FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Um bom candidato


Fic: Um noivo para mamãe


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

_Mãe? – Lily sacudiu, delicadamente, Gina. – Mãe? Acorda!
_Hum? Lily? Que foi? – Gina se virou, sonolenta, assustada com a urgência da filha em acordá-la.
_Já são 10 horas! Nós não íamos ao shopping para escolher seu vestido de noiva? – ela perguntou, aflita.
_Lily, o shopping vai ficar aberto o dia inteiro e nós ainda podemos ir outro dia. – ela explicou e virou-se de lado para voltar a dormir.
_Mas, mãe! Dia de semana você diz que não tem tempo e de domingo nem todas as lojas abrem! Temos que ir hoje! – ela insistiu.
_A loja de vestidos abre de domingo, não se preocupe. – disse, indiferente.
_Mas a loja de bonecas não! – ela bateu o pé.
_Eu sabia! – Gina sentou-se na cama, indignada. – Sabia que todo esse interesse não era por causa do meu casamento. – cruzou os braços, brava.
_Claro que não! – ela também cruzou os braços. – Ou melhor, talvez! Você podia ir a loja de bonecas comigo e conhecer o Josh! Quem sabe não se apaixona a primeira vista por ele e desiste do Malfoy. – ela fez uma careta ao pronunciar o nome do futuro padrasto.
_Não diga besteiras, Lily! – Gina levantou-se, vestiu o hobbe e entrou no banheiro.
_Sabe? Eu achei o Josh parecido com o papai. – ela se jogou na cama da mãe e ficou falando enquanto Gina lavava o rosto.
_Você acha qualquer homem da minha idade, exceto o Draco, parecido com o seu pai, Lily. Pelo menos desde que eu fiquei noiva. – concluiu.
_Mas ele é parecido mesmo, mãe! Tem até olhos verdes, mas não usa óculos. – insistiu.
_Dezenas de homens têm os olhos verdes, Lily. – ela saiu do banheiro e fez sinal para que a filha a seguisse.
_Não como os do papai! Você mesma diz isso!
_Chega, Lily! – Gina pediu. – Eu não escolho com quem sair por ser parecido com Harry ou não! E eu não vou desistir do meu casamento com o Draco só porque seu tio encheu sua cabeça contra ele!
_Você quer dizer meus tios, não é? Nenhum deles gosta do Malfoy. Nem o papai gostava. Ele ficaria desapontado. – ela correu e tomou um lugar a mesa.
_Agora chega! – Gina gritou. – Você está passando dos limites, mocinha! Se não quiser ficar de castigo é melhor não falar mais nesse assunto, ouviu bem?
_Que droga, mãe! Eu não gosto do Malfoy e ele não gosta de mim! Não é justo!
_Em primeiro lugar não fale desse jeito comigo, Lily Potter, em segundo lugar, é claro que o Draco gosta de você, e aposto como você vai acabar se acostumando com ele.
_Duvido! – emburrou, desprezando as bolachas que surgiram em sua frente.
_Não vou mais discutir com você. – Gina sentou também e enfeitiçou os utensílios para que as servissem.
_Nós vamos ou não ao shopping? – perguntou, brava.
_Vamos! – Gina respondeu. – Mas você vai ficar comigo na loja de vestidos. – mandou.
_Ah, não, mãe! Dessa vez você vai saber onde eu estou!
_Você também tem que escolher um vestido.
_Mas depois que eu escolher eu vou visitar a loja do Josh!
_Sr Josh, para você. Não gosto de toda essa intimidade!
_Ahf! Ele é legal, mãe!
_Você mal o conhece! Como sabe que ele não é um maníaco?
_Maníaco?! – ela se assustou. – Sem problemas! Eu levo o bisbilhoscópio que o tio Rony deu para o papai e aí fico sabendo se ele é perigoso. – levantou-se entusiasmada e correu para o quarto.
_Você não vai terminar seu café? – Gina gritou.
_Já estou satisfeita! – ela rebateu.


_Ótimo! Ficou ótimo! – Lily repetiu pela décima vez em frente ao espelho da loja.
