FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Encontro?


Fic: The Matter for Life and Death - Femmeslash


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

A garota com cabelos de um acaju vivo corria impressionada com tudo o que via no lugar, pessoas com chapéis cônicos de cores berrantes e as lojas de itens mágicos. Ela andou até uma vitrine para ver as minuaturas de monstros que faziam barulho, parou encantada para ver o unicórnio bebendo água calmamente no laguinho que fazia parte do cenário. Ela olhou curiosa para uma miniatura de dragão vermelho que vinha sem cenário, até que era bem grande para uma miniatura, com cerca de 95 centímetros. Enquanto ela olhava as escamas vermelhas com um brilho levemente dourado em alguns lugares, o dragão se virou para ela, centrando suas pupilas verticais nos seus olhos verde-esmeralda. O dragão aspirou longamente, estufando seu peito num gesto um tanto quanto imperial, enquanto era minuciosamente observado pela menina. Esta pulou para trás assustada quando um jato de fogo irrompeu, espalhando-se pelo vidro e pegando a vitrine quase toda. Ela ainda estava com os olhos arregalados e ofegando pelo susto quando o enorme homem deu uma palmadinha no seu ombro, quase a derrubando.

- Não se preocupe Lily, o fogo é só ilusão - disse sorrindo por trás da barba - essas miniaturas são inofensivas.

- Os bonecos também são ilusões Hagrid?

- Alguns sim, mas esse dragão é real, só o fogo que não - disse apontando para o vendedor, que colocava algumas árvores no cenário do unicórnio enquanto o dragão cuspia fogo sem dó, e as labaredas passavam por dentro do homem e divertia alguns clientes - mas puxa, você é esperta menina, já me fez mil perguntas desde que chegamos - disse Hagrid alargando, mas ainda o sorriso.

- Me desculpe, não quis incomodar - a menina abaixou a cabeça.

- Não! Eu entendo perfeitamente a sua curiosidade Lily, é tudo novo para você, e deixe-me te contar uma coisa, não há nada de mal em perguntar, pois é assim que se aprende. E eu aposto que você vai aprender muito, ficar mais inteligente do que já é e se tornar uma grande bruxa - Lily deu um sorriso tímido.

- Obrigada pelo elogio Hagrid.

- Você ainda vai receber muitos eu posso até ver. Mas agora que compramos seu uniforme, vamos comprar seus livros.

Os dois entraram na Floreios e Borrões e Lily logo avistou uma menina que parecia ser da sua idade, era estranho, ela parecia atrair mais a sua atenção do que as outras pessoas no local, mas sua atenção foi imediatamente desviada quando se deu conta do local onde estava. Estantes muito altas abarrotadas de livros, livros e mais livros, de diferentes tamanhos e espessuras, alguns dos quais, eram do tamanho dela. A garota ficou impressionada com a variedade de capas e cores, alguns dos livros davam uma impressão de empurrar o companheiro ao lado ou tentar pular da estante. Lily adorava ler, lia praticamente tudo o que tinha pela frente, inúmeras vezes leu até bulas de remédios quando não tinha mais nada, e ficou completamente hipnotizada com toda a loja.

Hagrid vendo o interesse dela pelos livros, disse para que fosse dar uma olhada, mas só pegasse para ler aqueles que estavam sobre as mesas e nem olhasse para livros que tinham na capa palavras como "maldições" "proibidos" e "pragas". A ruivinha foi andando olhando distraidamente as estantes e às vezes se controlando para não pegar alguns que não devia. Lily foi andando meio de lado para olhar os livros e acabou batendo em alguém, se desequilibrou quando agarrou a barra da blusa da desconhecida para não cair. Lily distinguiu cachos loiros e olhos azuis a observando atentamente.

- Me perdoe, você está bem? - disse Lily nervosamente, esperando uma reação explosiva da garota, como a sua irmã Petúnia fazia em ocasiões como essa.

- Não foi nada, eu também estava distraída, estou bem, você está? - a menina respondeu com uma voz doce.

- Sim - Lily sorriu, e olhou para a outra. Sentiu um aperto em seu peito seguido de uma súbita explosão de felicidade dentro de si, sentiu que de alguma forma estava muito feliz por encontrar aquela menina. O que Lily não imaginava era que a mesma coisa aconteceu com Narcissa. Ela viu que a garota tinha cabelos loiros ondulados chegando na metade das suas costas, e olhos de um azul no tom da água de algumas praias caribenhas que ela tinha visto em algumas revistas.

- Então, qual o seu nome?

- Lilian Evans, prazer - Lily estendeu a mão cordialmente.

- Narcissa Black, muito prazer - disse apertando a mão da garota. - Gosta de ler?

- Muito, é o que eu mais gosto de fazer.

