FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

65. Capítulo 65 – Presente de Casa


Fic: A vida continua... Cometem pessoal!!!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Quanto mais próximo ao casamento mais Hermione era bombardeada por presentes, tanto trouxas como bruxos, o apartamento já estava ficando um pouco apertado para tanta coisa e assim ela já enviava algumas coisas para o apartamento de Rony.

_ Rony acho que teremos que fazer uma escolha.
_ Escolha... como assim Mi?
_ Ou moraremos nós aqui ou os presentes!
_ Realmente... Mas não se preocupe com isso futura Sra Granger Weasley, porque o seu ruivinho aqui já está providenciando uma casa mais ampla para ser nossa moradia.
_ Ai não acredito Ron... Você é de mais sabia!
_ Sim eu sei! Rony sentiu uma almofada atingir seu rosto enquanto Hermione gargalhava.
_ O bom é que você é modesto não é mesmo meu amor... Hermione também foi acertada por uma almofada, logo a bagunça estava formada e até Jorge havia entrado na guerra, a alegria se espalhava por todos os cantos do pequeno apartamento. Passados alguns minutos de “Guerra” a fome bateu e os três foram para a coizinha, Rony iria preparar um lanche para que eles pudessem voltar a arrumar as coisas. Quando estava se acomodando para lanchar a campainha tocou.

_ Quem será... Deixa que eu atendo, deve ser mais um presente. Hermione dirigiu-se até a porta de entrata, ao abri-la deparou-se com o porteiro e uma caixa um tanto grande.
_ Nossa esse é grande!
_ E pesado Srta Granger! Completou o velho senhor, Hermione pôs o pacote para dentro de casa, despediu-se do porteiro. Ia voltar para a cozinha quando resolveu abrir o presente ali mesmo, “total a bagunça já esta grande mesmo” Pensou ela.
_ O que era Mione! Gritou Rony da cozinha.
_ Mais um presente Ron, vou abri-lo.
_ Ok! Já estou indo ai... Hermione tentou abrir manualmente o embrulho, mas não conseguiu, “estranho” pensou, mas não se dando por vencida sacou sua varinha e com um feitiço não verbal a apontou para o embrulho, logo viu a fita ir laceando e desatando-se,sorriu, mas quando foi abril o papel o presente saiu de dentro caixa fanzendo com que ela caísse para trás com o susto, na sua frente estava Jorge sangrando, muito ferido, quase morto. Hermione soltou um grito de desespero que logo foi atendido por Rony.

_ Que houve Mione? Rony encontrou a mulher ainda no chão, as mãos no rosto, chorava e soluçava muito, quando o ruivo olhou para o pacote, viu Jorge todo ensangüentado, morimbundo, parecia um zumbi, se pôs na frente de Hermone e logo uma aranha enorme surgiu, ele respirou fundo sacou sua varinha e disse “RIDDIKULUS”, logo a aranha estava dançando sobre patins, Rony conseguiu prender o bicho-papãp na caixa novamente, conjurou algumas cordas para amarrá-la não deixando chance para o animal sair.
_ Calma Mione, era só um bicho-papão!
_ Rony... Começou Hermione entre soluços e lágrimas.
_ Calma Mi, já passou... Rony acalmou Hermione e foi verificar se havia alguma pista de quem havia mandado o inusitado presente, Rony rodeou a caixa e encontrou um cartão. Não havia rementente, ia abri-lo, exitou, mas se essa era a única maneira de poder descubrir quem o mandará ele faria, abriu o envelope, dentro havia uma folha negra e nela dizia:

“Caros Rony e Hermione

Espero que tenham recebido meu singelo presente e que ele tenha realizado seu propósito. Se eu possuísse um coração poderia dizer que ele fora “de coração”, espero que vocês tenham um futuro negro e infeliz.

Com todo o ódio possível

Camille Bruston

Ps.: Aproveitem bem a festa...”

_ Camille... Maldita Camille. Murmurou o ruivo.
_ E então Rony descobriu alguma coisa? Hermione vinha da cozinha, já estava mais calma, em uma das mãos uma xícara de chá e na outra Jorge.
_ Não! Respondeu Rony virando-se para encará-los e escondendo o envelope nas vestes. Não achei nada não, mas vou enviar para o Ministério, quem sabe lá alguém consegue não é mesmo.
_ Boa idéia... Eim Ron, você não acaha que foi ela quem mandou acha?
_ Ela? Você esta falando “dela”?
_ Sim...
_ Pouco provável Mi, não seria tão burra, afinal ela sabe que nós mandaríamos investigar cada centímetro desse embrulho.
_ Você deve ter razão. Rony observava Hermione, a mulher havia ficado abatida, ele próprio havia se sentido mal ao ver a “imagem” do filho naquele estado, nem mesmo sabia como pode enfrentar aquele bicho-papão sem exitar. Será que é o meu “EU PAI”” Pensou. Logo os três foram dormir, já estava ficando tarde e na manhã seguinte Rony queria encontrar o cunhado o mais rápido possível e lhe contar o que havia acontecido. Hermione teve o sono conturbado naquela noite, Jorge dormiu com eles e por vezes ele viu a mulher acordar e verificar se o filho estava bem.

