FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. Capítulo 18: A festa do Minist


Fic: Férias de Verão


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPÍTULO 18: A FESTA DO MINISTÉRIO

A semana transcorreu calmamente. Molly já estava tão bem que até tinha recebido alta. Na verdade, ela não agüentava mais ficar longe da Toca e pedia desesperadamente para Gina permitir que ela saísse do hospital. Mas era condição primordial que ela ficasse sob absoluto descanso, só assim seria permitido que a matriarca da família Weasley fosse à festa do Ministério.

Hermione estava mais tranqüila com estas notícias. O bem estar de Molly significava o bem estar de todos da família. Estavam a um dia da tão aclamada festa e infelizmente Rony não podia lhe dedicar total atenção, como ela estava acostumada. Ela resolveu então, organizar suas, já organizadas, coisas.

A morena foi até o microsistem em seu quarto e colocou um CD de uma banda trouxa que ela adorava (e não ouvia há muito tempo, já que eletricidade não funciona em Hogwarts) e depois se dirigiu à cesta de roupas passadas que Dafne havia levado. Lentamente ia arrumando tudo no armário.

Ouviu o som de baquetas batendo uma na outra. Ela realmente amava aquela música... Sua letra não era muito feliz, mas era linda de toda forma, isso sem falar da melodia, do arranjo... Tudo perfeito.

Is it getting better
Or do you feel the same?
Will it make it easier on you now
You got someone to blame?


Enquanto arrumava as roupas, ia balançando o corpo ao som suave da música e cantava baixinho.

You say
One love, one life
When it's one need
In the night
One love
We get to share it
It leaves you, baby
If you don't care for it


Rony ia saindo do seu quarto quando ouviu um som vindo do quarto da amiga. Ele sorriu.

Ela ainda gosta dessa banda, pensou.

Ele lembrou do dia em que foi apresentado ao CD do U2, logo após a formatura quando foram passar um final de semana na casa dos Granger. Nestes dois dias, Hermione apresentou aos amigos um pouco de música trouxa (aquilo que ela considerava ser o melhor) e de cinema também. Desde esse dia, os Wesley aprenderam a admirar a música e todo tipo de arte trouxa.

Did I disappoint you
Or leave a bad taste in your mouth?
You act like you never had love
And you want me to go without
Well, it's too late
Tonight
To drag your past out
Into the light
We're one
But we're not the same
We get to carry each other
Carry each other
One


Ele caminhou até a porta aberta do quarto da amiga e ficou parado à soleira, observando. A garota estava tão leve, parecia tão bem! Um anjo. Podia distinguir a voz dela cantando baixinho… parecia o canto de uma vela. Ele estava hipnotizado.

Have you come here for forgiveness?
Have you come to raise the dead?
Have you come to play Jesus
To the lepers in your head?
Did I ask too much


Ele não pôde mais resistir e se aproximou. Ela não percebeu, pois estava de costas e com os olhos fechados enquanto cantava. Apenas sentiu os braços fortes envolverem-na pelas costas. Apenas sentiu o perfume do corpo de Rony invadir suas narinas. Apenas sentiu a pele do peito nu dele encostar-se à pele que sua blusinha deixava à mostra.
Merlin, por que ele não usa camisa dentro de casa! Talvez porque esteja fazendo muito calor, né sua tonta! E porque ele tem um físico que permite isto... e sorriu com seus próprios pensamentos.

More than a lot?
You gave me nothing now
It's all I got
We're one
But we're not the same
We will
We hurt each other
Then we do it again
You say


Ela sentiu que ele balançava o corpo junto ao dela, em uma dança lenta… suave. Fechou os olhos e sorriu quando ele encostou a cabeça em sua face... Quando ele cantou baixinho ao seu ouvido:

Love is a temple
Love, a higher law
Love is a temple
Love, the higher law


Ela cantou junto com ele. Mas o que estava acontecendo ali? Seus pensamentos estavam fervilhando... Mas não conseguia se concentrar na razão. Algo a impedia de raciocinar. Talvez fosse a música, ou o perfume, os braços, ou o contato, ou a voz... Ela não conseguia identificar quais dos elementos eram responsáveis, mas algum deles, ou talvez todos ao mesmo tempo, estava fazendo um efeito devastador dentro dela.

You ask me to enter
And then you make me crawl
And I can't be holding on
To what you got
When all you got is hurt


- Vira pra mim… - ela percebeu que a voz do ruivo não estava mais no ritmo da música, mas sussurrava um pedido ao qual ela não hesitou em conceder.

Virou-se para o amigo que a envolveu pela cintura enquanto ela passava os braços ao redor do pescoço dele, enquanto a música embalava seus corpos. Olhavam-se nos olhos... Ele estava com a cabeça um pouco baixa para poder olhar nos olhos dela. Isto fazia com que mechas cor de fogo pendessem sobre sua face. Hermione não sabia o porquê, mas aquele mar de fogo a encantava.

Ele estava tão... Tão... Diferente. Não tinha o habitual olhar brincalhão, mas um olhar diferente, com se estivesse olhando para algo precioso... Estava lindo! Isso, essa era a palavra, Ronald Wesley estava lindo! Hermione sentiu um frio na barriga quando percebeu que aquele não era mais o garotinho de Hogwarts, inseguro, impulsivo (tá, isso ele ainda era um pouco), meio bobo... Ele era um homem lindo! E estava olhando para ela com... Desejo?! Isso é desejo nos olhos dele?

