FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. Seis


Fic: Rock your body JL


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Cap. 6

- Você beijou meu irmão? – Vick gritou pelo telefone.

- Beijei! – respondi num gritinho de excitação. =x Qual é? É o James Potter, né?

- EU SABIA! Eu tenho uma cunhada! Haha.

- Menos Vick, bem menos. Foi apenas um... beijo! E que beijo.

- Como foi? – ela perguntou.

- Por que não pergunta pra ele?

- Dãã. Porque ele não vai dizer uma palavra!

- ‘Tá certo. Foi assim... – eu narrei toda a maravilhosa experiência daquela magnífica tarde. Exagerada? Não! Se você tivesse no meu lugar iria ver que não estou exagerando. (N/A: Eu quero estar no lugar dela! =x Alguém mais quer? Huahua).

- Uau! Olha meu irmãozinho. – ela disse rindo. – Sabe, será que eu ainda vou achar meu príncipe, Lil?

- Claro que vai. E se depender de mim será o Nick.

- Haha. – ela riu ironicamente. – Nick! Nick baba em cima da Kristen sem graça, Lil. Com aquela escultura, como Sirius se refere a ela, você acha que ele vai olhar pra mim?

- Vai! Só preciso de um plano.

- ‘Tá. Bom minha mãe está me chamando agora Lil. Amanhã a gente se vê, cunhada.

- Até!

Assim que desliguei o telefone a porta de abriu. Era Nick! Ele teria ouvido sobre o plano? Sobre o beijo? Ai, God!

- Quer dizer que a Evans virou Potter? – ele disse sorrindo.

- Sabia que é muito feio ouvir atrás da porta Senhor Nicolas?

- Sabia, mas eu não resisti. – ele veio e se sentou ao medo na cama. – Que história é essa de plano? O que você falava sobre mim com a Vick?

- Er... – ferrou =x. – Nada não Nick.

- Fala Lily! – ele disse num tom de ameaça.

- Senão...? – eu nem queria ouvir a resposta.

- Senão... – ele disse com um sorriso malicioso. – Cócegas.

- NÃO! – tarde demais. – Para Nick... hauhauahua... chega! ‘Tá, eu falo!

- Pode começar. – ele parou. E eu me afastei dele, prevenindo outro ataque.

- Vick meio que curte você, sabe? Então eu achei que poderia fazer você esquecer a Kristen sem graça e sei lá, gostar da Vick? – imaginem a minha cara inocente.

- Vou te contar as novidades então. Kristen e eu estávamos ficando há três semanas. – fiz uma de cara ‘obrigado por compartilhar, maninho’. – Calma, me deixe terminar. Essa semana eu planejava pedí-la em namoro e aí falar pra todo mundo, mas... – ele ficou triste de repente.

- Mas? – eu ajudei.

- Eu a vi beijando o Jacob do segundo ano, aquele da sua aula de literatura.
- Que VACA! – eu berrei.

- Eu sei. Por isso, estou tentando tirá-la da minha cabeça.

- Tentando? Ela já deveria estar fora da sua cabeça faz tempo, Nick! Ela é ridícula! Uma metida a patricinha que só soube brincar com seus sentimentos.

- O amor é cego, Lily.

- Amor? A única coisa que alguém poderia sentir por ela é ódio, Nick! Eu não acredito que ela fez isso com você, justo com você. Eu quero... AAH... Arrancar a cabeça daquela desgraça. – ele riu do meu súbito nervosismo.

- Você acha que seria egoísmo de minha parte me envolver com a Vick agora?

- Se você for usá-la apenas para esquecer aquela... Aquela naja!

- Não! Eu não quero isso. Vick é uma excelente garota. Jamais magoaria os sentimentos dela, Lily.

- Então... Não vejo mal. Mas, se por acaso você machucá-la... Vai se ver comigo Nicolas.

- Eu já disse que não quero machucá-la Lílian. Vou convidá-la para a festa que o Sirius vai dar semana que vem, é uma idéia?

- É uma ótima idéia, Nick. Ela ficará muito feliz. – eu sorri para ele. O telefone tocou e Nick atendeu.

