FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

17. Razão e emoção


Fic: A Força de um Destino


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Eu necessitava urgentemente colocar meus pensamentos em ordem. Minha cabeça trabalhava sem parar. Precisava de algumas horas de paz e sossego para pensar sobre os últimos acontecimentos.
Por isso, assim que terminei de ler a carta de Draco, saí quase que correndo do refeitório. Minha primeira idéia foi sentar em um píer e ficar por lá, observando o lago e nada mais. Porém, com certeza alguém viria para tirar minha paz. Então resolvi ir para Stoneville. A sempre pacata e acolhedora cidade poderia ser um refúgio para mim durante algumas horas.
Ao chegar por lá, me dirigi até a praça central. Ainda era muito cedo, mas havia bastante movimentação na rua para uma pequena cidade como aquela.
Sentei em um banco qualquer e fiquei observando as pessoas que estavam na praça.
Haviam em toda praça muitas crianças correndo e brincando. Em um canto mais afastado, pude avistar um grupo de idosos jogando partidas de xadrez. E em outro lado da praça, algumas senhoras conversavam e riam livremente. Típica cidadezinha pequena.
Calmaria, paz, tranqüilidade. Era tudo isso e um pouco mais que aquele lugar representava para mim. Apesar de todas essas vantagens, nunca gostei muito de morar em cidades pequenas. Sempre quis morar em alguma metrópole como Mione e o meu irmão. E eu sempre pensei que quando me cassasse com o Harry, moraríamos em Londres.
Ah, o Harry! Esse era o motivo de toda a minha angústia. Não só ele, é claro. Havia também Draco Malfoy. Eu teria que me decidir entre um e outro.
Só que não era um simples escolha como decidir com que roupa sair hoje. É algo que eu quero que dure. Haviam dois caminhos que eu poderia seguir. E ambos eram totalmente antagônicos.
O primeiro seria continuar com o Harry. Me sentindo segura. Casaria com ele e provavelmente teria uma vida muito feliz. Esse era o lado bom no Harry. Ele me trazia segurança. Por mais tempo que passasse, o Harry sempre seria o Harry. E estaria ao meu lado. Eu sabia que podia confiar nele sempre que eu necessitasse.
Por outro lado, essa era a grande qualidade do Draco. Se o Harry era muito previsível, Draco Malfoy era sempre surpreendente. Mudava da água para o vinho. Estar com ele era excitante, novo, inesperado. Ou seja, Harry me trazia segurança, já Draco proporcionava muito mais emoção na minha vida.
O meu maior medo até aquele momento era de me arrepender depois. Qualquer que fosse me escolha, eu não poderia simplesmente voltar atrás.
Me desviei um pouco de meus pensamentos sombrios e voltei a olhar para a praça. Todos lá pareciam bastante felizes. Pessoas que pareciam ter vidas perfeitas. Será que aquilo era só aparência? Ou então todos tinha problemas, assim como eu?
Seja lá como for, agora eu estava dividida. Draco Malfoy ou Harry Potter? Com qual dos dois eu terei que ficar?

