FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo



______________________________
Visualizando o capítulo:

17. Semana D/Hr-Parte I


Fic: Obsessão Por Você - AVISO POSTADO!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A: VIVAAA!!!!!! Estou de volta, graças a Merlin!!!! Em primeiro lugar, quero pedir desculpas para todos vcs, leitores, por ter demorado tanto...Trabalhei mt nas duas últimas semanas nesse Semana D/Hr! Eu queria q fosse tudo em um cap só mas, escrevi tanto q deu o suficiente p/ três caps!!!!! Ou seja, estou terminando o cap 18 e tomara que no Ano Novo ele já esteja pronto com o 19!

Em segundo lugar, quero pedir MEGA DESCULPAS á Beatriz Granger Malfoy. Desculpa por não ter respondido seu coment do cap 14, na verdade, nem sei porque o pulei! E, se esqueci de mais alguém, REALMENTE ME DESCULPEM!!!!!!

E, em terceiro, obrigada a quem comentou nesse mês: Hiorrana, Gabriella Olimpio, Láh, Leaysa, Evelin Lovegood, Celina Prado, Humildemente Ju, Ilaninha(CLARU Q FAÇU SUAS CAPS, MIGA!), Moo, Taaa_hp, Flora Potter, Beatriz Granger Malfoy, Mioneka Malfoy, Jéssy Granger Black Potter, Anna Fletcher, Sheilahh Silva, LuanaH², Raah Black e Fernanda Leal. MUITO OBRIGADA , MENINAS! Me desculpem por não poder responder cada uma como sempre faço, pq naum estou com tempo agora mas, li todos com a máxima atenção e agradeço do fundo do meu coração a todas vcs pelo carinho, atenção e paciência para comigo e minha fic. ADORO VCS!!!!

FELIZ NATAL!!!!!!!!!! FELIZ ANO NOVO!!!!!!!! Que 2007 seja cheio de paz, luz e alegria a vc que está lendo isso agora e, claro...FELIZ FÉRIAS!!!!!!!!Afinal, nós merecemos!!!!!!!!!!!!

Cap.16: Semana D/Hr-Parte I

- Pronto. Acabei o primeiro.-disse Draco, fechando um livro enorme de Poções e estendendo um rolo de pergaminho para Hermione.
- Obrigada.-agradeceu a grifinória, pegando o rolo.

Era sábado e os dois estavam enfurnados na biblioteca desde o café da manhã. Draco e Hermione tinham feito as pazes (de novo) assim que se sentaram á mesa da Grifinória. O loiro simplesmente enchera o prato da garota de mingau e a obrigara a comer tudo. Pode parecer estranho, mas Hermione amoleceu com aquele cuidado e o aceitou como um pedido de desculpas. E estavam bem desde àquela hora.

Hermione guardou o trabalho de 75 cm de Poções dentro de uma bolsa que havia trazido consigo e continuou, voltando a escrever:

- Agora, é só terminar a redação de Feitiços e vamos ter um tempo livre antes do almoço.- e ia falando e escrevendo a conclusão de sua redação sobre Feitiços de Vingança.
- Não, você não vai terminar nada.-negou Draco, tirando a pena da mão dela e começando a fechar os livros espalhados pela mesa.
- Mas por que não?-perguntou Hermione, reabrindo os livros.- Eu preciso terminar a redação, Malfoy!
- Não precisa terminar agora! Temos um compromisso.
- Que compromisso?-perguntou ela, agora tentando segurar as mãos do garoto que voltava a fechar os livros.- Malfoy!-repreendeu Mione, estressada.

Draco agarrou os braços de Hermione, fazendo-a parar.

- Ás vezes, você é bem burrinha, hem, Granger! Ainda não reparou na minha roupa?

Hermione olhou confusa pro loiro e entendeu. Por debaixo de um pesado sobretudo, Draco estava vestindo o uniforme de quadribol da Sonserina. Dava até pra ver a estrelinha prateada bordada debaixo de Apanhador, no canto direito do peito do sonserino.

- Ah, é mesmo! Hoje tem jogo da Sonserina contra a Corvinal, não é?- perguntou Hermione, soltando-se dele e voltando a abrir os livros.
- Exato...Então por que raios você está abrindo os livros de novo?-reclamou Malfoy, levantando-se, visivelmente nervoso.
- Qual o problema?-perguntou Hermione, espantada.
- Você não vai ao jogo?
- É claro que não. O jogo não é da Grifinória.
- É, o jogo não é daqueles leões imbecis.-concordou Draco, fazendo Hermione fechar a cara.
- Malfoy, o que pode ter de tão interessante nesse jogo? Por que eu iria se ele não é da Grifinória?

Draco fez uma fingida cara de quem estava pensando, só irritando Hermione mais.

- Hum, me deixe pensar um pouquinho. Hum...Hum...
- Malfoy?
- O quê?-perguntou Draco, com voz inocente.
- Fala logo, CARAMBA!-reclamou Mione, batendo as mãos na mesa.
- Ah, lembrei.-riu ele. Hermione revirou os olhos, entediada.-Acho que o interessante no jogo...SOU EU, Hermione!- gritou Draco, puxando Hermione pelo braço e fazendo-a levantar.
- E daí?-perguntou ela, tentando voltar a mesa.
- Qual é!-reclamou Draco, tacando os papéis de qualquer jeito na bolsa dela, enquanto segurava Hermione com a outra mão.-Eu sou o apanhador do time. Você é minha namorada. Some um mais um...VC É A NAMORADA DO APANHADOR, HERMIONE!
- É, de um apanhador estúpido e escandaloso.-retrucou Hermione, enquanto era arrastada pra fora da biblioteca fazia.
- Posso até ser tudo isso, mas sou loiro e rico e sonserino. Você não tem do que reclamar, querida.-riu Draco, já fora da biblioteca.
- Você está muito animadinho hoje, não é?-perguntou Hermione, nervosa.
- E você está bem mal-humorada. Está de TPM?-perguntou Draco, fingindo-se preocupado.
- VAI PERGUNTAR PRA SUA VÓ SE ELA TÁ DE TPM!-gritou Hermione, arrancando a bolsa da mão dele e começando a andar de volta para a porta da biblioteca.
- Ei, ei!-reclamou o loiro, puxando-a de novo.-Aonde você pensa que vai?
- Terminar meus trabalhos.
- Não, você vai ao jogo.
- Não, eu não vou.
- Ah, você vai.
- Não, não vou!-retrucou Hermione, realmente nervosa.-Vai fazer o quê? Me levar carregada?-zombou Hermione, cruzando os braços.
- Hum...-Draco refez a cara de quem está pensando-Boa idéia, Granger!
- O quê?-perguntou Hermione sem entender.

Draco se abaixou com todo, agarrando Hermione pelas pernas. Um segundo e ela já estava pendurada, em cima do ombro dele, de cabeça pra baixo.

- AH, ME SOLTA!-gritou Hermione, socando as costas do loiro.
- Não mesmo.-riu o loiro, forte, pouco se importando com os socos dela.

Draco a carregou como uma pena por todo o caminho até a escada do Grande Salão onde o fluxo de alunos era gigante, todos indo para o estádio ver o primeiro jogo da temporada de quadribol de Hogwarts.

- Hey, Draco!-gritou Peter Logan, o capitão do time da sonserina.

Todo o time estava reunido em frente á porta dupla do castelo, que estava aberta deixando o grande fluxo de alunos saia para o frio.

