FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. O Retorno à Hogwarts


Fic: Revendo Conceitos -Dramione - Long Concluída


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

<
O RETORNO À HOGWARTS



Lentamente a sociedade bruxa voltava ao normal, principalmente após os julgamentos onde, todos os comensais que estavam presos foram condenados. As vielas bruxas que foram destruídas durante o período de terror estavam praticamente reconstruídas. A sociedade bruxa estava exultante, pois Hogwarts, ícone da sociedade bruxa inglesa, estava reconstruída e pronta para ser reinaugurada.

Logo após a semana de julgamentos, Hermione voltou à Austrália para ajudar seus pais a organizar o retorno para Grã-Bretanha. Rony protestou um pouco, não queria que a morena se afastasse dele. Alegava não querer ficar “segurando vela” de seu melhor amigo e de sua irmã. Entretanto, também não queria ir com Hermione uma vez que, o trio maravilha (como eram conhecidos Harry, Rony e Mione) estava sendo convidado para todas as festas do circuito bruxo e Rony não queria perdê-las de jeito algum.

▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫


Era sábado, quando todos os alunos de Hogwarts receberam suas cartas.

Hermione, que estava já estava a cinco dias na Austrália, ficou eufórica ao ver uma coruja entrar pela janela da sala e largar em cima da mesinha de centro a carta com o brasão de Hogwarts. A morena gritou de felicidade ao ler que a carta informava não só que poderia concluir seus estudos em Hogwarts, como trazia um distintivo, informando que a partir daquele instante, ela era a nova Monitora-Chefe da escola. Foi correndo mostrar aos pais a carta e contar a novidade sobre seu novo cargo. Com tamanha euforia, só percebeu mais tarde, que o envelope trazia não apenas a lista de material e o comunicado de que era monitora. Trazia também um pequeno bilhete da nova diretora, Minerva McGonagall, avisando que esperava a morena dentro de uma semana, para que tivessem uma conversa séria.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



Harry, Rony, Gina, Neville e Luna (estes dois últimos haviam ido visitar os amigos), também ficaram muito contentes ao ver as corujas chegarem com suas respectivas cartas; Harry e Rony, em especial, pois receberam além de suas cartas comunicando que deveriam regressar à Hogwarts, Harry recebeu se distintivo de capitão de Grifinória - “Veja Ron!!! Isso significa que teremos campeonato de quadribol este ano, Wow!!!” - e Rony recebeu um distintivo de Monitor.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



- Veja filho, chegou uma coruja para você! – disse Narcisa examinando o lacre das cartas que acabara de receber – Tome, é de Hogwarts! – ela entregou o envelope para Draco e em seguida, foi abrir a carta endereçada a ela.

- Humpf, eu não vou! Tome – respondeu Draco entregando a carta à sua mãe para que ela mesma lesse.

- Mas porque não Draco? É uma ótima oportunidade para rever seus amigos!

- Eu nunca tive amigos, mãe! – Draco tinha um sorriso irônico no rosto - Eu tive seguidores fiéis, amantes, pessoas que temiam minha presença e meu nome, mas amigos? JAMAIS! Logo não tenho motivos para voltar àquela escola.

- Você não tem escolha Draco! – Narcisa revirou os olhos e mostrou a carta que recebera – O Conselho do Ministério da Magia exige sua volta à Hogwarts. Logo, você voltará àquela escola, querendo ou não... Estou saindo! – Narcisa completou – Quer que eu passe no Beco Diagonal para comprar seu material deste ano, ou prefere ir até lá? Quem sabe você não encontra uma de suas... - Narcisa encarou Draco e sorriu da maneira mais irônica possível – amantes?

Draco arregalou os olhos, nunca havia visto sua mãe tão sarcástica, mas também nunca a vira tão livre, pois a loira estava sempre subjugada à sombra do marido. Não pôde deixar de sorrir da provocação que ela fez.

- Aonde vai? – perguntou ainda sorrindo.

