FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

16. Último Suspiro (NOVO)


Fic: Assunto De Meninas - ÚLTIMO CAPÍTULO POSTADO


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Demorou mas tá aí! Ainda não tem uma explicação completa dos fatos mas quem foi observador verá que tem várias pistas do que está acontecendo!!! Prometo postar o prox capítulo o mais breve possível!
________________________________________________________________

Ela sentou-se ali mesmo e pesadas lágrimas começaram a escorrer em sua face, olhou para Hermione deitada tranquilamente e sentiu um onda de ódio invadir cada célula de seu corpo ao pensar que estava sendo enganada por quem havia dado tudo de si. Lembrava das palavras de Hermione no vestiário e por um momento achou que fossem verdades, naquele momento o mundo de Katrina Kimble começara a se desmoronar.

Havia pensado em acordar a garota naquela hora mesmo e pedir explicações, mas estava fraca e achava que qualquer atitude tomada agora seria de extrema burrice pois do jeito que estava podia fazer besteiras se ouvisse a voz de Hermione. Enxugou as lágrimas teimosas em seu rosto, dobrou a carta e colocou-a do mesmo jeito que havia encontrado, sentiu uma violenta onda de ânsia ao olhar a garota deitada tranquilamente, sentiu que cada fibra de seu corpo aclamava por vingança, mas estava fraca, sem vida... sem sentimentos e nem percebeu que na cama oposta uma garota vigiava Katrina com um sorriso debochado nos lábios.

Andou meio perdida pelo castelo, seus pensamentos voavam pela sua cabeça, parecia que seu cérebro ia explodir junto com seu coração! Entrou no banheiro da Murta e não conseguiu segurar um grito que veio do fundo de sua alma. Jogou-se contra a parede, chorando, como se quisesse acabar-se em lágrimas, queria parar de sofrer. Os soluços saiam secos de sua garganta que parecia que ia rasgar tamanha era a dor que vinha de dentro de seu corpo, sua pele pálida tingiu-se de vermelho ao socar um velho espelho.

Não sentia nenhuma dor física, mesmo tendo cacos de vidos enterrados em sua mão que sengrava violetamente, talvez, pensava ela, a dor física substituiria a dor psicológica, mas a solidão e o descaso eram maiores do que qualquer corte superficial, pois aquela simples palavra escrita por Hermione, havia cortado o coração de Katrina em milhares de pedaços, que jamais poderiam ser juntados de novo.

Sua camisa agora estava manchada de sangue, sua maquiagem escorria pela sua face, seus olhos estavam vermelhos de tanto chorar, haviam profundos machucados nas duas mãos mas ela parecia não se importar. Jogada contra a parede, na esperança de que tudo aquilo fosse apenas um pesadelo e que ela iria acordar e descobrir que Hermione nunca a traíra, mas ela sabia que aquilo ela a mais dura realidade. Com dificuldade pôs-se de pé e enrolou as mãos em pedaços de papel, olhou ao seu redor e estava completamente perdida. Não sabia aonde ir e nem o que fazer, seu cérebro trabalhava com extrema lerdeza, como se quisesse processar cada palavra daquela maldita carta. Decidiu-se em ir para as masmorras, eram duas horas quando entrou e encontrou o salão completamente vazio, nem mesmo Lillys estava acordada, o que era melhor, pois não queria dar satisfação para ninguém.

Acendeu a luz do banheiro e jogou-se dentro do boxe, mal a água tocou seu pálida pele e ela vacilou pela dor dos cortes que só agora vieram realmente doer. Sentiu a água morna descendo pelo seu corpo e nem se deu conta que ainda estava de roupa, com extrema dificuldade, tirou-as e voltou para o banho, suas mãos ardiam violentamente. Arrancou uns cacos que ainda estavam presos e sentou-se no chão, vendo o sangue escorrer pela suas coxas e ir embora pelo ralo. Aos poucos sua razão foi substituindo a emoção e Katrina conseguiu pensar com mais clareza, queria se vingar de Youri e de Hermione por terem enganado-a por tanto tempo. Será que Hermione nunca amara ela de verdade? Por que então ela havia se dado o trabalho de correr atrás dela?