- E aí!-cumprimentou Draco, com a outra mão, em que segurava a bolsa de Hermione.
- Ué, que aconteceu?-perguntou Jeff Kent, um brutamontes do 7º ano, batedor do time.-Essa aí é a Hermigatinha?
- É, é ela sim.-confirmou Draco, terminando de descer as escadas e se juntando ao time.
- Não, não é a Hermigatinha...-resmungou Hermione pra os garotos, apesar de não conseguir vê-los por causa do cabelo no rosto.- É GRANGER PRA VOCÊ, KENT! DRACO, ME SOLTA!
- Xi, sempre estressada...-riu Zambine, o goleiro.- Acho que você está perdendo seu tato com as mulheres, Draco.
- E VOCÊ SEU SENSO DE PERIGO!-gritou Mione pra Zambine, fazendo o moreno rir.

Só então ela percebeu que o grupo de sonserinos tinha recomeçado a andar, indo para o jardim. Logo a cabeça de Hermione estava cheia de flocos de neve e como ela não estava agasalhada o suficiente, quase deu graças á Merlin por estar tão colada ao corpo quente de Malfoy. Já estavam quase chegando ao campo, quando a grifinória, irritada pela conversa machista dos sonserinos e pelos comentários dos alunos que passavam, deu ar de vida e gritou com força:

- DRACO MALFOY! ME PÕE NO CHÃO AGORA!
- Hermione, será que dá...-começou Draco, começando a achar que ficara surdo do ouvido esquerdo.
- EU TÔ COM CÓLICA E COM FRIO! OU VOCÊ ME PÕE NO CHÃO AGORA OU EU JURO QUE TIRO AS BOLAS QUE TE FAZEM SE SENTIR TÃO MACHO!
- Uh, Malfoy!-riram os sonserinos, enquanto Draco parava e colocava uma Hermione emburrada no chão.
- Aí, Malfoy, o jogo é daqui a 15 minutos e eu quero repassar algumas jogadas. Você tem 5 minutos pra se acertar com a sua namoradinha.-foi dizendo Peter, enquanto fazia o resto dos garotos andarem.-Anda, cambada, só precisamos de um jogador castrado no time.

Draco esperou os colegas se afastarem para se virar para Hermione. E não conseguiu evitar o riso.

- Háháhá!-riu ele, descontrolado.
- Por que você sempre ri quando eu estou nervosa, hem? HEM?-brigou Hermione, batendo nele enquanto falava.
- Ai, pára, pára! É que você fica com a maior tromba do mundo quando fica nervosa!-respondeu Draco, fugindo dos socos dela, enquanto ria mais ainda.
- Não tem graça!-retrucou Hermione.
- Ah, não fica sim, vai!-disse Draco, puxando Hermione para perto.
- Draco, me devolve os trabalhos. Eu vou voltar pro castelo, ta bom?-disse Hermione, cansada, enquanto tentava pegar a bolsa da mão dele.
- Só sobre o meu cadáver.-brincou o loiro, agarrando Hermione pela cintura e girando-a, fazendo os pés delas saírem do chão.
- Ah, ME SOLTA!-gritou ela de novo, histérica.

Pelo menos quem vai achava que eles eram um casal feliz...

- Poxa, Malfoy, eu to com frio!-choramingou a grifinória.

Só então o sonserino a soltou e olhou bem para Hermione. Ela estava com o rosto todo vermelho do esforço de tentar se livrar das mãos dele. Vestia apenas uma blusa de manga comprida azul com uma de crochê branca por cima. Se não fosse todo o esforço e o nervoso da garota, já estaria congelando debaixo da neve e do vento gelado.

- Ai, ai, Granger. Estamos no inverno mais frio dos últimos anos e você se veste como se fosse passear no verão pariense.-repreendeu Draco, enquanto tirava o sobretudo negro e colocava-o em Hermione.
- Obrigada.-agradeceu ela, deixando que o loiro a vestisse.-Você vai me fazer ficar apaixonada por todo esse cavalheirismo forçado.-zombou a garota, tentando ignorar o forte cheiro de menta que vinha do casaco dele.
- A intenção é essa.-riu Draco, piscando e puxando Hermione pela mão na direção do caminho do estádio.-Agora, vamos pro jogo.
- Mas eu to com cólica...-reclamou Mione, empacando no meio do caminho.
- Ai, meu Merlin, ela está com cólica.-repetiu Draco, na mesma voz manhosa, enquanto pegava a garota no colo.
- Ai, porra...O QUE DEU EM VOCÊ HOJE, HEM? TÔ PARECENDO ALGUMA DOENTE PRA FICAR SENDO CARREGADA DE UM LADO PRO OUTRO?
- Mas você não está com cólica?
- CÓLICA NÃO É DOENÇA!

Draco riu e continuou andando, ignorando o monte de reclamações de Hermione até ela se acalmar. Na verdade, Mione só se acalmou quando percebeu que era mais vantajoso curtir o cheiro de menta do loiro a se esgoelar á toa. O estádio já estava lotado quando Draco e Hermione chegaram. Todas as casas, com exceção da Sonserina, torciam animadas para a Corvinal. Um lado da arquibanda, porém, parecia um mar verde e os sonserinos cantavam hinos em que pelo menos um verso ridicularizava o time adversário. A torcida sonserina foi á loucura quando Draco apareceu no campo carregando Hermione.

- DRACO MALFOY! DRACO MALFOY!
- Meu namorado é um popstar!-brincou Mione, enquanto ele subia ás escadas que levavam á arquibanda grifinória.
- É, se já não bastasse ser lindo, loiro e rico, ainda sou um ás na vassoura.-foi dizendo Draco, fingindo-se pesaroso, enquanto punha Hermione no chão, na primeira fileira da torcida grifinória.-Ás vezes até eu mesmo fico fanático por mim.-e terminou com um sorriso lindo e a jogada característica de cabelo.
- É, vai se amar na frente de um espelho, vai!-disse Hermione, mal-humorada, enquanto o empurrava para ir embora.
- Você me deixa tonto com tanto carinho!-brincou Draco, todo animadinho.
- Hum...-resmungou Mione, batendo o pé de leve no chão.-Boa sorte.-riu a garota.
- Vou tentar não me matar. Quer que eu pegue o pomo para você?- Draco disse a pergunta mais alto, chamando a atenção de alguns grifinórios propositalmente.
- Não, não sou tão pretensiosa.-negou Hermione, sorrindo.-Toma...

Mas não deu pra Hermione terminar de falar porque Malfoy a calou com um selinho carinhoso e depois saiu correndo escada abaixo.

- ...Cuidado.-completou Hermione, baixinho, em estado beta. Aquele garoto sabia como deixa-la sem reação.
- Parece que ele gosta mesmo de você.-disse alguém atrás de Hermione.

Ela se virou, perguntando-se quem poderia ser, e deu de cara com Gina Weasley.

- É, gosta.-respondeu a grifinória, voltando sua atenção para o loiro que sumia no corredor que levava aos vestiários.
- Harry me contou da conversa quer vocês dois tiveram...-começou Gina, encarando o perfil de Hermione.
- É, ele também me disse que foi você quem pediu para ele falar comigo.-respondeu Hermione, esquentando as mãos desprotegidas, mas sorrindo.

Gina sorriu de volta para Hermione, as bochechas sardentas bem vermelhas por causa do frio.

- É, você faz burrada e mesmo assim eu não consigo ficar totalmente brava com você.
- Me desculpa, Gi!-pediu Hermione, virando o corpo totalmente para a ruiva.-Eu não devia ter estourado com você. Eu deveria saber que você nunca ficaria contra mim.
- É claro que não. Estar apaixonada por Draco Malfoy não é motivo para eu ficar contra você...É motivo para te internar no hospício.-brincou a ruiva, amolecida pelo pedido de desculpas, enquanto bagunçava o cabelo de Hermione.
- Ah, vem cá, ruivinha.-riu Hermione puxando a amiga para um abraço.-Senti tanto a sua falta!
- Eu também senti sua falta.-respondeu Gina, soltando dela.-Ah, mas você tem um milhão de coisas pra me contar...
- Ah, nem são tantas assim...-respondeu Hermione, envergonhada.

