FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Votos


Fic: Londres


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Notas da Autora:

Este é na verdade o último capítulo, o epílogo eu ainda estou escrevendo... desde o ínicio da publicação ela já estava pronta mas eu só podia postar nos fds...até que foi rápido! pq antes... esse capitulo demorou meses para sair! Então... se contentem com isso...pq por enqto é o final dela...

Dedico esse ultimo capitulo a todos que leram e comentaram e votaram...fiquei mto feliz com os elogios!

Talvez não tenha ficado bom, porém eu juro que tentei...






Capítulo 5: Votos






- Harry! Pensei que fosse meu amigo?!

- Eu sou! Mas não sou bom nessas coisas, você acha que eu escolhi ser Auror por quê? Para não fazer essas coisas!

- Mas eu estou desesperado! Você lembra de como eu era em Hogwarts! Nunca fui bem, tinha que sempre copiar!

- Não sei se você esqueceu, mas eu estudei com você! E se você ainda não lembra, eu também copiava!

- Então, como você fez na sua vez?

Harry colocou a mão em seu queixo como se tivesse pensando.

- Sabe... que eu não sei...

Ron jogou os braços para cima, em sinal de desistência.






Primavera chegara em Londres, uma época ótima para sair e curtir um parque com esse tempo bom, sol e vento na cara. Porém havia dois homens em um apartamento fechado em volta de uma mesa redonda, onde a única que tinha em cima dela era um pergaminho e uma pena.






Flashback (pedido de casamento pela Hermione)






- Casa comigo?

Ron não estava acreditando no que estava ouvindo, ela o estava pedindo em casamento, mas não era qualquer 'ela', era Hermione Granger. Alguém que provavelmente nunca pediria alguém em namoro, imagine em casamento, ele se sentiu o cara mais privilegiado do mundo. E fez a única coisa que lhe pareceu sensata no momento:

- Não.






Hermione se afastou de Ron para vê-lo, ver se era verdade, mas nem teve tempo de fazê-lo pois seus pés saíram do chão. Ele a estava carregando.

- Te peguei!

Ele disse num tom brincalhão, ela só sorria e chorava.

- Você podia parar de cho-

Ela o beijou, como se fizesse muito tempo que não o fazia, o que era verdade. E quando terminou, ela disse:

- Eu te amo.

- Eu também te amo - disse Ron sorrindo e depois continuou - Mas acho que você vai ter que comprar um novo vestido de noiva.

Hermione riu alto e disse:

- Verdade, verdade... dá azar ver a noiva antes do casamento e você já viu.

- Também, mas é porque você já vai usa-lo hoje...

- Como?

- Dormindo comigo...

E ela riu novamente com muita alegria, depois colocou a cabeça no ombro dele.

- Ok...

Ron beijou a cabeça dela e a levou para o quarto.






Fim do Flashback






Ron estava agora no mesmo apartamento minúsculo que logo seria deixado para trás dentro de alguns dias, quando fosse se mudar para sua nova casa, junto com sua noiva. Ele estava acompanhado pelo seu melhor amigo, Harry Potter, para ajudá-lo a escrever seu voto de casamento.

- Por que você não escreve algo que vem do seu coração?

O ruivo olhou esquisito para o amigo.

- Sabe, eu realmente espero que isso não seja efeito de casado, porque estou prestes a me tornar um.

- Bom, eu fiz isso! - disse Harry irritado.

- Aquilo era do seu coração?

Harry deu os ombros e disse:

- Faz melhor...

1 a 0 para Harry.

- Tá! Então me ajuda...






Hermione, Alexis e Ginny estavam correndo pela cidade Londres atrás, novamente, de um vestido de noiva. Ginny achava tudo muito divertido, pois da última vez que fora atrás de um era para si mesma, já Alexis, achava tudo muito cansativo, tinha que procurar um maldito vestido, de novo.

- Prometo, Alexis! Dessa vez vai ser mais rápido.

- Promessa é dívida, hein?

E Mione fez 'Ok' com a mão para ela enquanto Ginny a puxava para uma loja de vestidos que acabara de ver.






- Tá legal! O que você quer, Weasley?!

