FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. O casamento - 2ª parte


Fic: Os Encantos da Fênix


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

- Eu não tenho medo que ele me troque, eu sei que ele não fará isso. Só não queria estragar o casamento do Gui, mas se precisar – ela levantou uma sobrancelha marotamente – Eu não vou me importar em azará-las, o Ministério nunca vai saber quem foi, com tantos bruxos presentes. – e logo em seguida caiu na gargalhada com as amigas.

Capitulo 9
“ O Casamento – 2ª parte”



Faltavam 30min para o começo da cerimônia e Harry, Rony e Neville quiseram esperar pelas garotas na sala da A’Toca, pra evitar maiores problemas, mas já estavam um tanto inquietos pela demora das garotas, até que o som de passos na escada, acompanhado por um bonito assovio os acordou. Era Tonks que descia as escadas ao mesmo tempo em que Lupin entrava pela porta da casa.

- Você esta linda Ninfa. – o maroto disse sorrindo.
- Esse assovio? Era você chamando ele Tonks? – Harry perguntou divertido olhando de um para o outro.
- Era sim. Sirius sempre me chamava desse jeito quando eu era menor e ele ia passar uns dias em casa.- ela comentou casualmente, mas foi ficando levemente constrangida em seguida por ter falado em Sirius para Harry, afinal até o ano anterior isso era meio delicado, mas foi acalmada por Lupin que a abraçou e sorriu. Ele já tinha percebido que o garoto estava mudado.
- Entre nós, Os Marotos nós sempre nos chamávamos assim. Eu achei que você já soubesse, o Sirius costumava assoviar para mim assim naquele tempo que passamos no Largo Grimald. – Remus disse a Harry com um sorriso nos lábios, mas com muita tristeza no olhar.
- Não eu não sabia. – Harry disse ficando um tempo com o olhar perdido - Mas eu gostaria que você me ensinasse qualquer dia desses. Pode ser importante.
- Quando você quiser ...- mas foi interrompido por mais passo na escada e dessa vez, eram as garotas.

Foi engraçado de se ver a reação que cada um teve.

A namorada de Neville era a primeira e ele prontamente esperou-a ao pé da escada. Seus olhos brilhavam tanto e ele tinha um sorriso radiante nos lábios, que foi retribuído a altura, já que ele estava muito elegante em seu terno cinza chumbo.
-Você está linda Lú. – elogiou a namorada e ganhou um gostoso beijo como agradecimento.

A segunda era Hermione que vinha com um vestido lilás bordado. O vestido era frente única o que deixava as costas da garota inteiramente nua, pra desespero de Rony que nem conseguia piscar só de olhar a namorada de frente, e ficou nitidamente fora de controle quando ela graciosamente deu uma pirueta perguntando como ela estava.
- Mione...eu não sei se você vai poder sair assim – ele disse abraçando-a e controlando a respiração. Ela olhou intrigada para ele.
- Por que? Estou feia? – tinha dado tanto trabalho escolher a roupa, domar os cabelos e se produzir daquela maneira, ela não estava acreditando que ele não tinha gostado.
- Feia? Você está maravilhosa, eu não vou conseguir me concentrar com você vestida assim do meu lado. – ele estava com os olhos brilhando e olhava pra ela com tanto desejo que ela enrubesceu instantaneamente – Eu não desgrudo de você hoje, tem um bando de caras lá fora...não quero nenhum deles em cima de você. – antes de ela protestar ele beijou-a aproveitando as falta de tecido para explorar as costas nuas da namorada, fazendo com que ela soltasse um gemido baixo entre seus lábios.

E a única que faltava era Gina, o que estava deixando Harry muito mais apreensivo. Ele estava quase subindo para chamá-la, quando ouviu passos indicando que ela já descia as escadas. Ele pôs-se aos pés da escada para esperá-la e viu que toda aquela espera tinha valido muito pena.

A ruiva usava o tão comentado vestido dourado, mas ao contrario do que ela reclamara, estava absolutamente estonteante nela. O vestido era de alças finas e em um tecido tão leve, que parecia que flutuava em seu corpo. O cabelo estava preso em meio rabo de cavalo, com as pontas encaracoladas e varias florzinha espalhadas pelos cachos, o que dava um ar angelical à garota. Parecia uma deusa e era sua deusa.

Ela venceu o espaço entre eles e parou em sua frente esperando por alguma reação do garoto que mantinha os olhos brilhantes nela.
- Estou ridícula, não estou? Pode falar – ela choramingou abaixando o rosto e fazendo bico. Harry sorriu e levantando o rosto dela pela pontinha do queixo, fitou seus olhos intensamente.
- Você é a personificação de uma deusa, está tão bela que não tenho nem palavras para descrever o que eu senti quando te vi descendo. Você esta linda meu amor, você é linda. – ela sorriu e o abraçou, jogando toda sua insegurança em relação ao vestido fora.