As duas passaram praticamente todo o jogo fofocando, típico de amigas que não se falam á muito tempo. Gina queria saber absolutamente tudo sobre o namoro de Hermione com Malfoy e, Hermione, por sua vez, queria saber tudo, nos mínimos detalhes, sobre a repentina “amizade” da ruiva com Harry Potter.

- Ah você tem que me contar! Alguma coisa está acontecendo!-reclamou a morena, batendo os pés.
- Mas não tem nada para contar! Você é que tem que me contar coisas novas.-reclamou Gina, vermelha feito um pimentão.-Vai, pode começar com...Exatamente como você e Mal...
- E vejam! Parece que Malfoy avistou o pomo de ouro!-gritou Simas, o novo locutor dos jogos já que Lino Jordan havia se formado no ano interior.

Hermione sinalizou para Gina ficar quieta e as duas voltaram suas atenções para o jogo. Draco realmente tinha visto o pomo de ouro e avançava com toda a velocidade em direção aos aros que eram os gols da Corvinal. Mark Briggs, apanhador e monitor-chefe da Corvinal, saiu em disparada atrás do sonserino e logo emparelhou com ele. Estavam indo rápido demais e logo os torcedores perceberam o que Draco e Mark já tinham percebido. Naquela velocidade, os dois não teriam tempo de frear para pegar o pomo e iriam bater violentamente em um dos gols. Todos se levantaram e Simas, que estava narrando tudo de forma emocionante, ficou quieto. Era o momento crucial. Os dois apanhadores estenderam as mãos, mas, no último momento, Mark desviou para a direita. Que a Sonserina ganhasse, ele que não iria rachar a cabeça por causa de um pomo! Draco, por sua vez, puxou a vassoura para cima, fazendo praticamente um looping e escapando por um triz de um traumatismo craniano.

- E, Malfoy, desvia no último momento!-gritou Simas, desfazendo a tensão dos torcedores que observavam Draco subir mais alguns metros antes de virar a vassoura para baixo, enquanto desacelerava.- Mas, esperem...Malfoy pegou o pomo? SIM, ELE PEGOU O POMO!

A arquibancada sonserina foi á loucura quando viram o loiro gritando, enlouquecido, com uma das mãos erguidas onde a pequena bola de ouro estava bem aprisionada. Hermione se controlou para não gritar. Não estava feliz pelo fato de Draco ter pegado o pomo e, sim, por ele estar bem. Mesmo de longe, enquanto ele e o resto do time sonserino desciam ao chão, incrivelmente felizes, a garota podia ver o sorriso enorme do loiro. Uma alegria quase vergonhosa para um sonserino, mas muito bem recebida por Mione que já tinha percebido que apesar das graças e do humor negro, Draco andava muito triste.

- Ele pegou o pomo, pegou!-gritou Hermione para Gina, enquanto batia palmas.
- É, quase tão brilhante quanto Harry e com muito mais estrelismo do que ele.-desaprovou Gina. Hermione arregalou os olhos, escandalizada.-Mas...SIM, ELE PEGOU O POMO!-riu a ruiva no final, recebendo um abraço de Hermione como resposta.-Anda, logo, vai lá dar um abraço nele.
- O quê?-perguntou Hermione. Estava feliz, mas isso não significava que ela lhe daria uma manifestação pública de carinho!
- Ué, ele é seu namorado!-estranhou Gina.-Tá, eu sei que a relação de vocês é meio esquisita, pelo menos pelo o que o Harry me disse, mas, ah, Mione, por Merlin, vai lá dar um beijinho nele!
- Tá, eu vou.-concordou Hermione.-Depois nós nos vemos.

As duas se despediram com mais um abraço apertado e Hermione desceu as escadas de madeira da arquibancada. Mas, ao invés de ir pelo campo, Hermione resolveu dar á volta, por dentro das arquibancadas até a entrada oficial do estádio. Quando ela entrou novamente, agora pelo campo, todo mundo já estava saindo e ela tinha certeza de que os dois times já tinham ido para os vestiários tomar banho e trocar de roupa. Foi um pouco difícil atravessar a multidão que a empurrava para o lado contrário dos vestiários, mas depois de uns dez minutos ela conseguiu. Os vestiários ficavam um de frente para o outro num corredor feito de madeira como as arquibancadas e cada um tinha o símbolo da casa correspondente na porta. Do corredor Hermione podia ouvir as risadas dos sonserinos e o silêncio mortal seguido por algumas discussões dos corvinais. Finalmente, depois de quase 15 minutos esperando, a porta do vestiário da Corvinal e os jogadores saíram um por um, extremamente chateados. Hermione até deu um tchauzinho para o apanhador corvinal, Mark, que ela conhecia por causa da monitoria, mas de tão entediada que estava, não reparou que o moreno a observou até sair do corredor com o resto de seu time. Mais 5 minutos depois e a porta do vestiário da Sonserina se abriu.

- Olha só, a Hermigatinha!-riu Zambine, que saiu primeiro.
- Fala baixo, caramba!-reclamou Hermione, fazendo sinal para ele ficar quieto.
- Não se preocupe, não, ele ainda ta comemorando debaixo do chuveiro.-disse Brian, um garoto loiro do quinto ano e artilheiro do time.
- Obrigada.-agradeceu a grifinória, com um sorriso.

Os sonserinos ainda brincaram mais um pouco, em voz baixa, e logo foram embora, despedindo-se da garota. Hermione suspirou, amaldiçoando mentalmente aquele bando de garotos e entrou no vestiário. Ela nunca havia entrado em nenhum dos vestiários, mas teve certeza de que aquele era o mais desorganizado. Os uniformes e as vassouras estavam tacados de qualquer jeito pelo chão. Os armários eram parecidos com os que Hermione já tina visto em filmes americanos. Eram duas fileiras de armários, e cada um tinha o nome do jogador e havia muitos outros pichados pelas portas que ela deduziu serem de antigos jogadores. Havia dois bancos compridos de madeira entre as duas fileiras de armários e os boxes com os chuveiros ficavam atrás dos armários, de forma que quem entrasse no lugar não pudesse ver quem estava tomando banho do outro lado. Havia também uma mesa e algumas cadeiras á direita, e em cima da mesa uma grande mural com as táticas do time sonserino.

Hermione respirou fundo e olhou para os boxes. Estavam todos abertos, com exceção do último á esquerda, onde o loiro tomava banho. Sentindo borboletas, sapos, esquilos e o resto da bicharada conhecida brincando no lugar aonde deveria estar seu estômago, a grifinória se aproximou devagar do boxe fechado.

- Ai, meu Deus! Ai, meu Deus!-murmurou Mione, ficando vermelha.-Ai, será que está fechado? Tomara que...Não! Não está aberto, não está aberto!...Que que eu to fazendo aqui, hem?

Mentalmente, ela se repreendia por continuar andando na direção do boxe onde Draco estava, doida para vê-lo, bem...Tomando banho! Repreendia-se por desejar que a porta estivesse aberta (ou que pelo menos desse para ver alguma coisa pelo vidro!) e ao mesmo tempo por ser tão medrosa. Hermione nunca soubera lidar realmente com esse tipo de situação, de uma relação homemXmulher que passava da amizade. Até mesmo Krum, envergonhado do jeito que era, que tomara a iniciativa quando percebera que Hermione nem sequer imaginava que ele poderia gostar dela. Ela parou do lado de boxe onde Draco tomava banho cantarolando um hino sonserino e olhou pro lado.

