FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

31. O castelo das sombras


Fic: Quatro faces - H.Hr - D.G


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Cap. 31_

Gina andava de um lado para o outro para o outro, em frente à porta da profª McGonagal. Rony roia as unhas, ao seu lado.

_Você conta. _ele disse por fim. Gina arqueou as sobrancelhas.

_Como você pode se preocupar com quem vai ou não contar? Céus, eles sumiram. Como você pode ser tão egoísta?

_Não é questão de egoísmo. É questão de ouvir o proº Dumbledore explodir quando descobrir que Harry e Hermione não estão no castelo desde manhã.

_Ele não vai explodir. Ele vai ficar preocupado!

_Isso é você quem está dizendo.

Gina bufou. _Covarde!

_Srta Weasley! _McGonagal abriu a porta de supetão _Sr Weasley! O que fazem, a essa hora, gritando na porta da minha sala.

Ambos prenderam a respiração. _Harry e Mione, profª. _Rony falou primeiro e Gina olhou-o, surpresa. _Eles sumiram desde manhã. Não sabemos onde eles estão.

A princípio, Minerva pareceu não entender bem. Seus lábios ficaram bem finos e ela estreitou os olhos. _Eles o quê? _ela perguntou, se inclinando para frente.

_Sumiram. _Gina completou com um fiapo de voz.

Então a profª explodiu. Soltou o ar dos pulmões e gritou passando por eles. _Mas no que diabos estavam pensando?!

Gina e Rony seguiram-na pelos corredores com um olhar abatido. Minerva foi diretamente, com passos firmes e rápidos, para a sala do diretor. Disse a senha que Rony e Gina nem prestaram atenção e subiu as escadas giratórias. Entrou sem bater, tempestuosamente, e encontrou o diretor olhando pela janela.

Dumbledore virou-se, sem, no entanto, parecer surpreso.

_Alvo, Harry e Hermione não estão no castelo. _Minerva exclamou de um fôlego só. Dumbledore encarou-a por uns segundos. Rony podia não ter percebido, mas Gina teve certeza de que eles estavam conversando mentalmente.

Então, Dumbledore virou-se para eles. _quando foi a última vez que vocês os viram? _ele perguntou enquanto pegava uma capa e jogava sobre os ombros.

_Hoje, depois do café. Eles estavam com uma aliança. De Godric e Rowena. Eles achavam que era uma horcrux. _Gina respondeu começando a torcer as mãos. Aquilo estava a deixando nervosa.

_Oh, Merlim, o que eles fizeram? _Minerva choramingou.

_Mas aonde? _Dumbledore perguntou mais enfático, aproximando-se deles _Aonde eles iam?

_Eu não sei. _Gina respondeu apreensiva.

_Eles... Disseram algo sobre um castelo. Em uma montanha. _Rony respondeu em dúvida.

Isso foi o suficiente para o diretor. _Acorde Severo e Hagrid, Minerva. Encontre-me nos portões. E vocês dois, não saiam daqui. _e saiu, com Minerva em seus calcanhares.

Rony não disse nada. Apenas abraçou a irmã pelos ombros e disse baixinho que eles com certeza estavam bem.

***

Mione abriu os olhos e sentiu o sol invadindo suas retinas. Estava deitada sobre um dos braços de Harry e o outro braço do garoto a envolvia pela cintura. De frente para a entrada da caverna e de costas para ele, ela via o céu azul se fundindo violentamente com a linha do horizonte e sentia como se estivesse sendo chamada.

Harry apoiou-se no cotovelo, ergueu-se um pouco e deu um leve beijo na curva do pescoço da namorada. Ela sentiu um arrepio e sorriu. Ele sorriu também. Nunca se sentira tão feliz antes.

Hermione girou para olha-lo. Quando fez isso, porém, notou um lampejo no canto da caverna. Levantou-se, enrolando-se no cobertor, e foi até lá.

Resmungando incoerentemente algo sobre o frio, Harry levantou-se e foi atrás dela. Mione abaixou-se e pegou a aliança que emitia uma luz alaranjada. Harry abraçou-a por trás.

