FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo



______________________________
Visualizando o capítulo:

14. Um romance pra lá de perturbad


Fic: Obsessão Por Você - AVISO POSTADO!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Cap.13: Um romance pra lá de perturbado

Draco entrou sozinho no Salão Principal pouco antes do horário de almoço acabar. Entrou sozinho, pois Hermione precisara ir ao banheiro lavar o rosto. Ela estava terrivelmente abalada com tudo o que estava acontecendo. E não era a única, realmente. O loiro também estava muito preocupado e, tinha que admitir, também estava muito assustado. Ele simplesmente não conseguia entender o que estava acontecendo! Era uma confusão muito grande. Toda aquela história de magia negra e visões o deixavam muito confuso. E pra piorar ainda mais a situação, ainda havia a maior preocupações de todas: Hermione.

Se há poucos meses atrás alguém dissesse para aquele garoto mimado e convencido que ele acabaria enfeitiçado pela garota que mais detestava, ele riria. Se alguém dissesse que Draco um dia poderia se sentir tão preocupado com Hermione, se, de repente, alguém lhe dissesse que em certo momento de sua vida tudo o que ele resolvesse ter fosse aquela garota, bem...A reação do loiro não seria uma das melhores.

“Mas agora, as coisas estão tão diferentes do que eram há pouco tempo atrás.”pensou o loiro enquanto pegava uma maçã e se encaminhava de volta para a porta do salão. Naquele momento, o loiro finalmente tinha percebido o quanto queria aquela garota. O quanto queria ficar ao lado dela. Assim que cruzou a soleira da porta do salão, uma meta estava estabelecida na cabeça de Draco: ele ia lutar por Hermione com todas as suas forças e faria com que ela voltasse a ser dele, como tinha sido durante aquele primeiro beijo na neve.

*

Um certo loiro entrou devagar pelo Salão Principal parecendo muito pensativo. E nem reparou no grupinho de garotas sonserinas que o observavam á distância, na mesa da casa.

- Ai! O Draco anda tão distante...-suspirou Pansy, observando o loiro.
- Ah, Pansy, pare disso. Ele só deve estar brincando um pouquinho com a Granger...Você sabe que ele gosta de você, não sabe, amiga?-perguntou Alice Bardon, uma loirinha do quinto ano que dividia o dormitório com Agatha.
- Eu sei que ele gosta de mim...Mas aquela Granger é uma cobra, vai que ela lança um feitiço no meu Draquinho e faz ele ficar caidinho por ela?-perguntou a morena com voz chorosa.
- Ah, Pansy, pára com isso!-disse Agatha, com firmeza-Em primeiro lugar, você não pode ficar assim. Conhecemos o Malfoy o suficiente pra saber que ele vai adorar essa idéia de te ver correndo atrás dele. Se dê seu devido valor.
- Ah, bonequinha de luxo, as coisas não são tão fáceis assim...-respondeu July Jones, colega de Pansy do sexto ano, chamando a garota pelo apelido que os sonserinos tinham posto na menina.
- É claro que é. Draco Malfoy é convencido e não vai deixar de ser só porque vocês querem!-retrucou Agatha.
- Ai, Agatha, você é tão inteligente, sempre vai tão bem nas matérias...Escute, você acha que o Draco e a Granger estão mesmo juntos?-perguntou Pansy, se mostrando totalmente insegura.
- Você quer que eu seja sincera?-perguntou Agatha, espremendo os olhos azuis-escuros para a garota a sua frente.
- Mais sincera do que você já é?-perguntou alguma outra garota, escondida no bolo de meninas que se formara em torno das duas morenas.-Impossível!
- Pansy, nós não podemos negar que eles parecem estar realmente apaixonados...-começou Agatha, escolhendo as palavras com cuidado na cabeça esperta.
- Ah, não!-gemeu Pansy.
- ...Mas, tem um detalhe meio estranho em todo esse namoro.-terminou ela com um brilho no olhar.
- O que? O que?-perguntaram várias garotas juntas.
- Vocês repararam que ninguém nunca viu aqueles dois realmente tendo atitudes de namorados? Quer dizer, quando se está namorando é normal trocar uns beijinhos, às vezes alguém até encontra as criaturas se agarrando em algum corredor, mas...Esses dois não fazem nada!-exclamou Agatha, dando de ombros.

O rebuliço foi imenso. Internamente, a morena se parabenizava pela idéia que tivera. Sabia muito bem que com aquele bando de meninas, a fofoca se espalharia rápido pela escola. A menina sorriu intimamente ao pensar em como Malfoy sairia daquela situação...Ela se divertiria muito em descobrir como tudo aquilo se desenrolaria.

*

Hermione se enfiara no chuveiro pela segunda vez naquele dia. Estava de noite e o dia tinha sido péssimo, horrível. A garota se sentira o dia inteiro como uma espécie recém-descoberta e todos estivessem loucos para observa-la por todos os ângulos, como em um zoológico. O pior foi ter que agüentar Lilá e Parvati! As colegas não tinham calado as bocas por um minuto sequer durante a tarde toda. Só de pensar na quantidade de besteiras que elas conseguiam dizer já fazia a cabeça da garota doer profundamente.

Mione saiu do chuveiro, sem se importar com os pés quentes no piso frio do banheiro. Foi se secando devagar, enquanto sentava no vaso sanitário, tentando não pensar em nada. Depois de um tempo, resolveu desistir daquela idéia. Só o fato de não tentar pensar em nada já fazia a garota pensar.

- Ai, minha cabeça!-reclamou ela, levando a mão à cabeça.-Ah, como eu queria que tudo isso acabasse de uma vez. Como eu queria dormir e só acordar daqui uns três meses! Quem sabe assim, quando eu acordasse, toda essa situação já tivesse se resolvido! Quem sabe assim o Malfoy não sumisse da minha frente? Ah, eu não quero ir jantar com ele hoje...Não hoje! Isso é muito pra um dia só, é muito pra mim! Ah, Hermione, você precisa dar um jeito nisso tudo!

Levantou-se do vaso, encarando seu reflexo no espelho. Encarando seu corpo nu. Pela primeira vez, se sentiu desconfortável em olhar a si mesma. Não que aquele desconforto fosse provocado por ela mesma, mas por alguma outra coisa. Por um momento, era como se aquele reflexo não pertencesse a Hermione. Era como se a própria alma dela fosse de outra pessoa...

- Ai, credo, mas que coisa pra se pensar!-reclamou Hermione pra si mesma, saindo da frente do espelho pra vestir sua lengerie, enquanto continuava falando com seus próprios botões.-Hermione, você precisa parar de pensar besteira! Na verdade, desde que aquela coisa do Malfoy resolveu aparecer às coisas só pioraram e eu ando com pensamentos mais negativos...Se não bastasse ele chegar e me beijar daquele jeito, e me dizer àquelas palavras, e me olhar daquele jeito fofo, e....Ai, cala a boca, garota! Pare de pensar naquela besta loira desse jeito! As coisas já estão muito complicadas do jeito que estão pra você querer piora-las pensando no Malfoy! Ah, agora vou ser obrigada a jantar com...

Naquele momento, bateram na porta do banheiro. Hermione pegou seu roupão e abriu a porta.

