FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Perdendo a inocência


Fic: NEM O TEMPO SEPARA O AMOR -


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Perdendo a inocência


A garota abriu a caixinha bem devagar até ver o que ela continha. Eram duas correntinhas cujos pingentes era um rubi trabalhado de forma delicada, onde pequenos símbolos apareciam em alto relevo.
- São lindos Harry – falou ela admirada – mas não entendi porque você me deu.
- Essas correntinhas foram dos meus pais. Dumbledore os deu de presente de casamento e falou que elas representavam o sentimento que os unia, o amor e a coragem do casal, e que enquanto usassem-nas sempre estariam unidos e protegidos – disse o garoto pra ruiva.
- Mas como foram parar com você? – perguntou a garota.
- Bom, no dia do meu aniversário Lupin as mandou pra mim junto com uma carta que explicava o que significavam e com um pequeno relato de o porquê ele estava me entregando – respondeu o garoto – ele me disse que conversando com Dumbledore assim que nós começamos a namorar o diretor perguntou se meus pais foram enterrados com as correntes, e este respondeu que estas foram encontradas na minha casa e que estavam no cofre do banco junto com meus outros bens. Então Dumbledore sugeriu que ele me entregasse as correntes, porque assim como ele entregou aos meus pais como uma espécie de proteção ativada pelo amor puro dos dois, sentira que era o momento de entrega-los a mim, porque eu já sabia exatamente com quem dividi-las.
- Então está me dizendo que essas correntes funcionam como uma proteção quando duas pessoas que se amam a usam? – perguntou a garota.
- Exatamente, eu só não sei e nem Lupin sabe em que circunstâncias elas são ativadas, mas mesmo assim o importante é que representam todo o nosso amor, o verdadeiro amor. – concluiu o moreno, colocando a corrente no pescoço da ruiva, e beijando suavemente o pescoço dela.
A garota sentiu o coração acelerar e o corpo todo tremer com aquele toque delicado do moreno.
- Está tentando me seduzir Sr. Potter? – perguntou marota.
- Você é seduzível Srta. Weasley ? – retrucou ele no mesmo tom.
- Talvez – respondeu a ruiva aproximando-se delicadamente do moreno e colocando a correntinha no pescoço dele, repetindo o mesmo gesto que ele beijando sensualmente seu pescoço.

Os pêlos da nuca de Harry ficaram arrepiados com o carinho da ruiva e instintivamente ele afastou as madeixas vermelhas dela e traçou um caminho do pescoço até os lábios da garota lhe dando um beijo no início delicado como os outros que trocavam, mas que desta vez pedia para ser mais profundo e antes que perdesse a coragem ele colocou suavemente sua língua nos lábios dela que aceitaram o convite e deram passagem enquanto a dela fazia o mesmo e deslizava para boca dele.

Estavam colados de uma forma totalmente nova e mágica, era um turbilhão de sentimentos nos seus corações, amor, paixão, medo, esperança, curiosidade e desejo misturados, que os impedia de soltar-se. Então em um gesto totalmente ousado ele desceu suavemente as mãos pelas costas dela abrindo delicadamente cada botão do seu vestido.
O toque dele fazia com que cada pêlo do corpo dela se arrepiasse, o que fazia com que sentisse mais necessidade do corpo moreno e assim ela o abraçavam cada vez mais apertado e subindo as mãos até seus cabelos negros , os desalinhando mais do que eram.
Depois de alguns minutos a necessidade de ar os fez se soltarem, encarando-se por um tempo como se o olhar um do outro pedisse permissão para o que seus corpos desejavam. Ela então se aproximou e delicadamente tirou a blusa dele deixando seu peito tonificado a mostra, enquanto ele beijava delicadamente o pescoço dela traçando o caminho até seus ombros a despindo totalmente, e arrancando pequenos gemidos da ruiva.

