FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. A invasão


Fic: Harry Potter e a grande batalha


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


-Quer dizer que é matar ou morrer?- Rony perguntou surpreso. Harry tinha acabado de contar á ele, Hermione e Lílian o que Dumbledore havia falando. Harry respirou fundo, e confirmou com um aceno de cabeça, enquanto suspirava e se sentava. Apoiou os cotovelos nos joelhos e escondeu o rosto nas mãos. Todos ficaram em silêncio, cada um imerso em sua própria linha de pensamento.


Lílian bocejou e se espreguiçou. Olhou ao redor e pôde constatar que só eles estavam acordados.


-Que horas são?- Perguntou, enquanto coçava um dos olhos, para espantar o sono. Rony olhou para o relógio em seu pulso.


-Duas...-O ruivo respondeu, enquanto boceja, em reflexo Hermione também bocejou. Harry, porém, não parecia sentir o menor pingo de sono e se mantinha na mesma posição de antes.


-Harry, eu sei que é difícil ouvir tudo isso que você teve que ouvir hoje, mas você não pode ficar pensando nisso vinte e quatro horas por dia!- Hermione falou, indo se ajoelhar na frente do amigo e o fazendo sair daquela posição e a encarar.- Você precisa se distrair, precisa descansar!- Harry suspirou, antes de fechar os olhos e passar as pontas dos dedos sobre eles.


-Não estou com sono!- respondeu, por fim. Hermione suspirou resignada.- Se vocês quiserem, podem ir dormir!- Ele finalizou, antes de jogar o corpo pra trás, fazendo com que mais uma vez sua nuca ficasse encostada no encosto da poltrona, olhando para o teto.


-E deixar você aqui, sozinho?- Lílian perguntou, levemente esganiçada - Nem a pau!- Completou, e Harry sorriu levemente, sem olha-la.


-Vocês que sabem.- Ele sussurrou.


-Quer jogar uma partida de xadrez, antes de tentar dormir, cara?- Rony perguntou. Harry o encarou distraidamente, e deu de ombros.


-Pode ser...-Respondeu vagamente, enquanto se sentava no chão. Rony abriu o tabuleiro e as peças se posicionaram.-Por que você sempre que ficar com as peças brancas?- Harry perguntou marotamente, o que arrancou um suspiro de alivio de Hermione. Pelo menos ele estava tentando se distrair.


-Por que eu sou o melhor?- Rony perguntou, antes de movimentar uma peça. Harry riu da resposta do amigo.




Estava em um quarto muito grande, que era parcialmente iluminado por uma lareira. Em um canto havia uma cama de casal, onde alguém dormia, ou estaria inconsciente? No centro do quarto, havia uma poltrona, que mais parecia um trono, onde Lord Voldemot, olhava para a pessoa que estava na cama.


-Acorde, minha criança...-Ele sussurrou, sua voz fria, parecia ter subitamente ter adquirido algum carinho. Uma menina de aproximadamente 12 anos, ofegou. Harry se virou e viu que a garota estava com os olhos castanhos arregalados e que passavam por todo o lado. Ela se sentou, revelando ter cabelos castanhos, que iam até sua cintura.


-O que você quer comigo?- ela perguntou, numa voz rouca e cheia de medo, mas que normalmente, Harry pensou, deve ser doce.


-Com você? Nada...-Voldemot respondeu, indo se sentar ao lado da menina, que se encolheu.- Eu quero com uma das suas irmãs mais velhas, porém ela só entendera o meu recado, quando souber que você corre perigo!


-Você não vai pagá-la!- A menina respondeu. Saiu da cama e correu até a porta, tentando abri-la em vão. Estava trancada. Se virou e encostou na porta.- Ela é muito inteligente! Sabe que você não vai me fazer nada se ela não vir!- Os olhos de Voldemot ficaram numa tonalidade mais forte. Uma das janelas explodiu.


-Eu vou fazer com que alguma das duas venha!- Ela estremeceu- Nem que pra isso, tenha que trazer seus pais até aqui e tortura-los!- E caminhou, furioso, até a porta. Empurrou a menina, que caiu de bruços e saiu do quarto, fechando a porta atrás de si.


-Elas sabem que você não vai fazer nada!- A menina sussurrou para o ninguém- Eu sei me cuidar muito bem sozinha, elas sabem disso! Meus pais sabem disso, mas você não!- Ela terminou, enquanto um vendaval surgia do nada, apagando assim a lareira.




