FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Passeio à Barco


Fic: Férias Marotas • a fic ganhou comunidade!obrigada Liz Hallowé: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=24939278


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo Quatro: Passeio à barco.

___________________________________



Todos observavam Tiago curiosos, se perguntando agora qual seria a brilhante idéia de "jerico" que ele teria agora...

- E qual é sua fantástica idéia? - perguntou Lily curiosa.

- Bem. - começou Tiago despenteando os cabelos e sorrindo marotamente. - Podíamos dar um passeio no barco do lago...

- Uma ótima idéia, Tiago... - disse Sirius. - Pena que ninguém aqui sabe remar, né?

- Nós sabemos... - disse Clark, referindo-se à ele, Kevin, Tiago e Gaby. - Nós vínhamos aqui quase todos os dias...

- Mais está muito tarde. - protestou Lily. - Porque não deixamos isso pra amanhã?

-Ah qual é, Lily! - resmungou Sirius. - Deixa de ser estraga prazeres!

- Sabem que eu não gosto de concordar com o Sirius, mas é sério... - disse Gaby. - É bem melhor ir à noite do que de dia!

- Ah vai, Lily! - pediu Giulia. - Por favor!Por favorzinho..!

- Ta! Por mim tudo bem... - disse ela rindo. - Mas vamos caber todos nós em um só? Qual é o tamanho desse... barco?

- Acho que cabe sim, Lily. - disse Clark. - Eu costumava vir sempre aqui com mais seis amigos.

- Bem, e onde ele fica? - perguntou Remo.

- Bem ali na margem do lago. - disse Tiago.

- Eu não estou confiando muito nesses barcos, não... - disse Lily receosa. - Mas vamos lá!

- Deixa de ser pessimista... Lily. - disse Kevin meio incerto de usar o primeiro nome da garota.

- Foi mal... - desculpou-se ela. - Mas é que... Quer saber, deixa pra lá! Vamos logo...

- Assim que se fala ruivinha. - riu Tiago guiando os outros para até o barco.

Lily olhou receosa para o barco, deveriam caber mais ou menos umas 8 9 pessoas ali. Mais não era muito confiável. Mais sendo eles bruxos, o barco não podia aparentar o que era...

- Já vou avisando... - disse Gaby sentando-se logo ao lado de Lily e Giulia, quando essas entraram. - Eu que não vou remar isso... Mas bem que poderíamos colocar um feitiço pra ele guiar a si mesmo. A Pam disse que aqui podemos usar magia sem que o ministério descubra, né?

- É sim! - concordou Clark sorrindo.

- Ótimo. Coloca logo o feitiço nesse treco aí, e vamos logo. - resmungou Lily, mais esta não conseguia esconder o brilho nos seus olhos. Ela sempre desejara andar de barco!

- Eu, sinceramente, não sei nenhum feitiço para isso... - murmurou Tiago despenteando o cabelo.

Então, Remo lançou o feitiço, e o barco começou a se mover. Era uma barca para passeio. Tinha vários bancos, mas a madeira era um tanto antiga, portanto os meninos deduziram caber apenas 8 pessoas na embarcação.

- Sério... Nunca vim nisso com tanta gente antes! - disse Gaby. - E se isso rachar... Sei lá!

- Se rachar Gaby, eu te protejo. - disse Sirius, e Clark o olhou com ódio.

- Agora, eu realmente estou com medo! - ironizou Gaby.

Clark deu um sorriso zombeteiro e chegou mais pra perto de Gaby fazendo Sirius cerrar os olhos em um aviso de ameaça.

- Mas pera lá! - disse Lily. - Para onde, exatamente, nós estamos indo?

- Pra lugar nenhum. - disse Tiago, Lily olhou para a cara dele completamente incrédula.

- Relaxa Li'l. Você não confia em mim? - completou rapidamente.

- Não quer mesmo que eu responda, né?! - perguntou, sarcástica.

Tiago riu.

- Lily, Lily... Quando é que você vai acreditar em mim?

- Ah... No dia em que Merlin me pedir em casamento!

- Não conte com isso. Antes de ele lhe pedir, eu peço. - disse Tiago sorrindo marotamente.

- Vocês dois formariam um belo casal se conversassem civilizadamente às vezes... - disse Lia sorrindo.

- Giulia! - repreendeu Lily, que para revidar completou. - E você e o Remo, sem dúvida formam um lindo casal. Ficariam tão fofinhos juntos.

Giulia e Remo coraram. Kevin fechou os punhos com força, para conter a vontade de socar alguém ou alguma coisa.

- Ninguém aqui está afim de segurar vela... - disse Gaby rindo. - Mas fiquem à vontade, viu?

- Gaby, você não pode falar nada! - resmungou Giulia, muito corada. - Eu não quero ficar de vela dupla. - retrucou ela, que já havia percebido que Sirius e Clark estavam disputando Gabrielle. Qualquer um perceberia!

- Que?Que vela... "dupla"? - perguntou confusa.

- Esquece...

Lily revirou os olhos.

- Credo gente. Parece que o nosso assunto roda sempre no mesmo. - disse Remo.

- Por que será?! - ironizou Lily.

Mesmo que não quisessem, algumas pessoas no barco riram, outras, seguraram o riso.

- Isso é que é amizade... - ironizou Gaby.

Clarck riu.

- Cale a boca, Bucker. – disse Sirius arqueando as sobrancelhas. – Ninguém aqui quer ouvir essa sua voz de bicha.

- E porque você não cala a sua? - disse Clark que levantou e passando por Sirius disse só pra que ele ouvisse. - Gabrielle é minha. E nada do que você fizer vai mudar isso!

