FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. Filme de Terror?Com você?


Fic: Nós... Irmãos ?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

-Não é possível.

-Que houve ruiva?

-Sirius e Lene não vão poder vir. – Disse ela desanimada, fazendo com que um sorriso pra lá de maroto brotasse no rosto de James.


Agora sim a coisa iria começar a ficar boa.





Cap. 13
Filme de Terror?Com você?






-E daí que eles não vêem? – perguntou James maroto.

-Se ta pensando que eu vou ver filme com você pode tirar o cavalinho da chuva.

-Oras, porque não? – perguntou ele se fazendo de ofendido.

-Porque não ué.

-Credo Lílian, por favor, eu não tenho mais nada pra fazer e aposto que você também não tem.

-Eu arranjo se não tiver. – disse ela como uma criança mimada.

-Mais e a pipoca? – disse ele já apelando.

-Pode comer se quiser. – disse ela entregando a enorme tigela para ele.

-É muito para uma pessoa só, assiste o filme comigo, prometo não fazer nenhuma graçinha.

-Ok, mais se você fizer uma gracinha se quer eu juro que conto tudo pra minha mãe e te mato. – disse ela por fim.

Então eles deitaram no sofá cama que ela e Sirius haviam desmontado, a coberta era uma só,porém era grande para os dois e cada um sentou em um canto, então a ruiva apagou as luzes e tudo ficou um breu, James sorria muito maroto, mas não era visto pela ruiva que ligou o DVD e começou o filme.

Na primeira cena Lílian já apreensiva se aproxima mais um pouco da tigela de pipoca, que estava no meio dela e de James, o maroto que não é bobo nem nada se aproxima um pouco também, e se assusta quando a ruiva fala.

-Esse filme tem fama pelo que aconteceu com o pessoal da produção, elenco e diretores.

-O que houve?

-Vários acidentes inexplicáveis.

E o assunto morreu ai, eles estavam com medo, começava as cenas um pouco mais pesadas e Lily uma hora levou um susto tão grande que assustou James também, deixando-os tão próximos que a única coisa que separava-os era a enorme tigela de pipoca que já tinha acabado, então Lily sem perceber que aquilo poderia os aproximar mais tirou a tigela do caminho e colocou-a do seu lado.
James que estava absorto no filme não percebeu que aquilo era um brecha perfeita pra uma aproximação.




E foi quando a menininha girou a cabeça em 360º graus que Lílian se agarrou em James e escondeu o rosto em seu peito, sentindo o cheiro dele.

Foi um contato muito intimo, ele ficou sem ar e a abraçou forte, ela se sentiu tão protegida naqueles braços, não queria soltar mais então o apertou mais forte, a sensação de medo continuava a mesma, mas ele a apertava forte, estava com medo também.

Então ainda sem soltar ela voltou a ver o filme, e pouco a pouco foram se separando, um pouco envergonhados, um pouco com medo.

E quando eles já estavam meio soltos a ruiva ainda assustada segurava firme no braço dele, e o filme foi passando com eles assim, e quando acabou a ruiva suspirou aliviada e disse “Graças a Deus”. Então James sem mais nem menos aproximou-se da ruiva e tirou uma foto, de onde ele tinha tirado a câmera era uma incógnita, e Lily assustada com a atitude apenas olhou a foto que saiu da câmera, então ele pegou a guardou no bolso e disse:

-Pra registrar a nossa cara de terror, toma, fica com ela pra você, eu tiro uma copia. – Disse ele fazendo a câmera revelar mais uma foto e entregando a outra para a ruiva que nem tinha palavras, a única coisa na cabeça dela era “quem vai acender a luz?”

-Quem vai acender a luz? – disse ela, eles ainda estavam no escuro.

-Boa pergunta. – disse ele.

-Acende lá.

-Porque eu?

-Sei lá.

