FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. Anne Luer


Fic: Just like heaven


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Just Like Heaven – Capitulo VIII – Anne Luer

Fred terminou de fazer as suas entregas e resolveu relaxar um pouco. Ele entrou no Três Vassouras e pediu uma cerveja amanteigada.
O local estava meio cheio, mas ele conseguiu um bom lugar perto da lareira. O dia estava frio o outono estava rígido.
Enquanto esperava, uma garota de cabelos pretos e olhar simpático se aproximou e perguntou:
-Você conhece algum hotel por aqui?
-Eu? – perguntou distraído.
-Sim
-Bom, não! Eu não moro por aqui e só conheço a parte comercial, se há algum hotel por aqui eu não sei dizer!
-Obrigada – ela se afastou um pouco olhou ao redor – Desculpe incomodar, mas o bar está meio cheio, será que eu posso sentar aqui com você?
-Claro que pode! Prazer Fred Weasley ao seu dispor – disse ele sorrindo e estendo a mão para a moça
-Prazer Anne Luer – disse apertando a mão dele.
Ela se sentou ao lodo dele e ali permaneceu em silêncio olhando fixamente para baixo, parecia nervosa.
Depois de certo tempo de silêncio Fred disse:
-Não gostaria de alguma coisa pra comer ou beber?
-Não, não eu só preciso descansar um pouco não quero incomodar!
-Bom já que vamos dividir a mesa podemos aproveitar para conversar, não acha?
-Eu não devia...
-Você foi tão espontânea Srta Luer que achei que estava interessada em ao menos uma conversa amigável!
-É eu sei! Eu só queria ser gentil, e você era a única pessoa desacompanhada do local, é mais fácil pedir informação...
-Se você prefere ficar calada é um direito seu, desculpe por insistir!
Ele pegou a sua cerveja amanteigada e tomou calmamente. Ela continuou olhando fixamente para baixo.
-Ok, então... Se você não é daqui, o que veio fazer?
-Eu vim fazer umas entregas, sabe da minha loja de logro...
-Você é dono de uma loja! Interessante, mas você parece tão novo...
-Pra dono de um negocio pode até ser, pelo menos já sou maior de idade eu abri a loja com 17 anos então não sou tão novo já fiz 19!
-E onde fica a sua loja?
-No Beco Diagonal em Londres!
-Nunca fui lá, é movimentado?
-Se é? É a maior área de comercio Bruxo de Londres! Você não é daqui não é? Você vem de onde?
-Nasci na Irlanda, mas meus pais são Ingleses!
-Ta explicado. Há quanto tempo você está aqui?
-Há pouco tempo. Tive que sair da Irlanda.
-Eu acho que não sairia do país. – respondeu Fred pensativo. – No máximo iria para o sul, que é mais quente.
Ela levantou-se e olhou o relógio e disse:
-Tenho que ir, ou eu vou acabar perdendo o trem!
-Mas você não queria um hotel?
-Não é para mim. É pra uma amiga...
-Entendo... Eu posso te levar até o trem, se você não puder aparatar.
-Eu... Bem, isso é meio constrangedor, mas eu tenho que revelar que eu nunca passei no teste para aparatar, eu quase perdi um braço... Então eu desisti depois de muita insistência... Não posso ir com você eu, tenho muito medo... Aceito a sua companhia até lá...
-Você está indo para Londres?
-Estou...
-Eu também... Vamos para não perdermos o trem...
Eles correram até a estação e conseguiram pegar o trem a tempo e sentaram em um vagão vazio.
-Obrigada, pela companhia Sr. Weasley, mas... Por que você pegou o trem se pode aparatar?
-Eu tinha que fazer algumas entregas e meu irmão comprou a passagem de ida para acompanhar meus irmãos pequenos, e acabou comprando a de volta.
-Você mora em que lugar de Londres?
-Moro em cima da minha loja, no Beco Diagonal.
-Gostaria de conhecer melhor a cidade...
-Se você quiser te apresento o Beco Diagonal e o Caldeirão Furado
-Eu preciso mesmo conhecer uma loja nesse lugar... Você disse que tinha uma loja de logros não foi? Como se chama?
-Gemialidades Weasley!
-Bem que achei seu nome familiar! Que conhecidência!
-O que?
-Bem... Um brinquedo que meu filho ganhou deu defeito e o machucou...
Ele a olhou espantado. Ela não deve ter mais de vinte anos e já tem um filho, pensou ele.
-Ele se machucou muito?
-Nada mais do que alguns arranhões... Nada muito sério, mas eu esperava que fosse mais seguro.
Ela a olhou inseguro.
-Não pretende nos processar não é?
-Até pensei nisso, mas conhecendo você agora, vejo que os donos são gente de bem, só peço que vocês façam mais testes nos brinquedos e se assegurem que estão realmente prontos para se vender!
-Procurarei fazer o melhor que puder Srta Luer!
-Me chame de Anne, me sinto uma estranha como Luer...
-Já que é assim me chame de Fred, assim nós podemos começar uma grande amizade- disse ele sorrindo
-Então está marcado amanhã você me mostra a cidade!
-E se você quiser, pode levar seu filho e escolher o qualquer coisa da loja!
-Acho melhor não, pode dar muito prejuízo...
-Encare como uma indenização.
-Certo, amanhã eu levo ele, mas aonde nós vamos nos encontrar?
-Diga um lugar que você conheça para nos encontrarmos... Ou posso buscar vocês?
-Isso é um encontro?
-Não diria que seria um, já que seu filho vai estar lá, mas assim você considerar, também irei!
-Se é um encontro você pode me buscar, mas de quê você irá?
-Amanhã você verá!
-Eu moro na Rua Fleet, n° 16!
-Podemos almoçar e depois dar uma volta, certo?
-Então que horas você aparece lá?
-Uma hora, pois tenho que fazer algumas coisas na loja.
Eles continuaram a conversar até o trem chegar à Plataforma 9/½, e lá eles se despediram.

