FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Apenas influências passadas?


Fic: Nada poderá nos separar


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Harry acordou preocupado naquela manhã, agora faltavam apenas três dias para o natal e ele nada havia comprado de especial para Hermione, “Maldita guerra!”, disse baixinho, por causa da guerra contra Voldemort os alunos estavam proibidos de deixar o castelo. E se ele pedisse a Dumbledore? Será que o diretor permitiria que fosse a Hogsmead comprar alguma coisa? Decidiu que falaria com ele depois das aulas.



Quando terminou o último tempo de Historia da Magia resolveu ir até o diretor, caminhava em direção a sala dele, parecia estar ensaiando como falaria aquilo, estava levemente corado, e se ele perguntasse pra quem seria o presente? Dizer que queria comprar um presente especial para uma amiga seria um pouco constrangedor, e se ele pensasse que estavam namorando?



Eles não estavam namorando, ou estavam? “Claro que não, seu idiota! Você nem sabe se ela te ama! Mas ela vai passar o natal comigo! E daí? Isso pode significar que ela é uma boa amiga, só isso! Mas e aqueles beijos? Ahhh, pare de pensar nisso”, Harry estava no seu costumeiro conflito psicológico, uma parte de si insistia que nada mudara na sua relação com Hermione, outra parte acreditava que ela deveria sentir alguma coisa diferente por ele, assim como aquilo que ele sentia.



Parou em frente a sala do diretor, mas então algo fundamental veio a memória: ele não sabia a senha! De que adiantaria chegar até ali, ter preparado um discurso, se não sabia a senha para entrar na sala de Dumbledore? Estava tão irritado consigo mesmo que nem notou a aproximação de alguém.



_ Algum problema Harry? - Harry quase teve um ataque cardíaco quando ouviu aquela voz lhe chamar.



_ Ai, professor! Que susto - admitiu ele.



_ Desculpe-me, não pretendia assustá-lo - disse Dumbledore com um sorriso - E então, deseja falar comigo?



_ Ah, sim! Claro! - Harry provavelmente tinha esquecido tudo que planejara falar - Bom... É que...



_ Acho melhor entrarmos - percebeu o nervosismo do rapaz, disse a senha... Ah claro, Harry deveria ter tentado adivinhar, não demoraria a chegar em feijõezinhos mágicos - Pronto, pode falar agora.



_ Certo - Harry também se sentou - O senhor sabe que vou passar o natal aqui...



_ Já fui informado.



_ Bom... É que eu... Bem... Eu queria pedir uma coisa - Harry o olhou nervoso, a calma costumeira de Dumbledore parecia aumentar seu nervosismo naquele momento - Será que eu poderia ir até Hogsmead?



_ Hogsmead?



_ Sim... Eu queria comprar um presente.



_ Ah... Um presente - o diretor deu um sorriso, Harry corou - Harry, eu sei que esse presente deve ser muito importante pra você, com certeza para alguém muito especial, mas você sabe que não posso deixá-lo sair.



_ Mas seria rápido, talvez o Hagrid pudesse me acompanhar - ele tentou, Dumbledore tinha que permitir.



_ Não sei, Harry. Mesmo praticando oclumência e Voldemort não sabendo mais o que você pensa, há muitos comensais loucos para conseguir por as mãos em você.



_ Então eu não poderei ir? - Harry desesperou-se, não tinha um presente pra Hermione. Corrigindo, não tinha um presente decente pra Hermione, afinal o livro que comprara para a amiga para o natal daquele ano estava dentro do seu malão, só que depois de tudo que aconteceu não achou que seria o presente ideal.



_ Sinto muito Harry, mas não posso permitir - ele falou.



_ Tudo bem então - Harry levantou-se tristemente, não tinha jeito, teria mesmo que dar aquele livro.



_ Entretanto... - o diretor falou, Harry parou exatamente onde estava - Talvez eu possa ajudá-lo.



_ O senhor mesmo vai me levar a Hogsmead? - Harry estranhou.



_ Não, não precisaremos deixar Hogwarts - ele se levantou e foi em direção a uma grande estante, abriu uma das portas e pegou algo - Tenho algo que, certamente, a pessoa que você presenteará irá adorar.



_ Ah - Harry falou um pouco desapontado, não via como algo que Dumbledore possuísse ser um bom presente para Hermione.



_ O que acha? - pegou o pequeno e delicado objeto e deu a Harry que parecia impressionado, jamais imaginou algo do tipo - Está aqui neste armário há anos! Bom... Eu não tenho ninguém para dar tal coisa.



_ Mas será que não é de alguma aluna?



_ Talvez...



_ Então eu não posso levá-lo - Harry não poderia dar a Hermione algo que já tinha dono.



_ Não se preocupe, pode ficar com ele - o diretor insistiu.



_ Tudo bem então - Harry não entendia aquele olhar de Dumbledore, parecia que queria lhe falar algo.



_ Só o tempo poderá explicar - ele disse, pronto... Harry não entendeu mais nada.



_ Obrigado - ele então deixou a sala do diretor. Aquele presente, Hermione com certeza adoraria, só precisava rezar para que uma possível dona não aparecesse.



Agora mais tranqüilo, já que tinha o presente de Hermione, Harry nem sentiu o tempo passar e logo veio o dia 24 de dezembro. Rony arrumava-se para deixar o castelo, e Harry o acompanhou até o salão comunal, onde encontraram Hermione e Gina.



_ Feliz Natal Rony - ela abraçou o amigo - Nos vemos em alguns dias.



