FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Ty


Fic: Tudo ou nada -All or nothing- AVISO 30.11


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Faltava quase uma hora para o sinal tocar e dar início à aula, mas Ty não se importava. Ele e Mitch tinham chegado cedo, pois eles tinham combinado de se encontrar com Elizabeth.

Passou mais alguns minutos e Ty viu de longe uma garota chegando. Sorriu ao ver que ela tinha cumprido com a palavra dela e estava ali. Ty sabia muito bem que se Elizabeth quisesse, ela poderia dar um bolo deles ou simplesmente não os ajudaria.

Quando chegou a casa, Ty perguntou-se várias vezes como tinha se enfiado nessa história e porque Mitch pediu ajuda a ele e não a Eric. Mas isso não importava agora, pois ele realmente queria ajudar o amigo e também porque gostava da companhia de Elizabeth.

- Bom dia, meninos!

- Bom dia. – responderam em coro.

Ela se aproximou da mesa em que eles estavam sentados e largou os livros pesados em cima dela. Virou-se para olhá-los, esperando que alguém começasse a falar.

- E então? – perguntou ela, cansada de esperar uma resposta que não vinha – Vocês vão me dizer no que eu posso ajudar, ou não?

- Ah! Sim! Claro. – respondeu Mitch. – Mas primeiro eu queria dizer que eu não dedurei a amiga de vocês de propósito! O que aconteceu foi o seguinte...

- Espera. É Mitch, certo? – ele confirmou com a cabeça – Mitch, eu não preciso que você me explique nada! Eu acredito em você quando diz que não foi de propósito. Estou satisfeita com isso!

Mitch olhou para ela descrente.

- Estou falando sério. – disse entre risos.

Ty se pegou olhando para a garota atentamente. Como nunca tinha percebido sua presença no colégio? Ela era simpática e bonita. Sabia que era muito inteligente, pois tinha uma bolsa integral para estudar lá, mas fora isso não sabia nada sobre ela. Desejou saber mais.

Elizabeth percebeu que ele a olhava. Ficou encabulada na mesma hora e não olhou mais para Ty. Reservou sua atenção apenas ao que Mitch dizia e não se atreveu a nem dar uma olhada sequer para o lado.

- Hum... – ela andava de um lado para o outro pensando sobre o que Mitch tinha acabado lhe contar como tudo tinha acontecido. – Pelo o que você me contou, você não teve culpa de nada – se virou para encará-lo – Tudo não passou de um grande mal entendido.

- Exatamente.

- Então eu vou fazer a Mione te ouvir, nem que eu tenha que prendê-la numa cadeira!

Mitch sorriu agradecido. O sol já começava a esquentar e alguns alunos estavam chegando. Elizabeth foi até a mesa e pegou seus livros.

- Aonde você vai? – perguntou Mitch – Porque não fica com a gente até suas amigas chegarem?

- Olha vocês dois parecem ser duas pessoas muito legais, mas posso ser sincera com vocês?

- Claro.

- Seus amigos sempre implicaram comigo e com minhas amigas. Não gosto deles e nem eles gostam da gente. Prefiro manter uma certa distância deles. Espero que isso não tenha ofendido vocês.

- Não, claro que não. – disse Ty – Conheço bem meus amigos e sei o que eles sempre fizeram com vocês e sinto muito por isso. Nunca concordei com essa atitude.

Elizabeth o olhou e deu um sorriso tímido.

- Nunca pensei que você fosse tão diferente deles...

- Espero que isso seja um elogio.

- E é!

Ty riu e abaixou a cabeça. Olhou para o lado e viu Kate chegando sozinha. Na mesma hora teve uma idéia e caminhou até Elizabeth parando ao lado dela.

- Você poderia me mostrar o aviso? – ele falava um pouco mais alto do que o costume. – Acho que eu passei direto por ele e não vi!

Elizabeth e Mitch o olharam sem entender nada. Ty apertou um pouco o braço de Elizabeth sem Mitch perceber e indicou Kate com os olhos, que estava a menos de dez passos.

Elizabeth finalmente entendeu o que ele queria.

- A sim, claro! Vamos lá que eu vou te mostrar.

- Mas do que vocês estão falando? – perguntou Mitch totalmente confuso.

- Bom dia, gente! – respondeu Kate largando seus livros, sentando-se ao lado de Mitch.