_O que foi? _ele perguntou _Acha que vai nos mandar para algum outro lugar?

Mas Mione não precisou responder. A aliança vibrou, e emitiu mais uma imagem holográfica. Era algo que passava por uma planície deserta, rochosa, que começava na base de uma montanha e terminava em um penhasco, com um castelo encarapitado na ponta.

Mione olhou para a porta. Bem ao longe, até onde sua visão alcançava, era impressão sua, ou a charneca deserta se estendia até um imponente castelo medieval?

***

Somente quando o dia amanheceu, Minerva, Dumbledore e Snape reapareceram no escritório. Rony cochilara com a boca aberta em uma poltrona, mas Gina não pregara os olhos um minuto sequer.

Entretanto, quando os professores abriram a porta, sem saber exatamente o porquê, ela se atirou em uma cadeira e fingiu estar dormindo.

_Eu não sei aonde eles podem ter ido, Alvo. Isso... Isso é impossível. _Minerva exclamou em um tom apavorado logo depois de ter entrado.

Dumbledore não respondeu. Snape foi quem comentou, com um tom de voz muito pensativo: _Acho que... Eu sei de alguém que pode saber onde eles estão. Mas isso vai ser muito arriscado.

Gina entreabriu um olho. Ela não conseguia entender do que ele estava falando. Dumbledore, no entanto, parecia ter entendido muito bem. Ele girou no mesmo lugar, calmamente, e encarou Snape.

_Acho que... É mesmo a única maneira.

Minerva olhou de um para o outro em dúvida. Então arregalou os olhos e exclamou. _Não! Vocês não podem estar pensando em contar para... ELE!

_É o único jeito, Minerva. Só Tom sabe onde ele escondeu a horcrux.

Gina agarrou os braços da cadeira.

_Mas... Mas, Alvo. Ele vai ir atrás dele. Certamente que vai! Isso... Isso é... Absurdo!

_Teremos que ser mais rápidos que ele. _Dumbledore respondeu _Harry e Hermione estão correndo perigo demais, sozinhos. Você não tem nem idéia do tipo de feitiço que Tom pode ter usado para proteger as horcrux.

_Mas...

_Você tem razão, Severo. Conte ao Tom, como se estivesse fazendo um favor a ele, que Harry saiu da escola porque tinha uma pista sobre a horcrux.

Gina viu Snape fazer um pequeno sim com a cabeça e virar para a porta. Dumbledore segurou-o pelos dois ombros.

_Pelo amor de Merlim, Severo. Informe-nos para onde Voldemort vai rapidamente. Antes de ele sair.

Gina viu um novo sim de Snape, e o profº saiu pela porta. Minerva desabou em uma cadeira apoiando a cabeça na mão.

_Pelos céus, Alvo, e se isso não der certo.

_Sejamos otimistas, Minerva. E pare de fingir que está dormindo, srta Weasley.

Gina abriu os olhos sem graça, a tempo de ver os dois professores saindo.

***

O testrálio, no fim das contas, mostrou-se útil mais uma vez. Sem ele, eles jamais teriam conseguido chegar ao castelo antes do dia seguinte. E com ele, chegaram antes do fim do dia.

Harry não tinha muita certeza, mas tinha a impressão de ter visto um corvo sobrevoando uma das torres altas do castelo.

Ou teria sido um urubu?

Hermione não o deixou ter certeza. Puxando a própria varinha, começou a puxa-lo pela estradinha de terra que levava até a imponente porta de madeira escura do saguão de entrada. Nenhum dos dois precisou bater, porque, ao se aproximarem, a porta abriu sozinha. Eles se entreolharam, esperando ver, talvez, um pouco de receio no olhar do outro, mas eles estavam mais fortes, mais unidos. A única coisa que encontraram foi determinação.

Harry entrou na frente. Ele sempre ia à frente. Era um mecanismo de defesa. Qualquer coisa que quisesse acerta-la, teria que passar por ele antes.