- Olha aqui! Nem me venha com esse tom que eu também não estou feliz em ter que chamar você! E se você se esqueceu, minha irmã também é uma Weasley...

- Não se eu pudesse evitar... - murmurou Draco.

- O que você disse? - perguntou Ron mais irritado do que já estava.

- Nada, nada! Vamos esquecer nossas desavenças! Nós somos uma família agora! - e Draco, sarcasticamente, sorriu colocando o braço em cima dos ombros de Ron e o levou para a mesa.

Ron sentou na cadeira da mesinha novamente, Harry sentava em outra e parecia não ter gostado da idéia de ter um Malfoy no mesmo estabelecimento que ele.

- E aí, Potter? - disse Draco com um sorriso sarcástico, enquanto limpava o braço do qual havia colocado nos ombros de seu cunhado.

- Como vai, Malfoy? - perguntou Harry, estranhamente, educado.

- Bem... - respondeu Malfoy, desconfiado.

- Por que não se senta? - falou Ron.

Draco não tinha certeza no que estava se metendo e se sentou.

- Então, do que se trata? - ele se dirigiu a Ron, como se estivesse falando de negócios.

Ron acabou por olhar para seu amigo e depois falou:

- Precisamos da sua ajuda.

- Hahahaha! - Draco começou a rir e depois falou, sarcasticamente - o que vocês querem com um pobre professor de poções, hein?

E nessa hora, Harry se aproximou mais do centro da mesa em direção a Malfoy e falou:

- Ron quer ajuda para escrever o voto de casamento dele.

- O quê?!! - Draco levantou da cadeira.






- Hermione?

- Hum?

- Você já escreveu seu voto de casamento?

- Eu?... Ahn! Sim! Faz tempo... - respondeu Mione atrás do box, experimentando um vestido.

- E você acha que meu irmão já escreveu o dele?

Alexis e Mione deram um risinho.

- O que foi?

Alexis, que sentava do lado de Ginny, falou:

- Na verdade, temos certeza que a essa hora ele está tentando bolar um texto com a ajuda de Harry.

- Hey! Mas ele não pode ter ajuda! Ele tem que escrever sozinho!

Ginny olhou para ela incrédula, mas Alexis apenas deu os ombros. E nessa hora Hermione saiu do box.

- Esse é perfeito, Mione! - exclamou Ginny.

Ela apenas sorriu e foi se ver no espelho.

- Acho que será esse, então - falou Mione, feliz da vida.

- Boa escolha! E até que não demorou tanto, né? - falou Alexis.

- E Ginny? - Mione olhou para ela.

- O quê?

- Seu irmão só está tentando escrever o melhor voto de casamento para mim porque ele se acha péssimo nessas coisas de escrever, por isso ele pede ajuda, para não me decepcionar - e Mione sorriu.

Ginny sorriu de volta e falou:

- Então, vamos fazer mais alguma coisinha, para não chegarmos tão cedo lá!

E Mione e Alexis concordaram.






- Você é inútil!

- Eu sou um professor! Não sou um romântico incondicional e muito menos um poeta!

- Resumindo: Inútil. - falou Harry, concordando com Ron.

- Você, Potter, fique quieto! Se vocês me chamaram aqui é porque você também não sabe!

Harry apenas fez uma cara de desprezo para Draco e falou.

- Dei minha sugestão, ele não quis.

- Que sugestão?

Draco olhou de Harry para Ron, este apenas fazia cara de que 'era uma péssima sugestão'.

- Disse para ele: escreva com o coração.

- Qual o problema com essa sugestão, Weasley? - indagou Draco para Ron.

Ele apenas deixou a boca aberta, abismado.






- Harry era péssimo em fraldas... vivia dizendo que não era problema! Na verdade, ele pensava que com magia, poderia se resolver...

- Mas trocar fraldas com magia é muito perigoso! E se acertasse o James ou coisa parecida! - falou Ginny, nervosa.

- Pois é! Quase o esganei quando o vi tentando! - falou Alexis, rindo.

- Sinceramente, homens sempre acham que podem resolver TUDO com magia - falou Hermione, enquanto colocava mais uma colher de sorvete na boca.

