FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Uma nova Guerra


Fic: O Sucessor


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Após lerem a carta as duas seguem pra antiga sede da ordem. A sede estava um pouco abandonada, ninguém ia lá desde a ultima batalha. Elas vão até a cozinha e encontram lá alguns membros da antiga ordem: Lupin, Tonks, McGonagall, Vance, Amélia Bones (atual ministra da magia), os Weasley, Luna, Neville, Susana Bones, Pavarti, Lilá, Simas, Dino, Snape, Malfoy, Flitwick e Sprout.

-Imagino que todos estejam se perguntando o porque do chamado, e o porque dessa reunião. –McGonagall fala da cabeceira da mesa e todos a olham curiosos e atentos. –Eu comecei a procurá-los quando Hermione pediu uma reunião e sugeriu que reorganizássemos a ordem visto as novas ameaças e o possível reaparecimento de Harry Potter... –ela interrompe o discurso, pois todos estavam assustados e comentavam a notícia. –devido aos últimos acontecimentos achei que seria necessário nos reunirmos urgentemente, mas antes de falarmos sobre o assunto precisamos de alguém que nos lidere, já que nosso estimado fundador Alvo Dumbledore a muito se foi, e o seu substituto encontra-se desaparecido. –ela olha pra Hermione que abaixa a cabeça –Eu indico o nome de Hermione Granger pra assumir tal responsabilidade, além de sempre ter sido uma ótima aluna, sempre mostrou responsabilidade e sensatez em momentos difíceis, e nos últimos anos tem se destacado, junto a Gina Weasley, como auror no ministério. –Hermione cora furiosamente e se espanta ao ver os olhares de apoio. –Alguém mais se candidata? –Minerva pergunta olhando todos.

-Eu! –Snape se levanta e fala firmemente –Como um membro presente desde a primeira formação e como bruxo responsável, experiente e de conhecimento das posturas do inimigo, acho que sou o mais indicado pra tal cargo. –Snape fala confiante e recebe um olhar de apoio de Draco Malfoy.

-Mais alguém se candidata? –Minerva pergunta mas ninguém se manifesta –Então Hermione você tem direito de falar a seu favor como Severo o fez, quer falar algo? –ao ouvir a pergunta Hermione se assusta, mas então se concentra e tenta argumentar.

-Eu só quero dizer que fico grata pela indicação e pela confiança. –Hermione fala timidamente.

-Então vamos a votação! –Minerva faz um aceno e uma urna aparece –Vocês só precisam tocar com a varinha de vocês a urna e depois teremos o resultado nesse visor. –ela toca com a varinha dela e fala votação aberta, a urna ganha um brilho verde e todos vão de um em um até a urna. Depois de todos terem votado, Minerva novamente toca a frente da urna e diz votação encerrada, números começam a girar no visor e um clima tenso e de expectativa surge, Snape parece confiante e Hermione constrangida, os números param e o placar é 20 votos pra Hermione J. Granger e 4 pra Severo Snape. Snape parece que foi petrificado e Hermione cora furiosamente não acreditando naquilo, enquanto todos vão parabenizá-la.

-Então Mione, não vai fazer um discurso? –Fred fala provocando-a.

-É mesmo, discurso! –Jorge começa a puxar o coro de discurso, e Hermione muito constrangida vai até a cabeceira da mesa indicada por Minerva, que vai se sentar onde a menina estava.

-Bom, eu gostaria de agradecer os votos de vocês e dizer que eu votei no Snape, porque não me achava apta a isso, mas já que vocês discordam, eu vou tentar fazer por merecer tal confiança! –Hermione fala meio sem jeito.

-Então vamos discutir os dois assuntos da pauta, que tal começarmos pelo suposto Potter? –Snape fala venenoso.

-É mesmo Hermione, alguma novidade sobre ele? –Lupin pergunta ansioso.

-Como assim? Que história é essa do Harry ter voltado? –Neville pergunta curioso.

-Eu vou explicar resumidamente se me permitem. –Snape fala e todos olham em expectativa. Ele começa a contar e fala de forma descrente e disfarçadamente debochada da situação, fazendo Hermione parecer uma louca que sai por aí transando com qualquer um que se assemelhe ao Potter.

-Obrigada por expor seu ponto de vista Severo, mas a questão é que ninguém pode afirmar se era ou não Harry Potter, a não ser que tenham novas evidencias, você tem Hermione? –Minerva pergunta curiosa.