+++

Ao chegar à loja Jorge logo pergunta:
-Como foram as entregas?
-Foram ótimas – respondeu Fred com um enorme sorriso
-Ainda bem que foram... Alguém deixou esse enorme sorriso marcado no seu rosto, não é? Será que é quem eu estou pensando?
-Quem? – perguntou Fred distraído
-Hermione!
-Não, não, se dependesse daquela ali eu estaria apenas com lágrimas!
-Quer dizer que você já esqueceu ela?
-Não sei se algum dia ela esteve em minha cabeça...
-Bom, se não foi ela quem foi?
-Anne Luer! Eu conheci ela no Três Vassouras! E vou sair com ela amanhã!
-É muito bom ver você tão animado.
-Ela é perfeita! Quer dizer só tem um defeito...
-Qual?
-Ela tem um filho.
-O que? Ela tem um filho?
-E eu disse que ela podia trazê-lo para ele escolher o que quisesse como indenização.
-Indenização de quê?
-Ele ganhou um brinquedo da loja e ele deu defeito e ele acabou se ferindo.
-Certo, pode fazer o que quiser! Afinal a loja também é sua, só tem uma coisinha, vai ser descontado da sua parte nos lucros, não podemos ficar no prejuízo!
-Sem problemas, irmão! Vamos ao trabalho que amanhã será um novo dia!

