FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

18. Capítulo 17: Um susto


Fic: Férias de Verão


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPÍTULO 17: UM SUSTO


- Bom dia gatinho!

Rony que estava recostado no sofá da sala lendo o Profeta Diário olhou desconfiado para a irmã.

- Gina? O que você está fazendo aqui?

- Também estou tão feliz de ter ver Rony! – ironizou a moça, ele revirou os olhos – Mione e eu vamos comprar os vestidos para a Festa... Ela não te contou?

- Não conversamos muito desde ontem...

- Ahhh...

Nesse momento Hermione desceu as escadas, trajava um vestido simples de alcinha com estampas geométricas. Lançou um olhar frio para Rony, que voltou seus olhos para o jornal em suas mãos. Gina soltou um suspiro impaciente ao se ver novamente naquela situação.

- Podemos ir Mione?

- Claro Gina.

- Senhorita Granger? – era Dafne que vinha correndo da cozinha – A senhorita vem para o almoço?

- Não Dafne – foi Gina quem respondeu – Hermione e eu almoçaremos no Beco Diagonal. Tchau meu ruivo preferido! – disse ela dando um beijo na cabeça do irmão, ao que ele lhe sorriu e depois olhou para Hermione sério.

A morena pensou sem se despedir do amigo... Mas não o faria. Ele que estava frio com ela desde o dia anterior. Mais uma vez era por motivos idiotas. Não era culpa dela.

Ela pegou um pouco de pó de flú e entrou na lareira.

- Beco Diagonal!

Grandes chamas esverdeadas a envolveram e ela já não estava na sala de estar do seu melhor amigo.

Gina olhou para o irmão e deu um sorrisinho com as sobrancelhas levantadas. Rony a fitou com os olhos semi-cerrados. A ruiva piscou para ele e após pronunciar seu destino desapareceu entre chamas verdes.

- Meu senhor? – Dafne chamou pelo patrão.

- Sim, Dafne.

- O que meu senhor quer para o almoço?

- Não precisa preparar nada... Vou almoçar na Toca hoje.

- O senhor definitivamente não gosta de ficar sozinho né?

- Cresça em uma casa com sete irmãos e verá o quanto é difícil se acostumar com a solidão – brincou ele,

Mas a elfo olhou para ele seriamente e disse em tom mandão:

- Se não gosta disto, então por que não arranja logo uma esposa?

- Dafne... Cala a boca!

***

Gina e Hermione apareceram no Beco Diagonal e foram imediatamente para as lojas de roupas. Andaram um pouco pelas vitrines, mas não se agradaram de nenhum modelo que estava em exposição, por isso resolveram dar uma volta pelas ruas trouxas.

- E então... O que aconteceu agora?

- Do que você está falando? – Hermione olhou para Gina se fazendo de desentendida.

- Você... Rony... Briga...

- Seu irmão é um estúpido!

- E quando você chegou a esta brilhante conclusão?

- Faz tempo... Mas eu, na minha franca ingenuidade, sempre acreditei na mudança das pessoas.

Gina gargalhou gostosamente.

- E então... Vai falar?

- Eu não fiz nada. Ele que está daquele jeito desde ontem...

- E o que aconteceu ontem?

- Eu saí com o John. – Gina fez uma cara de compreensão – Mas não pudemos nos divertir muito... O Luke, filho dele e meu aluno, estava doentinho. Ficamos o dia inteiro fazendo companhia para ele.

- Que saco!

- Gina!

- Desculpe, mas vocês nem tiveram tempo um para o outro...

- Marcamos de jantar hoje...

- Ora, que evolução! E o Rony sabe? – Hermione afirmou com a cabeça – Então tá tudo explicado.

- Mas eu não tô nem aí... Não foi ele mesmo quem disse que eu precisava me divertir? O John me diverte!

- Pois é... – disse Gina revirando a bolsa – Achei! – e estendeu um pequeno frasco com um líquido lilás dentro.

- Que é isso?

- Francamente Hermione! Não reconhece?

- Isso é uma poção...?

- Exatamente. Poção contraceptiva.

- Mas eu não vou precisar disso!

- Por quê? Você é estéril?

- Claro que não... Eu acho!

- Mione... Você é virgem?

- Não! – a morena olhou a amiga surpresa

- Não seja boba Hermione... – riu Gina – É sempre bom estar prevenida. Tem duração de 30 dias. Eu costumo tomar todo mês, afinal, nunca se sabe não é? – e sorriu marotamente.

- Obrigada! – disse Hermione hesitante pegando o vidro – Mas eu acho que isso é exagero – e depois de pensar um pouquinho, murmurou – ou não...

*******************

Por volta de três da tarde Hermione chegou à casa de Rony com alguns pacotes. Subiu e colocou as compras em cima de sua cama. Quando procurou por Rony encontrou-o dormindo no quarto dele. Ele estava esparramado na cama com a boca entreaberta. Ela riu. Pensou em acordá-lo com alguma brincadeira, mas desistiu quando lembrou da forma como ele a tratara pela manhã.

Desceu e foi até a cozinha, onde fez um lanchinho e depois subiu para aprontar a roupa que tinha comprado para o encontro da noite.

*******************

Olhou-se no espelho e gostou do que viu. Estava vestida com um jeans claro e uma blusa “asa-de-morcego” vermelha, seus cabelos estavam lisos (graças a uma poção) e soltos sobre os ombros. Nas orelhas usava um par de argolas (enormes e finas) prateadas e no pescoço o colar que era “símbolo do quarteto”. Só faltava uma coisa...

Merlin! Onde está meu esrcapin cor de caramelo?

Procurou em todos os lugares: embaixo da cama, no guarda-roupas, debaixo da escrivaninha... Não o encontrava em lugar nenhum. Resolveu descer e perguntar à Dafne se ela não tinha visto.

Disparou pelas escadas (descalça mesmo) e entrou na cozinha como um furacão, nem tinha percebido que Rony estava no sentado na mesa tomando sorvete.

- Dafne – começou Hermione – Você viu meu sapato cor de caramelo?

Rony estava com a cabeça baixa e só percebeu a amiga, quando ela falou. Olhou para ela e admirou-se. Ela estava linda em sua simplicidade. Mesmo que ele preferisse os seus cabelos cheios de cachos.

- Desculpe senhorita Granger... Eu o levei para tomar um solzinho... Sabe como é... Couro precisa “respirar”.

- Tem razão Dafne, tem toda razão.

A maquiagem dela estava bem leve, o que acentuava sua beleza natural. Ele adorava isso, muito mais bonito que aquelas maquiagens pesadas que deixavam a mulher mais velha do que realmente era. De repente ele lembrou que ela estava assim para sair com um idiota! Bufou com esse pensamento.

