FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Capítulo 2


Fic: Amor Verdadeiro


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 2


A noite tinha sido perfeita, ninguém apareceu para atrapalhar o casal (ou diria, os casais?!) tanto que ali estavam... Ron deitado e Hermione com a cabeça no peito do rapaz, o sol já estava dando os primeiros indícios do amanhecer, um pouco mais distante estava um Harry e uma Ginny um tanto quanto “tortos” o garoto sentado encostado em uma parede do castelo enquanto a ruiva estava com a cabeça encostada em seu ombro. Os primeiros raios de sol entraram em contato com o rosto de Ron que abriu os olhos, e olhou assustado à sua volta, percebeu então que adormecera assim como Mione e soltou um sorriso de canto de boca. Começou a enrolar os cabelos da morena por entre os dedos e ficou olhando por um bom tempo o rosto dela. Como ela parecia feliz, serena, não era a mesma Mione do dia-a-dia, estava ali sem os livros, ela era somente Hermione agora, a menina irritante e sabe-tudo, parecia um passado bem distante. Tamanha foi a profundidade do olhar e dos pensamentos de Ron que fez com que Mione acordasse, olhou pra cima e viu que o ruivo lhe observava, sorriu pra ele, um sorriso singelo, mas que o conquistou ainda mais.

-Bom dia meu amor!

-Humm... Bom dia Ron – disse Hermione se espreguiçando e sentando apoiada por uma mão ao lado de Ron, que continuava deitado com as duas mãos atrás da cabeça - Que horas são hein?

-Você tem certeza que vai querer saber? – fez uma cara de cachorro pidão que Hermione se culparia pro resto da vida por resistir.

-Preciso saber meu amor... Hoje é aula de poções esqueceu? – dizendo isso passou as mãos sobre os cabelos ruivos do namorado, ele se sentou, abraçou-a e beijou-a.

-Queria ficar com você pra sempre assim sabia?

-Eu também Ron, mas nós realmente precisamos ir agora, o que Harry e Ginny vão pensar? Provavelmente ficarão preocupados com a gente e... Bom talvez nem tão preocupados assim... - Hermione olhou um pouco a frente e pôde enxergar Harry e Ginny ainda na mesma posição de antes, colocou uma mão na boca pra abafar uma gargalhada e ao perceber a cara que o namorado (aeee agora sim... Seu Ron Mione) lhe fez, com a outra mão apontou para o local onde ambos estavam. Ron arregalou os dois olhos em direção aos dois.

-Mas o que...? Quem ele pensa que é? O que eles estão fazendo abraçados? - a raiva ficando cada vez mais evidente no tom de voz, e no tom de vermelho que seu rosto e suas orelhas adquiriram. Hermione abraçou-o:

-Ron... Me responde uma coisa?

-Huhum...- respondeu o ruivo mas sem tirar os olhos dos dois logo a frente.

-Olha pra mim? – Mione puxou o queixo do rapaz com o dedo indicador o fazendo encará-la - Você está feliz?

-Lógico que to Mione, onde já se viu me perguntar uma coisa dessas?! Eu te amo, sempre te amei e você acha que eu não estaria feliz? Olha pra minha cara, eu pareço um bobo de tão feliz que eu to... E você me pergunta se eu to feliz? Eu juro que essa eu não entendi - Ron falou isso de uma forma que Hermione achou ao mesmo tempo, linda e engraçada, não pôde deixar de sorrir ao escutar essa resposta, mas o propósito da pergunta era outra.

-Você acha que Harry e Ginny também têm o direito de ficarem felizes assim como nós estamos?

-Ah... Agora entendi porquê você me perguntou isso(¬¬)... Mione é claro que eles merecem essa felicidade que nós temos agora, mas é difícil aceitar minha irmãzinha com meu melhor amigo!

-Mas Ron, no Harry você confia mais que em qualquer outro garoto, sabe que o Harry realmente gosta da sua irmã e que se ele a fez sofrer foi porque não queria colocá-la em risco naquela guerra, mas agora é diferente Ron, a guerra acabou, nós temos uma vida inteira pela frente e o mais importante... Juntos!

-Tá... Tudo bem vai... Os dois realmente fazem um belo par – disse Ron virando-se para olhar o casal à frente e logo virando-se para a namorada novamente – Não tão bonito como nós... Maaas... – dizendo isso o ruivo começou a deitar por cima da garota.

-Aaaiii Roon... - Hermione ria abertamente – Ron a gente realmente tem que entrar agora, daqui a pouco o café vai ser servido...