A luz da lua incidia sobre os seus corpos, lhes dando uma aparência mágica. Harry admirava o corpo de Gina, sua cintura fina, seus seios médios e rijos, as pequenas sardas no colo que agora arfava descompassado, e descendo mais o olhar viu as pernas bem torneadas e o ventre ainda coberto pelo lingerie branco. Percebeu o quanto ela estava nervosa com a analise dele, aliás ele também estava nervoso afinal nunca tinha feito aquilo também.

Ele passou a mão no rosto da garota de forma bem delicada, ela fechou os olhos e estremeceu com o contato. As mãos dele desceram pelo pescoço, o colo, encontrou um dos seios da ruiva e circundou o mamilo que ficou duro com o contato. Ouvia os gemidos soltados por ela, mas não interrompeu o toque, desceu as mãos pela sua barriga até encontrar o quadril, beijou o local e retirou a calcinha branca de Gina, ao mesmo tempo em que beijava a região do ventre da garota.

Gina sentiu um calor subindo pelo corpo, uma sensação prazerosa e incontrolável que surgia com o contato do moreno, soltava pequenos gemidos, mas quando ele retirou sua calcinha e começou a beijar seu ventre, não se controlou mais, sentia a necessidade de te-lo por completo, o corpo dele colado ao dela. O puxou pra cima de si, já não estavam mais sentados e sim deitados, ele por cima dela. O moreno lhe lançou um sorriso maroto, surpreso pela iniciativa da ruiva, mas não se fez de rogado e capturou seus lábios em um beijo ardente.

Ela ousou mais, abriu a calça dele e a retirou rapidamente, depois quando estavam completamente nus, passou as mãos pelo membro do moreno e com movimentos de subida e descida o excitou ainda mais.

Ele não conseguia mais conter sua excitação, a queria agora, queria entrar dentro dela, se fundir aquele corpo perfeito, serem apenas um. Ela também não agüentava mais,queria ele dentro dela, e assim ele fez. Por instinto ela abriu as pernas e ele a penetrou.
Gina sentiu ele a penetrar, ficou nervosa, sabia que poderia sentir dor, mas era com o homem que amava que ela estava, não haveria dor no mundo que superasse o prazer de ser dele. Sentiu a pequena dor, sinal de que perdera a inocência, mas esta foi seguida de ondas de prazer cada vez maiores. Seus corpos entraram em um ritmo alucinante,até os dois chegarem a seu ápice.
Ela soltou um grito abafado e ele a acompanhou. Sentiram seus corpos relaxarem, mas os corações ainda estavam acelerados. Ele abriu os olhos verdes e encarou os dela, cor de mel. Um sorriso saiu dos lábios de ambos. Estavam felizes por pertencerem agora um ao outro, ele passou as mãos no rosto dela retirando uma das mechas do seu cabelo vermelho molhadas de suor e sussurrou no ouvido dela.
- eu te amo, Ginny.