- Vou visitar Andrômeda e seu neto. Minha irmã deve estar arrasada com a morte da filha e do genro – respondeu Narcisa de forma natural.

- O QUE DISSE QUE VAI FAZER? O QUE PENSA QUE VAI FAZER NA CASA DAQUELA TRAIDORA DE SANGUE, MÃE? ENLOUQUECEU? – Gritou Draco apontando o dedo para sua mãe – É ASSIM QUE VOCÊ AGE? ESPERA MEU PAI IR PRESO PARA SE JUNTAR AOS TRAIDORES DE SANGUE? – Draco estava exasperado.

- Draco, escute bem o que vou lhe dizer – começou Narcisa, havia um sutil toque de ameaça em sua voz – pois só vou falar uma vez. Você é meu filho e eu te amo mais do que a minha própria vida. E você sabe muito bem disso. Mas eu nunca mais – Narcisa se aproximou de Draco e lhe encarou - Nunca mais permitirei que você fale dessa forma comigo. Você entendeu?

Draco olhou para sua mãe assustado. Nunca havia falado desta forma com ele, e percebeu que havia passado dos limites. Narcisa ao perceber o olhar assustado continuou menos rude:

- Eu não lhe devo um pingo de explicação e tenho total ciência disso. Mas mesmo assim vou lhe falar: eu nunca deixei de visitar minha irmã. – A voz de Narcisa ainda continuava fria – É óbvio que o seu pai e a Bella não sabiam. Mas eu nunca fui contra a minha irmã, pois ela fez o que eu sempre desejei e não pude: ela seguiu o caminho de seu coração. Casou com o homem que amava. E que a fez muito feliz! – Finalizou Narcisa com um suspiro.

Draco não sabia o que falar. Aquela revelação havia mexido com sua cabeça. Sempre achara que a mãe, tal como sua tia e seu pai, odiavam a irmã que fugiu da tradição da família e envergonhou os Black. Além disso, se perguntava o que sua mãe queria dizer com “o que eu sempre desejei e não pude: ela seguiu o caminho de seu coração. Casou com o homem que amava. E que a fez muito feliz!”. Draco sabia que o casamento de sua mãe fora arranjado e que seus pais não eram referência de um casal apaixonado, mas daí ela falar que sempre desejou seguir o caminho do coração, mas não pode, significava que ela havia tido um amor interrompido? Quem seria esse amor? Porque ela não pode ficar com ele? Será que seu pai o conhecera?

Enquanto milhões de perguntas passavam pela mente de Draco, ele não percebeu que sua mãe se aproximava. Narcisa, por sua vez, sabia que o cérebro de seu filho estava trabalhando furiosamente processando as informações que ela havia lhe passado. Encostou o braço no ombro de seu filho e lhe disse delicadamente:

- Não se atormente com o que não há necessidade de se atormentar! Em seu tempo certo, suas dúvidas serão esclarecidas... Por enquanto apenas me responda se prefere que eu compre seu material ou você mesmo quer ir?

Draco levou um susto com a voz de sua mãe, havia esquecido completamente que ela estava com ele naquele cômodo. Todas as informações que o loiro recebera em poucos minutos o fizeram ir para “outro plano”.

- Eu mesmo vou – respondeu Draco, seu olhar lembrava Luna Lovegood – Vou enviar uma coruja para Zabini e verificar se ele quer ir comigo. Mas não irei hoje!... De qualquer forma muito obrigado.

- Que bom que tenha escolhido essa opção! Acho que precisava sair mesmo. Você já estava muito tempo dentro dessa mansão! – disse Narcisa indo em direção à porta – Não irei demorar nos vemos mais tarde.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



Passado uma semana, Hermione despediu-se de seus pais, desta vez os aguardaria n’A Toca, uma vez que voltariam de avião e ela precisava ir à Hogwarts e ajudar Gina na festa de Harry que iriam fazer no próximo fim de semana. (Seu aniversário já havia passado uns 10 dias, mas com toda confusão de julgamento, e a volta da Mione à Austrália decidiram adiar um pouco).