_Lumus. _ele escutou Hermione sussurrar a suas costas e uma pequena luz surgiu atrás de si. Rapidamente ele repetiu o comando da namorada e sua varinha emitiu um feixe de luz. A luz forte das duas varinhas juntam banhou o lugar e, caminhando cautelosamente, eles foram até o centro do saguão onde estavam.

Olhando em volta, viram um tapete vermelho com uma grossa camada de poeira cobrindo todo o chão. Era um saguão circular, com janelas de caixilhos que deixariam a luz do dia entrar, se também não estivessem tão escurecidas pela sujeira acumulada através dos tempos. Um relógio de pêndulo repousava entre duas escadarias que se uniam no segundo patamar, ambas levando ao andar de cima. O relógio estava parado.

No térreo, um corredor levava para a direita, outro para a esquerda. Nenhum dos dois davam pistas de onde iam dar. A decoração lembrava muito a de Hogwarts: archotes nas paredes, apesar de apagados, e armaduras enfileiradas ao longo das paredes.

_Para onde então? _Hermione perguntou em voz baixa, mas Harry não respondeu.

Uma outra coisa estava lhe chamando a atenção. Um ruído. Vindo de algum lugar. Ele franziu a testa tentando identificar o que era.

Tlen... Tlen...

_Harry, o quê... ?

_Shhhh. _ele interrompeu-a apurando os ouvidos, e tampando sua boa com uma das mãos. Hermione ficou estática. O som aumentava gradualmente. E ficava vez mais rápido.

Tlen, tlen, tlen, tlen...

Então Hermione também ouviu. Seus olhos arregalaram e eles conseguiram identificar de onde o som vinha. Imediatamente, ambos olharam, ao mesmo tempo, para o corredor esquerdo, a tempo de ver uma armadura, grande e aparentemente pesada, correndo na direção deles, sacudindo uma grande corrente com uma bola de ferro na ponta. Harry soube o que ele ia fazer, antes que ele fizesse. Harry empurrou Hermione e ambos caíram no chão, enquanto a corrente que armadura segurava voava a toda a velocidade pelo saguão estourava na parede atrás deles.

Nem Harry, nem Hermione, viraram-se para ver o estrago na parede. Os olhos dos dois não se desviaram nem um minuto da armadura.

A armadura ficou olhando-os no chão por alguns instantes. Então, levou a mão férrea a cintura e começou a puxar lentamente uma espada, enquanto começava a caminhar lentamente com os joelhos levemente dobrados até a dupla.

_Começou cedo. _Harry resmungou, pondo-se em pé e ajudando Hermione a se levantar.

A armadura, vendo que eles se levantavam, acelerou o passo, voltando a fazer barulho, enquanto erguia a espada acima do elmo.

Harry e Hermione sacaram as varinhas ao mesmo tempo, entretanto, Harry não tinha intenção de usa-la ainda. Puxando Hermione pelo pulso, ele virou-se para o outro lado e começou a correr.

A armadura, estrondorosamente, atrás deles.

O som dos passos era abafado pelo tapete empoeirado. Passaram pelo outro corredor, mas preferiram subir as escadas. Dois degraus de cada vez.

Duas outras armaduras ladeavam o topo da escadaria, com idênticas armas de ferro. Harry e Mione já estavam no último degrau, quando um brilho intenso emanou de cada uma das armaduras, e no momento seguinte, elas também criaram vida. Súbita e rapidamente. E a primeira coisa que uma delas fez, foi arremessar a corrente de ferro contra eles. Hermione soltou a mão de Harry e deu um passo para trás, desviando. Harry abaixou-se no exato momento, e a corrente passou a centímetros da sua cabeça, explodindo a balaustrada.

Harry, não sentindo a mão da namorada na sua, virou-se, procurando-a. Hermione estava de frente para ele, mirando na armadura que acabara de tentar acerta-lo. Mas não vira a armadura atrás dela, que agora erguia ameaçadoramente, uma espada.

_Hermione, abaixa! _ele gritou, erguendo a própria varinha. Hermione abaixou-se, fechando os olhos. E, não entendeu como, nem porquê, mas nem precisou dizer nada para que a armadura explodisse. Literalmente, em diversos pedacinhos.

