FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Morango com Chantilly


Fic: Descobrindo os Prazeres da Vida NC18


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo Cinco – Morango com Chantilly

“I’d do anything to have her to myself – Eu faria tudo pra tê-la pra mim”
Vermiolion Pt. 2 – Slipknot


Harry não acreditou no que estava ouvindo. O que Draco Malfoy iria querer que ele fizesse? Harry só sabia que pela primeira vez estava com medo do que teria que enfrentar. Ele não pensou duas vezes e saiu correndo atrás de Gina. Saberia agora mesmo o preço que teria que pagar pelo prazer.

- Você tem certeza que quer ver o Draco agora, Harry? – perguntou a ruiva quando ele se aproximou.

- É claro que eu quero. Eu tenho que saber o que aquele infeliz vai querer que eu faça. Não quero nem pensar. – disse Harry.

- Eu tenho certeza que você vai conseguir, seja o que for. Vai conseguir porque quer me ter, e eu sei disso. – disse Gina sorrindo. – Faça o que fizer, não mostre medo nem insegurança pro Draco. – continuou ela – E, mesmo que você fique nervoso com ele, mostre que você tem auto-controle suficiente.

- Tudo bem. – respondeu.

- Então vou nos aparatar para a casa dele. – disse Gina. Ela segurou o braço de Harry e eles aparataram.

A casa de Malfoy era enorme. Só o hall de entrada, muito mal iluminado por sinal, era do tamanho do quarto de Harry. Eles seguiram por um corredor largo que acabou em uma sala de estar com os móveis escuros e os sofás e poltronas pretos. Sentado de costas, em uma poltrona, se via alguém com um cabelo extremamente loiro. E uma mulher igualmente loira o beijando. Kris Parks saiu do beijo, sorriu cinicamente e fez de conta que nada houvera entre ela e Harry algumas horas atrás.

- Oi, minha ruivinha favorita – disse Draco ao ver Gina. – Eu sei que você me quer, mais eu estou ocupado. Aproveite que a Cho largou o Potter e fique com ele até a Kris se cansar de mim.

- Não me faça rir, Draco. – disse Gina – Você sabe muito bem que eu não te quero. Quem iria querer alguém que se acha tanto...?

- Mas que te faz delirar... – completou Draco.

- É exatamente por isso que eu NÃO te quero. – disse a caçula Weasley. – Você tem mania de achar que o mundo gira em torno do seu rostinho lindo.

- Obrigado, Gina. Mas, o que você quer se não eu? – perguntou ele.

- Eu contei ao Harry sobre o grupo. E ele aceitou entrar. – informou Gina.

- Muito bem, Potter. Logo você, “o santo”, quer experimentar as minhas garotas.

- Ninguém é sua, Draquinho... – disse Kris. Ela deu um selinho rápido no loiro. – Se continuar falando que é nosso dono você vai se ver comigo...

- Mas, a questão é, qual vai ser a tarefa do Harry? – perguntou Gina.

- Agora eu vou me vingar de você, Potter. Veja só como são as coisas da vida. – dizia Draco enquanto pensava na vingança perfeita. – Você já contou aos seus amiguinhos que você quer prazer ou vai esconder deles? Que feio, Potter. A sangue-ruim e o Weasleyzinho não merecem isso de você.

- Cala a boca – disse Harry. Ele podia agüentar tudo, mas não ia deixar que Malfoy falasse qualquer coisa sobre seus amigos.

- Vejo que você não pode se juntar a nós. Se quiser mesmo entrar, tenho que ter certeza que você não vai se apaixonar por nenhuma das meninas. – disse Malfoy. Ele tinha acabado de descobrir o ponto fraco de Harry: os amigos. – Eu também não posso correr o risco de você se apaixonar por algum homem – debochou Draco. Harry tentou manter a calma, mas não conseguiu. Ele avançou em Malfoy e, se ele não desviasse, teria acertado-lhe um belo soco.

- Você não pode falar nada, afinal, você se apaixonou pela Gina. – desafiou Harry depois de ser afastado de Draco pelas garotas.

