FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. A Maldita Noite


Fic: Amor X Paixão


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

AMOR X PAIXÃO





VI – A Maldita Noite





Harry estava abismado. Olhava para todos no salão sem saber o que fazer, e os professores aproximaram-se rapidamente, intrigados com aquela multidão que havia se formado no centro da “pista de dança”.



- O que houve, Harry? – Dumbledore perguntou, parando em frente a ele.



- ......



Harry estava mudo. Tudo se confundia dentro dele. Tentou falar , mas nenhum som saiu de sua boca. Não conseguia pensar em nada para responder aquela simples pergunta do diretor.



- Apenas uma briga de amigos, professor! – Ron se intrometeu, percebendo o abalo emocional que seu amigo estava passando.



- Tem certeza, Weasley? – Snape instigou, olhando atravessado para Harry. – Não é o que me parece...



-Tudo bem, Severo, acredito na palavra do Sr. Ronald – Dumbledore o cortou, fazendo um gesto de impaciência. – Agora vamos continuar com o baile, já acabou o circo!



E, com estas palavras, a música rolou alta outra vez, e lentamente, os alunos começaram a dançar, esquecendo-se do barraco que acabara de acontecer.



-Você está bem, Harry? – Ron perguntou, depois de Dumbledore e os outros professores terem se afastado.



-Er... Sim... Acho que sim – ele olhava vidrado para a porta que separa o salão principal do de entrada.



Alheia a tudo isso, Cho abafava o riso, um pouco atrás deles, junto de Draco Malfoy, que tinha um dos seus famosos sorrisinhos maldosos.



-O que você fez, Cho? – Harry perguntou, virando-se para ela, com uma expressão enfurecida.



-Nada... hic... apenas fiz o que... hic... queríamos fazer a noite... hic... inteira... hic...



-Grr... quem disse que eu queria isso? – ele tinha fúria no olhar, sentia-se enjoado por ter beijado aquela piranha bêbada.



-Ora, Potter – Draco falou, com desprezo. – não negue que você estava doidinho para agarrar a Chang...



-Seu idiota! – ele exclamou, irado. – Não tem nada que se meter aqui! O problema é meu, você não tem nada haver com isso!



Draco grunhiu algo incompreensível, e depois saiu, rindo baixinho.



-O que está acontecendo aqui? – Luna aproximou-se, vindo do salão de entrada e olhando de Cho para Harry. – Estão todos comentando que você e a Hermione brigaram porque a Cho lhe beijou...



-É verdade, Luna... – disse Harry, enquanto tentava digerir tudo o que havia acontecido.



Ele lembrava-se de dançar com Hermione, e depois só teve tempo de ver ela brigando com Cho antes da chinesinha o beijar. “Que loucura... Por que Cho fez aquele escândalo? Por que Hermione ficou vermelha ao ouvi-la dizer que ‘achava’ que ela gostava de mim? E porquê, diabos, ela saiu correndo daquele jeito?”



-Harry, acho melhor você ir atrás da Mione, quando eu passei por ela, vi que tinha lágrimas nos olhos.



-É, tem razão, Rony – ele falou, observando as roupas amassadas do ruivo e de Luna.



-Ah, depois te explico... – o amigo ruborizou, percebendo o olhar intrigado do amigo. – Primeiro você tem que procurar a Mione.



-É, certo, eu vou tentar acha-la, já volto!



Harry correu até o salão de entrada, ignorando os olhares inquisidores dos alunos, e saiu pela enorme porta de carvalho do castelo, observando a forte chuva que caia.



*-*-*-*-*-*-*



Hermione correu até o lago, e ajoelhou-se na margem, chorando convulsivamente. Seu peito doía fortemente, parecia que uma mão invisível apertava seu coração. Ela estava tão triste e deprimida que nem percebeu que chovia, ou melhor, caía uma tempestade, e aquele frio combinado com a chuva só deixava seu sofrimento mais intenso, nem ligou se alguém a via ali, naquele estado, apenas queria chorar e colocar para fora toda a dor que sentia.



*-*-*-*-*-*-*



Cho ria e cambaleava no meio dos alunos que dançavam enlouquecidos na pista de dança. Estava muito feliz, explodia de felicidade, podia até voar, se isso fosse possível, é claro.



Draco a observava contente. Seu plano funcionara do jeitinho que havia pensado, perfeitamente. Não pensava que Chang seria capaz de fazer aquele escândalo, mas isto talvez tenha sido apenas efeito do álcool. Ela estava tão embriagada que nem ligava de dançar daquela forma e com aquele vestido no meio de alunos com os hormônios em ebulição.