Ele só pensara em explodi-la. Hermione cobriu a cabeça com as mãos, enquanto pedaços de ferro voavam sobre ela. Depois, ela se ergueu novamente e olhou para trás, com os olhos arregalados e a boca entreaberta.

_Como você fez isso? _ela perguntou virando-se novamente para ele. Mas ele não sabia. Ele nunca fora bom em feitiços mudos. Nunca mesmo.

_Quem se importa? _ele perguntou pegando-a novamente pelo pulso e puxando-a, já que a armadura do andar de baixo os alcançava naquele momento. A outra armadura, que tentara acertar Harry com a corrente, tomou novamente impulso, mas nem chegou a desferir o golpe. Com agilidade, ele passou por baixo de seu braço e continuou correndo, sem olhar para trás, apenas sentindo a mão de Mione e sabendo que ela ainda estava atrás dele.

Entraram em um longo corredor, com diversas armaduras enfileiradas na parede. Harry engoliu em seco, curvou a cabeça para baixo e tratou de correr mais rápido ainda. Conforme ia passando, sentia clarões de luz explodindo nos cantos de seus olhos e tinha plena consciência do que estava acontecendo. As armaduras estavam ganhando vida, também. Mas ele não pretendia virar-se para ter certeza.

No fim do corredor, encontraram uma fina escada em caracol, que subiram pulando, novamente, dois degraus de cada vez. No último degrau, passaram por uma pesada porta de madeira e se detiveram, empurrando-a, passando-lhe um ferrolho e trancando a passagem das armaduras vivas.

Apoiaram seus corpos contra a porta como se isso fosse fazer alguma diferença, ouviram nitidamente quando diversos corpos metálicos começaram a bater com força contra a madeira, tentando arrombar a porta.

_O que vamos fazer? _Hermione perguntou com uma voz aflita, enquanto a porta atrás de si sacolejava e Harry desencostava da porta para caminhar de um lado para o outro.

Então, a ponta de um machado medieval cortou a porta, aparecendo a alguns centímetros da orelha esquerda de Hermione. Ela olhou para cima assustada e Harry puxou-a, afastando-a da porta prestes a cair.

As machadadas foram abrindo um buraco cada vez maior. Harry decidiu que era melhor eles continuarem correndo.

Correram ao longo de um corredor deserto e mal iluminado. Sem janelas e sem archotes. Sem portas e sem quadros. Até uma bifurcação.

Harry jamais chegou a saber aonde um dos lados os levavam. Simplesmente por que, no fim de um deles, uma luz esverdeada chamou sua atenção. Uma luz fraca, sem brilho, piscando levemente no escuro.

Harry parou, quase que hipnotizado, e soltou a mão de Hermione.

_Harry? _ela perguntou sem entender, enquanto ele dava passos lentos para frente.

_Está ali. Tenho certeza.

Hermione olhou para trás em dúvida, então Harry começou a correr. Mione correu atrás dele. Passaram por uma porta e Hermione trancou-a também. Só então se virou para ver onde estavam.

Era uma sala circular, nua, com um altar no centro. A parede oposta uma grande janela circular mostrava o céu e deixava a luz entrar. A única janela em todo o castelo livre da grossa camada de sujeira que inibiam os raios de sol.

Hermione se perguntou o porquê.

No altar, uma enorme bacia de pedra revelava o que atraíra Harry até ali. Um líquido verde, que piscava lenta e maliciosamente para eles.

E no meio da sala, Harry avançando decidido até a bacia.

_O que você vai... _mas Mione não concluiu a pergunta. Harry alcançou a bacia e ergueu a mão para tocar o líquido. _Harry, NÃO!

Mas Harry já tinha colocado a mão dentro da bacia. Só que sua mão não entrou no líquido. Como se ele fosse sólido.

Harry franziu as sobrancelhas sem entender. Respirando mais aliviada, Hermione aproximou-se dele.

_O que é isso? _Harry perguntou, empurrando a superfície com a mão. Mas não adiantava.

_Eu não sei. Mione respondeu tocando levemente o líquido, com as pontas dos dedos.