- É pra você. – ele estendeu o telefone com um sorrisinho no rosto meio suspeito. Seria o Jay? Meu coração pulou, e eu agarrei o telefone.

- Alô?

- Oi ruivinha. – Jaay! *-*

- Olá. Tudo bem? – eu perguntei sorrindo toda boba, e ouvi Nick sussurrar: “Vou deixá-la sozinha com seu príncipe”, e sair do quarto rindo.

- Sim e com você?

- Também.

- Então, já está sabendo da festa de Sirius?

- O Nick acabou de comentar. O que tem?

- Quer ir comigo? – precisa perguntar, delícia? Meu Deus, to virando uma tarada!

- Eu adoraria Jay.

- Que bom. A gente se vê amanha então, ruivinha! Beijo.
- Beijo! – eu queria dar esse beijo pessoalmente.


Eu acordei sorrindo. E adivinhem por que... É eu sonhei com o James. Sonhei que ele me beijava de novo, e de novo... e de novo!

Eu nunca na minha vida toda tive tanta vontade de ir para a escola como eu tive hoje. Mas eu sabia que não poderíamos assumir nosso ‘caso’. Era extremamente proibido caso entre alunos e intercambistas. E também será que James iria continuar nosso ‘caso’ ou fingir que nada tinha acontecido?

Acho que a primeira opção, se não ele não teria ligado ontem e me convidado pra festa, certo? Certo! Ai James!


Hoje é a festa na casa do Sirius. Ontem Vick e eu fomos comprar roupas novas. Coisa normal. Ela estava tão contente porque iria com Nick, que sua felicidade transbordava.

Como estávamos em prova na escola era muito difícil nos encontrarmos todas as tardes como antes. Por isso, James e eu quase não ficamos juntos.

Naquela tarde James me ligou e disse que passaria em casa para pegar Nick e eu.

Sete em ponto, lá estava ele e Vick num lindo e maravilhoso Corolla preto.

- Com um carro como esse você acha que a Vick vai querer andar no meu? – Nick perguntou preocupado.

- Não se preocupe. Ela não liga pra essas coisas. Ela não faz parte do ‘trio da graça’. – tranqüilizei-o.

Vick ficou ainda mais contente quando Nick pediu que ela fosse com ele em seu carro. Assim, James e eu fomos sozinhos em seu carrão. *-*

- Gostaria de te levar a um lugar antes de irmos à festa, importa-se? – ele me perguntou após um tempo de silêncio.

- Não, eu iria adorar. – respondi com um sorriso.

- Legal. – ele o retribuiu com a mesma intensidade.

Quinze minutos depois estávamos em um morro, um pouco longe do centro e de onde morávamos. James desceu do carro e veio abrir a porta pra mim em um gesto cavalheiresco.

- Venha ver a vista daqui. – ele disse me puxando pela mão.

Havia um gramado extenso com árvores altas, muito altas, e eu tive certeza de que ali durante a tarde seria maravilhoso. As árvores com suas copas grandes deviam fazer uma sombra deliciosa de se sentar em baixo e observar a vista.

- É linda! – eu murmurei assim que vi aquela imensidade de luzes.

- Eu adoro vir aqui. Meu pai me trazia aqui quando eu era criança, e minha mãe também costumava vir aqui antes de se separar de meu pai e se mudar para Chicago.

- Isso lhe incomoda?

- Não agora. Mas no inicio sim, eu acusei meu pai, acusei minha mãe. E depois botei a culpa em mim. Vick ficou muito chateada com meu pai, achando que a culpa era dele e foi embora com mamãe. Ela quase nunca vinha aqui, eu que ia até Chicago. Mas este ano mamãe disse que se casaria novamente com um empresário da empresa que administra e Vick não aceitou bem isso, decidindo voltar pra cá.

- Eu adoro Vick. Ela ainda sente raiva de seu pai?

- Na verdade ela nunca sentiu raiva, mas ela sabe que a culpa não foi dele, nem de mamãe e nem nossa. Foi apenas coisa do destino, eu acho. – James ficou com um brilho triste nos olhos e achei melhor mudar de assunto.