Hermione ouviu o bufo dele e só então percebeu que Rony estava ali. Ela lhe lançou um olhar frio, pegou os sapatos das mãos da elfo e virou-se para sair da cozinha.

- Está se preparando para seu encontro? – falou ele debochando.

- Estou sim. – respondeu ela tentando parecer natural.

- Divirta-se – ele deu de ombros.

- Obrigada! – e saiu balançando os cabelos, o que fez Rony sentir um leve arrepio.

Ela subiu as escadas em passos fortes e apressados. Estava irritadíssima com a reação de Rony. Até parecia uma criança!

Eu sou adulta e sei cuidar muito bem da minha vida!

Caminhou para a mesinha de cabeceira e pegou a bolsa que havia usado pela manhã e tirou de lá o frasquinho que recebera de Gina. Destampou a rolha de cortiça e virou todo o líquido lilás em um gole só, fazendo uma enorme careta depois.

Bem que esse negócio podia ser mais gostoso!

***********************

Alguns minutos depois ela estava sentada no sofá folheando um livro enquanto esperava John vir lhe buscar. Não sabia onde Rony estava... Talvez estivesse no quarto... Ela nem queria saber!

Que se dane ele e sua infantilidade!

De repente a campainha da casa soou e ela se levantou preparando seu maior sorriso.

Hermione abriu a porta seu queixo caiu. Não podia acreditar em quem estava ali com o rosto banhado em lágrimas. Luna olhava para ela com os olhos inchados e o nariz vermelho. Seu corpo todo balançando pelos soluços.

- Luna o que aconteceu?

- O... Ro... Rona... O Ronald tá em casa?

- Tá sim! Claro, entra...

- Quem tá aí Mione? – Perguntou o ruivo descendo as escadas – Meu Deus! Luna! O que aconteceu? – disse ele correndo em direção à loura.

Luna se atirou nos braços dele, que a recebeu em um abraço apertado. Ela afundou o rosto no peito dele e chorou copiosamente. Agora ela não tentava mais segurar os soluços. Chorava como se estivesse perdendo aquilo que mais amava, como uma criança que estava sendo abandonada.

- O que houve meu bem? – Rony perguntava angustiado – O que fizeram com você? Fala comigo, por favor...

- Desculpa Ronald... – a voz dela estava abafada – Eu sou tão burra... Eu devia ser mais forte, mas eu não consigo...

- Shhhh... Você é mais que forte, minha querida.

- Não! Não sou... – disse ela encarando os olhos dele – Eu sei o que deve acontecer... Mas não consigo me controlar... Eu não sei o que fazer... Eu estou com medo... Eu não devia ter medo!

- Do que você tá falando? – Rony estava desesperado por não estar entendendo do que a ex-namorada estava falando.

- Só me abraça... Por favor...

E ele o fez.

Hermione estava parada na porta, que permanecia aberta, observando. Simplesmente não estava entendendo “bulhufas” do que estava acontecendo. E ela odiava não entender alguma coisa, ainda mais vinda de Luna Lovegood.

Rony conduziu Luna até a sala de vídeo e fez com que ela se sentasse. Murmurou algumas palavras e foi até a cozinha. Ao passar por Hermione lhe lançou um olhar apreensivo.

A figura de John se aproximando da porta libertou-a do estado de torpor no qual se encontrava.

- Me esperando? – perguntou ele risonho.

- O que você acha? – respondeu ela no mesmo tom.

- Vamos?

- Claro... Só me deixa pegar minha bolsa.

Ela foi até o sofá e pegou a bolsa. Encontrou Rony no meio do caminho, e ele não estava com uma cara nada feliz.

***********************

John levou Hermione para jantar em um restaurante bruxo, mas que ficava em um dos bairros trouxas de Londres. A noite estava sendo realmente agradável, conversaram sobre muitas coisas pessoais e também alguns pontos sobre trabalho.

Para Hermione, John tinha o dom de fazê-la esquecer do mundo. Estava realmente feliz por ter marcado este jantar... Se não teria sido obrigada a ficar segurando vela pro casalzinho...

Droga! Eu devia estar prestando atenção no que o John está me falando... Sim, é... Ele está falando sobre o quanto algumas decisões do Ministério o deixam irritado...

- Bom, mas não vou ficar aqui lamentando o meu trabalho. – disse ele sorridente – O que quer fazer quando sairmos daqui?

- Não sei... – ela disse retribuindo o sorriso e com ar pensativo – Ah, nós podemos ir ao cinema... O que acha?

- Perfeito! Como tudo o que vem de você.

Ele a encarava com um brilho no olhar... Ela sentia seu rosto corar.

*******************************

Rony havia levado um chá para Luna, que já não mais soluçava, mas algumas lágrimas silenciosas ainda brotavam de seus olhos.

- Ronald... Eu queria tanto que as coisas fossem diferentes para nós... – ela começou, ele a olhava com carinho e confusão – mas infelizmente... Na verdade eu queria que tudo fosse diferente.

- Nós podemos fazer as coisas serem diferentes Luna...

- Nem tudo. Existem coisas contra as quais não podemos lutar. Sofrimentos pelos quais temos que passar...

Dois meses atrás ele teria se jogado aos pés dela, dizendo que nada precisava mudar, que podiam ficar juntos. Teria puxado a moça para um beijo o qual tinha certeza que ela não resistiria. Mas algo estranho havia acontecido... Ele sentia-se dolorosamente inclinado a concordar com tudo o que ela dizia... Mesmo que não estivesse entendendo direito, tinha certeza que ela estava certa.

- Alguém te machucou? – ele perguntou segurando as mãos dela.

- Não. Não existe ninguém que tenha me machucado... – ela se deitou no colo dele – mas há feridas que não cicatrizam...

- Se eu puder ajudar... Você sabe que eu faria qualquer coisa...

- Você já está fazendo... Tenha certeza disso.

*************************************

Quando saíram do restaurante foram de táxi até o cinema. Ponderaram um pouco sobre qual filme deveriam assistir e acabaram decidindo pelo filme “O Jardineiro Fiel”, que estava sendo bastante aclamado pela crítica.

Durante o filme, John acariciava lentamente sua mão e ela, sentindo-se protegida, aconchegou-se a ele. Realmente havia algo mais acontecendo ali. Um clima suave que podia levar a um delicioso beijo de boa noite. E como não se render diante de tanta gentileza e carinho? O jeito atencioso dele até lembrava Rony em alguns momentos... Quando ele a olhava com tanta ternura que chegava a arrepiar todos os pêlos da nuca de Hermione...

Droga! Para de pensar nele sua estúpida!