***

O tempo voou. E quando percebi, ouvi dez badaladas vindas do velho sino da igreja de Stoneville. Já eram dez da manhã. E eu nem senti. Estava tão concentrada em meus problemas que não notei o tempo passar.
A praça naquela hora já estava mais cheia. Parecia que aquele era o local de encontro de toda a cidade. Tantas pessoas ali, rindo, se divertindo. Ninguém parecia notar que em um banco qualquer daquela praça havia uma pessoa muito triste.
Eu não sabia o que fazer. Queria ficar um tempo por ali e tentar refletir mais sobre o meu dilema. Mas quanto mais pensava naquilo, mais difícil se tornava a minha situação.
Tinha que haver alguma luz. Uma salvação. Algo que pudesse me ajudar naquele hora difícil.
Foi então que, quase como um milagre, vislumbrei ao longe alguém olhando para mim e caminhando até o banco onde eu estava.
Era Mione. Assim que a vi, me senti imediatamente aliviada. Talvez fosse de um ombro-amigo o que eu mais necessitava naquela hora.
- Finalmente te encontrei, Gina! - falou ela assim que chegou - Você saiu logo cedo e não disse para onde ia. Fiquei preocupada com você.
Mione olhou para mim com mais atenção e percebeu que algo estava errado. Meu rosto demonstrava uma preocupação evidente.
- O quê aconteceu? - perguntou ela preocupada, mas com um leve interesse no tom da voz.
Apenas soltei um suspiro de cansaço. Ou então de alívio, por ter alguém para desabafar. Mione se sentou ao meu lado no banco e me encarou nos olhos.
- E então? O que foi? - perguntou ela - Pode me contar, Gina. Eu sou sua melhor amiga.
Eu queria contar tudo para ela, falar sobre as minhas aflições, dividir o peso de toda aquela responsabilidade com alguém. Mas as palavras pareciam não querer sair.
- É por causa dele que você está assim, não é? Por causa do Malfoy? - Mione parecia que lia a minha mente.
- Sim, é por causa dele... - me limitei a dizer apenas isso. Minha voz soava muito triste, quase que como um lamurio.
Tirei do bolso a carta que Draco me entregara na hora do café da manhã e entreguei a Mione. Ela desdobrou e leu o bilhete.
- Gina, você não pode acreditar nele! - afirmou Hermione categoricamente.
Me assustei com o tom de voz de Mione. Imaginei que ela fosse até defender ele, mas em vez disso ela foi veemente ao dizer para eu não confiar no Draco.
- Como assim, Mione? Você acha que ele está mentindo? - perguntei confusa.
- Mas é claro! Ou você acredita nisso? - falou enquanto apontava para o bilhete.
- Pensei que você seria mais imparcial perante essa situação, Mione. - falei para ela - Não era você que a bem pouco tempo atrás me incentivou a beija-lo?
- Isso foi antes dele te magoar e humilhar durante esse mesmo beijo que eu incentivei. E por isso me sinto culpada. Se eu pudesse voltar no tempo, nunca permitiria que você o beijasse! Ele se mostrou um verdadeiro canalha! - explicou ela, parecendo estar bastante nervosa e depois completou, em um tom de voz mais calmo - Olha, Gina, não deixarei que cometa o mesmo erro duas vezes. O Malfoy só escreveu isso por que ele viu que você já superou aquele beijo e quer que você sofra mais.
- Mione, eu acho que você está fazendo um julgamento muito precipitado sobre o Draco. - falei - É lógico que ele dá umas mancadas de vez em quando. Isso é inegável. Mas ele também me faz muito bem. Quando eu estou com ele, para mim, é sempre um momento especial. Talvez eu não o ame. Mas que com certeza eu sinto algo por ele, ah, isso eu sinto! E não importa o que você diga, se eu optar por ficar com ele, eu ficarei!
Mione pareceu assustada comigo. Ela parecia não esperar que eu fosse defende-lo dessa forma.
- Eu só estou te aconselhando, Gina. Por que a decisão final é sua. E eu sei que se quiser ficar com o Malfoy, eu não poderei te impedir.
- Obrigada por toda a compreensão... - falei sarcasticamente. Meu humor estava bem negro naquela manhã. Não sem motivo, é claro. - Mas você não está me ajudando em nada. Talvez se fosse um pouco menos parcial e visse a situação também pelo lado do Draco...
- E o quê você quer que eu diga, Gina? Quer que eu fale que você tem que ficar com o Malfoy? Que ele vai te fazer feliz? É isso que você quer ouvir? Mas não é isso o que eu vou dizer, porque senão eu estaria mentindo.
- Não exagera, Mione! - ponderei - Bom, de qualquer modo eu tenho que decidir o que farei.
- Esfrie a cabeça, Gina! Tente relaxar um pouco. - aconselhou Hermione - Fique tranqüila e pense nesse assunto com calma. Você não precisa resolver isso agora.
- Você tem razão. - concordei - Me faça um favor, Mione. Avise ao Draco que eu irei falar com ele hoje à noite , durante a festa, e que eu já terei uma resposta para ele.
- Por que eu tenho que falar com ele? - perguntou ela revoltada.
- Porque eu não quero vê-lo antes de decidir o que farei. - expliquei - É um favor que eu estou te pedindo, Mione!
- Tudo bem, tudo bem... - disse ela parecendo inconformada - Sempre sobra para mim mesmo...