One love
One blood
One life you got
To do what you should
One life
With each other
Sisters, brothers


Ah, meu Merlin… eu acho que ele vai me beijar…

Foi o que ela pensou quando sentiu algumas mechas de cabelos ruivos roçarem sua face, sinal de que seus rostos estavam se aproximando. Por Merlin, o que ela iria fazer?

Fechar o olhos e entreabrir os lábios não é sua tonta! É isso que se faz quando se beija alguém, uma vozinha em sua cabeça se pronunciou.

E enquanto fechava seus olhos, percebeu que Rony fazia o mesmo. Agora era só esperar pelo encontro dos lábios. Mas parecia que não ia ser tão rápido, pois agora ele brincava com os dedos pela cintura dela... E ia subindo até que chegou ao pescoço, onde ela sentiu um arrepio percorrer todo seu corpo.

Isso é tortura!.

Ele então tocou seu rosto e a estava trazendo para mais perto dele.
One life
But we're not the same
We get to carry each other
Carry each other
One ... one
Uh, uh, uh, oh
Make, make it, make it
Ahh, ahh, oh
Ahh, ahh
And one
Ahh, ahh ... oh


- Senhorita Granger, Dafne trouxe o resto da sua roupa…

Eles se separaram num suspiro. Estavam rubros como os cabelos dos Wesley e olhavam para todos os lugares do aposento, menos um para o outro ou para a elfa que estava parada na porta.

- Desculpa Ronald Wesley, meu senhor... Senhorita Granger, eu não queria atrapalhar nada...

- Não atrapalhou nada Dafne – disse Hermione tentando se recompor e pegando a pilha de roupas das mãos da elfa – obrigada.

- Mione... Hã... Eu vim avisar que vou ao ministério... Er... Reunião sabe? Antes das nomeações sempre há uma reunião...

- Certo, eu vou ficar em casa

Em casa? Meu Deus, já está até me apossando da casa dele! Onde você está com a cabeça Hermione?...

- Tá... Eu volto logo... Se quiser sair...

- Não, eu não quero hoje.

- Tá... Então txau – e saiu sem dar o costumeiro beijo no rosto de uma desapontada Hermione.

- Desculpe mesmo senhorita Granger...

Hermione suspirou.

- Já disse, não precisa se desculpar – mas no fundo, ela estava com vontade de dar um pontapé naquela elfa... E esse pensamento maldoso fez com que quase azarasse a si mesma.

**************************

Um grande auditório onde praticamente todos os funcionários do Ministério da Magia estavam reunidos. Todos os chefes de departamento fazendo seus discursos de despedida, blá, blá, blá...

Enfim, estava tudo um saco!

Era nisso que Ronald Wesley estava pensando desde que chegara ali. Reunião chata. Pessoas chatas. Discursos chatos. Na verdade ele nunca gostara destas “solenidades” inúteis. Desde Hogwarts com suas reuniões (chatas) entre monitores. Assuntos inúteis e tempo perdido... Certo, nem sempre os assuntos eram tão inúteis, mas havia Hermione... Ela gostava destas coisas insuportáveis. Infelizmente ela não seguiu carreira no Ministério... E não estava mais ali para reter informações por ele.

Droga!

Ele soltou um suspiro de frustração. Harry, que estava ao seu lado o olhou intrigado. Rony fez mímica como se estivesse se enforcando e colocou a língua pra fora fazendo o amigo rir baixinho. De repente ouviram aplausos. Mais um “ex-chefe de departamento” tinha acabado de falar. Os dois trataram de aplaudir também.

- O que é que você tem, cara? – cochichou Harry – Tá tão inquieto...

- Vai dizer que você tá gostando disso?

- Claro que não. Mas geralmente você dorme... Hoje você está inquieto.

Antes que Rony pudesse responder Scrimgeour levantou-se e se encaminhou ao púlpito. Todas as conversas cessaram, pois o discurso de despedida do Ministro da Magia ia começar.

- Os aplausos acordam a gente né? – perguntou baixinho o ruivo.

- Aham.

Os dois afundaram nas poltronas.

- Noite, Harry!

- Noite Ron!

*********************************

A reunião já tinha acabado. Como o esperado, os aplausos despertaram os dois amigos e eles puderam presenciar o futuro “ex-ministro” receber uma placa em homenagem aos anos de serviço à comunidade bruxa. Já estavam no corredor quando Harry voltou a puxar assunto.

- E então... Vai me contar o que tá acontecendo?

De repente as orelhas de Rony ficaram vermelhas e ele guiou o amigo para a saída do prédio.

- Okay... – começou ele – eu tenho um problema...

- Certo. Vamos conversar lá em casa.

E aparataram na sala de estar da casa de Harry. Imediatamente Dobby apareceu, fazendo uma grande e exagerada reverência para Rony.

- Meu senhor... Senhor Wesley... A quanto tempo não o via... Os meus senhores desejam alguma coisa?

- Chá e biscoitos? – perguntou Harry, Rony deu de ombros – Chá e biscoitos, por favor Dobby...

O elfo desapareceu com um estalo. Rony deixou-se cair no sofá.

- O que houve? – perguntou Harry.

Rony suspirou. Respirou fundo e depois disse rapidamente.

- Eu quase beijei a Mione, hoje de manhã.

