FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. Sétimo Capítulo.


Fic: Marotos - Nem Tudo é o que parece ser...Primeira Temporada


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

~~> Sétimo Capítulo.
“Uma história para contar...”

Manhã de Quinta – Feira, dia de luz, festa de sol, e o barquinho a velejar no imenso azul do mar?!
Não...manhã de Quinta – feira, chuva, muita chuva, pingos grossos, céu turvo, sol escondido por entre as nuvens, cheiro de terra molhada pelos cantos do castelo.
As aulas da manhã transcorreram normalmente. O almoço?! Mais tranqüilo impossível, nem sempre o silêncio é coisa boa, as vezes é só a trégua antes da tempestade cair novamente.
Após o almoço, as duas aulas foram tranqüilas também...logo que essas aulas acabaram, Liu puxou Sirius pelo braço, e se dirigiu à uma sala vazia.
- Que foi Liu?! – Perguntou Sirius com um sorriso um tanto quanto safado no rosto.
- Você quer saber um pouco mais sobre a minha vida?! – Perguntou Liu olhando seriamente para Sirius.
- Quero sim... – Respondeu Sirius desfazendo o sorriso e passando à prestar atenção no que Liu ia falar.
- Bom... – Começou Liu respirando fundo. – Eu vou começar do início... – Disse olhando para o chão enquanto ambos se sentavam.
- Estou a sua disposição... – Falou Sirius olhando nos olhos de Liu.
- Tudo começou quando nem eu nem meu irmão éramos vivos ainda... – Começou Liu voltando a ver fatos do passado.

[Flash Back On]

- Lilaaa!! – Gritava um rapaz alto, cabelos castanhos, olhos igualmente castanhos, físico invejável, que estampava um sorriso belíssimo nos lábios.
- Richard!! – Respondeu uma garota de estatura média, cabelos lisos e negros até os ombros, olhos castanhos, traços finos, corpo escultural, que também sorria para o garoto.
- “Não acredito que ele preferiu ela à mim...” – Pensava uma garota de cabelos longos lisos e pretos, olhos verdes herdados de sua mãe, corpo que muitas garotas desejavam ter, nariz arrebitado, que trazia inveja nos olhos, inveja de sua irmã.
- Marta! – Saudou Richard ao ficar ao lado da namorada “Lila”, que na verdade se chamava Marília, e da irmã dela que se chamava Marta.
- Olá Richard... – Cumprimentou Marta corando, ela sempre havia desejado Richard para ela, sempre.

[Flash Back Off]


- Desde sempre a minha Tia Marta quis roubar o meu pai para ela... – Disse Liu recorrendo às histórias que ela sempre ouviu por entre os corredores das casas. – Mas nunca conseguiu...isso fez com que ela tivesse muita inveja de minha mãe... – Continuou. – Ainda mais quando o meu pai pediu minha mãe em casamento... – Completou segurando o colar.

[Flash Back On]

- Marília...- Começou o jovem se ajoelhando aos pés de sua amada e segurando a sua mão. – Aceita se casar comigo?! – Perguntou sorrindo.
- Richard!! – Exclamou Lila enquanto finas lágrimas de alegria lhe escorriam a face. – Eu aceito! – Disse ajudando o rapaz a se levantar e beijando – o de maneira apaixonada.
- Eu te Amo Lilaaaaa!! – Gritou Richard carregando a amada e a fazendo girar.
- Eu também te Amo Rich... – Respondeu Marília com os olhos marejados.
- Ah sim!! – Exclamou o garoto botando a garota de volta no chão. – Tenho algo para você... – Disse retirando uma corrente de seu bolso. – Isso é para você usar sempre...significa que eu sempre estarei no seu coração, e você no meu... – Falou enquanto colocava a corrente no pescoço de Lila.
- Ela é linda Rich... – Murmurou Lila olhando para a corrente que repousava em seu pescoço. – Obrigada... – Agradeceu beijando o futuro marido.
- “Essa corrente era para ser minha!” – Pensou uma jovem de cabelos pretos e olhos verdes que olhava a felicidade da irmã de longe, e invejava – a. – “E um dia será.” – Pensou novamente saindo de seu esconderijo.

[Flash Back Off]


- Minha Tia Marta sempre quis por as mãos na corrente que o meu pai deu para a minha mãe... – Começou Liu. – Embora nunca tenha conseguido... – Adicionou. Sirius ouvia cada palavra com a maior atenção possível. – Então, meus pais se casaram, e após um tempo tiveram o meu irmão...no tempo certo eu diria... – Disse sorrindo.

[Flash Back Off]

- Oh Meu Merlim!! – Exclamou Richard. – É um garotãooo!! – Disse ao olhar o filho recém nascido que na verdade nem tão grande era. – É o maior bebê que eu já vi!! E o mais lindo também! – Continuou olhando para o filho que estava nas mãos de sua amada.
- Rich...não exagera...ele é muito pequeno... – Murmurou uma mulher de cabelos pretos que estava ao lado da recém mãe.
- Não é mesmo, Marta! – Exclamou Richard. – É a coisa mais linda do mundo!! – Disse olhando para o filho.
- Ele parece com você Rich... – Disse Marília olhando para o seu bebê.
- Coisa mais linda do papai!! – Falou Richard chegando mais perto da mulher e do filho, enquanto Marta olhava aquela cena com um certo nojo por não ser ela no lugar de Lila.

[Flash Back Off]


- Sete anos depois foi a minha vez de nascer, como meus pais se casaram jovens, não teve muito problema... – Começou Liu. – Já deu para imaginar a reação da Tia Marta ao ver que o casamento de meus pais continuava feliz não é?! – Continuou sorrindo marotamente.

[Flash Back On]

- Meu Merlim!! – Gritava Richard. – Ela é tão pequena e fofa!! – Concluiu ao ver a filha aos braços da mulher.
- Pai...joga essa minha irmãzinha Elisa na latrina e dá descarga para eu ser feliz mais uma vez?! – Perguntou um garotinho de aproximadamente sete anos enquanto mexia na camisa do pai.
- Edu... – Começou Lila. – É sua irmã...e você como irmão mais velho é que vai tomar conta dela e ensinar tudo para ela! – Disse rindo para o filho que estava cada vez mais parecido com o pai.
- Tipo eu vou mandar nela?! – Perguntou Edu com um sorriso maroto nos lábios.
- Não filho...você vai proteger ela, sempre... – Respondeu a mãe.
- Quero ver como vocês vão se virar com dois... – Disse uma mulher de cabelos pretos que estava grávida, prestes a ter sua filha.
- Marta... – Começou Lila. – Você vai ver que não há nada como a alegria de ser mãe... – Disse sorrindo para a irmã, que já havia se casado.
- Sei... – Respondeu Marta com um sorriso amarelo no rosto, ela não havia se casado por Amor, e sim por interesse...mas acabou dando errado, já que seu marido, ao contrário de Richard, havia se mostrado um falido que queria aplicar o golpe do baú assim como ela, e agora, por azar, ou sorte, ela estava grávida de....bom...até que provem o contrário, de seu marido.

[Flash Back Off]


- Sim...ela havia se casado... – Disse Liu respirando fundo e olhando para Sirius. – E se dado mal... – Completou. – Mas nem por isso ela deixou de invejar a minha mãe e o meu pai...afinal, eles eram ricos, e ela não... – Continuou. – Bom...no meu aniversário de dez anos o meu pai faleceu de ataque cardíaco... – Disse com os olhos marejados.