- Que legal! - a outra exclamou e elas começaram uma conversa que fluía como se se conhecessem há muito tempo - eu nunca fui de ler muito, mas olhando para todos esses livros realmente dá vontade de ler tudo.

- Nossa, eu não sou normal - disse Lily rindo - ás vezes eu leio bulas de remédios quando não tem mais nada.

- Bulas? O que é isso? E quando você disse "remédios" quis dizer poções?

- Ah, esquece - disse Lily envergonhada. Narcissa percebeu o desconforto do outra e mudou de assunto:

- Você vai para Hogwarts não é?

- Vou sim! Hagrid me disse que é um castelo enorme! - exclamou a ruiva animada

- Não conhecia Hogwarts?

- Não, sabe... eu sou... normal - Lily estava se sentindo inferior

- Ah, entendo... Mas não se preocupe, afinal nós vamos para lá justamente para aprender - falou Narcissa com simpatia.

- É, realmente eu.. - parou de falar com a chegada de uma outra garota, era mais velha que ela, tinha cabelos negros liso-escorridos e os olhos da mesma cor, eram profundos, com um olhar penetrante, tinha o mesmo magnetismo natural de Narcissa, elas eram bem parecidas, mas seu rosto era ligeiramente mais afinado que o da outra e ela parecia a versão sombria da loira. A morena correu os olhos pelo lugar, parou em Narcissa, logo depois em Lily, a ruiva achou que a intensidade daquele olhar pudesse derrubá-la. Não sabia o porque, as palavras simplesmente lhe faltaram na presença da outra, ela parecia ter algo inexplicável que atraía os olhares automaticamente.

- Cissy, o que está fazendo conversando com essa... garota? - Lily percebeu claramente que ela queria usar uma outra expressão.

- C-conversando oras - Narcissa pareceu um tanto quanto insegura.

- Bom, não importa muito já estamos indo, se apresse. - Bella virou as costas e saiu num andar quase majestoso.

- Ehhh... até mais... - a loira falou muito envergonhada pela atitude de sua irmã - Me desculpe por ela, parece que minha irmã esqueceu a educação em casa hoje...

- Não se preocupe, eu sei bem como é isso, também sou irmã mais nova - Lily sorriu e Narcissa lhe retribuiu com o mais verdadeiro sorriso que já vira.

- Então nos vemos em Hogwarts - falou Narcissa já mais descontraída.

- Até lá - Lily se inclinou e deu um beijo no rosto da outra. Narcissa ficou um breve momento sem reação até que lhe voltasse à realidade e ela retribuísse o beijo. A garota foi andando para a porta e pouco antes de sair parou, presenteando Lily com aquele sorriso. Lily acenou e viu os últimos cachos dourados escaparem pela porta, viu também a garota correr brevemente ao encontro de seus familiares pela vitrine e desaparecer onde esta acabava.

A ruiva continuou sorrindo bobamente para o nada, tinha a exata sensação de não encontrar, mas reencontrar alguém muito querido. Claro que Lily só viria a entender isso muito depois, no momento sentia somente uma alegria por saber que iria rever Narcissa novamente em poucos dias.

Passos pesados despertaram a garota de seus devaneios, Hagrid se aproximava carregando uma pilha de livros devidamente empacotados

- Hmpf, esses Black, parece que ficam mais sonserinos a cada geração. Isso é jeito de tratar alguém, ela nem ao menos te cumprimentou. - Hagrid falava de cara amarrada.

- Mas Narcissa foi muito simpática comigo, a morena é irmã dela não é? Elas se parecem.

- Sim sim, essa mais nova parece ter puxado Andômedra, boa menina aquela, sempre simpática e prestativa. Andie é a ovelha branca da família. - Lily lhe sorriu, mesmo que não estivesse entendendo absolutamente nada, mas a menina percebeu que Hagrid ficava feliz quando lhe tratavam como um igual, sem discriminar por ele ser diferente nem ter pena disso, uma pessoa como outra qualquer, com suas semelhanças e diferenças.

- Bom Lily, já está ficando tarde, vamos comprar logo sua varinha e seu caldeirão, que são as únicas coisas que faltam.

Lily continuou o fascinante passeio, admirando-se por tudo o que via, vendo coisas que para muitos eram banais, mas para ela eram notáveis descobertas e coisas a se lembrar.

Depois de comprar tudo o que estava na lista de materiais, Lily e Hagrid se difigiram ao caldeirão furado, e Lily observou mais uma vez com curiosidade os tijolos se mexendo para desta vez fechar a passagem. Com um leve pesar a garota foi entregue aos pais, que haviam permanecido no lado trouxa de Londres para comprar aos materias escolares de Petúnia, esta que olhava com notável inveja para a irmã mais nova colocando o caldeirão na mala do carro. Os Sr. e Sra. evans se despediram cordialmente do gigante, o Sr. Evans apertou a mão de Hagrid e entrou no carro.

