FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. Capítulo 9: Já que é pra brinc


Fic: Férias de Verão


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPÍTULO 9: JÁ QUE É PRA BRINCAR...


- Ah, Ron... Isso é tão bom...

- Shhhhh... Relaxe meu bem, deixe-me satisfazê-la.

- Hum-hum.

- Eu não pensei que você ia gostar tanto.

- E tem como não gostar disso? – ela disse de olhos fechados.

- Tem razão. Eu sou ótimo mesmo.

De repente ela abriu os olhos. Ia protestar, mas sentiu o toque dos lábios dele. O ruivo havia depositado um beijinho no peito do seu pé. Ele a encarou e sorriu. Ela se rendeu. Não podia brigar com ele naquela situação: Hermione estava ali, displicentemente esparramada no sofá da sala de vídeo com Ronald lhe massageando os pés. Estavam assim há alguns bons minutos, desde que haviam chegado de mais uma aula de vôo. Era a terceira naquela semana e Hermione já estava voando muito bem. Já estava até gostando e pedindo mais.

Chegaram em casa exaustos. Ele havia colocado um CD de música instrumental e ela tinha pedido (com uma voz bem chorosa) que ele lhe fizesse mais uma daquelas massagens nos pés.

- E então Mi? Como se sente?

- Bem!!! – disse ela se espreguiçando.

- Que ótimo, pois eu estou com muita fome!

- Claro que está... – ele fez uma careta engraçada – Sabe o que vou fazer agora?

- Posso usar legimiência em você? – disse ele em tom irônico.

- Nem pense nisso! – retrucou em tom severo – Além do mais, sou muito boa em oclumência.

- Novidade... Me diz algo em que você não é boa.

- Bom, voltando à minha pergunta retórica... Eu acho que... Na verdade, eu tenho certeza que vou mergulhar naquela banheira e passar – pensou um pouco – muito tempo imersa em muita espuma. Quero ficar igual a um bolo com cobertura de chantili!

- Eu tenho uns sais relaxantes muito bons – ele disse, ela sorriu animada – Vai enchendo a banheira que eu vou lá te entregar.

- Certo. – e disparou para as escadas.

- Ei! – ela voltou-se para ele – você não estava com dor nas pernas? – ela apenas mostrou a língua para ele e correu para cima.

*****************************

- Hermione? – disse ele entrando no quarto.

- Estou aqui. – respondeu dentro do banheiro.

- Posso entrar?

- Claro, só estou enchendo a banheira.

Ele caminhou até a porta do banheiro, espiou lá dentro e se deparou com Hermione experimentando a temperatura da água. Ele estendeu dois frascos com líquidos em tom de azul para ela.

- Ah, obrigada Ron – disse ela despejando um pouco dos sais na água – me ajuda a fazer espuma....

Eles começaram a sacudir as mãos dentro da banheira, em poucos segundos esta parecia mais uma caneca de chop com muuuuito colarinho.

- Assim tá bom pra você?

- Perfeito – sorriu ela – agora tchau Ronald!

- Já tô indo... Tô indo. – E ele saiu encostando a porta atrás de si.

Hermione olhou para a banheira satisfeitíssima. Aquela espuma estava convidativa demais! Prendeu o cabelo com um broche, despiu-se e entrou na água.

*************************************

Rony já estava a um bom tempo esperando pela amiga. Não queria comer sozinho, mas ela estava realmente demorando. Ele já tinha tomado um banho, e um banho demorado... Preferia a ducha quente à banheira. Não que banho de espuma fosse ruim, mas é mais bem aproveitado quando se está acompanhado... A água do chuveiro escorrendo pelo corpo dava uma sensação de renovação, segundo o ruivo. Olhou para o relógio... Mais de vinte minutos... Que ele havia descido! Ela não estava brincando quando disse que ia ser um banho beeeem demorado. Eu devia comer logo... Oh Merlin! Porque eu fui inventar de me transformar em um cara educado? Agora me sinto culpado por não esperá-la!

Mas seus lábios se contraíram num sorriso... Ele sabia como havia mudado tanto. Em duas palavras: Luna Lovengood. A convivência com ela realmente era maravilhosa! Ele tinha vontade de fazê-la a mulher mais feliz do mundo. Não que ela tenha sido a primeira que o fez sentir assim, mas foi com ela que se sentiu totalmente à vontade para expor-se inteiramente...

Seus pensamentos foram interrompidos por seu estômago que insistia em roncar. Ah não... É capaz de eu chegar lá e ela já ter se dissolvido naquela água... Preciso salvá-la! Levantou-se e subiu rapidamente as escadas, abriu lentamente a porta do quarto e dirigiu-se ao banheiro. Por sorte ela não havia trancado a porta por dentro. Pé-ante-pé abriu a porta e viu uma Hermione de olhos fechados soterrada por espuma até o pescoço. Silenciosamente ele sentou-se na borda da banheira. Como se sentindo a presença do ruivo ali, Hermione abriu os olhos numa expressão de espanto:

- O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI!!! SAIA JÁ RONALD!

- Calma Hermione! Eu só vim ver se você está bem... Sei lá, depois de tanto tempo pensei que você podia ter tido um troço aqui dentro... Ou pior, se afogado em tanta espuma! Ou pior, podia ter sido atacada por um monstro! Ou pior, podia ter se desmanchado e virado uma sopa!