-Vamos juntos então. – sugeriu ele, e ela meio apreensiva se levanta junto com ele que tropeçou na coberta e caiu, fazendo a ruiva se assustar, o que seria totalmente contraria se a situação fosse outra ,porque ela, do jeito que era, cairia na gargalhada, mas o medo era tanto que um riso naquele breu silencioso sairia mais como um mau agouro do que como uma risada divertida.

E ele levantou e os dois foram tateando a parede no escuro, pois a ruiva tinha desligado a tevê e a única luz era a verdinha do DVD, que não iluminava nada.

Então a ruiva encontrou o interrupitor e sentindo a respiração de James ela vira de costas para a parede e acende a luz,preferiu não ter o feito pois assim poderia não ter visto que a distância entre eles era quase nula e ele estava com os braços em volta dos dela e os olhos, ah os olhos, eles se encaravam, e nenhum dos dois respiravam, e pela segunda vez no dia eles foram se aproximando, nenhum dos dois fechou os olhos, esperavam memorizar cada segundo.

As bocas se encontraram, os lábios se tocaram, um brincava com a boca do outro... vontade, muita vontade, então o beijo finalmente começou, e não foi calmo, amoroso, romântico... foi quente,foi desejado,foi delirante, surpreendente, arrebatador.

Ela o abraçou forte e ele a levou-a para o sofá, deitou-a e eles continuaram se beijando, e não havia nenhum tipo de toque mais ousado, o beijo já era suficiente para levá-los a loucura, não era necessário, pra que explorar o corpo um do outro se eles poderiam descobrir algo mais? Não, era inútil, mesmo que se tocassem, aquilo não seria lembrado, o que permaneceria para sempre era o efeito daquilo tudo.

E eles terminaram o beijo com o amargo gosto do arrependimento e o suave sabor da loucura.

Ele extremamente sem saber o que fazer saiu de cima dela e deitou ao seu lado, ela continuava de olhos fechados, mais dessa vez eles estavam apertados, esperando que aquilo fosse um sonho e que ela estava agora acordando, o que não deixava de ser.

Ele não tinha nada a dizer, ficava mudo quando nada mais importava, não sentia raiva nem remorso ou vontade de segurar a mãe dela, talvez quem sabe, sentia a pressa de passar rápido por aquele momento, mais não, aquilo era uma completa antítese, ele queria pegar a mãe dela, queria a odiar, queria acima de tudo ter algo pra falar, mais o silêncio reinou de uma forma violentamente assustadora e perpetuou por minutos que poderiam ser confundido com horas.

Ela não sentia vontade de sair dali, ela queria mesmo era beijá-lo de novo, provar mais uma vez do atrevido sabor do inalcançável, do impossível, e cair na tentação novamente. Ela queria errar e persistir no erro até que ele se torne tão acertado que tudo se confunda e nada mais seja tão sensato a ponto de não ser conhecido, fazendo do desconhecido um companheiro que se abandona a cada nova descoberta.

“Fiz cagada” pensou ele, “agora mesmo é que ela vai me odiar mais, não que isso faça muita diferença.”
Mas todos os pensamentos foram interrompidos quando Remo entrou na casa chamando por James.

-James? Se ta ai?

O maroto não respondeu.

Então Remo procurando James entrou na sala de vídeo e viu que os dois estavam a uma distancia considerável, estirados em um sofá-cama desmontado.

-Que houve?

-Nada. – responderam os dois juntos.

-Vocês estavam vendo filme?

-Não/Sim. – responderam eles juntos novamente,Lílian não e James sim.

-Sim ou não?

-Sim/Não. – responderam juntos novamente, porém agora ela era que dizia Sim e ele que dizia Não, deixando Remo mais confuso ainda.

-Hãn?

-É que o Potter tava vendo filme, e eu não. – disse ela por fim, sem olhar para James e com a face muito corada.

-É.. é isso. – disse o maroto.

-Ah.. – respondeu Remo desconfiadíssimo.

-Bem, eu vou indo. – disse Lílian saindo da sala rapidamente e indo pro Hall, porém a campainha tocou e James foi atender.. era Gustavo.