Hermione aparatou em Hogsmeade meia hora antes do horário marcado por McGonagall. A morena queria caminhar com calma pelas ruas de Hogsmead, contemplar o caminho que fazia todos os anos e que graças a Merlin, repetiria novamente esse ano. O sorriso no rosto não deixava esconder a felicidade que a morena tinha de voltar a estudar. Felicidade maior foi ao ver Hogwarts completamente reconstruída. Na hora marcada estava na sala da diretora. Minerva recebeu Hermione com um grande sorriso:

- Oh minha querida, pode se sentar! E como estão seus pais? Soube que voltarão para Grã Bretanha.

- Sim professora, eles voltarão! - Respondeu Hermione sorridente.

- Vejo que está muito feliz! Que bom! A senhorita aceita uma xícara de chá?

Frente à resposta positiva de Hermione, Minerva conjurou uma bandeja com um bule de chá, duas xícaras e biscoitos e começou a servir a jovem.

- Creio que a senhorita deva estar se perguntado o motivo pelo qual eu a chamei na escola fora do ano letivo sim? - Perguntou McGonagall olhando diretamente para Mione.

- Confesso que desde que recebi sua carta tenho me perguntado isso, professora McGonagall - respondeu Hermione enquanto apertava suas próprias mãos.

- Então não vou me alongar. Como a senhorita bem sabe, nós tivemos uma baixa de professores no último ano. Graças a Merlin eu consegui quase todos os professores, mas não consegui ninguém para ensinar Transfiguração. Ou seja, exercerei a função de diretora e professora. – McGonagall deu um suspiro e continuou – Como a senhorita deve ter percebido, este ano será uma da monitoras chefes de Hogwarts. Para ser sincera, por enquanto será a única. Ainda não tenho em mente nenhum outro aluno que possa exercer essa função junto com a senhorita. Então por hora, estará sozinha com suas obrigações. E daí vem o pedido para que comparecesse aqui. Eu criei um novo cargo e gostaria que a senhorita aceitasse: Chefe dos Monitores.

McGonagall deu uma parada e olhou profundamente para Hermione. A menina à sua frente era, sem dúvidas, uma das melhores alunas que Hogwarts já viu. Sabia, por sua observação e por suas conversas recentes com o quadro de Dumbledore, que ela era sensata e adequada para as atribuições cargo que ela tinha em mente.

- O que acha, senhorita Granger?

- Mas o que seria o cargo de “Chefe dos Monitores”, Professora McGonagall? E porque eu?

- Com toda essa loucura da guerra, e com o combate sendo em Hogwarts, percebemos que a divisão das casas se tornou muito clara na hora do embate. E talvez isso reflita no cotidiano da escola quando voltarmos à ativa. E é tudo o que não queremos e não precisamos. Portanto eu preciso de ajuda para fazer com que os alunos se lembrem sempre de quais são as regras de convivência escolar.

- Mas Professora McGonagall... – interrompeu Mione – Esta é uma das tarefas dadas aos...

- Monitores – respondeu McGonagall – Eu sei, senhorita Granger, eu sei. No entanto, como eu ia dizendo, todos vocês, em maior ou menor grau, vivenciaram a divisão clara das casas no momento do combate. E é natural que muitos de vocês carreguem alguns sentimentos que não são interessantes para o convívio em Hogwarts. A razão de tê-la convidado é que a senhorita é a minha aluna mais sensata e brilhante.

Hermione não sabia o que dizer, estava muito lisonjeada com o convite da diretora, não podia recusar.

- Eu aceito, e o que deverei fazer? - Perguntou Hermione animada.

