FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. CINEMA, PIPOCA E DETALHES A MA


Fic: A Complicada Vida de Hermione Granger


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

6 – CINEMA, PIPOCA E DETALHES A MAIS

Hoje, típico dia de férias. Traduzindo, ócio. Nem andar mais de bike posso, por um motivo obvio, depois da minha ultima incursão usando ela, a impossibilitei por uns, vejamos 2 meses, porque nem em sonhos vou gastar o dinheiro da minha mesada consertando a bicicleta. Tenho muitos outros planos pro suado dinheirinho que ganho...

Entro orkut, produto do ócio, ver se alguém se dignou a me deixar um scrap, coisa rara no meu perfil. Abismada, olho que ninguém menos que Harry, isso mesmo o Harry me adicionou. Olho para tela do meu notebook em transe, depois meus olhos se dirigem para minha pagina de recados, 2 novos recados, de acordo com minha contagem mental. Abro na mesma hora, maldizendo os intermináveis 2 segundos que essa jaca demorou para abrir. Estava exatamente assim lá.

Harry Potter:
Dulcinha, vi você no orkut do Lipe e add, ok!?
Ah, mais uma coisa, ainda ta de pé a saída? É que lançou o Simpsons no cinema e queria ver se você estava a fim de ir ver comigo hoje. Se não tiver nenhum outro plano, é claro. Bjs, qlqr coisa me liga, passei o nº do meu celular e de casa, por email (achei aqui no seu perfil).
Não consegui te deixar depo. Bye, beijos novamente,e espero que dê.

Na mesma hora entro no meu e-mail. E batata, lá estava o telefone do celular e casa. Mais que depressa, pego meu celular e gravo os números. Sei lá se essa jaca resolve explodir, a não ia ter como ver o e-mail, porque pedir o pc emprestado pras pestes dos meus irmãos estava fora de cogitação.

Fico mais ou menos uma hora enrolado. Para passar o tempo, fiquei olhando, analisando e admirando o álbum, e alguns scraps e depoimentos que escreveram para ele. Meu deus, quanta piriguete dando em cima do gato em pleno orkut. Que falta de vergonha! Uma coisa eu odiei no orkut dele, ele apaga os scraps, aff, havia apenas alguns gatos pingados, para analisar. Não que eu seja uma fuxiqueira virtual, longe de mim, só queria ver em que terreno estava começando a pisar. Ah, e se, ocasionalmente, eu aparecer como os 5 últimos visitantes, é porque sem querer, entrei no perfil dele, muito longe eu ficar fuçando diariamente o orkut alheio.

Enfim tomo coragem e ligo.

-Harry? – liguei pro celular. Não queria correr o risco da mãe dele, ou parente do tipo atender, imagina o mico, imagina se a mãe dele atende e começa a fazer perguntas constragedoras, como meu pai faz aos caras que me ligam? Não isso, não.

-Um momento. Quem deseja falar com ele? –certo isso parece voz de mãe. Eu e minha incrível sorte.

-Hermione Granger, uma amiga. – quiçá sua norinha, alucino.

-Harry, seu celular. – segundos depois ele atende, antes de falar comigo, ouço sua mãe, ou quem quer que seja sussurrar – alguma coisa Granger...

-Pronto – Harry fala.

-Oie, tudo bem com você? Aqui é Hermione Granger. Vi seu scrap e resolvi ligar...

-Oie, estou melhor agora. Não vai me dizer que aceitou?- posso estar imaginado coisas, mas acho que percebi uma animação em sua voz.

-Sim, a proposta ainda continua e pé, não? – pergunto ansiosa.

-Claro. Que tal a sessão das 15 horas?

-Perfeito. Nos encontramos no shopping? Pêra ai,q qual shopping?

-Shopping Praia da Costa?

-Ótimo. Até lá então na frente da bilheteria.

-Ateh. – e ele desliga.

Caio na cama. Ah, vou sair com ocara mais lindo da face da terra. Mal posso esperar para chegar às três... mas, o que vou vestir?

*

As três em ponto, chego à bilheteria. Depois de horas decidindo o que ia vestir, decidi pelo básico, regata preta, com um colar colorido, calça jeans e tennis. Achei que o look casual seria o ideal pro momento e o lugar. Passo o olho mais ou menos pelo lugar e logo vejo Harry na fila de ingressos.

Aceno, e me aproximo.

-Oi! – dou um sorriso sem graça – ah, aqui meu dinheiro, aproveita que esta ai e compra para mim.