-Eu me encontrei com ele novamente, há evidencias de que ele seja e outras de que ele não seja o Harry, nós conversamos um pouco e ele me deu o telefone dele. A sua suposta identidade atual é Richard Raziel, e eu já estou fazendo algo pra identificar se ele é ou não o Harry.

-Como assim, ele não sabe, está sem memória? –Gui pergunta interessado.

-É o que parece, mas ainda não posso dar detalhes, não se preocupem com isso, até porque nossas atenções têm que se voltar pra esse filho de Tom Riddle. –Ao ouvir o nome verdadeiro de Voldemort todos se espantam um pouco.

-E o que se sabe sobre ele? –Pavarti pergunta expressando a curiosidade de todos.

-Que ele é mais forte que o pai, e não deixa testemunhas por onde passa. As ações dos comensais tem sido feitas com precisão absoluta, provavelmente ele é um excelente estrategista, além de parecer ser mais cruel que o pai já que o rastro de morte e sangue é bem maior. –Hermione explica calmamente.

-Eu tenho comigo a lista dos itens que ele roubou nessa ultima onda de ataques. –Amélia Bones entrega uma pasta confidencial pra Hermione, pra que possam examiná-la e definir posturas a serem tomadas.

No dia seguinte na sala de Hermione e Gina no ministério, Draco Malfoy entra e vê Gina deitada no sofá de costas pra porta, lendo um relatório. Malfoy fecha a porta sem fazer barulho e a observa por um tempo, antes de se aproximar com um olhar cheio de malícia.

-Bom dia ruivinha! –fala em tom sedutor.

-Vai se danar Malfoy! –responde num tom simpático, se levantando e indo a até a mesa.

-Muito engraçado, eu adoro garotas com bom humor sabia? –fala sorrindo amavelmente.

-O que você quer? –Gina pergunta o mais profissional que consegue.

-Eu quero você! –responde ainda galante, mas olhando-a como um caçador olha sua presa.

-Será que você não consegue ser nem original? –fala desdenhando.

-Quanto mais difícil, mais excitante é! –Draco fala olhando-a nos olhos, causando uma rápida intimidação em Gina.

-Malfoy! O que faz aqui? –Hermione que acabara de entrar pergunta.

-Vim porque a chefinha, quer a gente em ação. Temos que proteger a transferência de um livro, parece que dois inomináveis vão levar o livro pra algum lugar e nós vamos protegê-los. –Draco fala pondo um relatório em cima da mesa.

-E que livro é esse? –Gina pergunta curiosa.

-Não sei, não diz nada no relatório, parece que é ultra-secreto. –Malfoy fala aborrecido.

-É um livro muito antigo de Artes das Trevas, só existem dois no mundo, e esse é o único que está completo, o outro foi danificado há um tempo atrás e ninguém no ministério sabe onde está. –Hermione fala o que lê no relatório.

-Ei, isso não tava aí! –Draco fala com misto de espanto e indignação.

-É claro que estava, mas você não pôde ler, ta codificado pra que só eu , a líder da ordem possa ler. Medidas de seguranças! –fala simplesmente.

-Hermione, isso foi demais! –Gina fala orgulhosa da amiga.

-É... foi sim. –Draco fala quase num suspiro, após ver Hermione cruzar as pernas, depois de se sentar na mesa.

-Malfoy, será você não tem um pingo de vergonha na cara? –Hermione fala entre dentes, se levantando e indo se sentar no sofá, ainda folheando o relatório.

-Deixa esse idiota pra lá! Quando vai ser a escolta? –Gina pergunta seriamente.

-Daqui três dias. Temos hoje e amanhã pra montar a estratégia, a rota já foi definida, é só escolhermos o posicionamento. Vamos começar esse trabalho agora! –fala se levantando e conjurando um quadro negro um pouco à frente.

-Lord Marcus! –Malfoy fala ao entrar na sala do trono e fazendo uma reverência ao mestre.

-E então Malfoy já tem tudo pronto? –Marcus pergunta com a voz fria e olhar exigente.

-Claro mestre! Só estamos aguardando suas ordens. –Malfoy fala em tom servil.