- Não me deixe com raiva, Potter. Ou vou ter que te dar uma prova bem difícil. – disse Draco, olhando perversamente. Já sabia qual era a prova.

- Draco, até eu estou curiosa. Fale, meu amor. – disse Kris.

- Você vai ter que tirar a virgindade de uma garota. – disse Draco, por fim.

- Só isso? Escolher uma garota e dormir com ela? – disse Harry rindo-se.

- Quem disse que é você quem escolhe? – disse Malfoy, com um sorriso mais desafiador do que o de Harry.

- Já escolheu? – perguntou Harry.

- Claro que sim. – disse Malfoy – Se você conseguir, Potter, eu vou te deixar ter a Gina só pra você por um mês. Mas se preferir ficar com a garota, o problema é seu.

- Como assim? – quis saber Harry.

- Quero dizer que se você conseguir, mas se apaixonar por ela e quiser ficar com ela, eu não vou ligar. O problema vai ser seu.

- Tudo bem, Draco. Pare com a tortura. – disse Gina – Quem é a garota?

- A sua amiguinha de sangue-ruim, Hermione Granger. – comemorou Malfoy. Ele sabia que era uma jogada de mestre.

Ao ouvir aquelas palavras, Harry ficou estupefado. Como assim? Teria que tirar a virgindade da sua melhor amiga, que por acaso estava namorando seu melhor amigo? Será que valia a pena perder aquela amizade? Ou era melhor perder os amigos para ficar com Gina?

Harry olhou nos olhos de Draco Malfoy e percebeu que o loiro estava conseguindo vencê-lo, mas não deixaria seu orgulho ser ferido logo por ele, Draco Malfoy. Pensou bem em tudo que estava em jogo e respondeu:

- Eu aceito.

O sorriso de Malfoy sumiu. Agora Harry deveria rir dele, mas não conseguia. Ele mesmo estava decepcionado consigo. Como pudera fazer aquilo?

******************************************************

Harry acordou muito tarde na manhã de domingo. Levantou-se com o sol forte batendo em seu rosto e foi tomar um banho bem demorado. Ainda não tinha absorvido todas as informações da tarde do dia anterior e estava se sentindo o pior ser da face da terra por ter aceitado aquela maldita prova.

Ele foi até a cozinha preparar seu café, pois não estava afim de sair. Lá, encontrou Rony, mas não estava com a mínima vontade de conversar. Percebeu que Hermione e Gina não estavam em casa.

- Harry... – começou Rony – Posso te fazer uma pergunta? - Rony foi interrompido pela campainha. Ele parou de falar e foi atender a porta. Harry assistiu o queixo do amigo cair ao ver quem estava a porta. Era uma morena com um sorriso extremamente simpático e olhos verdes. Harry a reconheceu: Isabel McLagan.

- Oi... – disse ela, sorrindo para Rony. – O Harry está?

- Estou sim... – disse Harry, ao perceber que o amigo estava impossibilitado de dar uma resposta. Ele foi até a porta e parou ao lado de Rony.

- Oi, Harry... Lembra de mim? – perguntou ela.

- Claro. Isabel, não é? – respondeu Harry. Ela afirmou positivamente com a cabeça. – Como eu esqueceria?

- Hey, Harry. Não apresenta suas amigas pra mim? – disse Rony de boca aberta. O moreno sorriu amarelo e Isabel o acompanhou.

- Bel, esse é o meu melhor amigo, Rony. Que está namorando a minha melhor amiga, Hermione. Você deve conhecê-la.– disse Harry. O sorriso de Rony sumiu e Isabel riu descontroladamente.

- Eu a conheço sim. Uma vez meu pai contratou-a para fazer a defesa dele em um caso da empresa. – disse Isabel.

- Não quer entrar? – perguntou Rony.

- Oh, não, não quero incomodar! Só vim aqui pra te avisar que a Cho não vai poder te ver hoje, Harry. – disse ela virando-se para ele novamente. Harry desanimou totalmente. Tinha certeza que iria ter uma tarde incrível e agora teria que ficar assinando formulários. Mas Isabel parecia muitíssimo feliz. – Ela pediu mil desculpas, mas teve um compromisso fora de hora. – continuou Isabel – Ficou chateado?