Tonks e Remo estavam se divertindo com a cena, ela comentou com ele sobre a conversa das garotas no quarto e os dois acharam melhor ficar de olho nos primos de Fleur, para evitar problemas. Logo Remo chamou-os para sair, pois já estava na hora e Gina tinha que ir para junto da noiva.
- Harry, posso te pedir um favor? – a ruiva disse um tanto insegura.
- Qualquer coisa.
- É...não fica muito perto das primas da Fleur e da Gabrielle. – ele arqueou a sobrancelha – é que elas meio que apostaram que iam te tirar de mim hoje e eu não queria estragar o casamento do Gui.
- Como assim apostaram?
- Depois eu te explico, mas como a gente vai ter que fingir que não namora, as coisas ficam um pouco mais fáceis pra elas, não é? Eu não estou desconfiando de você nem nada, mas eu não vou suportar ver alguma delas dando em cima de você.
- Fica calma ruiva, eu vou me comportar, mas com duas condições – agora quem arqueava a sobrancelha era ela – Está cheio de marmanjos ai fora e como eu não vou poder ficar com você o tempo todo...tenta dar um jeito de não ficar muito com eles. Eu consigo me controlar até certo ponto – ela sorriu, tinha certeza de que seria tão difícil pra ele quanto pra ela. – E a segunda condição, é que você dance apenas...comigo, ou com seus irmãos, seu pai, o Remo e o Neville.
- Ué eu achei que você não gostasse de dançar. – ela disse marota e desatou a rir da cara contrariada do namorado.
- Pra você ver que eu sou capaz de fazer qualquer coisa por você – ele respondeu beijando-a

- Vamos Gina, já esta na hora – gritou a Sra Weasley da entrada de uma tenda que foi armada para abrigar a noiva antes da cerimônia.

Gina correu para lá e Harry seguiu com os outros para o local da cerimônia que ia ser celebrada ao ar livre. Estava tudo muito bonito nem parecia que eles tinham ajudado a fazer tudo aquilo. Sentou-se na segunda fileira de cadeiras do lado do noivo, estava estrategicamente colocado entre Luna e Hermione, não deixando espaço para que ninguém sentasse ao seu lado.

Deu uma olhada ao redor e pode ver os primos de Fleur no lado destinado a noiva bem em sua direção. Um dos garotos, Julius olhava descaradamente para Hermione e cochichava alguma coisa para o outro garoto, aquilo fez seu estômago dar um solavanco, “Que garoto folgado, tomara eu Rony não perceba nada”. Desviou o olhar e viu Gui no altar sorrindo nervosamente para todos e Carlinhos e Ara ao lado dele tentando acalmá-lo. Logo a Sra Weasley entrou esbaforida e colocou-se ao lado de Gui e do Sr Weasley, assim como a mãe de Gabrielle posicionou-se no outro lado do altar.

- Já vai começar. – era Hermione tentando fazer com que os outros parassem de conversar.

Logo uma flauta começou a tocar uma linda melodia e duas crianças vestidas de fada entraram despejando pétalas de rosa pelo caminho. Logo atrás ele viu sua linda ruiva, e ela brilhava, não apenas pela cor do vestido, mas ela realmente estava brilhando, passou por ele e sorriu encantadoramente. Sua atenção foi desviada novamente para os primos de Fleur que faziam comentários sobre a ruiva em francês, e o pouco que ele entendeu foi o suficiente para apertar os punhos instintivamente.

Nem notou quando Gabrielle entrou, desviou o olhar do francês apenas quando Fleur já estava passando em sua frente. E não pode deixar de admirá-la. Ela estava linda e também brilhava assim como Gina e sorria, estava visivelmente emocionada. Logo seu pai entregou-a a Gui e assim começou a cerimônia.

Ele nunca tinha visto um casamento bruxo antes, diferente da cerimônia trouxa, a cerimônia bruxa era dividida em três partes. A primeira era a benção dos pais, ou seja, os pais davam a permissão para que o casamento se realizasse. A segunda parte era a aceitação entre o casal e a última e a que mais impressionou Harry era a união de corpo e alma, feita por um pacto de sangue. Dessa maneira o casal estava unido para sempre, já que não existia separação no mundo bruxo.

Ao final do casamento todos muito emocionados foram cumprimentar os noivos e Gina tinha que participar de todas as formalidades até a valsa dos noivos. E a festa acabaria com a doação da coroa de lírios usada pela noiva, era como se fosse o buquê da noiva, mas ao invés de jogá-lo, a coroa era enfeitiçada para que escolhesse a próxima a se casar.

Harry cumprimentou os noivos e sentou-se junto de Remo e Tonks, tomando o cuidado de ficar de frente para onde Gina estava. Viu quando alguns dos amigos de Gui gracejaram com ela, mas se manteve calmo, pelo menos por fora.

- Hei Harry, relaxa. Antes de ser sua namorada ela tem seis irmãos para assustarem esses caras. – Remo disse tentando acalmar o quase afilhado.
- Eu sei Remo, mas é mais forte que eu...- nessa hora Julius pegava na mão de Gina e beijava-a demoradamente, lançando um olhar conquistador cafajeste para a ruiva. Harry levantou e já ia em direção ao loiro quando sentiu duas mãos lhe segurando, eram Fred e Jorge.
- Pode deixar cunhadinho, nós cuidamos disso. – disse Jorge acompanhando Fred e colocando-se ao lado da irmã que suspirou aliviada. Pelo menos para isso aqueles dois serviam. Tonks que também havia se levantado pronta para parar Harry, abraçou-o e puxou-o de volta para a mesa.
- Calma Harry, lembre-se de que vocês não podem se expor. – lembrou Remo, no mesmo instante em que Rony e Hermione, Neville e Luna chegavam à mesa pra acalmar um pouco os ânimos do amigo.
- Esses franceses vieram para arranjar confusão. Eu os ouvi fazendo comentários sobre as garotas, mas me mantive calmo por causa do Rony, mas isso já é demais. Ele que experimente chegar perto da Gina de novo, que ele não vai nem saber o que o acertou. – seus olhos estavam escuros de pura ira e segurava a varinha em seu bolso com a mesma força que havia segurado pela manhã. – Eles estão fazendo de propósito, logo quando chegou esse idiota já veio me provocar, falando que eu era um fracote. Ele vai ver o fracote.