- Ai, Hermione, você vai demorar muito, hem? Sabe, eu preciso pegar os meus cremes de limpeza de pele!-reclamou Lilá, entrando com tudo dentro do banheiro e se sentando no vaso.
- Será que você pode esperar, Lilá? Não vê que nem terminei de vestir meu pijama ainda?-perguntou Hermione com voz cansada.
- Então se vista logo! Sabia que se eu ficar um só dia sem passar meus cremes exatamente daqui cinco minutos posso prejudicar o meu lindo rostinho e ajuda-lo a ficar flácido daqui uns...10 anos?-perguntou Lilá, parecendo realmente indignada.
- Certo, Lilá, agora...-começou Hermione, sem sucesso.
- E isso não é tudo! Você não faz idéia do quanto a nossa pele envelhece por dia, querida!-continuou Lilá.-As estatísticas de TODAS as revistas de moda contam que...

E continuou a falar sem parar. Hermione percebeu que não sairia daquele banheiro tão cedo...

*

Draco caminhava pensativo para a Torre da Grifinória. Era hora do jantar e o loiro estava indo buscar Hermione. Não sabia, na verdade, se a garota apareceria, pois não tinham se visto desde o almoço, quando a garota dera aquele piti de que tinha visto o tal doido. Na hora, o loiro até pensou em acreditar nela, mas agora, percebia que a hipótese era impossível. Tudo bem, ele não contrariava o fato de poder ser um sonserino. Como sonserino, sabia que era bem possível ser um de seus colegas o psicopata do que aqueles idiotas da Lufa-Lufa. Mas, não dava pra acreditar que a pessoa apareceria assim, do nada, para Hermione...Era como se denunciar! Simplesmente não tinha lógica!

- A magia não tem lógica, Draco Malfoy...Está pensando que nem esses sangues-ruins ignorantes por aí!-reclamou o loiro baixinho.

Finalmente tinha chegado no pé da escada, mas achou melhor não subir. Naquele momento tudo o que o loiro não queria era mais confusão. Se visse a cara do Potter e do Weasley, poderia jurar que os esmurraria até deixa-los irreconhecíveis! Bom, mas não tinha mais nada pra fazer mesmo do que esperar Hermione aparecer, então encostou na parede do corredor fora da escada e se pôs a esperar. Poucos minutos depois, ouviu passos que vinham do corredor, e que pareciam estar correndo. Parvati Patil deu de cara com ele depois.

- AI!!-gritou ela, ao ver o loiro e parando de correr, mas logo abriu um belo sorriso e continuou toda prosa.-Oi, Draco!-lhe deu um beijinho na bochecha sem nem esperar resposta.-Tudo bem com você? Nossa, eu espero que esteja mesmo bem! Como tudo aquilo de manhã foi horrível! Fiquei tão assustada com tudo aquilo...Ah, e Hermione, tadinha! Quando chegamos no dormitório hoje de dia, sabe a Lilá e eu, ela estava dormindo com o travesseiro toda molhado de lágrimas...Ah, tive tanta dó dela! Você tem que cuidar da Mione muito bem, sabe, porque...
- PARA!-gritou Draco, tonto com tantas palavras de uma vez só-Escute, será que você pode me dizer só uma coisa?
- Claro, eu digo o que você quiser! O que você quer? É algo a ver...
- Obrigado, obrigado! Eu só quero que você vá lá em cima e veja se Hermione vai descer pra jantar comigo ou não, ok?-disse Draco bem devagar, com medo de que a menina não entendesse o loiro.
- Ah, claro! Já estou indo!-respondeu Parvati, correndo e sumindo a escada.

Draco colocou a mão na cabeça e respirou fundo.

- Grifinória doida!

*

- Hermione? Cadê a Hermione?...HERMIONE!-gritou Parvati, enquanto entrava no banheiro correndo e pulava no pescoço da menina.

“Não, Merlin, duas doidas já é demais!”-pensou Hermione, fazendo uma cara sofrida enquanto Parvati a soltava.

- Parvati! Você interrompeu a melhor parte da conversa! Eu estava contando pra Mione sobre aquele catálogo de poções embelezadoras da Mad...-começou Lilá irritada, mas a amiga a cortou.
- Ai, Lilá, deixe o catálogo pra depois! Será que não vê? Aquele príncipe encantado, aquele pedaço de mau caminho, aquele deus greco-romano está lá embaixo esperando a Mione!!!!-gritou Parvati para a loira.
- Você quer dizer, você quer dizer...-começou Lilá, se levantando de supetão-Você quer dizer...
- Sim! DRACO MALFOY!-gritou Parvati, feliz.
- Ah, Hermione, você precisa se arrumar, amiga!-disse Lilá, arrastando Hermione pra frente do espelho novamente.
- Não, meninas, porque vocês não continuam festejando sozinhas?-perguntando Hermione, se deixando ser arrastada.
- Mas, Mione, o namorado é SEU!-disse Parvati, totalmente indignada.
- Sim, eu sei, mas me escutem...Eu não estou bem, estou cansada e preciso dormir. Será, Parvati, que você não pode descer e dizer pro Draco que estou com dor de cabeça, dor de estômago, sei lá, qualquer coisa e que o vejo amanhã?-perguntou Hermione, fazendo uma carinha sofrida que fez as duas sentirem pena dela.
- A, coitadinha, desça lá, Parvati e faça o que ela quer, vai? Se quer descansar, Mione, então descanse. Aposto que sua pele vai estar muito melhor amanhã de manhã!-concordou Lilá.
- Certo, eu vou...Tem razão, amiga. Ás vezes, é bom deixar os homens desapontados! Assim, amanhã, ele vai estar morto de saudades suas. Estou indo, tá?-terminou Parvati, saindo do banheiro com um sorriso amigo.
- Obrigada!-gritou Mione para ela.
- Bom, é isso! Será que agora eu posso passar os meus cremes?-perguntou Lilá, com as mãos na cintura.
- Pode, pode. Mas, espera um pouco tá? Tenho que terminar aqui.-respondeu Hermione, pegando um ohashi (um desses pauzinhos de madeira japoneses) e pegando o cabelo molhado a fim de fazer um coque.
- Tá, eu tenho mesmo que fazer um penteado diferente no meu cabelo pro jantar, sabe?-perguntou Lilá, saindo do banheiro sem parar de falar.

Hermione sorriu para a porta do banheiro antes de voltar à atenção para seu reflexo. E quando se virou novamente, nem sentiu o ohashi escorregar de seus dedos, devido o tamanho de seu espanto.

*

Draco olhou no relógio caro, enquanto jogava o cabelo loiro pra trás.

- Por que as garotas demoram tanto pra formular uma simples pergunta e trazer a resposta de volta? Eu só pedi par ela perguntar se Hermione desceria ou não e ela só precisaria descer e dizer sim ou não pra mim! Será que isso é tão difícil, Merlin?-perguntou ele, já cansado de esperar.
- Draco!!!-disse Parvati, aparecendo no corredor.-Ah, querido, tenho más notícias. Hermione não está se sentindo bem e acha melhor não descer. Disse que amanhã ela fala com você.
- Ela não arranjou nenhuma desculpa melhor, não?-perguntou ele sarcástico, cruzando os braços.-Suba e faça com que ela venha falar comigo, está bem?
- Mas, Draco, ela não está bem coitadinha! Escute, eu vou te explicar como são os problemas femininos, ok?-começou Parvati.

Ela não estava a fim de ir embora.

*

O ohashi rolou para debaixo da pia, sem ser percebido. Hermione, estática, olhava com seus olhos castanhos aquela visão absurda. Havia alguém encostado no boxe do banheiro, com um belo sorriso no rosto e um estranho brilho no ar. Encarava Hermione com carinho e uma estranha saudade. Estranha porque era impossível aquele alguém sentir saudades dela, já que o alguém era ela mesma!