Mitch virou-se bruscamente finalmente entendendo o que os dois estavam fazendo. Com a rapidez que virou, seu pescoço sentiu uma pontada e ele levou a mão até sua nuca massageando aquela área.

- Nos vemos depois então... – disse Ty saindo apressado ao lado de Elizabeth.

Kate ficou olhando aquela cena estranha. Desde quando Ty era amigo de Elizabeth Robinson? Não tinha nada contra a garota, pelo contrário nem a conhecia direto para ter uma opinião formada sobre ela.

- Onde eles foram? – perguntou ela pegando uma maça da bolsa.

Mitch ficou observando os gestos dela por um momento, depois voltou à atenção a sua frente e lhe respondeu.

- Não sei.

Kate ofereceu sua maça, mas ele negou. Ela percebeu que o clima estava ficando estranho, pois eles não se conheciam direito.

- Acabei de perceber que eu não sei nada sobre sua vida... – ela se levantou e jogou o final de sua maça no lixo – Acho melhor consertamos isso.

Mitch se virou e ficou frente a frente com ela.

- O que gostaria de saber? – ele estava se divertindo.

- Sei lá... Vamos começar em como você conheceu o Eric.

- Meus pais moravam ao lado da casa do Eric. Desde pequenos somos amigos e continuou sendo assim, mesmo depois de eu ter me mudado de cidade.

- Mas você não era amigo do Dale...

- Não. Dale é o irmão mais novo do Eric e ele sempre teve seus amigos, nunca andou com a gente. Na verdade, eu não teria contato com Dale se não fosse pelo fato de eu ter dormido muitas vezes na casa deles. – respondeu ele pensativo.

- E por que você voltou?

- Minha mãe não gostava muito do lugar onde estávamos morando e meu pai conseguiu transferência no trabalho depois de alguns anos. Mas chega. Já falamos demais de mim, agora eu quero saber de você. – ele abriu um sorriso que deixou Kate encabulada.

- Minha vida não é tão interessante quanto a sua. Mas se você quer saber mesmo...

- Faço questão!

Kate sorriu para ele e começou a falar.

*****************************************************

Ty e Elizabeth tinham entrado na escola e olhavam para Mitch e Kate através da janela.

Elizabeth percebeu que estava próxima demais de Ty, então se afastou. Um pouco desconcertada, colocou uma mexa do cabelo atrás da orelha.

Ele percebeu seu gesto e se divertiu com isso. Reparou que toda vez que Elizabeth ficava envergonhada, ela tinha a mania de mexer no cabelo.

- Obrigado por ter me seguido.

- Seus sinais não foram muito bem claro – disse ela se recompondo – Mas eu consegui entender a tempo!

Ty começou a rir fazendo-a sorrir.

- O que foi? – perguntou ela.

- Nada. – ele parou de rir – Então, você acha que pode ajudar o Mitch.

- Acho...

- Mas?

- Mas acho que vamos ter um pequeno problema.

- Como o que?

- Uma coisa chamada Jennifer.

*****************************************************

Gina olhou para o relógio. Eles com certeza chegariam atrasados na escola. Olhou mais um mais para fora do carro e começou a apertar a buzina.

A porta da frente abriu de repente e dela saíram Rony e Harry. Ela se endireitou no banco esperando eles entrarem no carro.

- Gina, meu ouvido não é penico!

- Pois parece Harry. Afinal porque a demora? Eu que sou mulher estou pronta a quinze minutos.

Rony bufou atrás dela.

- Eu não sabia onde estava minha blusa verde. E eu precisava dela.

Gina abaixou o óculos de sol e virou para observar o irmão.

- Você está se referindo a essa blusa? – disse ela com desprezo.

- Sim. O que tem ela?

- Teria sido melhor se não tivesse achado.

Rony ia responder, mas Harry o interrompeu.

- Ainda não são nem oito horas e vocês já vão começar a brigar? Ninguém merece.

Harry se inclinou e ligou o rádio, escolheu a estação e girou a chave do carro.

*****************************************************

O tempo de educação física tinha acabado de começar e os meninos se dirigiam para a quadra de basquete.

- Gente, vocês realmente precisam fazer isso? – perguntou Eric.

Os garotos estavam atrás das arquibancadas espiando a aula das garotas. Eric estava mais afastado esperando eles se levantarem para irem para a aula deles.

- Eric, nós só vamos dar uma pequena olhada nas garotas... – Dale deu um sorriso malicioso para o amigo.

- Estamos perdendo o nosso tempo de educação física!