Seus olhos estavam fechados, como se quisesse simplismente esquecer tudo isso, algumas lágrimas ainda escorriam, balançou a cabeça como se quisesse afastar um pensamento ruim da cabeça. Lembrou-se de seus pais, tão ausentes quanto a sua própria felicidade, pessoas que substituiram o amor materno por bens que não faziam a menor diferença para ela. Durante anos ela sempre quis apenas alguém para lhe dar boa-noite, alguém que pudesse abraça-la nos natais e aniversários, mas apenas encontrava um cartão, um cartão e um fabuloso presente que era esquecido em semanas. Aquilo revoltou-a mais do que qualquer outra coisa, havia sido esquecida pelos pais e traída pela única pessoa que amara de verdade, abriu os olhos e jurou para si mesma que não iria mais sofrer.

___

- Você está realmente péssima Kim! - Lillys observou a garota que parecia mais sombria do que o normal - Come alguma coisa...

- Já disse que não quero nada!

- O que aconteceu com suas mãos? - Perguntou a menina assustada ao ver os vários cortes.

- Eu... Eu me machuquei... Só isso...

- EU te conheço muito bem! O que foi isso?!

- Olha... Não foi nada certo? - Ela pegou um bolinho de abóbora de má vontade - Vou comer tá bom?

- E a Granger? - Perguntou Lillys ainda meio contrariada.

- Deve estar chegando já - Katrina sentiu uma onda de ódio ao ouvir aquele nome mas não conseguiu impedir Hermione de abraçá-la quando a garota deu bom-dia.

- Você está com olheiras... Não dormiu direito? - Perguntou enquanto andavam pelos jardins alguns minutos depois.

- É... Insônia sabe...

- Está quieta demais - Hermione sorriu - Aconteceu alguma coisa?

- Não, nada - Ela sorriu - Está pronta para o próximo teste?

- Sim... Mas eu preciso dar uma olhada nos livros ainda - Ela levou a garota para um canto escondido - Depois nos vemos certo?

- Certo...

Katrina tentou se controlar mas a curiosidade foi maior e ela viu de relance alguns dos pensamentos mais recentes da menina, entre eles, a garota escrevendo algo que estava endereçado à Youri. Sentiu vontade de vomitar ao pensar nos dois juntos, mas fingiu, com todas as forças que lhe foram capaz, de que tudo estava bem, quando Hermione se afastou em direção ao castelo.

Voltou a andar com as mãos nos bolsos minutos depois que viu a garota se afastar, andou durante muito tempo sem nenhum destino certo, até estacar diante de um grande salgueiro, do outro lado, meio afastado, estava Youri e Hermione... Ficou algum tempo observando os dois, Hermione tinha muito sorrisos ao garoto, que passava a mão em seus cabelos... Hermione e Youri se abraçaram fortemente... Katrina não aguentou e saiu correndo, com medo do que mais pudesse ver.

Correu o máximo que pode, as lágrimas voltaram a escorrer, não ligou para os comentários das outras pessoas, simplismente parou em frente à sala que continha o estoque de poções e com um pontapé abriu a porta, encontrou o que procurava a poucos metros acima de sua cabeça, aquela maldita idéia que tivera ontem serviria para alguma coisa agora e sorrindo debilmente guardou o frasco roxo brilhante dentro das veste, saiu andando como se nada estivesse acontecendo, mas dentro de si, algo a corroía, algo feroz a devorava e mesmo que gritasse, mesmo que se machucasse, nada poderia tirar a imensa dor que sentia. Precisava se acalmar e quando entrou no dormitório vazio, achou o que procurava guardado a muito tempo em sua estante, pegou um isqueiro e o acendeu, na mesma hora seus músculos relaxaram e ela se jogou na cama, tinha finalmente um momento de paz.

Ouviu a sineta tocar e nem se deu o trabalho de ir fazer o teste, ao invés disso pegou um pedaço de pergaminho e escreveu em letras corridas:

Encontre-me amanha, às duas horas, na entrada da Floresta Proibida. Não conte à ninguém sobre o nosso encontro, muito menos à Hermione. Seja homem pelo menos uma vez na vida!

K. Kimble


Colocou o bilhete no bolso, apagou o que tinha na mãos e saiu do dormitório, nenhum aluno do quinto ano estava zanzando pelo castelo e foi com uma imensa cara de pau que Katrina sentou-se em uma das carteiras para fazer o teste, tendo ele começado à vinte minutos atrás:

- A srta. está atrasada! - Comentou o miudinho Prof. Flitwick - Aqui está seu teste.