Uma cópia perfeita de Hermione sorria para ela mesma –e enrolava as pontas de seu cabelo castanho- e parecia infinitamente alegre ao vê-la. Hermione, em compensação, se sentia tonta...Como aquilo era possível? Estava vendo a si mesma, e ela ainda estava sorrindo para...ELA MESMA! A garota fez menção de falar algo, mas a cópia levantou sua varinha e apontou diretamente para o espelho. Devagar palavras começaram a surgir no espelho e logo depois, se revelaram parte da frase já conhecida de Hermione.

A cópia escrevera Rei das Serpentes no espelho! Hermione olhou ainda mais assustada para aquilo e abriu a boca, dizendo com voz falha:

- O que...O que...

A outra Hermione apenas sorriu ainda mais feliz, e aos poucos foi desaparecendo sob o olhar atônito da Hermione que se apoiava na pia para não cair, até que sumiu, pura e simplesmente. Aos poucos, Hermione começou a sair do torpor que se encontrava sem pronunciar uma única palavra. Junto daquela outra Hermione sumira também as palavras no espelho e tudo parecia estar como sempre estivera...Mas não estava.

Apesar dela estar completamente parada, sua mente estava em turbilhões. Se fosse possível ver por sua cabeça, qualquer um poderia ver as engrenagens do cérebro da menina trabalhando a cem por hora, se mexendo e revirando todas as idéias presentes ali dentro. E, de repente, Hermione teve um estralo. Uma idéia de espécie tudo ou nada. E então, soltou um berro:

- LILÁ!
- AI!-gritou a loira, aparecendo na porta do banheiro-Credo, Hermione, o que foi? Você achou alguma estria por aí?-perguntou a menina, animada.
- Ai, Lilá, não fale besteiras! Escute, pelo amor de Merlin, desça o mais rápido que puder e corra pra impedir o Draco de ir embora! Diga que em três minutos eu estou lá embaixo!-suplicou Hermione, começando a despir o pijama o mais rápido que podia.
- Ué, mas por quê?-perguntou a loira, interessada.
- LILÁ! Ande logo!-gritou Hermione, correndo para o dormitório e pegando a primeira roupa sua que achou no malão.
- Tá bom, estou indo!-reclamou a loira, saindo do quarto sem antes dizer-Se vista direito, precisa estar linda pra encontrar o seu deus!

Sem ligar para aquilo, Hermione se meteu dentro de uma blusa de gola olímpica vermelha e da saia de prega da escola mesmo. Colocou uma bota de cano alto e antes de sair, voltou ao banheiro para pegar o ohashi. Olhou-se uma última vez no espelho e olhando pro ponto onde sua cópia parecera, disse simplesmente:

- Obrigada!

E saiu correndo.

*

- E como um bom namorado, você tem que...-dizia Parvati sem parar.

Draco não ouvia sequer uma palavra que saia da boca da garota, na verdade, estava muito interessado num besouro preto que subia a parede de pedra bem devagar, deixando-o sonolento. Quase deu um pulo quando viu a tal Brown descer a escada correndo e começar a dar pulinhos na frente dele.

- Ah, Draco, que bom que não foi embora! Hermione está descendo, ela resolveu vir do nada e disse que dentro de três minutos, vai estar aqui em baixo!-disse ela, sorridente, antes de parar pra tomar fôlego.
- Ué! Ela não estava se sentindo mal?-perguntou Draco, confuso.
- Estava, mas de repente, resolveu vir e quase me expulsou do quarto pra ver se você tinha ido embora.-explicou Lilá, mais calma, mas com um sorriso de orelha a orelha no rosto.
- É como eu estava dizendo, Draco! Problemas femin...-dizia Parvati.

Hermione apareceu tropeçando em seus próprios pés e nos degraus da escada, totalmente vermelha e descabelada.

- Puxa, finalmente!-reclamou o loiro assim que a viu.
- Ah, meninas, obrigada! Vocês são dois anjos!-agradeceu Hermione, se deixando abraçar por Draco, enquanto recebia um beijo estalado na bochecha.
- Imagina, Mione, não foi nada. Draco é muito simpático.-respondeu Parvati sorrindo para o loiro.
- Bom, então vamos?-perguntou Draco, com um olhar assustado para aquelas criaturinhas alegres a sua frente.
- Vamos, claro, já ti fiz esperar muito, não é?-perguntou Hermione, carinhosa.
- Ah, que lindo! Vamos deixá-los sozinho, Parvati! Tchau, pombinhos!-disse Lilá, puxando a amiga pra cima.
- Tchau, Mione. Tchau, Draco.-acenou Parvati, sumindo logo depois pela curva da escada em espiral.

Assim que Hermione viu o pé de Parvati sumir, seu sorriso sumiu e ela se soltou bruscamente de Draco. Pôs-se a andar, tentado fazer um coque com o ohashi.

- Hei! Quanta ignorância é essa!-reclamou o loiro indo atrás dela, que começara a correr.
- Malfoy, não reclama e corre!-disse ela ríspida.-Eu acho que descobri algo sobre aquele negócio de Rei das Serpentes e preciso descobrir se tenho razão.
- Mas o que você descobriu?-perguntou Draco, pulando os degraus da escadaria central de dois em dois tentando acompanhar a garota.

“Incrível como ela corre rápido!” pensou Draco, sem perder seu ritmo.

- Você vai achar loucura, mas recebi um sinal!-respondeu Hermione, entrando no caminho que levava às masmorras.
- Sinal? Como assim...Sinal?-perguntou Draco.
- É algo meio doido, mas...Eu vi a mim mesma quando estava me olhando no espelho.
- Claro, daã, era seu reflexo!-zombou Draco.
- Não, seu idiota, além do meu reflexo havia o reflexo de uma outra pessoa, encostada no boxe do banheiro! Com a minha cara, com o meu corpo, com os meus olhos e com os meus cabelos! ERA EU!-gritou Hermione, atropelando uns sonserinos e entrando no corredor onde havia o quadro de Salazar Slytherin.
- O que? Ah, eu preciso de ar...Granger, você ficou doida?-perguntou Draco, abismado com o que ela acabara de dizer.
- Ah, Malfoy, depois eu te explico!-reclamou ela, chegando finalmente no espaço onde havia o enorme quadro do fundador da Sonserina.
- Mas, Granger...-começou Draco, encostando-se à parede de pedra e observando a garota se aproximar do quadro, lentamente.
- Cala a boca!-disse Hermione, ríspida, como os olhos vidrados no quadro.

O loiro deu de ombros, ficando ereto logo atrás de Hermione. Estava muito preocupado com ela. Na verdade, Draco tinha medo da garota andar meio biruta.

Já a garota por sua vez, prestava atenção naquele estranho quadro. Sentia-se tão atraída por ele, tão...Magnetizada.Após alguns minutos de completo silêncio, Hermione começou a falar:

- Sabe, é uma sensação tão estranha...É como se alguma coisa me puxasse para o quadro, ou pra algo dentro dele. E aquelas palavras...E se for uma senha, Malfoy?-perguntou Hermione, se virando pra ele, um tanto assustada.

Draco olhou pra ela e deu um sorriso tristonho. Devagar caminhou até ela e pegou na sua mão, tentando passar um pouco de força para aquela menina assustada. Hermione olhou para o loiro e apertou a mão dele com força, antes de virar seus olhos novamente para o quadro.

- Quer que eu fale aquelas três palavras junto com você?-perguntou o loiro, de repente.
- Certo.-respondeu Hermione, totalmente absorvida pelo quadro.

“Ela está tão estranha”.pensou o loiro, observando o estado da garota. Os olhos de Hermione estavam límpidos e ela tinha a boca entreaberta. Estava totalmente concentrada, apesar de apertar a mão de Draco com força. “Mas fica linda desse jeito!” terminou uma voz na cabeça dele, fazendo-o sorrir.