Ela olhou para seu acompanhante e sorriu. Com certeza ele era muito melhor que Rony... Muito melhor.

Alguns minutos depois o filme acabou arrancando algumas lágrimas dos olhos castanhos dela e fazendo com que ela recebesse um abraço apertado do homem.

- Calma querida... É só um filme! – disse ele risonho.

- É só um filme lindo! – respondeu ela fazendo bico – Sabe, eu acho que toda mulher quer encontrar um amor assim – disse depois de um suspiro.

- E as mulheres perfeitas, encontram – ele a encarou profundamente.

- Talvez seja melhor eu ir pra casa – disse ela desviando o olhar.

- Claro.

Ele chamou um táxi e se encaminharam para o bairro onde Rony morava. Ao chegarem lá, John pediu que o motorista esperasse por ele e desceu do carro, abrindo a porta para Hermione. Caminharam lentamente até a porta de mãos dadas.

- Obrigada pela noite John. Foi maravilhosa! – disse ela ficando de frente para ele.

- Fico muito feliz que tenha gostado. Tudo para agradá-la milady! – disse ele fazendo uma reverência. Hermione sorriu ao que ele prosseguiu – Eu que agradeço pela sua adorável companhia esta noite...

Hermione acariciou o rosto dele. John fechou os olhos e suspirou.

- Hermione... Será que eu posso...?

- Pode.

Lentamente ele se aproximou dela e tomou seus lábios em um beijo terno. Hermione correspondeu ao beijo, passando os braços ao redor do pescoço dele e deixando-se levar pela suavidade que John depositava em seus lábios.

- Eu posso lhe enviar corujas? – perguntou ele quando se separaram.

- Pode sim.

- Boa noite.

- Boa noite John.

Hermione ainda viu o homem se dirigir para o carro enquanto entrava na casa. Estava tudo escuro, sinal de Rony já estava dormindo. Subiu as escadas devagar para não fazer barulho ainda pensando se havia feito bem em deixar o beijo acontecer. Antes de entrar viu a porta do quarto do amigo entreaberta e pôde ver a luz fraca do abajur.

Sempre desligado!

Resolveu entrar e apagar a luz, a cena com a qual se deparou fez seu estômago dar uma cambalhota. Rony estava dormindo tranquilamente com Luna sobre seu peito. Na verdade os dois estavam embaixo do mesmo lençol e pareciam estar enroscados um no outro. Imediatamente ela voltou para o corredor e lembrou que Gina estaria em seu apartamento esta noite... Imediatamente aparatou lá.


***********************

Gina ainda estava analisando um caso. Este era o último e iria dormir, afinal tinha muito trabalho para fazer amanhã. De repente ouviu a campainha tocar. Não tinha a menor idéia de quem poderia ser. Levantou-se e teve um susto quando viu quem estava do outro lado da porta.

- Mione?!

- Gi, eu posso dormir aqui? – disse ela aflita.

- Ah não... – começou a ruiva em tom de brincadeira – Quando um casal briga quem sai de casa sempre é o homem.

- Não diga besteiras... – Hermione corou – Eu só não quero incomodar seu irmão... Ele está lá com a Luna.

- Com quem?!

- A Luna chegou chorando lá e eu saí... Quando voltei, fui procurar seu irmão e vi os dois esparramados na cama...

- A Luna chorando? – o tom de voz mudou para preocupado – Sinceramente não estou entendendo...
- Seu irmão é adulto e sabe muito bem o que faz!

- Mione, você não acha que... Não. Eu realmente não acho que o Rony tenha ido pra cama com a Lu... Tenho certeza eu há alguma coisa confusa nesta história.

- Sinceramente, eu não quero saber disso! A vida é dele e ele gasta com quem bem entender – cortou Hermione.

Gina achou melhor não discutir.

- Claro que você pode ficar...

Não conversaram muito. Hermione alegou dor de cabeça e foi direto para o quarto de hóspedes. Depois disso, Gina não conseguiu mais se concentrar e também foi para a cama.

No dia seguinte, Gina correu para o trabalho (já que estava atrasada) e Hermione ficou ali, fazendo hora até o fim da tarde... Não queria encontrar Rony com a Luna.

Saiu da lareira limpando as cinzas e quando levantou o rosto deparou-se com Rony sentado no sofá olhando furioso para ela.

- Hermione... Onde você estava?

- Estava com a Gina. Dormi no apartamento dela.

- E porque não me avisou?! Eu estava preocupado com você e sem saber onde procurar!

- Não sei o porquê de tanta preocupação... Eu sou adulta sabia? Sei muito bem me cuidar.

- Ainda assim devia ter me avisado!

- Por quê? E se eu tivesse resolvido passar noite com o John? Teria que vir aqui e perguntar: “E aí Rony, você me deixa dormir com um amigo?” Ah, por favor, você não é meu pai! – os olhos dele ficaram do tamanho de dois pratos, Hermione exultou com isso – Aliás, você devia me agradecer por eu ter tido o bom senso de não atrapalhar sua noite!

- Do que você tá falando? – perguntou ele confuso

- Pro seu governo, eu voltei pra casa ontem sim! Mas fui procurar você e o vi na cama com a Luna, dormindo juntos!

- Hermione...

- Sinceramente eu quis evitar o constrangimento que minha presença poderia causar, então resolvi sair de novo! O que você queria? Que eu fosse lá, cutucasse seu ombro e atrapalhasse a cena?

- Então você acha que...

- Eu não acho nada Ronald!

- Hermione... Eu não fiquei com a Luna ontem... – ele a fitava seriamente.

- Francamente Ronald! Conta outra tá?

- Pelo amor de Deus Hermione! Você viu o estado em que ela chegou ontem...

- Com certeza ela precisava se consolada! – disse de forma irônica.

- Nós só estávamos na mesma cama! – protestou ele – Quantas vezes eu e você não dormimos na mesma cama?

- Nunca daquele jeito! Ela tava praticamente enroscada em você... – ela corou de repente, e as orelhas deles adquiriram o tom avermelhado – Ah, quer saber? Eu não tenho nada a ver com isso! Não precisa ficar dando explicações pra mim...

- Hermione, por favor!

- Já disse que não é da minha conta! Afinal, o que eu devia esperar de um cara tão mulherengo quanto você? Praticamente todas as bruxas que passaram pela Grã-Bretanha também passaram por sua cama!

- Eu não tenho culpa se, desde sempre, as bruxas se mostram tão solícitas para mim... – disse com expressão cínica.

PLAFT!