[Flash Back On]

- Parabéns pra você...nessa data querida... – Cantavam todos animados para Liu que estava sorridente em frente de seu bolo de aniversário.
- Pai... eu te Amo viu?! – Disse a garotinha no meio dos parabéns olhando para o seu pai e sorrindo para ele.
- Também te Amo minha pequena... – Respondeu o pai beijando – lhe a face.
- Rá Ti Bum!! Liu, Liu!! – Cantavam todos, ou quase todos alegremente, mas no que a garota apagou a vela um corpo caiu no chão.
- Pai?! – Perguntaram Liu e Edu juntos olhando para o corpo do pai no chão. Edu tinha retornado de Hogwarts somente para comparecer no aniversário da irmã.
- Richard?! – Perguntou Lila se ajoelhando ao lado do corpo do amado. – Acorda meu Amor... – Disse beijando – lhe os lábios, mas era tarde demais, sua alma já havia deixado o seu corpo em uma nova jornada.
A festa acabou naquele momento, muitos choravam e se abraçavam, apenas uma pessoa sorria de satisfação pela queda do casamento perfeito da irmã , Marta. Naquele momento ela nem parou para pensar que um dia havia gostado de Richard, aquilo não importava mais para ela, a única coisa que ela sentia no momento era a alegria de ver a irmã triste.

[Flash Back Off]


- Desse dia em diante eu ouvia conversas de minha mãe com minha tia todos os dias... – Continuou Liu, finas lágrimas escorriam dos seus olhos, lágrimas essas que Sirius fazia questão de limpar toda vez que escorriam. – Quando minha mãe morreu eu podia jurar que havia sido minha tia que havia matado ela, mas me disseram que foi suicídio... – Continuou. – Eu fui crescendo na casa de minha tia, e presenciando coisas que jamais esquecerei...
- Liu... – Se manifestou Sirius. – Porque você simplesmente não saiu da casa de sua tia, levando com você o seu dinheiro?! – Perguntou curioso.
- Bom...quando minha mãe “se matou”, encontraram um testamento dela, nesse testamento estava escrito que eu estava sobre a tutela de minha tia até completar meus dezoito anos, até lá eu terei que conviver com ela, e ela poderá mexer com o meu dinheiro livremente, porém não poderá transferi – l o para a conta dela... – Respondeu Liu calmamente.
- Liu... – Começou Sirius. – Você não acha que esse testamento pode ser falso?! – Perguntou desconfiado.
- Eu acho, e eu acho que minha Tia Marta é a responsável pela morte da minha mãe, mas...eu não tenho provas... – Disse Liu despontada. – Bom, eu sei que ela queria se livrar do meu irmão... mas ele foi mais rápido, e com a permissão da minha avó ele viajou pelo mundo, e agora é responsável pela parte dele da herança... – Terminou lembrando – se de algo mais.

[Flash Back On]

- Não acredito que minha mãe deixou ele viajar!! – Gritava Marta com o homem de voz rouca e olhos azuis como o mar revolto, enquanto uma garotinha permanecia escondida.
- Calma Marta... – Aconselhou o homem que Liu já havia visto outras vezes na casa da tia. – Melhor para nós...não precisamos mais nos livrar dele...e ele não será um obstáculo para conseguirmos o que queremos com a baixinha... – Disse rindo maleficamente.
- Mas ele também tem uma parte da herança! – Reclamou Marta.
- Um pomo de ouro de cada vez Marta! – Brincou o homem misterioso. – E você sabe que a garota sempre foi o meu alvo favorito... – Disse piscando para Marta.
- Claro... – Começou Marta. – Ela é mais frágil e boba do que o irmão... – Murmurou.
- Exatamente... – Disse o homem. – Você sabe que mulheres são muito emocionais... – Completou rindo.
- Mas eu quero aquele colar que está com o garoto! – Reclamou Marta seus olhos vermelhos de raiva.
- Se eu estiver correto... – Começou o homem de olhos azuis. – Ele vai acabar passando o colar para a irmã como um gesto de Amor... – Disse fazendo graça.
- Aí é só eu roubar dela enquanto ela morar comigo... – Adicionou Marta com um sorriso maléfico nos lábios.
Liu apenas chorava em seu esconderijo, o medo tomava conta de sua cabeça, ela sabia que muito em breve ela teria que lidar sozinha com a tia, sem a proteção do irmão, e sabia também que aquilo não seria nem um pouco fácil...

[Flash Back Off]


- Hey! – Exclamou Sirius do nada. – Quem é esse cara?! – Perguntou curioso.
- Não sei... – Respondeu Liu. – Nunca soube... – Murmurou tentando se lembrar de algo que talvez lhe fosse útil.
- Você disse que sua Tia não gostava do marido dela... – Começou Sirius. – Você não leva em consideração que ela pode ter um amante?! – Perguntou.
- Talvez... – Começou Liu. – Vindo da Tia Marta eu não duvido de nada... – Disse pensando se aquilo seria possível.
- Liu... – Murmurou Sirius trazendo Liu para perto de seus braços. – Você tem à mim... – Disse abraçando a garota. – E sempre terá... – Terminou beijando – lhe a testa carinhosamente. – Mas me diga, e o marido da sua Tia, o que aconteceu com ele?! – Perguntou curioso.
- Morreu envenenado... – Respondeu Liu olhando para o chão. – Quando ele ainda era vivo minha vida não era tão ruim na casa da minha Tia...ele faleceu pouco depois de meu irmão viajar. – Completou lembrando – se do dia da morte do tio.

[Flash Back On]

Era inverno e a neve branca caia do lado de fora da janela, os flocos eram tão delicados, que à medida em que caiam se desfaziam em meio aos montes de neve que já residiam no chão. O vento frio soprava pelas frestas da porta, dando uma sensação que mesmo dentro de casa não seria possível escapar dele.
Uma garotinha de quase onze anos descia as escadas da casa dos tios para falar com o tio que era a única pessoa na casa, que quando não estava trabalhando a tratava bem. Cada degrau que ela descia o seu pé coberto por uma meia de lã ficava mais frio, sua mão esquerda acompanhava o desenho do corrimão, um sorriso delicado se formava no seu rosto.
Sentiu uma pontada em seu coração quando viu a figura de um homem de cabelos loiros e olhos castanhos deitada imóvel sobre o sofá da casa com uma taça de vinho com apenas um gole tomado na frente. Foi então que notou um bilhete sobre a mesa, apressou – se para ler o bilhete antes da Tia, na esperança de que fosse algo que ajudasse ela à sair da casa da Tia, mas não...ao ler a carta sua tristeza foi aumentando cada vez mais, cada letra continha uma carga de energia negativa imensa...porque?! Porque justo ele?! Era uma carta de suicídio, sim, assim como sua mãe, o seu Tio havia se matado e deixado apenas uma carta para traz.
- Nãoo!! – Gritou Marta ao ver o marido morto no sofá, como se ela se importasse. – Passe essa carta para cá! – Gritou com Liu tomando a carta de suicídio que o Tio havia escrito.

“Querida Marta,
Eu queria ter tido mais oportunidades de lhe dizer o quanto eu te amava, mas, Com o insUcesso da mInha carreira profissional, não só eu Deixei você e a minhA adoraDa filha de ladO, como também acabei me jogando em um poço tão fundo quanto a vastidão do universo.
Nessas minhas úLtImas palavras de adeUs, espero que compreenda o porque de eu ter agido dessa maneira. Ao ver que eu estava arrastando toda a minHa família para dEntRo do poço comigo, eu não vi outra opção se não o suicídio. Espero que você não fique com umA má visão sobre mim, só nós sabemos o quaNto nos amávamos.
Deixo por fim, um testamento das poucas coisas que me pertenciam, todas deixo sobre a sua responsabilidade minha amada.
Com um gole do vinho, servido na mesma taça que um dia brindamos o nosso amor, eu me despeÇo dessa vidA de amarguras e tristezas...

Atenciosamente...Donnatelo Krypton.