_Não. – Gina falou, displicente. – Não gostei.
_Mãe! Eu não agüento mais experimentar vestidos!
_Sossegue, menina! É o meu casamento e você não vai nele de qualquer jeito só por que quer olhar umas bonecas. – falou.
_Mas mãe...
_Só mais este. Prometo que é o último.
_Mas eu já experimentei este, mãe!
_Mas eu não lembro direito como ficou. Quero ter certeza. – Gina insistiu.
_Vai ser esse! – Lily se enfezou. – Ficou lindo. Agora tchau! – sem pensar duas vezes ela vestiu a roupa com que chegara ao shopping e saiu correndo da loja.
_Mas que menina! – Gina reclamou.
_Vai ser esse mesmo, sra? – a vendedora perguntou.
_Hum... Vai. Pode separar. – ela suspirou. – Agora vou escolher o meu.
_Por aqui, por favor. – a moça a guiou.
Lily sentia-se aliviada por ter se livrado da tarefa enfadonha de provar vestidos de dama-de-honra. Ainda no meio do caminho começou a ajeitar suas roupas, que ela havia vestido as pressas para se livrar da mãe. Não demorou para ela chegar a loja de bonecas de seu amigo.
_45, 90, senhora.
_Certo. Você pode embrulhar para presente, meu jovem?
_Pois não. – Josh respondeu, sorridente.
_Oi! – ela o cumprimentou, sorridente. Lembrou-se de prestar atenção a qualquer barulho que seu bisbilhoscópio pudesse fazer, mas ele continuava imóvel em sua bolsinha.
_Lily! – ele se espantou. – O que faz aqui? – perguntou enquanto separava um laço que combinasse com o pacote da boneca.
_O mesmo de sempre: esperando a mamãe escolher um vestido. – falou, aborrecida.
_Aqui está, senhora. – ele entregou o pacote à cliente e recebeu o dinheiro. Assim que a mulher saiu, ele passou a frente do balcão para cumprimentar direito sua nova amiga. – Há quanto tempo!
_Hum... Uma semana, não é? – ela sorriu e o abraçou.
_É mesmo. – ele respondeu, sem graça com tamanha demonstração de carinho. – Para mim pareceu um tempão.
_Para mim também. – ela respondeu.
_Hoje você não veio vestida a caráter, hein? – ele puxou as mesmas duas cadeiras da outra vez e colocou-as na frente do balcão.
_Não. – ela sorriu. – Escolhi de uma vez um das dezenas de vestidos que mamãe me fez experimentar e corri para cá.
_E ela? Já escolheu um? – perguntou.
_Que nada! – respondeu. – Mamãe não quer se casar. Toda noiva que se preze passa horas pensando no vestido e quando sai para comprar já tem na cabeça exatamente o que quer. Minha tia Hermione, por exemplo, quando foi casar com meu tio sabia exatamente como seria seu vestido.
_Hermione? Que nome... Incomum.
_Também acho, mas combina com ela.
_Bom, algumas noivas são mais indecisas que as outras. – Josh respondeu, divertido.
_Algumas noivas querem se casar, outras não!
_Essa semana não serviu para te fazer sentir o mínimo de simpatia por seu futuro padrasto?
_Eu nunca vou ter simpatia por ele, Josh! – ela falou, revoltada. – Mas eu tenho simpatia por você! – disparou.
_Oh! Obrigado. Eu também tenho muita simpatia por você, Lily. – ele sorriu.
_Eu não me importaria se você fosse meu padrasto, sabia? Falei ainda hoje para minha mãe que você se parece com o meu pai.
_Como você sabe se não o conheceu?
_Mas eu vi fotos dele.
_Fotos de quando ele era criança? – perguntou. – Escute, é normal uma criança não aceitar bem quando sua mãe decide se casar de novo...
_Não é esta a questão, Josh! Eu não me importaria de mamãe se casar de novo, desde que fosse com um cara legal e de quem ela realmente gostasse.
_Por que ela se casaria com alguém de quem não gosta? – ele perguntou.
_Para não chorar mais pelo meu pai! Só por isso! – ela respondeu de uma vez.