- Merda!-sussurrou ela, frustrada.

O vidro era escuro...ERA COMPLETAMENTE ESCURO! Não dava para ver nada além de uma sombra que era Draco Malfoy tomando banho.

- Merda! Merda, merda!-reclamou Hermione.-Isso que dá, viu...Ai merda!-ela tinha se virado com tudo e chutado a madeira da porta do boxe onde estava encostada.

Draco parou na hora de cantar. Hermione saia que tinha feito um tremendo barulho. Seria capaz de chutar a porta de novo, mas seu pé já doía o suficiente! Foi pulando num pé só até a mesa, desviando das cadeiras.

- Burra, burra, burra! Burra e tarada. Ai, Merlin, como dói!
- Ô escola cheia de ratos.-resmungou Draco, alto, crente de que estava sozinho.

Sentada na mesa, Hermione mostrou a língua na direção do boxe do loiro e começou a massagear o pé machucado. Logo tirou o sobretudo pesado de Malfoy por causa do vapor quente do chuveiro que logo se espalhou por todo vestiário. Talvez por causa do “rato” ou porque finalmente o banho de “dia da noiva” finalmente tinha terminado, Draco resolveu acabar o banho. Hermione observou o loiro abrir a porta e o braço forte dele sair do boxe e pegar as duas toalhas que estavam penduradas num gancho do lado de fora. Quando saiu, ela foi obrigada a prender a respiração novamente.

O garoto era um deus! Quando foi que Draco Malfoy tinha deixado de ser aquele menino mirrado e branquelo e se tornara aquele rapaz alto e musculoso que Hermione via á sua frente? Não tinha nada cobrindo o corpo do garoto além da toalha branca enrolada na cintura. A outra toalha, de rosto, ele usava para secar o cabelo loiro e por causa disso ainda não tinha visto Hermione sentada na mesa.

- Uh, abençoado quadribol!-disse Mione, sem conseguir se segurar.

Draco se virou assustado e sorriu de forma safada.

- Oras, vejam só! O que a santa Hermione Granger está fazendo num vestiário vazio comigo só de toalha?-perguntou Draco, rindo, e tacando a toalha de rosto no chão enquanto avançava na direção de Mione.
- Eu vim buscar meu namorado popstar!-respondeu Hermione, rindo desconfortável na mesa.

O cheiro do loiro estava deixando-a doida! Com certeza Draco gastara uns dois sabonetes só naquele banho!

- Acho que a Hermione está ficando vermelha!-brincou o loiro, com um tom perigoso, parando na frente dela.

Droga, teve que prender a respiração pela terceira vez naquele dia. Draco estava completamente molhado; as gotas de água escorriam por todo o seu tórax molhado e paravam na toalha em sua cintura. Hermione corara furiosamente ao acompanhar uma dessas gotas, deixando o queixo cair alguns centímetros. Ela desviou o olhar ao perceber que Draco a olhava, divertido. Por mais que estivesse envergonhada, Hermione o estava secando deliberadamente...Ah, se estava!

- O que foi? Algum problema?-perguntou ele, com uma voz inocente, enquanto afastava uma mecha de cabelo castanho que caíra sobre os olhos de Hermione.
- Não, é, eu...-tentou Hermione, atrapalhada em não conseguir parar de olhar para o corpo de Draco. O loiro, por sua vez, tentava não rir da confusão dela.-É só que...É está muito calor aqui dentro...Por causa do vapor, claro! Você estava tentando se afogar debaixo do chuveiro?

Draco deu um de seus meio-sorrisos e se afastou deixando a garota no comum estado beta. Sumiu atrás dos armários, murmurando um “menininha”.

- É claro que não, Granger! Seria uma perda para a humanidade se essa criatura linda aqui morresse.-gabou-se, trocando-se atrás dos armários.
- E uma grande vitória para a humildade...-respondeu Mione, revirando os olhos.
- O que você achou da minha jogada? O Briggs quase meteu a cabeça no gol!-riu Draco, voltando, já de calças jeans. Trazia nas mãos uma gola olímpica, uma jaqueta, meias e um par de sapatos que brilhava absurdamente.
- Muito boa...Quase digna de Harry Potter!-disse Mione, balançando os pés, inocentemente.
- Ei! Como assim “digna de Harry Potter”?-perguntou Draco, terminando de calçar os sapatos.
- É, foi uma boa jogada...Não brilhante, mas boa.-continuou Mione com o mesmo tom, agora olhando para as próprias unhas.

O loiro fechou a cara, passando agora o desodorante.

- Se é isso que você acha...É realmente um pena, porque eu tinha algo pra te dar.-foi dizendo Draco, agora vestindo a gola olímpica preta.
- Como assim algo pra me dar?-perguntou Hermione, curiosa.
- Algo assim...Mas, você não quer, não é? As jogadas do Potter são melhores do que as minhas, não são? Vai pedir um presente pra ele, então!-reclamou Draco, voltando para á frente dela.
- Tudo bem.-disse Mione, balançando os ombros.-Eu não queria nada mesmo.
- Ah, não? Nem isso?-perguntou Draco, retirando do bolso da jaqueta uma bolinha dourada e alada.
- Ah, caramba! Você não...Esse não é...
- É, eu disse que pegaria o pomo para você.
- E levou no pé da letra!-exclamou Hermione, pegando a bola minúscula nas mãos.
- Mas você não quer mesmo, não é?-perguntou Draco, arrancando o pomo da mão dela e guardando-o no bolso da jaqueta de couro.
- Se te pegarem com isso, te tiram a monitoria.-retrucou Mione, descendo da mesa e fazendo o loiro olhar para baixo, diretamente em seus olhos, já que era mais baixa que ele.
- Sabe, eu não sou uma pessoa rancorosa, pode ficar.-disse Draco, voltando atrás e devolvendo a bolinha para a grifinória.
- Olhem, só! Draco Malfoy tem valores!-riu Hermione, afastando-se rapidamente para a porta do vestiário.
- É claro que tenho, sou rico!-riu o loiro seguindo Hermione com o olhar.
- É, que bom para você. Assim, não vai depender do salário de apanhador para sobreviver.-foi dizendo a garota, enquanto abria a porta.
- O que você quer dizer com isso?-perguntou o loiro, começando a andar na direção dela.
- Bom, me desculpe, mas...O Harry ainda joga melhor que você.-e rindo, saiu correndo.
- EI! Volta aqui com esse pomo!-gritou Draco, saindo correndo atrás dela.

Hermione corria, rindo, sentindo o garoto logo atrás dela. Os dois saíram do corredor quente e correram pelo campo de quadribol, agora, completamente deserto, sem se importar com a neve que caía ainda mais forte e com o vento gelado que batia em seus rostos. Draco, já bem perto de Mione, agarrou-a por trás sem antes anotar mentalmente que um dia iria perguntar a ela como podia correr tão rápido.

- Ah!-gritou Hermione, divertindo, enquanto sentia ser levantada do chão pelo loiro.
- Retire o que disse!-brigou Draco, sem soltá-la, enquanto girava-a no ar.
- Não! Ah!-gritou Hermione, rodando.-Harry joga melhor que você! Harry joga melhor que você!-começou a cantarolar, enquanto balançava os pés com força no chão, tentando se soltar dos braços fortes de Draco.
- Não, não joga...Hermione! Puta, pára de me chutar! Eu vou...

POFT! O loiro escorregou com tudo pra trás, caindo de costas, e levando Hermione junto.