- É, realmente você tem um problema...

- Eu sei disso... Na verdade não faço idéia do que aconteceu comigo, ela estava ali... Tão linda, tão entregue...

- Você teve a chance de beijar a Hermione e não o fez... É cara, você só pode ter um sério problema mental. – Rony olhou estupefato para o amigo, que prosseguiu – Ah, Ron... Pelo amor de Merlin! Conta pra mim. O que realmente está acontecendo naquela casa?

- Do que você está falando?

- De você e da Mione... O que é que tá rolando?

- Ora! Eu estou ajudando ela a descansar... E a se divertir um pouco.

- Certo. Eu quero saber o que tá acontecendo além da desculpa oficial. Vocês dois foram loucamente apaixonados um pelo outro – Rony ia protestar, mas Harry não deixou – então passaram um bom tempo separados e agora estão vivendo sob o mesmo teto. Não pode ser tudo tão normal assim!

- Certo – disse ele depois de um suspiro – ela é meu amor de adolescente... E se transformou na mulher mais maravilhosa que eu conheço, com o gênio tão forte quanto o meu, o que ás vezes atrapalha um pouco, é engraçada, linda... – fez uma pausa – eu tô confuso.

Harry sorriu.

- Então quer dizer que a paixão voltou.

- Eu não sei se é paixão, desejo, só atração – o ruivo disse rendido – simplesmente não sei o que tá acontecendo...

- Então porque não tenta descobrir.

- É da Mione que nós estamos falando...

- Sabe... Vocês têm algo não resolvido. Nunca extravasaram essa... “Paixão”. Não se permitiram isso... Precisam se dar uma chance.

- Harry... É da Hermione que estamos falando. A garotinha mandona e sabe-tudo que conhecemos quando crianças... A nossa companheira desde os 11 anos...

- Que se transformou numa mulher muito bonita e interessante. Com sorriso largo e contagiante...

A cada palavra que Harry dizia, os olhos do ruivo brilhavam e um sorriso se alargava em sua face.

- Eu preciso ir... – de repente Rony se levantou – acho que vou ver a mamãe...

- Pensa no que a gente conversou cara...

Rony acenou com a cabeça e aparatou. Instantes depois, Dobby chegou com uma bandeja.

- Onde está o senhor Wesley?

- Ele teve que ir Dobby... Tinha muito que pensar.


***************************

- Mamãe, pelo amor de Deus! Se continuar agindo assim, vou ter que levá-la novamente para o hospital! – Exclamou Gina nervosa.

- Eu já disse que eu cuido de tudo... Mollí! – Fleur tentava agradar a sogra.

- Como vai a ruiva mais maravilhosa do mundo! – disse Rony aparecendo na porta do quarto da mãe.

- Você devia dizer ruiva mais teimosa! – bufou Gina.

- O que foi mamãe? O que essas mulheres malvadas e insuportáveis querem fazer com a senhora? – brincou ele.

- Ronald! – protestaram as duas moças.

- Elas pensam que eu estou inválida! – Molly fez carranca.

- Francamente! – Rony cruzou os braços.

- Nem vem Rony! Se ela não se comportar direitinho, não a deixo ir à festa amanhã...

- Viu mãe? O que a Gina está querendo fazer? Ela é má! Eu acho que tem uma caveira tatuada no braço esquerdo dela – Gina o fuzilou com o olhar – Mas ela tem razão... A senhora tem que ficar quietinha – cochichou no ouvido dela – se não a Gi malvada não vai deixar a senhora de divertir amanhã...

- Mas eu tô cansada de ficar trancada neste quarto!

- Eu levo a senhora lá pra baixo se prometer ficar quietinha viu?

- Eu prometo.

Rony lançou á irmã um olhar interrogativo. Ela suspirou se dando por vencida. O ruivo pegou a mãe no colo e a colocou no sofá da sala.

- Ah, e como foi a reunião? – perguntou Gina.

- Produtiva.

- Você dormiu né?

- Eu e o Harry. Mas foi só no discurso do Scrimgeour.

- Vocês são impossíveis! Só espero que não tenham babado nas poltronas do auditório do Ministério... – Rony lhe estirou a língua – Eu tenho que ir agora – disse Gina depositando um beijo na testa da mãe – e comporte-se! A Fleur vai me deixar a par de tudo viu?

Molly fez uma careta.

- Gina? – disse Rony e ela se virou – 20h00min viu? Comece a se arrumar cedo, pelo amor de Merlin! – Gina estirou a língua para o irmão e aparatou.

**************************************

Rony tinha acabado de se vestir. Estava com um traje a rigor totalmente preto. Foi para frente do espelho, tinha que arrumar aquele cabelo de algum jeito. Mas ele estava muito grande para colocar todo para trás... Talvez desse para prendê-los.

Foi até o quarto de Hermione deus três pequenas batidas na porta.

- O que é? - respondeu ela de dentro.

- Mione, você pode me ajudar?

- Ajudar em quê – disse ela surgindo na porta – Nossa! – ela suspirou ao ver o ruivo – Essa roupa ficou muito bem em você... – disse tentando parecer casual.

- Obrigado... – respondeu ele sem graça.

Ele viu que Hermione estava com um vestido de tecido bem fino, cor de vinho, que realçava bem em sua pele clara. Ele tinha as alças bem finas e apesar de deixar todo o colo dela a mostra, era até “bem comportado”. Os cabelos dela estavam lisos. Ainda não estavam totalmente arrumados, estavam presos como forma de deixar o rosto “livre para maquiagem”, que já estava quase pronta.