-Temos mesmo? - Hermione balançava a cabeça afirmativamente - Certo, então vamos...

-Mas... Ron – disse Mione parando e segurando a mão do namorado - e essas coisas?

-Ah... Isso? - disse Ron apontando para onde estava o que sobrou do “pique-nique”- deixa que os pombinhos guardam, afinal... Foram eles que arrumaram...

-O quê?!

-É Mione, a Ginny sabia de tudo, ela ajudou Harry a montar isso aqui ontem, só não me pergunte quando por que eu também não sei... - Hermione riu, e então com um aceno na varinha fez com que tudo entrasse na cesta que estava lá - Pronto agora vamos acordar os pombinhos! - disse Ron com um tom de vingança.

O dia em si foi calmo, acordaram Ginny e Harry, que levaram num baita susto, o que na opinião de Ron, foi mais que merecido e o mais engraçado que ele já vira, pois Harry levantou de um pulo com os óculos completamente tortos sobre o rosto, os olhos fechados, a varinha ao contrário e ele olhava para todos os lados dizendo algo como: Não se atreva a chegar perto daquela árvore... Não agora, e Ginny com os cabelos, espantosamente armados, tentava segurar Harry para não cair. Tomaram o café, normalmente, foram para a Sala Comunal a fim de pegarem suas coisas, e logo já estavam descendo para as masmorras onde teriam aulas de poções. Conversaram o dia todo sobre como fora para Hermione saber que seus sentimentos por Ron eram recíprocos e como fora que Ron tomou coragem para falar à Hermione seus sentimentos. Ron por sua vez quis saber direitinho da história de seu melhor amigo e sua irmã estarem juntos novamente. As histórias renderam muitas risadas, mas logo foram interrompidas pela Professora McGonagall, a nova diretora de Hogwarts.

-Srtª. Granger? Sr. Weasley? Podem me acompanhar?

-C-claro Profª, digo, Diretora McGonagall – disse Hermione lançando um olhar significativo à Ron que entendeu na hora, “será que ela descobriu alguma coisa?”, e deixando para trás um Harry e uma Ginny extremamente nervosos. Chegaram à sala da Diretora que fez sinal para que os dois se sentassem, ao que foi obedecida rapidamente, cruzou suas mãos sob a mesa e olhou por cima de seus óculos para os dois adolescentes à sua frente.

-Bom, vocês devem estar bastante curiosos para saber o por que de os ter chamado aqui não?

-Er... Sim... - responderam os dois juntos.

-Bom creio que não seja nada de mais passar a noite fora do castelo, mas se fosse por isso que os teria chamado, teria de chamar também a Srtª. Weasley e o Sr. Potter... - Ron e Hermione engoliram a seco e se entreolharam, foi visível um certo tom de sarcasmo na voz da Diretora – Bom como puderam perceber não os chamei por isso, mas sim por outra coisa que ocorreu ontem, a ronda de vocês foi cumprida com perfeição, os alunos que estavam andando pela escola após o horário permitido, já foram devidamente apresentados e devidamente punidos... Porém, um aluno fugiu de Hogwarts, não se sabe como e nem por onde, mas ninguém o encontra em lugar algum do castelo, fora encontrado esse bilhete em sua sala comunal por alguns de seus amigos, eles não abriram o bilhete pois somente eu conseguiria abri-lo – a Diretora mostrou aos alunos o bilhete que estava escrito com uma letra fina:”Fugi, não se preocupem comigo, sei me cuidar, não preciso que ninguém seja minha babá, os motivos da minha fuga? Vou deixar aqui para que possam mostrar à ela... Hermione Granger, é essa mesma, a sangue-ruim da Granger – Ao ler isso Ron teve vontade de amassar o papel mas resistiu pelo simples toque da mão de Hermione na sua - enquanto eu estava andando pelos corredores do castelo, depois do horário da ronda dos monitores, presenciei uma cena que me deu nojo, ela estava embaixo de uma árvore, próxima ao lago aos beijos com o imbecil do Weasley, o que eu não esperava era que isso me afetasse dessa maneira, mas me peguei a perguntar, como é que ela pode se interessar por aquele traidor do sangue, estúpido e nem me notar? Se não for pra me dar um soco no meio da cara? Só por que lhe digo a verdade e sempre a lembro do que ela realmente é? Sinceramente não entendo... Só sei que ta doendo, e ninguém, nunca faz um Malfoy sentir dor, nunca senti isso por ninguém e realmente espero que não sinta por ela, mas... Tenho receio de estar apaixonado pela Sangue-Ruim – Ron já estava escarlate de raiva, não cabia em si, queria encontrá-lo para perguntar que brincadeira é essa que ele estava fazendo e fazer com que todos os dentes do loiro fossem goela abaixo com a força do soco que estava pronto a dar, Hermione lia tudo atentamente e ao perceber a irritação de Ron, olhou para ele, sorriu e o beijou docemente, o que ocasionou um Hum-Hum da Diretora, Hermione e Ron coraram e voltaram a atenção à carta - Com certeza você estará lendo isso e creio que com seu novo namorado junto, saibam os dois, que vocês não ficarão juntos por muito tempo, só o tempo necessário para que eu tenha um plano infalível de separa-los. Granger você será minha! Draco Malfoy - Como puderam perceber a carta é do Sr. Malfoy, preciso que vocês o procurem e o achem o mais rápido possível, ele não está em seu perfeito juízo, os últimos que viram ele ainda no castelo, disseram que da última vez que o viram dessa forma, foi quando Voldermot ainda existia, exatamente quando Malfoy teve seu último chamado pela marca negra tatuada na pele, receio que ele faça algo que se arrependa depois.