Então ela notou algo que pendia de uma alça da bacia. Uma fina correia de prata, que segurava uma taça prateada.

_Acho que já sei para que isso serve. _Harry comentou, tirando delicadamente a taça das mãos da menina, e mergulhando-a decidido no líquido verde. A taça mergulhou e encheu-se. Harry tirou-a cheia, sorrindo para a garota. Mione sorriu também, enquanto Harry virava a taça de cabeça para baixo para esvazia-la. Mas o líquido não caía.

Harry encarou a namorada, intrigado, mas ela também não entendia. Harry sacudiu a taça umas três vezes, mas não adiantou. Então algo lhe ocorreu.

_Eu acho que sei para que exatamente serve a taça. _ele respondeu em um tom pesaroso.

Ela ergueu os olhos para ele e, por uns instantes não entendeu. E depois sim.

_Não. _ela exclamou sacudindo veementemente a cabeça _Harry, não. Você não pode beber isso! Você nem sabe o que é!

_Mas é o único jeito de esvaziar a bacia. _ele retrucou com um gesto exasperado das mãos.

_Mas você não sabe o que é! _ela respondeu _Pode ser veneno, Harry, por favor, não bebe isso! _ela pediu com um tom mais lamurioso. Ela começou a sentir os olhos encherem de lágrimas. Estava com um mau pressentimento. Uma sensação muito ruim.

_Mas eu preciso testar. _ele concluiu com uma voz serena, passando a mão em seu rosto e em seu cabelo.

_Eu não posso perder você, Harry. _ela começou a chorar. Sua voz era de cortar o coração. _Eu não posso ficar sozinha de novo. Não faz isso comigo. _ela baixou a cabeça e as lágrimas começaram a cair livremente.

Harry ergueu o rosto da garota. –Você nunca vai ficar sozinha, ok? Não importa o que aconteça, eu vou estar perto de você.

_Deixa... Deixa eu beber, então... _ela soluçou determinada _Se alguma coisa acontecer, você precisa continuar bem. É você quem tem que derrotar Voldemort. Não eu. Nem ninguém.

_Eu nunca ia deixar você fazer isso. Beber algo que você não sabe o que é.

_Então não me peça para deixar! _ela berrou.

Harry suspirou cansado. _Mas eu não estou pedindo. _e virou a taça na boca. Hermione se atirou contra ele, com os braços estendidos, tentando tirar a taça de suas mãos, mas ele virou o rosto, para mantê-la fora de alcance e continuou bebendo. Quando o líquido acabou, Hermione parou de tentar e começou a chorar ainda mais.

Tentando não ligar, apesar de estar com o coração apertado, Harry encheu a taça mais uma vez e bebeu-a novamente. Hermione encolheu-se ainda soluçando. Harry fechou os olhos, como se isso pudesse bloquear o som. Ele também sentia medo. Também sentia medo de deixar para trás a pessoa que ele mais amava no mundo. Tinha medo de fazê-la sofrer. Encheu a taça pela última vez e esvaziou-a. Então suspirou aliviado. Não estava sentindo nada de diferente.

Imediatamente, correu para Hermione e abraçou-a fortemente. A garota jogou os braços em volta de seu pescoço, tremendo ligeiramente e ainda chorando. _Tudo bem, Mione. _ele sussurrou em seu ouvido, apertando-a com mais firmeza _Não aconteceu nada. Eu estou bem.

_Ele não ia deixar isso aí de enfeite, Harry. Não ia. _ela respondeu soluçando.

_Talvez fosse psicológico. Talvez ele quisesse assustar a pessoa, para que ela não bebesse. Eu estou bem, Hermione. _afastou-se um pouco, segurando seu rosto com as duas mãos para olha-la. _Eu nunca vou deixar você sozinha.

Então o som de algo no andar de baixo os despertou, eles se separam em alerta. O som de uma porta vindo abaixo. Logo em seguida, uma avalanche de passos metálicos começou a ficar mais próxima, e se chocou contra a porta da sala.

Hermione e Harry sacaram as varinhas e olharam em volta. Estavam encurralados. Não tinha saída alguma dali. Ao não ser a janela.