Mas, quando Draco parou para analisa-la melhor, notou que ela realmente era linda: seus cabelos tinham se soltado do coque, balançavam suavemente enquanto Cho dançava (tentava, pois do jeito que ela tava bêbada era meio difícil dançar, né?), seu vestido curtíssimo subia um pouco, revelando ainda mais as belas pernas torneadas, e sem falar no temperamento: era persistente, irritante e adorava ter os homens na palma de sua mão, o que lembrava muito ele, só que invés de homens Draco gostava de mulheres, e as mais gostosas possíveis.



-Gostei da encenação, Chang – ele sussurrou no ouvido dela, chegando por trás.



-Ah, é? – ela virou-se para ele. – Saiba que... hic... eu sempre cumpro... hic... com a minha palavra... hic...



Ele sorriu, arrogantemente, assistindo ela tentar se manter em pé. Era tentador tê-la tão perto. Cho não era nada parecida com Hermione, mas tinha um comportamento totalmente sedutor.



-Ai ai... eu juro que se não fosse todo o meu trabalho para fazer a Hermione odiar o Potter, eu te agarrava agora, aqui, no meio do salão.



-Hum... hic... que selvagem! – ela provocou, chegando mais perto. – Você tem seu charme... hic... mas eu concordo... hic... não tive tanto trabalho para nada... hic... agora vou ter o meu... hic... Harry todinho para mim... hic...



Draco riu com vontade. Eles faziam uma dupla e tanto. Agora que o serviço sujo já havia sido feito, eles só precisavam esperar até Harry e Hermione voltarem para o baile, então aproveitariam a fragilidade deles e os consolariam, dando o bote final.



*-*-*-*-*-*-*



Harry procurou por todo o jardim de Hogwarts, mas não encontrou Hermione em lugar algum. Estava cansado, ensopado pela chuva e começava a achar que nunca a acharia naquela escuridão da noite.



E enquanto caminhava, com o casaco na cabeça (), ele pensava no comportamento da “amiga”. “O que está acontecendo? Não entendo porque ela agiu daquela forma... o modo com que me olhou... eu tenho certeza que vi tristeza e vergonha nos olhos dela, mas não existe motivo para ela ter fugido, ainda mais chorando... a não ser que...”



Nesse momento, ele avistou Hermione ajoelhada na margem do lago, com o rosto entre as mãos. Seu coração bateu rápido, suas pernas tremeram e ele não sabia se ia lá falar com ela ou se ficava ali, parado como uma estátua.



Sua mente dizia que sua amiga precisava, neste momento, ficar só. Ela havia acabado de brigar com Cho Chang na frente de todos alunos e professores de Hogwarts e Phoenix, e com certeza ele seria a última pessoa que Hermione gostaria de ver, afinal, Harry não havia feito nada para defende-la. Mas, alheio a tudo isso, seu coração lhe dizia que devia ir até a morena e tentar lhe confortar de qualquer maneira, mesmo que tudo acabasse do mesmo jeito que o ano passado.



Ainda ficou algum tempo paralisado, só a observando de longe, mas acabou tomando a decisão certa: seguiu seu coração.



*-*-*-*-*-*-*



Rony acompanhou com os olhos Harry sair correndo do salão principal. Ainda não tinha entendido direito o que havia acontecido. Lembrava-se de há poucos minutos atrás ter passado por sua melhor amiga e depois ter entrado no castelo e presenciado aquela cena bizarra.



FLASHBACK



“Ron e Luna vestiam-se, apressados, depois de terem consumado seu amor.



-Oh, Rony, nunca me senti tão feliz como estou me sentindo agora... – ela o olhava carinhosamente.



-Nem eu... Foi tão mágico... Incrível! – ele trouxe-a para si e lhe deu um beijo suave.



Havia sido a primeira vez de ambos. Tinham experimentado o melhor dos sentimentos que nutriam um pelo outro. Luna era tão meiga, carinhosa, atenciosa... O necessário para fazer Ron feliz, de uma maneira inimaginável, inacreditável, ele poderia pular, dançar, voar... Sentia-se o homem mais poderoso do mundo, e capaz de fazer o possível e o impossível.



Luna não acreditava que sua primeira vez tinha sido num gramado da escola. Havia sonhado com algo mais romântico, como um quarto iluminado apenas por velas, com pétalas de rosas espalhadas por todos os cantos... Mas, apesar das circunstâncias, sua primeira noite como uma ‘mulher’ havia sido mágica, inesquecível, pois tinha sido com Ronald Weasley, o homem que ela queria ao seu lado para o resto de sua vida.