***

Resolvi seguir à risca o conselho de Mione. Parei de me preocupar com os meus problemas. Ainda mais pelo fato de que, pensar naquilo, até agora, só tinha me trazido uma grande dor de cabeça.
Passei o resto da manhã trancada na cabana. Escrevendo em meu diário. Nada melhor do que descarregar todo o meu sentimento naquele que era o meu confidente incondicional. Até porque fizesse chuva ou sol, fosse noite ou dia, eu estivesse triste ou contente, ele sempre estava lá para me ouvir.
Não pude deixar de me recordar na vez em que Draco achou me diário e o “roubou” para si. Ao pensar nisso, senti um pouco de raiva dele. Mas fui pensando melhor e um sorriso me veio ao rosto. Aquele episódio do roubo do meu diário havia sido bastante engraçado e me aproximou do Draco.
Pelo resto do dia eu tentei não pensar diretamente sobre os meus problemas. Foi difícil, mas acho que no fim de tudo eu consegui.
Logo depois de almoçar, dei minha aula de artes. Foi tudo bastante tranqüilo. Conseguiu finalmente me distrair um pouco.
Depois de dispensar os campistas, voltei para a minha cabana. Peguei cavalete, tintas e pincéis e fui pintar ao ar livre.
Ao menos a festa já estava toda pronta. Assim eu teria bastante tempo livre até que a noite chegasse.

***

Pintar, pensar e sonhar. Foi exatamente isso que eu fiz durante a tarde inteira. Minhas mãos doíam depois de muitas horas a frente da tela.
Mesmo tendo me distraído um pouco, não pude deixar de pensar em Draco. E em Harry, afinal ele também estava envolvido nisso, mesmo que ele não soubesse.
Terminei minha tela por volta das seis e meia da noite. O dia já começava a ceder lugar para a noite e em breve a festa começaria. Guardei meu material de pintura na cabana e tomei um banho. Mesmo eu não querendo, em breve eu teria que dar uma resposta para Draco.
Hermione chegou na cabana assim que saí do banheiro. Ela parecia um tanto curiosa em saber se eu já havia me decidido.
- E então? - perguntou ela me fitando insistentemente.
Olhei para Mione como se não houvesse entendido. Mas eu sabia exatamente do que ele falava.
- E então o quê? - questionei.
- Já se decidiu entre o Harry e o Malfoy? - Hermione parecia querer tirar essa informação de mim à qualquer custo.
- Na hora certa você saberá... - falei, fazendo um pouco de suspense.
- Para que tanto mistério? - interrogou ela.
- É por que eu ainda não tenho coragem de admitir para mim mesma o que eu quero. - expliquei serenamente - Bem no fundo do meu coração eu sei exatamente o que fazer. Só basta me decidir entre a razão e a emoção.
Após eu dizer isso, Mione ficou bem estranha. Ela parecia bastante apreensiva com que eu fosse fazer.
- Agora então não é mais uma disputa entre o Harry e o Malfoy? E sim entre a razão e a emoção? - me perguntou ela.
- É quase isso... É quase isso.