- Ah tá tá... - Ela olhou para trás e vários rostos a encaravam, entre eles Hermione e Lillys, que não estava entendendo nada. Ela olhou para a esquerda e viu que Youri estava entretido em sua prova, sorriu ao saber que não demoraria para acabar com tudo aquilo.

- Por que você chegou atrasada?! - Hermione questionou-a.

- Já não disse que estava no banheiro?

- Certo... - Ela ainda parecia desconfiada.

- E você? Onde foi?

Hermione ia responder quando Talena e Lillys chegaram junto delas, a loira parecia contente da vida e trazia um pergaminho nas mãos. Lillys tinha uma cara meio monótona, como se desejasse estar a milhares de quilómetros longe dali, segurava a mão de Talena frouxamente mas essa parecia não estar dando a mínima importância, na verdade, tinha sorrisos demais para Katrina.

- Estou escrevendo para meus pais - Ela abriu o pergaminho - Talvez a Ly vai passar as férias de verão comigo e você podia vir também não é?

A garota deixava claro que o convite dirigia-se exclusivamente para Katrina, o que causou uma onde de indiganção em Hermione e muita curiosidade em Katrina.

- Não sei... - Ela olhou de relance para Hermione - Estava pensando em passar as férias na casa da Mione...

- Ah, mas você pode passar uns dias lá em casa também não pode? - Talena foi ajeitar os cabelos e o bilhete caiu de suas mãos, instintivamente Katrina abaixou-se para pega-lo e notou que a caligrafia de Talena não lhe era estranha, apesar de não lembrar de ter lido outra coisa escrita por ela e simplismente devolveu o papel sem dar muita atenção ao fato - Obrigado...

- Então, talvez eu passe sim - Era mentira pois Katrina já tinha outros planos.

- Bem, já vamos andando, eu preciso mandar uma coruja o quanto antes para meus pais - E saiu puxando Lillys como um cachorrinho, cada dia que passava a garota parecia mais infeliz.

- Você não está pensando mesmo em passar as férias na casa dela está? - Hermione perguntou inquisidora.

- Por que não? Ela é minha amiga...

- Mas ela não é boa gente...

- Quem te disse isso? - Katrina disse curiosa.

- Ninguém precisa me dizer certas coisas para eu notar...

- Claro, claro... Mas então, onde você estava antes de vir para cá? - As duas voltaram a andar.

- Eu te falei que ia na biblioteca revisar alguns tópicos...

- E você quer mesmo que eu acredite nisso não é? - Falou Katrina friamente.

- Lógico! Onde mais eu poderia estar? - Perguntou Hermione curiosa sobre aquela conversa.

- Ahhh - Ela fingiu que pensava - Quem sabe com o Crascov?!

- E o que tem demais nisso?

- O que você acha? - Katrina voltara a ser sarcástica - Sorriso prá cá... Abraço pra lá...

- Que ciúmes bobo o seu... - Hermione deu um sorrisinho.

- Ciúmes bobo? Por que você estavam tão afastados então? E por que você disse que ia estudar quando na verdade ia falar com ele?

- Olha Kim, você está completamentre paranóica! Não teve nada demais... Eu não fiz nada com ele! - Hermione começara a se desesperar - Por que eu faria algo com ele se eu namoro com você?!

- Porque você deve achar legal brincar com os sentimentos dos outros! - Um ódio repentino subiu pelo seu corpo - Eu te amei como ninguém nunca vai te amar e você faz isso comigo? O que eu fiz para merecer isso?

- Katrina! Eu não fiz nada! - Lágrimas começaram a brotar nos olhos de Hermione - Você andou se drogando de novo não foi?

- Claro que não! EU-NÃO-ESTOU-DROGADA!

- Eu... Eu não beijei o Youri - Hermione abraçou a garota que manteu-se parada - Eu juro que não!

- Me larga Hermione! Eu te amo mas não suporto mais ser enganada! - Katrina tentou se desvencilar do abraço de Hermione mas não consegiu.

- Por favor... Me diz o que está acontecendo! - Hermione empurrou a garota contra a árvore e beijou-a, por um momento pareceu que Katrina tinha cedido as suplicas de Hermione mas logo em seguida ela a e virou-se, lágrimas escorriam em sua face.

- Você é cínica demais! - E sem mais nada dizer, saiu marchando pelos jardins desertos deixando Hermione parada e estática.