- Lily, vamos - sua mãe chamava

- Adeus Hagrid - disse a garota tristonha

- Nos veremos logo Lily, não precisa ficar triste, logo você vai para Hogwarts, eu trabalho lá, nos veremos logo quando você chegar.

- Acho que o tempo até vai passar mais devagar para mim. - não conseguiu esconder o sorriso ansioso.

- Deveria ser uma surpresa, mas eu vou te contar, os alunos novos chegam à escola de barco!

- Nossa, de barco?

- Sim, espere que você verá. Agora vá menina, seus pais devem estar com pressa.

- Até mais Hagrid.

- Até Lily.

A garota entrou no carro, seu pai deu a partida e o veículo avançou para as ruas. Lily se ajoelhou no banco para olhar pelo vidro e viu a grande silhueta de hagrid acenando para ela. Ela virou e se sentou no banco pondo o cinto de segurança, depois começou a contar animadamente para sua irmã tudo que tinha visto. A garota fingia não dar atenção, mas se roia de inveja por não ter sido ela a escolhida. Mal sabia ela que magia era de nascença.


--------


- Levanta pirralha, já são sete e meia. Você não quer se atrasar para ir pro sanatório não é?

Haviam se passado duas longas semanas até que chegasse o tão esperado dia, Lily andava riscando os dias no calendário com uma mistura de ansiedade com alegria. finalmente iria deixar os dias tediosos para trás e embarcar numa verdadeira aventura como sempre sonhou.

- Não fale assim de Hogwarts. Tenho certeza que estaria esfregando na minha cara se você que fosse estudar lá, e não eu. - disse Lily mal-humorada pela provocação da irmã. Petúnia amarrou a cara e saiu a passos pesados do quarto, batendo a porta atrás de si. Mas o barulho só serviu para despertar Lily de vez e fazê-la se lembrar que o tão esperado dia havia chegado.

Lily pulou da cama literalmente, pois dormia na cama de cima de um beliche, e pulou direto para o chão sem dar atenção à pequena escada ao lado. Correu para o banheiro para escovar os dentes e tomar banho e saiu ainda com os cabelos despenteados, arrumando-os no caminho.

A garota correu até a cozinha já esperando ouvir a bronca de seu pai por ter acordado tão tarde, mas surpreendentemente seu pai ainda lia calmamente o jornal enquanto sua mãe fritava os ovos.

- Bom dia querida.Mas porque já de pé tão cedo? Poderia ter dormido mais um pouco. Mas eu já sei, é a ansiedade para ir à nova escola não é? Sua danadinha. - a Sra. Evans falava alegremente. A primeira coisa que Lily olhou foi o relógio que ficava no alto da parede bem em frente a porta. Os ponteiros indicavam exatamente seis e trinta e dois, e Petúnia, que acordava todo dia as cinco e meia por insônia a havia acordado só para perturbá-la. Lily lançou um olhar fuzilante a sua irmã, que parecia estar se controlando muito para não rir daquilo, e mantinha uma expressão cinicamente alegre. A garota queria voar no pescoço de Petúnia naquele momento, estava tendo um sonho bom, só não se lembrava o que era, talvez se tivesse dormido mais meia hora se lembrasse.

Lily tomou seu café da manhã com muita calma e subiu para checar as coisas uma última vez antes de sair. Enquanto conferia as coisas com a lista na mão, Petúnia entrou no quarto, mais para atazanar Lily do que para ver seu material. Assim que Lily terminou de ver, desceu as escadas com o grande malão, acompanhada por Petúnia que carregava uma pequena mochila, e para debochar ainda mais, só uma alça estava presa ao seu ombro. Assistiu a irmã mais nova descer com certa dificuldade e só ofereceu ajuda quando ela chegou nos quatro últimos degraus. Lily recusou quase bufando, mas conseguiu por o malão no hall de entrada. Seus pais já esperavam no carro, e desta vez teve ajuda para guardar o malão no bagageiro.

O Sr. Evans dirigiu até uma estação de trem próxima, estacionou o carro e descarregou as coisas, deram a mochila de Petúnia para ela carregar, que o fez com um muxoxo de desaprovação, e cada um pegou de um lado do malão, deixando Lily de mãos vazias e com a engraçada sensação que poderia ir sentada em cima da mala e ser carregada pelos pais.

Foi uma rápida viagem até a estação em que o Sr. Evans desceria para levar Petúnia a escola, A Sra Evans se despediu beijando a filha e ao ver o breve aceno de mão que Petúnia dirigiu a Lily, falou severamente:

- Túnia, despeça-se direito da sua irmã, ela vai passar um longo tempo fora. - Lily achou ter ouvido algo como "ainda bem" mas ignorou, dando um abraço apertado na irmã e um beijo no rosto, o que Petúnia retribuiu de má vontade e murmurou "até mais ver" provocando risos em Lily. A garota se despediu de seu pai e, duas estações depois, desembarcou na plataforma de King's Cross, colocando a mala em um daqueles carrinhos, e imediatamente surgiu uma icógnita, seguida de temor: Onde raios ficava a plataforma nove e meia?