-Ótimo, mande os comensais que selecionei virem até aqui, vou estabelecer o posicionamento e ao anoitecer partiremos. –fala com ar sombrio e um olhar que expressava tanta maldade que mesmo Malfoy não conseguia encará-lo.

Às dez horas um grupo de homens, vestidos de negro, entra em um prédio antigo no centro de Roma –Itália. Ao entrar eles se deparam com um Hall muito parecido com o do Ministério da Magia de Londres, seguem pelo portão quando um clarão toma o hall e os dois guardas e o recepcionista são mortos, um dos homens de negro fica na portaria enquanto os demais seguem até o elevador, e se dirigem ao 4 andar do subsolo. Chegando lá eles se deparam com três corredores e seguem pelo da esquerda até o fim, onde entram por uma porta que os leva a uma sala cheia de portas, mas ao invés de entrar em uma das portas um deles se aproxima de uma parede, e ao ser fracamente iluminado, vê-se o rosto de Lord Marcus.

- Cognitio -Marcus fala e uma porta negra com detalhes em prata aparece. Ele e os demais passam por ela, e entram numa enorme biblioteca com três andares e um número incalculável de livros, onde havia, aproximadamente, quinze bruxos.

Hermione chega em casa com Gina.

-Estou cansada acho que vou tomar um banho e tentar descansar! –Hermione fala com ar cansado.

-Não vai jantar? –Gina pergunta preocupada.

-Mais tarde eu como alguma coisa, agora quero ver se consigo relaxar. Trabalhar como auror e liderar a ordem é coisa demais pra uma pessoa só! –fala parecendo exausta.

-Tudo bem, vai relaxar um pouco, mas vê se janta antes de dormir! –Gina fala preocupada.

-Ta, eu prometo que faço pelo menos um lanche antes de dormir! –fala se dando por convencida.

-Certo, mas só pra lembrar, a garota responsável que fica cobrando e dando ordens aqui é você, então vê se não me força a bancar a irmã mais velha de novo! –Gina fala brincando e Hermione ri um pouco.

-Se a gente não se ver de novo, boa noite e até amanhã! –Hermione fala indo pro quarto.

-Boa noite! –Gina se despede indo pra cozinha, ver o que Wink estava preparando pro jantar.

No quarto, Hermione vai até o banheiro e põe a banheira pra encher, logo depois vai até a sua escrivaninha por as pastas que trouxe, de forma organizada, e também pegar o pijama. Depois de entrar na banheira ela fica alguns segundos apenas relaxando, mas depois pega a varinha e com o Accio traz o telefone até si.

-Alô... Richard? –Hermione fala após discar um número ilegível.

-Oi, meu amor! Que bom ouvir sua voz! –Richard para de torturar um homem e atende ao telefone.

-Então estava com saudades? –pergunta em falso tom de surpresa.

-Claro... só um instante.

-Ta, eu espero. –ela fala estranhando um pouco.

-McNair venha aqui! –ordena ao comensal que torturava um homem um pouco à frente.

-Sim mestre! –fala aproximando e se ajoelhando perante o rapaz.

-Esses idiotas já estão me cansando eu quero saber onde está esse maldito livro, e quero saber agora! –Marcus fala com os olhos verdes, negros de fúria, e com um tom ameaçador na voz que faz o comensal engolir em seco.

-Sim senhor, eu vou conseguir logo a informação! –fala com temor na voz e se afastando pra cumprir as ordens do mestre e repassá-las aos demais comensais. Eles ainda estavam na biblioteca e no chão havia corpos mutilados e muito sangue, apenas cinco bruxos ainda estavam vivos e sendo torturados por oito comensais, enquanto dois vigiavam a porta, do lado de fora da sala.

-Desculpe meu amor, mas é que eu estava meio ocupado. –Richard fala com um tom doce e gentil.

-Tudo bem, eu ligo depois então. –Hermione fala tentando esconder o desanimo.

-Não! Eu largaria tudo por você, não desliga! –pede de forma atenciosa, fazendo-a sorrir.

-Se você continuar dizendo essas coisas, eu te arrasto pra um altar! –Hermione fala brincando.

-Não me dê idéia! –fala em tom de falsa ameaça.

-Quando você volta? –Hermione pergunta ansiosa.

-Se tudo terminar como eu espero, estarei ai amanhã, mas se complicarem um pouco só daqui dois dias. –fala um pouco desanimado olhando os bruxos gritarem e implorarem clemência, mas sem contar o que ele queria saber.