- Hei calma aí, como assim se manteve calmo por causa de mim? O que eles fizeram com a Mione. – o ruivo a essa altura do campeonato já estava com a ponta das orelhas vermelhas e olhava para o francês com um olhar assassino. Harry deu um sorriso amarelo para Hermione, meio que pedindo desculpa por ter falado demais.

- Eles não fizeram nada comigo Ron, eu estava com você o tempo todo e vou estar durante todo o casamento, você mesmo disse isso, se esqueceu? – ela estava realmente se esforçando para acalmá-lo. “Uma explosão Weasley a essa altura do campeonato não seria nada bom.”
E ela realmente conseguiu, porque no mesmo instante Ron abraçou-a possessivamente e não a largou mais em momento algum.

Nesse momento Carlinhos e Ara chegaram à mesa, eles tinham visto a movimentação e resolveram ficar junto de Harry para evitar maiores problemas.
- Hei Harry, fique tranqüilo que a gente cuida da Gina, ok. Ninguém vai se engraçar com ela.
- É querido, relaxe e tente aproveitar a festa. Se depender daqueles dois – Ara apontou para Fred e Jorge que pareciam dois armários, um de cada lado da ruiva fazendo cara de poucos amigos, o que em relação aos gêmeos chegava a ser cômico – ninguém vai se atrever a chegar perto da sua ruiva.
- Eu espero que sim...- Harry disse carrancudo e sem desgrudar os olhos um segundo da ruiva.

E realmente, Fred e Jorge como guarda-costas eram muito eficientes alguns amigos de Gui por vezes tentaram fazer alguma gracinha com a ruiva, mas eles colocavam a pior máscara de irmão mais velho ciumento na cara e os espantavam de lá. Mais ou menos quando já estava acabando a sessão cumprimentos, houve uma sutil troca de turnos, onde Lino Jordan e Neville se colocaram um passo atrás de Gina e, assim que os cumprimentos acabaram e a valsa dos noivos foi anunciada. A escoltaram para a mesa do grupo, para que os gêmeos fizessem companhia para Alicia e Angelina, suas quase namoradas, como a Sra Weasley costumava chamá-las.

Gina sentou-se ao lado do namorado presenteando-lhe com um sorriso lindo, porém cansado e Harry se segurou para não puxá-la para seus braços e confortá-la do cansaço.
- Meus pés estão doendo...quanto tempo eu fiquei lá de pé? Perdi até a noção do tempo. - ela disse enquanto discretamente descalçava as sandálias.
- Uma hora e meia – Harry respondeu olhando para o relógio. – Faz exatamente uma hora e meia que estou aqui me segurando para não estuporar ninguém – ele sussurrou para que apenas ela escutasse e imediatamente um sorriso maroto se formou nos lábios da ruiva.
- Eu percebi a movimentação e adorei os meus guarda-costas – ela disse fazendo careta a cada ponto dolorido que apertava em uma frustrada tentativa de aliviar a dor de seus pés.

Harry abaixou em direção aos pés da namorada os levantado, colocando-os sobre seu colo e começou a massageá-los para deleite de Gina e exasperação de Hermione.
- Harry, não faça isso, as pessoas vão desconfiar. – a amiga choramingou.
- O que tem demais? Estou apenas aliviando as dores de uma amiga...poderia muito bem ser você no lugar da Gi.
- Ahh não poderia mesmo...nesse pezinho aqui – o ruivo disse apontando o pé da namorada – Só quem toca sou eu... – e logicamente todos riram da afirmação.
- Tudo bem, Mione. Eu acho que não tem problema... – Carlinhos afirmou - Mas Harry, mantenha suas mãozinhas apenas nos pés da minha princesa, ok.- e lançou um olhar de aviso ao cunhado. Harry enrubesceu e ganhou um discreto afago da namorada.
- Ahh parem vocês, - a ruiva enfim se pronunciou, saindo daquele mundo de sensações proporcionado pelas mãos do namorado - Eu preciso me recuperar para dançar. Então...por favor querido, continue com a massagem que está maravilhosa e logo estaremos na pista de dança. – no mesmo momento o moreno soltou um resmungo e ficou um pouco pálido, lembrando-se de que teria que dançar...”Oh céus”...dançar era um martírio, mas ele faria esse sacrifício.