- Verdade - concordou Ginny e depois de ter engolido uma colher de sorvete, continuou - Draco é bem assim: 'Sou um bruxo, vou usar magia! E não invenção de trouxas!' e blá blá blá...

As três mulheres riram e continuaram a conversar sobre seus homens.






- Atchoo!!!!

Os três espirraram na mesma hora.

- Alguém deve estar falando de vocês... e saúde.

- Sr. Longbottom! - falou Draco, sorrindo - o homem que nós estávamos procurando!

- Eu só vim, porque quis muito saber o que um Malfoy faz na casa de um Weasley acompanhado de um Potter, sem a querida esposa - disse Neville, sorrindo também.

O sorriso de Draco desapareceu no momento em que Longbottom falara sobre sua atual situação. 'Que decepção para um Malfoy' ele pensou, Ginny com certeza irá pagar por isso. 'Mas, querido, você tem que conviver um pouco mais com os meus irmãos, principalmente o Ron!' e blá blá blá... dizia Ginny para ele, e com o peso das palavras da sua mulher ele estava lá, convivendo com seu cunhado. E como se arrependera.

- Minha querida esposa me obrigou a isso, Longbottom.

Harry e Ron se olharam e começaram a rir.

- Qual é a graça?

- Desde quando virou o cachorrinho da Ginny? - Harry perguntou e Ron gargalhava mais ainda.

Draco colocou dois dedos em sua têmpora e começou a massagear a área, se segurando para não lançar um feitiço nos dois.

Neville notando a velha tensão que sempre surgia toda vez que esses três se cruzavam, se apressou a falar:

- Então, para o que me chamaram?

Nessa hora, foi a vez de Draco dar risada.

- Cala a boca, Malfoy! - falou Harry, irritado e virou-se para Neville - Ron precisa de uma ajuda para escrever-

- O voto de casamento dele!!! Hahahaha! - completou Draco e depois caindo na risada.

O rosto de Ron ficou vermelho que nem um pimentão.

- E ele pediu ajuda para vocês que já se casaram? - perguntou Neville.

- É, mas... - começou Harry.

- Então, para o que vocês me chamaram aqui?!

- Se ele não aceita sugestão de casados, quem sabe de um solteiro? - falou Harry.

Neville começou a pensar, Malfoy ficou sentado na cadeira com cara de tédio enquanto Ron e Harry ficaram a esperar a resposta do amigo.

- Por que a gente não vai embora?

- O quê? - perguntou Ron.

- É! Por que eu, Harry e Malfoy não vamos embora?

- E como vamos ajudá-lo?! - perguntou Harry.

- Não vamos! É o casamento dele então, o voto é dele!

- Mas eu não sei escrever!

- Tenho certeza que ela não está casando com você pelos seus dotes em redações - falou Neville, seriamente.

- Então, vamos! - falou Draco, já se levantando e indo para a porta.

- Hey! Vocês estão pensando seriamente em fazer isso?!

- Eu já disse, escreva sobre o que sente. - disse Harry acompanhando os outros dois que saiam da porta.

- Relaxe, Ron! Ela com certeza vai gostar - falou Neville, sorrindo.

E a porta se fechou.

- Você acha que isso vai dar certo? - falou Harry.

- Quem se importa?! - falou Draco.

Ignorando o que Malfoy havia dito, Neville falou:

- Você vai ver, amanhã estará pronto o voto!






Ron encarou a porta fechada por um tempo, depois olhou a mesa e foi até ela. Sentou-se. Pegou o pergaminho e a pena, mas não escreveu nada. Ele ainda não sabia o que escrever.

Escreva o que sente. A voz de Harry se repetia na cabeça dele.

Ele molhou a pena e começou a escrever.






- Vocês acham que devo passar na casa de Ron antes? - perguntou Hermione para as duas mulheres.

- Acho melhor não... ele deve estar se concentrando para escrever o voto.

E Ginny concordou com Alexis.

- Verdade.










O dia da cerimônia chegara. Ron e Hermione gastaram semanas de horário livre para preparar o casamento, desde o local dela até os guardanapos.