James quando viu o menino sentiu uma coisa dentro de si querendo socar o moreno a sua frente, mais ele apenas virou para Lílian que estava estática e disse:

-Seu namoradinho veio te ver. – a voz do maroto saiu irônica e Gustavo percebeu.

Lílian morrendo de raiva passou ao lado de James e nem disse nada, fechando a porta atrás de si, respectivamente na cara do maroto que soltou faíscas.

-Oi – disse o menino dando-lhe um selinho, a ruiva se sentiu extremamente mal.

-Oi. – respondeu ela tentando sorrir.

-O que ele quis dizer com “seu namoradinho? - perguntou o moreno.

-Que ele é um trouxa que não merece que percamos o nosso precioso tempo com as idiotices inúteis dele.

-Nossa, quando rancor nesse seu coraçãozinho. – disse o menino sorrindo e a abraçando.

-Só disse a verdade. – disse ela pensando que deveria acrescentar um “que acabou de te chifrar” mas seria maldade demais e ela tinha muita culpa na traição.

-Bom, deixando ele de lado então, o que fez de bom hoje à tarde?

“Te chifrei com o meu suposto irmão” pensou ela.

-Assisti filme, e você? – respondeu a ruiva.

-Estudei, e por falar em estudar.. O que vamos fazer agora?

-Que tal dar uma volta?

-Certeza? To com preguiça e sei lá, hoje ta meio escuro. – disse ele olhando para um poste de luz que apagava e acendia a luz, e a ruiva lembrando do filme achou melhor ficar em frente de casa mesmo.

-Ok.. E de quem é aquele carro ali na frente? – perguntou ela olhando para um carro preto parado em frente de casa.

-É o meu futuro carro. – disse ele sorrindo orgulhoso.

-Futuro carro?

-É que é do meu primo, mas eu vou comprar dele.

-Ah, que legal, ganhou de presente?

-Não, eu vou comprar com meu próprio dinheiro.. não é maravilhoso? – disse ele com o peito estufado.

-Sim.. parabéns. – disse ela feliz com a conquista dele.

-Vamos ouvir musica lá dentro? É melhor pra gente namorar.

-Vamos. – disse ela de mão dadas com ele entrando dentro do carro.

Da janela James olhava o que acontecia lá fora um pouco apático, agora sim ele estava se sentindo usado.

Enquanto isso Lílian e Gustavo conversavam dentro do carro, ele tinha ligado uma musica alta e James conseguia ouvir lá de dentro da casa, e como estava com Remo, os dois sentaram-se na porta e devido a escuridão Lílian não pode ver que eles estavam ali,apesar de que ela estava sentada no banco do lado da rua, fazendo assim,com que se ela virasse ela poderia vê-los ali.

Mas sem percebê-los ela continua conversando normalmente com Gustavo, apesar de que estava tentando evitar de beijá-lo.

-Que houve Lil’s? Você parece distante.

-Nada, é que eu vi um filme de terror hoje.

-Bem,pense que é só um filme.

-Vou tentar – disse ela sorrindo, então ele a beijou, a ruiva congelou,estava o evitando e não pensava em ficar com ele hoje.

E ela, sem conseguir fechar os olhos, correspondeu o beijo da forma mais fria e arrependida que poderia, um ódio de si mesmo a invadindo, como será que ela tinha tido coragem de fazer aquilo com Gustavo? Uma pessoa tão boa, e lembrou-se das sensações do beijo de James,os arrepios, o frio, o calor, o desejo, o cheiro dele, a boca macia, os lábios ágeis, e pensando em James foi fechando os olhos, mais foi inútil, aquele ali era Gustavo, não o maroto, e abrindo os olhos extremamente culpada, ela termina o beijo, então olhando para a porta de casa ela vê quem a segundos atrás estava imaginado beijar.

Estranhando como, naquela escuridão, ela conseguiu enxergar os olhos dele, e viu uma coisa estranha, os olhos brilhantes estavam fixados nela, um arrependimento maior ainda a envolvendo; a boca dele crispada de um jeito frio, o rosto duro, o olhar humilhado.