- Como chefe dos monitores, deverá fazer com que todos os alunos e principalmente os monitores se mantenham na linha. Não será tolerado nenhum tipo de preconceito nesta escola, e quando eu digo nenhum, é nenhum mesmo. Nem mesmo aos que optaram por lutar pelo lado das trevas na Guerra! Uma vez que eles voltaram à escola significa que foram absolvidos de suas acusações!

Hermione permaneceu em silêncio enquanto McGonagall continuou:

- Como chefe dos monitores será meu braço direito, portanto, se encontrar algum aluno se portando como não deveria se portar, principalmente no que tange ao que eu acabei de falar com a senhorita, é seu dever dar-lhe uma advertência, detenção, tirar pontos da casa ou reportar a um professor, dependendo da gravidade da situação.

Hermione estava atônita. Era muito poder para um aluno. Mas se McGonagall acreditava nela, iria aceitar este desafio.

- Agora entende por que convidei à senhorita (N/A: Mione, a fodástica hehehehe)(N/B: Hermione, a poderosa “Chefona”) para este cargo? –Perguntou McGonagall com um sorriso – Agora que já aceitou, vamos discutir a situação de alguns alunos em particular.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



Draco acordou meio mal humorado. Hoje era o dia que havia combinado de ir ao Beco Diagonal com Blás Zabini. Mas não sentia nenhum pouco de vontade de sair de sua cama. Na verdade, o loiro estava temeroso em qual seria a reação das pessoas ao vê-lo, não que ele se importasse com elas, mas era duro admitir que sua família fora humilhada com toda aquela exposição no julgamento.

Com esses pensamentos na cabeça, dirigiu-se à sala de jantar, onde sua mãe o esperava para tomar café da manhã.

- Olá meu querido! Dormiu bem? - Disse Narcisa com um sorriso - O que houve? Porque está com essa cara? - Perguntou a loira preocupada. Sem pensar duas vezes, entrou na mente de seu filho para entender o que estava se passando. (N/B: preciso dizer que tenho medo de pensar perto da Narcisa, vai que ela lê minha mente quando estou justamente pensando no filho dela! Serei azarada e chamada de pervertida O.O).

- Draco querido, você não deve ficar pensando nessas coisas – Draco acordou dos seus devaneios com um susto. (N/B: com uma mãe “Diná” do meu lado, até eu me assustaria!) – Você é um Black, é um Malfoy. Os Blacks e os Malfoys nunca são humilhados. E como um herdeiro desta família, você jamais abaixará a cabeça para os outros. O que aconteceu já faz parte do passado.

Draco ouvia sua mãe calado. Ele sabia de tudo o que ela estava lhe falando, sempre agira assim. Mas se sentia diferente com tudo que havia passado nos últimos meses.

- Eu também me sinto assim querido! Não pense que eu me sinto diferente de você! Mas agora somos apenas nós dois. E não podemos nos mostrar fracos neste momento. Portanto, hoje naquele Beco, você será o Draco Malfoy de sempre. Olhando sempre para frente, de cima, como um nobre, que é o que você é: meu pequeno rei.

Draco ergueu uma sobrancelha e sorriu para mãe, com seu sorriso mais sarcástico e sedutor, aquele que ele sabia que derretia as meninas de Hogwarts. Sentou-se bem mais animado para tomar seu café. Passaram toda manhã conversando sobre diversas coisas, até que finalmente chegou à hora marcada para ele encontrar-se com Zabini, no beco diagonal.

Aparataram diretamente no Beco Diagonal, que estava apinhado de estudantes excitados frente à expectativa de voltarem à Hogwarts. Malfoy resolveu seguir o conselho de sua mãe, se portaria como um rei pouco se importando com o comentário dos outros...

Duas alunas do sétimo ano da Corvinal cochichavam enquanto Draco e Blaise passavam.

- Nossa, aquele não é o Malfoy? Ele está tão... Tão incrivelmente sexy!!! - Suspirou a menina.

- Gente, desde quando o Malfoy é tão gostoso assim? (N/B: Desde quando ele é descrito pela Maris, dããã, foi uma nerd que perguntou isso, só pode!) - Respondeu a outra.