-Ele já fez, irá se arrepender pelo resto da vida de ter se apaixonado pela minha Mione, e principalmente por ofendê-la da forma que a ofendeu – disse Ron dentre os dentes cerrados.

-Diretora McGonagall, nós agradecemos a preocupação, também por ter nos mostrado a carta, creio que saiba onde ele está, iremos atrás dele nesse exato momento - disse Hermione segurando o braço de Ron, se levantando e fazendo com que o ruivo a acompanhasse - assim que o encontrar, nós traremos ele até aqui! - e ambos saíram da sala.

-Como assim ”creio que saiba onde ele está”?! Como você pode saber onde ele está?!

-Ron agora não é hora de ter ciúmes ainda mais do idiota do Malfoy – disse Hermione se virando de frente para Ron um tanto quanto brava por sua atitude - Onde mais ele estaria? Sala precisa... Óbvio.

-Tenho ciúmes sim, afinal você é a minha namorada, e você conhece o Malfoy perfeitamente para saber que quando ele realmente quer alguma coisa, ele não descansa até conseguir, ou pelo menos até a gente fazê-lo parar - disse Ron aos berros.

-Eu sei Ron, mas você tem que confiar em mim, o que te faz pensar que eu te trocaria por ele?

-Não sei, talvez o fato de ele não ter demorado 7 anos para se declarar,pois assim que descobriu q estava apaixonado por você, deu um jeito de você saber... Ou pelo fato de ele perceber que você era uma garota desde sempre, ou ainda ser puro-sangue, ou até por ele poder te dar uma vida que eu, em todos os anos, por mais que batalhe, jamais conseguirei...

-NUNCA MAIS REPITA ISSO RONALD WEASLEY!!! Se em 7 anos você não sabe que eu não sou esse tipo de garota, não sei por que estamos juntos, você antes de qualquer coisa, tem de saber da maneira que sou, você sabe muito bem que o que importa pra mim antes de qualquer coisa é o sentimento, se não eu já teria me atirado para cima dele na primeira vez que o vi, mas não eu preferi acreditar que o garoto do nariz sujo, o garoto que me salvou de um trasgo, o garoto que apesar de não me abraçar ficou imensamente feliz por eu ter sido despetrificada, o garoto que pediu desculpas após dizer que meu gato tinha engolido o estúpido rato, o garoto que por ciúme ficou com raiva do seu maior ídolo, o garoto que foi escolhido o melhor goleiro para entrar no time de Gryffindor, o garoto que eu senti um medo terrível de perder quando foi envenenado, o garoto que ficava gritando meu nome enquanto eu estava sob a maldição Cruciatus, o garoto que cuidou de mim, fosse o garoto que depois de tudo isso saberia como eu realmente sou! - Hermione chorava e nessas últimas palavras saiu correndo soluçando, enquanto Ron permaneceu parado em seu lugar.

-O garoto que mesmo sendo um idiota, imbecil, estúpido... Um garoto que mesmo sem te merecer te ama mais do que tudo... - foram as únicas palavras de Ron, mas ele estava sem forças para gritar, por mais que quisesse sua voz não saía, fora apenas um sussurro.

