FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. O JUIZ DA MORTE!


Fic: Uma trouxa me... seguiu?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Ale e Tiago estava na sala precisa estudando, Harry tinha sido chamado com urgência no ministério devido ao tal misterioso da espada, e por segurança Harry e Gina decidiram que era melhor os filhos ficarem com ela.
_Cansei. – disse ela. _Vamos parar um pouco Tiago?
Tiago fez uma cara estilo Hermione.
_Sabia que a gente tem que estudar pras provas de fim de semestre?
Ale olhou pra ele com uma cara curiosa.
_Harry Tiago Potter Weasley Junior!
Tiago sorriu.
_Honestamente não via a hora de parar.
Ale e ele riram, Gina já tinha ido colocar Albus e Lily para dormir, estava voltando quando escutou Tiago gritar.
_Immobilus!
Foi até a sala correndo, e viu Ale imobilizada pelo feitiço.
_Tiago o que é que você...
Gina olhou pra Ale, ela não parecia bem estava pálida e parecia fora de si.
_Mãe, - chamou Tiago assustado.
Ale gritou:
_ME SOLTA! EU TENHO QUE IR!
_Ir onde Dona Alessandra? – perguntou Gina.
_MATAR O HARRY POTTER!
Gina se assustou.
_O QUE?
_EU PRECISO MATÁ-LO! – Ale parecia ter mudado repentinamente. _Eu não tenho por que matá-lo. – ela olhou pra Gina. _Mãe me ajuda?
Gina estava parada sem ação, não entendia direito o que estava acontecendo com a filha mas sabia o que tinha que fazer, era doloroso fazer aquilo com ela mais era necessário.
_Mãe? – chamou Tiago.
_Filho estupore-a.
_O QUE?
_Não faça perguntas anda.
_Desculpa Ale. – disse Tiago. _ESTUPEFAÇA!
Ale caiu no chão, Gina puxou a varinha na mesma hora e gritou:
_LEGILIMENS!
Gina viu o dia em que Ale saiu de casa, estava andando na rua, olhou pra trás e viu as fantasmas quase transparentes flutuando, ale dobrou a esquina quando escutou uma voz pastosa a chamar.
_Ale Potter?
Gina viu Malfoy Ale se virou e no mesmo instante caiu sendo atingida por um feitiço.
_PRIORI INCATATEM!
Gina viu Tiago apontando a varinha.
_Não mãe isso dói.
_TIAGO! – gritou Gina.
_Mãe por favor isso dói!
_É preciso filho.
_ME SOLTA EU QUERO IR ATRAS DO HARRY P...
_LEGILIMENS!
Gina agora via Ale ser torturada, depois viu Bellatrix dizer:
_Imperius!
Agora estava tudo confuso, um homem de barbas, olhos claros e cabelos negros estava com eles, Gina não sabia da onde ele tinha saído, ela viu Malfoy se aproximar de ale e dizer.
_Obliviate!
_ela esta sob a maldição Imperius Dan. – disse Bellatrix muito calma. _E fará tudo o que quisermos. Destruirá a própria família.
Gina viu tudo mudar, e alguém dizer novamente Imperius, mas não conseguiu definir quem era, viu o homem olhar Ale voltando correndo pra casa, ele puxou a espada.
_ela não fará mal a nenhum deles enquanto eu estiver aqui. – disse ele.
Gina parou com a Legilimência, Ale estava ofegante e parecia fraca, Tiago ajudou a irmã a se sentar e Gina conjurou uma poção calmante.
_Toma isso ale. – disse ela.
_O que aconteceu? – perguntou Ale tremendo.
_Você se lembra de alguma coisa?
_Só que eu estava conversando com o Tiago e depois ouvi umas vozes, e ai não me lembro do que acon... – Ale parou de falar, uma vontade maior do que ela de ver o pai se apoderou dela, ela precisava vê-lo saber se estava bem. _Mãe cadê meu pai?
_foi pro ministério e irá passar a noite lá.
_eu preciso vê-lo, saber se esta bem.
_ele esta bem, agora você vai se deitar e amanha você e ele conversam.
Ale se conformou um pouco mais, foi com a mãe até o quarto, sabia que Tiago estaria esperando por ela.
_Mãe, ela...
_Ela vai ficar bem filho. Agora vai dormir.
Tiago seguiu o conselho da mãe, se sentia culpado por ter enfeitiçado a irmã, mas sabia que estava fazendo o certo.