***

Enquanto eu e Hermione nos encaminhávamos para o acampamento central, ela me bombardeava de perguntas. Eu sempre saía pela tangente, porque eu não poderia dar a ela uma resposta definitiva.
A festa estava bem animada. Todos pareciam se divertir bastante dançando. Talvez até porque quisessem aproveitar essa que seria praticamente a última festa em Stonevalley naquele ano. Até porque a última festa seria a do encerramento e despedidas nunca são muito felizes.
Mas naquela noite o frio reinava. O verão já se despedia e junto a ele, ia embora também, as noites quentes. Em breve o outono viria e a partir daí seria apenas frio e mais frio até a primavera.
Não havia palavras para descrever a decoração da festa, a não ser magnífica. Draco se esmerará ao máximo para poder retratar muito bem o tema dentro da ornamentação. A maquete que eu e ele havíamos feito juntos estava iluminada por refletores o que dava a ela um ar bem esplendoroso.
Tudo parecia estar perfeito para mais uma grande festa em Stonevalley. Mas para mim, era bem mais que apenas uma festa. Naquela noite eu teria que decidir o meu futuro.
- O quê você vai fazer agora? - perguntou Mione tensa.
- Vou falar com o Draco. - comentei, sem dar muita importância para a ansiedade que Hermione transmitia.
- Mas você já se decidiu? - interrogou ela com sua apreensão evidente.
- Sim. - disse a ela, como se aquele assunto não me importasse. Eu não podia deixar transparecer nenhum pouco a minha insegurança. Eu realmente já havia me decidido, mas ter certeza, eu não tinha.
Avistei Draco, que estava sentado sozinho em uma mesa bem afastada. Mione também o viu e trocou um rápido olhar comigo como se quisesse me perguntar “Você vai lá?”.
Como resposta, eu apenas caminhei até onde Draco estava. Ao longe, ainda houve Mione exclamar algo como “Não vá, Gina!”, mas eu a ignorei.
- Boa noite. - cumprimentei Draco calmamente.
Ele não havia notado que eu já havia chegado. Por isso ficou meio espantado ao me ver.
- Boa noite. - respondeu ele parecendo bastante apreensivo, assim como Hermione. A parte engraçada daquilo tudo era o fato de eu ser a mais calma de todos. Isso até me surpreendeu no princípio. Mas depois de algum tempo eu percebi que não haviam tantos motivos para entrar em pânico.
- Eu já me decidi. - declarei solenemente.
Os olhos de Draco estavam bem abertos e eu quase que podia saber o que ele deveria estar pensando. Realmente eu não poderia ficar fazendo suspense por muito mais tempo. Mas também não podia ter pressa, afinal eu estava prestes a tomar uma grande decisão, e isso não iria ser ignorado.
- Acho melhor irmos para um lugar mais isolado. - falou ele já se levantando da cadeira onde estava e ficando em pé ao meu lado.
- Também acho, Draco.
Caminhamos lentamente por cerca de cinco minutos. Draco na frente e eu o seguindo.
Acabamos parando quase que no mesmo lugar em que há exatamente uma semana atrás nós havíamos beijado. Eu não tinha boas recordações dali, mas preferi não fazer nenhum comentário.
Draco se sentou no chão de grama e passou a mão por seu cabelo. Ele estava bastante impaciente. Eu, por outro lado, queria adiar aquele momento. Mas não havia jeito, agora eu teria que ir até o final.
- Sabe, Draco... - me sentei no chão enquanto começava a falar com ele - Eu sinceramente não estava esperando as revelações daquela carta.
Ele permaneceu imóvel. Apenas olhando para um ponto fixo ao longe. Nenhum de nós dois tinha coragem de se encarar.
Esperei alguns segundos para que Draco comentasse algo, mas como ele não o fez, eu prossegui:
- Foi muito difícil para mim há algumas semanas atrás admitir que eu poderia gostar de você... - confessei e nesse momento Draco olhou para mim - E depois do que aconteceu na última festa, também foi muito difícil dizer à mim mesma que eu não gostava.
- Gina, sobre o que aconteceu na semana passada... - ele tentou argumentar mas eu não deixei.
- Eu já entendi muito bem o que aconteceu semana passada. - falei firmemente - Não precisa me explicar. E eu compreendo os seus motivos.