O local escolhido foi numa pequena igreja, no subúrbio de Londres. Um pouco isolado para que ninguém desconfiasse, já que bruxos iriam estar presentes e não era um lugar incomum para que os convidados trouxas não desconfiassem. Fora explicado para estes que haveria pessoas trajando roupas estranhas, pois a parte do noivo vinham de um local distante e que era tradicional usar aquelas roupas.

A igreja ficava no alto de uma pequena colina e quando chegava perto do meio-dia, ela já estava quase cheia. Estava quase na hora.

Ron já estava lá dentro, esperando do lado de Neville e Ginny, que eram os seus padrinhos de casamento. A noiva, Hermione, ainda não havia chegado, como era o costume.

De repente, a música de casamento começara. E todas as pessoas que estavam no interior da igreja, caíram num silêncio e suas cabeças se voltaram para a entrada dela.

Duas crianças entraram, o menino que usava um traje completo de galã, estava todo sorridente, carregando uma pequena cestinha. A menina que usava um vestidinho rosa com uma tiara de flores, também estava toda sorridente, carregando um mini buquê. Eram James Briek Potter e Holly Weasley Malfoy.

Logo depois, Hermione apareceu de braços dados com seu pai. Ela usava um vestido com um decote menor na frente e um maior atrás, de modo que era possível ver uma boa parte de suas costas e a saia não era muita rodada. O cabelo, ela havia prendido num coque e seu véu se originava dele, descendo até o queixo. Seu sorriso era mais que evidente atrás dele.

Os quatro passaram pelo corredor da igreja. E em nenhum momento, Ron e Hermione quebraram o contato de seus olhos. Quando, finalmente, ela estava de braços dados com ele, este não agüentou e disse em seu ouvido:

- Você está linda.

Ela deu um aperto mais forte com a mão no braço dele, e sorriu mais ainda, um pouco envergonhada.

- Estamos aqui reunidos... - começou o padre.

O discurso do padre foi um pouco diferente, e todos os bruxos ali presentes sabiam que, na verdade, ele não era um padre e sim ninguém menos que Remo Lupin. Os noivos resolveram optar por uma igreja, que além de lindo, era para disfarçar um pouco. Quanto ao padre, foi escolhido que Lupin o fizesse para não ocorrer nenhum incidente de um padre de verdade souber da comunidade bruxa.

De vez em quando, durante o discurso, Hermione olhava para Ron e vice-versa. E nesses 'de vez em quando', os olhares dos dois de cruzavam e Mione não resistia, começava a rir um pouco e Ron também. E isso, para a surpresa dos convidados trouxas, não irritou Lupin, só fazia-o falar com mais empolgação.

- ... Hermione Granger, você aceita Ronald Weasley como seu marido, na riqueza ou na pobreza? Na felicidade ou na tristeza? Na saúde ou na doença? Até que a morte os separe?

- Eu aceito.

- Ronald Wealsey, você aceita Hermione Granger como sua esposa, na riqueza ou na pobreza? Na felicidade ou na tristeza? Na saúde ou na doença? Até que a morte os separe?

- Eu aceito.

Lupin deu um sorriso e falou:

- Com o poder investido em mim, eu os declaro marido e mulher. Porém, antes do esperado beijo, os noivos devem trocar seus votos e suas alianças.

Remo pegou dois pequenos rolos de pergaminho e entregou aos dois. Hermione abriu o seu primeiro, era o voto de Ron e era ela que tinha que lê-lo em voz alta.

- Olá, Mione. - ela começou - Você deve estar linda e eu provavelmente já falei isso. Pois é, estou aqui quebrando minha cabeça sobre o que escrever para você, eu pedi ajuda, do qual não adiantou nada! Meus amigos, não, Malfoy, você não é meu amigo, me abandonaram aqui! Desculpa, Mi, você sabe como eu sou ruim nessas coisas. - Malfoy pigarreou alguma coisa.

- Por muito tempo, pensei muito em você, desejava que você voltasse e, por anos, você não voltou. Nos últimos meses que passei sem você, eu finalmente havia me libertado de seu encanto, estava muito mais preocupado em estudar e trabalhar, dá para acreditar?! Eu?? - Hermione riu um pouco.

- Porém, estou aqui, me casando com você. Porque eu fiz essa escolha. Eu poderia muito bem ter dito não, poderia muito bem viver sem você, poderia muito bem ficar bem e, quem sabe, feliz sem você. - o rosto de Hermione perdeu um pouco de sua alegria.