Sirius riu com deboche e retrucou no mesmo tom:
- É mesmo? E quem te iludiu com isso?

Clark o fuzilou com o olhar, antes de sentar-se em outro lugar do barco.

- Vocês dois são uns anjos de pessoas... - murmurou Lily. - Sério mesmo!

- E eu, Lily? Sou o que? - perguntou Tiago pra ruiva.

- A palavra que eu usaria para te descrever não ficaria bem falada por uma menina. Na verdade, não fica bem falada por ninguém!

- Nossa Lily. Puxa o que eu fiz pra você me tratar assim, heim?

- Não, de novo não! - exclamou Gaby lembrando-se que acontecera praticamente a mesma coisa com Sirius mais cedo. - Por favor, não comecem!

- Ok, ok. - disse Tiago levantando as mãos pro ato, como se fosse um ato de rendição. - Não toco mais no assunto.

Gaby olhou para o céu e disse:
- Sirius...

- Sussurrando o nome do seu amor, é Gaby? - disse Giulia risonha, só para que Gaby a ouvisse.

- Quê? Ah, não! - disse rindo. - É que Sirius também é nome da estrela mãe dos cães, aquela ali. -mostrou, olhando para a tal estrela novamente. - Vai ver que é por isso que ele tem cara de cachorro...

Giulia gargalhou.

- Ai Gaby, só você mesmo pra dizer essas coisas.

- Muitíssimo obrigado pela consideração! - ironizou Sirius, que ouvira a explicação.

- De nada, querido. - disse Gaby virando para trás, onde estava Sirius, e dando uma piscadela marota.

Sirius sorriu.

- Sério - disse Lily. -, aonde vamos?

- Em lugar nenhum... Lily. - disse Kevin. - Estamos só dando uma volta.

- Esta bem... - respondeu ela sorrindo.

- Alguém sabe que horas são? - perguntou Clark. - Já está ficando tarde...

- Hey! O que é aquilo? – indagou Giulia apontando para uma coisa verde boiando na superfície.

- Onde? - perguntou Lily curiosa debruçando-se sobre o barco para tentar ver.

- Cuidado Lily. - avisou Tiago aproximando-se mais da ruiva que se inclinava ainda mais pra frente.

Tarde demais, Lily já caíra no lago.

- Lily!!? - gritou Tiago quando viu a ruiva cair.

- Socorro! Alguém me ajuda! - gritou Lily da água.

- Parem o barco! - gritou Giulia. Todos estavam paralisados. - PAREM POR FAVOR, ESSE BARCO!

Kevin finalmente pareceu "acordar" e lançou o feitiço no barco que parou de imediato.

Tiago já havia tirado a camisa e quando tirou o último pé do sapato, pulou dentro na água .

- Só espero que você saiba nadar, Lily. - sussurrou Gaby que estava apoiada contra o corrimão observando Tiago procurar Lily desesperadamente.

Não se podia ver mais onde Lily estava. A pressão da água a levara ao fundo quando o barco parara bruscamente.

- LILY! - berrou ele.

Então Tiago mergulhou e pode ver Lily desacordada, ela segurava uma capa em sua mão esquerda.

A pressão que a água fazia o impediu de ir mais rápido.

"Droga de redemoinho...", pensou ele. Então a imagem lhe veio a cabeça. "Droga! O redemoinho!Se continuarmos indo mais pra frente e mais rápido, vamos colidir com o redemoinho!"

Tentou ir o mais rápido possível, a sua vida e a de Lily dependiam dele. Se colidissem com o redemoinho, morreriam imediatamente. Só isso, o fez desesperar-se mais.

XXXX

- Eles estão demorando! - disse Giulia agoniada.

- Calma Lia. - disse Remo abraçando-a, o que fez a garota encostar a cabeça em seu ombro.

- E se...E se eles.. - soluçava ela.

- Vai dar tudo certo... - disse Remo impedindo-a de falar, e alisando os cabelos loiros da garota, tentando acalmá-la.

- Droga! - disse Sirius chutando o banco.

- Calma Sirius. - disse Gaby, que também estava preocupada.

- Calma? - berrou ele. - É o meu melhor amigo que está lá tentando ajudar aquela garota!

Sirius parecia descontrolado, e Gaby sem saber o que fazer deu-lhe um tapa no rosto.

- Cale a boca, Sirius! Mas que droga! É minha melhor amiga que está lá também!

Sirius olhava para ela com os olhos surpreso, ainda sentindo o rosto arder na parte que Gabrielle lhe acertara.

- Me desculpe, Gaby... - disse ele abaixando a cabeça.

Gabrielle, sem pensar, abraçou-o.

- Eles estão bem... Já vão voltar...

Sirius fechou os olhos. Sentir Gaby junto a si o reconfortou.

Suspirando, ele concordou.

XXXX

Rápida e desesperadamente, Tiago pegou-a e levou-a para a superfície, onde pôde ver todos aflitos.

- Vocês estão bem? – perguntou Gaby separando-se de Sirius e ajudando Lily e Tiago a subirem no barco. Os dois estavam encharcados. Logo Gaby viu que não deveria ter feito a pergunta, pois Lily estava inconsciente, e Tiago, aflito.

- Lily! Lily acorda, por Merlin! - dizia Tiago desesperado.

Ele sacudia a garota levemente, não queria perdê-la.

Mas ela não acordava. Dos olhos de Tiago brotaram duas lágrimas.
Ela não acordava.

-Tiago... a-acho melhor você tentar... respiração boca-à-boca! – disse Remo preocupado. – Na maioria das vezes funciona.

