FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. À Três


Fic: Descobrindo os Prazeres da Vida NC18


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo Onze – À Três
N/A: Bem sugestivo o nome desse cap... hehehe ^^

“She always belong to someone else – Ela sempre pertence à outra pessoa”
She Will Be Loved – Marron 5


Harry passou o resto do dia velando o descanso de Hermione. Quando ele adentrou o quarto, algumas horas mais cedo, ela estava dormindo (ou fingia que estava). Ele então sentou-se ao pé da cama e ficou fitando-a até que tivesse certeza que ela estava mais tranqüila.

Ele ainda não podia acreditar que alguém podia ser tão baixo para alcançar seus objetivos. Como alguém poderia sequer tentar fazer mal a alguém como Hermione? Ainda mais ela sendo tão meiga, inteligente, um ser humano excepcional em todos os sentidos. Com certeza, seus sentimentos pela “amiga” iam além da amizade naquele instante.

Como, de uma hora para outra, ele se apaixonara por ela? Bem, ele sabia que não fora de uma hora para outra... Seu sentimento já estava lá, bastou essa maldita prova para que ele se revelasse... Ao lembrar da prova, lembrou-se do motivo por ter aceitado fazê-la: Gina.

Era estranho ele esquecer Gina tão facilmente e se apaixonar por Hermione. Como pôde esquecê-la se foi por ela que aceitou ferir, machucar as pessoas...? O amor seria feito do sentimento dos outros e dele mesmo?

Esses pensamentos o atormentavam. Depois das últimas que disse à Gina antes de deixá-la sozinha, ele colocou-se a perguntar se tudo valera a pena. Se fosse só o seu “amor” pela ruiva que estivesse em jogo, sim tinha valido a pena, porque ele finalmente poderia estar com ela. E, se não fosse esse “amor”, talvez hoje ele estivesse solteiro e sozinho. Não por falta de opções, mas porque não tinha encontrado a mulher dos seus sonhos ainda. E, acima de tudo, se ele não tivesse aceitado essa loucura de prova, talvez hoje Hermione ainda namorasse Rony, eles fossem felizes e ele, Harry, acabasse se distanciando mais ainda dos amigos.

Harry tinha que admitir que ficar longe de Hermione não passava pela sua cabeça nesse momento. Mas será que era o melhor a se fazer? Estragar a vida dela já fora bastante ruim, ainda mais depois do episódio que ela viveu horas antes. Será que ela não estaria mais feliz se estivesse com outra pessoa, que se importasse mais com ela?

Lembrou-se então do que disse à Gina: “Se você estiver bem, os outros que se danem?”. E ele não estava se importando demais com si mesmo quando aceitou aquela idiotice de prova? Não estava sendo egoísta?

Harry chegou à conclusão de que precisava desabafar com alguém. Ele levantou, ajeitou melhor Hermione na cama e saiu do quarto. Já até sabia quem procurar. Ao fechar a porta do quarto, ele esbarrou com Gina.

- Olha, Gi... – ele começou.

- Eu pensei bem, você tem razão. – ela o interrompeu – Fui uma estúpida, Harry. Mas o grupo é muito importante pra mim, assim como você. Apenas tentei unir o útil ao agradável. Seria perfeito ter você no grupo.

- Tudo bem, então. Não vamos mais pensar nisso, ok?

Ela sorriu e assentiu.

– Quer ir a reunião de hoje comigo? Você também é testemunha do que o Draco fez. – Uma sombra passou pelo olhar de Gina, foi como se ela se entristecesse ao lembrar.

- Pode ser... A Isabel vai estar lá? – perguntou Harry.

- Vai... – respondeu Gina, olhando-o desconfiada.

- Eu quero conversar com ela, nada mais, Gi. – ele sorriu. Então, Gina segurou a mão dele e os aparatou.

Harry reconheceu o lugar. Era a mansão dos Malfoy. Ele nada disse até eles andarem pelo grande corredor, virarem à direita e encontrarem uma grande porta de madeira escura. Gina bateu três vezes e ela se abriu. Eles não perceberam, mas ainda estavam de mãos dadas ao entrar, fazendo Draco Malfoy fuzilá-los com o olhar.

Era uma grande sala, escura, apenas com velas flutuantes. No centro havia uma mesa redonda em que Isabel, Malfoy, Kris, Cho e Miguel estavam reunidos. Havia também quatro portas iguais à primeira em cada canto da sala.