- Não meu Amor... – Chorava Marta de uma maneira que Liu podia jurar que era encenação. – Você...suba agora! – Gritou para Liu apontando para a escada.
- Sim senhora... – Respondeu Liu fingindo que subiria a escada, mas parando no meio do caminho e voltando devagar para se esconder e escutar tudo que sua Tia falaria na sua ausência.
- Pode sair do seu esconderijo... – Disse Marta com um sorriso nos lábios.
- “Ela me descobriu...” – Pensou Liu, mas ao ver o homem de olhos azuis aparecer na sala ficou claro para ela que quem estava escondido era ele.
- Conseguimos Marta...nos livramos do nosso obstáculo... – Disse o homem com a rouquidão de sua voz, se aproximando da Tia Marta.
- Sim... – Começou Tia Marta laçando os seus braços ao redor do pescoço do homem. – Nós conseguimos... – Terminou rindo.
Liu não tinha mais dúvidas sobre a morte do seu Tio, ele não havia cometido suicídio, e sim haviam assassinado ele, e provavelmente feito ele escrever a carta antes. Mas o seu Tio era inteligente, pelo menos mais do que a sua Tia e o comparsa dela. Ele havia deixado algumas letras no meio de palavras com letras maiúsculas, deixando assim uma mensagem para Liu.
- “Cuidado Liu, Herança.” – Essa frase não saia de seu pensamento, nem por um momento. Agora mais do que nunca ela teria que tomar muito cuidado.

[Flash Back Off]


- Ele sabia que eu ia ficar curiosa com o fato dele ter escrito algumas coisas com letras maiúsculas onde não deveria ter...ninguém quando está para se matar pára para pensar em uma mensagem... – Começou Liu. – Mas quando está prestes à ser morto...
- Onde foi parar essa carta?! – Perguntou Sirius curioso.
- Em uma caixa de coisas da minha Tia, eu acho... – Respondeu Liu com um olhar distante.
- E a carta de suicídio da sua mãe...- Começou Sirius. – Você lembra das palavras?! – Perguntou curioso.
- Sim... – Começou Liu segurando o colar involuntariamente. – Lembro exatamente de todas as palavras, e da maneira que foram escritas... – Disse lembrando – se exatamente de como a carta era, até o papel encardido com pequenas marcas significando que havia sido dobrado anteriormente ela lembrava.

[Flash Back On]

Liu pegou a carta sem que ninguém visse após todos terem lido. Sentou – se em uma poltrona, e enquanto os adultos discutiam sobre o funeral ela apenas lia a carta com o máximo de atenção possível. Enquanto isso Eduardo pegava a corrente da mãe, que estava escondida no bolso da jaqueta dela, e que ele só viu porque uma pequena parte do cordão caiu do bolso.

“Minha querida família,
Desculpem – me por estar deixando vocês assim tão de repente, mas desde que o grande Amor da minha vida se foi, eu não vejo mais a mesma graça em viver...
Pequena Liu, peço – lhe que fique sobre tutela de sua Tia Marta até completar dezoito anos, até então deverá morar com ela, e o seu dinheiro ficará sobre a guarda dela. Por favor obedeça a sua tia.
Eduardo querido, cuide da sua irmã e não deixe que ela se meta em confusões, meu coração sempre estará com vocês dois, pelo menos é o que eu espero.
Por favor entendam o meu lado...

Atenciosamente, Marília.


Tinha que ter algo mais naquela carta, não era possível que ela tivesse apenas se matado, ela não deixaria dois filhos para trás, não ela.

[Flash Back Off]