Malfoy percebeu que estava sendo observado, mas decidiu que ainda não era a hora de se aborrecer, afinal de contas, o que duas “Corvinais” podiam falar que o aborrecesse tanto?

Terminaram as compras logo depois e sem maiores aborrecimentos. Draco agradeceu a Merlin por não ter encontrado o “Santo Potter” e seus fiéis seguidores: a insuportável sabe tudo e o pobretão Weasley.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



Mione voltou à Toca exultante. Minerva a aconselhou não contar algumas questões particulares de alguns alunos, mas que o restante poderia falar aos seus amigos. Todos ficaram super animados com a expectativa da Mione se tornar a aluna “toda poderosa”, principalmente Rony.

- Quer dizer que você terá um quarto só seu? Só para você? - Perguntou Rony enquanto acariciava os cabelos da Morena. Gina e Harry riram, pois Mione ficou da cor do cabelo de Rony.

- Roniquinho, definitivamente ser discreto não é mesmo sua praia! - Gina provocou o irmão e gargalhou ao ver a expressão revoltada que ele fez.

- Então quer dizer que você é a toda poderosa de Hogwarts agora Mione? – Harry disse tentando quebrar o clima. – É bom pensarmos duas vezes antes de aborrecer a Mione.

Passaram o resto da tarde conversando e organizando a Toca para a festa de aniversário de 18 anos do Harry que aconteceria no dia seguinte.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



Já estava anoitecendo e os primeiros convidados começavam a chegar n’A Toca. As meninas (Gina e Hermione) já haviam se arrumado e recepcionavam os primeiros convidados.

- Você ta linda Gina! – Disse Hermione em um sorriso – A noite hoje promete hein?

Gina riu. Não sabia se era do comentário de Mione ou do tom avermelhado que rosto da morena adquiriu. Mione era tímida e ficava vermelha ao fazer, e principalmente ouvir, alguns comentários mais maldosos. A ruiva fez uma nota mental de mais tarde falar algumas coisas “mais picantes” da noite para a morena. “Ela precisa vencer essa timidez!”, pensava Gina sorrindo. Parou ao ver o recente objeto de seu ódio!

- Grrrr, eu não acredito que ela veio. Quem será que a convidou? - Dizia Gina entre os dentes. - Eu não a convidei e o Harry também não.

- Mas o que você está dizen.. - Mione perguntou enquanto procurava para ver quem era ela, embora já imaginasse. – Ahh Gina, não acredito que você ainda está com essa neura. Deixa de implicância com a Cho vai.

- Se você soubesse o que ela anda aprontando você não diria isso. – Disse Gina, mas para si do que para Hermione.

Hermione que não ouviu o comentário de Gina, foi até a entrada dAToca para recepcionar Cho Chang dizendo que podia se sentir à vontade, informando onde estavam as bebidas e comidas, da forma mais simpática possível.

Em pouco tempo o quintal dA Toca era um aglomerado de pessoas, a maior parte colegas de Hogwarts do 7º e 8º (série criada excepcionalmente este ano para diferenciar os que estavam no sétimo {que fora considerado inválido pelo Ministério} dos que estavam no sexto.) de diversas casas (N/A: Menos Sonserina é claro)(N/B: Preconceito com as cobras, eu hein ò.ó). Os convidados dançavam ao som das Esquisitonas. A festa foi regada à cerveja amanteigada e à whisky de fogo.