- Ai!-gritou ela, sentindo o cotovelo entrar debaixo de suas costelas, sabe-se lá Merlin como.
- A, digo eu!-reclamou Draco, em resposta, soltando a garota.

Hermione caiu pro lado, de encontro com a neve fria, e voltou a rir ainda mais.

- Ah, ta achando engraçado, é?-disse Draco, ficando de joelhos.
- Você caiu...Caiu...Háháhá!-Mione tentou dizer, gargalhando.
- Você vai ver o que é engraçado!

Draco avançou por cima dela, mantendo-a deitada. Ela tentou se levantar, mas Draco a puxou de volta, fazendo-a cair de bunda no chão. Repetiram o movimento mais três vezes até que só tinham forças pra gargalhar descontrolados. Ainda rindo o loiro foi pra cima de Hermione novamente, tentando tirar o pomo de suas mãos e Hermione voltou a chuta-lo e a se esquivar.

E o mais inacreditável: os dois rolavam pela neve, naquela luta infantil e divertida, sem perceber como seus corpos estavam próximos, impedindo-os de sentir frio. Definitivamente, o casal de namorados mais felizes e apaixonados do mundo.

Hermione, já cansada, soltou o pomo e Draco o pegou.

- Ah, rá! Bem feito!- gritou o loiro, levantando o pomo bem alto, como se fosse um troféu.

Hermione riu em resposta, ofegante. Estava deitada na neve e Draco estava ajoelhado por cima dela.

- Bem feito? Você está todo descabelado!-brincou Mione, rindo dele.

E era verdade. O cabelo loiro de Draco estava completamente despenteado e cheio de neve como o da própria Hermione. O sonserino estava completamente vermelho e não havia o mínimo vestígio de sua normal palidez. Lindo, tão lindo como nunca estivera; como Hermione nunca o tinha visto.

- Você é impossível!- riu Draco, já respirando normalmente.
- Impossível, é?- perguntou Mione, sorrindo.

Draco percebeu o brilho nos olhos quentes da grifinória e engoliu em seco. Nunca tinha conhecido ninguém que pudesse transmitir tanto calor pelo olhar como Hermione podia. A garota estava linda, com as bochechas vermelhas e o cabelo castanho todo bagunçado e cheio de neve, parecendo formar raios de sol em volta do rosto dela.

- Vem, está frio e nós deixamos meu sobretudo lá no vestiário.- disse ele, rápido, estendendo uma mão para a garota deitada embaixo dele.

Mais uma vez estava sentindo medo, medo do quê aquele brilho no olhar da garota podia significar. Medo de perder o controle e beijar aquela boca vermelha tão convidativa. Hermione aceitou a mão de Draco, mas, ao invés de se sentar, ela empurrou-o com força para o lado. Draco deitou-se na neve e Hermione inverteu as posições ficando em cima dele.

- Não, não quero seu sobretudo.-negou Mione, sorrindo para aquele olhar assustado do sempre tão seguro Draco Malfoy.
- E quer o quê então?-perguntou Draco, entrando na brincadeira.-O maravilhoso apanhador Potter?-zombou Draco.

Hermione sorriu novamente e abaixou-se, calando o loiro com um selinho demorado. Claro que o loiro se assustou, Hermione nunca tomava a iniciativa.

- Você foi incrível hoje. Parabéns.-respondeu Mione, depois de desgrudar os lábios dos dele.

A garota se levantou, sob o olhar confuso do loiro e pegou o pomo da mão frouxa do loiro.

- E, acho que isso me pertence!

E saiu correndo, novamente, debaixo da neve forte. Draco observou Hermione sumir pelo portão do campo, com um sorriso bobo no rosto. Talvez a grifinória apenas estivesse devolvendo o selinho que ele lhe dera antes do jogo, mas havia algo mais em seu olhar. Algo que prometia uma semana incrível. Ainda com o sorriso bobo, Draco levantou-se da neve e voltou para o vestiário, duplamente feliz.

*

Segunda-feira. Todo o castelo estava animado. E havia muitos motivos.

Primeiro, o fato da viagem de Natal. A possibilidade de ficar longe por uma semana dos professores chatos, das aulas cansativas e na volta serem coroados por um baile incrível deixava todos os alunos alvoroçados.

Segundo, a vitória da Sonserina sobre a Corvinal. Ok, é claro que só os sonserinos estavam felizes com a vitória, mas os grifinórios já esperavam ansiosos o jogo contra a casa rival, que aconteceria depois das férias de Natal.

Terceiro, um motivo bem mais pessoal. Hermione e Draco tinham voltado a ser o casal de namorados mais feliz e popular do colégio. A saúde de Hermione estava bem melhor, apesar do frio intenso, e Draco irradiava felicidade pelo seu desempenho no jogo e por estar bem com a garota. Claro, o beijo que ele tinha ganhado dela também ajudava a manter seu bom-humor, varrendo da cabeça do sonserino a briga que tinham tido na sexta-feira.

Nenhum dos dois tocava no assunto da briga, ou dos recentes beijos. Era um acordo silencioso que os dois tinham combinado entre si. Nada de brigas, nada de beijos. Longe de público, o tratamento Malfoy-Granger continuava, e até mesmo uma pequena implicância mútua, considerada natural e extremamente saudável que fazia que os dois esquecessem como o garoto ficava lindo vermelho e como a garota ficava linda quando se concentrava em alguma coisa importante. Poderia parecer estranho para o resto do castelo, que acreditava que Draco Malfoy e Hermione Granger estavam realmente namorando, mas, para eles, dava certo.

- Malfoy, quer parar de me olhar desse jeito e se concentrar no trabalho?-perguntou Hermione, nervosa para Draco.

Os dois estavam de volta á biblioteca, na costumeira última mesa, fazendo os trabalho extras de Hermione. Faltavam apenas três para terminar, já que ela passara o domingo inteiro enfurnada na biblioteca terminando-os apesar de Draco insistir para não perderem o fim-de-semana com os estudos. Por causa do frio, a última aula do dia seria cancelada durante toda a semana e a grifinória resolvera aproveitar aquela uma hora e meia antes do jantar para se dedicar aos seus trabalhos. Draco, porém, não estava colaborando nem um pouco. Ele tinha que estar pesquisando o trabalho de Transfiguração para Mione e anotar os pontos principais para depois ela poder copiar, mas ele estava muito mais concentrado em contar as sardas que a menina tinha sobre o nariz do que em ajuda-la com a lição de casa.

- O quê? Não seja chata, Granger, os trabalhos são seus.-reclamou Draco, guardando mentalmente que tinha parado na sarda 36.
- Mas você disse que iria me ajudar e trato é trato.-repreendeu Mione, escrevendo a última frase de seu trabalho de Astronomia.
- Você sabia que tem mais de 40 sardas no seu rosto?-perguntou Draco, ignorando completamente o sermão dela.
- Malfoy!-reclamou Hermione, pousando a pena e olhando pra ele, que sorria divertido com o stress dela.-Quer para de sorrir desse jeito? Malfoy, pára!
- Credo, Granger, você é muito estressada.-respondeu ele, levanto e pousando as mãos nos ombros da garota, iniciando uma massagem.-Quer que eu vá buscar um copo de suco de maracujá pra você? Pensando bem, acho que teria de ser uma jarra.
- Eu ficaria muito agradecida se você pudesse só guardar esses livros e terminar as anotações de Transfiguração para eu poder passar a limpo.-bufou Hermione, retirando as mãos dele de seus ombros.

Draco riu e saiu detrás dela, pegando os 5 livros grossos que ela tinha terminado de usar.

- Ok. Seu pedido é uma ordem.-riu ele, antes de sumir atrás das prateleiras.
- Aff, se mata!-resmungou Hermione, girando o pescoço.