Harry correu para a bacia que ele acabara de esvaziar e olhou para o fundo. Uma aliança solitária, idêntica a que eles acharam no castelo, brilhava timidamente. Harry pegou-a e guardou-a no bolso da calça.

_Acha que é muito alto, Harry? _Hermione perguntou indo até a janela e olhando para fora.

Harry ia até ela, quando o barulho de alguém aparatando estalou no ar, e uma pessoa surgiu a sua frente, separando-o da garota.

Vários sons iguais seguiram o primeiro. Pessoas de preto encheram o lugar. A frente de Harry, Voldemort sorria presunçosamente



Na: puts eu demorei demaaaaais dessa vez neh?
mals aí tchurma
mas as provas estaum acabando
entaum naum vai se repetir
(espero) rsrsrs
bjssssssssssssss

Bárbara , nhaaaaa eu fikei pensando tbm, ponho Nc, naum ponho Nc, ponho Nc, naum ponho Nc... Aí eu pensei q talvez tivesse gente mto nova lendo, sei lah... rsrsrsrs, e como eu naum colokei nenhuma faiza etária na fic axei melhor deixar assim rsrsrs... Entaum, a face ocula... hehehe, naum vou contar, se naum estraga a surpresa :P hauhauhauhauha .... Mas vai ser H/H e D/G sim .... vlw por ler e continue por aki... bjsssssssss

sy, hauhauhauhauha, faz de conta q eh domingo... hauhauhauhauhuah... Minha fic eh cheia dos faz de conta neh hauhauhuah... Eh soh axar um defeito q eu faço de conta q ele naum estah ali hauhauhauhauhauhauha... Q feio neh rsrsrs... aaaahh naum, eu naum keru arrumar namorada pro Rony naum... hehehe autora teimosa neh? :P Eh q ele eh pra mim, entendeu, eu to guardando ;) rsrsrs Vlw por ler e continue lendo, tah? Bjssssss

jack , minha kerida, fiel e paciente leitora rsrsrsrs... desculpa desculpa desculpa desculpa eu demorei muuuuuuito, neh? *autora envergonhada* mas foi culpa das provas, sério msm :P .... Nouzaaa sou recheada de comus do Draco rsrs... Ker dizer, eu naum, o orkut, mas enfim.... aaaaahhhhh com certeza... Jack na pré estréia, pq vai ser da equipe de produção... Vai ser crítica rsrsrsrsrs .... Mas soh se ler e comentar ateh o final, hein? hehehe *chantagem* :P rsrsrsrs Bjssssss

kamikinha, olhaaa se vc achar um Draco desses pra vc, cuida bem viu? rsrsrs Pq vai ter um monte de menina atrás hauauhauha... Ai ai como eu keria tbm ^^ .... rsrsrsrs Aaaaahhh q bom q vc gostou do cap... :D .... Axu q vamos acabar próximas... Eu axu q vou demorar um pokinhu mais pq me atrasei ~~ hehehehe... Mas entaum... ooooollllhhhaaaaaaa soh kem fala pra eu naum matar ngm huahuahuahuaha... A própria matadora de Dracos... hauhauhauhauha... ai ai, ainda naum fui lah ler seu cap novu, pq naum deu ainda, mas jah to indo pra lah hehehe... Espero q o Draco tenha voltado :S Sabe como eh neh, a esperança eh a [ultima q morre... ehehee Bjsssss t adorooo tbm !!!!

larissa, maaaals eu demorei muiiito, neh? Mas... vc ainda tah aí, neh? Ainda tah lendo neh? siiiim diz q sim, diz q siiim!!!! rsrsrs aaaaeee suspense de novoooo hauauhauha... Mas naum me mate, axu q eu naum vou mais demorar tanto pra postar ;) Continua lendo e comentando, viu? Bjssssssssssssss

caroline, aaaahhhh q bom q vc gostou ^^ Espero q tenha gostado desse tbm ^^ Ixi, demorei XS mas soh um pokinhu vai, hehehe, kuase nd nd hauhauauhauha q mentirinha rsrsrsrs... Aventuras freskinhas no cap ... espero q tenha curtido e q comente me falando o q achou ;) Bjssss Teh maisssss