- Eric, se você não quer olhar, então pode ir indo para a aula... Mas a Terry está uma gracinha com aquele short! – respondeu Draco.

- Ei! – Eric parou na frente dele, impedindo que ele continuasse a olhar – Não é para ninguém ficar olhando minha namorada!

- Eric, relaxa! O Draco só estava brincando com você! – Harry chegou perto do amigo e apoiou seu braço no ombro dele. – Mas parece que tem gente que não consegue desgrudar os olhos das garotas, né Michael?

Michael estava olhando para Luna e nem piscava. Ganhou um susto quando escutou seu nome.

- O que? – perguntou assustado.

- Você devia falar logo com a Luna em vez de ficar comendo ela com os olhos.

- Eu? Luna? Eu não sei do que vocês estão falando... – Michael estava totalmente sem graça. Nunca tinha contado aos seus amigos que gostava de Luna. Sabia que eles ficariam encarnando em cima dele e o zoariam.

- Ora, nós não somos cegos, Michael! Está na sua cara que gosta dela há séculos. – Ty comentou olhando para o amigo.

- Fiquem quietos senão alguém pode escutar a gente. – Rony se ajeitou para ter uma visão privilegiada.

Ty olhou para os amigos uns instantes ainda, até eles retornarem suas posições de observação das garotas. Ele permaneceu em pé, olhando de longe para Elizabeth.

Não podia mentir que ela mexia com ele de tal forma que nenhuma garota até hoje tinha mexido. Riu ao ver a tentativa frutada dela em fazer uma cesta.



Jennifer tinha uma estranha sensação de estar sendo vigiada, olhou para a porta, mas não viu ninguém. Sentiu alguém lhe cutucando e se virou.

- É a sua fez, Jenny! – Elizabeth segurava a bola em direção à amiga para que ela arremessasse.

Ela sorriu para Elizabeth e pegou a bola. Jennifer sabia que de todas as meninas dali, ela era uma das melhores em praticar esportes. Ela e Terry para falar a verdade, mas ela não considerava muita a habilidade de Terry, pois esta além de praticar com os amigos dela era muito influenciável no jogo.

Correu até o garrafão e se preparou para arremessar. Escutou algumas palavras atrás da arquibancada. Ela reconheceria aquela voz em qualquer lugar. Draco estava ali, espionando as garotas e com certeza os amigos dele também estavam.

Atreveu a dar uma rápida olhada pelo canto do olho e deu um sorriso discreto. Ele estava muito perto do começo da arquibancada, justamente onde mais cedo, Gina tinha se acidentado com uma madeira solta dos assentos.

Era um alvo fácil de onde Jennifer estava e ia ser bem feito se Draco e seus amigos fossem pegos espionando as garotas. Tomou uma decisão e se preparou para jogar a bola na cesta.

- Vai lá, Jenny! Acerta essa! – Elizabeth gritava palavras de apoio à amiga. Mas acertar a cesta não estava nos planos de Jennifer.

Olhou para os lados rapidamente. Nem a professora, nem as outras garotas da sala davam atenção ao o que ela fazia apenas Hermione e Elizabeth olhavam para ela, esperando a sua vez de jogar a bola.

Ela deu o impulso e jogou. A bola bateu no aro com força e saiu quicando pela sua direita. Ela olhava o movimento da bola com um sorriso no rosto. Ela estava indo exatamente na direção que ela queria.

- Como que você errou essa cesta, Jenny? – Hermione se aproximou dela com Elizabeth.

- Eu não errei. Acertei justamente o que eu queria.

As garotas olharam para ela sem entender nada. Jennifer apontou para a bola que agora tinha batido com força na arquibancada, forçando a tábua solta a ir para trás.

Escutaram um palavrão alto, mas logo em seguida tudo ficou em silêncio.

- Algum problema ai com vocês? – a professora gritou do outro lado da quadra.

- Não, senhora. – respondeu apressadamente Jennifer – A Elizabeth viu um bicho, mas não foi nada.

- Então façam o favor de parar de falarem palavrões na minha aula.

- Sim, senhora. Isso não vai mais se repetir.

A professora voltou à atenção as outras garotas. Kate lançou um olhar de dúvida as meninas, mas Jennifer retribui com um sorriso falso.

- O que foi aquilo? E por que você botou a culpa em mim? – disparou Elizabeth falando baixinho.

- Venham rápido.