Tiago olhou dos amigos e depois para Lily. Mas ele não podia ver quase nada nitidamente.

Ele acenou afirmamente, e se abaixou para selar seus lábios com o da ruiva.

Logo, Lily estava tossindo, cuspindo água. Respirou profundamente antes de falar alguma coisa.

- O que aconteceu...? – murmurou, enquanto reparava que todos a observavam curiosos, e escondia a capa que tinha pego na água debaixo de um dos bancos.

Então seu olhar parou em Tiago que agora sorria, mais ainda tinha lágrimas nos olhos.
Confusa e ainda deitada, ela sentou-se e repetiu, já que ninguém havia respondido:
- Mas o que foi que aconteceu?

- Você caiu do barco para pegar alguma coisa no lago, desmaiou, o Tiago foi atrás de você, os dois quase morreram aí ele te trouxe pra cá, e te... salvou, digamos assim... - recitou Gaby, como se fosse a coisa mais normal que poderia acontecer naquele passeio.

Lily encarou a garota atônita.

O silêncio pairou no ar quando a ruiva finalmente encarou Tiago. Só se ouvia o barulho dos grilos que tinham no parque e o barulho que a água fazia ao colidir com o barco.

- É sério? Você me salvou mesmo?

- Er... não foi bem um salvamento... - disse ele atrapalhando o cabelo. - Só fiz... respiraçãoboca-à-boca. - completou rápido, temendo que Lily batesse nele por aquilo.

Normalmente, só o fato de Tiago encostar em Lily, já era motivo para discussões.

- Você fez o que? - perguntou Lily, já que ela não entendera o final da frase que ele disse. - Bem, não importa. Obrigada...Tiago. - terminou ela sorrindo constrangida.

- De nada... - sorriu Tiago, estranhando um pouco por Lily tre lhe agradecido por algo. - ah, podemos voltar agora?

- Podemos. - disse Giulia sorrindo. Ela ainda estava abraçada a Remo, e ele a ela.

- Será que vocês poderiam se soltar? - resmungou Kevin, cerrando os pulsos.

O primeiro impulso de Remo foi dar umas bofetadas bem à moda trouxa em Kevin, mas logo em seguida, mesmo contra sua vontade, separou-se delicadamente de Giulia. Deixar de sentir o aroma doce da menina era como um castigo para ele.
Lily levantou-se do chão com a ajuda de Tiago.
Sorriram um para o outro.
E nesse momento. Quando seus olhares se cruzaram. Lily pode ver um brilho nos olhos de Tiago. Diferente. De felicidade.

- Acho que está rolando alguma coisa ali... - disse Sirius observando Tiago e Lily e sorrindo.

Clark revirou os olhos e lançou o feitiço no barco, já que ninguém parecia lembrar que ainda estavam parados, exceto pelo farfalhar das ondas feitas pelo redemoinho à frente.

- Eu não avisei à minha mãe que iríamos sair, né? - perguntou Gaby receosa. - É hoje que ela me mata...

- Ah Gaby. Nem esquenta. - disse Tiago. - A Tia Lúcia nem vai perceber...

A menina revirou os olhos.

- Tá bem, então, se ela vier reclamar comigo, eu vou dizer que você me arrastou até aqui!

- Eu? - reclamou Tiago indignado. - Só me faltava essa, Gabrielle Lincourt.

- Eu to falando sério... É melhor não deixar ela ver vocês, por quê se não, ninguém dorme até o ano que vem!

- Bem, então não dormiremos a semana toda, já que vamos viajar logo depois. - riu Sirius.

- Viajar?!!?Para onde?! Só vocês seis??!Sozinhos? - perguntou Clark, muito rápido.

- Pera, uma pergunta de cada vez! - disse Remo. - Vamos para o... como é mesmo o nome...? Ah, Caribe, vamos nós seis, e sozinhos.

Clark e Kevin se entreolharam. Aquilo não era bom para eles, já que Giulia e Gaby não passariam as férias no mesmo vilarejo que eles.

- Já chegamos! - disse Sirius descendo do barco. - Agora, só não deixar a mãe da Gaby nos ver...

- Já? - disse Giulia descendo do barco com a ajuda de Remo. - Puxa, a viajem de ida foi bem mais demorada do que a de volta.

- Incrível como o tempo passa quando a gente se diverte... - ironizou Gaby.

- E você não se divertiu, Gaby? - disse Clark.

- Já tive dias melhores aqui... - disse sorrindo. - Sabe, dias em que ninguém tenha quase se afogado...

Clark deu um sorriso.

- Ainda bem que ninguém se machucou, né...

Sirius revirou os olhos.

- Machucar, machucou. Mais ninguém morreu.

- Ô Sirius... me desculpa pelo... tapa...? - murmurou Gaby desconcertada. - Foi mal, sério mesmo...

- Que tapa? - perguntou Clark curioso.

- Tudo bem, Gaby... - disse Sirius, e em seguida fechou a cara. - Nada Buker.

- Tiago, faz idéia de onde vamos ficar quando formos para essa tal ilha? - perguntou Remo, andando ao lado de Lia.

- Acho que em um hotel...

- Bem provável... - disse Lily.

- Nós vamos dormir no mesmo quarto, certo, ruivinha? - disse Tiago sorrindo maroto e atrapalhando o cabelo.

Lily rolou os olhos.

- NÃO, Potter. Isso é simplesmente impossível de acontecer.

- Por quê, meu lírio? Pensei que quisesse ficar comigo... à sós...

- Pois então se enganou. - disse a ruiva, virando o rosto de lado, para não encarar Tiago.

- Vocês aínda se casam... - comentou Remo rindo.