-Então espero que tenha sucesso, porque daqui dois dias, vou estar ocupada, sabe como esse trabalho nos pega nas horas mais impróprias. –fala desanimada.

-Entendo, mas me diz como foi à festa ontem e seu dia hoje? –pergunta interessado.

-A festa foi ótima, revi velhos amigos e conhecidos, pude me divertir um pouco e ainda recebi a notícia de que a esposa do meu amigo, Rony, está grávida de quase três meses! Não é maravilhoso? –fala animada.

-Claro, mande meus parabéns a eles... quem sabe o próximo bebê não é nosso! –fala com ar sonhador.

-Você enlouqueceu? Eu não posso nem sonhar em ficar grávida agora, não com a volta desse tal sucessor de Voldemort! Além do que, acho que temos muito pouco tempo de relacionamento pra pensar nisso. –fala em tom sério.

-Tudo bem, a gente pode ficar só treinando por enquanto. –fala malicioso.

-Como dizem, a prática leva a perfeição! –ela fala entrando no jogo dele.

-Mas um filho seu não poderia ser menos do que perfeito! –fala com ar apaixonado.

-Sei, mas o que você ta fazendo agora? Ta tão silencioso aí. –Hermione pergunta estranhando só ouvir a voz dele.

-É que eu pus um feitiço de imperturbabilidade na sala em que estou, queria que nada nos incomodasse. –mentiu, pois na verdade havia posto um feitiço no celular pra que ela só pudesse ouvir sua voz, e não o som ambiente. O que o ajudou no momento, pois na sala em que estava os bruxos estavam sendo violentamente torturados.

-Ah ta, então você está sozinho? –pergunta como quem não quer nada.

-Claro, por acaso está com ciúmes é? Não sabe que só tenho olhos e pensamentos pra você! –fala sinceramente.

-Eu não sou ciumenta, só perguntei por perguntar. –fala tentando parecer normal.

-Sei, sei... mas e você está sozinha? –ele pergunta do mesmo jeito que ela.

-Estou em casa, na banheira, resolvi relaxar um pouco, cheguei cansada do trabalho. –fala em tom cansado só de pensar no que tinha feito naquele dia.

-Tadinha! E eu aqui, longe, sem poder fazer uma massagem em você. –fala se lamentando.

-Hum... massagem, não me diga que você sabe fazer massagem? –pergunta interessada.

-Claro que sei... –nesse instante um jato de sangue, suja a calça dele –só um minutinho meu amor! –Richard fala e ela concorda. –O que você pensa que ta fazendo! Crucio -fala raivoso pro comensal antes de jogar a maldição cruciatos nele, que na mesma hora cai se contorcendo de dor.

-Me desculpe mestre, foi sem querer... eu juro que não se repetirá! –ele fala entre lágrimas e com voz fraca pela imensa dor que sentia.

-Mas é claro que não vai acontecer mais! Diffindo -Marcus decapita o comensal que agonizava e depois se dirige ao bruxo que ele torturava e agora se encontrava ensangüentado e com um braço decepado. - Flagrate -ele brada e queimando o lugar onde o braço fora arrancado, parando o sangramento do bruxo e fazendo-o berrar muito alto. Marcus o levanta pela gola da camisa e o olha nos olhos. –Escute aqui seu verme, eu quero saber onde está o livro dos mortos, e se não me contar vai saber porque Voldemort dizia que não haveria em toda história bruxo mais cruel que seu filho, Lord Marcus, entendeu? –Marcus falava em tom baixo e com uma voz fria e maléfica, que fazia o homem tremer de medo, e seus olhos tinham um brilho insano e mortal que o fazia sentir que sua alma iria sair correndo de seu corpo.

-Eu conto! –fala gaguejando e choramingando.

-McNair, esse sangue-ruim vai contar o que quero saber! –fala arremessando, sem muito esforço, o homem até o comensal que estava a três metros dele.

-Pode deixar que eu cuido dele mestre! –fala com um sorriso sádico olhando o farrapo humano que estava encolhido a seus pés.

-Desculpe amor, pequenos inconvenientes do trabalho. –fala com ar cansado.

-Tudo bem querido, tem certeza que não quer que eu ligue depois? –pergunta desejando ouvir um sim.