Quando a Sra Evans ia perguntar a um guarda da estação, uma outra jovem mulher se aproximou segurando uma garota da idade de Lily pela mão, a garota parecia estar contrariada por saber andar e a mãe prendê-la daquele jeito, uma situação um tanto quanto engraçada.

- Com licença senhora, procura a estação nove e meia?

- Sim, nossa, como advinhou?

- Ela tem um malão como o de minha filha.

- É mesmo! Como é o nome dela?

- Alice. Alice cumprimente as pessoas - a garota pareceu ficar mais emburrada ainda - e por falar nisso, qual o seu nome?

- Linda Evans, essa é a minha filha Lily. - fato inegável, pois Lily parecia a cópia exata dela, tinha os mesmos cabelos ruivos e olhos verdes, enquanto petúnia tinha puxado os cabelos e olhos castanhos do pai.

- Muito prazer, Amanda Dylans. Por Merlin, já está na hora, vamos vamos. - E a mulher rumou inesperadamente para uma parede, até se dar conta de que Lily e sua mãe eram trouxas e para elas aquilo não fazia muito sentido. - Ah não se preocupem, é só passar por aquela parede, vão vocês duas na frente, é só ficarem seguras disso. - mas as duas ainda não pareciam muito certas, Lily não tinha visto coisas mágicas o suficiente até esse ponto, continuava acreditando que fosse se esborrachar de encontro à parede sólida.

No mesmo momento um casal com um garoto se aproximaram para passar, e Amanda achou melhor deixá-los irem na frente para que as duas pudessem ver como funcionava. Inacreditavelmente a família passou pela parede como se esta não existisse, Lily e sua mãe olharam boquiabertas.

- Vai, é a sua vez, segure o carrinho bem firme e não corra muito. - elas passaram pela parede com uma sensação estranha de surpresa, era a mesma sensação de subir uma escada de olhos fechados e se surpreender quando os degraus acabam e você pisa em falso.

Logo Amanda e Alice estavam ao lado delas, Lily se maravilhou com o que viu. Uma grande locomotiva vermelha cuspia fumaça, enquanto os diversos estudantes embarcavam nela, alguns dos mais velhos já tinham sacado suas varinhas e faziam mágica para levar seus pertences ao trem, alguns carregavam corujas, gatos ou sapos e outros vassouras. Lily ficou impressionada com uma garota fazendo seu malão flutuar pela janela e depois o tirando de volta, e com um movimento da varinha fazê-lo se abrir e algo sair voando para a sua mão, depois se fechar e voltar pela janela.

As mães das duas garotas foram com elas até o trem para escolherem uma cabine boa, optaram por uma próxima ao centro, deixaram seus malões lá e voltaram para se despedir do lado de fora.

A mãe de Alice dava incessantes beijos no rosto da filha e não parava de dizer para ela ter cuidado, a garota resmungava quase sufocada. Linda se abaixou para dar um abraço na filha, elas ficaram algum tempo assim.

- Vá com Deus querida, aprenda muitas coisas e divirta-se.

- Obrigada mamãe, vou lhe escrever sempre.

- Eu sempre soube que você ia me dar muito orgulho Lily, agora vá, senão você vai perder a hora. - a mulher tentava em vão esconder as lágrimas.

Lily e Alice entraram no trem e foram até a cabine, Lily rapidamente tirou a varinha e o livro de feitiços do malão.

- Agora nós já temos permissão para fazer mágica não é?

- Acho que sim, mas... você sabe fazer alguma?

- Eu dei uma olhada nos livros, não agüentei a curiosidade.

- Hmm...

- Qual você acha que eu devo tentar?

- Não sei, tem que ser uma bem simpl... - nessa hora foram interrompidas por leves batidas na porta.

As garotas falaram para que a pessoa entrasse e Lily teve um forte deja-vu, tinha quase certeza que já tinha visto aquela garota em algum lugar. Uma garota de cabelos e olhos castanhos entrou, sendo seguida por uma outra que era um pouco mais alta e parecia de um ano um pouco mais avançado, tinha cabelos negros cortados na altura do ombro e olhos cinzentos. A garota mais nova disse:

- Oi oi, tudo bom com vocês? Sabe o que é, é que acabaram as vagas. - deu um pequeno sorriso - aí eu e Lene aqui sobramos. Queríamos saber se podemos ficar aqui com vocês.

- Claro, podem ficar - disseram Lily e Alice ao mesmo tempo.

