FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. O MOMENTO QUE TODOS ESTAVAM ES


Fic: UM VERÃO TROUXA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPÍTULO XIX: O MOMENTO QUE TODOS ESTAVAM ESPERANDO






Ron viu Hermione desabar em uma cadeira e tomar um gole pequeno do refrigerante dela.




Ele fez uma resolução de concentrar-se na música que estava tocando e desfrutar da dança.




Apesar de sua resolução, Ron não pôde impedir de verificar Hermione todos os minutos, ou assim. Depois que da terceira ou quarta vez que ele olhou para a mesa onde ela estava sentando, ele pensou ter visto algo refletido na bochecha dela nas luzes estranhas do clube. Ela estava - ela estava chorando? Ela não o notou olhando e assim ele deixou de dançar e esticou-se por cima das cabeças das pessoas que dançavam em frente a ele para ver mais claramente. Viu que algumas lágrimas estavam fluindo em suas bochechas. Ele sentiu-se terrível.




Hermione limpou os seus olhos e olhou para cima. Ela o viu fitando-a, e então, apertando os seus lábios, se levantou e começou a abrir caminho pela multidão de dançarinos. Assim que ela passou por ele, ele gritou: "Hermione!" mas ela o ignorou e continuou navegando pelas pessoas que giravam de modo selvagem na pista de dança abarrotada.




Havia só uma coisa a fazer. Ignorando seu par de dança, Ron começou a escarranchar pela multidão atrás de Hermione. Ele assumia que ela estava se dirigindo a uma porta, mas na confusão parecia estar indo diretamente a uma parede do lado oposto do salão. Quando alcançou a parede, ela parou e olhou violentamente ao redor, procurando um modo para partir.




As pernas longas de Ron a alcançaram depressa, e ele tocou o seu ombro. Ela virou seu rosto para ele e ele viu que as lágrimas estavam agora correndo livremente por seu rosto, embora ela não estivesse fazendo nenhum barulho.




"Hermione - não faça isso - não chore, por favor", ele implorou.




"Eu não estou chorando", declarou Hermione determinada, esfregando o seu rosto depressa. "Está quente aqui dentro e há alguma coisa em meu olho. Eu estava apenas tentando descobrir um caminho para fora deste lugar."




Ron agarrou o outro ombro dela e a encarou ferozmente, mas ele não estava certo do que fazer ou dizer em seguida.




Hermione olhou furiosamente para ele. "De qualquer maneira, o que importaria a você se eu chorasse? Você obviamente não se preocupa com meus sentimentos, e você obviamente não pensa muito em mim."




Ron boquiabriu-se sem palavras a Hermione. Ele corou e estava a ponto de lançar uma tirada sobre como ela estava louca e não estava sendo justa, quando as vozes de Fred e Jorge voltaram a assombrá-lo. FIQUE NO CONTROLE. Ele tomou fôlego muito profundamente, e, disse lentamente: "Por que você está dizendo uma coisa assim?"




"Você há pouco pensa que eu corro por aí me atirando a qualquer garoto que mostra um interesse em mim? Você pensa que eu seduziria alguém conscientemente?"




“No que você está interessada?" Esta conversa estava começando a parecer uma discussão e não era ajudada pelo fato que eles eram forçados a gritar um ao outro para ouvir em cima das batidas altas da música. Exasperado, Ron agarrou a mão de Hermione e antes que ela pudesse retirá-la, a puxou para a porta do clube. Eles saíram pelo guarda da segurança que carimbou ambas suas mãos de forma que eles poderiam entrar novamente, e emergiram na rua. Há pouco estava começando a escurecer e a temperatura lá fora estava confortável e não muito quente pela primeira vez em dias. Ron deu um suspiro profundo, mas assim que fez isso, Hermione retomou a conversa exatamente de onde ela tinha parado.




"Você - você há pouco assume que porque eu recebo duas cartas de Vitor Krum em uma semana de alguma maneira ele é meu namorado. Você há pouco pensa que se algum menino está falando comigo em um clube que eu o devo ter atraído vir a mim. Você nem mesmo pára pra pensar que talvez você realmente não saiba o que está acontecendo.”




"Certo", disse Ron, sentindo começar a tremer, controle não era uma meta atingível neste momento: “O que eu não sei sobre isso então? Sobre o que Vítor estava escrevendo para você, e, enquanto você estiver nisto, você pode responder minha pergunta de ontem sobre ele ter ou não beijado você.”




"Isso não é NADA de seu interesse."




"Então, eu considero que isso seja um sim!"




"Eu não disse isso."




"Então, o que você está dizendo?"




Os olhos de Hermione estreitaram e ela empinou o seu nariz no ar e disse finalmente: "Se você tem mesmo que saber, ele quis me beijar.”




"E?"




"E, ao contrário do que você obviamente pensa de mim, eu não o deixei.”




Ron a encarou com surpresa: "Bem, por que você apenas não disse então? Por que me fez ter que arrancar isto de você?"




Hermione girou seus olhos e olhou para a parede. Ele não poderia dizer se ela estava brava, ou divertida, ou ambos, "Ron, por que importa a você se Vitor Krum me beijou ou não?"