++

Assim que deu 11h, Fred subiu para o seu aposento e começou a se arrumar, vestiu uma camisa de linho branca, com um agasalho cinza, calça jeans e um tênis simples. E ficou esperando a sua encomenda, ele havia pedido ao seu pai para que encantasse um carro para que ele seguisse todos os comandos de voz dele. Após uma pequena espera seu carro foi entregue e ele partiu para a Rua Fleet.
Ao seu comando o carro logo encontrou o destino desejado, uma rua simples com pequenas casas de frentes alegres que lembrava muito o interior. Ele saiu do carro e tocou a campainha da singela casa n° 16, com uma pequena espera uma senhora idosa abriu a porta.
-O que deseja meu jovem – disse ela com uma voz gentil e cansada
-Vim ver a Srta Luer, ela esta?
-Está sim, entre eu vou chamá-la.
A casa de Anne era bem peculiar com grandes cortinas brancas acompanhadas de grandes janelas, sofá aconchegante e a decoração tinha um aspecto muito alegre. Fred observou cada detalhe de um quadro que estava à sua frente. O homem retratado não se movia nem falava, como os quadros de Hogwarts. Ele exibia os olhos cor de mel e um sorriso um tanto presunçoso, as veste a rigor pareciam um pouco antigas,mas davam um charme cavalheiresco. Ele ficou olhando alguns detalhes, tentando deduzir a data do quadro Decerto não tem muito tempo... Mas quem será? pensou.
-Gostou do quadro? – perguntou uma voz
Fred virou-se e viu um garoto pequeno com profundos olhos castanhos, quase mel, cabelo escuro enrolado, que mais parecia um anjo das histórias trouxas.
-Gostei sim...
-É o meu pai – apressou-se o menino.
Fred não se surpreendeu muito; afinal parecia que estava olhando para o homem retratado, anos mais novo.
-Ele foi soldado – disse o garotinho com orgulho.
-Vocês se parecem – disse ele – Qual o seu nome?
-Victor – respondeu a senhora que havia aberto a porta para Fred, que entrou na sala naquele momento – É o meu filho Anthony, no retrato, observei que você olhava ele.
Fred respirou fundo e perguntou:
-O que aconteceu com ele?
-Ele... Bem...
-Não vamos assustar nosso visitante com histórias do passado – ecoou a voz de Anne no corredor.
Ela estava muito bonita, com um vestido verde cheio de detalhes bordados, o cabelo estava preso em uma longa trança que a fazia parecer com uma princesa da Idade Média.
-Victor querido já está pronto?- perguntou ela docemente acariciando os cabelos do filho!
-Sim mamãe! Aonde vamos?
-Vamos sair com o Sr. Weasley. – disse ela apontando para Fred – Se despeça de sua avó e vamos querido.
-Divirtam-se então... – disse ela em um grande sorriso e abraçando o neto – Até mais!
Eles saíram e pararam em frente a casa. Anne olhou para o carro parado à sua porta e perguntou:
-Você fez isso por mim?
-Já que você não pode aparatar – disse ele sorrindo – aluguei um carro para podermos sair! Tudo bem pra vocês?
-Por mim tudo bem, quase nunca eu ando de carro! – disse Victor entusiasmado.
-Pelo visto você nunca andou em um carro como este! – respondeu Fred.
Assim que todos se aconchegaram no carro Fred disse:
-Para o chalé-restaurante!
O carro ligou e começou a se guiar, meia hora depois eles estavam na porta do chalé.
-Volte para a loja – disse Fred para o carro – daqui seguremos a pé.
Eles entraram na linda casa de madeira, com seu interior aconchegante, mesas bem distribuídas e uma lareira recém acesa crepitando levemente. Fred dirigiu-se à recepcionista:
-Mesa para três.
-O senhor fez reserva?
-Fiz, está no nome de Fred Weasley.
A mulher assentiu e acompanhou-os até uma mesa perto da janela e iluminada pela luz da lareira. A recepcionista entregou a Victor uma mini-caixa de feijõezinhos de todos os sabores e disse:
-Tome cortesia da casa!
Ela deu uma piscadela para Fred e se retirou. Anne olhou-o surpresa, e quando Victor foi ver um aquário, ela perguntou:
-Você a conhece?
Fred deu uma risada.
-Uma velha amiga dos tempos de escola. Alicia Spinnet.
-Alicia Spinnet? – perguntou Anne boquiaberta - A Alicia Spinnet? Capitã dos Harpias de Holly Bread?
-Ela mesma! – disse Fred – Isso aqui é do pai dela, e ela trabalha aqui quando não está jogando. Ela disse que é muito divertido!
-Ela fica muito diferente sem o uniforme.
Fred preferiu omitir o fato de que Jorge havia saído com ela nos tempos de Hogwarts.
-Vai querer comer o que? – perguntou Fred mudando logo de assunto.
-Não sei... Conheço pouco da culinária inglesa...
-Podemos pedir um peru com batatas e uma torta inglesa para a sobremesa. O que você acha?
-Acho ótimo.
-Então está tudo certo – disse Fred chamando Alicia.
-Já escolheram?
-Um peru com batatas, algumas torradas e para beber... O que você acha Anne? Vinho, Whisky de Fogo, cerveja amanteigada ou suco de abóbora?
-Um vinho para nós... E um suco de abóbora para o Victor. –
Alicia anotou o pedido, deu um sorriso e saiu.
-Por que ela não te cumprimenta?
-Ética profissional – a mulher torceu o nariz – Além disso, acho que o pai dela não gosta muito do Jorge...
-Mas o que você tem haver... Tudo bem vocês são irmão, mas você é você e ele é ele...
-Eu sei, mas não acho que ele saiba quem é quem, para ser sincero... – respondeu Fred sorrindo, enquanto Alicia se aproximava trazendo, os copos, pratos e talheres.
-Daqui a uma semana encontro do time antigo. – disse Alicia sussurrante no ouvido de Fred Ela também pode ir com seu filho, se quiser.
-Ele não...Certo, mas Harry Gina vão?
-Não sei, eles estão em aula... Mas vamos ver se fazemos em Hogsmead para que todos apareçam... Te mando uma coruja.
Ela voltou para a cozinha, e Anne ficou olhando aquela cena com ar repugnante.
-E pelo visto ela também não sabe a diferença né?
-Não ela sabe... Ela só estava me falando da reunião do time da escola...
-Você jogou quadribol?
-Joguei, eu e meu irmão éramos batedores, e minha irmã foi apanhadora durante um tempo!
-Fred... – disse Anne olhando para os lados nervosamente – Eu... Eu, tenho que ir!
-Por que? A comida ainda nem chegou! Foi por causa da Alicia? Eu não tenho nada com ela juro...
-Não, eu não posso ficar tenho que ir. Desculpe, te peço mil desculpas mas eu tenho que ir.
Ela pegou Victor pelo braço e saiu apressadamente
-Anne, Anne volte aqui, por favor – gritava Fred – Anne, Anne.
Ele correu atrás dela, mas já era tarde ela havia sumido.

Na/ Espero que vocês gostem!!!





Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.