Harry se sentou assustado. Outro pesadelo. Respirou fundo e olhou ao redor, para ver se ainda estava no dormitório masculino. Respirou aliviado ao constatar que ainda estava em sua cama, sã e salvo. Certo, talvez não estivesse tão sã assim. Bocejou e olhou para a janela. O sol já estava alto, ergueu uma sobrancelha em confusão e olhou ao redor. Viu que era o único no dormitório. Deu de ombros e se levantou, mas quando suas pernas se esticaram, para agüentar o seu peso, o seu mundo rodou, fazendo com que se segurasse na cômoda que tinha ao lado de sua cama. Levou uma das mãos á cabeça.


O que estava acontecendo? Nunca se sentira tão mal após um pesadelo. Se sentou em sua cama, no mesmo instante que a porta do dormitório se abria e por ela entrava Rony, Hermione e Lílian.
Fechou os olhos e respirou fundo. A cabeça abaixada, o que impedia seus amigos de verem sua fisionomia.


-Ta tudo bem?- Hermione perguntou, estranhando o fato do amigo não ter erguido a cabeça pra ver quem entrava.


-A- acho que sim...-Harry responder com alguma dificuldade. Os três amigos se entre olharam e voltaram a olhar o amigo, que agora jogava o corpo pra trás, de olhos ainda fechados.- Um pesadelo me acordo...-Ele começou a explicar em sussurros.- Quando fui levantar, me senti tonto...- Hermione olhou preocupada para o amigo e se sentou ao lado dele na cama. Levou uma das mãos á testa do rapaz para medir sua temperatura. Harry abriu os olhos e a encarou.


-Está meio febril...-Constatou - Nada muito alarmante! Você dormiu bem?- Perguntou. Harry a olhou confuso. Encolheu os ombros.- Estou fazendo aulas de enfermagem aos sábados á noite.- Explicou.


-Ah...Não consegui dormir muito bem!- ele falou, respondendo a pergunta da amiga, que suspirou.


-Então é isso!- Ela disse, um pouco menos preocupada- O estresse pré guerra, combinado com suas preocupações, noites mal dormidas e pesadelos!- Hermione comentou entre um suspiro.


Lílian e Rony também se sentaram na cama do amigo, enquanto ele se levantava e se trancava no banheiro para se trocar e fazer sua higine pessoal.




Olhou ao redor, maravilhada. Beauxbatons podia não ser mais linda que Hogwarts, mas isso não queria dizer que era feia.


Era Constituida por um castelo, um pouco menor que Hogwarts. No alto de cada torre havia uma bandeira, que representava cada turma.
Raquel suspirou e continuou caminhando pelo jardim. Havia 2 dias que estava ali e ainda não se acostumara com o ambiente frânces. Se sentou na raíz de uma arvore e abriu o livro que pegara na biblioteca.


Nisso, pensou, Hogwarst perdia pra Beauxbatons. A biblioteca da escola francesa era, no minimo, dez vezes maior que a da escola inglesa.


-Hermione ficaria louca aqui...-Raquel sussurrou para si mesma, antes de abrir o livro e começar a lê-lo.




-Está melhor, Harry?- Lílian perguntou, enquanto jogava pedrinhas no lago.


-Melhor impossivel!- Harry resmungou, enquanto jogava pedrinhas no lago para competir com a amiga.


Depois que todos haviam almoçado, Harry, Rony, Hermione e Lílian haviam decidido que iriam dar umas voltas pelo jardim. Depois de algumas voltas Rony e Hermione decidiram ir namorar um pouco e deixaram os dois amigos no lago.


-Isso aqui ta um saco!- Lílian resmungou depois de um tempo, jogango o corpo pra trás, fazendo com que ficasse deitada na grama.


-Pois é...-Harry concordou, imitando o gesto da amiga.


-Lalalala...-Lílian cantarolou. Harry suspirou e riu de levinho da amiga.- Do que você está rindo?- Lílian perguntou divertida.


-De você!- Harry falou, sorrindo marotamente.Lílian fez uma cara de magoa fingida.


-Oras...Não estou vendo graça nenhuma nisso!- Lílian respondeu, enquanto enterrava o rosto no peito do amigo e fingia chorar. Harry gargalhou diante a cena.


-Que cena mais comovente!- Uma nova voz comentou, Harry olhou pra trás, sem levantar a cabeça, e se deparou com Cho. Sorriu para a moça.


-Também acho...-Respondeu Lílian, levantando o rosto, mas deixando os braços no peito do amigo. Cho a fuzilou com o olhar.


-Se você não importar de sair de cima do meu noivo...-Cho falou, frizando a palavra noivo- Eu gostaria de falar com ele!- Lílian a olhou com desdem.