Os jardins eram banhados pelo vermelho sangue do pôr-do-sol, faziam quase duas horas que Hermione chorava, abandonada junto com suas mágoas, odiando-se por ter feito a menina da sua vida sofrer tanto, só agora ela sentia na pele o quanto ela havia feito Katrina sentir, queria morrer ao causar tanto desgosto para a garota que tanto lutou por ela. Ficou sentada nos jardins até uma brisa gelada tocar-lhe a pele e ela se dar conta que já era bem tarde, ainda mortificada, dirigiu-se para o castelo, queria simplismente ir embora e abandonar tudo aquilo, queria parar de sofrer mas era quase impossível pois para todos os lugares que olhava ela lembrava de Katrina e seu coração apertava cada vez mais.

Youri ainda olhava para o bilhete que lhe havia sido entregue por um garoto tímido do segundo ano, lia palavra por palavra e não conseguia distinguir se eram verdadeiras ou se simplismente não passava de uma brincadeira de muito mal gosto. O remetente ele tinha certeza de quem era mas o motivo... Hermione havia sido bem clara em sua carta mas algo ali não estava bom, pensou em conversar com Hermione sobre aquilo mas as palavras diziam para não mostra-la para ninguém... Seja Homem...Aquelas palavras despertaram um antigo espírito de fúria... Ninguém mexia com a sua masculinidade... Dobrou-a e decidiu ir jantar ainda meio confuso sobre o que fazer no dia seguinte... Apenas sabia que não tinha um bom pressentimento. Talvez ela queria apenas conversar e dar uma basta nessa história? Ele seguiu quieto para seu lugar na mesa da Grifinória e não viu Hermione em lugar nenhum, pelo que Hermione havia dito tudo havia se resolvido, mas então, por que essa carta?! Olhou na mesa da Grifinória procurando Hermione mas ela não estava lá, assim como Katrina não estava na mesa da Sonserina.

Katrina nunca chorara tanto quanto havia chorado durante o dia, sentada na Torre mais alta ela olhou para baixo e quase não viu o solo, um vento gelado batia em seu rosto e fazia seus cabelos voarem, olhou para o céu limpo e estrelado e sentiu-se mais só ainda. Pensava em tudo que havia feito e pelo que havia lutado e tudo de repente desmoronava-se na sua frente, ela estendia os braços mas não conseguia alcançar Hermione que aparecia como um doce sonho inatingível, olhou mais uma vez para o solo e como se uma voz a chamasse para baixo, ela soltou a mão do parapeito e se jogou na escuridão, sentiu-se livre, com o vento batendo cada vez mais forte em seu rosto e via o chão cada vez mais perto, nitidamente entre a neblina que acercava os jardins e ao invés de sentir-se desesperada ela sentiu apenas um alívio, como se todas as suas dores tivessem sido abandonadas, bateu no chão com um baque surdo, desconhecido.
___

Ela caiu da mureta onde estava sentada, molhada de suor e com uma mórbida palidez, tateou o local escuro até que deu-se conta da onde estava, ainda respirando fundo sentou de volta a mureta e enterrou a cabeça nas mãos. Havia pego no sono e já passara da hora do jantar, consultou seu relógio e viu que nem era tão tarde assim, apenas nove e meia, ainda era possível ouvir as vozes dos alunos e seus passos irritantes no corredor.

Acendeu um cigarro para se acalmar, o sonho havia sido assustador e Katrina ainda tentava se recuperar do susto que havia tomado. Olhou para fora e por mais estranho que parecesse, a noite estava exatamente como em seu sonho, estrelada e calma, um arrepio passou por sua pele e arrepiou os pelos da nuca da garota. Um clique baixinho fez Katrina se virar assustada, mas tranquilizou-se ao ver quem era:

- Decidiu mesmo se afastar do mundo? - Lillys sorria nervosamente - Já fique sabendo o que aconteceu...

- Mesmo? - Katrina tentava parecer despreocupada - Como ficou sabendo?

- A Granger comentou com o Potter e a Lena ouviu e veio me falar - Ela tirou o cigarro da mão da garota - Parecia feliz demais para meu gosto...

- Não me importo com ela, na verdade, eu não quero saber de mais ninguém... A Hermione me traiu e ponto final! Ela quer ficar com o outro ela que fique...

- Tem certeza que a Hermione beijou o Youri?

- Não vai me dizer que também acha que eu tô louca? - Katrina tinha uma cara de incredulidade - Eu vi os dois afastados de todo mundo... E estavam se abraçando!