Ron voltou para a Sala Comunal, ficou em pé em frente a janela, olhando para a árvore que na noite anterior, foi o cenário da sua felicidade junto com Mione, e há muito tempo atrás quando eles corriam e brincavam naquele jardim... Eles realmente mudaram, será que ela lembra como eles eram? Definitivamente ele precisa dela, então como ele pode ser tão idiota a ponto de machucá-la por nada? E por que ela saiu correndo? Por que não o esperou falar alguma coisa? Estaria tudo terminado entre eles? Horas se passaram e nada de Hermione voltar, será que ela tentou procurar Malfoy sozinha?... Onde diabos estava a garota? Ele não sabia nada dela desde a hora da fatídica briga... Decidiu então ir atrás dela...

Quem é você agora? Você ainda é a mesma ou mudou alguma coisa?
O que você faz nesse exato momento quando eu penso em você?
E quando eu estou olhando para trás como nós eramos jovens e estúpidos
Você se lembra disso?
Não importa o quanto eu lute contra isso não posso negar
Simplesmente não posso deixar você ir

Eu ainda preciso de você
Eu ainda me importo com você
Apesar de tudo tenha sido dito e feito
Eu ainda a sinto como se eu estivesse bem ao seu lado
Mas ainda não tive nenhuma notícia sua

Agora olhe para mim ao invés de seguir em frente, eu me recuso a ver
Que eu continuo voltando
Sim, eu estou preso em um momento que não foi feito para durar
Eu tentei lutar contra isso, não posso negar e você nem sabe que

Eu ainda preciso de você
Eu ainda me importo com você
Apesar de tudo ter sido dito e feito
Eu ainda a sinto como se eu estivesse bem ao seu lado
Mas ainda não tive nenhuma notícia sua

Não, não
Eu gostaria de encontrá-la
Assim como você me encontrou, então eu
Nunca a deixaria ir

(preciso de você, importo-me com você)
Apesar de tudo ter sido dito e feito
Eu ainda a sinto (eu ainda a sinto)
como se eu estivesse bem ao seu lado
(como se eu estivesse bem ao seu lado)
Mas ainda não tive nenhuma notícia sua

Hermione corria, não sabia para onde suas pernas a levavam, mas corria, e como corria! Sua cabeça dando voltas e mais voltas, mais uma vez brigara com Ron por um motivo idiota, ou melhor, mais uma vez brigara com Ron sem motivo, por que ele insistia em ser assim? Se rebaixar tanto? Como ele podia tentar comparar Malfoy a ele? Ele sempre foi melhor que a doninha albina. Queria voltar, falar com ele, fazer as pazes, beija-lo novamente, seu coração ficava em pedaços quando brigava com Ron e principalmente quando tudo o que ela fazia lembrava ele, o modo de correr, remetia-a há tempos atrás quando eles brincavam nos jardins de Hogwarts. Ela realmente sentia a falta dele, não podia passar mais um segundo longe de Ron apesar de todas as diferenças que eles tinham, foram feitos um pro outro, chorava encostada à parede, soluçava, perdia até o ar. Ela precisava dele nesse momento, precisava do seu abraço, precisava se sentir protegida, precisava dizer a ele que o amava mais que tudo... Da mesma forma que ele foi duro com ela, ela fora com ele, mas o amava acima de tudo, tinha que voltar e falar com ele...

Eu sempre precisei de um tempo comigo mesma
Mas nunca imaginei que eu precisaria de você
Quando eu choro
E os dias parecem como anos
Quando eu estou sozinha
E a cama onde você deita
Está arrumada do seu lado

Quando você vai embora eu conto os passos que você dá
Você vê o quanto eu preciso de você agora?

Quando você está longe...
Os pedaços do meu coração sentem sua falta.
Quando você está longe...
O rosto que eu conhecia se perdeu também.
Quando você está longe...
Todas as palavras que preciso ouvir,
Para conseguir ir adiante com meu dia
E fazer tudo ficar bem.
Eu sinto sua falta...

Eu nunca tinha me sentido dessa forma antes
Tudo o que eu faço
Me lembra você
E as roupas que você deixou
Elas estão pelo chão
E elas cheiram exatamente como você
Eu amo as coisas que você faz

Quando você vai embora eu conto os passos que você dá
Você vê o quanto eu preciso de você agora?

Quando você está longe...
Os pedaços do meu coração sentem sua falta.
Quando você está longe...
O rosto que eu conhecia se perdeu também.
Quando você está longe...
Todas as palavras que preciso ouvir,
Para conseguir ir adiante com meu dia
E fazer tudo ficar bem.
Eu sinto sua falta...

