FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Encontros e Convites.


Fic: O Marido Ideal


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

O Marido Ideal.
****
Capítulo Três – Encontros e Convites.
****
Olá gente!
Somente uma notinha antes do começo do capítulo.
* Nessa fic eu escreverei Draco e Gina, além do nosso querido e maravilhoso casal, porque eu amo D/G.
E é aqui que a parte Draco e Gina começa!
Boa leitura...

***

Encontros e Convites.

Gina Weasley ajeitava suas coisas, pronta para ir para casa, ela ainda não acreditava que o fim de semana havia passado tão rápido e já estava naquela sala de aula.

- Professora? – Joane Hujert apareceu na porta, a menina era loura e os olhos azuis bem claros – Você viu Billy? O tio dele está louco da vida procurando-o!

- Não, eu não o vi, querida – a mulher respondeu sorrindo – Ele deveria estar na biblioteca, não?

- Sim, mas sabe como é! – a menina revirou os olhos e Gina riu, para uma menina de dez anos Joane parecia bem mais matura do que as outras. – Até amanha.

- Até, Joane.

A ruiva equilibrou os livros que tinha em uma das mãos e passou a bolsa pelo ombro direito, saiu da sala e começou a atravessa o corredor até a sala dos professores.
Na metade do caminho um pequeno menino esbarrou nela e a fez derrubar os livros, o menino virou-se para ela.

- Ohh, desculpe, professora.

- Billy! – ela disse bufando – Não acredito... Venha, me ajude a juntar esses livros.

O pequeno louro encaminhou-se até a professora e a ajudou.

- Seu tio está te procurando – ela disse, levantando as sobrancelhas – O que faz por aí correndo desse jeito?

- Brincando – ele disse apenas, sorrindo levemente, o menino olhou para as costas da professora e arregalou os olhos – Desculpe, titio - murmurou.

- Billy! Eu estou aqui a mais de uma hora te procurando igual a um débil mental, e você estava no corredor ajudando uma menina?! Inacreditável!

- Mas eu não est-

Gina levantou-se rapidamente e virou-se, atrás de si estava um homem louro e alto, seus cabelos eram curtos e o corpo musculoso, os olhos eram cinzentos e a pele bem clara, o homem olhou para ela, um misto de surpresa e vergonha.

- Você deve ser o tio de Billy, não? – ela perguntou.

- Draco Malfoy – ele disse apenas – E a senhora...?

- Em um instante me chama de menina, no outro de senhora, francamente Sr Malfoy, decida-se! – ela disse, um tanto quanto divertida, estendeu a mão – Gina Weasley, professora de Billy – o homem apertou a mão da mulher, hesitantemente.

Ele observou a mulher, alta e ruiva, seu rosto era fino e delicado, os olhos azuis transpareciam força e orgulho, ela sorria e as sardas no nariz e bochecha saltavam levemente, ele a achou diferente, diferente de todas as outras, porém estranhamente familiar...

- Billy estava me ajudando com os trabalhos, peço que não o culpe, senhor Malfoy – disse suavemente. – Ele é um grande menino.

Draco deu ombros e olhou para Billy.

- Vamos, então? Sua mãe nos espera...

- Um minuto – o menino correu, descendo as escadas.

- Aon...?

- Pegar a mochila, provavelmente está no pátio, então Susan é sua irmã? – Gina perguntou, as sobrancelhas erguidas.

- Não – Draco disse apenas.

Gina olhou para ele, a expressão confusa.

- Ah, eu sou padrinho de Billy, Zabini é meu amigo de infância, não sei nem porque ele se casou com Fleather, mas...

- Ah, você é Draco!

Malfoy a olhou, franzindo a testa.

- Hmm, sim? – perguntou, como se fosse óbvio.

- Vamos, tio? – uma voz perguntou atrás do homem.

- Sim, vamos! Er... Diga até para a professora – Draco falou para o menino.

- Tchau professora! – a jovem acenou.