Logo as pessoas da mesa começaram a se levantar para dançar e por último ficaram Carlinhos e Ara e Gina e Harry.
- E aí maninha, já está recuperada? – Carlinhos perguntou – O que você acha de conceder essa dança para o seu irmãozinho, enquanto o Harry leva a Ara pra dançar e tenta não massacrar os pezinhos da minha futura esposa?
- É Harry, depois a gente troca, assim não fica muito na cara o fato de vocês estarem dançando juntos.
- Eu aceito – a ruiva rapidamente calçou as sandálias – E o Harry também.
- Hum... é acho que não tem jeito mesmo...nada contra você Ara, mas eu realmente tenho um pouco de trauma com essa coisa de dançar.
- É porque você não dançou com a pessoa certa, Harry. – a morena afirmou levantando-se junto de Carlinhos e dando um selinho de despedida no noivo. - Até o final da noite você mudará de opinião...pode acreditar – e sem mais esperar puxou-o para a pista sendo seguidos por Carlinhos e Gina que vinham rindo da cara do moreno.

Mantiveram os casais por duas musicas, nas quais Ara tentou e até conseguiu, ensinar alguns passos para Harry e ele nem dançava tão mal assim, era só um pouquinho duro e não sabia onde colocar as mãos, “santa timidez”.
Mas ao começar uma musica um pouco mais lenta, a morena achou que já estava na hora do casalzinho aproveitar a festa. Piscou para o noivo que solenemente pediu para dançar com sua noiva e passou Gina para as mãos de Harry.

“Oh até que enfim”, ele pensou assim que sentiu a cintura alva da namorada sob sua mão.
- Eu queria tanto poder te beijar – ele sussurrou em seu ouvido no momento em que ela enlaçava seu pescoço – É tão difícil te ver e não poder te tocar.
- Eu sei bem do que você está falando, meu amor...acredite! – Gina respondeu em seu ouvido – Mas, pense dessa maneira...já anoiteceu e logo-logo Fleur lançara o feitiço na coroa o que indica o final da festa e os convidados vão começar a ir embora. Fora que tem pouquíssimas pessoas sóbrias nessa festa nesse momento, então nós poderemos disfarçadamente entrar e “conversar” lá no seu quarto. – ela desviou o rosto, para poder presentear o namorado com o seu melhor sorriso maroto.
- Ruiva, Ruiva...não me provoca. – ela beijou-lhe a bochecha e voltou a afundar o rosto no ombro de Harry – É a gente tem realmente que conversar hoje à noite. Amanhã é a reunião da Ordem e eu não quero que você vá sem saber de algumas coisas antes.
- Shhiii...não vamos falar disso agora, ok. Você nem percebeu, mas já estamos no final da musica e você não pisou no meu pé nenhuma vez. É tão ruim assim dançar?
- É, até que a experiência não foi tão traumática assim, e ajuda o fato de eu poder ficar assim com você grudadinha em mim. Acho que a Ara tem razão...eu realmente não tinha dançado com as pessoas certas. – ela encarou-o.
- Pessoas certas???
- É oras, não foi de todo ruim dançar com Ara também...ela até me ensinou algumas coisas...legal da parte deles em ajudar a gente, né?
- Humpf!!! Olha lá Harry Potter, ela é minha cunhada hein. – ela fez uma fingida cara brava, que foi logo substituída por um sorriso lindo – É, realmente foi muito legal da parte de todos, nos ajudar hoje. Se não fossem os gêmeos, tenho certeza de que você já teria estuporado alguém ou até mesmo eu. Aquele Julius é realmente um garoto nojento.
- E as primas da Fleur até tentaram, mas a Angelina, a Alicia, a Ara e a Tonks, se esforçaram ao máximo para mantê-las longe.
- Eu vi uma delas sair correndo para o banheiro depois de acidentalmente tomar um banho de cerveja amanteigada, bem feito. Eu estava com um pouco de medo do que pudesse acontecer. – a ruiva disse e no mesmo instante sentiu o namorado estreitá-la um pouco mais em seus braços
- Já ta quase acabando e eu ouvi o Gui falando que a chave-de-portal dos parentes da Fleur estava programada para as 20h30min, ou seja, daqui à uma hora. Ele estava meio aborrecido com esses primos da Fleur veio perguntar para o Carlinhos de o porque de você andar com guarda-costas pra cima e pra baixo, e resumidamente o Carlinhos e o Remo explicaram pra ele...- mas, como se fosse uma maldição, eles foram interrompidos, justo por Julius.

- Potter, será que eu poderia dançar a próxima com essa ruiva estonteante? – o loiro disse medindo descaradamente a garota. Harry respirou fundo tentando invocar calma de algum lugar e nem ao menos se mexeu.
- Não, acho que não. – disse simplesmente. Gina há essa hora olhava espantada para a reação do namorado.
- E eu posso saber por quê? – o francês estava começando a ficar irritado, e Harry então...
- Por que ela não é pro seu bico e também porque eu não quero. – dizendo isso, Harry enfim parou de dançar com Gina e colocou-a a suas costas enquanto encarava o loiro com uma postura relaxada. O loiro agora bufava, todas as tentativas em se aproximar de Gina tinham sido frustradas, pelos irmão dela, Neville, Lino (que abraçou a causa de bom grado), Remus e agora por Harry.
- E quem é você pra querer alguma coisa – Julius disse apontando o dedo na cara de Harry, grande erro.
- Eu achei que você soubesse, Harry Potter - “o fracote”, lembrou? – Gina estranhou o tom debochado do moreno, achou que ele iria partir pra cima, mas não.
- E o que isso tem a ver com a ruiva? Pelo que eu saiba ela já é bem grandinha – disse deitando aquele olhar de cafajeste conquistador novamente sobre ela - Pra saber o que quer, não é ruiva? – coitado do garoto...errou de novo.
- Exatamente “loiro”, eu sei exatamente o que eu quero, e tenho certeza de que não é você. Não gastaria nem um segundo do meu tempo com um filhote de veela, que se acha o máximo. – Gina sibilou, passando a frente de Harry. E para deleite da platéia que se formava para assistir a cena, suas orelhas estavam vermelhas...o que indicava “explosão Weasley” na certa.