- Meu cabelo... Você acha que dá pra prender? – perguntou ele.

Ela analisou o amigo por alguns segundos.

- Até dá... Mesmo que fique um rabo de cavalo bem pequeno... Você devia ter cortado esse cabelo sabia? – ele fez uma cara “cortar-meu-cabelo?!-Nem-a-pau!” e ela sorriu.

Na verdade... Não devia não. Está um charme desse jeito! Ela pensou.

Hermione pediu para ele entrar e sentar-se em uma cadeira. Foi até sua penteadeira e pegou um elástico preto, um pote de gel, um pente e foi até ele.

- Você vai deixar seus cabelos lisos hoje? – perguntou ele enquanto ela arrumava seus fios vermelhos.

- Aham... Pronto! Acabei! Por quê? – ela mostrou o espelho para ele.

- Sei lá... Eu acho os cachos bem mais bonitos... Brigado Mione! – disse ele dando um beijinho na bochecha dela e saindo do quarto.

A morena se olhou no espelho, suspirou. Soltou os cabelos e sorriu. Tinha que se apressar.

********************************

Rony voltou para seu quarto e mirou sua imagem no espelho mais uma vez. Gostou do que viu. Foi até seu guarda-roupas e abriu uma gaveta tirando de lá uma caixinha de veludo preto.

“Tomara que ela goste”.

******************************

Hermione descia as escadas rapidamente... Temia ter se atrasado. Antes que ela chegasse ao último degrau ouviu a voz suave de Rony.

- Calma Estrelinha... Ainda temos tempo.

- É que eu pensei que estava atrasada... – disse ela já na sala.

Rony se levantou e foi até ela. Olhou-a dos pés à cabeça, deixando-a um pouco sem graça. Por cima do vestido, ela tinha colocado um casaquinho aberto (bem curto, tipo bolero) da mesma cor, totalmente de renda e de mangas compridas que até pareciam uma segunda pele de tão colados.

- Não... Não estamos atrasados. – ele riu e tocou suavemente seus cabelos, segurando uma mecha deles, murmurando – cachos...

Realmente, ela tinha mudado todo o penteado. As madeixas que há alguns minutos estavam lisas, agora exibiam cachos bem definidos, que estavam soltos emoldurando o rosto da moça.

- Só porque hoje também será sua noite... – disse ela dando de ombros em uma falsa indiferença.

- Obrigado.

Ela riu envergonhada.

- Vamos?

- Espera um pouco – disse ele tirando uma caixinha preta de dentro do terno e entregando a ela. – Eu sei que seus brincos são lindos... Mas talvez... Er... Quem sabe... Eu pensei que.. Er... Você poderia gostar de usar este conjunto.

Ela abriu a caixinha de veludo devagar e quando viu seu conteúdo sua boca se escancarou. Era um conjunto de gargantilha e brincos. A gargantilha era prateada e com minúsculas estrelinhas transparentes que emitiam um brilho hipnotizador, os brincos seguiam a mesma estrutura.

- Ron... Eu... Meu Merlin... Isso é prata e bri...

- Na verdade são brilhantes e ouro branco. – havia expectativa na voz dele – O que achou?

- São maravilhosos! – ela fitou o amigo, seus olhos brilhavam – Eu não... Eu não posso aceitar...

- Por quê?

- Ron, devem ter sido uma fortuna...

- E foram... Mas eu comprei pra você. Aceite, por favor...

Hermione olhou para ele e sentou-se no sofá repousando a caixa aberta em seu colo. Depois tirou seus brincos e colocou os novos. Rony suspirou e sorriu.

- Me ajuda? – disse ela estendendo a gargantilha para ele.

Ela levantou e segurou os cabelos para que Rony pudesse fechar a jóia. Ele o fez bem devagar, aproveitando para tocar a pele dela. Para finalizar, depositou um beijinho no pescoço dela, fazendo-a ofegar.

Ela foi até um espelho que havia na sala e se mirou. Realmente Rony tinha bom gosto na hora de escolher presentes.

- Obrigada! – ela se virou para ele e sorriu. – Vamos?

*********************************

Em pouco tempo estavam no apartamento de Gina. Ela estava vestindo um vestido preto tomara-que-caia, levemente rodado em baixo, com luvas também pretas que iam até os cotovelos. Seus cabelos estavam presos em um rabo de cavalo elegante, com algumas mexas caindo em seu rosto. No pescoço havia uma correntinha com uma rosa vermelha como pingente e brincos combinando. Também presente de Rony.

- Ora! Estou esperando vocês a quinze minutos!

- Não reclame Gininha! – respondeu Rony exasperado. – E a mamãe?

- Vai com o papai, Fleur e Gui. – Respondeu ela fingindo estar zangada - Mentira... - Cochichou a ruiva para Hermione - Acabei de calçar os sapatos!

Hermione sorriu.

*****************************

Harry havia chegado ao Ministério fazia mais ou menos 20 minutos e até agora nem sinal de sua família. Muita gente já o cumprimentara e ele vagava pelo salão fazendo o “social”.

- E aí Harry, beleza?

Ele olhou para trás e viu Tonks, com os cabelos estranhamente castanhos, de braços dados com Lupin. Ele sorriu, contente em ver os dois amigos.