A mão dela ainda ardia da tapa que havia dado na face de seu amigo. Ele olhou para ela sério. Ela sustentava o olhar dele. Lágrimas silenciosas se formaram nos olhos da moça. A testa dele se franziu em uma expressão de arrependimento. Compreendia agora que aquelas palavras não deviam ter saído de sua boca, definitivamente ele devia ter ficado calado. Sua boca se abriu duas vezes na tentativa de desfazer a besteira, mas nenhum som saiu naquele momento. Uma lágrima escorreu pela bochecha direita dela, seguida de outra na face esquerda. Ele deu um passo e fez menção de segurar a mão dela, ao que Hermione virou-se e subiu as escadas correndo. Rony acompanhou os passos dela e a alcançou no meio da escadaria encostando-a na parede.

- Hermione, espera! – ela baixou a cabeça; a voz dele estava macia – Por favor... Desculpa... Eu não queria ter dito aquilo... Eu, não... Ah, você sabe... Com a Luna!

- Eu já falei que isso não é da minha conta! – ela tentava soltar-se dos braços dele.

- Claro que é! Eu não fiquei com a Luna, nem vou trazer mulher nenhuma por que você está aqui!

- Se eu estou atrapalhando sua vida, então me livre daquele feitiço idiota! – suplicou com o rosto já encharcado.

- Será que você ficou burra?! Não entende que minha prioridade é você... – e murmurou – Sempre foi você!

Ele olhou profundamente nos olhos dela.

Ela não pôde fugir daquele oceano à sua frente. Não conseguia não olhá-lo... Percebeu que estava respirando pesadamente... Ele também. Ela queria falar algo, mas não conseguia, sua garganta estava seca e sua mente estranhamente vazia.

Rony ainda a segurava pelos ombros. Como se estivesse com medo que ela aparatasse e o deixasse ali, olhando para as paredes. A expressão dela era como a de uma criança que não sabia o que fazer... Precisava de força, uma certeza, e ele sentia que era responsável por ela, que era seu dever lhe dar o que ela tanto precisava...

- Ron! Ron! – alguém chamou lá embaixo.

Eles se soltaram.

- Percy? – disse Rony para si mesmo enquanto descia as escadas.

Rony desceu as escadas correndo, com Hermione em seu encalço. Quando chegou ao andar térreo, Rony viu o rosto de seu irmão na lareira. E ele parecia bastante preocupado. Será que havia acontecido alguma coisa no ministério?

- Ron...

- O que foi Percy?

- Er... A mamãe...

- O que é que tem a mamãe? – Rony começou a ficar aflito, e Hermione segurou levemente o braço dele.

- A gente tá no St. Mungus... A mamãe passou mal e ela está sendo atendida como urgência...

- Como no St. Mungus?! – gritou Rony – Eu estive na Toca ontem... A mamãe está ótima de saúde!

- Rony... – Hermione interveio – A gente já tá indo Percy.

O rosto de Percy desapareceu da lareira. Rony olhou angustiado para a amiga.

- Vamos pra lá e saber o que tá acontecendo. – disse Hermione.

Em poucos minutos Rony e Hermione entravam no Hospital bruxo e procuravam pela Ala de Emergência. Encontraram todos os homens Wesley numa sala de espera.

Fred e George andavam de um lado para o outro, Fleur estava de pé enquanto Gui, que estava sentado, a abraçava pela cintura. Percy estava encostado num canto de parede e Carlinhos sentado do lado do Sr. Wesley, todos com uma expressão muito preocupada. Mas Arthur... Este parecia arrasado. Jogado em uma cadeira o rosto muito cansado, com o olhar perdido, os olhos vermelhos de onde lágrimas silenciosas saltavam. Ao seu lado também estavam Tonks e Lupin.

- O Rony chegou – murmurou a metamorfomaga.

O senhor Wesley olhou para frente e se levantou debilmente indo em direção ao seu filho caçula e o abraçando.

- Rony, meu filho... Sua mãe...

- O que aconteceu? Por que ela veio parar aqui?

- Ela passou mal durante o café da manhã... – iniciou George – Sentiu dores no peito e falta de ar...

- Ouça papai, vai ficar tudo bem. A mamãe é forte, ela não vai se entregar tão fácil viu? – Rony tentou confortar o pai – Onde está Gina?

- Está cuidando da mamãe... Ela não deixou nenhum outro médico fazer isso – respondeu Carlinhos.

- Viu pai? É a Gininha que está com ela... Tudo vai ficar bem – completou ele.

- Isso não é arriscado? – cochichou Hermione para Tonks – sei lá... A Gi está muito envolvida emocionalmente.

- Eu também pensei assim, mas ela não quis ouvir ninguém...

Hermione olhou para o lado e viu Rony consolando o Artur. De repente Harry surgiu afobado pela porta.

- O que aconteceu? – perguntou ele.

Lupin deu todas as informações e então o moreno se encaminhou para onde o Sr. Wesley estava. Colocou a mão no ombro dele e lhe lançou um olhar compreensivo.

- Minha Molly, Harry – disse Arthur em tom choroso – Ela não pode ir embora agora... Ela não pode me deixar, eu não sei viver sem a minha Molly....

- Ela não vai nos deixar... Eu tenho certeza.

A cada palavra que Hermione escutava, seu peito apertava. Não podia imaginar a história de Molly e Arthur acabando de forma tão abrupta. Eles se amavam... Isto sempre foi visível. Hermione sentiu o amor transbordar naquela casa desde a primeira vez que pisou ali. Apesar de todas as dificuldades financeiras que enfrentavam e das discussões momentâneas, o amor era praticamente tangível. Era com uma história assim que sonhava para si.

Rony ficou um tempo ali, mas não suportava mais ficar sem notícias. Aquela sala com paredes tão branquinhas e pessoas tão tristes estava sufocando-o. Ele precisava colocar pra fora toda sua angústia... Mas não o faria ali. Desde pequeno aprendeu a não demonstrar fraqueza ao lado dos irmãos. Sempre teve medo que eles pegassem no seu pé.

Aproveitou que todos estavam voltados para dentro de si mesmos e saiu para um espaço arborizado que havia no hospital.

Pouco tempo depois, Luna entrou na sala. Mas não tinha o ar sonhador de sempre. Ela estava séria e caminhou diretamente para o lugar onde estava o Sr. Wesley. Ela se ajoelhou diante dele e sorriu, transmitindo confiança.

Hermione ficou intrigada ao vê-la ali, mas logo lembrou que ela era muito bem quista pelos habitantes da Toca. Olhou ao redor e não viu Rony. Achou estranho.

Onde será que ele está?

Resolveu sair para procurá-lo.

Após andar alguns minutos pelos corredores, ela resolveu sair do prédio. Então viu uma cabeleira ruiva sentada embaixo de uma árvore. Caminhou lentamente até lá.