Gina sentiu os pés molhados e abrindo suavemente os olhos viu que o dia amanhecera , a maré subira e agora estavam molhando os pés dela. A garota sorriu quando percebeu que fizera de travesseiro o peito de Harry que ainda estava adormecido depois da noite de descoberta que os dois tiveram. Então delicadamente fez o caminho do pescoço aos lábios do moreno e o beijou de forma doce. Os olhos verdes que uma vez ela descreveu como dois sapinhos cozidos abriram-se devagar e um pequeno sorriso se esboçou no rosto que ela tanto amava.
- Bom dia dorminhoco – falou docemente a ruiva encarando os olhos do garoto – já é dia não ta sentindo as ondas do mar baterem nos teus pés.
- Bom dia sardentinha. – respondeu ele – Eu senti também, mas pensei que fazia parte do mesmo sonho que foi ter você ao meu lado.
A menina apenas sorriu .
- Gi – falou ele – tenho uma coisa pra te dizer.
- Umh ! mais alguma surpresa do meu gatinho – disse ela descontraída dando mais um selinho do namorado.
- Talvez – respondeu ele fazendo suspense.
- Você é simplesmente linda – continuou ele a encarando e depois analisando cada parte do corpo dela ainda desnudo.
A garota corou com o comentário do moreno e cobriu ligeiramente o rosto com um dos cobertores – ah! Harry deixa de brincadeira – falou ainda envergonhada.
- Eu não to brincando não – disse o moreno com um enorme sorriso no rosto – mas não era exatamente isso que eu quero dizer. Eu quero te pedir uma coisa.
- Então peça – respondeu ela marota.
- Casa comigo sardentinha? – perguntou ele de supetão.
- O quê – respondeu ela totalmente perplexa.
- Eu pedi pra você casar comigo, ser minha mulher, a mãe dos meus filhos, entendeu? – perguntou o garoto ansioso – depois de tudo isso passar é claro.
- Sim eu entendi, só não estou acreditando – respondeu ela sincera.
- E então - perguntou ele novamente – você aceita?
- Eu tenho mil e um motivos pra dizer que isso é uma loucura e não aceitar – disse ela , fazendo com que as entranhas do corpo dele revirarem-se – mas...
- Mas... – repetiu ele esperando uma resposta positiva.
- Mas eu tenho um motivo infinitamente maior pra aceitar seu pedido – respondeu ela com um enorme sorriso no rosto – porque eu te amo demais, demais da conta mesmo.
O rosto dele se iluminou e sem dizer mais nada somente a beijou profundamente, por um estante que pareceu várias primaveras floridas. Quando se soltaram ele a levantou e os dois entraram no lindo oceano que servia de cenário para o mais lindo pedido de casamento da história da magia.