- Engraçadinho você! Agora sai!

- Não.

- Como assim não?

- Ora Mione, não é não.

- Você vai sair sim!

- Sabe quanto tempo você me fez esperar? Eu ainda não jantei porque estava te esperando.

- Problema seu. Eu não pedi pra você esperar!

- Que é isso Hermione? Onde está sua educação? O que sua mãe diria... – ela estreitou os olhos, ele suspirou fingindo indignação – Eu acho que mereço uma leve vingança... – recebeu um olhar incrédulo da amiga.

- Vingança? Ora, mais que essa! Era só o que faltava! Ronald sai! Agora! – Levantou uma perna para empurrá-lo. Ele foi mais rápido e segurou a perna dela fora d’água. – Ron, solta minha perna – pediu.

- Agora eu sou Ron é?

- Solta! Eu tô mandando!

- Com carinho Mione, peça com carinho... – disse ele acariciando a perna dela.

- Com carinho uma ova! Eu tô mandando você soltar minha perna... – ela sentia um arrepio, ao toque de cada dedo do amigo. Carinho na perna, isso não é coisa que qualquer uma agüente.

- E quem disse que eu lhe obedeço?

- Isso não é coisa que se faça...

- Digamos que você está em desvantagem – ele não acreditava que estava fazendo aquilo, mas estava – não pode levantar... Na verdade pode, mas eu sei que não vai – ele ia deslizando os dedos pela perna dela, ela estava estática – ou eu a verei totalmente despida e nós não queremos isso não é? Portanto eu posso ficar aqui e torturá-la um pouco com minha presença, só até eu sentir que estou vingado – ela sentiu que ele fazia uma pequena pressão, trazendo sua perna para frente...

- Não Ron... não faça iss... – foi o que pôde dizer antes de Rony puxar sua perna e ela escorregar mergulhando totalmente na água.

Ela emergiu o mais rápido que pôde e se deparou com um Rony dando gargalhadas.

- Você realmente está parecendo um bolo com cobertura de chantili Mione! – disse enxugando as lágrimas.

- EU TE MATO RONY!!!!

- Levanta. E vem me pegar – disse ele com as mãos nos bolsos, escorando na porta e lançando um sorriso travesso para ela. Ela corou furiosamente, seu rosto queimava de raiva – Como eu pensei... Você não vai levantar. Te vejo lá embaixo... – e apertou os olhos para ela.

- Grrrrrrr! EU TE PEGO, VOCÊ VAI VER!!!! – ouviu as gargalhadas do ruivo e as portas se fechando, imediatamente levantou e buscou a toalha – Ah, eu te pego...

*************************************************

Ele descia as escadas segurando no corrimão. Não conseguia parar de rir da cara da amiga, coberta de espuma e gritando com ele... as mãos dele na pele macia da perna dela. Parou de rir imediatamente. Ficou ofegante com aquele pensamento. Calma cara... já faz tempo, o encanto dela sobre você já passou... Certo... certo... Sabemos porque você está assim Ronald, é porque já tá sentindo falta, quase três meses sem “diversão” com ninguém faz a gente pensar cada besteira... e com cada pessoa...

- Ron! Ron!

A voz da irmã o tirou de seus devaneios. Ele olhou para a lareira e encontrou a cabeça de Gina lá.

- Tô te chamando faz um tempão!

- Desculpa, é que eu tava lá em cima e a Dafne teve que sair hoje, queria ir ao hospital visitar um amigo...

- É, eu sei. Encontrei-a no St. Mungus, na ala dos elfos... bem, mas não é por isso que eu estou aqui. Já avisou a Mione de amanhã?

- Ainda não.

- Desligado! Bom, mas isso não é o fim do mundo, isso se concerta daqui a pouco. Eu só quero lhe lembrar de chegar mais cedo amanhã pra gente combinar aquele negócio...

- Que negócio? – disse franzindo as sobrancelhas.

- O aniversário do Harry seu tonto! Mamãe pediu pra gente chegar antes dele, assim dá pra combinar tudo bem direitinho.

- Ahhh, certo ent... AI!!!

Mas ele não pôde completar a frase. Tudo o que Gina viu foi uma almofada voando em direção à cabeça de seu irmão e uma Hermione parada na escada, enrolada em uma toalha azul escuro, morrendo de rir.

- Alguém pode me explicar o que tá acontecendo aqu...

- Agora não Gi – respondeu o ruivo partindo atrás da morena que subia desesperadamente as escadas.

- Crianças! – disse Gina revirando os olhos e sumindo na lareira.

Enquanto isso Rony já havia alcançado a amiga empurrado-a para cima da cama dele, já que a primeira porta que viu foi a do seu quarto, e fazia cócegas nela que tentava livrar-se dele e segurar a toalha ao mesmo tempo.

- Ai Ron, pára!!! Kkkkkkkkkkk Eu tô só de toalha! Kkkkkkkkkkkkkkkk

- Quem mandou mexer comigo?

- Foi só kkkkkkkkkkkk foi só uma leve vingança kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

- Da próxima vez pense nas conseqüências dos seus atos.

- Ron pára kkkkkk pára por favor kkkkkkk e continue olhando pro meu rosto!

- Por que? – disse ele parando e olhando para ela.