- Eu e o Edu pensamos que talvez quando ela disse que espera que o coração dela esteja sempre com a gente, ela esteja se referindo ao colar... – Começou Liu. – Por isso nós, quer dizer, eu, nunca o deixei longe de mim... – Terminou sorrindo.
- E o que você pretende fazer com ele caso você venha a ser ameaçada por causa dele?! – Perguntou Sirius preocupado.
- Independente do que me aconteça, esse coração só vai ir para as mãos de quem eu realmente quiser que o meu coração pertença...- Murmurou certa do que estava falando.
- Você não passava de uma criança Liu, como você se lembra disso tudo?! – Perguntou Sirius curioso.
- Sempre tive uma boa memória, devo admitir que isso acaba me ajudando muito nos estudos... – Disse sorrindo.
- Hey! – Exclamou Sirius. – Vem comigo ao sexto andar hoje?! – Perguntou com um sorriso maroto nos lábios.
- Se eu morrer você vai ser o culpado... – Provocou Liu. – Mas eu vou sim...que horas?! – Perguntou curiosa.
- Assim que todos forem dormir você desce para o salão comunal, lá, nós marotos vamos estar reunidos... – Respondeu Sirius piscando para Liu.
- Certo... – Disse Liu parando para pensar no que é que de estranho poderia ter naquele sexto andar, ou seria apenas um segredo?! – Vamos sair daqui então?! – Perguntou rindo.
- Bom... – Começou Sirius. – Se é o que você quer mesmo... – Murmurou com um sorriso safado no rosto.
- É sim Sirius... – Começou Liu. – Enquanto eu não me decidir do que eu quero, ficar perto de você sozinha é tortura... – Murmurou.
- Então decida ao meu favor... – Disse Sirius se aproximando de Liu.
- Eu já disse que vou pensar no seu caso... – Começou Liu. – Com carinho... – Completou olhando para Sirius.
- Então vamos sair daqui antes que eu não consiga mais me controlar... – Brincou Sirius parando em frente à porta e estendendo o braço. – As damas primeiro... – Disse deixando Liu sair da sala antes dele.
- Lá está ele... – Murmurou uma garota ruiva.
- Vivi... – Murmurou a garota de cabelos com pontas rosas. – É hora de começar à agir... – Disse rindo e saindo do canto do corredor, ficando um pouco atrás de Liu e Sirius.
- Sirius Black?! – Perguntou a garota de cabelos curtos e ruivos.
- Pois não?! – Disse Sirius virando de costas para ver quem o estava chamando e quase começando a babar ao ver as duas garotas que estavam uma do lado da outra, com os dois primeiros botões da farda desabotoados e saias muito curtas. – A que devo a honra?! – Perguntou com os olhos brilhando.
- “É assim que ele gosta de mim...” – Pensou Liu balançando a cabeça, e soltando um sorriso de decepção.
- Meu nome é Cristiane... – Apresentou – se a garota de cabelos longos ondulados e pretos com as pontas rosas. – Eu e a minha amiga Vivi gostaríamos de lhe fazer algumas perguntinhas... – Disse de maneira meio sensual.
- Estou a disposição... – Respondeu Sirius com a maior cara de cachorro.
- Tchau Sirius... – Despediu – se Liu continuando à andar.
- Tchau... – Respondeu sem prestar atenção. – Hey! Espera um pouco Liu!! – Disse ao notar à quem ele tinha dado tchau e correndo atrás de Liu.
- Que foi Sirius?! – Perguntou Liu surpresa.
- Fica ao meu lado enquanto eu respondo as perguntas?! – Perguntou com os olhos brilhando.
- Tudo bem... – Respondeu Liu voltando com Sirius para a frente das garotas.
- Voltamos! – Pontuou Sirius ao chegar no lugar onde Vivi e Cris estavam. – Podem começar a fazer as perguntas... – Completou olhando para as garotas que olhavam para Liu parando para reparar em cada detalhe.
- “Ela não é tão feia...só não usa roupas que valorizam ela....” – Pensou Vivi fazendo uma cara de nojo.
- Bom...primeira pergunta é a seguinte...- Começou Cris. – Você tem ou não namorada?! – Perguntou com um sorriso safado.
- Namorada?! – Se auto perguntou Sirius. – Não...tinha, mas não tenho mais... – Completou rindo marotamente.
- Hmmm... – Começou Vivi. – Bom saber que um gato do seu porte está sem dona... – Disse piscando para Sirius.
- Opa! – Exclamou Sirius. – Não é porque eu não tenho namorada que meu coração não tem dona... – Disse olhando para Liu que corou instantaneamente.
- O que você acha mais bonito no meu corpo?! – Perguntou Vivi dando uma voltinha.
- “Nossa...que...errr...sem palavrões nos pensamentos também...” – Pensou Liu fuzilando Vivi com os olhos.
- Seus olhos... – Mentiu Sirius para não passar atestado de cachorro para Liu.
- “Sei que olhos são esses...” – Pensou Liu rindo discretamente.
- Não liga para ela não... – Começou Cris querendo se passar de garota direita. – Me diga, alguém aqui de Hogwarts roubou o seu coração?! – Perguntou.
- Sim... – Começou Sirius. – Há muito tempo, mas eu só me dei conta agora... – Respondeu olhando para Liu e sorrindo.
- “Ahhh!! Lá vem ele com esse sorriso de novo...” – Pensou Liu desviando o olhar dos olhos do garoto.
- Me disseram que você estava com a Mary Kate...verdade?! – Perguntou Vivi fingindo estar anotando algo.
- Verdade...eu estava passando por uma crise de identidade sabe?! – Brincou fazendo todas rirem.
- “Dane – se a Mary Kate, eu quero ele para mim...” – Pensou Cris.
- “Coitada da Mary Kate...” – Pensou Vivi.
- Então...agora são perguntas mais pessoais... – Começou Cris. – Se vocês duas me derem licença... – Disse olhando para Liu e Vivi.
- Bom... – Começou Liu. – Eu tenho que ir já...Tchau Sirius... – Despediu – se dando um beijo na bochecha dele.
- Tchau Liu... – Respondeu Sirius olhando para Liu enquanto ela se distanciava pelos corredores.
- Ela roubou o seu coração, certo?! – Perguntou Cris quando restavam apenas ela e Sirius no corredor.
- Talvez... – Respondeu Sirius com uma cara um tanto quanto safada.
- Como assim talvez?! – Perguntou Cris retribuindo a cara safada e se aproximando de Sirius.
- Eu quero dizer... – Começou Sirius lembrando que agora ele queria ser fiel aos seus sentimentos. – Roubou sim... – Disse se afastando de Cris. – E eu estou apaixonado demais por ela, e nada nem ninguém nunca vai mudar isso... – Terminou parando para respirar.
- É uma pena... – Começou Cris. – Pode ter certeza que eu vou publicar isso nos meus folhetins de amanhã... – Disse piscando para Sirius, mas com algo diferente em mente.
- “Acho que isso vai servir como a prova de Amor que ela pediu.” – Pensou Sirius sorrindo.
- “Coitado, a partir de amanhã ela não vai querer nem olhar na cara dele...” – Pensou Cris sorrindo de maneira maléfica.
Era hora dos alunos irem dormir, e assim eles fizeram, e quando todos estavam dormindo, quatro garotos marotos aguardavam uma pessoa no salão comunal.
- Almofadas querido, porque exatamente você chamou ela?! – Perguntou James curioso.
- Porque sim... – Respondeu Sirius rindo. – Aleluia Merlim! – Disse ao ver Liu descendo as escadas do dormitório.
- Elas demoraram para dormir... – Murmurou Liu enquanto se juntava aos marotos. – Como vamos?! – Perguntou curiosa.
- Com a ajuda disso... – Disse James mostrando a capa de invisibilidade que havia herdado do pai.
- E com as instruções, e informações disso! – Completou Remus mostrando um pergaminho em branco.
- Uau... – Exclamou Liu. – Um pergaminho em branco vai ajudar muito... – Disse decepcionada.