- Oi!

- Como se sente – perguntou Lupin.

- Nervoso... E cansado de responder perguntas sobre eu ter vindo ao baile sozinho – respondeu Harry torcendo as mãos.

- Fica relaxado senhor Ministro. – brincou Tonks.

Harry sorriu sem jeito.

- Tonks? – perguntou ele – O que aconteceu com... – e fez um gesto indicando os cabelos dela.

- Ahhh... Isso. – ela sorriu largamente e disse em tom manhoso – É que o Remo gosta deles dessa cor, natural... Né amooooor? – ela encostou a cabeça no ombro dele.

- É minha “ninfa” – respondeu o maroto sem graça. Tonks deu um beijinho estalado nele.

Harry baixou a cabeça e riu. Quando levantou os olhos viu que Arthur, Molly, Jorge, Fred, Gui e Fleur adentravam o salão.

- Harry querido! – exclamou Molly.

- Olá! – sorriu ele para todos os Weasley que estavam a sua frente.

- Como está Harry? – cumprimentou Arthur.

- Bem – respondeu o moreno depois de um suspiro.

- Oh, querido – disse Molly – bem que você podia ter arrumado melhor o cabelo....

- É que ele não arruma... – começou o moreno, mas foi interrompido por Fred e Jorge.

- Ora mamãe...

- Será que você ainda não se acostumou...

- Que o Harry é o nosso “porco-espinho” preferido...

Harry fez uma careta cínica para eles e continuou:

- Onde estão Rony, Hermione e Gina?

- Ah... – respondeu Arthur – o Rony ia passa para busca a Gina... Ou seja, vão demorar.

Todos riram, mas de repente ouviram a voz de Fleur.

- Êu ache que non von non...

Pela porta do salão Rony vinha entrando de braços dados com duas mulheres, uma ruiva e uma morena.

- Nosssa – continuou Fleur – o Rrrrron está uma charrrme!

- Fleur! Ele é meu irmão! – protestou Gui.

- Êu sssei... Masss que está charrrmosso esstá.

Harry não ouviu mais nada... Só conseguia enxergar a moça vestida de preto.

************

- Que é isso Weasley? Com duas logo! Bem que podia ceder uma pra mim...

- Nem pensar Crevey – respondeu Rony – a da direita é minha irmã e meu instinto protetor não permite isto e a da esquerda é minha acompanhante esta noite. Hoje somos um do outro e só!

Hermione corou furiosamente. Gina sorriu e se soltou do braço do irmão.

- Collin! – disse ela abraçando o amigo – não liga pro meu irmão possessivo!

- O problema não é seu irmão possessivo... são seus irmãos possessivos!

*******************************************

A festa transcorria calmamente. Na verdade, calma demais. A orquestra tocava uma música calma. Os garçons passavam aqui e acolá com as badejas, ora cheias, ora vazias. Grupinhos conversavam. Algumas pessoas podiam ser vistas bocejando pelo salão.

Penélope Clearwater, esposa de Percy, estava angustiadíssima. Ficou ao seu encargo organizar a festa e ela queria que fosse um sucesso. Mas pelo que estava vendo, não estava conseguindo fazer com que isso acontecesse.

- Calma meu bem... vamos dar um jeito... – tentava consolar Percy.

- Como? Eu não sei o que fazer...

- Sabe, o problema é que está tudo muito “frio” me entende? Se ao menos houvesse algo para esquentar este salão...

De repente o rosto da corvinal se iluminou.

- Percy meu amor... você é um gênio!

- Mas... o que... o que eu fiz? – perguntou ele confuso.

- Você me deu uma idéia maravilhosa!

- Que seria...?

- Onde estão Gina e Rony?

- O que você quer com eles?

- “Esquentar” este salão! – os olhos dela brilhavam...

- Você não está pensando...?

- Temos que achá-los logo!

E ela correu para encontrar os cunhados. Percy, ainda sem saber o que fazer, seguiu a esposa.

****************************

Encontraram Rony saindo do banheiro.

- Ron, estamos achando a festa um pouco parada demais... – disparou Penélope.

- Sim, é eu acho que está sim... E o que eu tenho a ver com isso?

- Pois é... estamos pensando em algo para chamar a atenção das pessoas... quem sabe uma homenagem ao ministro...

- Uma homenagem para o Scrimgeour? Eu não vou fazer parte disso!

- Na verdade, a gente pensou numa forma de você e a Gina mostrarem seus dotes artísticos...

- No que vocês estão pensando...? – Rony dirigiu-se ao irmão.

- Não me pergunte nada... a idéia é dela – disse Percy.

- Sabe aquele almoço... no aniversário da Luna...

- Você não quer que eu e a Gina...?

- Exatamente.

- Eu não sei se a Gina vai topar...

- Percy... vai chamar a Gina! – ordenou Penélope.

Em poucos minutos a ruiva se juntara ao grupo e ficou sabendo do plano da cunhada.

- Peraí... vocês querem que a gente...? Eu não vou ter coragem... já estou com vergonha desde agora...

- Pelo amor de Merlin! Pra que vocês fizeram aula tanto tempo? – exasperou-se Percy, que já estava apreciando a idéia.

Todos ficaram um momento calados, até que Gina se pronunciou.

- Tá bom... eu topo!

- Topa?! – perguntaram os três.