A reação de ambos foi diferente. Lily revirou os olhos e fez uma cara de ofendida. E Tiago apenas exibiu seu sorriso maroto.

- Não tenha dúvidas disso, caro Remo. - riu Tiago assanhando os cabelos.

Lily rolou os olhos novamente.

- Eu já te disse que essa sua mania de atrapalhar o cabelo é irritante?

- E eu já te disse que essa sua mania de revirar os olhos é irritantemente linda? - riu Tiago espalhando os cabelos, novamente, para implicar com a ruiva.

- Hoje é uma noite cheia de flertes explícitos! - disse Gaby rindo.

Já estavam chegando na casa de Gabrielle.

Clark e Kevin se entreolharam.

- Eu tenho que ir. - disse Clark parando em frente a sua casa. Já estavam perto da casa de Gabrielle. - Até logo.

- Bem, eu também vou indo nessa. - disse Kevin. Já que sua casa era ao lado da de Clark.

- Ah, bem, então. Tchau garotos. - disseram Giulia, Gaby e Lily vendo os garotos ficarem pra trás.

- Tiago, por favor, faz silêncio! - disse Gaby. - Você conhece minha mãe quando está irritada... Se ela vir que a gente saiu sem avisar, eu não vou viver até amanhã!

- Tudo bem Gaby. Até porque se você morrer, o Sirius me mata. - brincou Tiago.

- Há-Há-Há. - riu Sirius, irônico. - Como você é engraçado, Tiago.

- O palhaço aqui é você, Almofadinhas... - retrucou Tiago.

- Mas espera, o que significa esse apelido? - indagou Gaby.

- Não é nada! - disse Sirius lançando um olhar de censura à Tiago. - Ele começou a me chamar assim de uma hora pra outra...

- Aham, tá... Eu já te disse que eu sou a esposa de Merlin, né? – ironizou a menina revirado os olhos. - Sério, nessa eu não caio mais! Vai dizer o que significa ou não?!

- Err..

- Que tal se vocês nos contassem amanhã bem cedo? - disse Lily com um sorriso no rosto.

Tiago, Sirius e Remo se entreolharam.

Não tinha outra alternativa, até amanhã eles conseguiriam formular uma resposta.
- Ok.

- E se descobrirmos que vocês estão mentindo, quem não vai viver até o dia seguinte são vocês! - avisou Lily. - Literalmente falando...

- O que? - disse Tiago fingidamente dramático. - Lily... Oh, Lily... Você não confia em nós! Pobres marotos mortais...

- Graças à Merlin são mortais! - murmurou Gaby.

Lia riu.

- Que nada meninos. - ela disse. - Só que...Vocês não mentiriam pra gente, não é?
Remo engoliu em seco.

- Eu espero que não mintam mesmo... - apoiou Lily.

- Sabe, detestamos mentiras... - disse Gaby. - E principalmente, pessoas que as fazem...

- É mesmo. E detestaríamos ter que fazer algo com vocês, caros Marotos... - riu Lia apoiando as meninas.

Os três se entreolharam. Claro que não queriam mentir para elas, mas era uma opção melhor, na opinião deles, do que contar a origem dos apelidos.

Sirius passou o braço pelos ombros de Lia e Gaby, que estavam ao seu lado, e riu.

- Garotas adoram ameaçar.

- Sabe - murmurou Gaby retirando o braço de Sirius de seu ombro. -, preferimos muito mais agir do que só falar...

As duas reviraram os olhos.

- Ta bem, vamos entrar... - disse Lily abrindo a porta da casa. - Quero dormir, já está bem tarde!

Tiago sorriu ao ouvir a ruivinha dar um bocejo.

- Está tão cansada assim, ruivinha?

- Claro! Tive que acordar cedo por causa dessas duas - disse referindo-se à Lia e Gaby. -, e já está tarde.

Eles entraram na casa caminhando bem devagar para não serem ouvidos pelo Sr. e Sra. Lincourt.

Quando os seis iriam subir a escada, Lia infelizmente esbarrou no vaso de porcelana que ficava ao lado do corrimão direito. O vaso caiu e fez, no mínimo, um escândalo.

- Agora... estamos ferrados. - comentou Tiago monotonamente, enquanto despenteava os cabelos.

Gaby deu de ombros e esperou o pior. E fez uma careta ao ouvir passos apressados descendo a escada superior.

- Mas o qu est'á acontencend?! - exclamou a Sra. Lincourt procurando a origem do barulho. - Quem est'á aí?

- Só você? - perguntou Lia. - E eu, que quebrei o vaso?!

- Reparo! - murmurou Lily baixinho, tirando a varinha que sempre levava no cós da calça lembrando-se de que podiam usar magia ali. Rapidamente colocou o vaso no lugar.

- Gaby? Gabrielle? - chamou a Sra. Lincourt tentando enxergar na escuridão. Então rapidamente acendeu as luzes.

- Oi mãe. - disse Gaby baixinho encolhendo os ombros e fazendo cara de inocente.

- O qu estan todos fazend aqui embaixo? Onde estan os outres? Já se foram?

- Ah, mãe... Nós estávamos....

- Jogando xadrez! - interveio Giulia sorrindo sem graça.

- É! Isso aí! - disse Gaby fazendo careta. Odiava xadrez.

- E ond estan os outrres?

- Já foram! - disse Remo normalmente. - É que já estava ficando tarde, e eles foram embora...

- Faland en tard... - disse a Sra Lincourt virando-se para Gaby. - Est de castig, mocinha.

- Mas mãe! - protestou Gaby indignada.

- Mas nad, agora vá para o quarrte!