Jennifer saiu correndo, olhando para o restante da classe para ter certeza que não tinha sido percebida. Hermione e Elizabeth a seguiram.

Elas contornaram a arquibancada e para a felicidade de Jennifer e surpresa de Hermione e Elizabeth, Harry e companhia estavam lá.

- Ora, ora, ora. – há muito tempo Jennifer não sorria tanto. Sabia que Draco estava ali, mas não imaginava que todo o V.I.P. também estava.

Rony estava sentado no chão tapando seu nariz, provavelmente devia ser ele que Jennifer tinha atingido. Ty, Mitch e Eric olhavam para elas com medo, mas Harry, Dale e Draco eram puro desprezo.

- Vocês por acaso sabem que espionar as meninas dá detenção? – Jennifer falava com eles, como estivesse falando com crianças de cinco anos.

- Você fez de propósito! Atacou o Rony de sacanagem... – Draco se aproximou dela, mas Jennifer não se moveu.

- Propósito? Como? Que eu saiba foi um acidente! Eu não sou bruxa para controlar onde a bola vai parar!

- Sua... – Draco mantinha os braços abaixados, mas fechou o punho com raiva. Elizabeth percebeu seu movimento, foi até ele e segurou seu braço com força.

Draco não tinha notado a presença de Elizabeth até sentir uma pequena agulhada no braço. Olhou para ela com raiva e a empurrou com força.

- O que você está fazendo? – Jennifer tinha parado de sorrir e olhava para a amiga, que tinha sido socorrida por Ty antes de cair no chão. – Você tem que se tratar, pois é louco!

Harry se meteu na conversa e tentou convencer Draco a ir embora.

- Ah, vocês só vão embora daqui com uma detenção! E é isso que eu vou fazer agora, vou chamar a professora. – Jennifer começou a andar para trás.

- Como você vai provar isso? – debochou Dale – Até a senhora Pearmam chegar aqui, já vamos estar bem longe... – Dale abriu a porta de saída do ginásio.

- Simples. Quem você acha que vão acreditar? - ela apontou para as amigas – Nós, as alunas mais inteligentes do colégio e que tem um currículo limpo, ou vocês? Os alunos que dão mais problemas a escola e inclusive, que já ganharam uma detenção essa semana? – Jennifer voltou a sorrir irritando ele.

Os meninos ficaram quietos olhando para ela, que se divertia com a situação. Tinha eles nas mãos, podia novamente fazer com que eles pagassem por tudo o que faziam de ruim com as pessoas daquele colégio.

- Você não vai fazer nada. – Hermione que estava num canto apenas observando, se pronunciou – Nós vamos voltar para nossa aula e vamos fingir que nada aconteceu.

Todos olharam incrédulos para ela, mas nenhum a olhava com tanta surpresa quanto Jennifer.

- Por quê? – foi a única coisa que Jennifer conseguiu dizer.

- Porque não precisamos disso, Jenny. Se fizéssemos isso, estaríamos sendo iguais a eles. – Hermione apontou especificamente para Harry.

Harry não conseguia entender a atitude dela. Se ele estivesse no lugar de Jennifer, dedurariam eles com certeza. Mas talvez essa fosse a diferença entre ele e Hermione.

- Vamos embora Jennifer, não vamos ganhar nada com isso.

- Vamos sim! O prazer da vingança e...

- Jennifer!

- Está bem. Você é a sensata do grupo, se você diz isso, então não me resta outra coisa a não ser acatar.

Jennifer foi andando para voltar para a quadra, quando voltou para trás.

- Ei, Weasley!

Rony se virou e a olhou ainda tapando o nariz.

- Foi mal pelo nariz!

Ele sorriu para ela.

- Ta tudo bem. Eu acho que mereci!

- Mereceu mesmo... E aos demais – Jennifer passou os olhos em cada garoto, parando em Draco – Se vocês espionarem mais uma vez, nem a Hermione vai conseguir salvar vocês!

Jennifer foi embora e logo sendo seguida por Elizabeth que se despediu de Ty e Mitch antes.

Hermione também seguia os passos das amigas, mas alguém segurou seu braço. Virou-se rapidamente e encontrou Harry olhando-a surpreso.

- Obrigado. – ele soltou o braço dela.

Hermione retribuiu o olhar.

- De nada. Apesar de você não merecer, pelo jeito que me tratou no outro dia.

- Eu...

- Sinceramente eu não quero escutar.

Hermione andou em direção às amigas, deixando Harry falando sozinho.



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.