Os gêmeos imediatamente começaram a fazer bolão sobre os meios de tortura que Gina usaria, arrancando gargalhada dos demais e desesperando visivelmente Julius que se encolheu um pouco, mas tentou manter a dignidade.
- Tudo bem, eu queria apenas ganhar a aposta. – soltou ao ar e foi saindo de fininho, tentando escapar do olhar perfurante que a ruiva e o moreno lhe lançaram, e como Harry havia falado antes, o loiro não soube mesmo o que foi que o acertou.

Resultado: a cara cheia de furúnculos, passarinhos bicando-lhe a cabeça, um rabo de porco no traseiro e as pernas bambas, junto com um expeliarmus, que pela intensidade, ninguém duvidou ter sido lançado por Harry. As pessoas não sabiam se riam ou se repreendiam os garotos, na verdade fizeram os dois e logo a Sra Weasley estava ajudando a mãe de Fleur a livrar o sobrinho das azarações.

Um pouco mais leves pela descarga de adrenalina, eles voltaram a dançar como se nada tivesse acontecido, e descaradamente, Harry não soltou mais da ruiva, como havia planejado. Não que eles ficassem se agarrando ou coisa parecida, mas estavam sempre próximos se tocando de alguma maneira. Remus ficou um pouco preocupado no início, mas logo reparou no grau de sobriedade dos demais convidados e relaxou.

Mais ou menos às 20h Fleur fez o feitiço na coroa e essa, para felicidade dos Weasley’s, pousou diretamente na cabeça de Ara, que nem ao menos tinha percebido quando uma Sra Weasley chorosa deu-lhe um emocionado abraço de urso soltando frases desconexas como, “o amor em tempos de guerra”, “meu filhinho soube escolher”, “vocês vão ser felizes”. Foi salva por Carlinhos que viu que a mãe não tinha a menor intenção de soltá-la.
- Calma mamãe, a Ara tem que estar viva para poder casar comigo. – separou delicadamente a mãe da noiva e deu-lhe um beijo na bochecha gordinha, para logo em seguida enlaçar a morena pela cintura e beijá-la apaixonadamente, arrancando aplausos dos presentes.
- Viu, agora você não me escapa mais. – ela disse ainda com os lábios colados aos dele.
- E quem disse que eu queria. – ele respondeu antes de voltar a saborear seus lábios.


Gina apertou a mão de Harry e puxou-o discretamente pra dentro da casa, os franceses já iam embora e Gui e Fleur ficariam para a reunião da Ordem, apesar dos protestos das mães de ambos. Ao chegarem ao corredor que dava para o quarto de ambos, a ruiva pediu para que ele a esperasse em seu quarto, enquanto ela ia tomar um banho rápido.

Meia hora depois a ruiva entrava no quarto do namorado com os cabelos molhados, uma regatinha de alça e uma saia de malha até o meio da coxa. Estava descalça e ele pode perceber que as tiras da sandália que ela estava usando no casamento tinham machucado um pouco seus pés.

Ele também já estava de banho tomado, com os cabelos molhados e um pouco mais desarrumado que o normal, vestia apenas uma bermuda e estava sentado em sua cama com os olhos semi cerrados, com a cabeça encostada na cabeceira da cama. Uma visão adorável, na opinião da ruiva, que se aproximou em silêncio achando que o namorado estava cochilando, mas quando ela estava bem próxima dele, ele a surpreendeu agarrando-a pela cintura e deitando-a na cama, com seu corpo por cima do dela. Ela soltou um gritinho e gargalhou da cara marota do namorado.
- Isso tudo é saudade?
- Você nem imagina o quanto – e sem esperar pela possível resposta, capturou os lábios da namorada.


Perto do lago, um pouco mais afastado da casa e da festa, se encontrava um outro casal. Que sorrateiramente havia sumido da festa depois da confusão com o francês.

Ron e Hermione estavam dançando há muito tempo e em um determinado momento, que nem eles mesmos puderam precisar, estavam se beijando na pista de dança. Ron passou a noite toda estranhamente fascinado pelas costas nuas de Hermione, pelo decote de seu vestido e pela visão do contorno lateral de seus seios que apareciam vez ou outra, quando ela se virava ou inclinava o corpo para frente, sua mão formigava e seus olhos não descolavam do corpo da namorada. “Deus como ela é linda”.

Enquanto estava na pista de dança, saboreava a boca de Hermione e não mais controlava as mãos que deslizavam pelas costas nuas, ele estava realmente perdendo o controle. Ela ofegava a cada movimento mais exigente de sua língua, ou uma pegada mais forte de suas mãos, e isso estava realmente o tirando do sério. Foram acordados do transe sensual em que se encontravam, pela discussão entre o francês loiro, Harry e Gina. Ron bufou “Ah Merlim bem agora” e abriu caminho, arrastando Hermione com ele.

