FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. O Guardião se apresenta


Fic: Historias Parecidas - Parte I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

(Cap 19: O Guardião se apresenta)


O resto da semana passou rápido e quando Titânea se deu conta estava entrando na sala de Minerva para sua reposição de Transfiguração.

- Ah... Ola, Srta Wayne.

- Olá, professora. Espero não estar atrasada.

- Não esta. Para falar a verdade está até adiantada.

- Que bom.

Titânea se dirigiu até uma cadeira e se sentou esperando pela sua aula. Desde que fora chamada no escritório de Dumbledore, um clima tenso havia se instalado entre ela e a professora.

As horas se passaram e quando Titânea finalmente saiu da sala já eram quase onze horas da noite. Os corredores estavam vazios e silenciosos e apenas os seus passos eram ouvidos. Já estava perto da entrada do salão comunal quando decidiu dar uma volta a mais pelo colégio. Se Filch a pegasse estaria certamente em detenção, mas isso era o que menos importava naquele momento.

Como ela gostava do silêncio e, de certa forma, da solidão. Era muito bom estar só com seus pensamentos. Sua vida havia mudado muito desde que entrou em Hogwarts naquele ano, segredos haviam sido descobertos, amigos haviam sido encontrados. Foi quando passou pela sua mente a leve lembrança de que deveria ter escrito para Diogo há alguns meses.

Ele certamente estaria muito preocupado. Era incrível como ela tinha tendência a esquecer das coisas. Foi quando resolveu seguir até o corujal, não tinha mais a Aclives, mas certamente uma coruja da escola entregaria seu bilhete.

O corujal não estava muito diferente dos corredores, estava silencioso exceto pelo barulho que algumas corujas faziam. Não havia ninguém lá.

Ela retirou de suas vestes um pedaço de pergaminho. Por um momento se xingou e soltou um palavrão. Com o que escreveria?

- Parabéns, Titânea Wayne. Ganhou o premio trasgo do ano, ai sua burra com o que pretende escrever? Com a língua? Comentou em voz alta.

- Seria melhor com uma pena.

Titânea deu um pulo e como quase que instintivamente puxou sua varinha e se virou.

- Já é a segunda vez que faz isso comigo, Titânea. A diferença é que na primeira você não me viu. Falou seriamente.

Titânea parou. Aquele rapaz que estava em sua frente. Lembrou-se de Hogsmeade, dos Dementadores. Era ele.

- O que quer de mim?

- Calma, não quero te fazer mal. Já nos encontramos outras vezes. Lembra-se?

- Sim.

- Ótimo. Isso mostra que você tem boa memória. Eu quero conversar com você.

- E o que te faz pensar que eu conversarei com você? Sua varinha estava a centímetros do rapaz.

- Não sei... Talvez porque eu te salvei em Hogsmeade?

Titânea o mirou desconfiada.

- Então, terei a honra de uma conversa?

- Tudo bem.

- Sabe, eu não ficaria bravo se você abaixasse sua varinha, não gosto de me sentir pressionado.

Titânea o encarou, não sorriu.

- Ah... Desculpe. Falou abaixando a varinha, mas não a guardou.

- Obrigado.

Titânea observou aquele belo par de olhos azuis se virar e caminhar até uma janela. Diferente de como ela imaginava, ele tinha uma expressão fria e indiferente, não parecia ter muitos amigos.

- Como você está?

- Eu?

- Há mais alguém nesta sala? Ele falou secamente.

Titânea sentiu uma onda de calor avançar em seu corpo. Quem ele era? Quem ele pensava que era para falar com ela daquele jeito?

- Escuta aqui – Ela avançou até o rapaz – Quem é você? O que quer de mim?

- Ainda não sabe quem sou, Titânea? – Sua voz ficou mais seria e forte – Dumbledore me falou que havia lhe contado sobre o medalhão.

Ele se virou e a encarou novamente.

- Você é meu guardião?

- Sim e, a propósito – Ele pegou a mão de Titânea e beijou – Prazer, Fox a seu dispor.

A reação de Titânea não poderia ter sido diferente, ela simplesmente congelou, não disse uma palavra, não mexeu nem um músculo. Ele, ao contrario, apenas a encarou e novamente se virou para contemplar a escuridão pelas vidraças.

- Quer dizer que você... Fox... Meu deus!

Ela se aproximou e se colocou de frente para ele. Seus olhos marejados em lágrimas.

- Me desculpe, mas eu não posso...

- Não pode o que? Ele perguntou em um tom curioso, mas sem deixar a seriedade de lado.