E um desespero inútil a invadiu, a respiração arfou, e ela sem pensar nas conseqüências abriu a porta do carro e saiu correndo em direção ao maroto, que quando viu ela saindo do carro, abriu a porta de casa e subiu correndo as escadas do seu quarto, batendo a porta e trancando-a.

A ruiva subiu as escadas correndo atrás dele também, enquanto Gustavo sem entender nada saiu correndo atrás da ruiva, mas foi parado por Remo que disse:

-Eles brigam direto, deixem eles conversarem e amanhã você fala com a Lily, se você subir atrás deles agora vai dar só confusão.

-Mas você viu o jeito como eles estavam? Aquilo não em parecia briga de irmãos.

-É que você não estava junto quando eles se conheceram, e bem, de qualquer forma eles precisam conversar. – disse o maroto mais uma vez, fazendo assim com que o menino se convencesse e fosse para casa.

Enquanto isso Lílian berrava inutilmente na porta.

-ABRE ESSA PORTA POTTER!

-VAI ATRÁS DO SEU NAMORADINHO, VAI! – berrou ele de dentro do quarto.

-NÃO SEI POR QUE VOCÊ TA FAZNEDO ESSE DRAMA, NEM SOU NADA SUA!
-POR ISSO MESMO, E QUEM TA FAZENDO DRAMA AQUI É VOCÊ, E PORQUE NÃO DESCE LÁ PRO CORNO DO SEU NAMORADO?

-ELE NÃO É CORNO.

-AH NÃO? ENTÃO O BEIJO QUE NÓS NOS DEMOS FOI UM SONHO?E QUE EU SAIBA QUANDO VOCE BEIA UM PESSOA QUANDO ESTA COM OUTRA É UMA TRAIÇÃO.

-É CLARO QUE NÃO FOI UM SONHO, MAS QUEM ME BEIJOU FOI VOCÊ, NÃO TEVE NENHUM NÓS.

-NÃO TEVE? SABE, EU TIVE A ENORME IMPRESSÃO DE QUE VOCÊ CORRESPONDEU SEM PESTANEJAR.

-VÁ A MERDA!

-VÁ VOCÊ, É VOCE QUE TA NA MINHA PORTA BRIGANDO COMIGO POR NADA.

-POR NADA? QUE EU SAIBA QUEM DEU PITI QUANDO ME VIU BEIJANDO MEU NAMORADO FOI VOCÊ.

-CERTEZA? É QUE EU PENSEI QUE QUEM TIVESSE VINDO CORRENDO ATRÁS DE MIM FOSSE VOCÊ.

-EU NÃO VIM CORRENDO ATRÁS DE VOCÊ! – Disse ela quando ele abriu a porta e disse baixinho.

-Então o que está fazendo aqui? – ela não disse nada – Anda Evans, eu quero saber o que você esta fazendo aqui? Por um acaso quer me dizer algo?

-Você é um idiota.

-Realmente eu sou, e desculpe pelo beijo que eu te dei. – disse ele meio irônico.

-Você é um retardado.

-Vai continuar me xingando? Acho que teu namoradinho deve ter percebido tudo e deve ter ido embora com os enormes chifres dele.

-Não tão grande quanto os da sua namorada.

-Eu não a traí com ninguém.

-Ah não? – perguntou ela irônica.

-Não, porque o que eu fiz com você não foi uma traição.

-Como não? Você por um acaso esqueceu que me beijou?

-Beijei admito, mas logo depois de te beijar eu não fui me encontrar com ela e quando a beijei fechei os olhos tentando imaginar que era você. – Essa frase tinha deixado a ruiva estática, abismada, horrorizada. Como ele sabia?

-De onde você tirou isso?

-Dos seus olhos.

-Ora, não em venha com essas frases ridículas, metafóricas pro meu lado não.

-Não é nenhuma frase metafórica, vire-se e olhe no espelho, veja se eu estou blefando eu metaforizando e depois me diga o que vê. – Disse ele apontando para o espelho atrás dela.