.......................................................................................................................
Dois jovens realmente preocupados andavam de um lado pro outro na sala comunal da grifinória naquela manhã do dia das bruxas. Os dois melhores amigos de Harry Potter estavam totalmente desesperados com seu sumiço.
- Mione eu não sei mais onde procurar – disse Ron jogando-se em uma das poltronas da sala totalmente em pânico.
- Ron você tem certeza que ele não dormiu aqui? – perguntou a garota com o seu ar de sabe tudo , mas mesmo assim muito assustada.
- Absoluta – respondeu o ruivo – a cama dele estava intocada. E eu acho que ele pirou e foi atrás de você-sabe-quem.
- Realmente ele estava muito abalado ontem à tarde – concordou ela – mas talvez tenha só saído pra espairecer as idéias.
- Pode ser – falou o ruivo - talvez a Gina o tenha visto, ela passou ontem o dia todo aqui.
- Pode ser concordou ela – vou chamá-la , acho que ainda está deitada.
- Não precisa ela ta entrando aqui – disse o garoto, se dirigindo a irmã que vinha entrando pelo buraco do retrato – Gi graças a Merlin te encontrei você viu o H....
- Ah Harry você apareceu – falou Mione olhando para o amigo que entrara junto com a caçula Weasley na sala, totalmente molhado e sujo de areia – estávamos muito preocupados, não era Ron.
- Mas o ruivo não a respondeu, só olhava pra irmã e pro amigo que não dormiu na escola, chegando juntos, molhados e sujos de areia.
- Você tava onde que não dormiu aqui? – perguntou ele em um tom frio ao amigo – ou melhor você dormiu aonde e com quem?
O menino-que-sobreviveu não esperava aquela pergunta e principalmente não sabia como responder.
- Vamos responda Harry? – perguntou o ruivo já alteando a voz – você dormiu com minha irmã, seu canalha.
- Ron – falou o moreno – eu não vou mentir pra você, eu realmente passei a noite com a Gina, mas não é isso que você ta pensando, ou melhor na verdade é isso que você ta pensando mas eu posso explicar e você sabe que eu gosto dela.
- Eu não sei de nada Potter – respondeu o bruxo ainda exaltado – só sei que você passou a noite com minha irmãzinha que nem é sua namorada. Eu esperava isso de outro mas não do meu melhor amigo, você é um canalha, um aproveitador, um...
- Para com isso Ron – gritava Gina antes que o irmão insultasse mais Harry – eu passei a noite com ele porque quis, ninguém me obrigou. E você vê se não se mete na minha vida, eu sei me cuidar. E com licença que eu e o Harry precisamos de um banho.
E assim o novo casal saiu em direção aos seus dormitórios, deixando os dois amigos perplexos.
- Bom Ron – disse Mione com um sorriso amarelo – não é o fim do mundo. Eles só... só...
- Só passaram a noite inteira juntos fazendo exatamente o que você está pensando – concluiu o ruivo dando uma baforada e se jogando na poltrona.
- É eu sei que fizeram isso, mas é sua irmã com seu melhor amigo – argumentou a garota.
- E é exatamente por isso que o fato é mais sórdido – respondeu ele amuado.
- Ah! Ronald Weasley – berrou a garota – não venha dar um de puritano não, porque se dependesse de você, nós dois teríamos feito o mesmo que Harry e Gina fizeram ontem à noite. Então vá já lá em cima falar com seu amigo.
Ron resmungou um pouco, mas o argumento de Mione realmente era válido. Ele não podia se fazer de puritano uma vez que seus hormônios eram tão ativos quanto de Harry. E além do mais ficara até um pouco mais tranqüilo que sua irmã tivesse escolhido o amigo pra um momento tão especial assim. Afinal de contas Harry jamais abandonaria Gina, sob hipótese alguma, ele a amava protegia demais para magoá-la.