-Vamos para dentro? – ele perguntou, segurando a mão dela.



-Aham... – ela ficou na ponta dos pés e lhe deu um selinho.



Eles caminharam, de mãos dadas, em direção ao castelo. Iam calmamente, até que começou a cair uma fina garoa. Correram, com Rony tentando proteger Luna com os braços. Quando chegaram na imponente porta de carvalho, eles notaram que a garoa dera lugar a uma forte tempestade, e por sorte, eles não haviam se molhado. Iam entrar no castelo quando Hermione passou correndo, chorando, indo para os jardins de Hogwarts.



Ron tentou falar com a amiga, mas ela não percebera sua presença. Ele e Luna ficaram intrigados. Por que ela sairia correndo, daquela forma, do castelo aonde acontecia um belo Baile de Inverno organizado por ela mesma? E, quando chegaram no salão principal, viram Harry paralisado, no meio de uma multidão de alunos, que pareciam assustados e boquiabertos com alguma coisa.”



FIM DO FLASHBACK



-Luna, pelo amor de Merlin, me dê uma luz! – Ron pediu, fazendo drama e com uma expressão engraçada.



-Ora, Rony, não se faça de desentendido! – ela disse, enquanto sentava-se ao lado dele na mesa que estavam antes da formatura. – Vai me dizer que ainda não entendeu o porquê de Hermione sair correndo daquele jeito?



-Er... Na verdade, não. – ele coçou a cabeça e se encolheu na cadeira.



-Tudo bem... – ela deu um beijo na bochecha dele, achando graça da ingenuidade do ruivo. – ...Ela saiu daquele jeito porque não suportou ver Harry beijar a Cho.



-Hã? – ele ficou ainda mais confuso. – Como é que é? Acho que não entendi bem o que você disse...



-Rony, presta atenção! – Luna segurou o rosto dele entre as mãos, e falou num tom calmo. – A Cho beija Harry, depois diz que Hermione estava apaixonada por ele, então ela sai correndo do castelo aos prantos... Então? Captou?



-Acho que sim... – ele estava boquiaberto, surpreso pela revelação.



Sabia que Harry nutria sentimentos além da amizade para com Hermione, mas nunca havia cogitado na possibilidade dela sentir o mesmo. Pensar que seu amigo havia sofrido por tanto tempo, por nada, era revoltante. Perdera a conta de quantas vezes Harry o procurou perguntando sobre garotas, especialmente Hermione, e Ron dava “conselhos” achando que a amiga não gostava dele, quando era exatamente o contrário. “Anta! Besta! Como é que eu não percebi? Como?”



-Er... Rony? – Luna chamou, agitando as mãos na frente do rosto dele. – Você está bem?



-Sim, claro! – ele se endireitou na cadeira, e a olhou admirado. – Poxa, que tapado que eu sou! Nunca pensei nisso! E você, que conhece os dois há menos tempo que eu, já deduz o que eu nem em um milhão de anos descobriria... Não é à toa que eu te amo!



Ele se inclinou para frente e beijou Luna suavemente. Depois de um tempo se separaram, e continuaram ali, sentados, esperando por notícias de Harry e Hermione, e torcendo para que eles se acertassem, finalmente.



*-*-*-*-*-*-*



Hermione não sabia de onde tirava forças para chorar durante tanto tempo. Lágrimas escorriam por seu rosto e soluços abafados eram ouvidos. Seu coração doía de uma forma inimaginável, tanto que ela achava que pudesse morrer, ali mesmo, na margem do lago.



A única coisa que ela sentia era seu peito doer, mais nada. Não conseguia raciocinar direito, tudo revirava dentro dela, em um turbilhão de sentimentos. “Por que, Meu Deus, por que tenho que passar por isso?” ela pensava, “Por quê?... Por que ninguém pode me amar? O que eu tenho de errado? O que...”



De repente, sentiu uma mão tocar levemente seu ombro. Ela olhou para cima, e no meio daquela tempestade seus olhos se encontraram com os de Harry, aqueles olhos que tanto a fascinavam, que a faziam perder o chão e que agora pareciam aflitos, preocupados.



-Mi... – ele conseguiu dizer, num fio de voz.



Harry se ajoelhou ao lado dela, e colocou seu casaco ao seu redor, tentando inutilmente protege-la da chuva. Hermione não protestou, apenas o observava, ainda chorando. Os olhos antes castanhos de um brilho intenso agora estavam opacos, sem vida. Ele aproximou-se lentamente e a abraçou, passando suas mãos no cabelo dela.