- Quando vou poder saír, daqui a quarenta... ou cinqüenta anos? - perguntou a menina subindo as escadas emburrada.

A sra Lincourt revirou os olhos ao ouvir o som da porta se fechando bruscamente e virou-se para Lia, Lily, Tiago, Remo e Sirius sorrindo.

- Bom crriançs, acho que também estarr na horra de irrem para o quarrte, non?

- Ah, sim... claro! - disseram todos sem outra alternativa. - Boa noite.

Todos subiram as escadas e foram para seus respectivos quartos.

Tudo parecia normal. Todos foram dormir e o silêncio pairava na casa.
A não ser...
- Tiago... - sussurrou Sirius abrindo levemente a porta do quarto do amigo.

Ele não respondeu.

- Tiago... - Sirius voltou a chamar agora um pouco irritado por ser ignorado.

Novamente não foi respondido, então abriu a porta do quarto inteiramente e entrou. E o que viu não foi muito... bonito.

Tiago estava esparramado na cama, os óculos estavam tortos, a roupa toda amarrotada e uma ligeira baba escoria pelo canto dos lábios.
Sirius se segurou para prender o riso...Mais não deu, e acabou soltando uma sonora gargalhada.
Tiago deu um pulo da cama e ajeitou os óculos.

- Ah, Almofadinhas! - reclamou. - Que foi?!

Sirius revirou os olhos.

- Esqueceu que temos que inventar uma boa desculpa para as garotas?

- Ah é... To lembrando...

- Claro que ta, seu veado idiota. - disse Sirius revirando os olhos. - Você não tem problemas mentais...ou tem?

- É cervo, seu cachorro pulguento!

Sirius revirou os olhos.

- Então...Alguma idéia?

- Não...E você?

Então os dois se entreolharam e juntos exclamaram como se aquilo fosse a coisa mais obvia do mundo:
- Remo!

Os dois se encaminharam juntos, sorrateiramente, para o quarto de Remo.
Tiago bateu na porta, tentando não fazer tanto barulho. Mas como não apareceu ninguém, os dois invadiram o quarto do garoto. Ele dormia tranqüilamente.

- Ô Remo... - chamou Tiago sacudindo o amigo. - Acorda!

Remo resmungou alguma coisa inaudível e virou para o lado oposto, ou seja, virando a cara para os marotos.

Sirius e Tiago se entreolharam irritados.

Então ouviram Remo suspirar:
- Lia...

Sirius prendeu o riso e Tiago o olhou marotamente.

- Ele ta mesmo apaixonado... - comentou Sirius. - Mas me ajuda a acordar ele, Pontas!
- Como se você estivesse fazendo grande coisa, Almofadinhas.

Sirius revirou os olhos e empurrou Remo, quase derrubando-o da cama.

- Acorda, coisa! Dorme mais que a cama!

- Quê?! – exclamou Remo dando um pulo da cama.

- Tava sonhando com o que?! - perguntou Tiago espantado. - Ou... Com quem?

- E-eu? C-co-om ninguém! - gaguejou Remo, lembrando-se muito bem do sonho que tivera.


Remo lembrava-se de estar em uma praia, observando o pôr-do-sol, e ao seu lado estava Giulia, os cabelos loiros voando com o vento...
A pele da menina ficava perfeita, à luz âmbar do pôr-do-sol. Seria capaz de qualquer coisa para tê-la... Só para ele.
Ela sorria para ele. Ah, como ele faria de tudo só para vê-la sempre feliz, alegre, sorridente...E nunca triste. Não, nunca triste. Enfrentaria tudo e todos que pudessem desfazer o sorriso da menina naquele momento. Como ele a achava linda...


- Agora, o seu apelido faz mais sentido que nunca... Aluado! - comentou Tiago, observando a expressão vidrada do amigo.

- E o seu também, Pontas. - retrucou Sirius rindo.

Tiago lançou um olhar fulminante ao maroto.

- Muito bem, vamos ao assunto. - disse Remo com um quê mal-humorado. - Vocês me acordam sabe-se lá que horas da madrugada, me despertam de um sonho... legal. - nessa hora Sirius e Tiago se entreolham soltando um riso. - Para....?

- Não pretende contar a... verdade para as meninas, não é?! - perguntou Tiago.

- Bem, não. - disse Remo meio incerto. - Não sei... Acha que a Lia não falaria mais comigo se descobrisse a verdade...sobre mim?

- Eu duvido muito que ela fosse ficar sem falar com você por causa disso... - disse Sirius sentando-se na beirada da cama de Remo.

- Mais não seria muito...arriscado?! - disse Remo. - Digo, e se ela não quiser nem olhar pra minha cara porque eu escondi isso dela esses anos todos?

- E chegamos ao ponto! - exclamou Tiago. - Por isso viemos aqui, para inventarmos qualquer coisa que não nos "condene".

Remo concordou meio vacilaste.

- Ok, - disse Sirius após uns segundos de silencio. - alguma idéia?

- Não... - disseram os dois outros desanimados.

XXXX

Lily observava atentamente a capa verde-escura com detalhes felpudos cor de vinho.
Levantou-se e andou até o longo espelho e cobriu-se com a capa, ficando invisível.
Assustada e entusiasmada, retirou a capa do corpo e pôs-se a observá-la.
"O que essa capa estava fazendo lá? Será que alguém perdeu? Não seria melhor entregar para a senhora Lincourt e...", pensava a ruivinha, quando foi interrompida por batidas ligeiras na porta e uma voz que sussurrava apressadamente:
- Lily, Lily? Lily, abre a porta!

A ruiva correu até a porta e a abriu tentando não fazer barulho. Viu as duas amigas paradas à sua frente e abriu espaço para que entrassem.