- Hermione Granger, eu estou casando com você por minha livre e espontânea vontade de ficar com você. Você não é minha necessidade e sim minha escolha e minha vontade. Apaixonei-me por você tantas e tantas vezes, e mal posso esperar pela próxima e próxima vez que me apaixonarei de novo por você. E é simplesmente isso, eu posso viver sem você, mas não quero e nunca vou querer. - e ela tentava manter a voz o mais casual possível.

- Eu quero acordar e dormir com você, eu quero ter filhos com você, eu quero rir e chorar com você e assim vou querer para o resto da minha vida. E se algum dia for 'eu preciso de você', será porque 'eu quero e preciso de você', porque tudo em relação a você, eu quero. - ela deu uma pausa - Se você ainda não entendeu, eu te amo, Hermione Granger, opa, Weasley agora né?

Ela fechou o rolo e olhou para ele, seus olhos estavam prestes a chorar. Hermione só conseguiu sorrir e rir para Ron.

Ele abriu o rolo dela.

- Ron, que fique bem claro que eu não quero perder o Granger do meu nome! - ele balançou um pouco a cabeça, como se estivesse pensando no caso, depois continuou - Desculpe, não são modos de começar um voto, né? Eu, na verdade, estou sem palavras, por mais que isso seja incrível. Por muito tempo pensei que quando chegasse a hora de escrevê-la, eu iria escrever rapidinho e temeria deixá-la gigantesca! Entretanto, cá estou, sem palavras.

- Eu sei que talvez seja muito estúpido dizer isso, mas você me lembra uma escada. Sabe aquelas que nossa antiga escola tem de monte? Aquelas que você não tem nenhum problema para descer enquanto tem um problemão para subir? Pois é. Essa. A cada degrau que desço é como se eu tivesse me apaixonando por você mais e mais, se eu tentar subir irá ser por puro esforço de eu tentar esquecer você. Eu tentei, me esforcei, me cansei e me acostumei. A verdade é que eu não queria subir a escada, gostava demais em descer ela.

- Eu amo você, Ron. Não sei se foi por que a gente se implicava tanto um com o outro ou se foi por que a gente se implicava em gostar um do outro. O problema, ou não, é que deu certo e eu amo você - Ron sorria sem parar.

- Eu não digo para sempre, porque para sempre é relativo. Para sempre pode muito bem acabar amanhã ou ter sido ontem, é apenas um certo tempo que é indefinido. Porém eu falarei 'todo dia', porque é diferente: É a minha promessa constante de ficar ao seu lado. Constante porque não pára, será hoje e amanhã, depois de amanhã e depois e depois... sem intervalos, sem descanso. Então eu te amo, todo dia ou toda hora ou todo minuto... como você preferir.

Ron fechou o rolo e olhou para Hermione, seus olhos estavam um pouco molhados, mas mantinha o enorme sorriso em seu rosto.

- Os noivos podem trocar as alianças e se beijar.

As alianças foram trocadas.

O véu de Hermione foi levantado por Ron, ele colocou suas mãos na cintura dela e se aproximou para beijá-la. Ela colocou uma mão no ombro dele e a outra no braço, era um beijo gentil, com amor e com uma sensação de que poderia durar por toda eternidade.






As crianças estavam correndo pelo campo, onde tinha uma tenda gigantesca que estava acomodada a festa de casamento. Nas mesas estavam sentados todos tipos de gente, havia pessoas se deslocando para outras mesas para conversar, outros que se encontravam no meio do caminho. Porém, toda a atenção fora desviada para Hermione, que subiu num palquinho, para jogar o buquê.

- Onde está Neville? - perguntou Ron a um dos solteiros.






- O que você está fazendo? - perguntou Harry.

- Ué, vou tentar pegar o buquê - Alexis disse casualmente, enquanto se levantava da cadeira.

- Pra quê?! - Harry também se levantou.

- Ah, nunca se sabe, posso me casar de novo - Alexis respondeu, piscando para ele e indo em direção ao aglomerado.