- Nunca subestime os pergaminhos... – Brincou Sirius pegando sua varinha. – Eu juro solenemente que não farei nada de bom! – E com essas palavras o pedaço de pergaminho se mostrou ser um mapa, que não apenas mostrava o colégio, como quem estava passando por qual corredor.
- Está bem... – Começou Liu. – Agora estou surpresa... – Murmurou começando à rir.
- Vamos?! – Perguntou Sirius enquanto James jogava a capa por cima dos cinco,
- Errr...não cabe todo mundo na capa... – Começou James.
- Eu não vou... – Prontificou – se Peter saindo dali. – Estou cansado e vou dormir... – Disse subindo as escadas.
- Nesse caso... – Começou James. – Só vai precisar apertar mais um pouco... – Terminou piscando para Sirius, que puxou Liu para mais perto dele.
- Viu Sirius?! – Começou Liu. – Viu em que furada você está me metendo?! – Perguntou rindo.
- Com medo Liu?! – Perguntou Sirius em um tom bem baixo de voz enquanto eles passavam pelos corredores.
- Imagina... – Começou Liu. – Fico aliviada de saber que pelo menos estou na companhia de um garoto sensato... – Disse aliviada.
- Eu! – Responderam Sirius e James juntos.
- Não...o Remus... – Disse Liu rapidamente.
- O Aluado?! – Perguntou Sirius desapontado. – Haduahsduahu!! Até parece... – Brincou.
- Esse daí é um anjo de canduras!! – Disse James rindo.
- Eu mereço... – Murmurou Remus.
- Quer dizer que nem o meu futuro cunhado se salva?! – Perguntou deixando Remus corado.
- Futuro cunhado?! – Perguntou fingindo não ter entendido nada.
- Dãããã!! – Exclamou Liu. – Você gosta da minha irmã gêmula banana, ela...bom...eu não posso dizer....mas em resumo...um mais um igual à dois! – Disse rindo.
- Essa eu não captei... – Murmurou Sirius para James.
- Viu que eu disse que ela era louca?! – Murmurou James de volta.
- Eu...e a Lele?! – Murmurou Remus.
- Não...eu e o Sirius... – Brincou Liu.
- Opa!! – Exclamou Sirius parando de andar. – Sério?! – Perguntou com os olhos brilhando.
- Não! – Respondeu Liu rapidamente. – Era brincadeira... – Adicionou.
- Ahhhh!! – Reclamou Sirius voltando à andar. – Muito feio da sua parte fazer isso comigo... – Murmurou enquanto os outros dois marotos começaram à rir.
- Sirius... – Começou Liu. – Amanhã eu quero falar com você...eu esqueci de te dizer algo hoje... – Murmurou.
- Hummm!! – Exclamou James. – Cachorrinho arrasando corações... – Brincou.
- Engraçadinho você, hein Bambi?! – Brincou Sirius olhando para Liu e concordando com a cabeça.
- Estamos perto... – Disse Remus que estava com o mapa maroto nas mãos.
- Graças à Merlim! – Pontuou James. – A Liu já estava ficando cansada... – Brincou.
- Eu?! – Perguntou Liu incrédula. – Palhaço... – Murmurou.
- Palhaço não, Pirraça!! – Disse Sirius. – Se abaixem e fiquem quietos.... – Adicionou.
- Acho que ele não nos viu... – Murmurou Liu ao ver que o fantasma já havia virado no corredor.
- É... – Murmuraram os três marotos juntos.
- Vamos entrar?! – Perguntou Sirius apontando para a porta ao lado deles.
- Claro! – Respondeu James com os olhos brilhando.
- Eu abro a porta! – Se ofereceu Remus. – Está trancada... – Pontuou ao ver que a porta estava trancada.
- Alohomora! – Murmurou Liu com sua varinha apontada para a tranca da porta fazendo com que ela se abrisse.
- Uau! – Exclamaram os quatro juntos ao verem uma sala de entrada com vários candelabros pendurados no teto, iluminada apenas pelas luzes das velas. Carpete vinho, paredes de pedra, quadros tenebrosos. Onde no fim havia uma porta...
- Outra porta?! – Perguntou Liu desapontada.
- Mais uma... – Respondeu Sirius enquanto eles se dirigiam embaixo da capa até a porta.
Eles abriram a porta e deram de cara com uma sala imensa, a porta atrás deles fechou – se por conta própria, e os marotos e Liu, acabaram retirando a capa e guardando – a.
- Ótimo... – Começou Liu com um sorriso amarelo. – Nós vamos morrer! – Disse quase em desespero.
- Eu estou ouvindo um barulho estranho... – Pontuou Remus olhando para os lados.
- E precisava avisar?! – Perguntou Liu preocupada olhando para os lados na escuridão da sala.
- Lumus! – Disse Sirius fazendo com que a sua varinha começasse a iluminar a sala.
- Oh meu Merlim! – Exclamou James pálido de pânico. – Desliga isso, dava menos medo quando não tinha luz... – Murmurou ao ver no fim da sala uma criatura não identificada.
- Nãoo!! – Gritou Liu. – Já pensou se ela nos ataca quando a luz está desligada?! – Perguntou em pânico.
- Vamos sair daqui!! – Disseram Sirius e Remus em coral.
- A porta é macumbada gente! – Respondeu James em igual pânico enquanto sacudia a porta inutilmente.
- Espera um pouco... – Começou Liu fazendo o feitiço Lumus com a sua varinha. – Ai não!. – Exclamou ainda mais desesperada.
- O que foi biblioteca ambulante?! – Perguntou Sirius.
- É uma “Farosutil”... – Respondeu Liu ao ver a cobra de três cabeças, mais ou menos um metro e oitenta de cumprimento, laranja berrante com listras negras.
- Para mim é uma cobra anormal que nasceu com cabeças demais... – Disse Sirius de uma maneira bem direta.
- Ela está vindo para cá... – Pontuou Remus ao ver a cobra vindo em direção à eles.
- Pensem... – Começou James. – Somos quatro contra três... – Disse tentando diminuir o tamanho do problema.
- Bom, elas são maiores, mais rápidas e... – Começou Liu.
- E estão com uma cara de poucos amigos... – Completou Sirius abraçando Liu, ambos com medo.
- Hey! – Exclamou Liu. – Eu li sobre elas... – Pontuou lembrando – se de algo.
- Diz logo que ela, elas, sei lá! – Começou James. – Essa coisa está quase aqui... – Disse em pânico.
- Cada cabeça tem uma função diferente... – Começou Liu olhando para baixo e falando em um tom pensativo. – A direita...ela avalia o esforço das outras duas... – Continuou. – A do meio....a do meio ela , ela....ela é a que sonha! – Exclamou. – E a da esquerda é a que planeja tudo, decide onde ir e o que fazer. – Terminou rindo. – É isso! – Disse em meio à risos.
- Ótimo... – Murmurou Sirius. – Agora é só cortar a cabeça da esquerda?! – Perguntou Sirius confuso.
- Provavelmente sim... – Respondeu Remus.
- Legal...e?! – Perguntou James.
- Eu me recuso à matar um animal! – Disse Liu emburrada.
- E se o animal em questão quiser te matar?! – Perguntou Sirius.
- Eu continuou sem matar ele! – Respondeu Liu imediatamente.
- Mas Liu! – Exclamou Sirius. – É a sua vida ou a dele! – Disse.
- Sem querer interromper o momento love, mas já interrompendo... – Começou James dando passos para trás. – Quem vai ser o primeiro à sair correndo pela sala gritando “Mãããeeeee!!” ?! – Perguntou com a cara pálida.
- Mããeeeeeee do Pontasssssss!! – Gritou Sirius já encostado na parede de tanto dar passos para trás.
- Mãããeeeeeeeeeeeeeeee!!!! – Gritou James em pânico. – Dona cobra, eu sou muito jovem para morrer!! – Disse pálido.
- E eu muito perfeito!! – Completou Sirius.
- Eu acho que ela não entende vocês dois... – Murmurou Remus que era o que estava mais controlado ali.
- Eu vou fechar os olhos...não quero nem ver isso!! – Disse Liu fechando um dos olhos e mantendo o outro aberto por pura curiosidade.