Desviou os olhos de Hermione para encarar aquele quadro enorme. Bem devagar, foi examinado os detalhes até levantar o rosto o suficiente para encarar o rosto de Salazar. Seu estômago afundou com aquela visão. Sentiu-se mal como nunca havia se sentido antes e apertou, instintivamente, a mão da garota. A respiração dele acelerou e sentiu uma raiva tão grande, mas tão grande, que seria capaz de queimar o quadro com seu próprio olhar. Algo o chamava ali, o instigava a lutar, a brigar por alguma coisa. E, de repente, Draco sentiu que não seria capaz de viver sem aquela alguma coisa. Mas...O que poderia ser?

Juntos, eles andaram até o quadro e respirando fundo, pousaram suas mãos em cima da pintura grossa. Tudo começou a girar. Hermione sentia o gosto de sangue na boca, mas mesmo assim conseguiu se manter lúcida. Então, disseram:

- Rei das Serpentes.

Algo iria acontecer. Eles respiravam ansiosos, de olhos e ouvidos abertos para perceber qualquer detalhe, qualquer ruído. Mas, não aconteceu nada. Tudo continuou como estava, a não ser pelo sentimento de frustração que os dominou, principalmente a Hermione.

- Não é possível! Abra, vamos abra!-sussurrou ela primeiro, antes de realmente ficar desesperada e esmurrar a pintura - Abra, por Merlin, abra! TEM QUE ABRIR! POR QUE NÃO ACONTECE NADA? TEM QUE ACONTECER ALGUMA COISA!
- Granger...Granger!-tentou chamar Draco, em vão.
- ABRA!-gritou Hermione com mais força.
- Sua histérica, PARE DE GRITAR!-gritou Draco, segurando-a pelo pulso para impedir que ela danificasse a pintura ou se machucasse.
- O quê?-perguntou Hermione, olhando para o loiro. Respirava com dificuldade.-Malfoy, não abre!
- Eu sei que não abre, mas você precisa ficar calma! Vai acabar tendo um ataque do coração desse jeito!-retrucou o loiro soltando-a.
- Mas, mas...
- Mas nada, Granger! Ande, vamos arranjar algum lugar vazio pra conversamos e você vai ter que me explicar toda essa doideira!-cortou-a Draco, puxando a menina bruscamente pelo pulso-E não me contrarie, ouviu bem? Já basta o jeito que me tratou hoje na hora do almoço!
- Só te tratei da maneira que você me tratou de manhã, sua besta!-xingou Hermione tentando resistir aos puxões do loiro.
- Não me xingue; e ande logo!-Draco deu um último puxão que quase fez a garota voar para frente.

Saíram andando e discutindo em alto e bom som para qualquer um que estivesse por perto ouvir. Viraram à esquerda da parede secreta da Sonserina e antes que pudessem dar três passos um casal de sonserinos surgiu de trás de uma tapeçaria velha.

- Opa!-se espantou o garoto. Era Zambine.

A garota do seu lado não era conhecida de Hermione, mas estava numa situação muito desagradável. A camisa da garota estava tremendamente amassada e ela tinha marcas vermelhas no pescoço e na parte visível do colo dos seios. Pra completar, tinha um sorriso bem malicioso no rosto.

- Olá, Zambine!-cumprimentou Draco, com um sorriso amigo no rosto.
- Malfoy!-cumprimentou o moreno de olhos azuis.-Hum, vejo que está com sua nova namorada. Olá, Hermione.-terminou o garoto, examinando Hermione de cima a baixo com os olhos brilhantes.

Hermione se sentiu suja diante do olhar ambicioso que o moreno lhe lançava, e devolveu com o olhar mais mortífero que podia.

- É Granger pra você.-respondeu ela, ríspida.
- Que nervosinha! Se deu mal, Malfoy!-riu Zambine, abraçando a sonserina pela cintura.
- Eu gosto assim!-respondeu Draco, repetindo o gesto do amigo e recebendo um olhar bravo da menina.
- Bom, está vago se quiserem usar.-disse Zambine apontando para a tapeçaria.
- Bom...Divertimento!-disse a sonserina, olhando fixamente pra Draco, enquanto passava a língua de leve nos lábios.

Hermione fechou as mãos com força e respirou fundo enquanto encarava a garota. Ouviu Draco e Zambine se despedirem, e só relaxou ao ver o “casalzinho” sumir na entrada da Sonserina.

- Nojenta!-xingou Hermione se soltando do loiro com raiva.
- Ui, nervosinha!-brincou Draco, divertido com a raiva da garota.
- Você viu como aquela vaca estava te olhando?-perguntou Hermione, sem perceber que seu rosto estava consideravelmente vermelho.-Parecia que ia te comer com os olhos! Aposto que se não estivesse aqui, aquela criatura pularia no seu pescoço!
- Ah, Granger, não precisa ficar com ciúmes! Você sabe que eu sou todo seu, não sabe?-perguntou o loiro agarrando-a pela cintura enquanto tinha um sorriso divertido no rosto.
- Me solta, imbecil!-reclamou Hermione, em tom baixo e ameaçador.
- Sem graça!-reclamou o loiro soltando-a e levantando a tapeçaria velha, e passando por ela.

Hermione foi atrás do garoto, deixando a tapeçaria cair, deixando-os no escuro. Hermione sem conseguir enxergar nada se deixou ser guiada por Draco. Ele a puxou pelo braço por aquele corredor estreito até que Hermione se sentiu em um lugar um pouco maior, pela mudança do ar.

- Lumus totalis!-murmurou Draco e os archotes nas paredes se acenderam.

Estavam numa saleta minúscula, um quadrado perfeito. As quatro paredes eram desprovidas de qualquer pintura ou imagem a não ser uma, que ficava de frente para o corredor escondido sob a tapeçaria. Nesta, havia o símbolo de Hogwarts em ouro e os olhos das mascotes de cada casa eram feitos de pedras preciosas de acordo com as cores das mesmas. De resto, nada demais.

- Não entendi! O que isso aqui tem de mais?-perguntou Hermione depois de olhar atentamente para o símbolo da escola.
- Na verdade, nada. Mas, nós, Sonserinos, temos um certo carinho por isso aqui!-respondeu Draco se sentando no chão.
- E por quê?-perguntou ela sem entender, encostando-se na parede oposta.
- Você não percebeu o que o Zambine quis dizer com o “está vago”? Este lugar é uma espécie de local para encontros. Mas não encontros amorosos, é mais uma coisa carnal.
- Carnal? Você não está querendo dizer...-começou Hermione com uma cara de nojo.
- Ah, qual é, Granger! Você não acha que aquela garota tava daquele jeito por nada, não é? Eles estavam dando um bom amasso aqui dentro, e quem sabe, alguma coisa a mais!-terminou ele, divertido.
- Eca!-disse ela com nojo, desgrudando rapidamente da parede.
- Ah, Granger, não vai me dizer que você aquele ruivo imbecil nunca deram uns amassos pelo colégio? Faça-me o favor!-riu-se Draco, levantando.
- Não fale do que você não sabe, Malfoy! O único especialista em amassos aqui é você!-respondeu Hermione impaciente.
- Ê, quanto estresse! Você não aceita brincadeiras, não?-reclamou Draco.
- Não! E por favor, não meta Rony no meio!-continuou Hermione.-Só porque estamos com problemas não precisa descontar sua raivasinha com brincadeiras idiotas sobre o meu relacionamento com ele.E desfaça essa cara de besta, Malfoy!-reclamou ela, começando a andar de um lado para o outro.
- Ai, não coloque o Roniquinho gay no meio, Malfoy!-disse o loiro, se levantando. Hermione percebeu que ele estava começando a ficar com manchas vermelhas no pescoço.
- Não o chame assim!-reclamou ela um pouco mais alto.
- Por que? Vai negar que aquele ruivo não tem jeito de gostar de um bom...-e fez um movimento com as mãos que fez Hermione o empurrar pra trás.
- Cala a boca!-gritou ela, se irritando em ver um risinho de deboche no rosto do loiro que não perdia a pose apesar de estar quase explodindo de ciúme por dentro.-Ah, Merlin, me dê paciência! Como pode ser tão, tão...
- Gostoso? Lindo? Maravilhoso?-perguntou Draco.
- Não, eu estava pensando mais em...Loiro de farmácia tremendamente burro e esnobe?-perguntou ela, cruzando os braços enquanto levantava uma das sobrancelhas.
- E você é uma tremenda copiona! Aprendeu com quem a levantar a sobrancelha desse jeito?-perguntou Draco se aproximando dela enquanto aproximava a mão do rosto dela.
- Uh! Você me irrita!-reclamou Hermione, virando-se de costas para o loiro.
- A recíproca é verdadeira!-respondeu o loiro, apenas para deixa-la mais irritada.
- Como se eu me importasse muito com isso!-zombou Hermione, ainda de costas, sentindo seus olhos lacrimejarem. Olhou para o brasão de Hogwarts e disse, sem pensar.-Que os fundadores de Hogwarts me dêem forças para lutar!