- O que estão fazendo aqui à essa hora?!

Gaby entrou e se jogou na cama, bagunçando os lençóis ainda arrumados.

- Hey. - protestou Lily. - Sua folgada.

Gaby mostrou a língua pra ruiva que devolveu do mesmo modo.

- Não estamos com sono. - respondeu Lia. - E sabíamos que estava acordada, então viemos pra cá.

Lily revirou os olhos.

- Já está muito tarde e já era hora das duas mocinhas estarem na cama. - brincou Lily batendo o pé no chão.

- Você também mamãe. - disseram Lia e Gaby, juntas, rindo.

- Então... - disse Gaby sentando-se. - Vamos conversar! Para descontrair, sei lá!

- Ok! - disse Lia enquanto as três sentavam em roda no chão. - Sobre o que iremos conversar?

Lily fingiu pensar antes de dizer:

- Não vamos dar uma de garotas fúteis e fofoqueiras, né?

- Claro que não. - protestou Gaby cruzando os braços.

- Então sobre o que vamos falar?

- Hum... Que tal sobre...o novo namorado da Emília Logan? - brincou Lia.

- Há-há-há... - ironizou Gaby, mesmo assim rindo. - Temos coisas mais importantes pra falar... Eu acho!

Giulia riu.

- 'Tava brincando Gaby.

Gaby cruzou os braços e virou o rosto para o lado.

- Ai vá, Gaby...Não vai dar uma de criança, né... - disse Giulia, já que a menina não tinha respondido.

Gaby não respondeu mais via-se que prendia o riso.

- Gaaaabyyy fala comigo sua poia! - disse Lia balançando a amiga pelo ombro enquanto Lily ria.

De repente, Lia se vê no caída no chão por causa de uma travesseirada que Gaby lhe dera quando estava desprevenida.

- Ahhh, não! - disse Lily colocando as mãos na cabeça. - Guerra de Travesseiros nã...

- Lily! - interrompeu Giulia risonha, e quando a ruiva olhou para ela completou tacando-lhe uma almofada na cara. - Pensa rápido!

- Aiii Liaaaaaa! Agora você me paga!! - disse Lily fingindo estar furiosa.

- Calma Lily...- disse Lia andando para trás.

Lily pegou um enorme travesseiro que encontrava-se debaixo das cobertas e o observou sorrindo marota.

- Agora você me paga! - repetiu, antes de lançar o enorme travesseiro na amiga.

Lia abaixou-se em tempo de não receber uma trevesseirada no meio da cara. Mais quando abaixou-se a almofada passou por ele e acerto Gaby em cheio.

- Li...Lian...Evans.. - disse Gaby depois de levantar-se do chão, porque tal foi o impacto na almofada que ela fora jogada. – Agora.Eu-te-mato!

- E o que você vai fazer?

- Eu?!? - disse Gaby enquanto ia devagar para o mesmo lado onde Lily estava. - Nada...

- Ah, sei... - murmurou Lily.

Logo que Gaby levantou um dos travesseiros que estava no chão para jogar em Lily, as três ouviram um barulho. Um baque seco.

- O que foi isso? - perguntou Lia, olhando para a porta.

XXXX

Tiago havia tropeçado nas cobertas de Remo ao descer da cama e caído de cara no chão, fazendo um enorme barulho.

- Cuidado! - exclamou Remo.

- Foi mal! Mas... Será que as garotas ouviram?

XXXX

- Não sei. - disse Gaby, então ela franziu o cenho antes de continuar. - Eles estão armando alguma...

- Eles? Eles quem, Gaby? - perguntou Giulia sentando bruscamente na cama.

- Papai Noel e o Coelho da Páscoa! - disse Lily sarcástica. - Os garotos, né?! Bem, sei que não é certo... Mas o que acham de... meio que escutar eles... Se é que estão falando alguma coisa...

Gaby sorriu marotamente.

- To dentro.

- E você, Lia?

- Ah gente, isso é certo? Ouvir a conversa deles...?

Gaby e Lily reviraram os olhos.

- Lia, você gosta de mentiras? - perguntou Lily.

- Não...

- Então que tal descobrirmos a mentira que eles supostamente querem nos contar?
Giulia não respondeu.

- Pensa, Lia. Eles querem nos enganar. Pensam que podem enganar qualquer garota... - começou Gaby a favor das mulheres.

Lia se remexeu um pouco na cama mais ainda não respondeu.

- A qualquer hora...A qualquer instante... - continuou Lily.

- Pensam que botem usar e abusar de nós mulheres... - completou Gaby em tom de persuasão.

- E fazer de nós gato e sapato. - continuou Lily.

- E o que você quer que a gente faça? Fiquemos paradas enquanto eles planejam mentir...pra nós?!? - terminaram Lily e Gaby juntas.

Lia levantou-se em um salto.

- O que estamos esperando?

As três já estavam saindo do quarto quando Lily parou e disse:
- Esperem, acho que isso pode ser útil!

Ela foi até a cabeceira e abriu uma das gavetas, onde tinha deixado a “capa”.

- Não tenho certeza – continuou. -, mas acho que é uma capa da invisibilidade. Podemos usar...

- Ta falando sério? – perguntou Gaby dando meia volta. – Se for mesmo, vai ser fácil...

- Só nos cobrimos com a capa e bater na porta do quarto deles. – apoiou Lia. – Bem, é provável que estejam os três em um quarto só, então, caso eles abram, nos entramos, já que eles não vão poder nos ver...