- Até, querido.

- Bem, - Draco pegou a chave do carro no bolso e passou as mãos pelos cabelos – Nos vemos, Weasley.

Ela apenas acenou com a cabeça, indiferente.
****

- Eu tive de apelar para Draco, Blaise está viajando e eu iria ficar até mais tarde na empresa... – Gina ouviu do outro lado da linha.

- Entendo, é que eu realmente não havia entendido e só me toquei que ele era o tal louro de quem você falava tão mal depois.

- Ah, entendo... Realmente, ele é meio estranho, Blaise me fala que ele nunca chegou a ter uma namorada séria, veja, ele tem vinte e sete anos! Parece que é meio obcecado pelo trabalho...

- Hmm, ele me pareceu um pouco prepotente.

- Um pouco?! Querida... Draco Malfoy é o escárnio em pessoa. Você não chegou a conhecê-lo no colegial, porque ele era pior até!

- Sorte minha! – Gina comentou sorrindo. Ela e Susan eram grandes amigas de faculdade, que se reencontraram depois de um tempo quando Susuan matriculou o filho no colégio que a ruiva dava aulas.

- Oh, really – a mulher disse, embora estivessem atualemnte trabalhando na Alemanha, conversavam em inglês, uma forma de ‘voltar as raízes’. – Você virá a festa do Billy semana que vem, não?! Oh, Gina, por favor, ele te adora! Venha!

- Tudo bem, eu vou tentar, mas eu não gar...

- JÁ ESTOU INDO! – ela escutou do outro lado da linha – Gina, querida, depois eu te ligo, ok? Problemas com a banheira... Eu falei para Blaise que havia algo errado!

- Tudo bem.
****

Passou uma semana desde aquele dia no colégio, Draco pegava-se pensando na loucura daquela professora de Billy às vezes...
Coitada, aqueles delinqüentes devem fazê-la querer se matar.
Ele atendeu ao telefone, era sua secretária dizendo que Blasie Zabini estava na outra linha, ele repetiu pela milésima vez que Blasie não precisava ser anunciado.

- Sim, senhor Malfoy – a mulher disse e passou a linha para Blasie.

- Draco?

- Não, Todynho.

- Ah, cala a boca, escuta Susan mandou eu te ligar para chamá-lo para a festa de Billy, na sexta a noite, aqui em casa...

- Zabini já esta aceitando ordens assim, tão facilmente? Francamente... Quanta decadência!

- Cala a boca, Malfoy – o outro disse zangado, do outro lado da linha. – Você vai vir, não?

- Não sei. Vou pensar no seu caso.

- Billy gostaria...

- Oh, - Draco pensou um momento – Tenho tempo até sexta, para resolver, quero dizer.

- Tudo bem – o outro disse – Ah, Susan disse para você procurar não trazer uma de suas ‘amigas’ para cá, sabe, é uma festa infantil e-

- Entendo, Zabini, eu entendo.

- Vou desligar agora.

- Até mais, pau mandado. – Draco falou, sorrindo.

- Cala a boca!
***

Era o horário de almoço de Hermione Granger, achou melhor ir a um local mais perto do escritório para comer, parou o carro em frente a um conhecido restaurante. O valete abriu a porta e ela sorriu, pegando o pequeno ticket do estacionamento que ele lhe estendia, o dia estava frio e ela fechou o blazer que usava, entrou no restaurante e uma atendente veio até ela.

- Posso ajudar?

- Ah, sim, eu não fiz reserva, será que haveria alguma mesa para mim?

A mulher a sua frente franziu a testa e olhou ao redor, as mesas estavam ocupadas – a maioria por homens, que lançavam olhares para Hermione, sorrindo muitas vezes, ela fingia ignorar, mas aquilo a estava deixado desconfortável.

- Sinto, senhora, não temos nenhuma mesa desocupada...

- Verdade? Tudo bem, - ela sorriu – Faço reserva da próxima vez...