Então, a pequena saleta estremeceu, e a garota cambaleou pra trás caindo em cima de Draco.

- Êta, porra! O que você fez, criatura?-perguntou ele, se apoiando na parede enquanto a segurava pela cintura.
- Eu? Eu não fiz...Nada!-começou ela, parando em seguida ao ver a parede do brasão deslizar vagarosamente pra dentro da outra parede, revelando ser uma entrada secreta pra outro cômodo.
- Mas o que que é isso?-perguntou Draco, sentindo a garota escapar de suas mãos e se encaminharam para a abertura.
- Se você não sabe, eu é que não vou saber! Nunca li nada disso em “Hogwarts, uma história!”.-respondeu Hermione, encarando o vazio negro revelado pela parede.
- Eu muito menos!-respondeu ele, se aproximando junto dela.
- Já leu “Hogwarts, uma história”?-perguntou ela, atônita.
- Mas é claro! Que pergunta idiota!-retrucou Draco.

Hermione não se deu o trabalho de responder e avançou para o breu. Para sua irritação, Draco passou na sua frente com a varinha em punho e entrou na sua frente.

- Eu não tenho medo de escuro, sabia, Malfoy?-perguntou ela, ao tentar entrar novamente e receber ordem para ficar parada onde estava.
- Melhor prevenir do que remediar, Granger!-respondeu o loiro lá dentro.-Lumus totalis!-repetiu ele, dizendo um palavrão logo em seguida.
- O que foi?-perguntou ela, curiosa, entrando também.

Estavam realmente em um outro cômodo. Olharam em volta, atônitos. Estavam em uma sala ampla e retangular, e os moveis estavam cobertos por lençóis brancos. Draco olhou pra Hermione com uma cara marota, que ela respondeu com um brilho esperto no olhar. Segundos depois e já estavam arrancando os lençóis, enquanto a passagem se fechava as suas costas. Logo o chão estava coberto por lençóis e os móveis se mostravam. A sala era dividida em dois ambientes. O primeiro, tinha uma grande mesa redonda de madeira escura rodeada por confortáveis cadeiras. Na parede, quatro armários de portas de vidros estavam vazios. Eram iguais, mas com uma pequena diferença: cada um tinha incrustado o brasão de cada casa de Hogwarts. Era ali, encostada na mesa, que Hermione se encostava, observando Draco acender uma enorme lareira no outro ambiente da sala. Este ambiente era como uma sala mesmo. Tinha um divã vermelho, uma mesinha de centro combinando com a maior e um par de poltronas também vermelhas. Estavam todas viradas para a imponente lareira de pedra agora acesa. Acima da lareira, uma faixa um pouco velha tinha bordado o brasão de Hogwarts. Aos poucos, a sala foi ficando mais aconchegante. Draco se sentou no chão, a fim de aquecer-se enquanto Hermione se aproximava dizendo:

- Se parece com a sala dos monitores do 3º andar.
- É, mas está desativada. Por que será?-perguntou Draco, olhando-a.
- Não faço a mínima idéia!-respondeu Hermione, dando de ombros enquanto olhava para o fogo.

Permaneceram em silencio depois daquilo. Draco permaneceu em silêncio por não querer brigar com Hermione. Ela, por sua vez, ficara em silêncio pelo mesmo motivo. Sabia que se abrisse a boca acabaria discutindo com o loiro e essa idéia não a agradava nenhum um pouco. Só de lembrar da briga de manhã, ela sentia seus olhos lacrimejarem novamente...Por que raios andava tão sensível daquele jeito? Ela passou a mão pelo rosto disfarçadamente para impedir que as lágrimas escorressem, mas o loiro percebeu o movimento e perguntou:

- O que foi, Granger?
- O que? Nada, não.-respondeu Hermione baixando o rosto, sem convencer Draco.-E não pergunte novamente, Malfoy, se não quiser que fique nervosa.
- Certo...Você vai continuar muda?-perguntou Draco, mostrando-se impaciente.
- Quem está mudo é você!-retrucou ela.
- Está sendo infantil, Granger?-perguntou Draco, com um ar animado.
- Ah, esqueça!-disse ela, em tom de quem encerra o assunto que não agradou Draco.
- Está querendo encerrar o assunto?-perguntou ele.
- O que acha?-perguntou Hermione, encarando-o.
- Não gosto disso. Prefiro eu mesmo terminar o assunto.
- Claro, é um convencido.-disse Mione.
- Não menos que você, criatura.-retrucou ele, fazendo-a fechar mais a cara.-E já que quero terminar o assunto, vamos iniciar algum. Ande, você vai ou não vai me contar que história é essa do reflexo? Eu ainda não entendi o que você disse.
- Certo, vou te contar. Bem, depois da última aula da tarde, eu fui pra Grifinória porque precisava tomar um banho. Na verdade, eu pretendia tomar meu banho e dormir até amanhã de manhã. Só que na hora que sai do meu banho, me senti muito...Estranha.
- Estranha como?-perguntou o loiro, interessado.
- Eu não sei. Não consigo explicar o que eu senti na hora. Só sei eu quando me olhei no espelho, me senti diferente. Foi como se o meu reflexo não fosse realmente meu. Eram os meus cabelos, os meus olhos, as minhas mãos e mesmo assim era como se não fosse eu...Você consegue entender?
- Francamente? Não. Essa coisa de você dizer que você parecia ser outra pessoa...Não sei, é muito estranho. Mas, e daí?
- Bom, aí eu comecei a me vestir e a Lilá pareceu querendo conversar. Logo depois, a Parvati apareceu dizendo que você estava me esperando lá embaixo para o jantar. Na hora, eu não quis descer e pedi pra ela inventar alguma desculpa pra mim. E ela foi.
- É, ela encheu minha cabeça com idéias mirabolantes e quando disse que queria conversar com você ela resolveu me explicar como eram os problemas femininos...Aquela garota é biruta!-reclamou Draco, se lembrando com um pouco de nojo da carinha feliz de Parvati.
- É, ela é muito exagerada ás vezes...Então, a Lilá me deixou sozinha no banheiro e foi para o quarto. Eu já estava vestida e tudo, mas resolvi prender o meu cabelo. Quando voltei a atenção pro espelho, lá estava ela.-terminou Hermione, baixando a voz consideravelmente.
- Mas, e aí? Onde ela estava?-perguntou Draco, curioso.