Todos haviam se divertido bastante. A festa foi mais animada do que todos esperavam. A única a se estressar um pouco foi Hermione, pois Rony vez ou outra sumia sem avisar, mas fora isso, tudo correu bem. Já se podia ver o nascer do sol quando os últimos convidados haviam deixado A Toca. Aquela festa, embora tenha demorado a sair, havia sido ótima, e Harry estava muito satisfeito por seus amigos preparem algo muito especial.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



2 Semanas depois

Hermione, Harry, Ron e Gina aparataram próximo à estação de King Cross. Na plataforma 9 ½, encontraram seus amigos. Um pequeno frisson foi formado à chegada deles. Afinal de contas, o trio que havia vencido Voldemort voltaria à escola e era um status ser amigo de um deles. Mas não era só isso. O ano que passaram fora da escola fez muito bem ao trio: O ruivo havia crescido bastante nesse ano que ficou longe da escola. Seus cabelos estavam maiores e mais ruivos do que nunca. Seu corpo estava mais definido: o quadribol que jogou no seu 5º e 6º ano, mais a aventura vivida no ano anterior, haviam contribuindo para sua forma física invejável. (N/A: Hummm...*autora suspira, se bem que na primeira tentativa de descrevê-lo quase o tornei um emo)(N/B: Isso é verdade! Quase que o Ron ganha um franjão no meio do olho e vai se sentar na beirinha da calçada, tentar se afogar num copinho de coca-cola e cortar os pulsos com uma faquinha de plástico).

Harry também havia crescido, mas não tanto quanto Rony, seus cabelos ainda continuavam espetados e a caça às horcruxes definitivamente havia feito muito bem para o moreno. Ele estava mais forte, mais gostoso, mais tududuuuu, mais glam, (N/A: não, não é o Clodovil que tá retratando o Harry e sim a beta, ela não conseguiu permanecer imparcial na ajuda da descrição do Harry!!!)(N/B: Por que tudo é culpa da Beta? Tô achando que é perseguição! ò.ó hauahauhau... Poxa, eu tentei, mas o Harry é gostoso mesmo!)

Hermione também estava muito bonita. Seus cabelos estavam maiores e mais ondulados. E a morena exibia um leve tom bronzeado na pele, resultado de sua passagem pela Austrália. Despertava olhares de cobiça por onde passava o que deixava Ron ao mesmo tempo ciumento e orgulhoso.

Ao mesmo tempo chegava à estação Draco Malfoy e Blás Zabini. Ninguém pareceu notar a chegada dos dois, uma vez que todas as atenções estavam voltadas ao trio.

- É impressionante como essas pessoas são patéticas. Veja Zabini! Só faltam pedir a benção ao Santo Potter. – Dizia Draco com um tom de desdém em sua voz. – Vamos procurar um vagão antes que eu fique enjoado e vomite aqui mesmo.

Draco embarcou no trem acompanhado por Zabini. Embora não reparasse, vários olhares curiosos e cobiçosos o acompanhavam enquanto entrava. Sim cobiçosos, pois se Harry e Rony estavam lindos de morrer, Draco estava muito mais (N/A: Táaaaa, eu sei que não fui nem um pouquinho imparcial, mas dá um desconto né? É o Malfoy *autora dá vários suspiros. E nisso eu e minha beta concordamos. Vejam a definição de Draco segundo Mily: lindo, loiro, gostoso, perfeito, escroto, gostoso, cafajeste, gostoso, arrogante, irônico, gostoso, gostoso e gostoso)(N/B: E não estou certa? O Draco é muuuuuuuuuito gostoso! Narcisa que não leia minha mente jamaaais, se não tô ferrada!).

Draco, assim como os demais, havia crescido bastante desde o último ano. Seus cabelos continuavam incrivelmente lisos e loiros, mas agora ele já não se preocupava em mantê-los no lugar, e isso o deixava com um ar ainda mais sedutor. Estava forte, com uma aparência de dar inveja a qualquer jogador de quadribol. Se estivéssemos na época dos Deuses, Zeus seria capaz de matá-lo, (N/A: Mas tenho certeza que Merlin lhe disse: Desce e arrasa!!!)(N/B: depois eu que não consigo me manter imparcial!, tsc, tsc...) só por temer tamanha concorrência. Draco Malfoy estava mais lindo que nunca, e isso causou certo reboliço no núcleo feminino da escola! (N/B: e se porventura havia algum gay, esse se derreteu com nossa Barbie Girl saltitante *-*')

Assim que entrou, arranjou uma cabine vazia para ele e Zabini. Sabia que deveria ir para o vagão dos monitores onde teriam a primeira reunião do ano letivo. Mas pouco importava agora, ao contrário do ano em que fora nomeado monitor pela primeira vez. Ergueu as pernas e deitou-se no banco com as mãos sob a cabeça.