- Eu vou morrer!! – Gritaram James e Sirius juntos.
- Hey... – Começou Liu. – Ela está se afastando... – Disse ao ver a cobra indo para longe.
- Eu não quero nem saber o porque... – Falou James virando para a porta e começando a sacudir ela novamente.
- Ela não é má... – Pontuou Liu indo em direção à cobra.
- Eu não vou deixar você ir... – Disse Sirius segurando Liu pelo braço.
- Olha... – Murmurou Liu. – Eu acho que ela está começando à sonhar... – Pontuou ao ver a cobra parecendo que estava dormindo.
- Abriu!! – Gritou James em um estado de euforia quando a porta se abriu.
- Vamos... – Disse Remus.
- Vem Liu... – Falou Sirius conduzindo Liu pelo braço para fora da sala e fechando a porta.
- Rápido, a capa! – Alertou Remus no que todos voltaram rapidamente a se cobrir com a capa de invisibilidade de James.
- Silêncio... – Murmurou Liu. – A professora McGonnagal está ali... – Disse apontando para a mulher que se encontrava do outro lado da sala, e que por milagre não tinha ouvido os gritos deles, ou tinha?!
- Que ótimo... – Murmuraram James e Sirius em uni tom.
- Podem sair de debaixo da capa de invisibilidade... – Começou a Professora arqueando uma de suas sobrancelhas. Os quatro permaneceram quietos da esperança daquilo ser apenas um blefe. – Potter...saia daí....e você também Black! – Disse seriamente.
- Boa noite professora... – Responderam os quatro saindo de dentro da capa de invisibilidade.
- Senhorita Weiss?! – Perguntou a professora incrédula.
- Pois não?! – Respondeu Liu com uma cara de santa.
- O que os quatro fazem aqui?! – Perguntou McGonnagal arqueando uma sobrancelha.
- Somos todos sonâmbulos?! – Respondeu Sirius cara de ponto de interrogação.
- Boa tentativa Almofadas... – Murmurou James rindo.
- Os quatro de detenção esse Sábado, o dia inteiro arrumando as fichas de detenção por ordem alfabética... – Disse arrancando caras de “Oops...” dos quatro. – E, para a minha decepção, vinte pontos serão retirados da Grifinória! – Terminou deixando os quatro boquiabertos.
- Eu te mato Sirius... – Murmurou Liu enquanto eles rumavam de volta para o salão comunal da Grifinória.
- Mata nada... – Murmurou Sirius de volta.
- É a minha terceira detenção esse ano... – Disse Liu pondo as mãos na cabeça.
- Terceira de muitas! – Completou Sirius fazendo com que Liu o fuzilasse com os olhos.
- Você não tem medo de morrer não Sirius?! – Perguntou Liu arqueando uma sobrancelha.
- Não pelas suas mãos... – Respondeu Sirius piscando para Liu.
- Não?! – Perguntou Liu. – Você vai ver só Sirius Black... – Disse Liu rindo.
- Vou ver o quê, estressadinha?! – Perguntou Sirius abusando Liu.
- Vai ver a marca da minha mão em você... – Respondeu Liu com a mão levantada.
- Sério?! – Perguntou Sirius com uma cara de safado.
- Não... – Respondeu Liu baixando a mão. – Mas eu ainda posso me recusar a te passar cola nos exames... – Completou rindo.
- Você não faria isso... – Começou Sirius. – Faria?! – Perguntou com os olhos brilhando.
- Pára com isso!! – Exclamou Liu se acabando de rir.
- Ohh!! – Começou James. – Pombinhos...chegamos no retrato... – Pontuou ao chegarem em frente ao quadro da mulher gorda.
- “Doce de goiaba” – Disse Remus fazendo com que o retrato se abrisse mostrando a entrada para o salão comunal da Grifinória.
- Pombinhos nada... – Retrucou Liu de cara emburrada.
- Amigos Pontas, amigos... – Completou Sirius falando vagarosamente.
- Amizade colorida... – Murmurou James rindo.
- Queria o Almofadas... – Brincou Remus.
- Hahaha...sem graça... – Disse Sirius fazendo uma cara tipo “¬¬”.
- Vou dormir... – Começou Liu indo em direção às escadas do dormitório feminino. – Boa Noite... – Completou enquanto subia o primeiro dos muitos degraus para o seu destino.
- Boa noite... – Responderam Remus e James juntos.
- Boa noite Liu... – Desejou Sirius à medida em que Liu subia as escadas de uma maneira um tanto quanto rápida.
Em um giro espetacular da Terra, aonde era noite se fez dia, e aonde era dia se fez noite. E assim, o sol voltou ao seu posto imperial no alto do céu azul turquesa, que coberto por poucas e belas, brancas nuvens que lembravam algodões – doces, se fazia mostrar para todas pessoas que na Terra residiam e onde era dia.
- “Já amanheceu o dia?!” – Pensou Liu abrindo os olhos vagarosamente enquanto sentia o brilho dos raios do sol lhe tocar a pele. – “Parece que sim...” – Concluiu ao ver o sol através da janela. – Bom Dia!! – Gritou acordando todas as garotas que ainda estavam dormindo.
- Merlim!! – Assustou – se Lele com o susto que Liu deu nela. – Acordou com o galo foi?! – Perguntou esfregando os olhos em sinal de sonolência.
- Liu... – Murmurou Lily abrindo os olhos. – Já pensou em acordar sutilmente sem nos acordar junto?! – Perguntou sentando – se na cama.
- Mas já é dia! – Disse Liu rindo.
- Quinta – Feira... – Murmurou Lele. – Daqui a pouco faz uma semana que fomos para Hogsmeade... – Pontuou sentando – se em sua cama.
- Uma semana que revi meu irmão pela primeira vez em sete anos... – Disse Liu se levantando e indo se arrumar.
- Isso ta me dando sono já... – Pontuou Lele voltando à deitar na cama.
- Acorda banana!! – Gritou Liu jogando um travesseiro em Lele antes de entrar no banheiro e ir se arrumar.
- Hasudhasuhdua!! – Riu Lily ao ver a cara que Lele fez na hora que o travesseiro pegou nela.
- Agora eu realmente acordei... – Pontuou Lele se levantando e começando a “esticar as pernas”.
- Também...com um travesseiro teleguiado bem na cara... – Brincou Lily rindo.
- Ah é?! – Provocou Lele com um travesseiro em mãos.
- É sim! – Respondeu Lily.
- Toma Lílian Evans!! – Disse Lele enquanto jogava um travesseiro em Lily.
- Você vai ver só Letícia Bouvier!! – Retrucou Lily após ser atingida por um travesseiro jogando outro travesseiro em Lele.
Liu terminou de se arrumar e desceu para o salão comunal, aonde, para a sua surpresa, Sirius estava aguardando por ela.
- Sirius?! – Perguntou Liu surpresa, normalmente o garoto ia para o salão principal junto com os outros marotos.
- Eu mesmo... – Começou Sirius. – Em carne, osso, e perfeição! – Brincou fazendo Liu rir. – Bom dia Liu... – Disse educadamente.
- Bom dia Sirius... – Respondeu Liu com um sorriso verdadeiro esboçado nos lábios.
- Me acompanha até o salão principal?! – Perguntou Sirius pensando que estaria escrito no jornalzinho de fofocas de Hogwarts que ele estava apaixonado, oferecendo o braço para Liu.
- Claro! – Respondeu Liu aceitando o braço de Sirius, e indo junto com ele para o salão principal, aonde alguns folhetins estavam sendo dados para todos os alunos.
Porque mentiras tendem sempre a machucar alguém?! Porque a inveja não se cala um pouco para o bem de todos?! Porque sempre tem alguém que fica feliz vendo a infelicidade de outra pessoa?! Não poderiam as pessoas simplesmente conviver em paz?!
Talvez, mas não...aqueles folhetins estavam servindo como um meio de transporte de uma grande mentira, mentira essa capaz de acabar com a felicidade de alguns.
- Sirius! – Exclamou Liu pegando um folhetim para ler. – É das garotas que te fizeram as perguntas ontem... – Disse rindo e começando à ler.