- Luna chegou... – disse ela num sussurro.

Ele nada respondeu, apenas levantou o rosto em sua direção. Por mais que soubesse da ligação entre Molly e os filhos, principalmente com Rony (ou Roniquinho), Hermione não estava preparada para a visão à sua frente: ele tinha os olhos vermelhos e lágrimas escorriam por sua face.

- Eu tô com medo Mione...

Hermione se abaixou e segurou o rosto dele com as duas mãos, sem mais se preocupar com as lágrimas que não conseguia conter.

- Vai dar tudo certo... É a Gina que tá com ela...

- Eu não estou preparado para perdê-la... Nós passamos por uma guerra e sobrevivemos... Eu não estou preparado pra perder minha mãe agora... Eu nem lhe dei netos ainda...

Hermione apenas o abraçou e ficaram assim por alguns minutos até que ela disse:

- Molly ainda vai paparicar muito os netos que você der a ela viu? Ela vai sair dessa.

- O papai... É tão ruim vê-lo daquele jeito...

- Ele também vai ficar bem... Tudo vai ficar bem, eu tenho certeza.

Rony se afastou dela e passou seus dedos pelo rosto delicado da moça enquanto enxugava as lágrimas que corriam por ali.

- Eu confio no que você diz... Você sempre está certa.

Hermione sorriu, levantou-se e estendeu a mão para o amigo. Ele também se levantou e, de mãos dadas, seguiram para a sala de espera.

Quando chegaram lá, Luna se adiantou e abraçou Rony que retribuiu o gesto. Ela sussurrou palavras de encorajamento e força no ouvido dele, mas logo se afastou devolvendo o espaço para Hermione.

Algumas horas se passaram e a única notícia que tinham era a de que Molly ainda estava na sala de cirurgia. De repente eles ouviram passos apressados vindos de dentro da ala e Gina apareceu com um enorme sorriso nos lábios.

- Tudo está bem agora... – a ruiva suspirou antes de prosseguir – Foi difícil, tivemos que aplicar poções reconstrutoras no próprio músculo cardíaco... Mas agora ela ficará bem. Precisará descansar e somente amanhã poderá receber visitas... Poucas e por pouco tempo.

- Eu não posso vê-la querida? – perguntou Arthur.

- Infelizmente não papai... Ela ainda está sob efeito de sedativos. – ela se aproximou do pai e fez um carinho no rosto abatido – Que tal o senhor ir para casa e descansar um pouco? Ela não vai gostar de lhe ver assim, tão preocupado... Descanse que amanhã o senhor será o primeiro a entrar no quarto dela viu? Eu vou ficar mais um pouco. Meu dia de trabalho não acabou.

Depois de muita negociação, os filhos convenceram Arthur de que era melhor ele passar a noite em casa e tomar poções revigorantes e para dormir. Em pouco tempo, todos foram embora, deixando Gina sozinha na sala de espera.

Quando sentiu a tranqüilidade da sala vazia, Gina entrou na ala. Encostou-se na parede do corredor e fechou os olhos. Suspirou. Suas pálpebras começaram a tremer. Ela percebeu o quanto precisava chegar a sua sala o mais rápido possível.

- Gi... Você está bem?

Ela olhou para trás e viu Harry. Sorriu fracamente para ele.

- É claro que está. Mamãe está fora de perigo...

- Eu estou falando de você.

Gina estendeu a mão para ele e de mãos dadas foram para a sala da diretora. Gina abriu a porta e entrou seguida por Harry que fechou a porta. Ela foi até uma mesinha onde ficavam duas garrafas térmicas, uma com chá e outra com água e sem olhar para trás perguntou:

- Você quer beber alguma coisa... Tá com sede?

Gina não choraria nem mesmo na frente dos irmãos. Talvez de Rony, mas ele estava tão abatido quanto ela.

De repente ela sentiu os braços fortes de Harry a envolver. Não! Ela não queria chorar... Mas não estava mais conseguindo se controlar... Girou o corpo e afundou o rosto no peito de Harry enquanto deixava virem livremente as lágrimas e os soluços.

- Chora meu bem... Chora... – ele sussurrava.

- Eu tive tanto medo Harry... – dizia ela entre os soluços – Medo de errar... Medo de falhar com a mamãe, de deixar ela escapar...

- Você foi brilhante... Não havia pessoa melhor para cuidar dela que você...

Enquanto ela chorava, ele a conduziu para o grande sofá que havia na sala e sentou-se fazendo com que ela colocasse a cabeça no seu colo. Ficou ali, acariciando os cabelos vermelhos dela. Gina apenas chorava e deixava toda a angústia escapar junto com as lágrimas.

- Estou tão cansada...

- Descanse minha flor.... Eu estou aqui e vou ficar aqui.

As mãos de Harry, o calor delas. A voz dele. O colo dele. Estava tudo tão perfeito... Tinha certeza que ali era seu lugar naquele momento. Somente Harry poderia passar essa paz que ela tanto precisava. Somente as palavras dele poderiam trazer à tona este choro de alívio. Ele estava com ela. Ela estava segura.

Ela fechou os olhos e se deixou levar pelos carinhos de Harry. Estava realmente muito cansada... E Harry lhe proporcionaria descanso.

********************************

Draco Malfoy bateu devagar na porta. Uma voz que ele conhecia muito bem respondeu baixinho para ele entrar.

Ao entrar na sala ele viu Harry Potter sentado no sofá e Gina deitada em seu colo. Ela estava dormindo, com uma expressão serena.

Harry segurou um bufo de indignação ao perceber quem era. Mas apesar de odiar Draco Malfoy, Gina era mais importante.

- Ela está bem? – perguntou o sonserino. – fiquei preocupado com ela durante a cirurgia.

- Não foi fácil para ela... – respondeu Harry – Mas ela está descansando... Vai acordar melhor.

- Certo. Vou dizer para ninguém incomodá-la. – e antes de sair, deu um leve cumprimento com a cabeça para o moreno.

**************************

Draco saiu da sala de Gina mais aliviado ao saber que a ruiva tinha conseguido dormir... Sinal que já estava calma.

Olhou para frente e viu uma mulher loura sentada em um banco no corredor.

- Luna? – pigarreou – Lovegood?

Ela olhou para ele, que viu os olhos da moça vermelhos. Ela estava chorando silenciosamente.

A matriarca da “grande família” já está fora de perigo. Por que todos estão com essa cara? - pensou o louro.

- Aconteceu alguma coisa? – perguntou Draco.

- Existem coisas que sempre acontecem Malfoy... Não importa o quanto tentamos lutar contra isso.

Ele pensou um pouco não entendeu muito bem o que ela quis dizer. Mas não estranhou, afinal, estava falando com Luna Lovegood.