- É que... é que – tentava recuperar o fôlego – a toalha caiu – disse ela corada.

- Ah, tá – disse ele fechando os olhos e corando também – Desculpe, pode sair, eu não tô olhando.

- Certo – ela cobriu-se rapidamente e saiu.


***************************************************

O jantar correu silencioso naquele dia. Os dois estavam muito envergonhados para falar. Rony tentava imaginar de onde tinha surgido tanta coragem para fazer uma brincadeira daquelas com Hermione. Onde já se viu? Entrar no banheiro dela daquele jeito! Tocar nela daquele jeito! Tudo bem, brincar com suas namoradas era uma coisa. Brincar com Gina era uma coisa... mas Hermione era diferente. Tá, eles eram amigos. Ainda assim ela era diferente. Não sabia porquê, mas as circunstâncias haviam tornado a relação deles diferente. Tudo bem... o destino conspirava para isso. Desde o primeiro momento naquele vagão do Expresso de Hogwarts. Ainda assim ela era uma parte importante de sua vida, um dos pilares de tudo o que ele é hoje. Levantou os olhos e se deparou com a amiga de cabeça baixa fitando seu prato. Pelo menos ela está comendo direito! Nossa, tô parecendo minha mãe!, sorriu com seus próprios pensamentos.

Hermione ainda estava em estado de choque. Não acreditava no que ele tinha feito! Nunca tiveram liberdade pra esse tipo de brincadeiras, nem mesmo depois de... Nunca foram de se abraçar muito, de se tocar muito. Às vezes ela sentia falta daquilo. Certo que ela não era do tipo que vivia agarrando os amigos. Sempre fora mais reservada ao demonstrar seus sentimentos, embora fosse completamente emotiva. Estranho, com Harry era tão mais fácil, abraçar, beijar... ela sentia como se Harry fosse o irmão mais novo que não teve... mas Rony... com Rony sempre ficava aquela sensação de estar invadindo fronteiras. E agora ele estava realmente quebrando essas linhas. O pior é que ela estava entrando no jogo do ruivo! Pedindo por massagens, abraçando, brincando de cavalinho! Não acreditava que tinha descido aquelas escadas de roupas íntimas e coberta somente por uma toalha... que idéia ridícula! Onde estava sua razão numa hora dessas? Nos pés! Só pode!

A morena terminou de comer e ainda imersa em seus pensamentos, foi lavar a louça que estava na pia. Ronald levantou-se e colocando seu prato ali resmungou:

- Hermione não precisa fazer isso.

- Por que não? – ela não ousou fitá-lo.

- Ora, porque não.

- Ah, é. A Dafne faz...

- Não Mione, eu faço.

- Vamos Ron, você não vai fazer!

- E como você sabe?

- Olha sua cara, até parece que tá com sono!

- Estranho, porque eu não tô com sono.

- Pois parece.

- Estranho, você nem olhou pra mim...

- Parem já com isso crianças! – Dafne entrou na cozinha – Não briguem por besteiras sim? Podem ir saindo que eu faço isso. Vamos, vamos, vamos – disse ela empurrando os dois para longe da pia.

Imediatamente os dois começaram a rir daquela que seria mais uma briga sem fundamento. Uma briga que só serviria de cano de escape para toda a confusão que estavam sentindo. Subiram as escadas lado a lado, em silêncio. Em poucos segundos estavam em frente à porta de seus respectivos quartos. Quando já estavam quase fechando as portas, Rony lembrou que precisava falar com Hermione.

- Mione! Ia esquecendo de te falar uma coisa.

- Sim...

- É sobre a programação de amanhã.

- Hãm... tudo bem. Deixa eu escovar os dentes primeiro?

- Tudo bem, então.

- Certo, chego já. – e entrou para o quarto e foi direto escovar os dentes. Filha de dentistas, sabe como é.

O que será que ele tá aprontando agora? Estava morta de curiosidade sobre o que seria a nova loucura que Ronald Wesley estaria armando para ela. Terminou e foi para o quarto em frente ao seu.

- Ron, posso entrar?

- Claro!

Ela entrou e sentou na larga cama que havia ali, para esperar o amigo, que também fazia sua higiene bucal. Ao terminar, ele sentou ao lado da morena, deixou-se cair para trás e falou em voz solene.

- Bom, eu quero comunicar que amanhã vamos à Toca.

- Serio?!?! – disse a garota entusiasmada.

- Sério!!! – disse ele rindo e imitando o entusiasmo dela.

- Seu chato! – e jogou um dos travesseiro no amigo – É que eu pensei que você não ia me levar lá!

- De onde você tirou uma idéia dessas? Claro que vamos lá. Sabe, nós temos uma reunião semanal. Todo sábado temos um almoço em família. Pra não perder contato... só não fomos sábado passado porque era o último dia daquele filme maravilhoso no cinema.

- Ai, estou com tanta saudades de sua mãe, do seu pai... de todos!

- Até da Fleur?

- Até da Fleur – disse depois de pensar um pouco.

- E dos gêmeos? – ele ria, ela também.

- Dos gêmeos também, mas se você contar pra eles eu te mato! – ameaçou apontando o dedo indicador para ele.

- Certo Estrelinha – disse sorrindo – e não é só isso, amanhã também vamos combinar como será o aniversário do Harry.

- É? Eu não sabia que ele ia fazer festa.