- Acho que você deveria dar uma chance para a Granger, por mais que eu não goste dela...

- Eu não vou dar mais uma chance dela me provar o quanto eu sou uma idiota! Cansei sabe... Nada mais me importa!

- Não fala assim... - Lillys sentou ao lado da menina e a deitou em seu colo - Conversa com ela... As aulas já estão acabando, só falta uma semana para nós irmos para casa...

- Não me importa! Eu não quero mais saber dela e de ninguém - Katrina falava isso entre as lágrimas que escorriam - Para mim acabou... Tudo!

- Você não jantou né?

- Não, peguei no sono...

- Então vamos descer e assaltar a cozinha, você não pode ficar sem comer nada!

- Não... eu não quero comer! - Katrina se levantou e enxugou as lágrimas.

- Fazer greve de fome não vai ajudar em nada! - Ela puxou a garota pelo braço - E deixa de ser criança! Você vai comer sim!

- Mas...


Lillys puxou Katrina até a cozinha e durante o percurso em que Katrina manteve-se calada, pensou no que estava acontecendo e seu instinto dizia que algo não estava bem e sua sensação de que algo ruim estava para acontecer acentuou-se. Tentou afastar esses pensamentos da cabeça mas eles persistiam em ficar lhe atormentando, olhou para o lado e viu que Katrina estava pálida, uma aspecto doentio lhe assolava e Lillys, pela primeira vez em muito tempo, sentiu medo.

Logo que chagaram na cozinha um elfo narigudo e com uma pancinha a mais veio servi-lhe um bolo de chocolate com nozes que Lillys aceitou de bom grado, forçando Katrina a comer pelo menos um pedaço. A garota por sua vez parecia estar mais distante do que o normal e Lillys ficou preocupada, como nunca havia estado, com ela. Na maioria das vezes era Lillys que precisava de ajuda, Lillys que ficava mal e revoltada com o mundo e sempre, em todas as vezes, havia uma Katrina lúcida que a ajudava a reorganizar os pensamentos, no entanto, naquele dia estava sendo diferente. Katrina assemelhava-se a um enfermo, ou até mesmo a um louco, que perdera a sanidade em algum momento da vida e ficara por lá, envolto em seus sonhos e suas idéias, sua mão tremia levemente e não havia mais aquele brilho no olhar, agora havia uma estranha névoa que encobria os olhos castanhos de Katrina, uma névoa que parecia anunciar uma desgraça.

Voltaram da cozinha quase sem se falar, o olhar de Katrina estava perdido em algum lugar muito longe dali e Lillys ficava, a cada minuto que passava, mais preocupada com a amiga. Tentou animá-la dizendo que iria passar uns dias em sua casa mas Katrina foi evasiva em suas respostas e Lillys não insistiu, achando que talvez ela só precisasse de tempo, mas a cada passo que davam em direção às masmorras, um leve peso invisível parecia cair em seu estômago, chegou a pensar que sentira algo diferente no modo como Katrina estava pronunciado as palavras, parecia que seriam as últimas vezes que falaria.

O castelo aos poucos foi esvaziando-se e havia apenas três alunos no salão da sonserina, as meninas logo subiram para os dormitórios onde Pansy já adormecera, Katrina sentou-se na beira da cama de dossel e olhou perdidamente para o chão, Lillys não queria, mas não conseguiu não sentir pena da garota. Agachou-se de frente para ela e viu que Katrina chorava, como se dor que estava sentindo não fosse suficiente para caber dentro dela, afastou os cabelos do rosto e antes que pudesse falar qualquer coisa, Katrina a abraçou como nunca a abraçara antes:

- Eu não quero te perder! Nunca! - Katrina sussurrava no ouvido dela - Você é tudo para mim! Eu não quero te esquecer!

- Kim - Lillys parecia meio assustada - Por que está dizendo isso para mim agora?

- Não importa, só diga que nunca irá me esquecer, independente do lugar onde eu estiver?

- Nunca vou te esquecer! Você é como um irmã para mim!

- Eu te amo Ly... Eu te amo muito!

E Lillys chorou também. Abraçou Katrina mais forte como se quisesse compartilhar da dor da amigar, como se quisesse libertá-la desse sofrimento, não queria largá-la pois sabia, em seu íntimo, talvez aquela fosse a última vez que teria a amiga tão perto de si.