-Claro, na verdade eu ainda tenho muito que conversar com você! Ainda está no banho? –pergunta sorrindo maliciosamente e com um brilho diferente nos olhos, que agora refletiam paixão e desejo.

-Sim, por que? –pergunta sem entender o por que do interesse dele.

-É que eu estava pensando...

-Mestre eu ...

- Avada Kedrava -Marcus que foi interrompido quando falava com Hermione, mata o comensal antes que ele terminasse a frase, mas bloqueando o telefone pra que ela não o ouvisse. –Não quero ser interrompido novamente! –ordena num tom que faz os comensais tremerem de medo e se afastar do Lord. –Desculpe amor, mas não se preocupe que não seremos mais interrompidos. –fala docemente, enquanto limpa os sapatos sujos de sangue no comensal que acabara de matar.

-Certo, mas o que você estava falando quando foi interrompido? –Hermione pergunta curiosa.

No dia seguinte de manhã, Marcus está em seu quarto se vestindo quando batem na porta.

-Quem é? –pergunta parecendo não querer ser incomodado.

-Lucius Malfoy, My Lord! – fala um pouco hesitante.

-Entre! –ordena e continua se vestindo, quando o comensal chega com uma pasta na mão.

-Eu trouxe os relatórios da operação de ontem à noite, My Lord. –fala entregando-lhe a pasta.

-E qual o resultado final? –pergunta folheando o relatório.

-Obtivemos todas as informações que queríamos, matamos meio ministério italiano, e tivemos duas baixas e um comensal levemente ferido. –fala com um sorriso vitorioso.

-Então procure saber com o Weasley se as informações que temos batem, quero essa operação pra depois de amanhã! –ordena ao comensal, lembrando que naquele dia sua amada estaria ocupada, e ele poderia se dedicar ao trabalho.

-Sim senhor, vou imediatamente falar com o Weasley e trago uma resposta. McNair e Dolohov estão preparando o relatório sobre a segurança do ministério inglês, devem ter tudo pronto à tarde.

-Bom, eu quero tudo pronto até a noite! Entendeu? –fala rispidamente.

-Claro senhor, eu vou organizar tudo. –fala se retirando.

“Essa noite eu só quero ficar em paz com minha morena!” –pensa com um sorriso bobo, nos lábios.

-Temos problemas meninas! –Tonks fala entrando rapidamente no escritório delas.

-O que foi Tonks? –Gina pergunta preocupada vendo a expressão séria da chefa.

-O ministério italiano foi invadido ontem à noite. –fala jogando umas fotos na mesa onde Hermione e Gina estavam vendo alguns papéis sobre o trabalho de escolta.

-O que foi roubado? –Hermione pergunta olhando algumas fotos com Gina.

-Nada, achamos que eles queriam informações, só não sabemos sobre o que. –fala pensativa.

-Por que acham isso? –Gina pergunta um pouco horrorizada com a brutalidade e horror das fotos.

-Por que alguns bruxos, de alto escalão, de um departamento secreto foram muito torturados antes de morrer. –fala mostrando as fotos dos corpos e deixando as duas pasmas com tanta crueldade.

-Eu não sei que informações eles queriam, mas com certeza devem ter conseguido, e isso quer dizer que seja lá o que esse herdeiro está querendo, deve estar perto de conseguir! –Hermione fala pensativa.

-Acha que devemos deixar essa escolta pra outros aurores e nos concentrarmos nisso? –Gina pergunta ainda olhando algumas fotos.

-Não, temos pouco tempo e quero os melhores nesse trabalho, depois vocês e o Malfoy começam a trabalhar nesses roubos. Precisamos tentar ligar esses objetos roubados. –Tonks fala pensativa.

-Pode deixar vamos tentar organizar tudo! –Hermione fala com ar eficiente.

-Eu sei, confio em vocês! Vou falar com Amélia, boa sorte! –fala com ar cansado e saindo.

-Acho que vamos ter trabalho dobrado hoje! –Gina fala desanimada.

-Pega os relatórios da escolta e trabalha com o Malfoy nisso, eu vou tentar conectar esses artefatos roubados. –Hermione fala separando os relatórios.

-Porque com o Malfoy, eu posso fazer sozinha! –Gina fala contrariada.

-Por que ele vai estar conosco e precisa saber o que faremos! Agora vai, por favor! –Hermione pede e Gina aceita visivelmente contrariada.