Fofocas do dia...
By Vivi e Cris!

Ontem enquanto passeávamos pelos corredores de Hogwarts acabamos nos esbarrando no garoto mais lindo do castelo, Sirius Black.
Perguntamos à ele algumas coisas, e após uma longa entrevista ele admitiu estar apaixonado por nada mais nada menos do que a garota mais linda de todo o colégio...(Claro sem contar a minha pessoa...)...sim, leiam agora as palavras de Sirius Black...

~~> Sirius, a Mary Kate roubou mesmo o seu coração?!
“Roubou sim...E eu estou apaixonado demais por ela, e nada nem ninguém nunca vai mudar isso...”

Eis aí a mais apimentada notícia do dia...Sirius Black, logo que a sua amiguinha que tem uma certa fixação por ele foi estudar, ele desabafou comigo e disse realmente estar apaixonado pela Mary Kate, mesmo tendo rompido o namoro com ela por causa de sua amiguinha que estava ficando doentinha por saber que o garoto que ela sempre Amou nunca vai nem sequer olhar para ela.

Até a próxima edição...Cristiane & Vivi


- Não precisa falar nada... – Disse Liu ao ver que Sirius estava fazendo menção de que ia falar algo. – Não precisa se explicar... – Continuou. – A gente não escolhe por quem se apaixonar... – Completou soltando o braço de Sirius e indo sozinha para a mesa da Grifinória.
- Liu!! – Começou Sirius correndo atrás de Liu e sentando ao lado dela. – É mentira... – Murmurou com os olhos marejados. – Foi tudo armação... – Disse procurando o olhar de Liu.
- Eu disse que você não me deve explicações... – Murmurou Liu olhando para a mesa com o olhar distante.
- Mas eu quero me explicar! – Disse Sirius com raiva de quem havia inventado aquela mentira.
- Mas eu não quero ouvir! – Retrucou Liu se levantando. – Eu não quero mais ouvir suas mentiras Sirius, não quero mais acreditar nelas, não quero mais me iludir! – Disse deixando finas lágrimas escapulirem de seus olhos. – E a resposta para aquilo que você havia me perguntado é não! – Terminou se retirando do salão principal sem nem ao menos tocar na comida.
- Merda! – Gritou Sirius para os quatro cantos do mundo, derrubando tudo que estava em sua frente em um golpe de raiva, enquanto Liu já havia saído do salão principal. – Que ódio!! – Murmurou furioso, se levantando e começando à trilhar por Hogwarts sem direção em mente.
- Bom trabalho Cris... – Disse Mary Kate com um folhetim à mãos em meio à risos. – Agora ele será meu de novo... – Falou sorrindo discretamente.
- Foi mais fácil do que tirar doce de criança... – Respondeu Cris com um sorriso malicioso. – Mudar as palavras dele foi tão fácil...e ela é tão boba... – Falou rindo.
Liu andava pelos corredores de cabeça baixa, até que se esbarrou em alguém.
- Olha por onde anda! – Disse uma voz masculina. – Liu?! – Perguntou incrédulo. – Você está chorando?! – Perguntou novamente, só que dessa vez preocupado, ajudando Liu a se levantar.
- Thomas... – Saudou Liu enxugando as próprias lágrimas. – Desculpa... – Disse voltando à andar.
- Hey! – Exclamou o loiro. – Me desculpa por anteontem?! – Perguntou com os olhos tristes. – Eu não queria dizer aquilo tudo... – Continuou olhando para o chão.
- Tudo bem Thomas...está desculpado... – Respondeu Liu sem nem ao menos olhar para o garoto.
- Isso significa que você aceita ser minha namorada novamente?! – Perguntou esperançoso.
- Não... – Começou Liu. – Isso significa que eu te desculpo, somente isso... – Respondeu seguindo o seu caminho para lugar nenhum.
- Ótimo... – Começou Sirius falando sozinho pelos corredores. – Mesmo quando eu não tenho culpa no cartório eu saio como culpado... – Disse encostando – se na parede e deixando o seu corpo se sentar.
- Oxi! – Exclamou Lele ao chegar na mesa da Grifinória acompanhada dos amigos. – Cadê a Liu e o Sirius?! – Perguntou curiosa.
- Err... – Começou Remus. – Isso pode ser um começo?! – Perguntou mostrando um dos vários folhetins distribuídos.
- Aquela vaca!! – Gritou Lele. – Ela vai ver só!! – Disse se dirigindo à mesa da Lufa - Lufa. – Bel...venha comigo... – Murmurou ao passar pelo lado da amiga.
- Ela vai ver só... – Murmurou Bel de volta enquanto se levantava e seguia com Lele para a frente do lugar onde Mary Kate conversava com as amigas.
- Sua Vaca! – Gritou Lele jogando o folhetim no chão.
- Desculpem – me, mas tem algo em que eu posso ajudar vocês?! – Perguntou rindo.
- Tem sim... – Começou Lele. – Sabe...eu acho que essa notícia que as suas amiguinhas escreveram é falsa, e gostaria de saber se foi você que armou tudo... – Disse tentando soar o menos raivosa possível.
- Eu, escrever coisas falsas?! – Perguntou Cris. – Eu não tenho culpa do amigo de vocês ser um cachorro, e a amiga de vocês uma otária... – Disse rindo.
- Nunca chame a minha irmã de otária... – Retrucou Lele pulando em cima de Cris e derrubando – a no chão, começando uma briga de garotas.
- Me soltem!! – Gritou Cris para os dois rapazes que a seguravam.
- Remus e James! – Começou Lele. – Podem me soltar, eu sou uma pessoa que sei me controlar... – Disse ajeitando as vestes quando os marotos a soltaram.
- Sua...Arghhh!! – Exclamou Cris sacando a sua varinha a medida que havia sido solta pelos dois rapazes. – Você vai pagar caro pelo dano que você causou no meu cabelo! – Disse apontando a varinha para Lele.
- Hey! – Exclamou Remus entrando na frente de Lele. – Você tente fazer um feitiço nela para você ver o que acontece com o seu cabelo... – Ameaçou com sua varinha em mãos.
- Obrigada Remus... – Agradeceu Lele bem baixinho.
- Vamos meninas... – Disse Mary Kate chamando Cris e Vivi para saírem de lá.
- Você não perde por esperar... – Murmurou Cris enquanto saía de lá.
- Ótimo... – Começou Bel. – Agora provavelmente a Liu não está nem olhando para o Sirius... – Continuou.
- E ele deve estar irritado sozinho em algum lugar de Hogwarts... – Completou James com uma cara de preocupado.
- A gente têm que fazer algo... – Pontuou Lily com uma cara pensativa. – Logo agora que os dois estavam se dando muito bem... – Disse olhando para o chão.
- Eu tenho uma idéia! – Exclamou James com um sorriso maroto nos lábios.
- Qual James?! – Perguntou Lily.
- É o seguinte... – Começou James, contanto todo o seu plano para os amigos, não seria algo para fazer imediatamente, mas certamente teria um resultado positivo.
Sábado havia chegado, e junto com ele a chuva forte com relâmpagos. Quatro alunos permaneciam em detenção, arrumando fichas em ordem alfabética até serem liberados pela professora McGonnagal.
- Eduardo Weiss e Douglas Wolfgrand...- Leu Liu rindo ao passar por algumas detenções mais antigas.
- Almofadas... – Murmurou Remus. – Nem uma palavra?! – Perguntou em relação ao fato de Liu estar se excluindo desde quinta – feira.
- Nem meia... – Respondeu Sirius olhando para Liu com um olhar distante. – E com vocês?! – Perguntou à Remus e James.
- Também não... – Respondeu James rapidamente.
- Acho que vou lá falar com ela... – Murmurou Sirius.
- Será que ela quer falar com você?! – Perguntou Remus. – Não acha melhor dar um tempo para ela acalmar a mente?! – Disse olhando seriamente para Sirius.
- Ela parou de falar comigo faz pouco tempo, e eu não agüento mais... – Murmurou Sirius. – Prefiro ela brigando comigo do que ela não falando nada... – Disse voltando a organizar as fichas.
- Eu disse que você ia se apaixonar... – Pontuou Remus.
- Mas sabe.... – Começou Sirius. – Por mim, estar apaixonado não é mais o problema, o problema é que a paixão não é recíproca... – Continuou. – Mas, dela eu não vou desistir nunca... – Disse sorrindo marotamente enquanto olhava Liu arrumar as fichas do outro lado da sala.
- “Ele ainda não tentou falar comigo...” – Pensou Liu enquanto se sentava no chão para ler algumas fichas.
Algum tempo depois a professora Mcgonnagal entrou na sala e liberou os quatro para irem fazer o que quisessem...não tudo.
Duas semanas se passaram. Era um dia de Sábado de manhã, um pouco antes do café da manhã. Liu ainda não tinha ido falar com Sirius, e nem Sirius com Liu, ambos continuavam solteiros...
- Prontos?! – Perguntou Bel para os amigos na entrada do salão principal, com alguns folhetins nas mãos.
- Operação “Fazer a Liu e o Sirius ficarem juntos” etapa um... – Começou Lele. – Ação... – Disse no que Lily, James, Remus, ela própria e Bel começaram à distribuir folhetins enquanto Liu não chegava no salão principal.
- Nossa! – Exclamou uma garota que havia começado à ler o folhetim. Várias pessoas, não só Sirius tinham sido notícia no “Fofocas do dia”, algumas de maneira a ter sua imagem destruída, ou relacionamentos acabados por causa de notícias como a que Sirius era o tópico principal.
- “Não acredito...de novo essa droga de jornal...” – Pensou Liu ao ver os folhetins sendo lidos, então pegou um para ela e começou à ler também, enquanto andava pelo salão principal.

“Verdades não ditas...
Nessa primeira edição, nós, alunos de Hogwarts, revoltados com as inverdades escritas pelas autoras do “Fofocas do dia”, resolvemos esclarecer certos fatos para certas pessoas...
• Rosane Ufter, sétimo ano da Sonserina, não usa poções para aumentar as suas habilidades no Quadribol, como havia sido dito em uma das publicações do “Fofoca do Dia”. (detalhes página 2)
• Emma não traiu o seu namorado com o Peterson essa terça – feira enquanto ambos estavam de detenção, eles apenas conversaram, e ela falou o quão bom era estar apaixonada. (detalhes página 3)
• Sirius Black realmente se encontra apaixonado...mas não pela Mary Kate. Elisa Weiss, essa sim conquistou o coração do galã de Hogwarts. (detalhes página 4)”


Liu automaticamente abriu na página quatro e começou à ler.

“Sirius Black apaixonado?!
Sim, para o desespero de muitas, e sorte de apenas uma, ele está mesmo apaixonado. Ao contrário do que o folhetim “Fofocas do dia” afirmou, depois de modificar as palavras ditas por Sirius, não é pela Mary Kate que ele está apaixonado, isso foi apenas uma jogada da própria para ver se conseguia acabar com a chance que Sirius tinha de ficar junto à sua Amada.
Vêem agora o quão cegos somos diante de informações novas?! Por causa dessa notícia, a garota por quem Sirius realmente está apaixonado, Elisa Weiss, passou a evitar ele, já que poucos dias antes ele havia dito a ela que Amava ela de verdade e ela havia prometido pensar sobre o pedido de namoro que ele fez à ela. Mas enganada com a notícia ela disse não para ele, mesmo ela também o Amando.
Problema o deles alguns de vocês devem estar pensando, mas, imaginem – se no lugar de um deles dois...agora pense, se fosse com você, você continuaria à ler o “Fofocas do dia” ?! Mesmo sabendo que todas as notícias são falsas, feitas por interesse de uma das autoras?!”