-Sinto muito!- Lílian falou sarcástica- Mas, caso não tenha percebido, eu sou amiga dele e como tal, ele tem o dever de me consolar nesse momento tão triste da minha vida!- Ela falou, voltando a enterrar o rosto no peito de Harry, chorando, claramente, o que era uma risada. Harry começou a gargalhar também.


-Ótimo!- Cho falou irritada- Quando você terminar o seu trabalho voluntário, Harry, vá até minha sala!- E girando nos calcanhares, Cho voltou para o castelo.


-Ela ta furiosa!- Lílian comentou, levantando a cabeça e olhando para a face do amigo, que suspirou.


-Problema dela...-Ele resmungo- nunca vi mulher tão grudada! Argh...-Ele completou passando as mãos pelo rosto de forma cansada.


-Fala com ela sobre isso...-Lílian aconselhou, voltando a se deitar na grama- Ela tem que entender que você não pode ficar ao lado dela por vinte quatro horas por dia, sete dias por semana!


-Eu já tentei falar com ela, mas pra quê?- Ela falou, se sentando e dobrando os joelhos na frente do torax.- Toda vez que eu tento conversar sobre isso, ela começa a chorar e a falar que eu não a amo!- Completou, suspirando cansado, enquanto abraçava as pernas e aopiava o queixo no joelho.


-Ela é problemática!- Lílian exclamou, parecendo indignada. Harry riu.


-Qual o assunto?- Gina perguntou, enquanto se sentava ao lado dos amigos.


-A porcaria que minha vida amorosa está no momento!- Harry respondeu, sorrindo para a ruiva.


-Ah...-Ela falou, retribuiando o sorriso- Bom...Não fique tão deprimido! A minha também está uma droga!- Falou, suspirando desanimada.


-O que anda acontecendo?- Lílian perguntou interessada. Gina riu e Harry repreendeu a morena com o olhar.


-Ah...Eu to ficando com o Colin, mas não sei muito bem se é isso que eu quero!- Explicou de forma simples, enquanto encolia os ombros.


-Termina!- Lílian falou, pisacando um olho para a ruiva- O Colin não é lá muito confiável!- Harry riu de fraquinho, enquanto Gina olhava confusa para a moça mais velha.


-Por que ele não seria?- perguntou curiosa.


-Bom...Ele anda fazendo questão de falar pra todo mundo que está ficando com você!- Lílian começou, gesticulando um pouco- Como a boa amiga que eu sou, decidi ver se ele era 100% confiavel para ficar com você!


-O que você aprontou?- Gina perguntou, os olhos arregalados. Harry olhou curioso para a morena.


-Bom...Digamos que eu fui desabafar com ele! Inventei uma história qualquer, e falei pra ele!- Ela disse sorrindo fraquinho- Ele me consolou, disse que sempre estaria ao meu lado, por que era pra isso que os amigos existiam...Nessa hora eu o interrompi e disse que eu não queria ser amiga dele, que eu queria ser algo mais, por que o amava como uma mulher ama um homem...


-E o que ELE fez?- Gina perguntou, totalmente surpresa com a história que a amiga contava. Lílian encolheu os ombros.


-Ele disse que estava confuso e que ia pensar!- Ela disse- Isso foi mês passado! E até agora ele não me disse!- Terminou.


-Totalmente não confiável!- Gina terminou, suspirando derrotada.- Ainda bem que eu não o amo!


-Então aproveita que ele ta vindo ai, e dá o pé na bunda dele!- Harry falou, Gina sorriu agradecida para os dois e foi falar com Colin.


-Enfim sós!- Lílian comentou.


-Pois é...-Harry falou rindo.


-E voltamos á seção "lalalala"- Lília brincou.


-Poupe meus ouvidos!- Harry pediu fingidamente desesperado.Lílian mostrou a lingua para o amigo.


-O casal vinte resolveu aparecer...-Lílian sussurrou para Harry, que virou a cabeça, podendo ver, ao longe, Rony e HErmione caminhando lentamente na direção deles, abraçados, enquanto conversavam em sussuros.


-O que será que eles ficaram fazendo nessas longas duas horaS?- Harry perguntou maliciosamente para a amiga, que gargalhou ao ver a cara de safado do moreno.


-Nada que você não tenha feito na sua época de galinha!- Lílian revidou e Harry fez uma cara de falsa magoa, que foi desmacarada com o sorriso que escapou. Foi a vez do moreno mostrar a língua.


Rony e Hermione se aproximaram e se sentaram ao lado dos dois amigos, iniciando assim uma animada conversa sobre banalidades.




Harry estava saindo da sua última aula de segunda feira, Transfigurações, quando Biatriz, totalmente ofegante, parou na sua frente.