- Ótimo. - disse Gaby sorrindo e pegando a capa da mão da ruiva. - Vamos garotas. - completou cobrindo Lily, Lia e ela própria com a capa.

As três saíram do quarto silenciosamente enquanto tentavam descobrir em que quarto eles estavam. Logo na primeira porta que tentaram, descobriram. Estavam, com certeza, no quarto de Remo.

- Tenha as honras, Lia... - disse Lily rindo.

Lia colocou o braço pra fora da capa e deu três batidas na porta.
Os Marotos rapidamente se calaram.
Sirius levantou-se da cama e foi abrir a porta, talvez pensando que fosse a Sra. Lincourt, ou algo parecido. Abriu a porta e não viu ninguém. Sentiu alguma coisa leve encostar em sua perna, e ao olhar para baixo, também não viu nada. Deu de ombros e fechou a porta, voltando a sentar-se na beirada da cama de Remo.

- Não era ninguém...

- Tem certeza? - indagou Tiago erguendo a sobrancelha.

- Tenho veadinho. - brincou Sirius, recebendo um olhar fulminante do moreno de óculos.

- Veadinho..? - sussurraram as garotas juntas se entreolhando confusas.

- É Cervo!! - exclamou o garoto. - Cer-vo!

- Ok, ok. - riu Sirius. - Já deu pra entender, Pontas.

- As crianças já pararam de se estranhar? - perguntou Remo cruzando os braços e arqueando a sobrancelhas.

Tiago revirou os olhos.

- Que isso, Aluado! Quem se estranha é cachorro, e cachorro aqui só tem o Almofadinhas..

- Até que enfim alguém concorda comigo! - exclamou Gaby baixinho.

Giulia riu baixinho enquanto Lily revirava os olhos.

- Beleza gente. – disse Sirius. - Mas meu lindo, maravilhoso, e perfeito cérebro esta incapacitado de pensar em alguma coisa realmente boa nesse momento.

- Como se algum dia você realmente soube o que é pensar.. - brincou Tiago.

- Isso não teve graça, chifrudo! - reclamou Sirius cruzando os braços.

- Chifrudo?! - exclamou Tiago indignado. - Ora seu...

- Querem parar os dois?! - interrompeu Remo com um quê de impaciência na voz . - Vocês me acordam de madrugada, me despertam de um sonho realmente bom, pra ficarem discutindo no meu quarto feito marido e mulher?

- Não é com ele que eu pretendo me casar! - disseram os dois.

- E chifrudo é o Senhor seu pai, Sirius! - continuou Tiago.

- Ai, Merlin...Dai-me paciência.. - disse Remo erguendo as mão para o alto.

- Como seu eu não soubesse que meu pai é chifrudo... Grande novidade! - disse Sirius bufando. Mas então, alguém tem alguma idéia?

- Bem, poderíamos dizer que Aluado é por causa que o Remo sempre ta no mundo da lua pensando em uma certa loirinha... - disse Tiago soltando um riso.

Giulia corou, e Gaby e Lily riram baixinho.

- E Pontas por causa dos chifres que a Lil põe em você, né Tiago.. - brincou Sirius como se fosse uma criançinha de cinco anos entusiasmada á fazer bagunça.

- Você é tão engraçado quanto uma porta! - disse Tiago emburrado. - Cadela...

- Chifrudooooo! - disse Sirius zoando com a cara do amigo.

- Cadelaa!

- Chifru...

- Parem! - disse Remo, bem na hora em que Gaby prendia a risada.

- Que foi, mãe? - ironizou Sirius.

- Mãe é caramba!

- Calma Aluadinho.. - brincou Sirius.

Remo revirou os olhos já perdendo a muita paciência que tinha.

- Dá pra vocês decidirem logo qual o bendito significado de Pontas e Almofadinhas??!

- O cérebro aqui é você, Aluado! - disse Tiago. - Eu não tenho nada em mente...
Remo suspirou pesadamente, antes de cair na cama colocando um travesseiro na cara.

- Eu odeio mentir... - disse com a voz abafada pelo travesseiro.

Giulia fixou o olhar em Remo.

- E acha que nós gostamos? - perguntou Sirius.

- Do jeito que você mente para as garotas, sim. - murmurou Gaby.

- Não preciso mesmo responder, não é? - ironizou Remo ainda com o travesseiro no rosto.

Sirius revirou os olhos e tacou uma almofada no amigo que resmungou ao sentir o impacto...

- Que tal, Almofadinhas porque o Sirius adora tacar almofadas nas pessoas?! - opinou Tiago.

- Sua inteligência me surpreende, Pontas! - ironizou Sirius.

- Mas qual é o verdadeiro significado dos apelidos? - perguntou Lily baixo.

- Como se você tivesse um pingo de inteligência nessa sua cabeça anormalmente grande! - retrucou Tiago em tom de provocação

- Ótimo, então fica assim: Aluado por ficar sempre no mundo da lua...Literalmente. Almofadinhas por que Sirius ama tacar almofadas nos outros. E Pontas porque... - disse Tiago.

- Porque você é um chifrudo. - interrompeu Sirius.

- Chifrudo é o pai... !

- Merlin! - a voz abafada pela almofada de Remo interrompeu a possível discussão que se passaria a seguir.

- Voltando ao assunto. - disse Tiago emburrado. - Pontas porque, porque...

- Sem palavras, chifrudinho? - gozou Sirius.

- Sirius, enfia o rabo entre as pernas e fica quieto! - resmungou Remo. - Continua, Tiago..

- Obrigado, Remo. - disse Tiago. - Bem, Pontas porque...

- Porque você ficou traumatizado na infância após um touro enfiar o chifre na sua bun...

- SIRIUS! - repreendeu Remo.