Katrina decidiu tomar banho e deixou Lillys aguardando do lado de fora, não olhou-se no espelho uma única vez pois não conseguiria encarar a si mesma, por tamanha a covardia que estava para cometer, estava completamente perdida e quase deixou o vidrinho roxo cair de seu bolso, guardou-o com cuidado. Mal entrou no chuveiro e a água quente tocou-lhe a pele como se também quisesse lavar a alma da garota, por um momento de lucidez Katrina pensou em abandonar tudo, mas sabia que agora, só havia uma saída, lembrou-se de seus pais, de Hermione... E chorou mais ainda, como uma criança mimada.

You won't cry for my absence, I know,
You forgot me long ago
Am I that unimportant?
Am I so insignificant?
Isn't something missing?
Isn't someone missing me?


[Tradução: Você não chorará por minha ausência, eu sei,
você me esqueceu há muito tempo
Eu sou aquele sem importância?
Eu sou tão insignificante?
Algo não está errado?
Alguém não está sentindo falta de mim?


___

O dia amanheceu com sol, mas uma brisa fria acometia as masmorras, Lillys abriu os olhos e olhou instintivamente para a cama de Katrina, respirou aliviada ao constatar que a garota adormecia ainda, olhou em seu relógio e viu que eram oito horas, voltou a dormir, um sono leve, perpetuado de pesadelos onde ela via Katrina afastando-se e dissolvendo-se como uma névoa ou em outros onde a garota simplismente lhe estendia a mão, implorando por ajuda mas Lillys não conseguia alcançar a garota. Quando realmente despertou já eram meio-dia e Katrina já havia saido do dormitório, Lillys sentiu seu estômago afundar.

O castelo estava vazio e eram poucos os que ainda não haviam saido para curtir o Sol e o fim dos exames, sabia que já não tinha mais nada de café da manhã mas estava com fome, desceu até a cozinha para comer algo e quando voltou já era uma e quarenta e cinco. Na porta do castelo Talena a aguardava, sorrindo de orelha a orelha.

- Demorou para acordar hoje! - Talena a cumprimentou com um selinho - Você viu a Katrina?

- Bom-dia para você também! - Falou Lillys irritada - Para que quer saber da Kim?

- Por nada oras, achei que talvez ela quisesse aproveitar esse dia comigo, ou melhor, com a gente...

- Ah claro - Lillys sentiu uma pontada de ciúmes de Talena - Quem está lá fora?

- O Draco, a Pansy, os meninos - Ela fez uma careta - Até a Granger e o Cicatriz estão lá...

- A Hermione tá lá fora?

- Sim...

- E como ela tá? - Lillys perguntou curiosa.

- E eu lá vou saber?! Deve estar bem agora que terminou com a Kim...

- Foi a Kim que terminou com ela - Lillys estava irritando-se com a maneira de Talena falar de Katrina - Vamos então...

Foi de mau-gosto que Lillys sentou-se junto do grupo da Sonserina, o jardim estava cheio de alunos que jogavam fribes-dentados, nadavam no lago ou simplismente deitavam embaixo de uma árvore e adormeciam, não encontrou Katrina em lugar algum. Harry e Hermione estavam a poucos metros deles e Lillys pode perceber que Hermione não estava bem como Talena havia dito, pensou em ir até lá, mas com certeza o grupo sonserino não iria deixar. Deixou-se ficar ali, ouvindo as besteiras que eles diziam e sentindo seu instinto falar de novo.

Não muito longe dali, um garoto aguardava impaciente o remetente do bilhete chegar, já eram duas horas e ele imaginou que ela não iria se atrasar. Estava preparado para o que fosse, varinha em punho, ficou alerta para qualquer movimento. E ela chegou. Atrasada mas chegou. Parou de frente para Youri e o garoto pode ver um brilho possessivo em seus olhos, apertou com mais força a varinha.

- O que focê querria comigo?

- Achei que não fosse tão burro a ponto de não descobrir, mas vejo que me enganei...

- Fale logo!

- Eu pedi para você se afastar da Hermione mas você não me ouviu!

- Como assim garrota? - Youri começara a não entender.

- Eu lhe disse para você se afastar da minha namorada... - A voz de Katrina ia se tornando um sussurro agourento - Agora você vai pagar pelo que fez!

- Mas eo non fiz nada - Youri levantou a varinha no mesmo instante que Katrina levantou a dela - Eo me afastei da Mione...