Olhou mais atentamente para ela e viu o quanto parecia desamparada. Estava até bonita em seu abandono. Os longos cabelos soltos... Os olhos verdes como se procurassem por algo. Sentou-se do lado dela.

- Não fica assim. A Molly já está bem. – tentou consolá-la.

- Graças a Merlin! Mas o susto sempre fica né? – ela deu um risinho triste.

- Então que tal espantar o susto? Quer tomar um chá? Lá na cafeteria... Eu tenho uma hora de folga agora. – disse ele se levantando e oferecendo o braço a ela.

- Eu aceito! – ela se levantou e enlaçou o braço no dele.

Juntos seguiram pelos corredores.

******************************

Ele acordou com um movimento brusco realizado pela moça que dormia em seu colo. Ela se espreguiçou demoradamente, virou-se de barriga para cima e abriu os olhos castanhos dando de cara com os brilhantes olhos verdes de Harry.

Ele pensou que ela se levantaria rapidamente e diria que tinha alguns pacientes para ver. Mas ao contrário, Harry viu o rosto de Gina se modelar num sorriso que fez seu peito se aquecer.

- E então, dormiu bem? – arriscou ele.

- Mais ou menos. Acho que senti um pouco de incômodo... O “colchão” não é lá muito bom... Mas o travesseiro me pareceu maravilhoso – ela sorriu – acho que tenho que trocar o sofá. Você se importa de ficar na minha sala, sei lá, como objeto de decoração e eventual almofada?

- Por mim, não tem problema nenhum. O problema é que o Ministério também precisa de mim... Como objeto de decoração sabe?

Gina gargalhou da piada dele e se levantou encostando-se no braço oposto do sofá.

- Eu devo estar monstruosa – disse ela tentando prender os cabelos em um rabo de cavalo. – Cabelo desgrenhado, rosto inchado... Quanto tempo eu dormi?

- Três horas.

Ela deu um pulo.

- Meu Deus! Tudo isso? Eu tenho que...

- Calma. Malfoy esteve aqui e disse que pediria para ninguém incomodá-la. Acho que não tem nada demais acontecendo... Tudo deve estar bem tranqüilo...

Gina sentiu o estômago se manifestar e colocou a mão sobre ele, tentando abafar qualquer som que ele viesse a produzir.

- Acho que estou com fome – disse ela – Vou até a cafeteria...

- Eu posso ir lá para você...

Ela ponderou alguns segundos e resolveu aceitar.

- Certo... Enquanto isso eu vou dar uma olhada na mamãe. Nos encontramos aqui?

Harry acenou afirmativamente com a cabeça e saiu.

Gina se encaminhou para o quarto ocupado por sua mãe. Pensou se Harry não seria seu anjo-da-guarda. Se não havia, na profecia que o envolvia, uma continuação que o confirmasse não só como o escolhido para derrotar Voldemort, mas como aquele que sempre velaria pela única garota nascida na família Wesley em muitas gerações.

*****************************

Já era noite quando Rony e Hermione chegaram em casa. Antes passaram pela Toca e ficaram tentando acalmar o Sr. Wesley. Conversaram sobre o quanto Molly era forte e iria se recuperar rápido. Só saíram de lá quando Arthur já havia dormido e Fleur ficou para cuidar dele.

Aparataram na sala da casa de Rony exaustos. Havia sido um dia e tanto! Hermione observou o amigo caminhar diretamente para as escadas.

- Rony! – chamou ela – Você não vai comer nada? Nem almoçou hoje...

- Tô sem fome Estrelinha... Preciso descansar um pouco.

Hermione fez uma cara assustada e correu para perto do amigo medindo sua temperatura.

- Será que você pegou alguma doença lá no hospital? Você nunca fica sem fome!

- Tem sempre uma primeira vez pra tudo...

- Quem é você e o que fez com meu amigo! – admirou-se ela.

Ele riu e a abraçou.

- Vou subir tá?

- Tá.

Ele foi para o quarto e Hermione foi para a cozinha. Se ele não estava com fome, ela estava. Fez um lanche bem reforçado e já ia subir, quando pensou mais um pouco. Voltou para a cozinha e preparou um sanduíche bem grande (e com ingredientes bem nutritivos), frutas, torradas, geléia e um copo de suco, colocou numa bandeja. Foi até o quarto do ruivo e percebeu que ele dormia serenamente... Pôs a bandeja na mesa de cabeceira e saiu sem fazer nenhum barulho.

*****************************

Rony acordou algumas horas depois. Olhou pela janela e viu que ainda não havia amanhecido. O relógio anunciava que eram 3:45 da madrugada.

Ele sentiu seu estômago doer, então lembrou que não havia comido nada depois do café da manhã. Na verdade nem o café da manhã tinha comido direito, já que estava preocupado com Hermione.

Hermione...

Ele levantou para ir à cozinha... Quem sabe Dafne ainda não estava acordada...

Mas, peraí. Com certeza ela está dormindo! Já são quase 4 da madrugada... Se eu acordá-la Hermione me mata!

Sorriu.

Hermione...

Mas quando olhou para o lado viu a enorme bandeja na sua mesa de cabeceira. Ali havia tudo e definitivamente ele não precisava descer. Nem Dafne faria com tanta perfeição. Ele sorriu.

Hermione...

****************************

Ela abriu os olhos devagar e virou para o lado, já eram 9 da manhã. A luz clara do dia ensolarado estava incomodando seus olhos cor de chocolate ainda sensíveis. Levantou-se e foi direto para o banheiro. Lavou o rosto e assim pôde enxergar-se melhor no espelho. Viu que seus cabelos já cheios estavam praticamente indomáveis. Apanhou um lacinho, o prendeu em um rabo-de-cavalo e escovou os dentes.

Quando saiu do banheiro, Hermione viu algo estranho em seu quarto. Pequenas estrelas brilhavam pelo chão fazendo um caminho que saía pela porta. Pegou seu robe e o vestiu. Saiu do quarto e percebeu que o caminho de estrelas continuava até a varanda. Curiosa, foi até lá. Ao atravessar a porta viu uma linda mesa de café da manhã preparada. Adiantou o olhar e o que viu fez suas pernas bambearem.

Debruçado sobre a grade da varanda, estava Rony. Os cabelos, que caíam sobre o rosto, refletiam a luz do sol. Os olhos azuis estavam apertados para se proteger da luz... Tão fofo! Ele vestia uma calça de algodão branca e uma camisa azul claro de botões, que estavam todos abertos. Como que percebendo a presença dela ali, ele virou o rosto e lhe encarou com um sorriso.