Aproximaram-se da confusão, mas a um olhar de Carlinhos, não se intrometeram, apenas observaram, se por um acaso alguém se descontrolasse eles tomariam partido e no final foi isso que aconteceu...o francês disse o que quis e ganhou uma chuva de azarações de recordação.

Respirando aliviado por poder continuar o que estava fazendo, Ron decidiu que seria ótimo um passeio pelos jardins da A’Toca, mais especificamente uma frondosa arvore que ficava ao fundo da casa e que convenientemente tinha um tronco bem largo. Caminharam de mãos dadas sem dizer uma só palavra e ao chegarem a arvore, Ron se encostou a ela ficando quase da mesma altura que a namorada e puxando o belo corpo dela para junto do seu. Ela estava visivelmente envergonhada e ele achou isso encantador nela.
- Mione...- sussurrou em seu ouvido – O que você tem?
- Ah...nada – ela disse sem encará-lo e escondendo o rosto no peito do namorado – Será que alguém nos viu sair?
- Hum...eu acho que não...mas porque? – ele disse levantando o rosto dela e olhando-a nos olhos – O que houve?
- Eu...acho que estou com um pouco de vergonha...se alguém nos ver...o que vão pensar?
- Vão pensar, que somos um casal de namorados, apaixonados, aproveitando o final de uma festa de casamento. – e dizendo isso ele capturou seis lábios antes que ela arranjasse uma desculpa lógica para não fazê-lo.

O beijo começou calmo e carinhosos, mas ao primeiro toque das unhas de Hermione na nuca de Rony, os beijos na pista de dança vieram à tona numa velocidade impressionante.

Ela realmente perdia completamente a capacidade de raciocinar quando estava nas mãos do ruivo, quando em sã consciência se entregaria tão fácil, deixando-se ser beijada daquela maneira na frente de todos na pista de dança, mas era ele, como explicar...a maneira que ele a beijava, com carinho, com paixão e ao mesmo tempo tão sensual, era como se ele saboreasse os lábios, a língua...como se ela fosse realmente alguma coisa muito apetitosa e que ele não quisesse deixar de saboreá-la nunca.

Falando assim parece até que ela tinha virado um bolo de caldeirão gigante. Mas tinha muito mais do que isso na forma como ele a tocava e sussurrava coisas em seu ouvido...quando que ela iria imaginar que Ron fosse sussurrar coisas em seus ouvidos. Tais como: “Você é tão doce”, ou “Eu adoro a sua pele”, mas o que mais agradou foi...”Você me deixa maluco”. E ela nunca iria conseguir pará-lo, porque incrivelmente ela não queria parar.

E agora ali, longe dos olhos alheios e com aquele pedaço de mau caminho ruivo beijando-a, passando as mãos em suas costas, ela estava no paraíso e queria aproveitar cada minuto daquilo, por mais que seu lado racional dissesse o contrário.

Ron passou um bom tempo deslizando as mãos pelas costas da namorada, mas sentindo que conhecia o suficiente da parte que se encontrava nua, resolveu explorar “novos horizontes”, ainda beijando-a devastadoramente, subiu uma das mãos para a nuca da morena e a outra desceu deslizando pelo meio da coluna até a base, passou a mão pela lateral do bumbum durinho da namorada, sentindo o volume e não se agüentando mais, espalmou a mão e pôs-se a fazer um carinho abrasador.
Na hora Hermione ofegou e endureceu o corpo, o que fez com que Ron parasse o beijo e distribuindo beijos em seu rosto perguntasse se estava tudo bem, detalhe...em momento algum parando de afagar o bumbum da namorada.
- Ah!!! Ron...o que...você...está fazendo – ela perguntou ofegante e com os olhos fechados.
- Eu estou sentindo você Mione...eu preciso sentir você...me deixe sentir você...por favor...
- Humm...eu...deixo...deixo sim... – e assim ele voltou a beijá-la, levando sua outra mão para o bumbum da garota.

Hermione não se fez de rogada e logo estava puxando a camisa do namorado para fora da calça e embrenhando as mãos por baixo dela, explorou a barriga, peito, as costas largas e sendo completamente a favor da igualdade nos direitos, deu uma atenção pra lá de especial ao bumbum do namorado, apertou e acariciou, fazendo com que ele gemesse entre seus lábios e a apertasse ainda mais contra seu corpo. E então ela sentiu uma leve pressão no seu ventre, e ficou deliciada com aquela sensação de poder.

Levantou os braços para enlaçar o pescoço de Ron e ele subiu as mãos por suas costas com o polegar por dentro do tecido do vestido, passando pela cintura e chegando ao contorno dos seios fazendo com quem o corpo de Hermione entrasse em ebulição, ela soltou um lamento quando ele acariciou a lateral de seus seios, incentivando-o a continuar.

Em um gesto rápido, ele virou-a em seu eixo, fazendo com que as costas dela encostassem em seu peito e repetiu o movimento de subir as mãos pela lateral do corpo delgado da namorada, mas dessa vez com as mãos por dentro do vestido.
Chegando aos seios, contornou-os e afagou-os, fazendo com que a garota fraquejasse os joelhos e pressionasse ainda mais seu corpo contra o do ruivo, soltando lamurias indescritíveis a cada investida dos dedos do namorado.