- Então você não se importa se eu tentar pegar a liga?! - perguntou Harry mais alto, para que ela conseguisse ouvi-lo.

Alexis apenas acenou com a mão de que ele poderia ir, nem se deu a trabalho de virar. Harry se virou também, fechou os punhos e falou para si mesmo que ia pegar a liga custe o que custar.

No fim, depois de muitos tapas e puxões de cabelos entre as mulheres, e socos e chutes entre os homens, saíram um Harry de cabelo bagunçado e óculos fora do lugar, e uma Gina com o penteado desmanchado e a roupa um pouco fora do lugar, os dois segurando firmemente o prêmio em suas mãos.

- Eu peguei! - os dois gritaram triunfantemente.

Harry e Gina se viraram e se olharam.

- Harry! - ela falou surpresa.

- Gina!

- Iiiihhhh... - James e Holly pararam de correr só para ver a briga para quem conseguia a liga e o buquê, quando viram os que pegaram, fizeram o coro juntos.

- Hahahaha!! - Alexis começou a rir quando viu a cena e apontou para Malfoy, que estava por perto - Você se ferrou!

- Do que você está falando, mulher?! - Malfoy vociferou com Alexis - É o seu marido que vai colocar a liga! Você também se ferrou!

- Me ferrei nada! - Alexis devolveu e com uma voz mais baixa, completou - Não sou eu que acha que os dois tem um caso...

Draco ficou vermelho, vermelho de raiva e constrangimento, apesar de ninguém ter ouvido o que Alexis havia falado. 'A esposa de Harry era realmente... indesejável quando quer ser', pensou Draco, mas ela não parou por aí.

- Pense bem, Draco. Já pensou se Harry coloca a liga na perna de Gina, acende a fagulhinha de amor que um tem pelo outro e quem sabe provocar um caso tórrido entre os dois ou quem sabe numa escandalosa separação entre vocês! Nossa! Sairia até na capa do Profeta Diário!

- Cala a boca... - Malfoy falou, mas fora atingido em seu ponto fraco, Gina.

Alexis sorriu maldosamente e falou:

- E por falar nisso, cadê eles?

Draco balançou sua cabeça rapidamente para olhar todos os lados à procura de Gina.






- Acho que seu marido não vai gostar nada disso - Harry falou logo depois de ter reconhecido Gina.

Gina deu um pequeno suspiro de cansaço.

- O que posso fazer? Ele ainda acha que eu amo você... - ela disse olhando o marido responder a Alexis.

- E não ama? - Harry deu um sorriso maroto.

Gina o olhou estranhamente e respondeu:

- Vê se enxerga!

E saiu, Harry a seguiu.






- Você não acha estranho dois casados fazerem um ritual de solteiros? - perguntou Hermione.

- Não vejo nada de errado nisso - respondeu Ron casualmente.

Hermione o olhou desconfiada.

- Tá! Tá! Não pude resistir! Olhe a cara de bunda do Malfoy! - Ron falou, derrotado pelo olhar dela - Vale a pena!

- Ele é o marido da sua irmã!

- Mas não é o meu!

Ela revirou os olhos e falou:

- Vamos fazer de novo.

- O quê?!

Se olhar matasse, Ron estava morto.

- Ok, ok! Foi bom enquanto durou... Ei! Pessoal!! Vamos fazer de novo, parece que foram dois casados que pegaram o buquê e a liga!! Vamos lá! Harry e Gina me dêem isso daí!

- Onde está Neville, Ron? - perguntou Hermione.






- Desde quando você fuma? - perguntou Harry.

- E desde quando você se importa? - cortou Alexis.

Harry ficou do lado dela, os dois estavam isolados da festa, perto do lugar onde os carros estavam estacionados. Ela jogou o cigarro, que mal fumara, longe.

- Só estava vendo se aquilo tinha efeito em bruxos - ela falou e se virou para voltar a festa.

- Hey... - ele pegou no braço dela.

- Sim, Harry?

- Não está brava?

- Por que estaria?

- Gina.

- Rá! - Alexis riu - Deixe de ser metido.

- Então por que está assim?

- Não estou assim.

Os dois ficaram em silêncio, por um tempo.

- Os dois se casaram - Alexis começou.

- Pois é, finalmente.