▪▫ ▪▫ ▪▫ ▪▫



Hermione não cansava de apertar as mãos enquanto andava de um lado pro outro do vagão reservado aos monitores. Era sua grande estréia como Chefe dos monitores e estava muito ansiosa por isso. Deu uma nova olhada na lista dos monitores deste ano, havia mudado muito pouco do grupo que havia sido nomeado monitor no quinto ano: uma pequena troca na Corvinal, uma vez que a família de Ana Abbott havia se mudado da Grã Bretanha. Cho Chang assumiu seu lugar. Seus lábios crisparam ao parar em certo nome: Draco Malfoy. “Prevejo que terei problemas” pensou a Morena. Mas não teria jeito, precisava aturá-lo. Havia prometido à McGonagall.

Aguardou pacientemente por mais quinze minutos do horário determinado para a reunião. Até a Pansy estava ali, quem era ele para não ir? Pensava a morena.

- Parkinson, você viu o Malfoy?

Pansy começou a olhar dentro de suas vestes e sorriu cínica:

- Não está em nenhum dos meus bolsos, Granger! Quer ver você mesma? – disse mostrando os bolsos de sua roupa.

Hermione apenas revirou os olhos e saiu no corredor em busca de Malfoy. Aquela doninha saltitante já começou a me dá problemas e o ano nem começou... Ahhh eu o mato, pensava a morena enquanto olhava de cabine em cabine à procura do loiro. O encontrou deitado em uma das cabines.

- Malfoy – Hermione entrou de supetão na cabine – Você não recebeu a carta informando que é monitor da Sonserina?

- Recebi. Por quê? - Draco nem olhou para a morena, apenas continuou deitado.

- Porque então você não está lá, na primeira reunião da monitoria? - Mione disse entre os dentes. Já imaginava que não seria fácil lidar com Draco Malfoy, mas não suspeitava que seria assim... tão cedo.

- E quem você acha que é para eu te dar algum tipo de explicação sobre a minha vida, Granger? - Disse Draco ainda com os olhos fechados.

- Sou a chefe dos monitores, e ande logo, antes que eu desconte 100 pontos de Sonserina.

- Você não pode fazer isso sua insuportavelzinha sabe tudo, ainda não começamos o ano letivo. – respondeu Draco finalmente sentando e olhando para a morena.

- É, tem razão, mas posso te colocar em detenção e disso não duvide, pois embora o ano letivo ainda não tenha começado, já estamos a serviço de Hogwarts. Te espero no vagão dos monitores.

Hermione saiu da cabine de Malfoy bufando e pisando duro. Estava irritadíssima. Poucos conseguiam tirar a morena do sério. E Malfoy, sem dúvida, era um desses.

Malfoy chegou ,no vagão reservado aos monitores, logo atrás da morena. Sorria sarcástico ao notar que havia conseguido tirar Hermione do sério. A reunião que começou logo após, serviu para apresentar Hermione como Chefe dos Monitores e algumas novas regras, além da definição da ronda que seria sempre feita por um casal diferente.

Hermione dispensou todos e junto com Rony foram para o vagão onde Harry, Gina, Neville e Luna os aguardavam. Estavam todos muito excitados. Um novo ano em Hogwarts os aguardava, e como todo ano, repleto de novidades.