Draco, parecendo mais aliviado, disse:
- Que bom então que você entende.
- Eu não sabia o que fazer. Fiquei em dúvida... - continuei a falar.
- Entre mim e o Harry? - perguntou Draco, como se já não soubesse a resposta.
- Claro, entre o Harry e você...
- E então? Quem foi que você escolheu, Gina?
- Já estou quase lá, Draco... - Não queria perder o fio da meada agora. E eu sabia também que não havia mais volta. - Depois do que você me disse hoje de manhã eu pensei bastante. E antes de me decidir entre um e outro eu percebi algo. Notei que não era apenas escolher entre você e o Harry. Na verdade eu deveria optar pela segurança que o Harry me dava ou pela emoção de estar junto com você. - expliquei.
- Como assim? - perguntou Draco, não entendo do que eu falava.
- O Harry é o Harry. Ele não muda. É sempre a mesma coisa. Previsível, todo certinho e eu sei que poderei contar com ele ao meu lado.
Parecendo prever o que viria a seguir, Draco interveio.
- Mas você pode contar comigo também, Gina! - protestou - Eu também estarei ao seu lado se você precisar!
- Como, Draco? Se na semana passada mesmo você me deixou aqui chorando? Aí então de repente você resolveu que estava apaixonado por mim e acha que eu simplesmente deveria me atirar nos seus braços?! - perguntei revoltada.
- Eu sei que fui um idiota! Mas eu já me arrependi disso! - tentou explicar ele.
- Até que na próxima semana você terá mais um surto e resolverá que não gosta mais de mim? É isso?
Draco parou por alguns segundos e olhou para mim. Por um momento pensei que ele fosse sair correndo de lá e me deixar sozinha, mas então ele falou:
- Gina... Eu sei que já te dei motivos suficientes para você me odiar. Mas o que eu te peço agora é uma chance. Uma chance para demonstrar que o amor que eu tenho por você supera qualquer problema que possamos ter.
- Você já teve sua chance. - falei convicta - Por que eu te daria uma nova chance?
Ele pareceu analisar por um momento a situação. Me encarou nos olhos e deu um sorriso de felicidade que me intrigou.
- Por isso! - No segundo seguinte Draco avançou até mim e me beijou tempestuosamente. Um beijo roubado, inesperado e excitante. Mesmo que eu dissesse a mim mesma que não queria aquilo, eu não conseguia. Draco parecia esperar por aquele momento a bastante tempo, pois me segurava com tanta força que parecia que não iria soltar nunca mais.
Eu retribuí ao beijo, me permitindo ter um momento de loucura por alguns minutos. Um momento recheado de emoção, de um jeito que eu nunca vivera com o Harry.
- E então? Isso é motivo o suficiente? - perguntou, parecendo bastante satisfeito e confiante.
Eu não sabia o que fazer. Pela tarde eu havia tomado a decisão de ficar com o Harry. De tentar esquecer aquela loucura de ficar com o Draco. Mas depois desse beijo todas as minhas defesas caíram. Ele havia estremecido meus alicerces e agora tudo o que eu tinha em minha cabeça eram muitas dúvidas.
- Eu não sei o que dizer... - falei, ainda meio desnorteada pelo beijo.
Draco exibia um sorriso de confiança que me deixou meio enjoada. Uma sombra do velho Draco dos tempos de Hogwarts estava atrás daquele sorriso. E em seu rosto havia um ar de... de... arrogância?
- Diga que me ama! - falou ele.
- Mas eu não tenho certeza disso... - repliquei.
- Não precisa. É só me dar uma chance que eu posso te provar o quanto eu te amo. E aí então você percebera que me ama também. - disse Draco decidido.
- Como assim, Draco?
- É simples - disse ele - Só precisamos ficar juntos até a próxima semana. - explicou.
- Quando você diz “juntos” quer dizer namorando?
- Sim, Gina. E então? Que tal?
Analisei por um minuto o que Draco me propôs. Não parecia muito ruim se eu olhasse bem. Isso me daria mais tempo para tomar uma decisão definitiva e ainda permitiria que eu soubesse como seria namorar Draco.
- Namoro com prazo de validade? - perguntei, não podendo conter um sorriso de divertimento com a situação.
- Que será estendido por muito mais tempo. - respondeu ele também sorrindo.
- Tudo bem. Eu aceito, Draco.