- Muito prazer, sou Andromeda Black - "Black" soou muito familiar para Lily - está é Marlene McKinnon.

- Prazer, Lilian Evans

- Alice Dylans

- Ah, posso abusar um pouco mais? É que eu tenho duas irmãs e elas também ficaram desalojadas. - disse um pouco encabulada. - elas podem ficar aqui também?

- Á vontade - respondeu Lily simpática. - tem bastante lugar.

- Andie, você tem certeza que ela precisa ficar aqui? - disse a morena, parecia levemente emburrada.

- Ah Lene, o que você esperava, que ela fosse correndo atrás do trem?

- Não seria má idéia. - disse a outra com um sorriso maldoso.

- Faça esse sacrifício Lene, por favor. - zombou Andie

- Ok, por você e por Narcissa, até que ela me pareceu simpática. - Lily ligou as coisas em questão de segundos, ela praticamente já tinha visto pessoas bem parecidas com aquela garota anteriormente, Narcissa Black e sua irmã. Elas tinham que ser irmãs, pois esta parecia a média das duas, como um meio termo entre dois opostos.

- Ei você é... - Lily começou a falar mas ela já tinha ido embora.

Alguns minutos depois Lily ouviu a voz de Andromeda falando:

- Seja educada Bella, pelo menos uma vez na vida.

- Não reclame, você quem acordou tarde, agora você e sua amiguinha vão ter que aturar meu mau-humor.

- Bella, não estamos sozinhas.

- E?

- Cissy, segure sua irmã!

Nessa hora a porta se abriu e Andie anunciou:

- Gente, essas são minhas irmãs Bellatrix e Narcis-

- Lilian! Há quanto tempo!

- Narcissa! Como vai?

- Vou bem, mal pude esperar por esse dia, que bom que nos encontramos logo.

- Vejo que já se conhecem. - Andie disse divertida.

- Ahh, essas amizades... - Bella disse em tom de reprovação.

- Black. - Marlene disse com os olhos fixos em Bella.

- McKinnon. - Bellatrix respondeu olhando mais diretamente ainda.

- O que há com vocês duas? Lene para de implicar com a Bella. Bella, seja mais sociável. - disse Andie

- Ah não, é que eu esqueci minha plaquinha de "abraços grátis" em casa hoje.

- Fez uma piada, já é um avanço.

- Se chama sarcasmo, é um velho amigo meu...

- Percebe-se - disse Marlene.

- Ei, ei, nós invadimos a cabine das duas coitadas para ficar discutindo? Bella, se você for boazinha eu te compro um chocolate.

- Vai me dar na boca também?

- Quer que eu conjure um babador? - Andie parecia estar se divertindo.

- Andie, cala a boca.

Lily, Alice e Narcissa começaram uma agradável conversa sobre Hogwarts e o que esperavam do lugar, Andie ás vezes dava alguns palpites ou contava alguma história, mas não podia falar muito, pois ela mesma só havia passado um ano lá. Bella e Marlene, que já eram do terceiro ano estavam falando algumas coisas uma com a outra, na verdade estavam mais se provocando indiretamente, até que Bella não conseguiu mais lutar com o sono e dormiu com a cabeça apoiada na parede.

- E depois eu que durmo demais - disse Andie.

- Eu ainda estou ouvindo - resmungou Bella sonolenta

- Ah então vou esperar que durma para começar a falar mal de você. - brincou

- Finja que eu estou falando com você Andie.

- Também te amo, Bella. - disse a garota rindo - o amor é lindo não é?

Lily não se conteve e começou a rir da pseudo-discurssão das irmãs, e Narcissa que estava alheia riu também.

- Mas de onde vocês se conhecem? - perguntou Andie

- Nós nos conhecemos na Floreios e Borrões, enquanto você foi comprar os ingredientes para poções.

- Ah, sim. Parece que é o começo de uma bela amizade. - disse Andie alegre.

As garotas continuaram conversando até que Marlene e Alice também se renderam ao sono, Lene ironicamente dormindo com a cabeça apoiada no ombro de Bella.

- Que cena linda, pena que eu não tenho nenhuma câmera aqui. - Andie ria da situação da irmã e da amiga.

- Mas elas não eram rivais? - perguntou Lily inocentemente.

- Elas não se suportam, quero ver a hora que elas acordarem.

- Não acha que devíamos separá-las - perguntou Narcissa preocupada - sabe, a reação delas pode ser... explosiva.

- Não creio que chegue a tanto, e eu não vou ter outra chance de ver isso de novo. - Andie saiu pelo corredor apressada para achar alguém com uma câmera.

- Elas devem dar trabalho não é?

- Nossa, essas duas brigam feito cão e gato, mas acabam se entendendo no final. - o sorriso de Narcissa perdeu um pouco da intensidade - Bella ainda é muito magoada pela Andy ser uma grifinória.