Nós fomos feitos um pro outro
Eu vou guardar isso pra sempre
Eu sei que fomos
Sim, sim

Tudo que eu sempre quis foi para você saber
Tudo que eu faço eu dou meu coração e alma
Eu mal posso respirar
Eu preciso sentir você aqui comigo
Sim

Quando você está longe...
Os pedaços do meu coração sentem sua falta.
Quando você está longe...
O rosto que eu conhecia se perdeu também.
Quando você está longe...
Todas as palavras que preciso ouvir,
Para conseguir ir adiante com meu dia
E fazer tudo ficar bem.
Eu sinto sua falta...

Parou, tentou voltar, mas não podia tinha que encontrar Malfoy, andou mais um pouco pra frente, voltou o mesmo tanto pra trás, e novamente pra frente, repetiu esse movimento três vezes e quando percebeu, uma porta aparecia a sua direita... Parou estática ao olhar para a porta, entrava e pegava Malfoy, ou voltava para abraçar e fazer as pazes com Ron? Decidiu que agora era a hora, a porta havia aparecido ali por que ela estava confusa tinha que arrumar uma solução e por mais que tentasse não iria conseguir que a porta aparecesse mais tarde, ela teria a noite toda para conversar com Ron, com certeza ele a entenderia... Encostou a mão na maçaneta, girou-a e entrou. A sala era um grande galpão, com portas para todos os lados, pegou a varinha que sempre levava consigo, deu dois passos e sentiu uma respiração em seu pescoço, instintivamente ela se virou para contemplar aquele rosto pálido e frio, os cabelos loiros caindo displicentemente sob os olhos azuis acinzentados que a olhavam fixamente. Hermione ergueu a varinha e encostou-a no nariz do rapaz, ele por sua vez foi andando para frente enquanto ela recuava, ainda sem tirar a varinha do nariz de Draco. Ouviu passos para trás e ambos sem proferirem uma palavra ao outro, até que a parede se fez presente e impediu Hermione de continuar... O loiro chegava cada vez mais perto, e Hermione não cedia a varinha, a empunhava com força, não tiraria ela dali por nada nesse mundo.

-Você realmente é inteligente Granger, será que não pensou que um dia a parede iria aparecer? – disse o loiro com um tom de divertimento na voz.

-Pena que não posso falar o mesmo de você Malfoy – o nome do garoto foi pronunciado com uma certa repulsa por parte de Hermione - Vejo que você não conhece muito Hogwarts certo? Veio justo na sala em que te procuraríamos primeiro? Tsc,tsc...

-Muito gentil de sua parte Granger, mas me diga onde está o idiota do seu namoradinho? Ele sabe que veio me procurar? Acho que ele não irá gostar nada, nada disso não é? - dizendo isso abraçou a garota pela cintura com um braço só.

-Me solta Malfoy...

-Vai me dizer que prefere que aquela cabeça de cenoura faça isso com você? - enquanto Hermione estava preocupada em se soltar de Malfoy, ele bateu a outra mão na varinha da garota que voou longe – agora sim podemos continuar sem nenhum problema, ou interrupção... - dizendo isso Malfoy colocou a outra mão no pescoço de Hermione e forçando a cabeça da garota para frente enquanto ele ia fechando os olhos e se aproximando perigosamente da garota, seus lábios se encontraram.

Enquanto Hermione lutava para se soltar daquele projeto de beijo que não chegava nem perto do que os que Ron lhe dera na noite anterior, o garoto ia empurrando cada vez mais seu corpo contra o da garota, até que Hermione teve uma idéia... Ia doer mais nele do que nela, com certeza. Só sentia uma pena realmente grande em não poder filmar e mostrar pra Ron o que ela faria... Ergueu discretamente o joelho, e com toda a força que tinha, deu-lhe uma joelhada, o resultado disso foi um Malfoy de olhos arregalados, levando as mãos no local atingido, em seguida rolando pelo chão todo encolhido... Não sabia que uma joelhada “naquele lugar” pudesse doer tanto.

Hermione lançou um último olhar à Malfoy, com um sorriso vitorioso no rosto, pegou sua varinha, estava saindo da porta quando sentiu uma mão puxando-a.

-Pensou que fosse fácil assim? - o loiro estava suando, e ofegante, seus cabelos caindo ainda mais sob os olhos, Hermione, se não achasse preocupante demais o momento, acharia muita graça da cara que o loiro fazia, ainda nitidamente com dor.

-Estupefaça! - Hermione não pensou duas vezes antes de jogar sob o loiro sonserino um feitiço estuporante.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.