***

- E então, Gina? Quem você escolheu? - Essa foi a primeira coisa que Hermione disse assim que eu e Draco voltamos para a festa. Sua voz parecia bastante preocupada.
- Boa noite, Hermione. Eu vou bem, obrigada. - falei de maneira sarcástica. No meu rosto havia um sorriso de lado a lado. Isso pareceu preocupar minha amiga.
- Agora não é hora para brincadeirinhas, Gina! - exclamou ela parecendo que ia surtar a qualquer momento - Fale logo! Com quem você ficou? Com o Malfoy ou com o Harry?
- Com nenhum deles... - comecei a falar e fiz uma pausa para ver a reação de Hermione. Depois completei. - Por enquanto.
- Como assim? - perguntou desconfiada.
- Eu fiz um acordo com o Draco. Eu e ele iremos ficar juntos até a semana que vem. Uma coisa bem parecida com um período de experiência. - expliquei, ainda se deixar de transparecer meu ar divertido.
- Então você escolheu o Malfoy? - perguntou ela, temerosa da resposta que viria a seguir.
- Eu já disse que ainda não me decidi. Mas se tudo der certo acho que será isso mesmo.
- Duvido que vocês conseguirão ficar juntos uma semana. Ele é muito instável, Gina! Amanhã mesmo já vai estar te odiando.
- Deixa disso, Mione! - reclamei - Se não der certo, é só eu ficar com o Harry.
Hermione parecia surpresa comigo. Me olhou de um modo muito estranho e depois disse:
- Então você irá deixar o Harry na reserva? É isso? - perguntou ela irritada - Eu não conhecia esse seu lado, Gina... Eu realmente não o conhecia - completou já mais calma.
- Eu não estou deixando o Harry “na reserva”! - protestei. Aquilo não era verdade! - Apenas estou dando uma chance para o Draco! Preciso ter uma noção do como seria se eu escolhesse ele...
- O que você está querendo dizer é que agora você prolongou o anúncio da sua decisão para a semana que vem? - perguntou Hermione parecendo bastante lúcida.
- Sim. Semana que vem me decidirei. - respondi.
- Em todo o caso estou tranqüila. Sei que o Malfoy irá fazer uma besteira qualquer bem antes disso. - falou Mione convicta.
- É o que veremos, Mione. É o que veremos...

***

Acordei no domingo me sentindo bastante disposta. Afinal, tudo parecia correr bem. Finalmente agora eu poderia me decidir mas calmamente entre o Harry e o Draco. E teria uma semana para isso.
Só que essa minha alegria não se manteve por muito tempo. Logo de manhã entregaram a correspondência. E eu recebi uma carta. Era de Harry. Rasguei o envelope assim que a recebi e comecei a ler na mesma hora.

Gina,
Acabei de receber sua última carta. E tenho boas novas para você! Eu tenho certeza que você vai adorar. Se lembra da surpresa que eu lhe falei? Na próxima semana eu estarei de férias, como você já sabe. Por isso decidi que talvez fosse melhor passarmos essa última semana juntos. Essa é a grande surpresa. Estou indo para aí passar essa última semana de férias junto com você! Se tudo correr como planejado, devo chegar na noite de domingo, por volta das sete horas. Finalmente vamos poder nos rever.

Beijos,
Harry

Eu li e reli a carta até eu conseguir entender aquilo direito. O Harry estava vindo me visitar durante esse última semana em Stonevalley! Mas isso não era possível! Logo agora que eu resolvi dar uma chance ao Draco.
Se ainda fosse ontem, eu teria ficado muito feliz com a notícia. Mas agora, tudo estaria perdido. E o pior era que eu nem sequer mencionara o fato de Draco estar aqui. Quando Harry o vir... Bom, prefiro nem pensar no que ele irá fazer.
Só havia uma pessoa a quem eu poderia pedir auxílio naquela hora. E eu precisava urgentemente de sua ajuda.

***

- Hermione! - gritei enquanto a cutucava.
Eu havia saído correndo do refeitório e voei para cabana. Minha amiga ainda dormia, mas eu não poderia esperar ela acordar.
- ACORDA, HERMIONE! - tornei a gritar ainda mais alto.
- Que foi, Gina? - perguntou ela sonolenta - Por que está me acordando tão cedo?
- O Harry!... - falei ainda gritando - Ele está... Ele está...
- Aconteceu alguma com o Harry? - perguntou Hermione horrorizada com a possibilidade.
Fiz um sinal negativo com a cabeça.
- Ele está vindo para cá! - falei de uma vez
- Para cá? Em Stonevalley? - perguntou ela parecendo mais acordada.
- Aonde mais seria? - perguntei irritada - É lógico que é em Stonevalley!.
- Como você sabe disso? - perguntou curiosa.
Entreguei a ela a carta que Harry havia me mandado. Hermione lia com atenção cada palavra lá escrita. Assim que terminou, ela me disse:
- Gina, isso não é nada bom. - comentou - O Harry vai saber que o Malfoy está aqui. E que você não contou isso para ele!
- Eu sei! E por isso o meu desespero! Ou você acha que eu iria te acordar no domingo, a essa hora, à troco de nada?
Hermione se calou e eu também. Não tínhamos mais nada para dizer. Não havia o que se falar. A situação, por si só, já era bem clara e desesperadora.