- Hum-hum...

- Se você topa... então eu topo! – disse Rony cauteloso.

***************************

Percy correu para a orquestra que fora contratada para a ocasião e cochichou alguma coisa para o maestro. Penélope foi até o palco e ampliou a voz.

- Boa noite a todos! Hoje é uma noite muito especial... e por isso, queremos abrilhantar ainda mais esta belíssima festa. Por isso, trouxemos uma apresentação para homenagear não somente o ministro e chefes de departamento, mas a todos vocês que estão aqui presentes. Gostaria de pedir que esvaziassem a pista de dança, por favor.

As pessoas abandonaram o local deixando somente Gina e Ron Weasley no meio do salão. Gina estava a uns 5 passos de distância de Rony e de costas para ele, que respirava fundo. Todos olhavam para os dois.

- Eu não acredito! – exclamou Harry.

- O que tá acontecendo – perguntou Hermione.

- Você vai ver...

De repente acordes são ouvidos e Rony se aproxima de Gina e a puxa pelo braço, fazendo-a ficar de frente para ele. Ela sorri marota e coloca um braço em seu ombro, o outro segurando mão dele.

Se supieras, que aún dentro de mi alma
Conservo aquel cariño
Que tuve para ti…


- Tango! – exclamou Hermione estupefata.

Quién sabe si supieras
Que nunca te he olvidado,
Volviendo a tu pasado
Te acordarás de mí…


O casal de ruivos começou a se movimentar pelo salão. Os passos perfeitamente sincronizados. Olhavam-se nos olhos, com expressões ora indecifráveis, ora insinuantes. Movimentos rápidos e precisos em uma dança extremamente sensual.

Los amigos ya no vienen
Ni siquiera a visitarme,
Nadie quiere consolarme
En mi aflicción…


Harry só tinha olhos para Gina. A respiração dele estava ofegante. O corpo dela deslizando pelo salão. As pernas dela surgindo debaixo da saia devido aos vários ganchos que ela executava com perfeição. Estava controlando-se ao máximo para não invadir aquela pista e tomá-la dos braços de seu melhor amigo. Se não tivesse tanto autocontrole, com certeza a faria dele no meio daquele salão.

Desde el día que te fuíste
Siento angustias en mi pecho,
Decí, percanta, ¿qué has hecho
De mí pobre corazón?


Hermione suspirou profundamente. Desde quando Rony era tão sexy? Másculo? Sedutor? Ele realmente tinha incorporado o “amante latino” e ela queria desesperadamente estar lugar de Gina. A força e a delicadeza coexistindo nos movimentos precisos e encantadores dele. Ela ouvia outras mulheres suspirarem e isto a estava irritando profundamente. Talvez ele tenha percebido pois sorriu sedutoramente e levantou os olhos. Ele ainda tinha a mesma expressão galante no rosto quando cruzou o olhar com o de Hermione, fazendo-a tremer e ter que se segurar na parede para não cair ali mesmo.

Se supieras, que aún dentro de mi alma
Conservo aquel cariño
Que tuve para ti…


Em um movimento ágil, Rony girou seu corpo junto ao de Gina. No fim do movimento, a moça escapou de seus braços, mas ele a trouxe de volta como no início da dança. Gina voltou para os braços do irmão e olhava fixamente em seus olhos, enquanto suas pernas iam e vinham como se desenhando um “oito” no chão.

- Onde eles aprenderam isso?

- Fizeram aula de dança por muito tempo... arrependo-me até hoje de não ter entrado junto com eles.

Quién sabe si supieras
Que nunca te he olvidado,
Volviendo a tu pasado
Te acordarás de mí…


Em um último movimento, Rony trouxe Gina de encontro ao seu corpo, fazendo-a se inclinar sobre ele. Pararam ofegantes e se levantaram. Estavam tão vermelhos quanto seus cabelos. Sorriram sem graça um para o outro então o salão inteiro explodiu em aplausos.

- Nada mal... para quem está fora de forma. – disse Rony.

- Parabéns pra nós! – sorriu Gina.

*************************

Gina se aproximou de Harry que conversava com seu irmão e Hermione. Eles falavam sobre as entranhas do Ministério.

- Olha quem eu achei! – disse Gina animada.

- Rebeca! – exclamou Harry.

- Oííí! Ron! Mione! – disse ela abraçando os amigos. – Merlin! Como faz tempo né? A tanto tempo que eu não saía da Espanha...

- Rebeca... – começou Hermione – Você está...?

- Grávida! É estou com 5 meses... – cortou a espanhola – Esteván e eu resolvemos que já era hora né?

- Onde está Esteván? – perguntou Harry.

- Está ali... com o pessoal da embaixada.

- Eu nem acredito... nossa garotinha está grávida – brincou Rony passando a mão na barriga dela.

- Vocês também deviam tomar vergonha na cara e se amarrar a alguém – brincou Rebeca – eu digo isso pra vocês duas também – apontou para Gina e Hermione. – pode não ser perfeito, mas é maravilhoso! Eu garanto.

- Quem sabe a gente segue seu conselho... – piscou Gina.

- Siiiim... parabéns! O tango foi belíssimo – disse ela para Rony e Gina que coraram imediatamente.

- Obrigado... – murmuraram os dois.

- Agora que vocês sabem o essencial da minha vida, eu quero saber como vocês estão! – Rebeca sorria.