- Você gosta? – ele perguntou com a voz rouca em seu ouvido. Ela apenas meneou a cabeça em concordância, não conseguiria falar, nem se precisasse muito. Estava sentindo coisas que nunca havia sentindo antes, era incapaz de formular um único pensamento racional, conseguia apenas sentir o toque de Ron sobre a sua pele, acariciando seus seios com tanto carinho ao mesmo tempo em que beijava seu pescoço e sussurrava coisas em seu ouvido, era uma sensação única e maravilhosa.

Ron curvou um pouco o corpo para frente e beijou-a, retirando relutantemente as mãos daquele lugar tão confortável e girando o corpo da garota novamente em seu eixo. Sorriu ao ouvir o lamento da namorada por ter sido privada do toque de suas mãos, mas o fiozinho de lucidez que lhe sobrava, havia decidido que era melhor parar por ali.
E como se tivesse previsto uma interrupção indesejada, ouviu ao longe seu pai os chamando.

- Nós já vamos pai!!! – ele respondeu separando alguns milímetros do rosto da namorada, mas grudando sua testa na dela, olhando-a profundamente. As bochechas rosadas, os lábios inchados e muito vermelhos, os cabelos um pouco desarrumados e com os olhos ainda fechados. – Abra os olhos meu anjo... – ela demorou um pouco para atendê-lo, mas assim que o fez ele ofegou de desejo, os olhos castanhos estavam com um brilho que ele nunca tinha visto antes e estavam levemente esverdeados e olhavam pra ele com tanto desejo e timidez que ele se viu obrigado a beijá-la novamente, abraçando-a com paixão e possessão. – Oh Merlim!!! Mione...você tem idéia do que está fazendo comigo?
- Se for o mesmo que você está fazendo comigo...eu acho que vamos ter problemas – ela disse de maneira divertida, mas ainda um pouco envergonhada pelos acontecimentos recentes e mais por saber que o Sr Weasley sabia exatamente onde eles estava. – Acho melhor nós entrarmos...seu pai sabe onde estamos e eu acho melhor ele não vir aqui nos chamar de novo.
- Ele só sabe porque eu costumava me esconder aqui quando era pequeno e os gêmeos ficavam me infernizando. Você fica linda envergonhada, sabia?
- Eu acho é que devo estar toda descabelada, isso sim...
- Linda descabelada, linda com a boca inchada, linda com as bochechas vermelhas e só minha...de mais ninguém.
- Eu estou assim mesmo!!!! Ai Deus, todo mundo vai saber o que a gente tava fazendo – e ela estava de volta, a garota sensata e racional...
- E o que a gente tava fazendo? – ele provocou-a.
- Ahn???
- O que a gente tava fazendo? Me diga! – ele perguntou novamente rindo da cara que a namorada fazia.
Ela percebendo que ele queria provocá-la resolveu dar o troco...com classe e rapidamente mudou a expressão exasperada por uma provocativa, fazendo ele engolir seco.
- Estávamos apenas nos beijando, mas você resolveu que explorar o meu corpo seria uma boa idéia e eu deixei – ela disse abraçando-o pelo pescoço e ondulando seu corpo no dele – Mas, não acostuma...não vai ser sempre assim!!! – e saiu correndo em direção a casa com um ruivo confuso a seguindo.
- Mione!!!! Espera...O que você quis dizer com isso???


Ficaram, o que pareceram horas apenas se beijando e se sentindo, não poder fazer isso durante todo o dia tinha sido uma provação, e digamos que eles conseguiram não levantar suspeita, tirando a briga, mas eles não estavam preocupados com isso nesse momento, e muito menos com o fato de todos estarem em casa, exaustos, mas mesmo assim em casa e poderiam entrar naquele quarto a qualquer momento.
- Harry...
- Uhmmm – ele respondeu enquanto distribua beijos por seu pescoço.
- A porta... está trancada???- ele levou a mão à escrivaninha, sem parar com o que estava fazendo, pegou a varinha e sem dizer uma só palavra lançou os feitiços na porta e no quarto.
- Está... – ele disse antes de capturar os lábios avermelhados e inchados de Gina, que correspondeu prontamente, mas assim que conseguiu formar frases novamente comentou...
- Eu não sabia que você estava executando feitiços não verbais com essa facilidade toda – ele estava tão compenetrado nela que demorou para perceber o que ela tinha falado e o que ele tinha feito, apoiou o corpo com o antebraço e arqueou uma sobrancelha pensativo.
- Eu...não sabia também...nem tinha percebido...
- Harry, isso é difícil de se fazer quando não se tem pratica...
- É...eu sei...mas ainda assim não sei como fiz isso...podemos falar com a Mione depois, pode ser que ela saiba...- ele realmente ficou meio intrigado, ele não era assim tão bom em feitiços e feitiços não-verbais eram duas vezes mais complicados.
- Acho que deveríamos conversar agora, você não acha? Quer chamar o Ron e a Mione pra isso? – ela disse vendo a face do namorado enrijecer um pouco.
- Não, é melhor fazer isso sozinho. – deu-lhe um beijo carinhoso e sentou-se de frente a namorada. – Gi, as coisas que eu vou te contar agora estão acontecendo há algum tempo e eu quero que você saiba que eu meio que me acostumei com a idéia, já que não tem muito o que fazer e o que poderia ser feito, nós já estamos fazendo...