-Não vou fazer isso.

-Tem medo de ver o que eu estou vendo agora mesmo?

-E se tiver? E se eu não quiser ver o que você diz estar estampado nos meus olhos?

-Daí é uma escolha sua, e só pra saber eu terminei com ela essa tarde.

-Não é da minha conta, eu não quero ficar sabendo de nada que diz respeito a você.

-Aham, claro. – Disse ele desdenhoso.

-Moleque! – Berrou ela morrendo de ódio e de vontade de partir pra cima dele.

-Quer me bater? Venha.

-Ai que ódio! Como você pode ser tão odioso assim? Como pode haver um ser tão odioso assim?

-Fique ai com as suas neuras que eu vou pro meu quarto dormir. Boa noite! – disse ele virando-se e fechando a porta na cara dela que morrendo de ódio de um soco na porta.

-O máximo que vai conseguir é machucar sua mãe ruivinha.

-Seu filho da pu..! – falou ela baixo.

-Olha a boca suja, eu ouvi...

-Vai tomar no cu Potter!

-Além de traíra é mal-educada, meu deus. – disse ele rindo do outro lado da porta, e ela respirando fundo deu mais um chute na porta e desceu as escadas correndo, dando de cara com Sirius e Lene na porta.

-Oi Lils,... hei, Lily, o que houve? – Mas ela saiu correndo e os dois a perderam de vista e quando Lene foi correr atrás dela Sirius disse:

-Acho que ela precisa ficar sozinha.

-Mas o que houve?

-Bem, pra ela estar desse jeito deve ter tido uma briga daquelas com James, vamos falar com ele.

E os dois subiram rumo ao quarto do moreno, a porta estava trancada e Sirius estranhou, então chamou o amigo e ouviu o click da porta, quando ele e Lene entraram a morena corou rapidamente pois ele estava só de samba-canção preta.

-Oi Lene –disse ele sorrindo da cara de fúria do amigo.

E Sirius indo pra frente de Lene e a abraçando, colocando a cabeça dela em seu peito de modo com que ela não pudesse ver o amigo, ele diz:

-Coloca uma roupa se não quiser morrer.

-Fica calmo Six, eu não vou roubar a Lene de você.

-Nem que quisesse roubar, não é Lene? – perguntou ele de um modo muito expressivo.

-Claro. – disse ela sem pestanejar depois de ver a cara ameaçadora do menino.

E quando James colocou um roupão Sirius finalmente soltou a namorada.

-Agora que você já esta vestido, porque a Lílian saiu correndo daquele jeito?

-Ela saiu correndo? – perguntou ele olhando para o amigo.

-Aham, o que houve?

-Só um briga normal, apesar de que não era para tanto ela correr. – disse ele displicente.

-Não to entendendo nada.

-Não é nada importante, logo ela ta ai.

-Certeza?

-Absoluta, podem ficar tranqüilos. – disse ele deitando-se na cama.

-Bem, eu e a Lene vamos lá fora um pouco, tchau cara!

-Tchau e tchau Lene!

-Tchau! – disse a morena descendo com Sirius.

-Você acha que ele ta certo?

-Acho, porque?

-Bem, ele não costuma ser tão displicente nessas coisas, eu conheço ele a muito tempo e eu lembro como se fosse ontem quando a Lily sumiu e ele nem conhecia ela e saiu igual um louco atrás, e agora, que eles se conhecem e vão virar irmãos ele fica tranqüilo assim?!

-Bem, tem lógica, mais eu acho que ele sabe exatamente aonde ela está, por isso está assim.

-E se ele sabe, porque não nos contou?

-Ele deve ter um motivo.

-Bem, espero que ele não se engane.

-É, eu também. – disse o moreno preocupado com a ruivinha, ele já tinha a adotado como irmã.






_____________________

N/ª Gente, capitulo extremamente pequeno e extremamente especial, esse beijo NÃO era pra ter acontecido, mais aconteceu e eu nem sei o que me deu pra deixar ele ai, espero que vocês gostem porque eu realmente AMEI esse cap. e AMEEI duplamente o beijo.