Ela gesticulava e tentava falar algo muito rápido. Lílian desferiu um tapa na cara da irmã.


-Se controle!- Mandou- Vai...Inspira...Expira!- Biatriz começou a fazer o que a irmã mandava.-Agora, me fala, o que tá acontecendo?


-Comensais...-Sussurrou horrorizada- Estão saindo das Floresta Proibida! Por todos os lados! Os alunos que estão tendo Tratos das Criaturas Mágicas e Herbologia já foram enviados para um local seguro, Dumbledore pediu para que os monitores levassem os alunos de suas respctivas casas para os Salão Comunal!


-Você não estava tendo Herbologia?- Lílian perguntou, parecendo não ter ouvido as outras palavras da irmã.


-Estava...- Biatriz respondeu, sem entender onde Lílian queria chegar.


-E o que, pombas, você está fazendo aqui?- Lílian perguntou, num sussurro perigosa.


-Cumprindo ordens de Dumbledore!- Biatriz falou- Ele pediu para avisar os monitores, e como eu sabia que mais cedo ou mais tarde os monitores de Grifinória estariam com o Harry, eu decidi avisar ele!- Encolheu os ombros e saiu correndo atrás do monitor da Lufa Lufa que acabara de passar correndo.
-Harry...-Lílian chamou, enquanto ela e o moreno iam para o salão comunal, enquanto Rony e Hermione iam falar com os outros alunos.


-Quê?- ele perguntou, parando rapidamente em uma janela, para ver a situação.


-Vamos passar no corujal e pegar Edwiges! Preciso enviar uma carta!- Lílian falou, Harry concordou com um aceno de cabeça e eles correram até o corujal. Ao chegarem puderam constatar que não foram os únicos que tiveram essa idéia. O local estava cheio de alunos que berravam de medo e corujas que voavam, piando indignadas por terem sido tiradas de seus sonos. Edwiges logo apareceu no meio das outras corujas castanhas e negras e foi pousar no ombro de Harry.Ele e Lílian logo sairam correndo, indo direto para o Salão Comunal de Grifinória, onde só se encotravam os alunos do quainto, sexto e sétimo ano.


Lílian correu até um aluno do quinto ano que escrevia uma carta e tirou a pena da mão dele, que a olhou indgnado.


-É urgente!- Lílian exclamou, quando o garoto reclamou. A morena pegou o pergaminho, no qual ele escrevia, e rasgou um pedaço. Harry se aproximou da amiga e leu o que ela escrevia.




Raquel,


Comensais estão invadindo Hogwarts! Venha o mais rápido que conseguir! Estou achando que a batalha final começa hoje!


Lílian




-Me passa a Edwiges, Harry!- Lílian pediu. Harry pegou edwiges e a colocou em cima da mesa. Lílian sacou a varinha e fechou os olhos, enquanto tentava se lembrar de algo. Abriu os olhos e apontou a varinha para a coruja.


-Velocios...-Sussurrou, uma luz dourada envolveu a coruja e logo sumiu. Lílian conjurou uma cordinha e amarrou o pedaço de pergaminho na pata da ave.- leve para a Raquel na França.


A coruja piou e levantou voô e saiu pela janela aberta. Lílian suspirou e levou a mão ao decote de sua blusa. Harry colocou a mão no ombro da amiga, no mesmo instante que o retrato da mulher gorda abria e por ela entrava os alunos que faltavam e a professora McGonagall.


-Prestem atenção, alunos!- Ela pediu e todos pararam de escrever suas cartas, as meninas pararam de chorar, os novatos pararam de berrar.- Muito bem...Alunos do primeiro ao quinto ano vocês serão enviados á Beauxbatons, que encarecidamente aceitou abriga-los até que a situação aqui em Hogwarts esteja estabilizada. Alunos do sexto e sétimo ano, os que quizerem e se acharem capazes, podem participar da batalha! Estamos contando com vocês e com nosso corpo docente! Antes que vocês se precipitem, devo avisar que terão que enfrentar gigantes, dementadores, comensais, e vários outros animais mágicos! Aviso, também, que o próprio Lord das Trevas está aqui! Portanto, pense muito bem antes de responder...Quem gostaria de participar da guerra? Voluntários, por favor levantem as mãos.- Harry, Lílian, Rony e Hermio foram os primeiros a levantar a mão. Encorajados por essa atitude, um á um os outros alunos levantaram as mãos. McGonagall sorriu aliviada.-Muito bem! Vocês, por favor, assinem esse pergaminho, e podem se dirijir para o local da batalha.- Harry andou apressado até a professora de Transfiguração e assinou no pergaminho que ela conjurou. Respirou fudo e saiu correndo da sala.