- Não posso aceitar sua proteção... Não posso te obrigar a me proteger... Não suportarei viver sabendo que alguém é...

- Amaldiçoado a te proteger? Completou Fox.

Titânea parou por mais alguns instantes, só agora notara que ele era mais velho, uns quatro anos, pelo menos, observou-o novamente, mas não suportou encará-lo.

- Não posso te obrigar a isso, você é tão jovem, tão bonito. Merece ser feliz...

- E quem lhe disse que não sou feliz? Não é uma maldição te proteger, entenda. Você é tão linda – Ele passou sua mão pelo delicado rosto de Titânea e, pela primeira vez ela viu um tímido sorriso brincando pelos seus lábios – E já passou por tantas coisas difíceis na vida. Você não merece sofrer.

Ele encarou novamente Titânea e por algum motivo ela sorriu. Querendo ou não ela se sentia protegida com ele.

- Bom – Falou ele num tom mais descontraído – Não se engane muito com minha idade.

Titânea sorriu. Agora também olhava pelas vidraças.

- Então era você que estava discutindo naquela manhã com o professor Dumbledore e a Professora Minerva.

- Sim, mas não sabia que havia escutado esta conversa.

- Foi sem querer. E os bilhetes com as rosas era você quem me mandava?

- Claro – Fox passou a mão por suas vestes e retirou uma rosa vermelha – Acho que gosta de rosas ou errei feio?

Titânea que agora contemplava a rosa em suas mãos sorriu ao responder.

- Não, não errou. Adoro flores.

- Posso lhe dizer que quando você se sentia vigiada era eu. Também teve aquela vez nos jardins em que você estava com um rapaz...

- Harry...

- Isso... Ele ficou sem entender muita coisa depois que você saiu.

- Eu sei...

- Mas o que estava fazendo no corujal à uma hora dessas? Não sabe que é perigoso andar sozinha por ai à noite?

- Sei, mas acabei de descobrir que não ando sozinha.

Fox a encarou agora a seriedade voltava a seu rosto.

- Eu vou te ajudar... Com o tempo você descobrirá que o medalhão não é tão normal assim. E estou aqui para te ajudar a desvendá-lo e a aprender com ele.

Titânea passou a mão pela sua blusa e segurou o medalhão.

- Parece que tudo acontece comigo.

- Precisa aceitar seu destino.

- Não acredito em destino, Fox... Não suporto a idéia de não poder controlar a minha própria vida.

Fox a encarou, mas não disse nada. Apenas começou a passar as mãos pelos cabelos de Tita.

- Como entra em Hogwarts? Ela perguntou bruscamente.

- Tenho meus meios.

Titânea passou os olhos mais uma vez pelo corujal, começava a se sentir cansada, o sono começava a aparecer e era praticamente impossível competir com ele.

- Está cansada?

- Um pouco – Titânea respondeu em meio a um bocejo – Acabei de sair de uma aula de reposição.

- Porque não volta para o seu dormitório. Precisa descansar, os dias serão cheios daqui pra frente.

- Consegue prever o futuro, Fox?

- Não, apenas pressinto.

- Que bom para você. Mas agora eu vou dormir – Titânea se dirigiu ate a saída do Corujal – Boa noite. Foi um prazer, Fox...

- Boa noite... Tita.

Ela lhe sorriu e ele a observou sair, sabia que chegaria bem até a sua cama e lá descansaria em paz. Pelo menos por aquela noite...

Titânea entrou no salão comunal da Grifinória. Não havia ninguém lá. O fogo da lareira já havia se apagado. O silencio predominava. Se jogou em cima de uma poltrona e ali ficou perdida em pensamentos.

Ela acabara de conhecer seu guardião. Fox, ao contrário do que ela imaginava, parecia ser muito sério. Não parecia ter amigos ou algo do tipo, isso a preocupava.

O sono a pegou desprevenida, ela não chegou ao dormitório, muito menos em sua cama. Simplesmente adormeceu ali mesma, perdida em pensamentos e sonhos...

**

Aeeeeeeeeeee Cap. 19 no arrrrr!!!!!!!!!!

INEDITO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Estou esperando os comentarios!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Trixxx minha beta linda..... Muito obrigada!!!!!!!!!!

Anji, jana, luih... Amo vcs de Paixão...

Morg To com saudaddes....Maninha...

Anji.... ta ai o cap.... espero q goste....

Bruna da fic magic Fancy - O olho do dragão!!!!! Nossa ta muito boa a sua fic... to esperando os próximos cap...

Enfim beijos a todos q amo e q Acompanham essa fic... estou esperando os Comentários!!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.