....................................................................................................................................
Gina saira de um banho particularmente gostoso. Depois daquela noite sentira que algo mudou na sua vida, se sentia mais mulher e principalmente mais amada, amada de uma forma incondicional pelo garoto que sempre sonhou. Suas mãos passaram pelo pescoço e tocaram o pequeno rubi que Harry lhe dera na noite anterior, e lembrando das carícias e sentindo ainda o cheiro dele em seu corpo, sua mente devaneiou pra aquela praia e pros momentos lá passados. A garota jogou-se na cama e continuou sorrindo boba mergulhada em seus devaneios até ser acordada por uma voz na porta.
- Vejo que a noite foi inesquecível – disse Mione entrando e sentando na beira da cama da amiga.
- É foi mesmo – concordou a ruiva, ainda rindo bobamente – inesquecível e maravilhosa.
- Então podemos dizer que Harry Potter e Gina Weasley voltaram a namorar – disse a amiga com um grande sorriso.
- Melhor que isso Mione – proferiu a ruiva não escondendo a excitação – Harry me pediu em casamento, e eu aceitei.
- Casamento – exclamou a amiga – vocês estão loucos, ele só tem dezessete anos e você Ginny tem dezesseis. Por Merlin nuca vi tamanha loucura.
- Loucura ou não essa é a verdade – disse a ruiva – e você não imagina como ele me pediu. Foi em uma praia linda, ao nascer do sol. Foi simplesmente perfeito te-lo ao meu lado esta noite.
- E vocês bem..... – perguntou a amiga um pouco embaraçada - ...protegeram-se?
- Como assim Mione? – perguntou a ruiva
- Bom você tomou alguma poção antes de fazer sabe o quê? – questionou a garota.
- Ah, não deu tempo pra isso, além do mais nada foi planejado. Simplesmente aconteceu – respondeu a caçula Weasley.
- Gina você é completamente maluca – disse Mione com um ar de reprovação – sabe o que pode acontecer se você dormir com o Harry sem se prevenir,. Só espero que nada de mais aconteça devido seu esquecimento.
- Ah Mione nada vai acontecer – retorquiu a ruiva, falando mais pra si do que pra amiga – nada, eu espero.
Quando as duas desceram para sala comunal com o intuito de ir tomar café avistaram seus namorados em um abraço sincero de desculpas mútuas.
- Ah que bom que se reconciliaram – disse Mione alegremente vendo os dois amigos sorrindo um para o outro.
- Seria uma tolice se tivessem ficado brigados – completou Gina se dirigindo ao namorado e lhe dando um carinhoso beijo. Era visível o quanto os dois estavam cúmplices depois da noite juntos.
O quarteto desceu rumo ao salão principal, e a visão do resto dos Weasley, Lupin, Tonks, Hagrid e a professora Minerva comendo de forma automática e visivelmente transtornados os trouxe de volta ao mundo real, onde um bruxo louco e homicida estava juntando seguidores em busca do poder total.
Os garotos sentaram na única mesa agora disposta no salão e tentaram comer alguma coisa, mas só quem obteve algum êxito foi Gina, que estava realmente faminta depois de seu pequeno passeio noturno.
Harry observava carinhosamente a pequena ruivinha tomando seu café, pensando em como ela crescera e se tornou essa linda mulher que ele amava de uma forma desesperada, e de como faria qualquer coisa para protege-la e vê-la sempre assim em paz e feliz. O garoto foi acordado dos seus devaneios pela chegada de uma coruja castanha que parou em frente a Lupin estendendo-lhe um pergaminho amassado.
O bruxo leu a carta atentamente e depois encarou os outros com o rosto transtornado mais visivelmente decidido.
- Acho que a batalha final finalmente chegou – disse decidido – e estando prontos ou não é hora de sair do castelo e encarar Voldemort.