- Eu tinha planos pra hoje, sabe. – disse Harry.

- Se você ainda quiser, eu posso tentar convencê-la. – disse Isabel. Ela piscou o olho rapidamente, para que Rony não visse. Harry sorriu. Isabel lhe passou um bilhete, deu-lhe um beijo no rosto e saiu. Afinal, ele não perderia a tarde.

******************************************************

Harry tinha que confessar que estava um pouco nervoso quando entrou no quarto que dizia no bilhete. Os sofás vermelhos eram iluminados pela luz da lareira que queimava. Os tapetes super confortáveis e as cortinas eram beges combinavam perfeitamente. Atrás dos sofás, havia uma cama grande onde, Harry podia ver, repousava um belo corpo apenas com roupas intimas. Olhando melhor, Harry percebeu que ela usava um robe (é assim q escreve?) quase transparente.

Seus cabelos estavam perfeitamente amarrados em um rabo de cavalo, seus lábios estavam cobertos por um batom rosa-choque berrante e suas orelhas tinham um par de brincos de argola que iam quase até os ombros. Ela levantou-se e veio até ele.

- Por que demorou tanto? – disse ela. – Eu pensei que você tinha desistido.

- Como eu poderia desistir disso tudo? – perguntou Harry. Ela sorriu e segurou a mão dele. Os guiou até uma mesinha que se havia no tapete. Harry não havia notado, mas em cima dela, tinha um pote com morangos e outro com chantilly. Eles se sentaram um de frente para o outro.

- A Kris me disse ontem que você vai entrar no grupo. – disse a morena. Ela se aproximou e começou a tirar a camisa de Harry. Ele se assustou, mais logo se acostumou. Deveria saber como Isabel iria tratá-lo. – Eu adorei saber disso.

- Mais eu estou com um pouco de medo da prova. – disse ele, já sem camisa. Ela se aproximou mais ainda.

- É só uma garotinha boba. Não diga que não vale a pena trocá-la por mim... Ou pela Gina. – provocou ela. Isabel chegou mais perto de seus lábios e o beijou ardentemente. Harry preferia o beijo de Kris, mas esse também era muito bom. Ficaram muito tempo se beijando, mas Isabel se afastou. – Você gosta de morangos, Harry?

- Nunca provei – disse ele.

- Oh, por Merlin, você tem que comer agora! – disse ela com uma voz sexy. A garota pegou um morango, molhou-o no chantilly e levou-o até a boca, mordendo a pontinha. Harry sentiu-se ficar excitado, e ela percebeu. – Quer um? - Ela nem o esperou responder e repetiu o ritual de pegar um morango e molhá-lo no chantilly. Desta vez, ela guiou a fruta até a boca dele, que mordeu com vontade.

- Que delicia... Eu não sabia que isso era tão bom. – disse ele, com a boca suja. Isabel se aproximou e beijou-o, limpando seus lábios. Aprofundou o beijo e explorou toda a boca do garoto.

- Quer ver ficar melhor ainda? – disse Isabel. Ela tirou o robe e revelou que ela usava uma calcinha rosa rendada e um sutiã igual. Ela tirou a peça de cima, pegou o pote de chantilly e derrubou um pouco em seus seios fartos. Depois, deitou-se no chão.– Vem experimentar, Harry...

Ele examinou-a longamente, “babando” pela sua beleza, e chegou mais perto. Ficou “de quatro” sobre ela e abaixou-se até poder beijá-la. Desceu pelo pescoço, passou pelo colo e abocanhou seus seios com enorme vontade. Ele chupava cada parte deles e sentia o gosto do chantilly. Era tudo tão bom. Continuou chupando o bico e mordiscando levemente. Podia ouvi-la gemendo baixinho.

“Isso... continua...”.