- O que ele faz aqui? – perguntou Draco, friamente.

- Eu acho que você já sabe que ele ia entrar no grupo. – disse Gina. Ela não encarava Draco, apenas olhava para cima.

- E eu acho que você sabe que ele tem que passar por uma prova. – contrapôs Draco, fitando-a.

- Não se finja de idiota, seu filho da mãe. – ela retrucou, bufando.

- Ei... O que é isso, Gina? – interveio Cho.

- Esse miserável tentou destruir a prova do Harry. Ele quase estuprou Hermione Granger. – explicou Gina. Os outros permaneceram em silêncio.

- Eu não acredito que você fez isso... – se manifestou Miguel. – Outra vez, Draco?

- Cala a boca! – gritou Draco – Continuem sem Gina e eu. – ele anunciou, segurando a mão livre da ruiva e puxando-a para uma das sub-salas que Harry notara antes.

- Bom, Potter, é o seguinte. – começou Miguel, ao ver Harry abobado com a saída repentina de Gina. – Como você é o novato, vou te deixar escolher duas e eu fico com a que sobrar.

- Eu tenho mesmo que escolher? – perguntou Harry, em duvida.

- Já que é tão difícil... – sorriu Miguel. Ele pegou a mão de Isabel e os dois entraram no outro quarto. – Kris, Cho. Mostrem o seu “showzinho” a ele. – completou Miguel antes de fechar a porta.

*~*~*

Harry nem sabia como, mas estava sentado em uma grande cama de lençóis brancos, num quarto tão mal-iluminado quanto a sala que estava antes. À sua frente, se materializara uma espécie de palco, com uma barra vertical metálica no centro, que ia do chão ao teto. Ele aguardava nervoso por Cho e Kris.

De repente, as garotas saíram do nada, uma vinda de cada lado do “palco”. Cho e Kris vestiam roupas intimas de tamanho mínimo, de couro, que mostravam todas as suas curvas perfeitas.

Elas ficaram uma de frente pra outra ao chegarem ao centro do palco e Harry sentiu borboletas no estomago quando Kris puxou Cho para um beijo excitante. A loira encostou a outra violentamente contra a barra metálica, mas Harry ainda podia ver as línguas se enroscando.

Ele estava atento a todos os movimentos e sentia que não conseguiria se controlar. Quanto mais o beijo aumentava a intensidade e o calor, mais excitado ele ficava. Cho mantinha as mãos na bunda de Kris e esta apertava forte um dos seios da primeira, esfregando-se loucamente. O homem observou Kris retirar o sutiã de Cho habilmente e jogá-lo exatamente onde ele estava. Harry não se incomodou com a peça em seu joelho, pois agora ele estava com a mão direita em seu membro inferior, puxando-o para frente e pra trás compulsivamente.

Cho mantinha contato visual com ele e não desviava o olhar um só segundo enquanto Kris lambia seus mamilos, mordiscando de vez em quando, e fazendo Cho gemer. A medida que a expressão de prazer no rosto de Cho se intensificava, Harry batia mais rápido e mais forte. Kris tirou o próprio sutiã e enlaçou o pescoço de Cho com ele, trazendo-a para mais um beijo.

Então, ao se separarem, Kris se agachou e tirou lentamente a calcinha de Cho. A loira levou seus lábios até o sexo da japonesa sem nenhum medo e começou a chupá-la com determinação e fervor. Harry já estava muito suado.

Kris continuou o movimento e Cho ergueu as mãos, segurando a barra com força para demonstrar seu prazer. Ela ainda encarava Harry fixamente, colocou a língua pra fora num movimento sensual, e lambeu a boca lentamente. Harry foi à loucura. Ele então gozou nos lençóis brancos ao mesmo tempo em que Kris parou de chupar Cho e elas se viraram para o moreno.

- Pode ir levantando de novo... – disse Cho. Ela engatinhou até a cama. Deu um enorme beijo na boca de Harry e escorregou pela cama até se encontrar atrás dele, seus seios tocando as costas dele. Harry sentiu as mãos pequenas de Cho deslizarem pelo seu corpo até chegar ao seu membro inferior.

Com o toque dela, ele sentiu a excitação se apoderar do seu corpo novamente. Seu membro, novamente enrijecido, agora era saciado por Cho. Harry tornou a prestar atenção no palco e viu Kris, que ainda estava vestindo a calcinha, fazendo uma espécie de dança muito sensual para ele. Aquilo só o deixou com mais desejo.