E bem, tenho um noticia ruim para dar, vou ficar sem net por um tempo, e eu ainda não tenho o prox. cap. senão mandava ele pra beta e ela postava, então acho que vocês terá de ter paciência porque talvez possa demorar, mais prometo que escrevo o cap e vou na Lan House mais próxima pra postar, apesar que eu estou proibida de entrar em Lan Houses, eu mando alguém entrar por mim ou sei lá o que faço, mais prometo dar um jeito.

E eu AMEI todos os coments e tenho algumas considerações a fazer:

Jessy, acaaaalma fiia! =D TODAS as suas duvidas serão respondida daqui uns vinte cap. =D muahahahahahahaha! Ou talvez neem tantos, porque qdo vcs souberem de uma coisa, daí mata tooooooda a charada. Muahahahaha! Triste isso, porque eu queria mesmo era deixar vocês todos morrendo de curiosidade e Jessy, eu amo seus coments de paixão porque você faz as perguntas que eu justamente não posso responder e enxerga o que eu não queria (e queria) que todos enxergassem. E eu também amo de paixão o coment de tooodo mundo porque são eles que me inspiram pra continuar e me ajudam dando idéias querendo ou não e eu só não vou responder todos porque eu realmente to sem tempo, mais eu li todos, todinhos e reli pra me motivar mais ainda = D e beem, é isso, AMO VOCÊS!

E Lily eu concordo plenamente com vc, prova não serve para NADA a não ser pra ferrar a gente e Gabriela Santana Domingos, hehehe, você faz as perguntas igual a Jessy *-* isso me deixa tããão feliz, mais infelizmente não posso respondê-las, você terá que acompanhar a fic e beem, pode me chamar do jeito que quiser viu?!

E Lily deenovo =D, nhaain! Fiquei mto mto mto mto mto feliz que você tenha comentado na fic sempre, =D e eu axo que esse cap. vc deve ter gostado já que queria que a Lils terminasse com o Gu, e beeem, não sei ainda se eles vão terminar, mais eu tb estou torcendo pela Lil’s e pelo Jay.

E Mandy Black, que oteeemo que vc adooorou o cap e axou ele perfeito de baum, e eu tumééém adoorei o infarte de cabeça spaksapksapoksaposakpo, continuee acompanhando viu?!

Caah, eu finalmente poostei né? Affs, eu tava demorando demais, daí tomei vergonha na cara e terminei esse cap. minúsculo,espero que goste.

Amanda, o cap ta ai, espero que goste e que continue acompanhando, beeijo.

E juh, pronteenho, cap. ai pra você, =D e vc tava errada, bem, ou tava certo, porque afinal, deu e não deu certo =D beeijo.

Carolzinha, hehehehehe, eu realmente paro na miooor parte né? Mais é que é mais forte que eeeu =D beeijo.

Nathália Krein, adoorei seu nome =D e prooonto, eu atualixeei =D beeijo.

Inaclara Evans Potter, oooun *.* cap. ta ai =D hehehehehe, beeijo.

E beem, eu tinha dito que não ia responder os coments mais acabei respondendo =P, espero não ter esquecido de ninguém.. =D e continuem comentando e lendo, porque uma passarinho verme me contou que no prox. Cap. coisas muuito interessantes vão acontecer entre o Jay e a Lil’s, mais se é verdade ou nãããããão, só lendo né?

Amoooo-Tes!
N/B-Oieh galerinha!!!!
Assim que eu recebi o cap da Vanessa betei para vc poderem ler logo...pq um cap perfeito como esse não merece ficar muito tempo sem ser att!!!!rsrssrsrsr
Bemmm eu AMEI o cap..e o beijo tb...então podem comentar viu??????
Para a Vanessa ficar feliz....
Ahh soh para lembrar qualquer errinho eh por minha conta!
Bem...toh indo...
Beijão
Lethicya Black

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.