Ron começou a falar, mas achou que tinha perdido a habilidade. Hermione tinha deixado de chorar, e olhava como se estivesse lutando com ela mesma se lhe contava ou não alguma coisa. Finalmente ela disse: "Bem, eu realmente não acho que eu seja obrigada a contar isto a você, mas eu vou fazer isso de qualquer maneira. Você quer saber por que Vitor estava me enviando todas essas cartas?"




Ron não sabia o que dizer. Ele realmente queria saber. Em algum lugar dentro dele ele sentia que a coisa certa a fazer seria dizer para Hermione que não precisava saber, mas ele não pôde achar as palavras. Felizmente, ela começou a falar novamente, muito devagar: "Quando eu aceitei o convite para a Bulgária, eu falei a ele que eu estava levando meus pais e que eu só estava indo como uma amiga. Ele concordou que estava certo. Quando eu cheguei lá, ele tentou me beijar de qualquer maneira. Eu me pus muito chateada e lhe falei que se ele continuasse fazendo coisas assim que eu teria que deixar de ser amiga dele. Acredite em mim, eu me senti terrível. Ele é um sujeito realmente agradável e não é erro dele que aparentemente eu não seja tão inteligente quanto todo o mundo pensa que eu sou e unicamente goste de um idiota completo e absoluto."




Hermione parou aqui durante um segundo e Ron pensou ter visto um sorriso se formar nos cantos da boca dela. Pela primeira vez na vida, ele esperava que ele estivesse sendo chamado de idiota completo e absoluto. "A carta que eu recebi no outro dia era de Vitor, se desculpando, e perguntando se eu o perdoaria e seria amiga dele. Eu escrevi de volta que o perdoava, e ele escreveu um bilhete de agradecimento para mim. E isso, é tudo que há para saber. Você não se sente estúpido agora que você sabe que tem agido como um idiota total?"




Quando Hermione tinha terminado, ela tomou um profundo e quebrado fôlego, e então começou a chorar novamente. Furiosamente, ela esfregou as lágrimas do seu rosto. Ron ainda não podia formar palavras com a sua boca, embora ele percebesse que estava sorrindo como um idiota. De repente, ele soube o que tinha que fazer. Rapidamente, se aproximou e abraçou Hermione. A cabeça dela alcançou o seu ombro, e ele apertou os braços ao redor dela no mesmo instante que ela chorou na sua camisa. Depois de um momento, ela parecia ter parado, e Ron, beijando o topo da sua cabeça, sussurrou: "Eu sinto muito…Eu sinto muito mesmo… Hermione?" O nome dela saiu roucamente da sua garganta. Ela pisou um pouco atrás para olhar para ele, e assim que fez isso, ele fechou seus olhos, inclinou-se um pouco mais para frente, hesitou pelo o que pareceu uma eternidade, e então, sentiu seus lábios tocarem os dela em um doce, e significante beijo.




Quando eles finalmente tiveram que parar para respirar, Ron afrouxou o aperto ao redor da cintura de Hermione (o qual ele tinha estado agarrando muito firmemente), e eles distanciaram um do outro. Hermione estava o encarando com um olhar de confusão e - aquilo era felicidade? - no seu rosto. Ela olhou diretamente para ele, olhos arregalados, e então olhou para baixo para seus pés, ainda alerta, mordendo o lábio inferior pensativamente. Instintivamente, ele aproximou-se novamente dela, puxando-a para ele. Os braços de Hermione subiram ao redor do seu pescoço e eles beijaram-se novamente.




Eles ficaram de pé contra a parede, beijando-se, no princípio timidamente, e então, um pouco mais ousadamente, durante quase uma hora. Hermione começou distraidamente a brincar com mechas de cabelo vermelho-cobre que descansavam no pescoço de Ron. Ron a puxou para mais próximo e acariciava os braços dela enquanto se beijavam, desfrutando o toque macio da sua pele. Quem poderia saber que as garotas tinham este macio e delicado tato? Quem teria pensado que mechas de cabelo teriam fins nervosos?




Finalmente eles interromperam se afastando por um momento e Ron sorriu timidamente a ela: "Suponho que eu deveria ser um idiota estúpido e fazer você chorar mais freqüentemente".




Hermione tentou o esmurrar de brincadeira no braço mas ele interceptou-a no ar e inverteu o pulso dela para olhar para o seu relógio. Ele arregalou seus olhos: "São quase 11 horas! O tempo voa quando você está se divertindo eu suponho. Talvez nós devêssemos esperar por nossa limusine."




Há pouco então, eles ouviram uma alta buzina ao mesmo tempo em que o carro dos Granger entrou em visão. Se ruborizando violentamente, ambos entraram no banco de trás e, sorrindo feito idiotas, foram de mãos dadas todo o caminho para casa.




FIM







*****






N/T: Olá! Bom, gente, acabou!! Espero que tenham gostado!




Muito obrigada a todos que acompanharam a fic desde o início, valeu mesmo!




Gostaria de pedir a vocês que visitassem minhas songs ("Catedral" e "Amores Imperfeitos") e minha nova fanfic longa (O Encantamento das Almas). As opiniões e críticas de vocês são muito importantes para mim!




Um grande abraço!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Raiane Gryffindor em 01/10/2011

MARA *-* ameeiii

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.