E ficaram um bom tempo atualizando as conversas.

********************

Toda a família Weasley estava conversando animadamente em um canto do salão. De repente uma estagiária do Ministério chamou Harry para uma sessão de fotos junto do futuro “ex-ministro”. Ainda que meio contrariado, Harry foi.

Fred olhou para a entrada do salão e viu Draco Malfoy chegando.

- Será que Snape vem? – perguntou ele.

- Não. – respondeu Gina. – Ele alegou muito trabalho na França.

- Eu acho que ele não se esforçaria muito para ver a ascensão de Harry – alfinetou Rony.

- É melhor assim. – disse Hermione.

Momentos depois viram Luna se aproximando. Ela estava com os cabelos soltos uma maquiagem bem delicada e um vestido cor-de-champagne com algumas pedras bordadas.

Ela cumprimentou a todos e se dirigiu a Rony.

- Será que eu mereço uma dança?

- Quantas quiser – respondeu ele sorrindo. – Quer dizer... se minha adorável acompanhante não se incomodar...

Hermione foi pega de surpresa por este comentário. Olhou ao seu redor e viu que todos os Weasleys olhavam para ela apreensivos; Rony lhe sorria e a expressão de Luna estava serena.

- Claro que eu não me incomodo – ela deu de ombros, mas sentindo suas entranhas se retorcerem.

- Vamos então? – Rony deu o braço para Luna, beijou Hermione no rosto e completou – Volto logo.

A morena ensaiou um sorriso de compreensão que morreu quando viu Luna sorrindo para ela em agradecimento.

Quando eles já estavam no salão, Hermione olhou para todos que repentinamente haviam ficado um tanto calados e disse:

- Vou dar uma volta.

E saiu caminhando pelo salão, evitando olhar para a pista de dança. De repente ela sentiu-se sendo seguida e virou dando de cara com alguém que não queria encontrar.

- Hermione?

Ela reconheceu a moça que havia conhecido no aniversário de Harry...

- Ah, oi Priscila...

- Olá! Você está linda! – e ela abraçou a morena que retribuiu hesitante o abraço. – Onde está o meu Rony?

Hermione puxou o ar tentando se manter calma. Abriu a boca para dizer algo, mas foi salva por Gina.

- Priscila!

- Oi Gina!

Elas se abraçaram e trocaram elogios sob o olhar entediado de Hermione.

- Cadê seu irmão?

- Tá ali... dançando com a Luna.

- Ah, a famosa Luna...

- Relaxa... eles são só amigos agora...

- Quero só ver quando ela se der conta da burrada que fez... igual a mim.

As duas riram e Hermione tentou acompanhar... embora não estivesse achando graça nenhuma.

- Oh meu Merlin! – exclamou Priscila – Aquele ali, conversando com o Harry não é...

O sorriso de Hermione se alargou e ela correu em direção ao homem.

- Vítor Krum – suspirou Gina – E lá vamos nós...

- Que foi?

- Bom, Pri... é que... digamos que o Rony e o Krum não se dão muito bem.

- Ah, certo! Então devemos mantê-los longe um do outro?

- A solução ideal seria manter a Hermione longe dos dois.

Priscila não pôde segurar o risinho.

************************

- Vítor! – disse Hermione se jogando nos braços do amigo.

- Hermioni-ni! Focê non faz idéia das saudates que senti!

- Eu também...

- Ouça... Eu precisso muito conferssar com focê, mass agora precisso falar com o ministro.

- Tudo bem... então nos vemos por aí.

Krum beijou o topo da cabeça da morena e saiu. Ela ficou um momento parada, então olhou ao seu redor e percebeu que, da pista de dança, Rony olhava para ela. Hermione deu um tchauzinho, acompanhado de um risinho irônico e saiu para procurar Tonks. Nem esperou para ver a careta de indignação do ruivo.


********************

Hermione conversava com Tonks sobre alguns assuntos não tão importantes, quando Krum se aproximou das duas. Ele cumprimentou a metamorfomaga e olhou sério para a morena.

- Precissamos terminarr aquela conferssa...

- Aqui não é o melhor lugar Vítor...

- Se não for aqui, não será nunca.

Hermione olhou para a amiga e esta sorriu.

- Conversamos depois Mione... Vou atrás do meu lobinho...

- Ele está ali, com Harry, Rony, Rebeca e o marido dela.

- Beleza! Nos vemos depois então.

- Focê se importa de conferssar lá fora? – perguntou o Búlgaro.

- Não – e se dirigiram para os jardins.

********************

Tonks caminhou para perto do grupo.

- Oi! – cumprimentou ela e deu um beijinho no marido. – Rebeca, sua barriga está linda!

- Não é? – a outra respondeu com a mão sobre o ventre – Eu também acho.

- E então Esteván... não pensa em mudar para Londres? – Perguntou Lupin.

- Bién... apesar de gostar mucho de la Grã-Bretanha, la España es nuestro lar.

- Além do mais… – completou Rebeca – O Ministério de lá precisa de nós.

- Cadê a Mione heim? – perguntou Rony tentando parecer casual.

- Ah – respondeu Tonks – olha ela ali, indo para os jardins com o Krum... parece que eles têm um assunto para resolver... ai!

Lupin havia lhe dado um pequeno empurrão. Harry e Rebeca sorriam. Esteván não entendia nada e Rony bufava impaciente.