_Ela...
_Ainda chora por ele sim! – enfatizou. – Tudo bem ela sentir a morte dele, mas se estivesse apaixonada por esse Malfoy não choraria cada vez que visse uma foto, não?
_Então você acha que sua mãe não está apaixonada?
_Tenho certeza que não está! E vai ser uma besteira incrível se casar com ele!
_Você já conversou isso com ela? Já falou a respeito sem falar mal desse tal Malfoy.
_Hum... Não. Na verdade, cada vez que toco nesse assunto, acabo falando mal dele. Minha mãe diz que sou igualzinha ao meu pai: paranóica no que diz respeito ao Malfoy.
_Que tal se você fosse sincera com ela? Por que não conta que sabe que ela chora quando está sozinha e a faz perceber que não ama esse cara?
_Porque ela vai achar que é só implicância minha, mas se ela conhecesse alguém bem maneiro, aposto que desistiria de casar com o Malfoy.
_Hum... Sua mãe não conhece nenhum cara legal, de quem você gosta, e que poderia fazê-la se esquecer, ou pelo menos, não sofrer tanto pelo seu pai?
_Hum... Tem o tio Neville, mas agora ele está casado. – ela ficou pensativa. – Mas eu queria mesmo que minha mãe conhecesse você! – falou, empolgada.
_Eu! – ele se surpreendeu. – Eu adoraria conhecer sua mãe, Lily...
_Então!
_Mas eu já tenho noiva... – ele mostrou a aliança na mão direita.
_Mas se não tivesse... – ela sorriu, esperançosa.
_Não é assim que funciona, Lily.
_Por que não? Você viu a minha mãe, não viu? Ela não é linda?
_Bom, eu a vi muito rápido e...
_Ela é linda, não é?
_É muito bonita sim, mas...
_Vocês formam o par perfeito! E eu ia adorar que meu padrasto fosse dono de uma loja de bonecas!
_Como você é interesseira! – ele riu. – Mas eu já disse, não é assim que as coisas funcionam, Lily. Só porque você não gosta do noivo da sua mãe e gosta muito de mim não quer dizer que pode simplesmente nos juntar e achar que vai dar certo.
_Mas eu posso tentar!
_Não Lily! – ele encerrou. – Não se pode ter tudo. Se você não acha certo sua mãe se casar com ele, então converse com ela, mas não tente forçar nada. Não vai dar certo.
_Puxa, Josh. Eu achei que você ia gostar da idéia. – ela ficou chateada.
_Sinto muito, mas nem tudo acontece do jeito que queremos. – ele tentou consolá-la. – Não podemos querer mudar a vida das pessoas só para nos satisfazer.
_Humpf. Você ama mesmo essa Stephane?
_Lily... Não se trata disso... – ele tentou.
_Ama ou não ama? Por que se não ama, melhor não se casar também!
_Lily! Isso é comigo! Não saia por aí dizendo tudo que pensa, mocinha, pode acabar chateando alguém. – ele falou, sério.
_Desculpe. – ela se retraiu, mais desanimada do que antes. – Já que você não pode me ajudar, acho que vou embora. – ela se levantou.
_Não fique triste comigo, Lily.
_Não... Tudo bem... – ela respondeu. – Josh? – ela parou no meio do caminho, com um sorriso maroto. – Você tem MSN?
_MSN? Tenho.
_Legal! Me adiciona?
_Claro. – ele sorriu, pegou um papel para anotar o endereço. – Diga qual é?
_gininha_potter.
_gininha? – ele estranhou.
_É... – ela respondeu, insegura. – É como as pessoas me chamam. Eu não disse que sou a cara da minha mãe? As pessoas me chamam de Gininha, já que ela é Gina.
_Hum... Sei.
_Eu sempre entro depois da meia noite. – completou.
_Sua mãe te deixa ficar acordada até essa hora?
_Ehr... Ela não sabe! – falou depressa. – Me adiciona, hein? Tchauzinho!
_Tchau. – ele respondeu, decididamente desconfiado. – gininha_potter? Sei não...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.