Gina segurou a mão de Harry de forma bem apertada como se pedisse coragem para o que estavam prestes a enfrentar. O garoto por sua vez retribuiu o aperto e encarou a ruiva com uma expressão muda de “tudo vai ficar bem”, e depois se voltou para Lupin e disse.
- Localizaram o ultimo horcruxes?
- Sim e como você disse era a cobra – respondeu o bruxo sério – logo vamos te-lo que destruir junto com Voldemort.
- E então? – perguntou o moreno.
- Então que vamos ter que nos encontrar com o resto da ordem aqui em Hogsmeade, para nos dirigirmos até Litltle Hangleton onde o Lorde das Trevas está reunindo os seguidores que lhes restaram – respondeu Lupin.
- Vamos então nos preparar e partimos antes do pôr-do-sol, certo – recomendou a professora McGonagall.
Assim todos se levantaram e foram em direção aos seus dormitórios, Harry e Gina saindo de mãos dadas, o que causou a curiosidade de alguns quando se retiraram.
Gina subiu logo ao seu dormitório, alegou que não dormira direito, trocando um sorriso cúmplice com Harry a esse comentário. Ron também se retirou logo, mumurrando alguma coisa como “são informações demais pro único dia”, mas Mione demorou-se mais e se dirigindo ao amigo falou de uma forma displicente.
- Gina me disse o que aconteceu ontem à noite
- Ah... foi – disse o moreno corando um pouco.
- Não precisa se envergonhar Harry – disse a garota – afinal de contas quem foi sua conselheira amorosa esses anos todos einh?
- Bom foi você – respondeu o garoto sem jeito – mas digamos que isso é embaraçoso.
- Olha, eu não quero te censurar – falou a garota um tanto preocupada – mas achei muita irresponsabilidade de vocês. Tipo nem se protegeram e você sabe que tem métodos mágicos e trouxas pra isso.
- Eu sei Mione, mas foi tudo tão de repente sabe.- defendeu-se.
- Pode ser- retorqui ela – mas não esqueça que você e a Gi, não passam de dois adolescentes e com tudo que nós estamos enfrentando não seria legal mais um problema como uma gravidez acidental, certo.
Harry revirou os olhos. Mione sempre pensava nas piores possibilidades, ele sabia que fora desleixado em não ter se protegido, mas sabia também que era muito difícil e muito azar que gina ficasse grávida na primeira vez dos dois. Tudo era mais paranóia da Mione.
- Ah e quanto essa história de casamento eu.... – começou ela.
- Vai ser a madrinha – disse ele antes que ela pudesse completar e deu um pequeno sorriso pra amiga.
Os quatro dormiram um bom tempo e almoçaram na sala comunal mesmo, alguns pratos trazidos por Dobby. Quando já estava próximo ao pôr-do-sol os garotos estavam terminando de se arrumarem quando alguém bateu na porta.
- Posso entrar – perguntou Mione entreabrindo a porta.
- Já entrou né – respondeu Ron descontraindo o pouco o ambiente.
- Bom eu queria falar com você Ronald – disse ela olhando pro namorado, que fez um sinal pra Harry.
O moreno ficou sem entender os sinais do ruivo até se tocar que os dois queriam ficar sós. Ainda era estranho pra ele saber quer não compartilhava mais de todos os assuntos dos melhores amigos, mas de qualquer jeito era muito bom vê-los juntos.
Quando desceu encontrou Gina recostada no vidro da janela da torre, ele se aproximou devagar e a enlaçou com os braços. Passaram um bom tempo assim até a ruiva falar.
- Estou com medo.
- Eu sei que está – falou o moreno – todos nós estamos.
- Mas eu tenho medo de te perder – continuou ela com lágrimas nos olhos.
- Você não vai me perder sardentinha – respondeu ele doce – olhe, independendo do que ocorra eu nunca vou te deixar, nunca. Fui idiota uma vez, não vou repetir o erro.
- Lembra daquele pacto que a gente fez? – perguntou ela.
- O nosso pacto de amor – perguntou ele.
- É esse mesmo – respondeu a ruiva – promete que vai cumpri-lo. Vai enfrenta esse monstro asqueroso, mas fica vivo volta pra mim
- Eu vou voltar Gi – falou o moreno – nós vamos voltar pra cá logo, logo. E vamos jogar quadribol, ter uma pilha de deveres e deixar tudo pra ultima hora ouvindo a Hermione brigar com a gente por causa disso. E depois vamos nos casar, morar no campo e ter filhos. Imagina só – disse ele rindo – uma Ginazinha azarando todo mundo que aborrecê-la.
- Ou então um Harryzinho – completou ela – com os cabelos bagunçados montando sua vassoura.
- Ele deu uma gargalhada gostosa e ela o acompanhou, mas logo voltou a sua expressão de apreensão.
- Olha pra mim – falou ele virando-a de modo que ficassem um de frente pro outro – agora que descobrir que é tão bom viver ao seu lado, eu não vou morrer, vou enfrentar o Ridlle e voltar pra você ta, é uma promessa.
- Os dois beijaram –se mais uma vez e o garoto sentiu um gosto salgado nos lábios e se surpreendeu ao perceber que eram as suas lágrimas e de Gina que se misturavam agora.
- Um-hum!
Eles se soltaram ao ouvi alguém pigarrear, e ficaram mais corados ao verem que era o Sr. Weasley que surpreendera o beijo trocado.
- Bom garotos – falou ele um pouco desconfortável – está na hora de ir. Cadê o Ron e a Hermione.
- Estamos aqui pai – respondeu uma voz vinda das escadas dos dormitórios.
- Bom já que o trio está completo vamos – falou o bruxo.
- Acho que não tem mais um trio pai – respondeu Ron surpreendendo todos – está mais para um quarteto, não é Gina.
- É Ron – concordou a ruiva segurando a mão do irmão e de Harry.
E os quatros saíram em direção a maior batalha já travada.



N/A: oi pessoal desculpa a demora. Bom aí está mais um capítulo, um pouco maior. Vou postar logo o cap sobre a batalha (não esperem mt não, sou péssima pra batalhas, mas vou tentar melhorar) depois vai começar a nova fase da fic que é pós-Hogwarts. Desculpa pelos erros, mas é ainda minha primeira fic e eu vou tentar corrigir. Comentem please!!!

N/A 2: vem por aí duas novas fics: o diário dos marotos e Harry Potter e o segredo profetizado. Aguardem !!!!

Beijos, Mayra Black

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.