- Volte sempre – a mulher disse, iria dizer mais alguma coisa, mas Hermione virou-se a caminho da saída.

- Hermione Granger? – a mulher virou-se e olhou para o homem que a chamara, riu.

- Não acredito! – murmurou – Harry Potter...

- O que faz aqui? – ele perguntou sorrindo.

Ela olhou no relógio e respondeu.

- Estou no meu horário de almoço, e vim aqui, mas não há mesas e não fiz reserva... Estou indo embora já. – ela virou-se para a atendente – Até logo.

- Não! Espere, - ela virou-se, ele passou as mãos pelos cabelos – Você... Por que você não fica e almoça comigo, eu fiz reserva.

- Não, não, - ela fez um gesto com as mãos – Não quero incomodá-lo, Sr Potter...

- Harry – ele disse, tocando seu braço – Me chame de Harry e almoce comigo.

Hermione olhou para ele por um instante pensando... Sorriu e fez um gesto com a cabeça. Harry sorriu-lhe e virou-se para a atendente.

- Ela está comigo, mesa 34.

- Por aqui, senhor... – ela fez um gesto – Fumantes...?

- Não – disse sorrindo, fazendo um gesto para Hermione seguir com ele.

- Aqui.

- Ótimo, obrigado Fatima.

- Por nada, Mr Potter.

Hermione franziu a testa para ele, que puxou a cadeira para se sentar.

- Venho aqui toda a semana, os donos são meus amigos... Fred e George Weasley.

- Ah. Sim... – ela sorriu para ele – Veio aqui somente para almoçar?

- E encontrar meu amigo, Ron Weasley, marcamos a uma hora, mas ele está atrasado, como sempre... – revirou os olhos. O garçom aproximou-se e estendeu os cardápios para o casal, sorrindo para Harry.

- Boa tarde, Sr Potter.

- Olá Jones – Harry sorriu para Hermione – Este é um sofrido torcedor do Liverpool, obviamente está arrasado com o resultado do último jogo.

Hermione riu levemente.

- Manchester não terá chance domingo, Potter – Hermione disse, estreitando os olhos, Harry olhou para ela estupefato, Jones riu da face do homem.

- Parece-me que finalmente encontrou a pessoa certa, Senhor Potter, ao menos de futebol ela entende.

Harry riu e estendeu o cardápio para Jones.

- Estou encrencado – murmurou para o outro, fazendo Hermione sorrir – Quero o preto do dia e uma taça de vinho branco e você Hermione...?

- Frango grelhado e... – ela passou os olhos pelo cardápio, em seguida sorriu – Vinho branco.

- Traga uma garrafa – Harry disse por fim, piscando para ela.

- Sim, senhor, com licença, senhorita... – ele retirou-se sorrindo.

- Torce para o Liverpool, então?

- Sim, na verdade não gosto muito de futebol, mas meu amigo é aficionado então...

- Você sabe algumas coisas... – ele deduziu.

- Exato. – sorriu para Harry, ele a observou por um instante. – Não é estranho? – ele perguntou – Você não tem a sensação que nos encontramos antes, quero dizer...

- Que somos velhos amigos? – ela perguntou sorrindo, pegando o copo que havia na mesa, com água. – Sim, eu sinto isso – ela bebeu a água.

Eles se olharam por um instante.

- Então, você não telefonou mais para o escritório, eu-

- Ah, tive uma péssima semana – ele explicou – Mas vou te dizer, gostaria que me ajudasse, na Espanha, há um rumor que andei saindo com uma modelo famosa – ele revirou os olhos – Invenção, você sabe, perante os tablóides eu sou fumante, viciado e traficante de drogas – ela riu em compreensão, estava acostumada, certa vez o jornal The Sun publicou uma matéria: ‘Filha do Ministro não aparece por estar internada em uma clinica psicologia’, claro que era mentira...
Hermione relatou a pequena historia a Harry e ele assentiu.