Harry não sabia o que fazer. Queria consola-la, mas nem sabia o real motivo de ela estar daquele jeito. A única coisa que poderia explicar tanto sofrimento, ele pensou, seriam as palavras ofensivas de Cho, mas mesmo assim não era uma razão para sair correndo do castelo, e chorar sob uma tempestade de gelar os ossos.



Hermione sentiu seu coração pulsar rápido quando ele se ajoelhou ao seu lado. Harry era a última pessoa que ela esperava ver, depois do ocorrido. Ele tinha, ao mesmo tempo, desespero e carinho nos olhos. Ela sentiu-se protegida quando ele a abraçou, sentiu como se tivesse voltado ao ano anterior, naquela maldita noite...



FLASHBACK



“Hermione corria pelos corredores de Hogwarts, estava atrasada para seu encontro com a pessoa que ela mais amava e não queria perder nem mais um segundo, nesta chuvosa noite de Natal.”



A chuva caia forte lá fora, e um trovão a fez tremer, mas pensar em estar nos braços de seu amado a confortava... Ele era tão sensível, carinhoso... E tão ingênuo... Ah, isso a fascinava! Apressou-se e correu mais, tentando evitar dar de cara com Filch e sua maldita gata.



Ao chegar perto da biblioteca, o local de encontro, ela ouviu vozes, gemidos mais precisamente, e sentiu um frio em sua espinha. Lentamente abriu a porta, tudo estava na mais completa escuridão. Os gemidos ficaram mais altos, eles vinham do fundo da biblioteca. Hermione caminhou entre as estantes, espantando os maus pensamentos que vinham a sua cabeça.



Ao chegar na última estante, ela virou no corredor... Seu coração bateu descompassado...Viu a imagem que ficaria para sempre em sua mente: Krum estava de costas para ela, transando com uma garota, que ela reconheceu imediatamente, encostados à parede.



Soltou um grito baixo e esganiçado, mas alto o suficiente para fazer Krum olhar para trás.



-Como você pôde... – ela ouviu-se murmurar, enquanto ele soltava a garota e pegava as calças atiradas no chão.



-Non eh nada que você esta penrrando.. – ele tentava se explicar, mas ela saiu correndo, as lágrimas escorriam pelo seu rosto, não via nada a sua frente, só queria sair dali.



Tudo o que ela idolatrava nele havia se dissipado num só segundo. A solidariedade tão evidente nas partidas de Quadribol, a inteligência, a astúcia, a capacidade de faze-la sentir-se bem nos piores momentos possíveis... Tudo! Completamente tudo fora uma ilusão. Já não sabia mais quem era aquele garoto que havia sido seu primeiro namorado, que passara os momentos mas difíceis ao seu lado, que fora uma das pessoas mais importantes que passaram pela sua vida, senão a mais importante. Soluçou, e continuou correndo por algum tempo até chegar aos jardins do castelo. A chuva não era nada comparada ao que ela acabara de ver. Correu mais um pouco, a água da chuva misturava-se com suas lágrimas, sentiu seu coração despedaçar, uma dor tão forte que parecia ser física.



Sem ter forças para mais nada, ela ajoelhou-se na grama fria e molhada, e chorou como nunca havia chorado em sua vida, todo o seu sofrimento estava nas gotas que caiam de seus olhos, queria morrer, fora enganada por quem ela mais amava, nada mais lhe importava.



Sentiu alguém se ajoelhar à sua frente. Ela abriu os olhos e viu, ali, parado com uma expressão preocupada, seu melhor amigo: Harry. Eles não falaram nada, Harry sabia o que tinha acontecido, passara pela biblioteca e vira Krum e uma garota que ele não reconheceu saindo... Victor colocava as calças.



Hermione olhou para o rosto de Harry e percebeu que ele também chorava, sua amizade era tanta que ele sentia o mesmo que ela: dor. Ele colocou as mãos no rosto de Mione e a abraçou, com toda a força que possuía. Eles ficaram abraçados por uns minutos, até ele soltar-se dela e lentamente aproximar-se, seus lábios estavam muito perto, Hermione podia sentir sua respiração, ofegante. Sem nem mesmo pensar, querendo confortá-la e saciar um desejo que o vinha assolando há algum tempo, ele a agarrou pela cintura e beijaram-se, ardentemente, o ‘melhor’ beijo que os dois já puderam imaginar, cheio de dor, angústia, medo, calor... Sofrimento.