No dia seguinte, gina e Harry decidiram deixar os dois descansarem, Harry foi ver a filha logo de manhã, ela abraçou ele e chorou sem nem saber porque. Harry pediu uma reunião com o pessoal da Ordem, seria na sala de Dumbledore, todos foram até lá, incluindo Tonks que tropeçou na gárgula que guardava a sala de Dumbledore derrubando Sirius e Lupin que iam a frente conversando.
_Desculpem. – disse ela.
_As vezes acho que a Agatha é filha dela e não minha. – murmurou Draco pra Rony e Hermione.
_draco seus filhos são trigêmeos esqueceu? – perguntou Hermione.
_Hermione como posso me esquecer que tenho três filhos da mesma idade?
_Que inclusive quando se juntam com as nossas, parecem furacões. – disse Rony ganhando um tapa de Hermione.
_Vamos começar a reunião. – disse Dumbledore. _O que houve Harry por que convocou essa reunião?
Gina se manifestou contando o que viu quando usou a Legilimência na filha, e principalmente que depois Ale não lembrava de nada.
Dumbledore ficou sério.
_Quando eu tentei a Legilimência com ela, não consegui ver nada. – disse Sirius.
_voce disse ter visto que foram lançadas duas maldiçoes imperius? – perguntou Lupin. _Sera que foram de pessoas diferentes?
_Talvez.
_E esse homem quem será ele? – perguntou Sirius mais pra si mesmo do que para os outros.
Dumbledore se levantou.
_Acho que esta na hora de revelar um segredo a vocês. – disse ele, Dumbledore acenou com a varinha, uma porta escondida lateral se abriu, e de lá todos viram um homem com barbas por fazer cabelos desalinhados negros, olhos claros, que carregava uma espada e parecia bêbado sair, mas quando ele andou pareceu bem firme.
_É ele! – disse Harry e antes que pudesse pensar ou controlar seus impulsos se esquecendo também de que era um bruxo, ele agarrou o estranho pelo colarinho levantando ele do chão uns dois centímetros.
_harry agradeceria se não usasse esse tipo de atitude na minha sala. – disse Dumbledore.
_Dumbledore esse homem enfeitiçou minha filha!
_Solte-o Harry. – disse Dumbledore, Harry a contragosto o largou, só então percebeu que Draco e Rony haviam puxado as varinhas.
_guardem suas varinhas senhores Black e Weasley. – disse Dumbledore.
Os dois obedeceram, Dan foi até eles e se sentou de frente para Sirius e Lupin.
_Quem é você afinal? – perguntou Harry, ainda tremia de raiva de ver o homem ali, sabia que ele tinha sido preso pelos trouxas por um assassinato.
_Meu nome. – disse ele com uma voz firme.
_sabemos o seu nome. – interromepeu Rony.
_Ronald fica quieto. – disse Hermione.
_Mas é verdade, todos os aurores estão atrás dele você se chama Dan Gonçalves, um assassino frio e cruel, que matou uma trouxa...
_Acho melhor voces verem o que aconteceu. – disse o homem retirando a espada, todos com exceção de Dumbledore apontaram as varinhas.
_Se acalmem. Dan por favor continue.
Dan retirou a espada e pegou uma bolsinha que continha um pó, ele soltou um pouco na mesa, o pó fez um redemoinho brilhou, e logo em seguida eles viram numa imagem real em cima da mesa Marcos McSmith.
_O que é isso? – perguntou Harry.
Sirius fez sinal pra ele ficasse quieto.
Marcos seguia por uma rua, parecia saber exatamente onde ir, ele chegou a uma casa com um certo luxo.
_É uma lembrança. – cochichou Hermione para os outros dois.
Eles ficaram prestando atenção, Marcos deu um sorriso desdenhoso ao apontar a varinha para o portão e ela se abrir, fez o mesmo com a porta, uma garota de cabelos liso negros, e o rosto jovial estava lá, quieta esperando
_Vejo que só estava esperando por mim, Ingrid Jacob. – disse Marcos.
A garota o olhou.
_Preciso saber antes se você é um dos juizes da morte?
_exatamente.
Eles viram Marcos retirar uma espada, e sem prévio aviso cravou no coração da garota, Ingrid fez uma cara um pouco assustada pela dor, Marcos sorriu ao conseguir o seu objetivo, eles viram o corte se abrir como se fosse rachadura, a espada continuava no mesmo lugar e Marcos a segurava com força, a pele parecia queimar, eles viram uma luz branca sair do ferimento e da espada, a luz estava mais forte, eles viram que a garota só estava agora com os ossos a luz brilhou mais forte, e Ingrid parecia ter explodido, fumaças vermelha envolvia algo que Marcos usava, e Harry viu o que ele olhava, a Horcruxe, a Horcruxe que estava com a sua filha.