- Exato, mas o que ocorre é que a imprensa de lá insiste no assunto, por isso que gostaria de mover um processo contra um jornalista que insiste nisso, sabe, não acharia ótimo se isso viesse parar a Inglaterra...

- Entendi. – ela sorriu – Eu te ajudarei, Harry, mas só se me prometer que não teve nada com ela, e que não há provas.

- Eu prometo – Harry disse sério – O problema é que ela quer fama e, sabe como é essas modelos fazem de tudo para ficarem mais famosas, ela está confirmando tudo o que os tablóides falam.

- Certo... – ela pensou por um momento e pegou sua bolsa, de lá tirou uma agenda e uma caneta, fez algumas anotações e olhou para ele – Você poderia ir ao meu escritório sexta feira? – ela perguntou – Viajo para Los Angeles e chego na quinta a noite... Só vou poder vê-lo na sexta, o que acha?

Harry contornou o copo com a ponta do dedo.

- Por mim, tudo bem, que horas?

- Hmm, as seis? – ela franziu a testa.

- Tudo bem, as seis então... – ele sorriu para ela.

Jones apareceu com a garrafa de vinho logo que Hermione fechou a bolsa, Harry o agradeceu e ofereceu uma taca a Hermione, que aceitou agradecendo.

- Harry! – alguém disse – Ah, olá! – um ruivo que acabara de chegar disse a hermione. – Não é possível, eu me atraso um momento e você arruma uma pessoa mais bonita! – ele disse, fingindo indignação, Harry piscou e disse a Hermione.

- Não ligue, eu já recomendei a esposa dele uma ótima clinica de psiquiatria, mas ela insiste em dizer que o ama...

Hermione riu.

- Se quiser, eu posso dizer o nome da que eu estive... Havia grandes médicos lá – ela disse.

Ronald franziu a testa para ela.

- É brincadeira – Harry disse, rindo levemente – Bem, este é Ron Weasley, irmão dos donos do restaurante e meu amigo há...

- Nossa, vamos pular essa parte? Nós nos conhecemos praticamente no céu, antes de descermos... – O ruivo acrescentou, ela riu.

- Bem, esta é Hermione Granger, uma amiga – ele sorriu – Estava passando por aqui e resolvi chamá-la para almoçar, achei que você não viria – acrescentou, fazendo cara feia.

Ron acomodou-se na cadeira e riu.

- Problemas em casa – ele esfregou a testa.

- Ele vive com problemas em casa, todo mês ele é posto para fora de casa por Lilá, sua esposa – Harry esclareceu Hermione.

- Então aí vou para a casa de Harry... Ele é um ótimo hospedeiro – acrescentou.

- Compreendo – Hermione sorriu, enquanto Jones aproximava-se com os pratos de Harry e Hermione, ele cumprimentou Ron e anotou seu pedido logo em seguida.

- Acontece que desta vez é mais serio... E não sei se considero, de fato, um problema... – o ruivo olhou de Harry para Hermione.

- Não se incomode – Hermione disse afavelmente – Se não quiser falar...

- Não, imagine... – o ruivo rolou os olhos – É só que... Ela, Lilá, está grávida.

Harry engasgou com sua própria comida, Hermione estendeu o copo com água para ele rapidamente, ele bebeu.

- Obrigado – disse a Hermione, virando-se em seguida para Ron – Meu Deus...! É só... Parabéns!

- Obrigado... Eu acho.

- Meus parabéns Ron – Hermione desejou ao ruivo, ele sorriu para ela.
****
continua
*****

Estou triste com a quantidade de comentários que esta fic está me dando... Está tão ruim assim??
Deus, sou péssima mesmo.
Bom, é isso, capítulo curto, me desculpa!
Ah, quem gosta de DG passa no meu perfil que lá tem uma short que eu postei chama “Folhas ao Vento”, conto com vocês!
Muitos beijos e até!

Mimy



OBS. Agradeço quem comentou. Valeu!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.