Vamos Hermione, pensava ela Respira... É fácil... Eu tenho certeza que lembro como é... Puxa pra dentro, empurra pra fora.

- Bom dia minha Estrela!

- Bo... Bom – pigarreou – Bom dia!

- Fiz isso pra você... Pra agradecer. – ele olhava profundamente nos olhos dela.

- Er... Não há de quê. – ela estava corada – Você fez isso tudo? – disse desconfiada tentando descontrair – Tem certeza?

- Okay! Dafne me ajudou tá? – ele levantou as mãos em sinal de rendimento. Hermione gargalhou – E então, vamos tomar café?

Comeram calmamente, conversando, brincando, rindo. Nem parecia que estavam discutindo na manhã anterior.

- Temos que ir... – disse ele quando terminaram de comer. – Vamos ao hospital?

- Eu acho melhor você ir... Não lembra o que a Gina disse? Quanto menos pessoas melhor... E eu acho que ela quer ver os filhos. Vai logo, que eu vou mais tarde certo?

Ele ficou olhando para ela uns segundos.

- Tudo bem – respondeu finalmente. – Eu vou. Mais tarde, você vai...

- Okay.

Rony se levantou e caminhou para a porta. Antes de sair, porém, ele voltou e se inclinou para dar um beijinho na cabeça de Hermione. Esta, sem perceber a intenção dele levantou um pouco a cabeça. O bastante para que, sem querer, ele encostasse os seus lábios nos dela e desse um recatado selinho.

Separaram-se vermelhos. Hermione baixou os olhos. Rony abria e fechava a boca várias vezes sem saber o que dizer.

- Er... Mione... Desculpa...

- Tudo bem. Eu sei que foi sem querer... – ela não o deixou falar – Tchau Rony... E diga a sua mãe que eu mandei um abraço...

- Certo. – ele se virou e saiu. Sua cabeça fervilhava e seus lábios só enviavam uma mensagem: “mais” eles queriam “mais”.

Hermione ficou ali por algum tempo a fim de normalizar a respiração. Depois se levantou rapidamente e foi ao seu quarto. Precisava tomar um banho e arrumar seus pensamentos.

*********************************************

Heloooo!!!!

Okay, okay... eu sei que foi mais um capítulo “não muito feliz”... mas eu achei essa doença da Molly um bom momento de aproximar nossos casais. E vocês, o que acharam? Ah, o baile está cada vez mais perto... e as coisas vão acontecer mais rápido entre eles agora ; ]

Siiiiiiiiiiiiiim, e antes que eu me esqueça (como se eu pudesse esquecer): MUITO OBRIGADA!!!!!

Minha fic ficou entre as mais lidas durante uma semana!!!!! Fiquei tão feliz! E tantos comentários... que eu fiquei até sem palavras. Só conseguia pensar “Eles gostam de mim ^.^ Eles gostam mesmo de mim ^.^

*Momento Marketing*: Leiam a fic da querida Emiliana Rosa (emi_mione): chama-se “De volta ao lar” e promete muuuuuuito!

Até pensei em fazer um grande agradecimento coletivo, mas não achei justo com vocês que me motivam tanto. Portanto, só quis postar depois de ter comentado cada um dos comentários. Então lá vai:


Assunção: Olá! Muito obrigada por suas palavras! Quero dizer que estou escrevendo o mais rápido que posso... se eu pudesse postaria um capítulo por dia, mas minhas faculdades chatas não deixam =[ Prometo que o prazo máximo para atualização será de 15 em 15 dias tá? Beijo!

Tulio Henrique: Bem-vindo! Novos leitores me deixam tão feliz ^.^ Nossa, uma das melhores pós-hogwarts... estou emocionada XD Logo, logo os casais vão se acertar. Prometo! Obrigada e Beijos!

Tammie: Oi! Obrigada por suas palavras, são tão motivadoras! Estou atualizando sempre que possível. Ah, cada dia estou mais certa das outras histórias... a do Sirius está todinha na minha cabeça, tem até título! E a dos fundadores de Hogwarts está se formando... assim que acabar esta (que é mais longa) eu posto as outras... você vai ler? ^.^ Beijos!

Joy: Mais um capítulo! Obrigada e beijos!

Mayana: Pois é... flashbacks ajudam a entender melhor um passado obscuro... que bom que você gostou! Nossos heróis são lentos mesmo, mas se não fossem assim, não seriam eles né? Pode deixar que as cenas do trailler estão bem próximas! Obrigada e Beijos!

Iris Gonzaga: Ai meu Deus! Fica maluca não! Kkkkk Aqui está mais um capítulo só pra matar sua curiosidade ^.^ Beijos e muito obrigada viu?

Dibiela: Nossa! Muito obrigada mesmo! Esse quarteto é perfeito mesmo né? Pena que sejam tão lentos... mas pode deixar, estou postando sempre que surge um tempo. Beijos!

Ginny: Que bom que você está gostando da história maluca que eu criei... pode deixar, acima de tudo ela é um romance e todos vão se acertar... as mágoas e as provocações serão superadas. Muchas gracias e besitos!

Bruno Rodrigues: Bah guri! Que bom que tu tá gostando! ^.^ Obrigada pelos elogios... nunca pensei que minha forma de escrever fosse agradar tanto XD Besitos!

Mari =* Evans: Seu pedido é uma ordem: Postei! ^.^ Beijos!

Jessika Láine: Mais uma leitora nova! Fico tão feliz! Realmente, Rony e Mione na mesma casa só pode dar comédia... e romance né? ^.^ Ah, pela capa, o crédito é todo da minha amigona Nary... eu também adorei ela! Brigadinha e mil beijos!

Bernardo: Muito obrigada! Você acha mesmo que eu sou habilidosa *autora se sentindo! ^.^* Eis o novo capítulo. Beijos!

Lunny Lupin: Que bom que você gostou do fim da guerra. Sinceramente deu muito trabalho pra imaginar aquilo kkkk Ah, não é só a Hermione que é tonta não, o Rony é bem tapadinho também. Mas tudo tem uma razão. Mais alguma coisa, que só será revelada depois, aconteceu entre eles para que a situação tenha ficado desse jeito. Espere mais um pouco e verá 0=) Beijos!

Val Weasley: Êêêê! Conseguiu nos alcançar! Kkkkkkkkkk Nossa, muito obrigada pelos seus comentários... são tão motivadores! É como uma dose de chocolate extra (é que chocolate é meu combustível ^.^). Fica tranquilo que todos vão se acertar viu? Ah, e não foi só por falta de iniciativa que R/H não foram pra frente... existe mais coisa escondida na história deles e eu já dei umas dicas ao longo da fic *autora assoviando e se fazendo de desentendida*. Talvez a história tenha mais de 20 capítulos, mas tudo vai depender de tempo certo? Muito obrigada e continue comentando tá? Beijos! Ps: com certeza vou “curiar” suas fics... assim que der comento tá?