Raquel tinha acabado de assistir á sua última aula do dia, Defesa Contra as Artes das Trevas, e estava indo jantar quando foi abordada por Edwiges, com um óbvio feitiço de velocidade. Pegou a carta que a coruja trazia e a leu, Seus livros escorregaram de suas mãos, fazendo um estrondo ao tocarem o chão, o que fez muito alunos pararem. Girou nos calcanhares e correu até a diretoria, deixando para trás seus livros. Conforme corria suas vestes azuis voavam atrás de si. Bateu apressada na porta de Madame Maxime, que abriu a porta assustada diante tanta insistencia.


-O que foi, querrida?- Ela perguntou assustada. Raquel engoliu em seco e puxou o ar com força.


-Hogwarts está sendo atacada!- Falou, ainda ofegante- Você precisa ajuda-los! Precisa abrigar os alunos!- madame Maxime concordou com um aceno de cabeça e correu até sua lareira, Raquel entrou atras e viu a francesa falar o endereço de Hogwarts e conversar apressadamente com Dumbledore, obviamente.-Eu tenho que ir pra lá!- Falou para a diretora, assim que esta se ajeitou em seu cadeira.


-Nem pensarr, é muito perrigoso!-Ela falou. Raquel caminhou até a mesa da diretora e bateu a mão no tampo da mesa.


-Eu quero correr esse risco! Eu vou correr!- Falou num tom que não admite ser contrariada- A senhora deixando ou não!- Madame Maxime e Raquel se encararam por breves segundos.


-Tudo bem!- Ela concordou suspirando- use minha lareira! Com um pouco de sorete você encontra Dumbledore no Salão Principal!- Raquel sorriu agradecida. Foi a té a lareira e pegou um pouco do pó que a diretora lhe oferecia.


-Salão Principal, Hogwarts, Inglaterra!- E as chamas verdes a consumiram.


-Boa sorrte, minha pequena...-Madame Maxime sussurrou para o nada.




-Isso não está acontecendo!


Era o que mais se ouvia no Salão Principal. Por todos os lados o desespero estava instalado. Pessoas choravam, algumas berravam, mas todas as vozes ou ruidos cessaram no momento em que as chamas da lareira ficaram verdes.


Dumbledore e os outros professores olharam confusos para a lareira, no mesmo momento em que uma figura morena, com os cabelos presos em uma transa, usando vestes azul claro, que pareciam com roupas dos antigos gregos, apareceu.


Raquel fez um aceno em forma de cumprimento para Dumbledore, que retribuiu.


-Senhorita Escobar?- McGonagall perguntou confusa- O que está fazendo aqui?


-Vim participar dessa batalha!- Falou com firmeza- E não precisa passar o sermão de "é muito perigoso e blá, blá, blá..." Que eu já conheço de cor e saltiado! E eu concordo com todos os termos!- Completou. McGonagall acentiu e a morena se aproximou, enquanto sua capa esvoaçava eos alunos voltavam ao barulho de antes. McGonagall estendeu um rolo de pergaminho para a morena, quando esta estava perto o suficiente- O que é isso?


-Precisamos dos nomes das pessoas que vão batalhar, assim poderemos ter um controle sobre feridos, mortos ou sumidos!- McGonagall explicou brevemente. Raquel concordou e assinou rapidamente.


-Os alunos voluntários já estão na batalha?- Perguntou, Snape acentiu com um aceno de cabeça. Raquel sacou a varinha e saiu correndo do salão.


-A Grande Batalha começou...E os jovens bruxos serão nosso trunfo!- Dumbledore comentou, entre um suspiro e outro.


-Por quê?- Hagrid perguntou confuso.


-Por que Voldemort e seus seguidores não entendem o que esses jovens sentem, Hagrid! Esperança, amor, desejo de um futuro melhor...Tantos sentimentos bons, dos quais, nenhum ser como Voldemort, possue a capacidade para compreender!




N/A: Lalalalala^^ E agora?? *rufam os tambores* O que ira acontecer? Hum....Só nos próximos capítulos...Well...Lele, quando as suas sugestões, não se preocupe, vou ver o que posso fazer em cima delas!;)


Se eu vou escrever o quinto ano? Bom, a idéia original, não possue quinto ano na minha visão! ;) Mas pode ser que em um futuro remoto eu escreva o quinto ano! No momento estou me dedicando totalmente á Grabde Batalha e á sua continuação! Sim, já começei a escrever a continuação da Grande Batalha!


Espero que estejam gostando!^^ E não deixem de comentar e votar!;) Bjs e até a próxima atualização!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.