Kris foi abaixando lentamente a calcinha, sua expressão provocante, ainda “dançando”. Cho masturbava Harry cada vez mais rápido e perfeitamente assim que percebeu que ele estava mais excitado. Kris ficou finalmente nua e ela se aproximou da barra metálica. Harry já imaginava o que estava por vir.

Ela segurou a barra com uma das mãos e deu uma volta completa, de maneira que Harry pudesse observar todo o seu corpo. Então ela se posicionou atrás da barra e encostou seu corpo nela. Kris agachava e levantava sensualmente, esfregando o vale entre os seios, a barriga e uma parte de seu sexo na barra. Ela então passou a esfregar somente o seu sexo, como se a barra fosse um cavalo em que ela galopava sem cansar.

Harry teve que levar as mãos ao seu membro e segurar as pequenas mãos de Cho, aumentando a velocidade das batidas. A japonesa então sentiu como devia fazer e começou a ir mais forte e rapidamente para cima e para baixo com ambas as mãos. Kris se aproximou dele antes mesmo que Harry pudesse perceber que Cho se afastara. A loira empurrou-o para trás, deitando-o na cama, e sentou-se violentamente em seu membro muito excitado com toda a situação.

A habitual sensação de felicidade explosiva tomou conta de Harry e ele só conseguia pensar naquele momento. Kris se lançava pra frente e pra trás rapidamente e, ele não soube como Cho conseguiu, mas ela agora beijava e mordiscava sua orelha de um jeito provocante. Kris quase gritava; Cho gemia provocante em seu ouvido.

- Cuidado... – ele alertou ofegante. Harry chegou ao clímax do seu prazer e Kris saiu dele antes que ele gozasse. Harry só pôde perceber que ele estava deitado entre as duas mulheres antes de adormecer.

*

- Isabel, posso falar com você? – perguntou Harry. Algum tempo antes, Kris e Cho o acordaram e eles agora estavam na primeira sala novamente. Kris e Cho estavam discutindo sobre a primeira vez da loira com Harry e nem perceberam quando ele saiu de perto delas para falar com Isabel. A morena acabara de sair de uma das sub-salas com Miguel.

- Claro que pode, Harry. – ela respondeu. Harry notou que os dois estavam de mãos dadas.

- Se for incomodar, eu deixo pra outra hora... – tentou corrigir.

- Não vai incomodar. – respondeu Isabel. Ela sussurrou algo no ouvido de Miguel. Ele assentiu a saiu pela grande porta de madeira.

- E então, Harry, sobre o que quer falar...? – perguntou ela, com um sorriso sedutor.

- Eu estou imaginando coisas ou você e o Miguel... – ele não completou porque ela assentiu com a cabeça. – Eu sempre achei que ele tinha uma queda por você. – Harry sorriu e ela o acompanhou.

- Mas acredito que não seja por isso que você queira falar comigo.

- Não, realmente não é. – admitiu Harry.

- Então conte-me.

N/A: Ahhhhhh!! Não me matem! A culpa é toda da Re, a minha beta, que não tava online no MSN pra eu mandar a fic pra ela antes! Mas a culpa pelo cap. tá o pior de todos é minha mesmo! ^^ Foi mal, mas eu queria fazer esse cap. faz tempo, só não achava que ia ser tão trabalhoso e tedioso! Mas espero que não seja caso de crucificação.. (No caso, a minha!).

Nhammm... o que eu posso dizer sobre esse cap.? Além de que tá um lixo.. Nada. Esse cap. foi totalmente inútil, pra compensar o anterior, que não teve NC, mas acabou não dando certo. UnFF.. ¬¬°

Agradecimentos à: Re, a beta, pela paciência. Tami, LiLa, Pink, por serem as melhores amigas! E obrigado a todos q comentaram.. Eu amo vocês todos!

COMENTEM!

Bjinhuxx**
Tha Potter Malfoy

N.B.: blé blé...tha sua coisa! a re ama muito vc! o/
capítulo excitante esse! a ginalda tá pedindo pra re matar ela sabe... >.<
comentem pessoas!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Camila Rosa em 16/05/2011

Fogo hein!

Harryzito está experiente! Ah muleque!

Amei, escreve muito bem essas cenas.

 

beijos

Nota: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.