-Oi – e ele dá aquele sorriso “arrasa quarteirão” – nada disso, pode guardar seu dinheiro, eu que chamei, eu pago. – quando ia protesta, ele virou a cara. Ai meu deus, estou saindo com o cara perfeito.

Aproveito e vou comprando uma big pipoca e dois copos grandes de coca cola. Assim que ele chega, entrego a pipoca um copo.

-Achei que podíamos dividir uma grande. Topa? – dou meu melhor sorriso.

-Vou adorar. Mais espera um minuto. – ele vai até a cantina compra alguma coisa que não consegui ver. – pronto, vamos.

*

Ficamos na fila calados. Entramos, e nos sentamos na ultima fila, no canto. Adorei a localização (não vão pensar bobeira disso, hein?!).

-Você gosta de desenhos, não?

-Adoro, um dia desses vim com uns amigos ver Sherek 3. – e rio me lembrando da situação que passei.

-Vi já. Engraçado demais é?!

-Demais- depois dessas poucas frases, ficamos calados de novo.

O filme começou. E o único barulho que escutamos foi do telão, e de nossas risadas. Confesso, que apesar de não termos trocado nem um “A” durante a ultima hora, Harry conseguiu ser a melhor companhia que tive para ir ao cinema. Não sei responder bem o porque, mas foi. Não sei se foi graças a sua energia positiva, ou simplesmente pelo fato de só o contacto de sua mão na minha, quando íamos ao mesmo tempo pegar pipoca, ou quando sem querer sua perna encostava-se à minha, e eu instintivamente me arrepiava toda.

*

-Caraca. Muito fodástico o filme.- Harry disse assim que saímos.

-Muito bom mesmo. Confesso que prefiro ele agora, a Sherek.

-Com certeza, sem comparação. E ai? O que faremos, estou a sua inteira disposição.

-Bom, ainda nem é 17 horas, que tal andarmos um pouco, só para ver o movimento?

-Beleza. – Harry pega na minha mão. E assim, de mãos dadas, começamos nossa incursão ao shopping.

Tenho que dizer que não sou muito fã de ficar rodando o shopping que nem barata tonta. Mas com Harry do meu ladinho, até que o sacrifício valeu a pena. E como!

Mais falantes, ficamos mais ou menos uma hora, só tagarelando. Quem nos visse no cinema, calçadões e agora, diriam que não se trata do mesmo casal.

Ai que lindo, todos estão com certeza nos vendo como um casal. E sabe o que é mais lindo, ainda não dei uma das minhas mancadas, to impressionada. Acho que Harry me faz ficar em mais centrada, longe de trapalhadas e micos.

Falamos de nossas vidas, reclamei como sempre de meus irmãos mais velhos, e ele desabafou como era chata sua irmã mais nova. Posso confessar só uma coisinha, só pra vocês. Das coisas que ele falou que a irmã faz e que mais o irrita, já pratiquei exaustivamente e talvez bem pior com meus irmãos gêmeos, por um segundo refletindo, até que me senti um pouco mal, mas só durou um segundo, cheguei conclusão que meu irmãos não eram lindos e simpáticos como o Harry, então não eram dignos de comparação.

Conversamos também sobre o ultimo ano, nossos sonhos, a que lindo, ele quer ser médico. Eu mulher de um doutor. Tive que inventar na hora, na verdade não tinha a mínima idéia o que queria fazer da minha vida profissional, fora historia e matemática (sim, sou boa em matemática), que digamos, não são matérias que juntas combinam. Não gosto de nada. Não quero mexer com morto. Muito menos com a cabeça de gente viva. Não pretendo colocar ninguém no xilindró. Não quero planejar e nem construir casas. Na verdade só quero ter meu dinheiro e poder comprar tudo que gosto. Não que seja consumista nem paty, gosto de dinheiro oras, mas sem ter que trabalhar por ele.

Ah, rimos pacas, analisando as pessoas que passavam por nós. Gente, o Harryzinho é todo, tem até senso de humor apurado. Serio, gamei.

“beija, ta calor, ta calor, eu não quero só beijar mas...”

Anotação mental, troca urgentemente esse toc. Mais que merda, tão ligado da minha casa.

-Alo!? – pergunto mal humorada.

-Hermione Granger, onde você se encontra?

-Fernando?!

-Sim, eu e o Fabio estamos de cabelo em pé com a sua audácia... menina, já são quase 19 horas... você sai, não dá satisfações...

-Desde quando devo satisfações a vocês?- pergunto impaciente.