Hermione desviou os olhos para o fogo e abraçou as pernas como sempre fazia quando estava apreensiva. Antes de perceber, já estava falando:

- Eu apoiei minhas mãos na pia e a vi. Idêntica a mim, a outra garota estava encostada no boxe. Ela estava vestida com as roupas da Grifinória e tinha os braços cruzados. Sorria pra mim de uma forma estranha. Era um sorriso acolhedor e sincero, mas ao mesmo tempo, era um sorriso de saudade. Os olhos dela, idênticos aos meus, refletiam saudade...E tristeza. Ela estava feliz por me ver, e triste ao mesmo tempo. Então, ela colocou a mão dentro do bolso e puxou a varinha. Eu estava tão atônita que pensei que ela fosse me atacar, mas ela sem dizer nada, apenas escreveu Rei das Serpentes no espelho. Eu tentei perguntar o porquê daquilo, mas ela começou a desaparecer, desaparecer...E sumiu sem deixar nenhum rastro...E foi aí que eu entendi!
- Entendeu...o que?-perguntou o loiro.
- Entendi, -Hermione virou-se inteira pra ele com um brilho ansioso no olhar-Entendi que a tal aparição estava querendo me dizer alguma coisa relacionada com a frase. Então, eu me lembrei que Salazar Slytherin era chamado de...
- Rei das Serpentes! Faz sentido, Granger!-cortou-a Draco, parando pra pensar.
- É, aí eu me lembrei da sensação que tinha sempre que me aproximava do quadro daqui de baixo. Era como se alguma coisa estivesse me atraindo pra dentro do quadro, e foi aí que pensei que essas palavras podiam ser uma senha pra revelar alguma coisa por trás do quadro. Então eu gritei pra Lilá descer e dizer que eu já estava descendo, troquei de roupa e desci. É por isso que eu saí correndo! Era uma esperança, Malfoy, entende? Podíamos descobrir tudo essa noite por causa dessa aparição! Foi por isso que saí correndo!-terminou Hermione, dando ênfase ao final.
- É, mas não era uma senha. Não aconteceu nada com o quadro, você viu!
- É, e me sinto horrível por isso. Eu já não estava bem antes, agora me sinto pior. É como se estivesse afundando em um poço, sabe? Só de pensar que talvez eu pudesse ver a pessoa, aquela pessoa que acenou pra mim hoje, me dá uma coisa no coração. E só de pensar que pensei errado e que não faço a mínima idéia do que a minha aparição quis dizer...Ah, eu tenho vontade de me matar!-disse a garota muito rápido, deitando-se no chão em seguida e fechando os olhos.
- Você tem vontade de se matar? EU tenho vontade de matar é esse cara...Por falar nisso, Granger, você tem certeza de que era o nosso louco que você viu?
- Mas é claro que eu tenho!
- É que eu não sei, não que eu não acredite em você, mas...Velho, você não acha que é muito estranho esse cara aparecer assim, de repente?
- De repente? Já estava demorando muito para ele aparecer se quer saber!-retrucou Hermione.
- Será mesmo? Eu realmente acho que não...Quer dizer, é muito estranho mesmo!
- Só porque é estranho, não significa que seja impossível, Malfoy!-disse Hermione, metendo as duas mãos no chão.
- Você quer parar de ser nervosinha, Granger! Escuta, tá bom, esqueça o que eu disse, tá legal? Mas, já que você tem certeza que viu o cara, nós temos que arranjar um jeito de descobrir quem é!-disse Draco.
- Nós? Você vai descobrir quem é! Você esqueceu que o tal cara é um dos seus amiguinhos, Malfoy?-perguntou Hermione, cruzando os braços.
- Meus amiguinhos? Mas do que você tá falando?-perguntou Draco, sem entender.
- Esqueceu que o tal cara é um sonserino?-perguntou Hermione, se levantando fazendo cara de deboche.
- Ah, isso...-disse Draco devagar, se levantando também e se sentando em uma das poltronas-Hei, você não está achando que um dos meus colegas é o tal cara?
- Não estou achando, Malfoy...Tenho certeza!-respondeu Hermione.-Escute, não tem como negar que entre todos os alunos do colégio, só os garotos da Sonserina poderiam fazer uma coisa dessas...
- Por que “entre todos os alunos”? Pode ser uma lésbica, sabia?
- Quer parar de brincar? Estamos tratando de uma coisa séria, ok?-perguntou Hermione, andando de um lado pro outro.
- Aham...
- Malfoy!-repreendeu Hermione, nervosa.
- Está bem, Granger! Ah, Merlim, dá-me paciência.
- E então? Você vai tentar descobrir ou não?-perguntou ela, já impaciente.
- Não...Escuta, Granger, realmente, só porque você viu alguém usando uma capa sonserina, não significa que este seja um sonserino!
- Não, ele é um Lufa-Lufa que gosta de cobras!-disse Hermione, debochada.
- Ah, quer saber, pra mim já chega! Se você tem tanta certeza assim, então me diga, porque não pode ser um dos seus coleguinhas grifinórios?-perguntou Draco, se levantando e cruzando os braços.
- Não seja ridículo, Malfoy, você sabe muito bem que nenhum grifinório seria capaz de fazer uma coisa dessas!
- Será que não? Claro, é realmente muito difícil já que vocês, grifinórios, são imbecis o suficiente pra entender qualquer coisa – Hermione bufou em resposta – aposto que um deles seria capaz de fazer qualquer coisa! Pense bem, Granger, que tal o Potter?
- Não comece, Malfoy, se não...-começou Hermione, sendo interrompida.
- Ele tem aquela cara de bosta, mas é bem capaz de fazer isso! O santo Potter, o órfão, o coitado! Quem iria imaginar, não é, Granger?-perguntou Draco, rodeando Hermione só pra irritar.
- Harry não seria capaz de fazer uma coisa dessas! Ele é meu amigo!
- Ah, claro, é aí que entra o papo da amizade, não é? Ele é meu amigo, meu camarada, meu companheiro de todas as horas! Ah, fala sério, Granger, vou ficar decepcionado se você realmente acreditar nisso!
- Pois fique, não me importo! Você só está falando tudo isso porque tem inveja da pessoa maravilhosa que Harry é. E também porque sabe que estou certa sobre os sonserinos!-disse Hermione, sem ligar para o que ele dizia-Mas, eu não vou gastar a minha preciosa saliva discutindo com você!
- Ah, claro!-respondeu Draco, se sentando de volta na poltrona, com ar soberano - É porque o Weasley vai sugá-la da sua boca quando voltar pra Grifinória, não é?
- Ai, CALA A BOCA!-gritou Hermione enfurecida, apoiando as mãos nos braços da poltrona e aproximando o rosto vermelho do de Draco - Você não tem moral pra falar nada sobre o Rony, entendeu? Se você sequer pensar nessa besteira de novo, eu juro que...
- Que o quê, Granger?-perguntou Draco, levantando o seu corpo da poltrona de modo a ficar a centímetros do rosto da garota-Você vai defender o seu namoradinho de merda com toda a sua coragem grifinória, é?