Isabel o parou e beijou-o docemente. Sorriam intensamente e ela pegou de novo o pote de chantilly. Deitou Harry no chão e começou a abrir suas calças. Agora Harry estava no auge de sua excitação. Quando terminou de abaixar as calças dele, Isabel passou um pouco do doce perto de seu umbigo. Começou a limpá-lo, lambendo seu abdômen e chegando perto de seu membro para provocá-lo.

A excitação dele era tanta que seu membro estava muito enrijecido. Isabel passou o próprio dedo no pote de chantilly e lambeu-o como se fosse um pirulito, deixando Harry cada vez mais louco de desejo. Ela passou o dedo no pote novamente, mais espalhou o chantilly no membro dele dessa vez. Inclinou-se devagar, encostando os lábios em seu membro.

Harry suava frio. Aquela garota estava mexendo com a sua cabeça de um jeito que ninguém nunca tinha feito. Nem mesmo Gina. Ele estava preparado para qualquer coisa, menos para suportar o que ela estava fazendo. Iria explodir de desejo...

Ela dava-lhe beijos delicados no começo. Depois começou a lamber devagar todo o membro lambuzado de chantilly. Lambia longamente e chupava a cabeça com força. Com o tempo, ela colocou todo o pênis de Harry na boca e chupava tudo com tesão. O garoto quase revirava os olhos de prazer, chegara ao orgasmo. Ele gozou na boca de Isabel e ela engoliu todo o liquido, lambendo os próprios lábios depois.

- Como você é gostoso... – disse ela, deitando-se ao lado do garoto. Ele estava de olhos fechados.

- Você é perfeita... – foi tudo que Harry conseguiu dizer. Ouviu-se um baque do banheiro, mas eles pouco ligaram.

- Que pena – continuou a morena, pegando o pote de chantilly. – Acabou. Quem sabe, outro dia nós nos encontremos de novo e repetimos. Foi maravilhoso.

- Não foi maravilhoso. Foi a melhor tarde da minha vida – recuperou-se Harry. Ele se sentou e encarou-a. Isabel sorria.

- Você não sabe o quanto eu fico feliz por ter te dado mais prazer do que a Kris e a Cho. – disse ela. – Bem que eu queria ficar com você a tarde toda, mas não posso dormir com quem não está no grupo. Portanto, faça o favor de pegar a Granger logo.

- Você pode me ajudar a conquistá-la?

- Claro. Vou convencê-la de que você é o melhor cara que alguém pode querer. E vou falar para a Gina me ajudar também.

- Obrigado. Eu prometo que vou pensar em alguma recompensa pra você.

- Essa parte me agradou. – disse ela. A garota levantou-se e colocou o robe. Isabel piscou um olho e foi até uma porta que havia no quarto, que deveria ser um banheiro. Harry se vestiu e saiu. Ainda não acreditava. Se uma tarde com ela havia sido tão bom, ele não queria nem imaginar como seria uma noite com ela.

Harry aparatou em casa, pois já era noite. Chegando lá, encontrou a pessoa que fez sua felicidade e bem-estar desaparecerem. Encontrou quem ele menos queria encontrar: Hermione Granger.

******************************************************

N/A: Oi pessual!! Ainda não sei se a parte H/I ficou boa, mas eu demorei pah fazer pq eu qria ter certeza de q ia fikar boa!! ^^ Soh qro colocar um coisa q eu achu importante: Eu escrevi esse cap. ouvindo uma musika muitoooo linda, q eu amoo... DON’T SPEAK do No Doubt!! Eu achu q eh importante falar, pq eu vou colo car essa musika num dos capítulos finais da fic. Intaum... qm quiser pegar a tradução vai fikar tendo uma noção do q vai acontecer pq a letra tem td a ver com a fic...!! ^^ hehehe... Chega Thais!! Jah flo dmass..!!
Ihhh... E como será o encontro entre H/Hr?? Ele vai ter coragem de dar em cima dela??
COMENTEM!!!
BjO, Tha.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Camila Rosa em 16/05/2011

Essas mulheres estõa louquinhas por ele.

Não veem a hora de fazer parte do grupo mesmo.

O loco!

 

Beijos

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.