- Está feliz?

- Sim, meus dois melhores amigos se acertaram.

- Sem mais preocupação se um vai vir na mesma hora que o outro...

- Sem me preocupar mais com quem um ou outro irá sair...

- É... Por que você perguntou a Gina Weasley se ela não te ama?

- Ahá! Você disse que não estava brava!

- Eu não estou brava! Só... curiosa!

- Mesmo? - Harry indagou desconfiado.

- Sim... - Alexis respondeu firmemente olhando para os olhos do marido - Além do mais, eu sei por quem o seu coração bate.

- Por quem?

- Por mim.

E Alexis voltou para a festa.

- Você também não é nada metida.

Harry a seguiu, ela apenas fez um gesto de desdém com mão para ele sobre o comentário sarcástico.






- Onde você estava? - Draco perguntou, disfarçando a raiva.

- Entregando o buquê para Hermione? - Gina respondeu obviamente.

- E Potter?

- Draco! - Gina falou brava.

- Que foi?

Gina o puxou pela manga para se afastar da multidão.

- Por Merlin, Draco! Nós estamos casados! Temos uma filha! E você ainda acha que vou pular no colo do Harry na primeira chance que eu tiver!

- Eu confio em você - ele falou de um modo que já tivesse falado muitas vezes - eu só não...

- Confia nele! - ela completou pelo marido.

- É, isso!

Ela deu um suspiro profundo e falou:

- Se você não confia nele, confie na esposa dele!

- O quê? Alexis?! Nem morto! Ela nem se importa se o marido vai colocar a mão na perna de outra!

- Porque ELA diferente de VOCÊ confia na pessoa com quem casou! E além do mais, ninguém seria capaz de trair ela.

Draco deu uma tremedeira.

- Brr! Eu nunca me casaria com ela, nem que ela fosse a mulher mais bonita do mundo.

- Por quê?! - perguntou Gina revoltada.

- Imagine! Não poderei trair ela! O medo de ela descobrir e o que faria comigo se eu o fizesse é maior que meu medo de morrer! Apesar de todos os pesares, sinto dó do Potter.

- Como assim, Draco Malfoy?! Quer dizer que você me trairia?!!






- Olhe a cara de bunda do Malfoy! - comentou Ron com Hermione.

- Você quer parar de reparar na cara dele! Vou pensar que você preferia ter casado com o Malfoy!

- Pô, Mione! Também não precisa ofender, né?!

- Então continue dançando!

Hermione e Ron estavam dançando, como era costume os recém-casados dançarem a primeira valsa. Logo depois, vinham outros casais para dançar. Porém os dois notaram a falta de alguém para dançar com Gina, que fora a madrinha do casamento, precisava dançar com o padrinho...

- Onde, raios, está Neville?! - os dois se perguntaram.






Alexis e Harry resolveram ficar na mesa, ao invés de dançar. Os dois estavam observando Draco que parecia estar tendo algum tipo de discussão com Gina, do qual ele era quem falara besteira.

- Olhe a cara de bunda de Malfoy - comentou Harry com um sorriso satisfeito.

- Parece que Gina acha que ele a está traindo.

- Como você sabe... - Harry olhou para a esposa, ela tinha um sorriso maroto - você não deveria ler as mentes das pessoas...

Alexis virou-se para o marido, seu sorriso se alargara.

- Você não pode ler a minha - ele falou triunfante.

- Não preciso... - ela se aproximou mais, porém parou no meio do caminho - Aquele não é o Neville?

Harry seguiu o olhar dela e viu Neville saindo de algumas árvores. Ele olhou para Alexis, esta apenas assentiu com a cabeça e os dois se levantaram.

- O que estava fazendo no mato, Neville? - perguntou Alexis.

- Alexis! Que susto você me deu... - ele colocou uma das mãos em seu peito, sua roupa estava afrouxada.

- Então, Neville?

- Nada demais... apreciando a natureza... só isso.

Ele começou a dar passos para trás e fugir dela, mas acabou trombando com alguém.

- Desc... Harry!

- Oi, Neville! Onde você estava esse tempo todo? Nem apareceu na hora em que Ron jogara a liga.