Hermione ficou sem fala. Ela respirava fora de ritmo, enquanto sentia os olhos cinzentos do loiro cheios de raiva e tristeza a fitá-la. Foi então que percebeu como o corpo dele estava próximo do seu, roçando nela cada vez que o loiro respirava. E então, ela sentiu seu rosto ficar ainda mais vermelho, mas agora por um calor que dominava seu corpo. “ É a raiva”, pensou Hermione sem acreditar em si mesma. Seus olhos castanhos chocavam-se contra os cinzentos dele, e ela se sentia como se estivesse mergulhando num poço negro e sem fim, onde se cabia mais tristeza e dor do que parecia caber...

- Eu odeio você!-murmurou ela, em tom baixo e ameaçador.

...Mas, ainda sim, ela tinha certeza de que havia uma fraca fagulha viva bem lá no fundo, só esperando alguém pra acendê-la.

- E eu adoro você!-retrucou Draco, puxando-a.

Incrível o brilho no olhar do loiro. Lindo o sorriso safado que apareceu naquele instante. Inevitável o beijo que aconteceu. Draco puxou os braços de Hermione, desequilibrando-a, e ela caiu em cima dele, os lábios colando de forma inusitada. Hermione arregalou os olhos, mas logo os fechou, enlaçando o pescoço de Draco com os braços e sentindo as mãos dele em sua cintura. As mesmas mãos que subiram na direção da cabeça da garota, soltando seus cabelos do ohashi, e acariciando os rebeldes com carinho, apesar de puxá-los de vez em quando. Não foi um beijo doce, mas apaixonado; não carinhoso, necessitado, fogoso...Os dois se completavam, se encaixavam, mesmo sem ensaio. Sabiam cada movimento que deviam saber mesmo não tendo aprendido nada. Após alguns minutos, eles se separaram devagar, ainda de olhos fechados. De testas encostadas, abriram, juntos, os olhos e se encararam.

Hermione percebeu que já estava em cima da poltrona, de joelhos, sobre o loiro. Envergonhada, ele abaixou o rosto e sentiu seu corpo ceder sobre os joelhos, sentando no colo do garoto. Draco, por sua vez, olhava atônito pra ela. O que tinham acabado de fazer? Respirava ruidosamente, percebendo cada movimento que Hermione fazia. Tinha pensado tanto nas últimas horas em como a beijaria de novo, e agora, se via, de repente, sem ar e vermelho, com as mãos seguras debaixo daqueles cabelos rebeldes. Ao vê-la baixar o rosto e cair sobre suas pernas, o loiro pegou as duas mãos e levantou seu rosto devagar. Hermione levantou os olhos pra ele, e sentiu-os encher de lágrimas.

- Granger...O que foi?-perguntou Draco, preocupado.
- É que...Malfoy, eu...

Ela ainda tentou dizer, mas não conseguiu e começou a chorar. Draco a abraçou com força, preocupado. De todas os beijos que imaginara, nenhum terminava com Hermione chorando. Disso ele tinha certeza! Gritando, lhe dando um tapa ou dizendo que ele era lindo, tudo bem, mas chorando? Realmente, o loiro não imaginara aquilo! De repente, a menina se levantou, secando o rosto.

- Aonde você vai?-perguntou Draco se levantando e agarrando seu braço.
- Eu...Eu vou embora! Nos vemos, amanhã, Malfoy!-disse Hermione, olhando pra qualquer lugar que não fosse ele.
- Por que, Granger? Anda me diz, o que você tem?-perguntou Draco, forçando-a olhar pra ele.
- É que eu...Olha, Malfoy, não dá pra continuarmos desse jeito! Eu não quero começar alguma coisa que não vá dar certo...
- Você não quer...?-perguntou o loiro, entendendo o que ela queria dizer.
- Não, não é isso...
- Quer dizer que você quer?-perguntou ele, se animando.
- Não, também não é isso!-disse ela, confusa.-É que...Ah, eu não sei, ta legal?

Hermione se soltou de Draco e começou a andar de um lado pro outro, enquanto dizia, nervosa:

- As coisas andam tão complicadas do jeito que estão, tão confusas e difíceis! Não precisamos disso só pra piorarmos as coisas, Malfoy! Desse jeito, vamos nos machucar mais do que já estamos machucados...Eu não quero acordar amanhã e receber alguma outra coisa que pode nos matar!-Hermione se virou e encarou um Draco que olhava pro chão-Está entendendo? O que eu quero dizer é que...
- Eu sei o que você quer dizer, ta legal?-disse Draco, levantando os olhos e a encarando.-É a mesma coisa da última vez, não é? “Eu me importo com você, não quero que morra!”-imitou ele, com voz fina-Tudo bem, Granger, vamos tentar nos segurar da próxima vez e pronto. Vamos tentar não nos agarrar sempre que estivermos gritando um com o outro.
- Não...Malfoy, eu...-tentou dizer Hermione, sentindo duas lágrimas grossas escorrerem pelo seu rosto.-É que...É que...
- EU entendi, ok?-disse Draco novamente, cortando-a. -Nos vemos amanhã, Granger.
- Tá certo.-respondeu Hermione, secando as lágrimas que insistiam em cair.

Virou-se, e deu dois passos antes de se voltar pro loiro novamente. Olhou pra ele nervosa e passou por ele, pegando o ohashi caído do lado da poltrona, enquanto era observada por Draco. E enquanto refazia o caminho, disse pra ele:

- Parece que você finalmente terminou o assunto.

E sem obter resposta, observou a parede se abrir e saiu por ela, sem ver um Draco derrotado se deixando cair na poltrona.

Hermione passou pela saleta, pelo corredor espremido e finalmente pela tapeçaria velha. Continuou andando, totalmente indiferente pelas masmorras desertas até chegar ao Saguão de Entrada. Encostou-a parede, no mesmo lugar onde Draco a encostara duas noites atrás e recomeçou a chorar. Chorava de tristeza, de raiva, de qualquer coisa que ela não sabia o que era. Ficou ali um bom tempo, revendo cada parte do beijo, sentindo as mãos de Draco em sua cintura, em seus cabelos...Ah, aquilo a deixava louca!

- É melhor eu voltar pra Grifinória antes de fazer alguma besteira!-murmurou ela, subindo as escadas.

Mais alguns minutos de caminhada e ela estava de volta a quadro da Mulher Gorda. Esfregou os olhos, tentando em vão, tirar aquela aparência de choro e acordou a Mulher Gorda.

- Ah, o que?...Ah, é você de novo! Onde está seu namorado?-perguntou a pintura apertando os olhos pra enxergara a penumbra atrás de Mione.
- Viracocha!-disse a garota, ignorando a pintura.
- Xi, não quer conversar?-perguntou a Mulher Gorda, parecendo decepcionada.-Oras, então entre de uma vez e não encha mais o saco.

A passagem se abriu e Hermione se precipitou pra dentro. Foi andando, já pensando como seria bom deitar em sua cama e dormir, esquecendo os últimos acontecimentos. Já estava pondo o pé no segundo degrau da escada quando ouviu uma voz conhecida chamando-a.

- Hermione? Será que dá pra gente conversar?

Respirando fundo, ela se virou pra encarar Harry sentado no divã.


N/A: *Nath se aproxima devagar do PC, senta...Ai, meu Deus, quase ela leva um Crucio!* CALMA, GENTE!!!!!!! Tá, tu sei que faz mais de um mês que eu não posto, me desculpem!!!!!!!!

Fiquei um tempo sem PC e também tive um certo bloqueio, sabe, não saia nada., me senti a criatura mais burra da face da Terra...MAS, TUDO BEM, JÁ PASSOU!!!!= P

E AÍ, TODO MUNDO FELIZ??? Muita gente parou de ler a fic nesse cap, então acho que tudo que aconteceu nele deu pra suprir a ansiedade, né? GOSTARAM DO B-JU?????????????????????? Ah, eu amei escrever esse beijo, foi o mais lindo, DE TODOS!!!!!!!!