Estava mesmo toda tensa, precisava de férias urgentemente. Suspirando, Hermione pegou o pergaminho que Draco estava usando e se surpreendeu ao perceber que ele não fizera algumas anotações. Ele tinha terminado a redação pra ela! E, se não bastasse, usado algum tipo de feitiço que transformara a letra pequena dele na redonda e clara de Hermione.

- Mas...Ai, eu não acredito.-sussurrou ela, sorrindo para o pergaminho.

Draco a surpreendia cada dia mais.

- Com licença.-disse uma voz suave, fazendo Hermione levantar a cabeça.

Ela se espantou ao encarar uma linda e morena sonserina na sua frente. Era bem branca e seus olhos tinham um azul tão profundo que Hermione suspeitou na hora que poderia afundar neles se quisesse. Conhecia a garota de vista, tinha aula com ela desde seu primeiro dia em Hogwarts. Agatha Ryme, ou bonequinha e porcelana como já escutara um ou outro sonserino chamá-la, estava parada na sua frente com um esboço de sorriso na boca avermelhada.

- Ah, olá.-cumprimentou Hermione, perguntando-se o que a sonserina poderia querer com ela.
- Desculpe incomodar, mas, é que, você sabe, a biblioteca sempre está tão cheia e barulhenta lá na frente e eu costumo sentar aqui nesta mesa pra fazer minhas lições, só que não pensei que ela pudesse estar ocupada.-disse Agatha, extremamente simpática.
- Ah, eu não sabia. Também prefiro sentar no fundo.-concordou Hermione.
- Bom, não tem problema. Eu vou procurar outra mesa.-despediu-se Agatha, virando-se.
- Não, pra quê? Pode ficar aqui. A mesa é grande, na tem problema nenhum.-apressou-se Hermione.

Hermione não estava fazendo nenhum favor, sempre fora o tipo de pessoa politicamente correta com os outros. Mas não era esse o motivo que justificava o convite aceito por Agatha para permanecer ali. Além de politicamente correta, Hermione era terrivelmente curiosa e saber o que a sonserina poderia querer com ela, quando a biblioteca nem estava tão cheia e barulhenta assim despertou a curiosidade da grifinória e antes que ela pudesse pensar no que estava dizendo, já estava sentada com a sonserina ao seu lado.

- Obrigada. Não precisava-agradeceu Agatha, pousando seus livros sobre a mesa sem antes reparar que uma das mochilas no chão pertencia a Draco Malfoy.
- Você se chama Agatha, não é? Agatha Ryme?-perguntou Hermione, interessada.
- Sim, sou eu.-confirmou a sonserina, estendendo a mão para Hermione que a apertou.-Prazer. E você, é ninguém mais, ninguém menos que Hermione Granger.
- Sim, ou esmo.-sorriu Mione, levemente envergonhada.
- É, você é famosa aqui em Hogwarts. Amiga de Harry Potter, superinteligente, ex-namorada de Vitor Krum e atual namorada de Draco Malfoy. Deve ser meio difícil lidar com esse tipo de coisa.-disse Agatha, sorrindo para ela.
- Não muito, na verdade.-sorriu Hermione, em resposta.-As pessoas não dão tanta atenção assim para mim.
- Bom, se você diz. A verdade é que nós duas nunca conversamos muito, não é?
- É, o fato de eu ser uma grifinória e você uma sonserina complica bastante as coisas.-concordou Mione.

E, talvez pelo fato de Draco ainda não ter voltado, ocupado espiando um livro de Poções, Hermione e Agatha se soltaram na conversa e logo perceberam que tinham várias coisas em comum. Música, livros, matérias, atitudes, opiniões. Tudo se encaixava. Parecia, de repente, que as duas se conheciam há anos e não há poucos minutos.

Mas tinha um interesse a mais. Hermione estava curiosa por Agatha. Sabia que as pessoas comentavam que ela não era assim tão simpática, alguns até diziam que era um tanto louca apesar de muito bonita. Não era aquilo que a morena aparentava. Ás vezes, as pessoas se enganam. Agatha estava tão curiosa por Hermione como a grifinória por ela. O que ela tinha de tão especial para conquistar o coração de Draco Malfoy? Desde que conversara com o loiro, Agatha passara a observar Hermione com todo a atenção possível. Conhecia as histórias dela, de suas aventuras com Harry Potter e Ronald Weasley. Sabia que era muito inteligente, correta e amiga. Mas podia ler nos olhos castanhos dela muito mais. Podia ver que ela era curiosa e muito mais simpática e animada do que as pessoas diziam. Que era extremamente bonita e que seus olhos transmitiam exatamente o que ela sentia. Como perfeita grifinória, Hermione não sabia mentir. E que estava com problemas. Tinha uma tristeza indecifrável nos olhos espertos de Granger. Mas Agatha não podia ver o que havia nela de diferente, além de tudo aquilo. Aquela diferença que tinha feito Malfoy se apaixonar. Por que ele estava, sim, apaixonado por ela, mesmo que ainda não tivesse percebido. É, as aparências enganam. Hermione era muito mais do que aparentava ser. E Agatha tinha gostado dela, mesmo sem saber porque. Tinha gostado da grifinória. E, por um breve instante, desejou ter alguém como ela pra chamar de amiga.

As duas riram sobre uma coisa qualquer e Agatha, olhando bem no fundo dos olhos de Hermione, disse:

- Sabe, gostei de você. Você é bem diferente do que eu pensei que era.
- Então, somos duas.-concordou Hermione, fazendo a morena rir.
- Não é à toa que Draco goste tanto de você.-continuou Agatha.
- Mesmo? Ele lhe disse isso?-perguntou Hermione, aquele brilho quente voltando aos seus olhos. Brilho que Agatha não deixou de notar.
- É, disse. Eu e Draco Malfoy nos conhecemos muito bem. Quer dizer, ele não disse com essas palavras, mas...Draco não sabe mentir para mim.

Hermione olhou para ela, inquiridora. E sem querer, acendeu um alerta vermelho em sua cabeça. Agatha falara com um extremo carinho do loiro e aquilo não parecia muito bom.

- O que quer dizer com isso?-perguntou a grifinória, sendo tomada pela desconfiança.
- Ah, não, nada demais.-tranqüilizou Agatha.-É só que conheço Draco muito bem. Nos conhecemos há muito tempo e, pode acreditar, ele nunca, nunca se apaixonou por ninguém, de verdade. Nunca se permitiu gostar de alguém dessa maneira. Mas, com você, é diferente. Os olhos dele brilham quando fala de você. A voz fica suave. Pela primeira vez na vida, Draco não está escondendo um sentimento das pessoas. Ele te ama, Hermione, disso você pode ter certeza.

A grifinória só conseguiu sorrir em resposta. Primeiro, porque estava sem fala. Segundo, porque Draco finalmente aparecera e ficara visivelmente perturbado ao ver Agatha, sentada confortável ao lado de Hermione, como se as duas fossem grandes amigas.

O que a sonserina estava fazendo ali? As duas garotas mais lindas e mais importantes da sua vida, sentadas ali, juntas na mesma mesa. E Draco percebeu que Agatha e Hermione eram parecidas até mesmo na aparência. Apesar dos cabelos, olhos e tom de pele diferentes, seus rostos eram igualmente finos, os narizes arrebitados e delicadas e as bocas, só diferentes na cor, tinham quase o mesmo formato. E tanto o olhar quente de Hermione como o olhar misterioso de Agatha demonstravam o mesmo carinho pelo loiro. A diferença seria na leve desconfiança nos olhos da grifinória, e o leve cinismo nos da sonserina.