- Bom, sabe como é... não quero me casar agora... muito trabalho a fazer...e-

- Muitas mulheres soltas por aí, imagino - completou Alexis.

Neville estava encurralado pelo casal de amigos. De repente, ouviu-se um farfalhar no mato perto deles, de onde surgiu uma mulher que estava tão ocupada arrumando o vestido, que nem reparou nos três indivíduos que a observavam.

- Num casamento, Neville! - falou Alexis indignada.

Harry só ria, enquanto Neville tentava manter sua expressão de que não sabia do que Alexis estava falando.

- Bom, por que não vamos dançar? Eu mesmo preciso dançar com a Gina e vocês-

- O que é isso? - perguntou Harry.

Os três ouviram um farfalhar no mato, de novo. Neville bateu com a mão na própria testa.

- Duas! Neville! - falou Alexis, mais indignada ainda.

- Bom, eu acho que já vou indo. Gina parece que está me chamando...

E Neville se foi. Alexis ainda olhava para ele enquanto ele ia para Gina.

- Que cara é essa que você está fazendo? - perguntou Alexis para o marido.

- Como será que ele conseguiu? Duas? - Harry perguntava mais para si mesmo.

Alexis revirou os olhos e foi embora.

- Hey, Alexis! Espera!






- Será que posso dançar um pouco com a noiva?

Ron e Hermione olharam para a pessoa, era Will. Os dois se olharam e ela apenas assentiu com a cabeça.

- Claro... - Ron se afastou.

- Você está muito bonita - Will comentou.

- Obrigada.

- Fiz a escolha certa?

Hermione olhou os olhos de Will, tinham um pouco de arrependimento neles.

- Sim, Will.

- Então está feliz?

- Mais do que nunca - ela abriu um sorriso.

- Que bom, espero que seja feliz mesmo.

- Eu serei...

Os dois dançaram até acabar a música.






- Os dois não estão dançando juntos demais? - perguntou Ron.

- Sim, eu até acho que eles estão cochichando para marcar o encontro deles depois da sua lua-de-mel, sabe? - falou Alexis.

- Você está ouvindo o que eles estão falando?! - perguntou Ron desesperado.

- Ron! Alexis está mentindo. Não é nada demais! - falou Harry.

- Olhe! Parece que os dois se entenderam...

Draco e Gina estavam dançando, bem juntinhos.

A música terminou.

- Acabou, finalmente! vou lá pegar a Mione! - Ron saiu correndo.

- Ciumento até o fim - comentou Harry.

- Olha quem fala. Cadê seu filho? - perguntou Alexis.

- Voltou a ser só meu?!

Harry e Alexis trocaram sorrisinhos.






- Hm...

- Que foi, Ron?

- Nada não. Você viu que o Neville apareceu...

- É, eu vi. Aconteceu alguma coisa?

- Não, não. A Gina e o Malfoy fizeram as pazes...

- É, eu também vi.

- Nossa, até que você repara muita coisa quando está dançando com outro.

Hermione começou a rir.

- O quê?

- Você está se remoendo por dentro para saber o que eu e o Will falamos, né?

- Nãããooo... é claro que não... por que eu ia querer saber?

- Ah... então você não quer saber o que ele me perguntou, né?

- Não...

- Se bem que ele parecia um pouco arrependido...

- Você é uma chantagista!

- Admita que quer ouvir!

- Não!

- Tá bom...

Um minuto depois....

- Ok! Você venceu! O que ele falou?

- Hihihi... ele só me perguntou se estou feliz.

- E?

- E o quê?

- O que você respondeu!

- Oras, que eu estou!

Ron relaxou no banco do carro, depois puxou Hermione para mais perto.

- Está feliz mesmo?

- Sim... - ela encostou a cabeça no ombro dele.

- Eu te amo... todo dia - Ron sussurrou para ela.

- Eu também te amo, porque eu quero te amar...

Ron beijou a testa dela e ela o abraçou mais forte.






Quando o carro já não podia mais ser visto pelas pessoas, ele saiu do chão e foi voando. Atrás dele estava escrito:








Recém-casados






Londres é só uma cidade, mas se fosse alguém ela estaria sorrindo agora.








..............................................FIM.....................................................

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.