Lílian, hauhauhauhauha, o q eu disse??? *autora dando uma de naum sei d nd* hehehe Naum lembro naum.... Entaum, suas sugestões sempre ajudam hehehe... Pooor issooo continue dando-as viu? Eu sei q eu sou o cúmulo da teimosia de vez em quando, mas eu adoro suas opiniões, viu? hehehe Continue por aki... Bjsssss Ps: viu, soh, Mione passando a perna na Gina >)

Ricardo, ai ti liiiiiindo... Assim vc me dexa mto mto mto mto feliz... E encabulada rsrsrs.... Mto mto obrigada por estar acompanhando a fic..... Adoro seus comentsss hauauhaua.... Continue por aki, viu? Bjssssssssssssss

Ahavene, aaaaahhh brigada pelos elogioos rsrsrsrs... Onde eles vaum parar? Como assim? no castelo? hehehe... Hhhhmmm nem t conto >) rsrsrsrs... Brincadera.... Nhaaaa eu sei q demorei um pokinhu mais do q devia, mas desculpe essa pobre autora arrependida hauhauhauha.... oooonnn eu amo o Draco tbm!!! Se vc gosta dele assim, vai se apaixonar ainda mais nos prox cap hehehe aguarde hauauhauhauhauha... oooooohh naum me abandone naum, viu? Bjssssssssssssss

aninha, eeeeeeeeeeeeeeeee :D q bom q vc gostou!!!! Fico mto feliz!!! aaahh eu sei q eu demorei, mas normalmente eu naum demoro assim, naum viu? Naum fuja da fic... rsrs Eu juro q naum demora tanto >) Continue lendo, tah? Bjssssssssssssssss

Shay_Love, aaaahhh vlw pelo elogio, rsrsrsrs, mas entaum, qnto a pergunta do final do livrooo... aaaaahhh naum posso falar nem sim nem naum, se naum nigm fica curioso hehehe... Aí ngm vai kerer ler e eu vou ficar triste, traumatizada e naum vou kerer mais escrever hauauhauhuha... Aaaaahhh, saum meio infantis os livros... rsrsrs... sabe dakeles juvenis? rsrsrsrs... Mas um dia eu mando pra vc ;) Se vc prometer naum rir hauauhauha;.... Continue comentando, tah? Bjssssssssss

Monique HH, brigadaaaa!!!!!! rsrsrsrs... vlw msm por ler e pelos elogios rsrsrs... agora, qnt a demorar, demorei um pokinhu... Mas naum se assuste, pq normalmente eu naum demoro assim naum rsrsrsrs... Continue lendo e comentando sim? Bjssssssssssssss

Tamirys, minha irmazinha kerida do coração! t amo mtoooo tbm!!! vlw por me acompanhar e me estimular sempre... T amooo!!!! Bjssssssssss

Danny, aaaaaaaaaahhhh q bom q vc gostou msm!!!! fico feliz!!! :D .... hehehe e nesse cap mais perigo neh? hauhauhauhauha Qnto ao Lucio, ixi ele ainda vai enxer mto o saco... Mto msm :P Naum me abandone, viu? rsrs Continue comentando hehehe Bjsssssssssssssss

Monique , puxa fico feliz por vc ter gostado da história ^^ rsrsrs, vlw msm por ler e pelo incentivo :D ... isso eh verdd rsrs normalmente ela gosta dele primeiro neh? hehehehe... demorei um poko pra postar, mas espero q vc tenha gostado ^^ Continue dando sua opinião :D Bjssssssssss

*Nina*Potter, a continuação demorou mas chegou rsrsrsrs!!! Vlw por continuar lendo :D Naum sai daki naum, viu? Bjssssssssssssss!!


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Isis Brito em 05/08/2012

TENSO DEMAIS!! o.O

Tô com medo de ir pro próximo capítulo... Ao mesmo tempo que estou morrendo de curiosidade!!! XD 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.