- E não vai. Nós vamos fazer.

- Festa surpresa! Adorei a idéia!!! – exclamou ela deitando ao lado de Rony.

- O bom! E o melhor é que o aniversário dele vai cair em um dia de sábado. Vamos combinar tudo amanhã. A Gi e mamãe já estão adiantando algumas coisas.

- Mas o ministério não vai fazer uma festa pra ele?

- Esse é o problema. Vamos tentar achar uma solução pra isso amanhã.

Ficaram um momento em silêncio. Ron estava se sentindo sonolento... mas ouviu um suspiro ao seu lado.

- Eu fico tão triste...

- Por que? – perguntou preocupado enquanto virava de lado para olhar Hermione.

- Pelo Harry. Sabe, ele e a Gina...

- Todos nós ficamos Mione. Mas... não sei... Eu gosto muito do Harry, ele é meu melhor amigo... mas eu acho que a Gi tá certa.

- Eu não digo que ela tá errada. – ela se virou para olhá-lo – O problema não tá com a Gina e sim com o Harry. É por isso que eu fico triste. Porque o tempo passa e não dá chance de corrigir erros.

- Sabe, - ele tinha um sorriso triste nos lábios – eu acho que se nada daquilo tivesse acontecido eles teriam casado.

- Eu tenho certeza disso.

- Ele foi tão estúpido! – explodiu o ruivo – Tudo bem que ele queria proteger a Gina... mas não precisava ter feito aquilo. Foi sujo! Ela gostava dele demais... eu realmente fiquei muito zangado com ele...

- Nós ficamos com muita raiva dele. Por mais que fosse pro bem dela... os fins não justificaram os meios.

- Hoje, eu não consigo mais ter raiva. Agora, ela... Ele merecia o desprezo dela. O que me surpreendeu foi a atitude da minha irmã... ela desmoronou, mas depois... ela soube se reerguer.

- Uma vez ela me confessou que não sente raiva do Harry... eu acho isso estranho. Mas isso é bom. Mostra que ela superou. Já ele...

- O pior – disse depois de um longo suspiro – é que ele tenta. Eu sei que ele tenta de verdade. Ele sai com outras mulheres, bruxas, trouxas... namora sério, mas é estranho. Ele não consegue esquecer a Gi. Ele consegue se divertir e tudo, mas se apaixonar... até eu me apaixonei! – sorriu – Eu cheguei a pensar que fosse obsessão dele pela Gi, mas não... é amor – ele pensou um pouco – parece que esse sentimento tá entranhado nele...

- Como você pela Luna? – arrependeu-se imediatamente de ter feito essa pergunta quando recebeu um olhar risonho do ruivo.

- E depois vocês querem me convencer que as mulheres não fofocam... – ele riu – foi a Gi que te contou?

- Foi – disse indignada – Se depender de você eu nunca vou saber de nada mesmo! – ela se virou na cama de ficando deitada de costas para ele que ria da expressão de raiva da amiga. Ele se aproximou e a abraçou.

- Mione, eu nunca quis deixar você de fora da minha vida, mas não suportava me comunicar com você só por corujas – ela deu de ombros – Sim eu gosto muito da Lu, ela é muito especial e se dependesse de mim, naquele momento, não teríamos acabado.

- E hoje? Se fosse hoje? – ela novamente se virou para ele, que ainda a abraçava pela cintura, de modo que seus rostos ficaram bastante próximos.

- Não posso responder. – ele colocou uma mecha de cabelos atrás da orelha dela – Não sei bem, muita coisa mudou... Mas ainda tenho-a aqui – e colocou a mão no peito. – Devo muita coisa a ela...

- Você tentou falar com ela?

- Naquela época? Muitas vezes, mas ela não me respondia direito... só dizia que estava fazendo a coisa certa.

- Lilá... Luna... – murmurou ela – já reparou que você só namora meninas que eu não gosto muito?

- Não gosta muito? Você odiava a Lilá! E a Luna também! – ela estirou a língua para ele – E o que você me diz de Vítor Krum?

- Hei! Você adorava o Vítor! – exclamou.

- Ele é um ótimo jogador de quadribol, mas não servia como seu namorado.

- E quem disse que eu o namorei? – ele ficou calado e olhou para cima – Não acredito! A Gina contou? Eu vou matá-la!

- Não ela não contou porque quis, eu praticamente a obriguei. Na verdade, eu a torturei... cócegas

- Seu monstro! – ela deu um tapa no braço dele. – por isso que você me ignorou naquele natal!

- Como você queria que eu reagisse? E não é porque eu estou reagindo assim agora que passei a gostar dele! – desconversou ele.

- Ah, tá! E se o Vítor não é pra mim, quem é? – ele ficou calado por um tempo. Ela não acreditou que tinha perguntado aquilo...

- Anthony Goldstein! – ela apertou os olhos e sorriu mordendo o lábio inferior – Ah, não... Vocês estão saindo? – sorriu ele – Merlin! Bem que eu percebi que aquele abraço tinha sido demorado demais...

- Estávamos saindo... Não estamos mais – ele a olhou intrigado – sabe, fim de trimestre... Férias... Ia ficar muito complicado.

- Então eu fui o responsável... Por que não disse que tinha planos de passar as férias com seu namorado? – tentou colocar um tom brincalhão na voz, mas no fundo estava vibrando por ela ter preferido estar com ele.