Srtáh Míííhh: Desculpa por tê-la feito chorar... mas foi preciso. XD Obrigada e mil beijos!

Débora Aguiar: Muchas gracias! Espero que continue gostando viu? Beijos!

Marina Barrocas: Eis, mais um capítulo... gostou? Espero que sim ^.^ Beijos!

Almofadinhas Black: Calmex querido Almofada... eles vão se acertar, e está muito perto, eu garanto! Obrigada e beijos!

Hermione Granger: Novo capítulo postado! Beijos!

Lica Martins: Okay, você descobriu que eu gosto de fazer meus personagens sofrerem... na verdade eu não gosto não, eles que são cabeça-dura e lentos demais kkkkkk. Mas a era das vacas magras está chegando ao fim... Obrigada e beijos!

Potter: Que bom que está gostando! Eis mais um capítulo! E pode deixar que assim que der eu vou ler sua fic viu? Beijos!

Gina W.Potter: Pois é... nem sempre o que se planeja sai perfeitamente. O Harry achou que estava protegendo a Gina, mas só perdeu o amor dela... mas fica tranqüila que ele está bem pertinho de achá-lo novamente viu? Ah, e R/H vão cansar dessa vida de “bichento e rabicho” (vulgo, gato e rato... ops! Bichento é um amasso! Kkkkkk). Beijos!

Remaria: Obrigada! Pois é, eu sei que não tenho sido muito boa com o Harry, mas no fim, tudo acabará bem... a Gina que o diga... Ah, e para R/H também viu? Beijos!

Rafael Ortiz: Pode deixar, daqui pra frente as coisas vão virar para nosso querido herói de olhos verdes! Beijos!

Natinha Weasley: Ei, vamos confessar... o Harry mereceu né? Eu sei que a Gina é teimosa, mas eu sou fã dela. Não desce do salto nunca! E é de salto que ela vai se acertar com o Harry viu? Beijos! Muito obrigada!

Carolzinha: Obrigada XD Fico muito feliz que minha fic esteja agradando... o Rony não é tudo de lindo? Eu ainda não sei como a Hermione não se joga nos braços dele... e eu sei que o Harry foi cafajeste... mas foi por amor né? Enfim, os “agarramentos” estão por vir ^.^Beijos!

Ana Carolina Guimarães: Mais um capítulo! Obrigada pelos elogios! Ah, a festa começa no próximo capítulo (se tudo correr como eu planejo) e muitas coisas acontecerão... para os dois casais. Beijos!

Raíza: Nossa! Estou deslumbrada com seu comentário! Eu faço isso tudo? OMG, que bom! Ei, nosso trio de volta a Hogwarts é realmente o que há de mais legal né? Ah, obrigada por fazer propagandoa ^.^ Se eu pudesse publicá-la, com certeza lhe daria participação nos lucros kkkkkkkkkkkkkkk Beijos!

TheBlueMemory: Obrigada! Fico feliz que meu estilo esteja agradando! Espero que continue gostando... qualquer coisa é só falar viu? Beijos!

Jaline Gilioti: Obrigada! É sempre bom ver personagens crescerem né? Beijos!

Marina Lestrange: Muito obrigada! Beijokas!

LiLi N. ( Liz): Ei, você é a Liz da fic da Priscila? A comensal que fez o favor de matar a Trelawney? *fazendo reverência* kkkkkkkkkkkkkk Obrigada pelos elogios... R/H são realmente fofos e muuuuuito tímidos. Espero que continue gostando! Beijos!


Emiliana Rosa: Você é ótima! O comentário no diminutivo (rsrsrs) que bom que você gostou do fim da guerra! Obrigada pela força viu? Reparou que estou fazendo propaganda da sua história? ^.^Beijokas!

Charlotte Ravenclaw: Fico feliz que tenha gostado do flashback... fiquei tão na dúvida entre colocá-lo ou não... Ah, os casais vão se acertar logo, prometo! Beijos!

L.Käfer: Olá! Nossa, que bom que você mudou de idéia! Kkkkkkkkkkk e principalmente, fico feliz que tenha gostado do baile... se eles tivessem se acertado lá a história não teria fundamento né? Ei, e aquela música é tudo de linda! A letra, a melodia... enfim, Sarah Brigthman é tudo de maravilhoso! Ah, eu também li “De olhos bem fechados”, e a cena do baile é realmente linda! Sou louca pela continuação “De olhos bem abertos” mas parece que a autora desistiu dela =[ Assim que eu puder dou uma passada nas suas fics certo? Porque eu quero realmente lê-las! Beijokas!

Carol Cardilli: Mais um capítulo para fazer meus leitores felizes! Beijos!

India: Gostou mesmo da batalha? Fico feliz por isso! E pode deixar, Rebeca fará nova participação... Beijos!

Amanda Regina Magatti: Capítulo novo! Gostou? Espero que sim ^.^ Ah... a festa do ministério promete... eu prometo! Ela está chegando viu? Beijos!

Priscila: Tsc, tsc, tsc... esse povo pervertido... kkkkkkk tem nada não, eu vou compensar os amassos perdidos viu? ^.^ Ai, meu Merlin... tô até com medo... será que eu devo escrever Nc’s? *autora em crise existencial* Ah, mas mudando de assunto... que bom que você gostou da batalha! Eu tenho certeza que você vai fazer um trabalho maravilhoso quando chegar a hora! Beijokas!

Ara Potter: Menina! Já ouvi falar muito de você! Kkkkkk Até achei suas fics e estou lendo (infelizmente tenho que fazer isso devagar...), estava só esperando acabar para poder fazer um comentário descente! Obrigada pelos elogios! Que bom que você està gostando, porque eu gosto muito das suas também (Maninho e Com o Tempo tudo Muda)... Pois é, eu fiz um Rony por quem eu me apaixonaria, com qualidades e defeitos, além de liiiiindo! Ai, ai... que bom que ele agrada né? ^.^ Pois é, sei que tenho sido cruel com meus casais... mas tudo vai se acertar! Ah, a Priscila me anima tanto com seus comentários que não tinha como deixá-la de fora! Muchos besos!

Christian Sotelo: OMG! Muito obrigada pelos elogios... e capítulo novo! Beijos!


Esqueci de alguém? Espero que não... mas se eu tiver esquecido pode cobrar viu? Pode apontar o dedo pro teclado e exigir mais atenção desta escritora maluca e sem tempo!

Até breve!
NOX







Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 02/10/2011

Tadinha da Molly capitulo passou tão rapido...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.