Às dez horas da noite, Hermione estava indo até seu carro, estacionado perto do ministério, quando vê um homem encostado nele. Está escuro então ela se aproxima com cuidado.

-Pode me dar licença? –fala um pouco incerta.

-Acho que não! –o homem fala indo até ela com passos firmes.

-Richard! –exclama sorrindo e o abraça, ao ver o rosto do namorado, ser iluminado pela fraca luz.

-To esperando há uma hora aqui! Você demorou sabia! –fala um pouco chateado e a abraçando forte.

-Desculpa meu anjo! –fala beijando-o suavemente.

-Só desculpo se você jantar comigo! –fala falsamente chateado.

-Tudo bem, aonde vamos? –pergunta se animando.

-Surpresa, me deixa dirigir? –pergunta estendendo a mão pra receber a chave.

-Eu não gosto que dirijam meu carro, eu posso guiar? –pergunta tentando não parecer chata.

-Tudo bem, como você quiser! –responde gentilmente abrindo a porta pra ela.

Richard e Hermione estão num quarto de hotel, bebendo vinho depois de já terem jantado.

-Tenho uma surpresa pra você! –Richard fala se levantando e pegando uma caixa preta, em cima de um armário próximo a mesa onde haviam jantado.

-Eu disse que você não precisava me trazer nada! –Hermione fala um pouco sem jeito.

-Eu trouxe porque queria te dar um presente, além do mais achei que serviria pra você se lembrar de mim! –fala abrindo a caixa e mostrando uma delicada corrente de ouro com uma medalha em prata, onde de um lado havia um anjo e do outro um raio, ambos em ouro e em alto relevo. –De um lado temos o anjo dos mistérios, já que você descobriu isso no meu nome, achei que serviria pra lembrar de mim, e do outro lado um raio, pra lembrar da nossa chuva e aquela cicatriz eu que tanto gosto! –fala em tom sedutor e com um sorriso malicioso, denunciando as boas intenções dele.

-É lindo, vou usar sempre! –ela fala olhando a medalhinha, enquanto Richard põe o colar nela.

-Espero! Quero que o use sempre, pra se lembrar de mim! –fala sorrindo e estendendo a mão pra ela –Quer dançar? –Hermione aceita e eles vão pra perto da janela dançar a música suave que tocava ao fundo.

Gina e Draco entram no apartamento das meninas, e ela chama por Wink.

-A senhorita tem visitas! Bem vindo senhor Malfoy! –Wink fala fazendo uma reverencia exagerada pro rapaz.

-Você o conhece Wink? –Gina pergunta surpresa.

-Wink nunca esquece um rosto! O senhor Malfoy já foi varias vezes na cozinha de Hogwarts! –fala com certo orgulho de sua boa memória.

-Então também freqüentava a cozinha é? –Gina pergunta incrédula.

-Claro, achava que só os seus irmãozinhos sabiam o caminho é? –fala no velho tom sonserino de antes.

-Wink, a Hermione ainda não chegou? Não vi o carro dela. –Gina pergunta a elfa-doméstica, ignorando o comentário de Draco.

-Não, a senhorita Hermione ainda não chegou! –Wink fala um pouco preocupada.

-Vou ligar pra ela, vai até a cozinha e faz um lanche pra gente? –fala pra elfa.

-Claro! Wink já volta. –a elfa sai rapidamente pra cozinha.

-Sente-se, Hermione já deve ta chegando. –Gina fala pegando o telefone e discando o número do celular de Hermione.

Richard e Hermione estão se beijando ardentemente no sofá do apartamento, já se livrando das roupas, quando o telefone dela toca. Ela com um pouco de dificuldade e sob os protestos dele, vai atender ao telefone.

-Alô... –atende o celular que estava em sua bolsa.

-Hermione, onde você está? –Gina pergunta preocupada.

-Eu fui jantar fora, porque algum problema em casa? –agora Hermione é quem parece preocupada.

-Não, é que eu trouxe o Malfoy aqui em casa pra gente discutir os detalhes da operação, e estamos esperando você pra começar. –Gina fala meio entediada.

-Eu não acredito que você levou o idiota do Malfoy até a nossa casa! –Richard volta a beijá-la no pescoço –Dispensa ele Gina... Richard espera! –fala tentando se afastar do rapaz.