Então ele começou a narrativa de todos os acontecimentos evolvendo Voldemort desde quando ele era apenas um bebê, algumas coisas ela até já sabia, mas não com tantos detalhes. Passou pelo primeiro ano - a pedra filosofal, o segundo ano, com um pouco mais de cuidado - a câmara secreta, no terceiro à volta de Sirius e a traição de Petigrew, no querto - à volta de Voldemort e a morte de Cedrico, chegando ao quinto e mais demorado e que teve que fazer uma pausa, pois Gina ficou tão desesperada que demorou um pouco para que conseguisse acalmá-la, por causa da profecia e ainda a morte de Sirius, e por fim, todos os acontecimentos do sexto ano, as aulas com Dumbledore, as horcruxes e tudo o mais que faltava ela saber.

No final da narração, ele estava com o coração dilacerado e ao mesmo tempo aliviado por ter dividido toda a sua agonia com a mulher que ele amava e com a certeza de que realmente deveria ter feito isso antes, assim que ela abraçou-o e beijou sua cicatriz com tanto carinho.

Gina sabia que a vida de Harry não tinha sido nada fácil, ela sempre tentou acompanhar tudo muito de perto, mas nunca tinha imaginado metade daquelas desgraças, a vontade que tinha era de chorar e se trancar naquele quarto com ele, para que nada mais pudesse acontecer de ruim, mas ela sabia que não poderia, ele era forte e se ela quisesse ajudá-lo, ela teria que ser também.
- Eu vou estar do seu lado e nós vamos conseguir destruir Voldemort, e eu juro que nunca mais você vai sofrer assim, entendeu? – ela disse de com uma determinação que emocionou-o – Nós vamos estar juntos nisso até o final...até o final – e dizendo isso ela beijou-o tentando mostrar para Harry que ela nunca sairia de seu lado, nunca.

- Gi, você entende por que eu tentei me afastar de você? Eu sou praticamente uma bomba relógio preste a explodir, Voldemort não tem conhecimento de toda a profecia, ou pelo menos não tinha até Snape nos trair, e ele virá atrás de mim e de quem estiver comigo. Eu não queria te colocar nisso tudo, mas eu não posso ficar sem você...eu simplesmente não posso. – ele disse as últimas palavras em um fio de voz e abaixou a cabeça, estava se sentindo egoísta por metê-la de cabeça nessa guerra insana.
- Harry, nós já conversamos isso antes, e se antes eu tinha motivos pra não largar um único segundo de você, esses motivos triplicaram de tamanho...está tudo bem...vai ficar tudo bem...você vai pedir ajuda ao pessoal da Ordem amanhã?
- Vou, eu preciso de ajuda pra acabar com tudo isso o mais rápido possível.
- E a escola? Você...digo, a gente vai voltar pra lá se reabrir? – ele sorriu com a tentativa da namorada de se incluir nos planos de busca.
- Eu estava considerando não voltar para lá, mas ainda não sei...vou conversar com o Lupin e com a Mc Gonagoll antes, mas eu gostaria muito que você voltasse – e antes que ela interrompesse ele continuou – Mas, não depende só de mim e de você, seus pais com certeza vão falar mais alto que nós. Você ainda é menor Gi, e não podemos mudar isso.
- Eu sei, mas não quero ser deixada pra trás...não de novo.
- Você não vai pequena, mas vamos deixar a coisa rolar e ver no que dá a reunião de amanhã...eu acho que se bobear a sua mãe prende todos nós dentro de casa para nos proteger...
- Ela vai pirar quando souber de tudo isso...o dia amanhã vai ser longo...- ela disse aconchegando-se no peito do namorado.

Até que não tinha sido tão ruim assim contar toda verdade a Gina, ela encarara tudo da melhor forma possível e ele se sentia grato por Merlim ter colocado no caminho dele uma mulher tão forte.
Encostou na cabeceira da cama e puxou-a para deitar-se em seu peito, acariciando seus cabelos e vendo deliciado os olhos dela pesando devido o cansaço. Nem pensou em perguntar se ela dormiria com ele, não queria que ela fosse embora. Queria apenas senti-la em seus braços. E com um suspiro cansado deixou-se adormecer.



N/A: Demorei, mas acabei...Aleluia, aleluia, aleluia!!!

Gostaria de me desculpar novamente pela demora vou tentar ser mais rápida daqui pra frente.

Espero que vocês tenham gostado dos capítulos.

Na 1ª parte, todo o desenvolvimento do casal Ara e Carlinhos é fruto da fantástica imaginação da fantástica, Ara Potter a quem eu presenteei com a personagem e dei total liberdade para que ela fizesse dele o que bem entendesse. A 1ª NC do casal fui eu quem escreveu, mas o restante foi ela, e vamos combinar, que ela escreve uma NC como poucas...
Por isso agradeço imensamente a ela por tornar esse capítulo especial.
“Obrigado querida, te adoro viu”.
Agradeço de coração todos os reviews, em especial às minhas irmãs e companheiras de comunidade...Geo, Arinha, Sally, Nani, Lívia, Sil, Paty, Priscila, Tammie, Michele, enfim, todos que gostam da fic e acompanham essa minha aventura de escreve-la.

Obrigado.

Até o próximo.
Bjs




Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.