- Olá, Draco!-cumprimentou Agatha, sorrindo sapeca para ele.
- Ah, oi.-respondeu Draco, encaminhando-se rápido para as costas de Hermione, e pousando suas mãos nos ombros da garota.-O que está fazendo aqui, Agatha?
- Agatha precisava de uma mesa calma para se sentar, então a convidei para ficar aqui.-respondeu Hermione, louca pra saber que efeito aquilo causaria em Draco.-Ela estava me contando como vocês dois são amigos há tanto tempo.
- Ah, é mesmo?-perguntou o loiro, nervoso.
- Sim, estávamos. Mas, Hermione, eu e Draco não somos amigos, somos confidentes.-corrigiu Agatha, enquanto apoiava o rosto em uma das mãos.
- Ah, claro, confidentes.-repetiu Hermione, olhando para cima.

E Draco deu graças a Merlin por olhares não matarem, porque se matassem...

- Bom, é melhor eu ir. Daqui a pouco o jantar vai ser servido e ainda tenho que passar na minha casa para deixar o material.-foi dizendo Agatha, enquanto se levantava.-Foi um prazer, Hermione.-continuou ela, se despedindo da grifinória com um beijo no rosto.-Nos vemos depois, Draco.
- Até logo.-respondeu Hermione, tentando ficar calma.

Agatha sumiu por trás das prateleiras, e Hermione se levantou com tudo, furiosa.

- O que ela quis dizer com “somos confidentes”?-perguntou a grifinória para o loiro.
- É, é...Espere aqui, esqueci de pegar um livro.-disse Draco, rápido, desvencilhando-se de Hermione e saindo correndo, sumindo de seu campo de vista.
- Mas, Draco...-chamou Hermione, em vão, pois o loiro não a escutou.

Draco correu por duas altas prateleiras, furioso.

- Agatha, Agatha, cadê você?
- Psiu!

Draco se virou, vendo a morena parada de braços cruzados do outro lado da prateleira.

- Procurando-me?-perguntou ela, divertida.
- Você, você...-disse Draco, avançando e agarrando o braço de Agatha com força.-Você enlouqueceu? O que veio fazer aqui? Estragar tudo?
- Eu não sou assim tão maldosa.-riu Agatha, sem se importar com a pressão em seu braço.-Eu lhe disse, Draco, que queria conhecer a sua princesa. Espanta-me saber que você não me levou á sério.
- Te levei á sério! Você tem idéia do que esse seu capricho pode causar? Quando eu e Hermione estamos finalmente nos entendendo você tem que aparecer e estragar tudo!-reclamou Draco, soltando-a e andando pro outro lado da prateleira.

Agatha balançou a cabeça negativamente e foi atrás dele, abraçando-o por trás. Draco se arrepiou com aquele contato, fazia muito tempo que Agatha não se aproximava dele daquele jeito.

- Não se preocupe. Não vou atrapalhar seu conto de fadas com a sua nova e amada alguma coisa.
- Não fale assim dela, Agatha.-sussurrou Draco, virando-se e chocando seus olhos azuis com os da morena.
- Você não toma jeito. Escute, Draco, por que eu só vou dizer uma vez.-continuou Agatha, o tom carinhoso voltando.-Eu gostei dela. É, gostei mesmo. Não á toa que seus olhos brilham tanto quando fala dela. E, se estiver curioso, os dela brilham da mesma maneira.

E soltou-se dele, antes que o loiro pudesse digerir a notícia, e foi embora. Agatha, até mesmo ali, na biblioteca, ela conseguia ser mais misteriosa que uma sombra. O loiro suspirou e voltou para a mesa onde estava com Hermione. Para sua surpresa, ela ainda estava ali, sentada, com uma cara de quem poderia matar dez, mais ainda ali.

- Já acabou a sessão de amassos com sua querida amiguinha? Ou melhor, confidente?-perguntou Hermione, cínica, enquanto levantava-se e pegava a mochila e a pasta da escola.
- O quê? Ah, qual é, Granger, eu não fui atrás da Agatha.-reclamou Draco, segurando Hermione pelo braço para impedir que fosse embora.
- Jura? Sabe, e eu também acredito em Papai Noel, e você, acredita?-perguntou Hermione, cínica, soltando-se dele e continuando a andar.
- Ai, ai, hoje é dia.-sussurrou Draco, pegando sua mochila que estava no chão e indo atrás dela.
- Mas por quê você ficou assim?-perguntou ele, encarando os cachos do cabelo castanho da grifinória.
- Oras, não aconteceu nada. Sabe, eu até que tinha gostado da tal sonserina. Nós temos os mesmos gostos, somos parecidas, sabia? Só que eu não acho legal essa história de dividir as coisas com ninguém.-nesse momento, Hermione parou e se virou para Draco, levantando o dedo indicador para o rosto dele.-Nunca gostei de dividir roupas, brinquedos, amigos. É, sim, eu sou extremamente egoísta.-gritou ela, para as sobrancelhas levantadas de Draco, mostrando descrença.- A garota mais egoísta do mundo. Então, é totalmente normal que eu também NÃO queira dividir MEU namorado.
- Pensei que fossemos namorados só oficialmente.-disse Draco, baixo, só para ela escutar.
- É, é o que somos. Por isso, estou pedindo para você não dar tanto na cara que está interessado naquela sonserina. Não quero ficar falada na escola como o brinquedinho de Draco Malfoy.-respondeu Hermione, rápido, percebendo, de repente, o ataque de ciúmes que estava tendo.
- Mesmo? Acho que você está é com ciúmes!-brincou Draco, feliz pela repentina palidez no rosto de Hermione.
- Eu...Eu...Ah, por Merlin, Malfoy! É lógico que não estou com ciúmes de você. Você teria de ser realmente muito sortudo para isso.
- Jura?-perguntou Draco, levantando apenas uma das sobrancelhas.
- É claro. E desfaz essa cara de convencido.-continuou ela, batendo no braço de Draco.

Segurando para não rir da confusão e da palidez de Hermione, Draco fez que sim com a cabeça e disse:

- Ta bom, ta bom. Pára de ser nervosinha, vai! Anda, vamos jantar de uma vez por todas.

Hermione se deixou levar pelo braço de Draco em sua cintura e permaneceu quieta até cruzarem a porta da biblioteca.

- Mas, me diz uma coisa.
- O quê?-perguntou Draco, interessado.
- O que ela quis dizer com confidentes?

*

Hermione corou ao encarar o belo sorriso do sonserino á sua frente. Não dava, ela não conseguia fugir daquele estado beta em que os sorrisos de Draco a deixavam. E poderia ser qualquer um dos sorrisos. O sorriso verdadeiro, o sarcástico, o meio-sorriso, o sorriso cínico e até mesmo o sorriso falso que ele dava pra quase todo mundo. Todos os sorrisos de Draco Malfoy eram lindos. Se ela pudesse impedi-lo de sorrir sem parecer suspeita, ela com certeza o faria.

Naquele momento, era o sorriso aberto e verdadeiro que estava tirando Hermione do sério. Era terça-feira e o casalzinho estava na sala atual dos monitores. Faltava uma hora e meia para o jantar e dali quinze minutos todos os monitores iriam se reunir ali para uma reunião. Hermione, porém, insistira que os dois tinham que chegar mais cedo porque ela precisava ajeitar alguns papéis que teriam de entregar para os outros monitores sobre o baile e a viagem de Natal. Enquanto Hermione relia os avisos e instruções que Dumbledore tinha dado para ela pela quinta vez, Draco se ocupava em lhe contar alguma coisa que devia ser muito engraçada. Porém, ela não estava prestando a mínima atenção.