Afastaram-se sem fôlego. Ela não acreditou que tinha beijado seu melhor amigo, seu confidente. Saiu correndo, outra vez, sem saber da onde tirou forças, para os dormitórios, sem encontrar com mais ninguém. Krum estava na escola para passar o Natal. Fizera uma surpresa a Hermione, mas fora esta última surpresa que ela jamais esqueceria...”.



FIM DO FLASHBACK



Aquelas lembranças haviam sido jogadas para um canto obscuro da mente de Hermione, ela não se lembrava que havia sofrido tanto, nem que o beijo que dera em Harry fora tão intenso. Recuou um pouco e seus olhos se encontraram com os dele, agora molhados por lágrimas e pela chuva.



-Harry... – ela murmurou, tentando se conter. – Eu me lembrei, agora, de tudo o que houve no ano passado... E parece que estamos revivendo aquela noite... Tudo nos mínimos detalhes...



-Shh... – ele colocou o dedo indicador nos lábios de Hermione, e com a outra mão segurou o rosto dela. – Eu sei! Tudo está parecido... Mas houve uma coisa no ano passado que ainda não aconteceu hoje...



Ela o olhou, sem entender aonde ele queria chegar. Seu coração parecia que ia soltar pela boca. Agora a chuva parecia fazer efeito nela, tremia muito, e sentiu que Harry também estava tremendo. Mione lembrava de cada instante, cada detalhe da noite maldita: a cena da biblioteca... Ela correndo pelos jardins do castelo... A chuva que caía... Harry a abraçando... E o beijo! Aquele beijo que tirava seu sono, que a fazia acordar no meio da noite durante toda as férias, que a fazia chorar silenciosamente, que modificou a amizade deles... Que a fez se apaixonar por ele.



-Eu sei que não deveria fazer isso – Harry se aproximou do rosto dela. – Mas é impossível resistir...



Ele segurou a nuca dela e a trouxe para si. Os dois ofegavam, suas respirações abafadas pela chuva. Hermione perdeu-se na imensidão dos olhos verdes dele, e deixou-se levar, era tudo o que ela mais queria, sentir seus lábios mais uma vez colados aos de Harry, movimentando-se numa sincronia perfeita. Eles beijaram-se suavemente, cada um tentando gravar na memória aquele momento especial. Não demorou muito e o beijo suave dera lugar a um mais intenso, apaixonado. As mãos de Harry apertavam a cintura de Hermione, e as dela, por sua vez, acariciavam a nuca dele. O corpo dos dois fervia, sentiam que não se segurariam se isso se prolongasse mais.



Num súbito ato de bom senso, Hermione o empurrou, e saiu correndo em direção ao castelo, como da última vez, só que agora era diferente. Ela amava o garoto que havia deixado para trás, e não algum idiota qualquer que a traía na biblioteca com uma das garotas mais populares de Hogwarts. Mas ela não podia deixar levar-se e acabar magoada, outra vez. Seu coração ainda não havia cicatrizado. Entrou no castelo, se escondendo para que não a vissem naquele estado, o que foi fácil, pois todos estavam ocupados dançando ou se embebedando, e até os professores estavam bêbados, conversando (O.õ) numa rodinha num canto do salão. Ela passou apressada por eles e foi em direção ao seu quarto, com a cabeça latejando fortemente e o coração pulsando descompassado.



Continua...



*-*-*-*-*-*-*



N/A: Oi pessoas! Finalmente consegui terminar o sexto cap.! Aleluia!!! Nossa... Como eu suei pra escrever esse capítulo! Todo dia eu reescrevia alguma coisa, e acabei me demorando mais q o esperado!! Naum ficou do jeito q eu queria, mas deu pro gasto, neh? Please, não sejam tímidos (), comentem, me mandem e-mails, dêem sugestões, façam críticas, elogios (eh claro!)!!! Ah! Quem quiser uma amiga meio (só meio) loukinha me adicione no msn, adoro conhecer pessoas novas e eu naum mordo, quer dizer, só arranco pedaço... Brincadeirinha!!!!!!



N/A2: Gente, obrigada, sinceramente, pelos comentários, vcs fizeram uma autora feliz:



Cá, Angel Black, Krla, Bruna Degrwil, Rebeca, Jordana Azevedo, Myla Potter Tonks, Gigi.



N/A3: Finalmente foi revelado o q aconteceu no ano anterior! Será q Cho e Draco conseguirão alcançar seus propósitos? O q Harry fará agora q beijou mais uma vez Hermione, sua “amiga”? E quem será a garota q transou com Krum? Naum percam o próximo capítulo, pois mta coisa ainda naum foi revelada...



Bjux



Lulu Potter





































Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.