Na manhã seguinte Rony pulou cedo da cama, era antevéspera de seu 1º casamento, mas isso não lhe parecia muito relevante naquele momento, vestiu-se sem fazer barulho, um feito para ele, Hermione permanecia deitada, havia tirado folga nessa semana, rumou para a cozinha, preparou um lanche e deixou um delicioso café para Hermione e Jorge, voltou para a sala, sacou sua varinha, apontou para o enbrulho e disse “REDUCTO”, logo o grande pacote virou uma caixinha, “Bem mais fácil” Pensou o ruivo com um sorrizinho bobo, entrou na lareira, conferiu se havia pegado o envelope e disse “Ministério da Magia, Sala do Harry” seu corpo foi envolto pelas chamas esmeralda e em poucos segundos ele aparecia na sala de seu cunhado.

_ Rony... Aconteceu alguma coisa? Harry assustou-se, por mais nervoso que Rony estivesse com o casamento, ele não acordava cedo. Sério Rony olhou para o amigo e respondeu:
_ Sim, e é por isso que eu estou aqui. Harry com um asseno de varinha puxou uma cadeira para o amigo que se acomodou.
_ Vamos diga logo o que aconteceu.
_ É melhor você mesmo ver! Rony tirou a caxinha do bolso, largou-a no chão, apontou sua varinha “FINITE INCANTATEM” a caixa voltou ao tamanho normal.
_ Um presente? Questionou Harry.
_ Sim... E veio acompanhado disso! Rony retirou do bolso o envelope e entregou a Harry, logo o moreno estava lendo e ao acabar, voltou a encarar seu amigo dizendo:
_ Você não acha que...
_ Talvez sim, quase certo que ela vá fazer alguma coisa no meu casamento.
_ Mas, e por que avisaria?
_ Talvez para que pensássemos que ela não o faria.
_ Sabe, é estranho, mas você pode ter razão!
_ Não é hora para brincadeiras Harry. Rony não parecia o mesmo, de repente Harry sentiu nele uma responsabilidade que ele jamais havia visto.
_ Desculpa, bom só há uma coisa a fazer, escalar Aurores, os melhores, para fazerem a segurança do local.
_ O.k, sabia que você teria uma boa solução.
_ Mas e a Mione ela sabe que foi Camille quem enviou?
_ Não, ela ficou muito abalada ao abrir o presente, preferi omitir isso dela.
_ Bom você falar no presente... O que é?
_ Um bicho-papão, mostrou Jorge ferido... Pode imaginar como ela ficou ao ver aquilo não.
_ Sim posso, você fez bem Rony, será melhor ela não saber de nada, aliás, nem ela nem ninguém de sua família.
_ Ia te pedir isso meu amigo. Obrigado Harry!
_ Não precisa agradecer meu velho. Mas me conta, muito nervoso para seus dois casamentos?
_ Você nem sabe o quanto...
_ Posso imaginar, se o meu que foi um só eu já estava uma pilha de nervos, pensa só você que são dois.
_ Pois é, nem gosto muito de pensar sobre, mas sabe faria tudo de novo se fosse necessário.
_ Cara, lembrei de uma coais, sua roupa.
_ Que que tem?
_ Você já está pronto certo?!?
_ Claro, esta em meu apartamento, aliás, as duas! Os dois riram. _ Ah, cara você conseguiu a casa?
_ Sim, está tudo certo já.
_ Conseguiu qual das duas?
_ Aquela que te mostrei sabe, bem perto da minha.
_ O.k, valeu mais uma vez amigão... Sabe, acho que não daria conta de tudo ao mesmo tempo, ainda bem que tenho você.
_ Que isso cara, pode contar comigo. Ah lembrei-me de uma coisa!
_ Do que?
_ Sua despedida de solteiro!
_ Minha o que?
_ É que os trouxas tem uma tradição, tipo um ritual para o cara passar de solteiro a casado, bem eu já arrumei tudo com o pessoal, nós iremos ao “Varinha d’Ouro”, lá poderemos nos divertir a vontade, tem pista para boliche, sinuca, xadrez-bruxo. Acho que será uma noite divertida...
_ Legal, não sabia disso, mas ta fechado, que horas?
_ 20:00 eu passo na sua casa! Ah... As mulheres não podem saber O.k!
_ O.k
Rony despediu-se do amigo, que logo chamou Colin Creevery, seu assitente pessoal, para levar o bicho-papão até o Departamento de Animais Mágicos e o envelope para o Departamento de Invetigações, voltando aos seus afazeres. Rony foi até o campo do Cronus, precisava pensar um pouco na vida, pegou sua vassoura e ficou lembrando-se dos seus velhos tempos de goleiro em Hogwarts.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.