- Acho que vou atrás da Gina. – disser o ruivo impaciente.

Quando achou que ninguém estava reparando nele, Rony caminhou para os jardins. Não podia deixar Hermione sozinha com aquele búlgaro imbecil!

Ele procurava pelos cantos apressado. Tinha medo de... na verdade nem sabia do que estava com medo... mas sabia que tinha que encontrá-la.

Parou e se escondeu nas sombras quando ouviu aquele sotaque que tanto o repudiava.

- Hermioni-ni... por fafor... aceite. – suplicava Vítor Krum.

- Vítor… você sabe que eu não posso... – Hermione tentava fazê-lo entender... e parecia desolada em recusar o que Krum lhe oferecia.

- Fenha comigo... preciso de focê...

- Deve haver outra pessoa... Merlin! Sua proposta é tentadora... você sabe disso, sabe o que significa pra mim. Eu não posso ir com você.

- Eu aceito suas contições, ssejam quais forem.

- Eu teria que abandonar toda minha vida aqui, meus pais, Hogwarts... não seria tão fácil deixar a Inglaterra e ir para a Bulgária com você.

- Mas...

- A vontade é grande Vítor... você me deixa realmente balançada com sua proposta, mas eu tenho uma vida aqui.

- Herm... focê sabe o quanto é especial para mim... e é por isso que eu a escolhi... não há outra pessoa a quem eu faria este pedido...

- Você também é muito especial para mim, Vítor...

- Fique com isto... ao menos pense melhor em minha proposta. Se não for você... não será ninguém.

- Eu prometo que o farei.

Rony não quis ouvir mais nada. Não queria saber o que o idiota do Krum tinha dado a Hermione. Devia ser algo muito valioso... Saiu mal-humorado para o salão, onde encontrou sua família e Harry.

- Que houve Ron? – Perguntou a senhora Weasley.

- Nada.

De repente ele olhou para frente e viu Hermione e Krum de braços dados vindo em direção a eles. Os dois estavam com expressões sérias.

- Eu vou pegar uma bebida – disse saindo rapidamente.

- O que aconte... – Gina começou, mas calou-se quando viu Hermione e Krum. Ela já tinha entendido tudo.

***********************

Luna caminhava distraidamente pelo salão, quando sentiu o hálito quente de alguém sussurrar em seu ouvido.

- Vejo que está bem melhor não é?

- Sim, estou melhor... Malfoy. Tem certeza que deseja ser visto comigo?

- Na verdade, eu preferiria estar em um lugar onde não pudéssemos ser vistos...

- E onde você gostaria de estar?

- No banheiro mais próximo talvez...

Luna deu uma risadinha.

- Ora, alguém com o sangue dos Malfoy visto com “Di-lua Lovegood”... seria estranho.

- Eu não sou apenas um Malfoy... sou... um Black!

Luna arqueou as sobrancelhas. Draco sorriu.

- Certo, não ajudou muito né? – disse ele esfregando o pescoço – Mas pelo menos esse lado da família conta com o nome do Sirius pra redimi-la!

Luna gargalhou.

- Realmente você tem argumentos... mas... talvez mais tarde Draco Black. – e saiu.

Draco ficou alguns segundos no mesmo lugar. Passou a mão pelos cabelos e sorriu.

- O que é que tá havendo com você Draco? – disse para si mesmo – Será que loucura é contagiosa?

***********************

Rony estava bebendo tranquilamente seu wiskhy quando viu a turma do seu departamento reunida. Resolveu conversar com eles um pouco, mas não conseguiu caminhar até o grupo. Hermione se pôs na sua frente com os braços cruzados sobre o peito.

- Onde você estava? – perguntou mandona.

- Por aí.

- E o que aconteceu com o seu conceito de “adorável companhia” e “somos um do outro esta noite”?

- Você estava um tanto ocupada...

- E você não?

- ...

- Francamente! – e virou-se para sair, mas não conseguiu dar dois passos. Rony a tinha segurado pelos.

- Dança comigo?

- Pensei que você não fosse pedir...

Ele a conduziu pelo salão. A partir deste momento, Rony prometeu que a noite seria apenas deles dois.

****************************
Olá meus queridos! Desculpem a demora, é que não deu mesmo pra postar antes. Faltaram tempo e inspiração. Na verdade, eu não gostei do capítulo, mas não podia deixar de postar, já que vou fazer uma viagem (nada de diversão... é do estágio) e isso atrasaria mais... não podia deixá-los esperando... acho que devo isso a vocês...

Por eu estar tão sem tempo, não vou poder comentar os comentários... =[ o que me deixa muito triste. Mas de toda forma, agradeço imensamente a todos que comentaram. Obrigada mesmo pelo carinho viu? Adoro todos vocês!

Antes de ir, tenho alguns comentários indispensáveis:
A festa ainda tem muito que rolar!
Eu tinha que colocar o Rony vestido de preto! (imaginem só... ele deve ter ficado uma tentação!!!!);
Eu tinha que colocar o tango! (amo tango!!!) Imaginem dois ruivos dançando aquela dança “caliente”, ai, ai... O nome da música é “La cumparsita”, se puderem ouvi-la...
A outra música do capítulo é “One” do U2 (belíssima!).
Prometo que o próximo capítulo será melhor!

Besos a todos!!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 02/10/2011

Dança um tango com ela Ron...*----------*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.