-Desde quando eu e o Fabio estamos responsáveis por você e a Gabi. – odeio quando eles dão uma de pai. Só para irritar.

-Olha se vocês não têm companhia do sexo oposto, por motivos óbvios, a culpa não é minha. Agora se me dão licença, tenho companhia, então vou perder meu tempo com vocês, se posso perder com ele.

Desligo na cara de Fernando. Odeio quando daqueles dois vêem da uma de papai pra cima de mim. Porem nem um minuto se passa, o celular toca de novo.

“beija, ta calor, ta calor, eu não quero só beijar mas...

-QUE AUDACIA É ESSA DE DESLIGAR O TELEFONE NA CARA DE FERNANDO?

-Agora é você. Ah, vai torrar a paciência de outra. – e desligo na cara dele também. E como precaução desligo o celular.

-Acho que temos de ir, não?! – me pergunta Harry, preocupado.

-É. meus irmãos quando querem são insuportáveis. Mais isso só esta acontecendo, porque mus pais tiveram a brilhante idéia de deixar eu e minha irmã nas mãos daqueles idiotas, para se darem mais uma lua de mel. – digo aborrecida.

-Legal da parte deles. Seus irmãos são malas assim?

-São piores. Aproveitam que moram longe, por conta da universidade, e quando chegam em casa nas férias, chegam com tudo. – falo com toda a raiva que estou sentindo deles.

Harry da um risinho da minha cara. Rio de volta. Devia estar engraçada quando disse tudo aquilo dos meus irmãos. Eles têm a capacidade de fazer com que o pior que existe em mim se solte, e tome o lugar da linda e doce Hermione Granger. Ok, tirando os exageros, ainda sim, eles ressaltam o que a de pior em mim.

Pegamos um ônibus. E sentamos lado a lado. Ele, pegou minha mão ficou alisado. Estava tão distraído fazendo isso, que para meu coração não sair da boca, e eu não ter um treco à frente dele, e pagar um micasso, e obrigo a prestar atenção em outra coisa.

A menina que estava sentada a nossa frente, me chama atenção. Ela conversava ao celular, com uma amiga, acho. Falava toda triste que estava sozinha, que o João (claro que não sei quem é João) tinha sumido e coisa e tal. Até ai, nada demais, ela era apenas mais uma das milhares de garotas sozinhas, que tinham se desiludido com o babaca que acreditava ser o ovo da sua marmita. Até que solta isso: ‘Tudo o que eu preciso é que alguém me diga “eu te amo’’.’

Não agüentei, e até esqueci que Harry estava ao meu lado. Fiquei com pena dela e alem disso, estávamos no mesmo ônibus, precisávamos nos unir! Cutuquei a garota e falei toda solidária.

-Eu te amo!

Pensei que estava fazendo uma boa ação. Mas a cara péssima que ela fez de “morra” para mim, não foi nada solidária. Pior ainda, vi que tinha pagado o mico que tanto estava evitando pagar. Afinal, depois dessa declaração, tanto Harry, quando os outros olhavam pra mim, rindo.

-Você é única! Hoje foi um dos melhores dias da minha vida. – diz ele beijado a minha mão.

Fico sem palavras, e quando decido falar algo, chega o nosso ponto e descemos. Percebo que perdi a chance, e era melhor ficar calada. Já em frente a minha casa, a coisa mais mágica está por acontecer, Harry já havia dito tchau, e ai me beijar, sabe beijinho de despedida, mas pelos gestos, e movimentos iria ser um baita beijo na boca. Fecho os olhos, e me preparo, meu coração batia a 1000 por hora. Ate que...

-HERMIONE GRANGER, PARA DENTRO E CASA AGORA! – ouço a irritante voz de Fernando, e me viro, nisso Harry, acerta o beijo na minha bochecha. Fervo de raiva por dentro.

-Hermione, quer que eu vá falar com eles? – Harry pergunta todo preocupado comigo.

-Não, vai lá. Valeu por hoje, te parafraseando, foi um dos melhores dias de minha vida- sorrio.

Entro em casa e dou de cara com meu irmão parado próximo a porta. Chuto sua canela, sem cerimônia e subo correndo para meu quarto.

Vou para a sacada, e ainda consigo vislumbrar ao longe, a silhueta de Harry, indo. Tirando de um “eu te amo” não correspondido, e o beijo não recebido, aquele realmente tinha sido um dos dias mais felizes de minha vida.

***

N/A:
Gracias pelos recadinhos
espero que tenham gostado desse novo capitulo.
Comentem, ok?

beijos.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.