- Obrigado por me trazer aqui, mas cometeu um erro. – disse com divertimento.

- Por quê? – ele perguntou, me olhando confuso.

- Terá que me trazer sempre.

- Será um prazer. – ele disse com aquele sorriso que me deixava louca. – Agora, se me permite, quero fazer uma coisa que não faço há muito tempo.

- O quê?

- Te beijar. – dizendo isso, se inclinou para mim e colou seus lábios aos meus. Em seguida intensificando o beijo e me deixando zonza.

- Será que se ficarmos aqui irão comentar que não fomos à festa? – perguntei assim que nos distanciamos e ele riu.

- Por mim podemos ficar se você quiser.

- Se quer saber... Eu quero. – eu disse e beijei-o. Sim, minha vez de beijá-lo.


As provas ficavam cada vez mais difíceis e com a aproximação do musical os ensaios passaram a ser todos os dias e tudo foi ficando mais complicado.

O musical já tinha sido decidido, uma música bem animada que a professora mesmo escolheu e disse que combinava bem com toda a animação da turma. Segundo ela a escola iria “sacudir”.

Realmente os ensaios ficaram puxados, mas estava sendo maravilhoso. Dança era minha terapia, lá eu não me preocupava com provas, não pensava muito no Brasil e minha saudade imensa diminuía um pouquinho.

James também tinha seus treinos e o campeonato já estava começando. Seus treinamentos estavam cada vez mais duros.

Mas nada nos impediu de fugir por cinco minutos que fosse e nos vermos.

Foi em uma dessas escapas que eu vi a coisa que mais me magoou em toda a minha vida, imagino eu.

James estava beijando a Kristen. Minha primeira reação foi choque e ver se eu estava realmente enxergando bem, e vi que sim. Perfeitamente bem. Minha segunda reação foi nojo. Dela e dele. Como ele conseguiu ser tão baixo? James não poderia ser assim.

Saí correndo tentando, inutilmente, segurar as lágrimas. E James me viu.

- Lily! – ele gritou.

- Fique longe de mim! – gritei de volta, mas acho que ele não ouviu.

Posso correr rápido, mas ele sendo um atleta corre muito mais. Ele me alcançou segurando meu braço e tentando me fazer parar.

- Lily, não é o que você está pensando. Foi ela... ela que me beijou, eu juro pra você Lil.

- Saí James, isso não vai funcionar.

- Lily eu te juro. Eu não beijei ela, o que você quer como prova?

- Nada! Eu vi vocês se beijando James, não há o que negar.

- Mas eu não correspondi Lily! Pelo amor de Deus acredita em mim... eu não beijei ela.

- James... – tentei contradizer.

- Como você é teimosa! – ele gritou e inesperadamente, para mim, ele me beijou. Não um beijo normal, carinhoso, e sim um querendo provar que ele dizia a verdade.

- Sabia que isso é golpe baixo? – perguntei com indignação.

- Se você não fosse tão teimosa e acreditasse em mim...

- Você queria o quê? Que eu visse vocês se beijando e que sorrisse? Ficasse feliz?

- Lily, você é tão boba! Acho que só você não percebeu.

- Percebeu o que?

- Que eu estou apaixonado por você, ruivinha.

Meu queixo caiu e eu perdi a respiração. Ele riu da minha reação, e me abraçou forte.

- É a mais pura verdade. Eu me apaixonei por você, pelo teu sorriso, teus olhos... teus viciantes beijos.

- James... – eu não tinha nada para dizer, eu sabia que ele sabia. Então eu apenas o beijei, como da primeira vez. Enlacei meus braços em seu pescoço e me deixei levar pelos viciantes beijos dele.

_________________________

N/A: oooooooooi, tudo bem com vocês? gente o cap ficou meio pequeno né? "/ mas eu estava em dívida aqui, fazia um tempo que nao postava! entao melhor do que nada. ;D espero que gostem e que comentem. e quero agradecer novamente pelos comentários que recebo. :D pretendo já começar o cap 7 e postar até domingo, meu niveer :D hsuahusa.
Então é isso, espero que gostem e até o cap 7 pessoaaas.
;*

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.