- Primeiro: ele não era meu namorado, ainda... – ela bocejou – segundo: eu não tive muita escolha de estar aqui não é?

- Ora Mione, eu fiz um desafio, você não tinha a obrigação de aceitar. Então você está aqui por vontade própria! Mas, sinceramente não sei se esse cara também é bom pra você. Eu falei por brincadeira. Nós nem conhecemos ele direito. Ele era da Corvinal... Não tínhamos muito contato com ele... Você tem certeza das intenções dele com você?

Mas quando ele se virou para ver a reação da amiga, percebeu que ela já dormia. Ele sorriu. Sua conversa devia ser realmente muito chata! Pensou em levá-la para o quarto dela, mas certamente ela acordaria e ele não queria isso. Por isso achou melhor deixá-la ali mesmo. Tirou suas sandálias e acomodou melhor as pernas dela na cama. Ela apenas se aconchegou mais entre os travesseiros. Ele colocou um cobertor sobre ela e deitou-se ao seu lado. Ficou observando a expressão tranqüila da moça até adormecer.

**************************************************************

Hermione abriu os olhos e a primeira coisa que viu foi uma mancha vermelha. Piscou algumas vezes para acomodar as pupilas à claridade que vinha da janela, então reconheceu a mancha como sendo os cabelos de Ronald Wesley.

Ainda estavam na mesma posição que dormiram: um de frente para o outro. Ela resolveu ficar deitada mais alguns minutos para deixar a preguiça sair. Enquanto isso ficou observando o homem ao seu lado. Ele dormia um sono tranqüilo, sua respiração era lenta e profunda. Os olhos fechados pareciam ressaltar o tom branco da pele cheia de sardas ao redor do nariz, já que os dois faróis azuis não apareciam para tomar toda atenção para si. Mechas de cabelo vermelho pendiam sobre a testa aumentando ainda mais o contraste. Era exótico e belo. Uma bela imagem, pensou a professora.

Merecia ser fotografado, mas não uma foto bruxa e sim trouxa. Uma imagem parada, que guardasse aquele momento. Um momento suave. Pensou em afastar uma daquelas mechas do rosto dele. Por fim achou melhor não fazer isso, temia acordá-lo e estragar aquela imagem que trazia tanta paz.

Engraçado era como um homenzarrão daqueles podia transmitir sentimentos tão doces simplesmente dormindo. Engraçado era lembrar que essa imagem era seu sonho de adolescência. Engraçado era recordar o quanto havia desejado aqueles momentos para toda sua vida. O quanto sonhara dormir e acordar ao lado daquele ruivo todos os dias, sentir a respiração dele próxima a sua pele, poder despertar e beijar aqueles lábios para iniciar seus dias. Engraçado era sentir seu peito apertar ao lembrar dos seus sonhos de adolescência. Estranhamente engraçado e triste, é perceber que nem sempre os sonhos de adolescência refletem o futuro...

Afastou aqueles pensamentos de sua mente racional e levantou-se delicadamente, pegou suas sandálias e saiu do quarto em silêncio, fechando a porta em seguida. Entrou no quarto e deitou-se mais um momento. Pensou em MacGonagall sozinha em Hogwarts. Será que tinha feito o certo? Tentou acalmar-se: Hagrid está lá com ela... E alguns professores também.

Levantou e foi ao banheiro. Não conteve o sorriso ao recordar a cena do dia anterior. Seu amigo realmente era insano! Divertidíssimo, mas ainda assim insano. Sentiu mais uma pontada no peito imaginar o que poderia ter acontecido com os dois quando eram adolescentes... Ela havia sido apaixonada por ele, isso é fato. Entretanto também era fato que eles nunca dariam certo juntos. Os anos em Hogwarts eram prova disso, sempre foram...

Após o banho desceu para a cozinha. Estava com muita fome e não ia esperar o amigo. Sabe-se lá que horas ele vai acordar!.

Fez seu desjejum calmamente, após isso folheou alguns livros mas estava se sentindo só. Queria a companhia de seu amigo. Ronald estava demorando tanto! Fechou o livro que tinha nas mãos e subiu para acordá-lo. Quando chegou na porta do quarto ouviu o barulho do chuveiro, então uma idéia lhe passou pela mente. Sorriu marotamente. Ela também teria sua leve vingança.

**********************************************

Ronald acordou e percorreu o quarto com os olhos procurando por algo. Após um pequeno esforço de memória ele lembrou da noite anterior. Só aí, percebeu que procurava por Hermione, mas ela já não estava lá. Já deve ter acordado, pensou. Espreguiçou-se demoradamente e rolou para o lado onde ela havia dormido, afundou o rosto no travesseiro e sentiu o perfume dela, um aroma suave mas característico. Era o mesmo que ela usava desde seus anos em Hogwarts. Ele recordava bem deste cheiro. Até chegou a roubar um pouco do perfume dela e colocou em um lenço, com o qual dormia. Riu desta lembrança. Abriu novamente os olhos e só então percebeu o que estava fazendo: estava abraçado ao travesseiro! Soltou-o imediatamente e correu para seu banho. Não! Ele não ia se deixar levar de novo! Nunca ia dar certo. Perto da Hermione ele não passava de um garotinho bobo. Sempre foi assim. Havia superado aquela paixonite adolescente que não passava de um amor platônico. Tinha certeza que este assunto estava bem resolvido. Por isso fez o convite... Por isso havia feito o desafio.