- Fala da casa fundada por Godric Griffindor?

- Essa mesma, eu particularmente não tenho nada contra grifinórios, mas o resto da família não pensa assim.

- Como assim? Eu não entendo.

- Toda a nossa família vai para a Sonserina, no máximo um ou dois corvinais em todo o histórico familiar, mas nunca um lufo ou grifinório. Coisas carregadas de preconceitos, odeio isso.

- Entendo, mas sempre temos o poder de mudar, Narcissa.

- Pode me chamar de Cissy. - voltou a sorrir - eu posso te chamar de Lily?

- Claro Cissy.

Andrômeda entrou na cabine quase saltitando de alegria com uma câmera nas mãos, apontou para as duas garotas dormindo, quando ia apertar o botão, Cissy falou:

- Andie, mas desse jeito você vai acorda-las!

- Ah, já estamos chegando mesmo. Por Merlin, quase me esqueço. - delicadamente pos a mão de Marlene sobre a de Bella e entrelaçou os dedos das duas. Sendo que ambas já dormiam com expressões inocentes.

Andie enquadrou as duas e bateu a foto, um forte clarão invadiu o lugar, Alice pulou de onde estava e caiu entre Lily e Narcissa, Bella e Marlene abriram os olhos ao mesmo tempo sem sair daquela posição. As garotas se olharam, olharam para Andie, viram a maneira que estavam e se afastaram rapidamente em um impulso. Andie já sacudia a foto que ficava pronta na hora, mostrava as duas garotas dormindo de mãos dadas com expressões angelicais.

Bella e Lene pularam ao mesmo tempo para alcançar a foto na mão de Andie, mas a garota foi rápida e saiu pelo corredor dando língua para elas. Lene e Bella olharam para o chão como se devessem alguma explicação, e Lene disse muito encabulada.

- Ehh, vamos fingir que isso nunca aconteceu ok?

- O que que nunca aconteceu?

- Isso aí, exatamente. - as duas ainda evitavam se encarar - sua irmã é uma louca!

- Nem me fale, nas férias ela é três vezes pior. Bom, estou indo, até mais para vocês. Você vem Cissy?

- Ainda tenho que por o uniforme, vá na frente Bella.

- Ok - e saiu pela porta, mas alguns segundos depois ela apareceu, surpreendendo principalmente Marlene. - Ah, e McKinnon, tente pegar aquela... ehh... foto. - pareceu ter uma certa dificuldade em pronunciar a palavra.

- Farei o possível.

- Ah, então está bem, nos vemos por aí. - ainda com o tom levemente arrogante.

- Ok. - as duas garotas se olharam nos olhos pouco antes de Bella sair. - Bom meninas, eu tenho que ir colocar o uniforme, até mais, tomara que vão para a grifinória. - disse Marlene antes de sair também.

As três garotas colocaram seus uniformes de Hogwarts e se não fosse por Alice e Narcissa, Lily sairia carregando o seu malão, não sabia que os pertences eram levados ao quarto depois.

Elas andaram um pouco até os portões de Hogwarts, e Lily reconheceu Hagrid por entre os estudantes, andou até ele e foi recebida com um sorriso.

- Lily! Como vai?

- Bem Hagrid, e você?

- Fazendo o trabalho que eu amo! Hey, garoto não vá muito longe. Vejo que já fez amizade, que bom. - disse apontando para as outras duas garotas.

- Ah, sim, essas são minhas amigas Alice e Narcissa, garotas esse é o Hagrid, ele me ajudou bastante quando soube que viria para Hogwarts.

- Ah, não é para tanto Lily, foi uma honra. Mas chegou a hora de vocês entrarem no barco. - a essa altura eles já haviam passado dos portões e chegado às margens do lago. - Não tenham medo, há décadas estudantes fazem essa travessia. - Isso não pareceu conformar muita a garota, que julgara os barcos muito pequenos e frágeis.

A garota foi a primeira a por os pés no barco, que nem sequer se moveu quando ela entrou, parecia estar firmado no concreto e não flutuando sobre a água, Lily até arriscou dar uns pulinhos. As outras duas entraram no barco também e assim que o último estudante embarcou os botes começaram a se mover, causando somente uma leve ondulação na superfície escura do lago, que refletia um início de céu estrelado.

O passeio seguiu sem restrições até o castelo, onde as garotas esperaram um pouco e depois adentraram as portas de carvalho lideradas pela professora Minerva. Lily reparou em um pequeno banco de madeira com um chapéu velho e surrado em cima. Simplesmente do nada se abriram rasgos na parte de cima do chapéu e este começou a cantar uma bela canção sobre os fundadores de Hogwarts, depois de terminada a música, Dumbledore levantou-se de sua cadeira e bateu levemente com uma colher em uma taça de cristal para chamar atenção. Lily tinha adquirido uma grande consideração e respeito pelo homem, pois ele havia ido pessoalmente a sua casa para convidá-la a estudar em Howgarts.