Marcos sorriu, um Dan mais moço entrou correndo.
_Marcos o que foi que você fez? – perguntou ele, escutaram a sirene dos policiais trouxas.
_Fiz o que achei certo fazer. – respondeu o outro._E alem do mais agora é só desaparatar. – disse Marcos sumindo.
Os policiais trouxas entraram.
_Você esta preso! – disseram juntos.
Dan não se moveu preferiu ir preso.
A lembrança acabou
_Não entendo se você não tinha culpa por que se deixou levar? – perguntou Gina.
_Bom, me acostumei lá, comida, roupa lavada, com certeza a prisão trouxa é melhor que a bruxa. – disse ele colocando os dois pés sobre a mesa, Sirius e Lupin se olharam.
_tem mais uma. – disse ele jogando outro pó.
Agora o que eles viam não podiam acreditar os dois irmãos McSmith apontavam a varinha um pro outro.
_Marcos. – disse Cristhofer. _Deixe de ser um desses juizes da morte.
_Por que? – perguntou o outro.
_Marcos você não tem o direito.
_Ah eu tenho, eu tenho o direito de julgar! – disse ele jogando um feitiço em Cristhofer que desviou com a varinha. _Condenar! – disse ele jogando outro feitiço. _E...
Antes que Marcos pudesse falar um raio azul saiu da varinha de Cristhofer quase acertando Marcos.
_e matar? Ok. Então Marcos já que você vai continuar com essa besteira eu vou levar a Ale pra longe de você longe daqui! – disse ele.
Marcos pareceu se assustar.
_Você não tem o direito...
_eu tenho! Minha irmã não será como você! Ah juizes da morte e gente das trevas atrás de nós e se pra protegê-la eu tiver que afastá-la de você eu o farei.
Harry viu o medo passar pelo olhar de Marcos.
_gente das trevas e juizes da morte, estão atrás dela.
_voce é um deles! – acusou Cristhofer a cena se desfez.
A lembrança se desfez.
_O que nós vimos aqui... – começou Lupin.
_Sim, - respondeu Dan antes que ele continuasse. _Marcos era um juiz da morte, e deixou de ser quando Cris ameaçou tirar a irmã dele.
_Mas ele tinha tanto poder... – disse Hermione.
_Assim como Cris se você percebeu ele lançou um feitiço no irmão que ninguém conhece. – disse Dan.
_Mas você sabe qual é? – perguntou Rony.
_Sim, sei. Mas isso não vem ao caso.
_ele era um assassino? – perguntou Harry.
_depende do que você acha que viu. – disse Dan.
_Gina não quero mais que a nossa filha fique com aquela horcruxe. –disse Harry.
_Vocês não podem tirar dela. – interrompeu Dan.
_Por que não?
_Harry, aquilo que saia do ferimento da garota e da espada de Marcos era magia. – disse Hermione. _Não era?
_Sim e antiga, Marcos invocou essa magia, eu sabia disso por que ele me disse que só funcionaria quando ele morresse.
_Da onde você se conheciam? – perguntou Draco.
_Éramos amigos de infância.
_Não podemos tirar a horcruxe da nossa filha então? Vendo o que ele fez para consegui-la.
_Será uma decisão da Ale se livrar dela no momento certo, ela se juntou com o pomo de ouro não foi?
_Sim. – responderam Harry e Gina juntos.
_E você acham que Cristhofer não invocou nad com aquele pomo? Do jeito que conheci eles os dois usaram magia antiga.
Todos ficaram pensativos.
Harry e gina a decisão será de vocês. – disse Dan.
_Nossa decisão? – perguntou Gina _Do que você esta falando?
_de contar o que viram aqui pra Ale. – disse ele.
Harry olhou incrédulo.
_são os pais dela, - disse ele. _E será uma decisão de vocês contar a ela, mas façam isso depois. – disse ele se levantando espalhafatoso.
_Por que lançou uma maldição na minha filha? – perguntou Harry.
_Por que você conhece algum feitiço que detenha essa maldição? – disse Dan. _A única maneira que encontrei de ajudar vocês foi essa, quando percebia que Bellatrix tentava usar a maldição eu também falava com ela pra que ela fizesse ao contrario, mas a Ale deve ter puxado aos irmãos ela conseguindo resistir as duas maldiçoes.
_Como sabe?
_ela escuta vozes, mas sabe que não deve segui-las, entrei na mente dela e vi isso.
_VOCE NÃO TINHA O DIREITO! – gritou Harry.
_Eu tinha todo o direito! – disse Dan. _EU SOU O PADRINHO DA ALE, POTTER!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.