonhado, foi obrigado a fazer um breve e gaguejado discurso aos presentes, acompanhado de salvas, gritos e brincadeiras dos Gêmeos Weasley. Por alguns minutos, Harry deixou-se levar pelo clima de festa, e acabou por “deixar de lado” todo o peso que lhe era impugnado.

Algumas fatias de bolo depois, Harry e todos os seus companheiros foram mostrando finalmente sinais de cansaço, e aos poucos os convidados foram se retirando. Ao ver que restavam os “poucos” Weasleys na casa, comentou num tom quase inaudível a Hermione, que estava o sondando com aquele olhar que só ela sabia fazer. – Estou indo falar com a Gina, por favor, Mione, me ajuda a distrair esse bando de ruivos e evitar perguntas embaraçoas. – completou Harry em um tom quase de suplica, o que foi respondido por um sorriso que dizia “ Aháaaa, eu sabiaaaa, mas vou te ajudar amigo”.

Automaticamente, sua amiga entrou e ação e disse a todos os restantes:
-Bom, amanhã teremos um longo dia, então é hora de todos nos deitarmos, afinal, o Harry e nós precisamos de descanso, pois apesar desse dia estar muito divertido, não podemos esquecer de tudo que estamos passando. – finalizou a garota, em um tom parecido com o da senhora Weasley.

- Vocês ouviram a Hermione, todos para a cama JÁ! – bradou uma senhora Weasley extremamente bondosa, e com água nos olhos. Ao passar por Harry, Hermione disse ao pé de seu ouvido: - A porta vai estar aberta, tente não fazer muito barulho. – e finalizou com um sorriso que demonstrava a alegria da amiga pelo fato de que talvez fosse haver algum entendimento entre eles.

Todos subiram imediatamente, mas Harry apenas fingiu se deitar, esperando o momento em que os ruivos estivessem dormindo, para ele poder conversar a sós com Gina...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.