- Caros alunos e alunas, estamos aqui reunidos para mais um ano de vastas experiências e conhecimentos. Muitos já acostumados com a nossa rotina e alguns se juntando a nossa instituição nesse momento. Quero que dêem as boas vindas aos mais novos estudantes de Hogwarts! - uma salva de palmas pode ser ouvida - Agora peço que sejam um pouco mais pacientes e segurem vossos estômagos - disse dando uma breve risadinha - Pois nesse momento, que a seleção de casas se inicie!

A professora Minerva começou a chamar os alunos em ordem alfabética.

---------

Amstris, Gloin

...

Black, Narcissa - Narcissa andou até o banco, no caminho pode sentir os olhares de todo o salão em si. Era de fato um nome conhecido por um Black ter sido diretor de Hogwarts e a família ser influente no mundo mágico. A garota se sentou no banco e pos o chapéu na cabeça, ele cobria até seus olhos e por pouco não escapava do seu nariz e cobria totalmente o rosto. Narcissa ficou um tempo contemplando a escuridão de dentro do chapéu.

- Bom menina, vejo que deseja ir para a Sonserina, única e exclusivamente por pressão dos seus demais familiares. Deveria seguir os passos de sua irmã, ela foi de fato muito corajosa renegando toda a arrogância "puro-sangue", como alguns se auto-denominam. Você tem um brilhante futuro na Grifinória, vou te por lá.

- Não! - Narcissa pensou desesperadamente - Por favor, me ponha na Sonserina, eu não aguentaria encarar Bella se fosse para a Grifinória. Sonserina, por favor...

- Tens certeza criança? Realmente o começo na Grifinória seria difícil, mas você sempre teria alguém para lhe estender a mão.

- Sonserina...

- Tudo bem, se é o que deseja, terá. Mas lembre-se, você não mudou seu destino, só o tornou ligeiramente mais difícil. - Narcissa gelou ao ouvir aquilo. - Sonserina! - O chapéu anunciou em alto e bom tom.

A garota levantou-se do banco ligeiramente trêmula e se dirigiu até a mesa que estava abaixo das bandeiras verde e prata. Sentou-se ao lado de Bellatrix e olhou diretamente para Andrômeda, que a encarava com um olhar decepcionado da mesa da Grifinória. Bella pos a mão em seu ombro e disse:

- Não tenha remorso, ela é que está errada. - Narcissa só acenou com a cabeça confirmando, não estava em condições de falar no momento, o que o chapéu lhe disse tinha ficado gravado na memória da garota. Ela estava pensando na possibilidade de levantar correndo e pedir ao chapéu para mudá-la para a Grifinória, tinha certeza que o chapéu atenderia seu pedido, por mais estranho que fosse uma sonserina nata de uma família nobre pedindo para virar grifinória. Narcissa queria sair dali correndo e abraçar Andie, ela sabia que só o fato de levantar e pedir para mudar de casa já a faria grifinória no ato, mas não tinha coragem. Sempre viveu à sombra de sua irmã Bella, e tinha quase certeza que seria assim para sempre.

A loira pode ver seu primo Sirius ir para a casa vermelha e dourada e ser prontamente abraçado por uma alegre Andie. Aquilo foi como uma pontada em seu peito.
Narcissa estava tão concentrada em seus pensamentos que nem viu Alice ir para a Grifinória. A única coisa que conseguiu prender sua atenção foi quando Lily fora chamada.

Lily estava nervosa achando que havia sido escolhida por engano e teria que voltar no mesmo trem. A ruiva já estava suando frio e suas mãos tremiam levemente. Sentou-se no banco e antes do chapéu chegar a encostar na sua cabeça:

- Hahahah! - Para a surpresa de todos o chapéu riu alegremente, era estranho, pois ele só costumava se manifestar para anunciar a casa escolhida para tal aluno. - Temos aqui uma inegável Grifinória! - o diretor olhou claramente orgulhoso.

Foi como uma explosão na mesa à direita do salão, os alunos aplaudiam e gritavam alegremente, alguns até jogaram coisas para o alto. Lily andou até Andie, Marlene e Alice, foi cumprimentada por todos no caminho, alguns até apertavam sua mão. Assim que chegou até as amigas, foi sufocada por um abraço apertado de Andie que já estava quase chorando de emoção. Marlene lhe sorriu e ela sentou-se de frente para Alice e ao lado de Andie. Por algum motivo seu olhar se dirigiu à mesa da Sonserina, se pos a encarar os olhos azuis de Narcissa. A garota tinha um olhar triste e Lily sentiu uma vontade irracional de se levantar, pegar a garota pela mão e trazê-la para a mesa da Grifinória.