- Ok, eu desisto.-resmungou Draco, levantando da cadeira em que estava sentado.
- Ah? O que foi que você disse?-perguntou Hermione, sem nem ao menos levantar os olhos.-Desiste do quê?
- De tentar conversar com você!-reclamou Draco, arrancando os pergaminhos da mão dela e quase deitando em cima da mesa que os separava para poder olhar em seus olhos.-Será que dá pra desviar os olhos disso aqui por um minuto?
- Me desculpe.-pediu Hermione, levantando-se e também se apoiando na mesa, ficando com o rosto a poucos centímetros do dele.-É que nós temos que passar as informações corretamente para os outros monitores, porque você sabe que a monitora-chefe dos monitores está em reunião com Dumbledore e os outros professores.
- Ok, mas não precisa se estressar tanto assim! Você mesma disse que não vai viajar, por que tanto interesse?
- Eu sei que não vou viajar, mas é minha responsabilidade e a sua também orientar os outros monitores, então temos que nos preocupar.
- Quero mais que os outros monitores se danem!-exclamou o loiro, saindo de perto da mesa e indo ficar de frente para a lareira que havia na sala.

Hermione suspirou, voltando a se sentar em sua poltrona.

- Escuta, nós não terminamos o assunto da viagem.-continuou Draco, voltando a olhar para Hermione.
- Não terminamos? É claro que terminamos. Você vai passar o Natal na sua casa e eu vou ficar aqui. Qual é a dúvida?-perguntou Hermione, dando de ombros.
- Qual é dúvida? Você não vai ficar aqui, Hermione. Você vai comigo nem que eu tenha que ti levar arrastada, entendeu?-brigou Draco, voltando para a poltrona.
- Ah, agora você está me ameaçando?
- Se for necessário, é o que eu vou fazer.-confirmou ele, pegando o lápis que Hermione estava usando.
- Ah, ta certo. Por que você não leva a bonequinha de porcelana no meu lugar pra apresentar para a sua família?-perguntou Hermione, enciumada.
- Quer parar com isso? Eu já disse que não tenho nada com a Agatha. E não desvia o assunto, Hermione! Olha, tudo bem que você não queira ficar na minha casa, mas...Por que você não vai para a sua?-perguntou Draco, ficando nervoso.
- Porque eu não posso. Meus pais não estão em casa, Malfoy. Eles passaram todo o mês de Dezembro fazendo um curso odontológico na Rússia e vão continuar lá até a metade de Janeiro. Não tem ninguém na minha casa.
- Mais um motivo para você ir passar o Natal comigo, na minha casa.-retrucou Draco, como se aquela fosse uma atitude muito simples.
- Olha, eu não vou mais discutir isso com você. Eu vou ficar em Hogwarts e ponto.
- Mas...

Nesse momento a porta se abriu e Mark Briggs entrou na sala. Draco olhou para ele com raiva, como se ele tivesse culpa da grifinória ser tão teimosa e nem respondeu o boa-noite dito pelo corvinal.

- Boa noite, Mark.-respondeu Hermione, docemente.

Pensando bem, Hermione também poderia não ter respondido. Ela repreendeu Draco mentalmente por ser tão mal-educado e voltou sua tenção para o moreno de olhos negros á sua frente. Hermione sempre gostar de Mark. Não eram exatamente amigos, mas o garoto era simpático e inteligente além de muito bonito. Os dois continuaram conversando animadamente até os próximos monitores aparecerem. Finalmente todos chegaram, sem que antes Rony comentasse em voz alta que, pela primeira vez na História, Draco Malfoy não chegara atrasado para a reunião.

Com uma resposta muito mal-educada de Draco, a reunião começou. Hermione, Draco, Mark e Lucy, a monitora-chefe da Lufa-Lufa, passaram todas as informações. O grande ponto da reunião era a segurança no baile de Natal. Todos ali sabiam que fora dos muros de Hogwarts uma guerra se desenrolava entre o lado do bem e do mal e que um baile na escola seria a ocasião especial para comensais da morte invadirem a mesma. E, por causa do baile ser á fantasia, era necessário que os monitores procurassem prestar atenção em pessoas estranhas, que aparentassem não ser alunos. Os professores não estariam fantasiados e os muros que rodeavam a enorme propriedade receberiam reforços na equipe de aurores que cuidavam de Hogwarts. Mesmo assim, todo cuidado era pouco.

- Mas desse jeito não vamos aproveitar o baile nem um pouquinho!-reclamou Maggie, uma das novas monitoras da lufa-lufa.
- É claro que não.-disse Lucy.-Ninguém vai deixar de aproveitar o baile. Tudo o que Dumbledore pede é que vocês estejam alertas.
- Exato. Se virem alguém estranho, ou alunos mais velhos fazendo algum tipo de sinal, devem avisar a um de nós ou ao professor que estiver mais próximo. Pode não ser nada, mas é melhor prevenir do que remediar.-disse Mark, recebendo um sorriso lindo de Hermione e uma olhada feia de Draco.
- É, só que como eu vou saber se alguém tem uma atitude suspeita ou não? Dependendo da fantasia, qualquer um pode ficar diferente a ponto de parecer estranho.-disse Ralph, monitor da sonserina.
- Eu sei que isso pode acontecer, mas você também pode nos avisar se alguém passar o baile inteiro quieto, sentando em uma mesa ou encostado num canto, com um olhar estranho ou olhando fixamente para alguém. Claro que pode ser apenas alguém enciumado, que exagerou na cerveja amanteigada ou brigou com um amigo, mas não custa nada avisar alguém.-respondeu Hermione, séria, mas ainda de modo compreensivo.
- Bom, então eu acho que é só isso. Nós vamos ter que ter outra reunião no trem para determinar a ordem dos monitores que irão patrulhar os corredores.-finalizou Draco, já se levantando.-Quem quiser sair, fique á vontade, o jantar já vai ser servido.

Alguns monitores saíram rápido, como Rony, e outros demoraram um pouquinho porque queriam tirar algumas dúvidas que Hermione e Mark responderam com toda a paciência do mundo. Lucy se despediu de Draco, sem nem ao menos esperar resposta e saiu. Logo apenas os três estavam dentro da sala e Mark divertia Hermione com uma piada que Draco interrompeu, de forma grosseira.

- Ótimo, está tudo muito engraçado, mas a reunião já acabou, Briggs, e você já pode parar de se fingir o cara simpático.-cortou Draco, agarrando Hermione de maneira possessiva pela cintura.
- Draco!-repreendeu Hermione, escandalizada.
- Não estou me fazendo de simpático, Malfoy.
- Certo, então não arrume confusão. Vamos, Hermione.-retrucou Draco, empurrando uma Hermione reclamona para a porta da sala.
- Pára com isso!-reclamou ela, enquanto era enxotada porta á fora.
- Não precisa segura-la desse jeito, cara.-disse Mark, preocupado com a garota.

Draco voltou para dentro, fechando a porta na cara da grifinória que estava do lado de fora e disse:

- Escuta aqui, Briggs, porque eu não vou repetir. Pare de bancar o cara legal pra cima da minha namorada, ok?
- Não acho que Hermione seja sua propriedade.-retrucou Mark, também ficando alterado.
- Hermione não acha nada. Só fique longe dela, ouviu? Bem longe!

Draco abriu a porta e antes de sair, acrescentou:

- Ah, Briggs, não se esqueça. Não se intrometa no meu namoro com Hermione, ou vai sofrer as conseqüências.
- Imbecil!-sussurrou Mark, em resposta, mas Draco não o escutou.

Estava preocupado demais em descobrir aonde Hermione tinha ido parar.


N/A: E aí, meninas, o q vcs acharam??? POR FAVOR, COMENTEM!!!!!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.