- Estou impressionada com o amor que existe entre eles... - murmurou Gaby segurando-se para não rir.

- Bem, não estou conseguindo pensar em nenhuma justificativa para "Pontas", e não me venha com gracinhas, cadela! - exclamou Tiago antes que Sirius abrisse a boca.

- Pontas... poderia ser porque Tiago tem os cabelos espetados? - opinou Remo.

- Ta bem, já que não pode ser por causa do touro... – disse Sirius indiferente. – Mas Aluado, um dia você vai ter que contar a verdade... E nós também, é claro!

- Sim, um dia eu vou ter que contar que meu apelido é Aluado por culpa deu ser um lobisomem, e Pontas porque Tiago se transforma em cervo, e Almofadinhas porque Sirius se transforma em um cachorro. - resmungou ele.

As três meninas ficaram estáticas. Mais por Remo ter se revelado um lobisomen do que por qualquer outra coisa.

- Ca-ramba... - murmurou Lily surpresa. - Não imaginava que fosse uma coisa tão... sei lá... assim!

- Merlin... - sussurrou Giulia com os olhos marejados. - O que ele deve passar nas noites de lua-cheia deve ser horrível...

- Como não percebemos isso antes? - disse Gaby. - Realmente, todas as vezes que a fase de lua-cheia se aproximava ele ficava mal...

- É, como não percebemos isso antes...? - sussurrou Lily para si mesma.

- Não importa! - disse Gaby. - Mas não vamos deixar eles nos fazerem de bobas!

- É isso aí. - disse Lily se recompondo. - Não vamos mesmo!

- Mas... não estamos fazendo o mesmo com eles? - perguntou Lia. - Não são só eles que estão escondendo alguma coisa.

- Sim, mais o nosso segredo é construtivo. - rebateu Gaby. - Eles não suspeitam de nada e nem irão.

- Tá bem... - concordou Lily.

- Então está resolvido! - exclamou Tiago. - Bem, boa noite! Eu quero dormir, para voltar a sonhar com minha ruivinha!

Lily, mesmo sem querer, corou.

- Ótimo. - disse Remo que ainda estava na cama com a maior cara de sono. - Vão dormir logo, e me deixem voltar a sonhar com a. Lia. - e nessa hora caiou no sono.
Lia corou até a raiz dos cabelos, enquanto Gaby e Lily soltavam risos baixinhos.

- Parem com isso... - murmurou Giulia.

- Pelo visto interrompemos o sono do Aluado, mesmo heim. - riu Sirius abrindo a porta do quarto e as meninas saíram rapidamente, antes de Tiago passar pela porta. - O que será que ele devia estar sonhando em Pontas?

- Não seria alguma coisa..hum...Indecente. Seria? - disse Tiago marotamente caindo na gargalhada com Sirius.

- Meninos.. - murmuraram as três revirando os olhos.

As meninas voltaram para o quarto de Lily logo após Tiago e Sirius fecharem a porta de seus quartos, tomando cuidado para não fazerem barulho.

- E agora... Vamos dormir? - perguntou Gaby.

- Vamos. - disse Giulia. - Eu to morta de sono...

Lily se jogou na cama.

- Boa noite, garotas... - disse a ruiva virando para o lado oposto de onde estavm Lia e Gaby.

- Perai, Lily. - brincou Gaby. - Me deixa ver se eu entendi direito...Você esta nos expulsando do quarto?

- Isso é um absurdo... Uma blasfêmia! – brincou Giulia.

- Nada, ela só quer ficar sonhando com o "cervinho" dela... - riu Gaby. - É melhor deixar ela e os pensamentos sozinhos...

- Bem se for por isso. - riu Giulia. - Fique a vontade futura senhora Potter...

- Meninas, vocês estão querendo me irritar, não é?! - disse Lily corando.

- Eu?!? - indagou Giulia. - 'Magina...Claro que não..

- Ta bem.. se quiserem, fiquem ai... - disse a ruiva. - Mas o que vamos fazer?

- Ah nããão, eu to morrendo sono. - resmungou Lia.

- Outra que quer sonhar com seu amado... - murmurou Gaby. - Bem, sobra pra mim! Vou dormir também, boa noite...

As duas se encaminharam para seus quartos e se despediram.

- E também sonhar com o seu amado... - riu Giulia saindo do quarto junto de Gaby.

Lily revirou os olhos.

- Mas o que será que esse garotos têm na cabeça? - perguntou Lily para si mesma. - Poderiam ter falado numa uma boa! Mas não... escondem desde o primeiro ano, ou sabe-se lá desde quando!

XXXX

- Porque será que o Remo escondeu isso de mim? - Giulia perguntou-se mentalmente enquanto se revirava na cama.
Depois de alguns segundos sem conseguir dormir, só se revirando tentado achar uma posição confortável, e pensando em Remo, Giulia sentou-se rapidamente. Não conseguiria dormir tão cedo.

XXXX

Gaby se trocou, e sentou-se na penteadeira que ficava ao lado da sacada.
Penteando os cabelos devagar, mentalizou tudo o que os meninos disseram, e não deixaria escapar nada, principalmente quando queriam mentir para ela.
- Agora eles não escapam... - murmurou Gaby para si mesma, sorrindo satisfeita, e indo deitar-se.



------------------------------------------------------------------

Nota das Autoras:
Olá amores. Agradecemos aos comentários. E não temos nada a mais para dizer a nossa queria amiga "ninel-anônima-nome-do-próprio-cachorro". Espero que gostem do capitulo.
O próximo capitulo vem aí!
Beijos,
Lia Lupin e Gaby Black

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.