Bom, vamos aos reviews:

TAAA_HP:Como vc foi uma das últimas a comentar e como é nova na fic...VC VEM PRIMEIRO!!!!!!! Q BOM Q GOSTOU TANTO!!!!É, o suspense da fic irrita até a mim depois de um tempo...Coninue comentando, por favor!!!!!!! B-JUS, MININA!!!!!!

LANA: CREDO, TO ASSUSTADA!!! Vc já contou quantos coments vc deixou aqui???? Quinze coments, QUINZE!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Achu q vou fazer vc morrer de tendinite...E, por Merlin, NAUM PARA DE EESTUDAR POR CAUSA DA FIC!!!!!!!!! NAUM QUERO SER RESPONSÁVEL POR NOTAS VERMELHAS EM MAT(já bastam as minhas ^^)!!!!!!! BRIGADA MESMO PELO CARINHU, MOLE!!!!!!!!!!!! Saiu msm do Kukut, te procurei e naum achei...Q peninha! Ah, eu sei, o cap tinha de ser seu presente de níver, mas naum deu...NAUM SAIA NADA DESSA MINHA CABECINHA!!!!!!!! Mas o b-ju do Draco e da Mione serve como desculpa, né???? TE ADORU, FADINHA!!!!!!!!!!!!

ANNA FLETCHER: Pronto, ATUALIZEIIIIII, e matei sua curiosidade...Gostou, Anna? Vlw pelos coments, tá? B-jocas...

MÔ: KKKKKKK!!!!!!!!!!!!! DOREI O BREXA!!!!!!!! Tenhu um migo com esse apelidu, sabia, me matei de rir qnd vi!!! Vc é uma figura!!!! =P Tenhu certeza de que sua saúde mental é mt boa e...20 CAPS??? VC QUER FRITAR MINHA CABECINHA, QUER???? Mais a musiquinha e os ZZZZzzzz...VC ME DIVERTE!!!!!!!!!! GOSTOU DO CAP, HEM? Tb, depois de tantus pedidos espero q esteja bom...TI LOVÚ!!!!

MORGANA PENDRAGON: Oi, minina, mais uma Morgana na minha vida!E, SIM, ELA VIU O DOIDO!!!!!!! Ah, quem naum queria ser consolada pelo LINDO DRACO MALFOY!!!! Só o fato de ele ser loiro já é um consolo!!!!!!!! Tualizei e espero q vc tenha gostado do cap...B-JOCAS, BRUXINHA!

FLORA POTTER: Oi, Flora!!! AH, DORU SEUS MONTES DE ATUALIZA!!! Gostou do cap??? Muito fofu o b-ju, né? Brigadão pelos coments e pelos votos, viu? B-JOCAS!!!

ANINHA POTTER: Aninha, naum fique triste pensando no q vai acontecer de ruim com os nossos pombinhos...SÓ O MAL Q ELES CAUSAM UM PRO OUTRO JÁ É SUFICIENTE!!!!! DOIS CABEÇAS-DURAS, NÃO ACHA??? Vlw pelo coment...BJUS!!!

PATRICIA MALFOY: ÊÊÊ!!!!!! Mais elogios, vou ficar mal acostumada!!!!!! Ah, vlw, mesmo pelos coments!!!! O OBJETIVO É ESSE MESMO: CONCILIAR SUPENSE E ROMANCE DE UM JEITO QUE NÃO FIQUE MT CANSATIVO!!! BRIGADA MSM POR ESTAR PRESENTE NAS MINHAS FICS!!!!!!!!!!!!!!!!! B-jus, Pat! Ah, qnd eu tiver tempo(q é quase nunca) passu na sua fic, tá?

THATI: KAWAI MAIS LINDA DESSE MUNDUUU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ÊÊÊ, GANHEI UM MONTE DE TUALIZA!!!!!!!!!! Artista,, vlw msm por comentar...GOSTO DO B-JO??? FICO PERFEITO, NÉ??? É, a Mione tá sofrendu PACAS!!! Mas... NAUM TEM PROBLEMA!!!!! COM AQUELE LOIRO LINDU P/ GANHAR B-JO EU NAUM ME IMPORTARIA DE SOFRER!!!!!!! E,ah, a cobra não era pra ela, naum, viu? Foi um acidente...O ALVO ERA MSM O MALFOY!!!! Mas, grças a Merlin, os dois estão bem...MACHUCANDO UM AO OUTRO!!!!!!! Fazer o q, né? É O LOVE!!!!!!!!!!!!! TI LOVÚ MUTCHO!!!!!! KAWAISS FOREVER!!!!!!!!!!!!!

EVELIN L. BLACK: Tive que abreviar, seu nick é mt grande! ^^ TUDO BEM, EVELIN???? Muito obrigada por todos os coments eu naum mereço, sou mt devagar pra atualizar a fic...MAS NAUM FIQUE BRAVA COMIGO, ´TA? BRIGADA PELO "FIC PERFEITA"....Naum é pra tanto, né? Apenas um hobbie...Eu gostu de judiar dos meus leitores...KKKKK!!!!*risada maléfica* Brincadeirinha e desculpa pela demora...B-JOCAS, LOVE!!!!!!

²LANIN²: OIE!!!!!!! Gente nova na fic...Q bom q vc gostou tanto! é, eu sei q parece bastante com o Fantasma da Ópera...TB SOU APEIXONADA POR ESSA HISTÓRIA!!!! E, segredu, me inspirei bastante nela pra escrever essa fic!!! PRÓX JK DA VIDA????? Naum, eu naum mereço tanto! Só os coments já me deixam feliz...B-JOCAS!!!!!!!

SARA: Brigada pelo coment, moxinha...NOTA 1000 P/ TI POR TER TANTA PACIÊNCIA COMIGO!!!! Vlw por me acompanhar em todas as fics, brigada msm pelo carinhu!!Gostou do cap? Credu, to perguntando issu p/ todo mundo...^^B-JUS, SARINHA!!!!!!!

JÉSSY GRANGER: NAUM, NAUM SE MATA!!!!!!!!!!!!!! Eu sei q mereço o remorso, mas NAUM SE MATA!!!! Imagina, vc lá, no além, sem saber o final da fic...AI EU QUE MORRO!!!!!!!! Capituluzinhu? Achu q existe, pelo menos na net existe ^^!!! Naum precisa deixar 5000 coments, naum, já tomei vergonha na cara e tualizei...E EU PROMETO SER MAIS RÁPIDA DA PRÓX VEZ, TÁ??? B-JOCAS!!!!

LAIS BAPTISTA GONÇALVES:Nota mil pro seu coment...Brigada msm por comentar, espero q goste dos outros caps...B-JUS POTTERIANOS!!!

HUMILDEMENTE JU:AAAAAHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!! GOSTOU, JU, GOSTOU???? A partir de agora a fic recomeça, he? Queru sua presença aqui sempre...E RITUAL?????? VC DESISTIU POR ACASO????????? TI LOVÚ, MIGUXA!!!!!!!

BEATRIZ GRANGER MALFOY:Oi, Bia|! Finalmente eu atulizei, né, vc comentou já faz um tempão...FOI MAL!!!! TOMARA Q VC GOSTE DOS CAPS NOVOS, ESCREVI COM TODO O CARINHU...B-JOCAS P/ TI TB!!!!!!!!!!!

Ufa, acabou!! Muito obrigada, meninas, por todos os coments, viu? Vocês são as pessoas que fazem meu dia feliz!! Obrigado mesmo!! B-jocas, Nath Malfoy!^^

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.