Desligou o chuveiro e puxou a toalha. Secou-se, mas deixou o cabelo pingar em suas costas. Olhou-se no espelho e fitou sua imagem por algum tempo. Ele definitivamente não era mais o Rony de Hogwarts. Muitas coisas ainda ficaram, mas outras mudaram completamente. Traduzindo: não havia mais espaço para uma história como a dele e Hermione. Não havia mais espaço para amores platônicos, somente para relações possíveis. Penteou os cabelos, enrolou-se a toalha e saiu.

- Hermione! O que você está fazendo aqui? – assustou-se ao ver sua amiga sentada na poltrona laranja que havia ali.

- Sabe... Depois do que você fez comigo ontem... Eu acho que merecia uma leve vingança – disse com um sorriso maroto e mostrando a varinha dele – Colloportus! – enfeitiçou as portas e janelas.

- Você nos trancou aqui?! – Ela só podia estar de brincadeira com ele! Claro que ela estava de brincadeira! Não, ele pensou, ela estava de pirraça.

- Bom, talvez eu queira te torturar um pouco com minha presença...

- Você é insana – disse sorrindo. Isso, me torture... Se soubesse o que andei pensando hoje...

- Não. Sou vingativa.

- Vamos Estrelinha, você não quer ficar aqui... Está corada.

- Só saio daqui quando te vir corar também.

- Hermione, me dá essa varinha! – E saiu correndo atrás dela que fugia dos braços do ruivo.

- Segura a toalha!!! – disse ela se acabando de rir. Então ele a encurralou. Atrás dela havia a parede, na frente estava Rony. Não estava com vontade de se dar por vencida, por isso fez a única coisa possível... Colocou-a dentro da sua blusa.

- Hermione... O que...?

- E nem pense em tirá-la daqui! – ele se afastou com o olhar incrédulo. Ela caminhou até a cama com um olhar matreiro e sentou-se.

Ronald pareceu pensar um pouco... De repente sua expressão mudou de susto para um sorriso de canto de boca.

- Ah, é assim? Pois está certo... O que eu posso fazer né?

E diante de um olhar estupefato de Hermione, ele começou a desfazer o nó na toalha. Rony ouviu um gritinho abafado e viu a amiga virar bruscamente afundando a cabeça nos travesseiros. Como podia ter sido tão ingênua? Como não podia ter imaginado que ele faria isto? Logo após ela ouviu o barulho da toalha caindo no chão.

- Ora, vamos Hermione... Eu sei que esse era o seu plano desde o princípio... Pode olhar, eu deixo.

- Se vista agora Ronald! – disse com a voz abafada pelos travesseiros. Não pode ser verdade... Não pode ser verdade... Eu estou tendo um sonho maluco, é isso...

- Como? Se todas as portas, inclusive a do guarda-roupas, estão trancadas por feitiço...

- Toma! – disse, ainda sem virar, estendendo a varinha para ele.

- Deixe de bobagens querida... – suspirou ele sentando ao lado dela na cama.

- Não se aproxime... – ela deslizava para longe dele – não encoste em mim!

- Shhh... Olhe pra mim, vamos – sussurrou tirando a cabeça dela dos travesseiro, ela apertava os olhos com força – Hermione, se você não abrir os olhos, eu vou ser forçado a tomar isto como um convite...

O que ele estava dizendo? Convite para quê? Mas achou melhor não procurar saber, arregalou os olhos e se deparou com o sorriso de Ronald Wesley. É simples, não desvie os olhos do rosto dele. Pronto!

- Pe-guei vo-cê! – ouviu ele dizer. Inconscientemente ela desviou os olhos para baixo e não conseguiu conter o suspiro de alívio: ele estava vestindo uma boxer preta. – Você acha mesmo que eu saio em pêlo do banho? – ele sorriu diante da expressão dela – A Dafne vive aqui e... Sabe... Eu fico à vontade com ela, mas nem tanto!

- Então... Você tava “tirando uma” com a minha cara o tempo todo? Merlin, como ele fica gostoso com vestido, ou melhor... despido assim...

- Não. Confesso que no começo você conseguiu me surpreender... Mas depois que eu lembrei... – sorriu de lado – Também confesso que foi divertidíssimo!

De repente o encanto sobre Hermione desapareceu, e uma raiva tomou conta dela. Partiu para cima dele, fazendo-o cair de costas na cama com ela dando soquinhos em seu peito. Ela dizia coisas do tipo “Você é realmente um metido!” ou “Você me paga!!!” ou “Eu te mato!” ou “Pare de rir agora!!!”. Ele apenas ria gostosamente daquilo tudo. Ele rolou para cima segurando seus braços, da forma mais gentil possível enquanto ela se debatia. De repente os insultos morreram na garganta dela e o sorriso desapareceu dos lábios dele. Só então perceberam a posição que estavam: ele segurava os braços dela acima da cabeça com os dedos entrelaçados, os rostos estavam somente à alguns centímetros e o corpo dele, vestindo somente uma cueca, estava entre as pernas dela. Aquela aproximação era perigosa demais... E eles sabiam disso. Separaram-se com os rostos completamente vermelhos (Rony também estava com as orelhas camufladas nos cabelos).

