FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. 2. O Sonho Vira Pesadelo


Fic: Um Amor É Para Sempre


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

2. O Sonho Vira Pesadelo
“... Tiago foi se aproximando, seus rostos estavam cada vez mais próximos. Ela não conseguia pensar, não conseguia se mover. Ele sentia a mesma coisa. Nunca chegara assim tão perto dela, essa garota é perfeita – pensou...”


A hora do almoço perecia nunca chegar para Tiago. Ele tinha a impressão de que seu relógio fora enfeitiçado por algum engraçadinho para que ele andasse com a metade do tempo.
Depois de almoçar muito rápido, ele rumou para a sala Comunal da Grifinória, onde já encontrou Lilian pronta para sua primeira aula de Defesa Contra as Artes das Trevas.
- Onde você pensa que vai com todos esses livros? – quis saber Tiago.
- Nós não vamos estudar? – disse Lilian desconfiada.
- É, mas a aula é pratica não se lembra? Não vai ser preciso livro nenhum, só sua varinha.- Disse Tiago pacientemente.
Os dois saíram pelo buraco do retrato e caminharam pelo corredor vazio em silêncio até Lilian perguntar:
- Onde é que nós vamos? Alguma sala de aula vazia?
- Não. Mas tenho certeza de que você vai achá-la perfeita.
Com Tiago à frente para mostrar o caminho eles continuaram a caminhar até chegar ao corredor do sétimo andar, parando num trecho de parede defronte à tapeçaria de Barnabás, o Amalucado tentando ensinar balé aos trasgos.
- Pronto chegamos. – disse Tiago finalmente
- O que? – perguntou Lilian incrédula – É essa sua idéia de lugar perfeito? Não acha que vai faltar espaço para as azarações?
- Só um momento. – disse Tiago com um sorriso no rosto.
Ele passou três vezes pela parede se concentrando no que queria e do nada se materializou uma porta de madeira diante deles.
Ele abriu a porta e deixou-a entrar primeiro. Lilian havia perdido a fala, sem falar do queixo caído.
- Isso sim é um lugar perfeito – exclamou ela – Mas afinal que lugar é esse?
- Chama-se sala Precisa, como o nome já diz, ela se transforma no que a pessoa precisar. Encontrei ela por acaso quando estava passando, acho que pouca gente conhece. É incrível mesmo não é?! – acrescentou ao ver a expressão de Lilian.
- Então? Vamos começar? – disse a garota animada.
Eles começaram com o que Lilian tinha mais dificuldade e o que provavelmente cairia nos exames. Tiago era muito bom, mesmo que Lilian não admitisse. Aquela aula, ao contrário do que ela pensara, tinha sido bem divertida. Ela queria ficar lendo alguns livros que a sala oferecia, ao mesmo tempo em que Tiago insistia para que largasse a leitura um pouco para praticarem mais. Mais de uma vez, Tiago fingiu se distrair para Lilian poder azará-lo, tudo pra ver um sorriso em seu rosto mesmo que com ele viesse um comentário do tipo “Acho que você não é tão bom quanto aparenta, Potter!”.