N/A: Aaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhh, finalmente acabei... Ufa!!! Esse capítulo deu um pouco de trabalho, mas graças à minha hiper, mega, super beta eu consegui terminá-lo. Então espero que tenham gostado do capítulo... É o maior capítulo até agora. E desculpas as brincadeiras da autora com a beta... é que a interação é muito grande sabe?

Artemis : obrigada por todo apoio. É, eu acho que o Draco omitiu algumas coisa naquele tribunal... Agora só o tempo para nos dizer...
Laah : Já teve um pouquinho de Draco nesse capítulo viu? E ele ta tão... Hot...E ahhhh...adoro quando me chama de Flor...*-*
Plock Watson : Eu bem que tentei postar o capítulo no seu niver, mas não consegui. Mas a prévia serviu? Espero que sim. Eles já estão chegando na escola viu?
Primo Barney: Obrigada pelo Laranjinha. Que bom que gosta do meu jeito de escrever e que a leitura é agradável... Fico tão feliz...*_*. E olha que já pensei em abandonar a fic...
Deh Malfoy: Que bom que não abandonou a fic!!! Eu havia lido lá na sua fic que estava com problemas co o PC...Que bom que agora vc está de volta. Eu também achei que Draco não era tão filho da mãe quanto os outros.
Mily: Betaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa... O que seria dessa fic sem vc? Tem sido divertida a produção não?

Gente, por enquanto é só. Bjos a todos...

N/B: AEEEEEEEE, olha eu aqui pra deixar uma notinha a vocês!
Maris, não me agradeça pela ajuda! Faço isso porque te adorooooo, e sim nos divertimos muito na produção dos capítulos!

Agora leitores, gostaria de informá-los que não bebi ao betar o capítulo. Os comentários loucos são frutos da minha personalidade maluca, portanto, se alguém sabe como posso dar um jeito nessa minha mania de debochar e fazer palhaçada de tudo, por favor, me informe.

COMENTEEEEEEEEEEEEEEEEM hein, Maris precisa da opinião de todos!!!!

Bjinhos.



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por TAIANA TAVEIRA SILVA em 29/04/2013

Herminone com o cargo de chefe dos monitores e Draco como monitor da Sonserina vai dar o que falar hein. Adorei este capitulo, gosto tanto dessa interação do Draco com a Narcisa, ele me parece um mulher rigida mas que ama o filho mesmo com toda frieza em que os Malfoy tentam impor.
Aaa e eu concordo o Draco é gostoso mesmo, e com os detalhes do capitulo ele está mais lindo ainda rsrs.  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Vênnice em 08/04/2013

Gostei de tudo, principalmento do Draco. Adoro a relação dele com a Narcisa e a forma como ela consegue ver nele a redenção para os seus erros. O que mais me encanta no Draco é sua imprevisibilidade e você o deixou assim: totalmente imprevisível. Perfeito!

Amei este trecho: - Eu também me sinto assim querido! Não pense que eu me sinto diferente de você! Mas agora somos apenas nós dois. E não podemos nos mostrar fracos neste momento. Portanto, hoje naquele Beco, você será o Draco Malfoy de sempre. Olhando sempre para frente, de cima, como um nobre, que é o que você é: meu pequeno rei. 

Draco ergueu uma sobrancelha e sorriu para mãe, com seu sorriso mais sarcástico e sedutor, aquele que ele sabia que derretia as meninas de Hogwarts...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por JOSY CHOCOLATE em 30/10/2011

as notas de autora e de beta sao mara... ou vendo aHermione tao poderosa.... só conseguia lembrar do Edmilson cantando pra lady kate: A poderosa é voce kkkkkkkkk ri demais

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Déia Santos em 16/08/2011

"É impressionante como essas pessoas são patéticas. Veja Zabini! Só faltam pedir a benção ao Santo Potter. – Dizia Draco com um tom de desdém em sua voz" adorei essa frase. Sinceramente, pulei as descrições fisicas dos personagens, hauhauauhha, mas todo o retso eu li e digo que esse ano promete... huuhuhuh

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.