- Desculpa... Se eu machuquei seus braços... – balbuciou ele saindo de cima dela.

- Oh... Claro... Sem problemas... É melhor ir me arrumar, afinal temos que chegar cedo á Toca né? – E ela percebeu que realmente tinha conseguido deixá-lo corado...

- Sim, sim...

Hermione saiu depressa do quarto enquanto Ronald ficou algum tempo fitando a porta. Ele caiu na cama com a mão no rosto. Ela encostou-se na porta fechada do seu quarto e fechou os olhos.

- Merlin, de novo não! – sem saber, disseram os dois ao mesmo tempo.

**********************************************

Alguns minutos depois eles aparatavam em frente à Toca. Hermione preferiu aparatar que o Flú pois queria olhar bem para aquele lugar antes de entrar e rever sua segunda família. Ela olhou em volta e um sorriso brotou de seus lábios, fechou os olhos e respirou fundo a fim de reconhecer aquele cheiro tão bom... Cheiro de infância e adolescência...

- Você não quer entrar? – um sussurro vindo de seu amigo a tirou de suas lembranças.

- Claro! – e ele pôde ver o brilho nos olhos castanhos.

Mas ela não se mexia, apenas respirava profundamente... Era tanta coisa... Tanto tempo. Por um segundo pensou se ainda era digna de estar ali. Depois de tanto tempo afastada, sem notícias... Trancada e Hogwarts. Será que ainda tinha o direito de partilhar daquela paz tumultuada que tanto gostava e sentia falta? Sentia-se como uma filha pródiga... Ronald segurou sua mão fazendo-a olhar para ele um pouco assustada. Ele a tranqüilizou com um sorriso e seguiram de mãos dadas para a entrada da casa.

- Roniquinho!!!!!! – gritou Fred enquanto avançava para apertar as bochechas do irmão. Então reparou na moça ao lado dele... E principalmente que os dois estavam de mãos dadas. – Ahhhhh, tá explicado! – Rony e Hermione se olharam intrigados – Olha, eu sei que quando a gente finalmente se entende com alguém é bom... Mas nem só de quarto e cama vivem as pessoas. Podiam nos deixar fazer parte dessa felicidade também. Afinal fomos nós quem agüentamos as brigas de vocês dois e toda a tensão sexual mal resolvida durante mais de 7 anos!

Como se tivessem tomado um choque separaram as mãos rapidamente. Hermione baixou os olhos, corada, lembrando da “tensão” pela qual passaram de manhã. Rony estava com as orelhas parecendo um pimentão e fuzilava Fred com os olhos.

- O que está acontecendo... Roniquinho!!!!! – George havia chegado no cômodo.

- Então, você sabia que eles finalmente assumiram? – Perguntou Fred

- Assumiram?!?! Merlin é poderoso!!!!

- Ficaram doidos foi! – disse Rony “um pouco” exaltado – Quem falou aqui em assumir alguma coisa? Assumimos que somos amigos e isso não impede que andemos de mãos dadas – Hermione com uma expressão decidida balançava a cabeça afirmativamente dando apoio as palavras do amigo.

- Portanto parem de falar bobagens! – completou ela. Os gêmeos deram de ombros e depois sorriram maliciosamente.

- Hermione meu anjinho... – Fred se aproximava dela pela esquerda. Rony afastou-se dela rindo.

- Sabe, é que nós gostamos muitissíssíssímo de você... – George se aproximava pela direita encurralando a morena na parede.

- E queremos muitissíssíssímo você em nossa família... – então os dois a envolveram em um abraço esmagador e bagunçavam os cabelos dela, e apertavam sua bochecha enquanto ela se debatia.

- Rony, me ajuda!

- Eu? Eu não. Entenda-se com eles...

Então ela fez o que lhe foi possível: mordeu os gêmeos. Estes soltaram-na imediatamente esfregando o local da mordida. Ela lançava um olhar mortífero a Rony que ria da cena.

- Essa é nossa Hermione! – começou George.

- Corajosa... – continuou Fred.

- Bravia...

- Desenrolada...

- Amável...

- Gentil...

- Doce...

- Meiga...

- Delicada...

- Igualzinho a um centauro!

- Ora, calem-se vocês dois! – eles continuaram rindo dela – Vocês querem fazer o favor de ir à m...

- Epa!!!! – disse Fred.

- Pára o mundo, que a Hermione Granger, a ex-MONITORA e agora Diretora de Grifinória, vai dizer um palavrão!!! – George fingia surpresa.

Hermione estreitou os olhos indignada e estirou a língua para eles.

- Vamos meninos, parem de perturbar a Hermione – a voz do Sr. Wesley se fez ouvir na porta.

- Mas papai... A Hermione estirou a língua pra gente – disseram os dois com carinha de choro. O Sr. Wesley, Rony e Hermione reviraram os olhos.

- Não ligue para eles querida... – disse Arthur – estou muito feliz em revê-la!

- Ah, eu também Sr. Wesley!!! – disse ela se aproximando para abraçá-lo.

- Ora Hermione, sem tantas formalidades! Apenas Arthur, sim? – ele sorriu para ele e confirmou com a cabeça.

- Molly! – chamou o pai dos meninos – Hermione chegou!