- Triste não é? Eu realmente achava que ela fosse ficar conosco. - Andie disse melancolicamente. - Estou com vontade de arrancá-la daquela mesa agora. - Lily ia dizer que também tinha essa vontade, mas se segurou. Certamente se elas soubessem que Cissy realmente queria ir pra a Grifinória elas teriam feito.

Dumbledore fez mais um breve discurso e iniciou o banquete, fazendo com que travessas de comida, pratos, talheres e copos dourados surgissem nas mesas.

Cissy olhava para a outra mesa, vendo Lily conversando e comendo tranqüilamente, a ruiva também lançava olhares esguios para a mesa da Sonserina, e as vezes os olhares das duas se encontravam, mas Narcissa sempre desviava o olhar para o prato rapidamente. Tinha muitos questionamentos e arrependimentos que estavam consumindo sua mente de maneira lenta, a garota simplesmente queria ir dormir e esquecer isso.

Seguiu-se a sobremesa quando todos terminaram de comer e com mais um breve discurso de Dumbledore todos seguiram para seus dormitórios, os novatos guiados por seus respectivos monitores.

Assim que chegou no dormitório, Narcissa não quis participar da festa e deixou para explorar o lugar um outro dia, quando is descendo as escadas para o dormitório feminino, Bellatrix a alcançou, pos a mão em seu ombro e disse:

- Eu sei o que está sentindo, aquele chapéu estúpido disse que eu ficaria bem na grifinória, que eu deveria escolher um caminho, razão ou coração, obviamente eu escolhi a razão e estou muito bem assim. Eu acho que ele faz essa pressão psicológica com todos os Black, e só a Andrômeda foi estúpida o suficiente para cair. Não se preocupe, você escolheu o melhor. - Bella virou e voltou para a festa. Narcissa não pode deixar de pensar "Optou pela razão, mas esquece-se do coração". E ela não esqueceria o seu, só ficaria adormecido nos anos seguintes, mas foi novamente acordado, meio que bruscamente, como se alguém o sacudisse para acordá-lo. E por sinal, a pessoa que causou toda a reviravolta foi uma certa ruiva.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Bom gente, esse capítulo ficou enorme, pois era a apresentação e talz, acredito que os capitulos tendam a diminuir. Tipo, eu já venho escrevendo isso há algum tempo e escrevo mto lentamente mesmo. XP
Por isso posso demorar um pouquinho para atualizar, ainda mais que vai começar a escola. >_>
Bom, mas aqui vai um pouco do segundo. (que era pra ser o primeiro, mais aí eu fiz o outro primeiro. @_@)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

"-Protego! - a garota loira gritava logo antes de um raio vermelho sumir na fumaça diante de si. Narcissa Black estava cansada, não havia almoçado e tinha dormido mal, mas não iria desistir, se recusava a perder para a grifinória. Do outro lado estava Lilian Evans, também cansada, mas ainda num estado melhor que Narcissa. Gritos e xingamentos eram ouvidos por todos os lados, enquanto uma pequena multidão alvoroçada se divertia.
Narcissa mesmo cansada lutava beirando a ferocidade, bravejava feitiços e contra-feitiços como se sua vida dependesse disso. A loira olhou para os pés da outra e viu que esta fazia uma jogada de pernas para desviar dos raios lançados e raramente se protegia, calculou mais dois disparos e lançou um impedimenta exatamente na hora em que o pé direito da outra estava tocando o chão, que a acertou em cheio. Porém Lilian, no momento que estava caindo lançou um rictusempra, Narcissa viu que não teria tempo de se proteger, então tentou desviar. Mas ela já estava muito fraca, tentou pular para trás mas acabou caíndo. Neste exato momento, Lilian bateu fortemente contra uma parede invisível e caiu para o lado, mas foi rápida e deu uma cambalhota, ficando apoiada no pé esquerdo e no joelho direito, viu que a outra tentava fazer o mesmo que ela, mas estava fraca e não conseguiu, ficando de lado no chão. A ruiva não perdeu tempo e lançou um estupefaça, seguido de um expelliarmus, que zuniu a varinha da outra para longe. Num pulo Lilian chegou onde Narcissa estava, caindo de joelhos em frente a ela, que já estava apoiada nos cotovelos, e encostou a ponta da sua varinha no peito da outra. Narcissa olhou nos olhos de Lilian, percebeu que não demonstravam arrogância e nem felicidade por ter ganho, mostravam apenas cansaço e Narcissa chegou a pensar num pouco de tristeza, mas foi acordada rapidamente de seus devaneios."

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

É isso, espero que gostem ^^
E muito obrigado por ler, de coração significa muito para mim. Se vc puder comentar então, aí eu vou ficar mais feliz ainda! /o/

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.