CAPÍTULO 5
- Você percebeu – disse Tiago quando já estavam confortáveis nas poltronas perto da lareira da sala Comunal da Grifinória – Que desde que nos conhecemos, esse foi o primeiro dia que não gritamos um com o outro?!
- É. Ou melhor, que eu não gritei com você. – corrigiu Lilian.
Aproveitando a oportunidade, Tiago perguntou cauteloso:
- Porque é que você me odeia tanto? O que foi que eu fiz?
- Eu... – começou ela lentamente – não sei...acho que pelas suas atitudes, elas são tão arrogantes, estúpidas e egocêntricas.
- Mas na maior parte do tempo, é nervosismo por você estar perto, eu tento fazer você prestar atenção em mim... – disse Tiago como se fosse um pedido de desculpas, aquela altura a sala Comunal estava vazia.
Lilian corou. Ela nunca teve certeza se Tiago realmente gostava dela ou se era mais uma de suas brincadeirinhas, mas agora perecia ser sério. - É por isso que você nunca saiu comigo? – quis saber Tiago.
- Também, mas é mais pelo fato de você ficar com uma garota a cada semana, se é que você me entende.
- Não, eu não te entendo.
- Bom, você só quer sair comigo – começou Lilian – Porque eu sou uma das únicas que não saiu com você ainda, sou uma das poucas que não está na sua lista, e pra ser sincera eu não faço questão de estar!
- Na minha lista? – disse Tiago impaciente – Lilian, será que você não percebe que se eu tivesse que escolher entre você e todas as garotas de Hogwarts, eu escolheria você sem pensar duas vezes?! Lilian eu te amo!
A garota não respondeu. Tiago foi se aproximando, seus rostos estavam cada vez mais próximos. Ela não conseguia pensar, não conseguia se mover. Ele sentia a mesma coisa. Nunca chegara assim tão perto dela, essa garota é perfeita – pensou - Ele encostou seus lábios nos dela, fechando os olhos. Quando os abriu novamente, depois de um breve instante, eles se olharam assustados. Ela com a surpresa daquele beijo inesperado, porém doce, e ele como quem verifica se trincou, pelo toque, uma peça final de cristal.
- Eu... eu acho que... já vou me deitar. – conseguiu dizer ela com o pouquinho de voz que lhe restara – Boa noite!
- Boa noite...! – repetiu ele num suspiro.

CAPÍTULO 6
Aquele beijo parecia não ter acontecido, pois nenhum dos dois queria ser o primeiro a tocar nesse assunto. No entanto, eles continuaram a praticar DCAT nas horas vagas, e agora Lilian também ajudava Tiago em Poções. Tudo acontecia naquela sala mágica que parecia cada vez atender melhor o pedido dos garotos.
O último fim de semana em Hogsmeade estava se aproximando rápido demais o que significava que os exames já iriam começar. E pela primeira vez Tiago estava certo que se convidasse Lilian ela aceitaria. Assim, ele foi decidido a convidá-la em uma das aulas...
- Ah... Lilian, estive pensando, você gostaria de ir a Hogsmeade comigo amanhã?
- Ahh... sabe, eu estava planejando estudar mais esse final de semana, é que as provas já começam segunda-feira...
- Tudo bem então – disse meio desapontado, mas conformado, já devia ter esperado esse tipo de resposta, afinal, ela tinha começado a estudar para os N.I.E.M.’s antes que todos. Era normal que ela quisesse fazer uma revisão de última hora.
Naquela manhã de sábado, Tiago se levantou, se arrumou, desceu para tomar café com os marotos, e saiu com o resto dos alunos pela estrada que levava a Hogsmeade. Tiago fez tudo isso sem realmente perceber, ele estava muito calado (coisa que raramente acontecia com ele!) mas feliz, com a perspectiva de um ultimo final de semana para relaxar antes dos exames!
- Pontas, o que houve? – quis saber Lupin quando estavam entrando na Zonko’s
- Nada – apressou-se a dizer – estou bem!
- Cara, eu te conheço muito bem – disse Sirius – você não pegou nem uma bomba de bosta desde que entramos aqui!
Tiago olhou ao seu redor. Só agora percebeu onde estava, ele entrara ali sem reparar onde estava indo.
- É por causa da Evans, não é? – continuou Sirius
Tiago confirmou com a cabeça.
- Ah... porque não vamos tomar alguma coisa no Três Vassouras? – sugeriu Rabicho
- Finalmente você teve uma idéia que preste hein?! – Tiago se animou um pouco ao dizer isso.
Os marotos seguiram até o bar, se ajeitaram em uma mesa e pediram quatro cervejas amanteigadas.
Tiago voltara ao normal. Estava rindo e fazendo piadinhas, por um momento se esquecera de Lilian. Até que...
Uma garota ruiva acabara de entrar no Três Vassouras – o estomago de Tiago despencou – ela estava abraçada com um cara da Corvinal, ele o conhecia de vista mas passou a odiá-lo.
A vontade de Tiago era levantar dali e atacar ao máximo aquele cara, queria acabar com ele, deixá-lo no chão inconsciente, mas ao mesmo tempo, não conseguia mover um músculo. Aquela sensação era horrível. Os marotos o olhavam, com medo da sua reação.
Com muito esforço ele conseguiu se levantar e estava andando muito rápido em direção aos dois sem dar atenção ao chamado dos amigos. Estava cada vez mais próximo.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.