- Oh, Merlin! – disse ela saindo na cozinha enxugando as mãos em um avental impecavelmente branco – Hermione querida!!! – e a envolveu num abraço.

- Estou tão feliz Sra. Wesley...

– Molly, querida... Apenas Molly, me chame apenas de Molly sim? Oh! Quanto tempo! Tive tantas saudades... Você está bem? Está tão linda! Embora esteja um pouco pálida... E magrinha também, não acha Arthur? – Hermione sorriu e procurou Rony com o olhar. Encontrou-o encostado na escada com os braços cruzados sorrindo para a cena, como que hipnotizado. No momento que seus olhares se cruzaram, ambos desviaram rapidamente.

- Ora mamãe... Deixe a Hermione! – Gina vinha descendo as escadas – Bom dia, minha amiga! – disse abraçando a professora – Que bom que vocês chegaram! – e pendurou-se no pescoço de Rony – Agora vamos logo combinar a festa do Harry.
***************************************

Como o prometido aqui está mais um capítulo!!!!!!!!!

Quem achou que ia acontecer alguma coisa nesse capítulo levanta a mão!!!! Rsrsrsrsrsr Pois é... eu também cheguei a pensar que sim, mas depois vi que ainda não era hora. Tem muita coisa para acontecer ainda ^.^

Atrevidinhos esses dois heim? Eles me surpreenderam. Deixa eu contar um segredo: *autora sussurrando* sabe, às vezes, os personagens ganham vida própria... é a mais pura verdade. De repente, eles resolvem fazer cada coisa... (só pra constar: eu não sou doida não... ou melhor, todo escritor é um pouco esquizofrênico não acham? rsrs)

Nossa... como fiquei feliz com os comentários que recebi. Obrigada pelo incentivo, de verdade! Agora minha imaginação está a mil. Coisas e mais coisas para acontecer.

Emiliana Rosa: Obrigada... na verdade, eu já pensava na possibilidade de passar dos 27... *autora fazendo cara de inocente* Depende do tempo que eu tiver disponível. Pois é, as férias estão acabando =( Besos!!!


Dayse Cassia Alves Medeiros: Gracias! Você perguntou se eu escrevi mais algum capítulo, ou mais alguma fic? Na dúvida respondo as duas perguntas: essa é minha primeira fic e confesso que está sendo uma experiência maravilhosa (graças à vocês que me motivam!); no caso do capítulo, tenho 1 e ½ pronto, mas vou postando devagar se não a atualização ia se muito demorada. Bom, se tenho fics R/H para indicar? Tá brincando? Só tenho! Eis algumas: Depois do Funeral (da querida Priscila Louredo), O encantamento das almas (Roberta Nunes); Hunter (acho que esta está meio parada, mas até onde li é perfeita... da Caileach – Está no Aliança 3 vassouras); Estrelas Tortas (Mila Lee); De olhos bem fechados (Scila); Desafios do Coração (Hope). Lê, me diz o que achou que te indico mais viu? Beijos!


Ellessar: Nossa! Estou honrada, Ellessar, da casa de Elendil, é meu leitor!!! Estou muito feliz ^.^ Obrigada pelos elogios e fique certo de que haverá mais capítulos como este. Sei que H/G estão meio por fora e que ainda não expliquei o que aconteceu com eles, mas eu prometo que a história deles não será esquecida. Tudo será muito bem explicado e resolvido, eu prometo... Tá demorando, eu sei... é que a ordem dos capítulos já está decidida e alterações podem prejudicar o andamento da história certo? Volte sempre Passolargo... e muchos besos!!!

Paula Eliza Granger: Mais um capítulo. Espero que esse também lhe provoque amor kkkkkkkkkkkkkkkk Como disse antes, ela pode até ser mais longa, graças à motivação de vocês! Fico muito feliz em saber que minha fic está fazendo parte de coleções... porque também tenho a minha rsrsrsrs... Beijão!

Priscila: 1000? Caramba! Nem a J.K. chegaria a tanto!!! Kkkkkkkkkkk
Você quer mesmo dançar com o Rony né? *autora pensativa* Fiz propaganda da sua fic de novo (lê o primeiro comentário) e se faço isso é porque gostei mesmo viu? Bom, mais explicações sobre H/G, não perca as cenas dos próximos capítulos... Tipo, Draco e Gina... trê-lê-lê... bem, mais explicações virão (confesso que também gosto muito do Draco). Sobre antes do casamento kkkkkkkkk Enviei o capítulo para minha beta e minutos depois ela ligou dizendo: “Ha-rry Po-tter!!! Ele fez aquilo? Quem diria heim?1” kkkkkkkkk Ri muito na hora... ela não dava nada pelo meu Harry, pois é... eles surpreendem! Beijos!!!


Wanda Bezerra de Almeida: Hello! Pode deixar, depois que recebi permissão, vou escrever o quanto tiver vontade (e olha que a vontade é grande!). Os casais vão se acertar sim, afinal estou escrevendo um romance... e vai ser bem romântico viu *autora suspirando* (quem sabe tenha atém mais de dois casais?). Obrigada por comentar... please, continue deixando opiniões! Bejocas!!!

Só mais um recado: capítulo novo, daqui a uma semana! Xêros!

Nox

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 30/09/2011

Maiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiis um capitulo perfeiiiiito *-----------------*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.