-Oh, Richard! –Gina fala maliciosamente, chamando a atenção de Draco –Isso quer dizer que só te vejo amanhã? –pergunta em falso tom de inocência.

-Provavelmente, sim. –responde sendo guiada até o quarto pelo namorado.

-Não esperava que um dia fosse dizer isso, mas estou com inveja de você! Queria eu, ter um gato desse aos meus pés! –fala sonhadora.

-Bom, isso não vem ao caso agora, mas põe o Malfoy pra fora e amanhã a gente discute isso no escritório. –fala se segurando pra não rir de Richard que tirava a roupa provocando-a.

-Pelo visto as coisas aí estão animadas né? –Gina fala rindo e provocando-a.

-O que vocês levaram pra casa, te procurei essa tarde e não te achei, por acaso fugiu com o Malfoy é? –fala devolvendo a provocação.

Richard já sem roupa se aproxima e pega o telefone da mão de Hermione.

-Alô, Gina? –Richard fala ignorando os olhares e gestos de Hermione.

-Richard! Que bom ouvi-lo, quando será que vamos nos conhecer? –pergunta ansiosa.

-Em breve espero, mas desculpe se pareço rude, mas nos falamos depois! –fala cortando a conversa e desligando o telefone ainda a tempo de ouvir um tchau de Gina.

-Você é louco? –Hermione pergunta recriminando-o.

-Eu não sou, mas estou! –fala jogando o telefone na mesa e beijando-a apaixonadamente.

-Reunião cancelada! Hermione está muito ocupada pra nos atender! –Gina fala escondendo a felicidade por se livrar dele.

-Então por que não seguimos o exemplo dela, e tiramos a noite de folga. –fala sedutor e se aproximando de Gina.

-Exatamente o que eu pensei! Boa noite Malfoy! –ela fala abrindo a porta pra ele ir embora.

-Com certeza terei uma bela noite! –fala fechando a porta e a pressionando contra ela em meio a um ardente beijo.

Gina tenta se desvencilhar dele, mas Draco é mais forte, então ela se rende e até corresponde. O beijo vai ficando cada vez mais exigente e ambos já não respondiam por si, quando Wink aparata com o lanche, chamando a atenção de Gina, e fazendo-a empurrar Draco, que beijava seu pescoço, e apontar a sua varinha pra ele.

-Fora, agora! –fala pausadamente e abrindo a porta atrás de si –Se me tocar de novo eu frito você! –fala entre dentes e acompanhando com a varinha ele sair contrariado.

-Até amanhã foguinho! –fala provocando-a antes dela bater a porta na cara dele.

-Wink sente muito, não queria atrapalhar. –Wink fala se desculpando.

-Não se desculpe Wink, na verdade, você merece uma roupa nova! Amanhã mesmo te darei uma! –Gina fala sorridente e pegando um sanduíche na bandeja.

-Wink agradece! –fala sorridente botando a bandeja em cima da mesa.

-Pode ir dormir, Hermione não volta hoje. –fala comendo o sanduíche e tomando suco.

Depois que Wink sai, Gina se deita no sofá e fica se xingando mentalmente por perder o controle daquele jeito.

“Você é Gina Weasley, e não uma qualquer que vai se arrastar aos pés daquele nojento do Malfoy! Você só estava carente, essa história da Hermione mexeu com você, nada que um namorado não dê jeito!” –pensa se acalmando e pegando os relatórios pra revisar.

N/A: Oi, aí está o cap 4, cheio de novas perguntas e algumas respostas!

N/A²: Esse Lord Marcus é pior que o pai ou não? Parece que ele só respeita a Mione rssrsrsrsrs. Como vocês puderam ver sempre que a narrativa se refere a um ato "mau" eu o chamo de Marcus, quando é algo relativo ao romance com Hermione eu o chamo de Richard, não sei se isso confude vocês, mas se confundir é só me avisar que eu paro.

N/A³: Meus caros leitores, esta pobre autora que vos fala, volta a pedir comentários! Vocês não sabem como a opnião de vocês é importante! Não precisam mandar elogios, não sou narcisista rsrssrsrs, mas dêem a opnião sincera! Eu adoro ler sugestões e criticas, podem dizer se não gostaram de algo ou se tão achando a fic um lixo, porque é assim que ela vai melhorar, por isso não se acanhem e comentem!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.