Liu resolveu parar de ler a notícia...estava chocada, como poderia ter sido tão burra?! E agora, o que ela faria?! Simplesmente não queria mais olhar para Sirius, ela havia julgado ele através do julgamento de outras pessoas que ela nem sequer conhecia, e agora a vergonha de ter feito tal coisa a preenchia por dentro.
- Será que agora ela fala com o Sirius?! – Perguntou Lele à Bel quando viu a cara que Liu fez ao ler o folhetim, logo depois saindo do salão principal.
- Se não falar é muito feio da parte dela... – Brincou Bel.
- E se ela ficar com vergonha de falar com ele e dizer “Me desculpa, eu estava errada”?! – Perguntou Lele parando para refletir.
- Aí a gente vai ter que falar com o Sirius para falar com ela... – Respondeu Bel olhando para os lados e vendo que Sirius havia acabado de chegar no salão principal.
- “Mais um dia sem falar com a Liu...” – Pensou Sirius enquanto ia seguia para a mesa.
- Sacanagem o que fizeram com você... – Começou um garoto ruivo da Corvinal falando com Sirius. – Mas eu acho que agora ela vai te procurar... – Disse como se fosse amigo íntimo de Sirius, que apenas ficou parado com uma cara de ponto de interrogação.
- “Eu hein...não entendi...” – Pensou Sirius indo mais rápido para perto dos amigos.
- Almofadas! – Gritou James quando Sirius sentou – se à mesa. – Já leu as notícias de hoje?! – Perguntou com um sorriso no rosto.
- Você sabe que eu não sou muito fã dessas fofoqueiras... – Disse Sirius de mal humor.
- Hey! – Exclamou James. – É outro folhetim... – Disse rindo.
- Outro?! – Perguntou Sirius. – Tipo concorrência?! – Perguntou novamente.
- É...tipo concorrência... – Respondeu James ainda rindo.
- Nesse caso, passa ele para cá! – Disse Sirius pegando o folhetim e começando a ler. – Bambi...você tem algo haver com isso?! – Perguntou com um sorriso maroto nos lábios.
- Envolvido até o pescoço... – Respondeu James sorrindo para o amigo que pela primeira vez em duas semanas parecia estar feliz.
- Te Amo Pontas!! – Gritou Sirius em estado de euforia, agora que Liu sabia da verdade suas chances haviam aumentado novamente.
- Hey! – Exclamou James. – Vão pensar que publicamos uma notícia falsa desse jeito...controle – se... – Brincou rindo.
- Ótimo, cometi a maior injustiça do mundo, e não tenho a mínima idéia do que fazer... – Murmurou Liu para si mesma sentada sozinha embaixo de uma árvore.
- Vai até lá e fala para ele que você está arrependida do que disse... – Aconselhou uma voz masculina do lado dela.
- Edu! – Exclamou Liu. – Você estava me seguindo e depois ouvindo a minha conversa comigo mesma?! – Perguntou com uma sobrancelha erguida.
- Não... – Começou Edu. – Eu vi você sentada e resolvi vir te dar um “oi”, aí ouvi você falando com você mesma... – Disse rindo.
- Não foi nada disso... – Retrucou Liu. – Está escrito na sua cara que você estava me espionando... – Completou olhando para o irmão que estava sentado ao seu lado.
- Está bem... – Começou Edu deitando – se na grama. – Eu admito que ando te espionando já faz um tempo... – Completou rindo.
- Safado!! – Exclamou Liu dando uns tapinha no irmão. – Você não tem jeito mesmo... – Murmurou parando de “bater” no irmão.
- Você que não tem jeito... – Começou Edu. – Fica aí “Eu amo o Sirius Black, mas ele não me Ama, oh céus, oh vida, eu vou me jogar da torre mais alta, do castelo mais alto, da montanha mais alta!”...e depois quando vê que ele realmente gosta de você fica... “O que eu faço?! Peço desculpas?! Ele nunca mais vai querer nem olhar para mim...”...- Disse enquanto imitava Liu.
- Idiota... – Murmurou Liu olhando para o chão.
- Vá lá e dê um beijo nele, quero ver se ele não te retribui o beijo... – Aconselhou Edu.
- Edu!! – Exclamou Liu. – Você é meu irmão...era para me dar conselhos feito gente grande, não feito um adolescente... – Repreendeu.
- Está bem... – Começou Edu. – Como seu irmão eu digo para você ir lá falar com ele, pedir desculpas... – Continuou. – E logo depois beijar ele sem dar tempo para ele falar nada! – Terminou rindo.
- Aff Edu! – Exclamou Liu. – Você não tem nem um pouco de ciúmes de mim?! – Perguntou fazendo bico.
- Eu vou fazer o quê?! – Perguntou Edu. – Você gosta dele e ele de você...então pronto! – Respondeu dando os ombros em sinal de não ter escolha.
- Não é tão simples assim... – Respondeu Liu fazendo uma cara triste.
- Hey! – Exclamou Edu. – Se você ficar com essa carinha eu mesmo vou lá falar com o Sirius... – Disse olhando para Liu.
- Não!! – Exclamou Liu. – Você é louco?! – Perguntou surpresa.
- Você que é louca... – Começou Edu. – Eu vou dizer exatamente o que você vai fazer... – Continuou.
- Chega Edu, eu não quero saber... – Disse Liu rindo.
- Mas... – Começou Edu novamente.
- Sem “mas”... – Advertiu Liu. – Da minha vida cuido eu... – Disse rindo.
- Está bem... – Começou Edu. – Mas olha lá o que vai fazer...- Alertou se levantando.
- Eu sei exatamente o que fazer... – Mentiu Liu.
- Quando você fala isso é porque você não tem idéia do que vai fazer... – Observou Edu rindo. – Vou indo, coisas para fazer... – Disse piscando para a irmã e saindo de lá.
- Boa sorte Edu! – Gritou Liu a medida que o irmão se distanciava em seu campo de visão. – Voltando a minha conversa comigo mesma... – Brincou Liu sozinha.
- Cadê a minha irmã banana!! – Exclamou Lele preocupada com Liu que havia sumido desde que leu o folhetim.
- Deve estar por ai... – Disse Bel rindo. – Pensando no que fazer... – Completou com um sorriso.
- Tomara que ela não gaste o resto do ano pensando... – Brincou Lily.
- Tomara mesmo, se não coitado do Sirius... – Pontuou Bel.
- Porque coitado de mim?! – Perguntou Sirius chegando de intrometido, como sempre.
- Sirius! – Exclamaram Bel, Lily e Lele juntas.
- Sabia que escutar a conversa alheia é feio?! – Perguntou Bel rindo.
- Sabia que fofocar é feio também?! – Retrucou Sirius com um sorriso maroto. – Vocês viram a Liu?! – Perguntou curioso.
- Não... – Respondeu Lily. – E você comesse à rezar para que ela não esteja com vergonha de falar com você por ter sido injusta com você... – Adicionou.
- Eu não tinha pensado por esse lado... – Murmurou Sirius desfazendo o sorriso.
- Bom... – Começou Lele. – Só tem um jeito de saber... – Disse com um sorriso maroto nos lábios. – Você vai ter que passar pelo mesmo corredor que ela, se ela abaixar a cabeça é porque ela está com vergonha, se ela parar para falar com você... – Continuou. – Aí você vai ver... – Terminou rindo.
- Nesse caso, eu acho que já sei exatamente aonde ela deve estar... – Falou Sirius lembrando – se da árvore. – Vou lá...desejem – me sorte... – Despediu – se indo para o jardim.
- Sorte! – Disseram as três em conjunto quando Sirius ia saindo.
- Cansei de ficar falando sozinha... – Murmurou Liu levantando – se e começando à andar em direção à entrada do castelo.
Em direção opostas andavam pelo mesmo corredor, Sirius e Liu.
- “É ele...eu vou para outro lugar...” – Pensou Liu confusa ao ver Sirius vindo em sua direção.
- “O que será que ela vai fazer?” – Se perguntou Sirius esperando Liu fazer algo para que ele pudesse chegar à uma conclusão.
Eles estavam paralelos um ao outro, era a hora, os olhares se cruzaram por apenas milésimos de segundos, logo após Liu baixou a cabeça e adiantou o passo um pouco mais...não era essa a reação que Sirius queria que ela tivesse, não mesmo.
- “Ótimo...ela agora está me evitando porque está com vergonha de mim...” – Pensou Sirius começando à andar de cabeça baixa também.
- “Bonito para a minha cara...eu erro e nem ao menos peço desculpas...” – Pensou Liu olhando para trás e vendo a figura de Sirius se afastar ainda mais, e logo depois voltando a andar.
- “Ela poderia ao menos vir falar comigo...” – Pensou Sirius enquanto olhava para trás e via Liu se distanciar cada vez mais. – “Se ela não quer falar comigo, eu não vou obrigar ela a falar...” – Pensou voltando a olhar para frente.

*****************************************************

Bom, espero que gostem *_*
Comentem...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.