***

- Faltam quatro horas para o Harry chegar! - falei após consultar o velho relógio cuco pendurado na parede da cabana.
Eu e Hermione estávamos sentadas em nossas cama tentando achar alguma solução para o nosso caso. Mas parecia que nada daria certo. Estávamos de mãos atadas.
Durante o almoço eu contei para Draco sobre a vinda de Harry. Ele não me pereceu muito preocupado. Mas então eu lhe expliquei que o Harry não sabia que ele estava lá.
- Você não contou a ele sobre mim? - perguntou Draco enquanto almoçávamos, fingindo estar chocado.
- Sem brincadeiras, Draco. - pedi em tom sério. - Se ele vier para cá e te ver é capaz do Harry...
- Me matar? - completou ele ainda brincando - Você acha que ele pode fazer isso.
Encarei ele seriamente.
- Talvez não tudo isso... - foquei na realidade. Lógico que Harry não seria capaz de mata-lo. - Mas ele achará estranho você estar aqui. E também não gostara nada de saber que eu ocultei a verdade sobre você.
- Ocultou a verdade? Para que tantos eufemismos, Gina? Você mentiu para o Harry! Posso até não ir muito com a cara dele, mas é isso que você fez. - disse Draco, parecendo reprovar minha atitude.
- Muito obrigada... - falei sarcasticamente - Mas agora eu preciso de soluções e não de críticas. Então, alguma idéia?
- Agora que começou a mentira, vá até o fim... Ele não precisa saber que eu estou aqui. - falou Draco.
- Mas como não? Ou você acha que é invisível? O Harry vai querer vir até o acampamento e vai dar de cara com você!
- É só eu ficar quietinho na minha cabana. Ele não me verá. - sugeriu Draco.
- Acho que não dará certo. Não será preciso muito para ele descobrir você aqui.
- Isso é o de menos, Gina. O problema maior é outro.
Me assustei ao ouvir ele falar aquilo. Havia um problema maior que aquele?
- Você vai ter que se decidir agora. - explicou ele.
Draco tinha razão. Com Harry aqui, eu teria que me decidir logo. Não havia como adiar a decisão até a semana que vem.
- Então, o que vai ser? - perguntou Draco, do mesmo modo que perguntaria o que eu tinha vontade de comer.
- Não é assim que as coisas funcionam, Draco. - expliquei - Preciso pensar.
- Pois bem, talvez você não precise decidir imediatamente agora. Desde de que o Harry não me veja, acho que não terá problema.
- Vai ser difícil evitar que ele te encontre! E você se esqueceu que o nosso acordo era de “namorar” até a semana que vem. Não vai querer que façamos isso com ele aqui, ou vai?
- Por que não? Escondido é até melhor! - ironizou ele.
- E perigoso também! Sem falar que eu não me sentiria bem traindo o Harry debaixo dos olhos dele.
- É melhor do que nada, Gina... Ou já pensou em algum outro plano?
- Não, não pensei. - admiti.
- Então esse é o combinado. Caso pense em algo melhor, me avise.
Quando voltei a realidade, percebi que era melhor continuar nos meus devaneios. Mas eu não tinha tempo para isso. Em breve Harry estaria chegando.
- Por que você não larga o Malfoy de uma vez por todas? - perguntou Mione subitamente, no que eu levei um susto. Fazia bastante tempo que nenhuma de nós duas dizia uma só palavra.
- Eu não vou fazer isso até ter certeza do que eu quero! - retruquei, impaciente.
- E quando terá certeza? - perguntou minha amiga.
- Esperava que no próximo sábado eu já estivesse decidida. - comentei.
- Pensando bem o plano do Malfoy não é tão ruim assim... - disse Mione.
- Não, não é ruim... - concordei - Mas é impraticável. Se o Harry ficasse um dia aqui, até ia, mas uma semana é impossível!
- Gina, você há de concordar que não temos em mãos nenhum plano melhor. E ficar sentada aí pensando nisso não vai mudar nada. O melhor que temos há fazer é evitar um encontro entre Harry e Malfoy.
- Você tem razão! Chega de pensar nisso! O que tiver que acontecer, vai acontecer de qualquer jeito! Então, vamos lá para fora! Preciso respirar ar puro...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.