- ACHA QUE EU SOU IDIOTA É? ACHOU QUE EU NÃO DESCOBRIRIA?

- Do que focê estar falando? - Youri não entendia do que ela falava uma vez que Hermione havia lhe esclerecido tudo.

- VOCÊ MEXEU COM A PESSOA ERRADA! - Katrina estava fora de si - NUNCA MAIS VOCÊ VAI FICAR COM A NAMORADA DE NINGUÉM!

E antes que Youri pudesse reagir ele foi atingido por uma feitiço no meio do peito, que o fez voar para trás e bater a cabeça numa árvore desmaiando no mesmo instante, era hora de colocar a segunda parte do plano em ação. Katrina saiu correndo em direção ao castelo, preferiu tomar o caminho de trás para não encontrar com ninguém, seu coração batia acelerado e seu cerébro parecia entorpecido por alguma substância que parecia não deixar-la pensar, simplismente seguiu seu caminho pré-destinado, sem pensar em voltar atrás, sem pensar em mais ninguém...

Abriu a porta da torre com força, os raios de sol invadiam o lugar, pegou do bolso o pergaminho e o vidrinho roxo, pura precaução contra erros ou pessoas metidas a herói, e colocou-se em pé, na beira da janela, não demorou muito para que as pessoas lá embaixo notassem a presença da garota lá em cima. Muitos apontavam e em segundos todos já a olhavam, Lillys demorou para perceber o que estava acontecendo, mas seus olhos enxeram-se de lágrimas e seu coração apertou-se ao ver sua melhor amiga prestes a cometer o maior erro de sua vida, olhou instintivamente para Hermione que também olhava petrificada para cima, como se não pudesse acreditar no que estava vendo.

- O AMOR É. ELE SIMPLISMENTE É! NÃO PODEM FAZÊ-LO DESAPARECER, É A RAZÃO DE ESTARMOS AQUI. É O TOPO DA VIDA, E, QUANDO VOCÊ CHEGA AO TOPO E OLHA PARA TODOS LÁ EMBAIXO VOCÊ ESTÁ PRESO NELE PARA SEMPRE, POIS SE TENTAR MOVER0-SE VOCÊ CAI, VOCÊ CAUI... - As lágrimas escorriam dos olhos de Lillys ao ouvir a voz de Katrina - EU FAREI UMA CABANA DE SALGUEIRO EM TEU PORTÃO E MEU ESPÍRITO ENTRARÁ EM TUA MORADA. COMPORTEI CANÇÕES DE UM AMOR PROIBIDO E CANTAREI INSISTENTEMENTE ATÉ MESMO NA CALADA DA NOITE, GRITAREI O TEU NOME, PARA QUE AS COLINAS RESSOEM E TRANSFORMEM O BALBUCIAR DO VENTO EM UM ÚNICO GRITO: HERMIONE!!! ¹

E sem falar mais nada, abriu o vidro roxo e tomou seu conteúdo de um único gole, sentindo o gosto amargo corroer-lhe a garganta, abriu os braços e como em seu sonho se jogou, o chão chegando cada vez mais rápido ao seu olhar, os gritos das pessoas lá embaixo, achou que tudo estava acabado, mas algo a fez diminuir a velocidade com que caia, no entanto o veneno já fazia efeito em seu organismo, caiu com um baque leve no chão. Lillys foi a primeira a atravessar a multidão e agachar-se ao lado do corpo inerte de Katrina, tomou-lhe o pulso e agradeceu a Deus, mesmo tendo estado longe dele por tanto tempo, por ela ainda ter pulsação, estava pálida e respirava com dificuldade, abriu os olhos fracamente e tentou dizer algo, mas sua voz quase não saia:

- Her... Hermione - A garota falou fracamente - Chame a... Her..mione...

- Não precisa - Hermione encontrava-se ao lado delas, pálida como um fantasma, com lágrimas escorrendo por todo seu rosto - Eu estou com você - E segurou a mão dela, como se nunca mais fosse deixa-la escapar.

Katrina sorriu, fracamente e fechou os olhos, encontrando uma imensa paz dentro dela.
________________________________________________________________

1 - A frase dita pela Katrina é do filme Assunto de Meninas mesmo...

2- Não queiram me matar... Eu vou dar uma explicação lógica para tudo!!!

3- Antes que eu receba milhares de reclamações... Ainda tem outros capítulos pela frente!!!!

4- Não... A Katrina não morreu...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.