_ Feliz Natal pra vocês também - o ruivo falou, quando Gina já estava um pouco mais afastada ele virou para os amigos, piscou o olho e disse - Juízo vocês dois, viu?!



_ Rony! - Hermione disse, corou violentamente, assim como Harry.



_ Harry - Rony chamou.



_ Hum? - o garoto ainda estava recuperando-se.



_ Oh lá, viu? A Mione é minha amiga, nada de magoá-la.



_ Ronald Weasley, será que dá pra parar? - Hermione irritou-se, Rony estava exagerando, não aconteceria nada entre ela e Harry, apenas passariam o natal juntos, como bons amigos, “Até parece! Tem certeza que vai conseguir se controlar? Claro, Harry é só meu amigo! Desde quando a gente ama amigo desse jeito? Deste quando a gente morre de vontade de beijar um amigo? Amizade colorida essa, ein? Hermione Granger quer parar de pensar besteiras?”, Hermione balançou a cabeça para afastar aqueles pensamentos.



_ Bom... A gente se vê - disse Rony antes de sair - Tchau.



_ Tchau! - Harry e Hermione responderam juntos.



_ Obrigado por passar o natal comigo! - ele disse com um sorriso tímido.



_ Será que não vai achar um tédio passar o natal com essa Nerd, Sr. Potter? - ela perguntou sorrindo.



_ Tédio? - Harry sentiu uma vontade louca de abraçá-la e dizer que ficar com ela jamais era tedioso, mas conteve-se - Duvido! Acredito que vai ser maravilhoso.



_ Fico feliz em saber - ela disse.



Depois voltaram juntos para o salão comunal da Grifinória. Passaram a tarde juntos, desta maneira nem viram o tempo passar, até que Hermione se deu conta de que horas eram. Depois de muito esforço conseguiu fazer Harry aceitar ficar no dormitório enquanto arrumava o salão comunal para aquela noite.



_ E então, o que achou? - perguntou Hermione depois de chamar Harry.



_ Ficou maravilhoso Mione - ele sorriu para ela. Hermione arrumara a mesa com vários pratos diferentes, o ambiente estava iluminado por diversas velas espalhadas pelas estantes.



_ Eu sei que ficou... Um pouco romântico - ela corou de leve - Mas é que eu achei legal assim.



_ Está perfeito, não se preocupe - ele disse, Hermione parecia mais aliviada - Droga!



_ O que foi? Fiz algo errado?



_ Não, é que eu esqueci seu presente lá no meu dormitório, espera que eu vou lá buscar - ia em direção ao dormitório masculino, mas foi impedido por Hermione.



_ Depois você pega, vamos jantar - ela sugeriu.



_ Tudo bem! - foram em direção a mesa - Caprichou ein? Onde conseguiu tudo isso?



_ Onde? Bom... Na cozinha! Por favor, não conte nada ao Rony, eu sei que sou a fundadora do F.A.L.E, mas...



_ Não se preocupe, seu segredo está seguro - Harry brincou.



Depois do jantar, ficaram ainda um tempo conversando, até que Hermione decidiu entregar o presente a Harry. Ela pegou o embrulho que colocara sobre a mesa e lhe ofereceu. Harry sorriu ao constatar que não era um livro, a não ser que fosse uma miniatura, e ficou agradecido a Dumbledore pelo presente.



_ Mione... - ele abriu o presente, em seguida sorriu para a amiga - Eu adorei - era um pomo-de-ouro.



_ Procuro por ele desde quando me falou que seu pai tinha um - disse ela lembrando-se do dia que Harry contara-lhe sobre o que vira na penseira de Snape - Mas só á pouco tempo encontrei, achei que seria um bom presente.



_ Eu gostei muito Mione, obrigado - ele foi até a amiga e a abraçou, afastaram-se um pouco depois, mas ainda assim seus rostos estavam muito próximos, poderia beijá-la se quisesse... E queria... Então encostou de leve seus lábios nos dela, Hermione não se afastou, esperou aquele contato, o qual também desejava. O beijo foi rápido, eles então sorriram timidamente um para o outro - Eu também tenho um presente pra você.



_ Outro? - brincou ela, depois se arrependeu, ficou completamente corada - Desculpa, eu... - foi interrompida por mais um beijo, um pouco mais longo.



_ Vem, vamos pegar - chamou Harry, segurou-lhe a mão, não entendia por que não estava mais constrangido, parecia bastante a vontade naquele momento e percebeu que aos poucos Hermione parecia mais confortável também.



_ O que é? - perguntou ela curiosa.



_ Calma, você já vai ver - disse enquanto iam em direção ao dormitório masculino.



Quando chegou, Harry foi até sua cama, perto dela havia um criado-mudo, onde estava um pequeno embrulho. Hermione aproximou-se dele, que então entregou o presente.



_ Espero que goste - disse Harry, parecia preocupado.



_ Harry... É lindo - era um colar com um pingente dourado em formato de coração, tinha um minúsculo botão o qual Hermione apertou, mas sem sucesso, ele não abriu - Ele não abre?



_ Eu também já tentei, mas não consegui - Harry ficou um pouco desconsertado.



_ Não tem problema, eu adorei, Harry. Obrigada - ela falou, era um pingente em formato de coração! Será que aquilo queria dizer alguma coisa...



_ Vem... Deixa que eu coloco - ele pegou o colar, Hermione virou-se e ele então colocou no pescoço dela.



Harry bem que tentou, mas não conseguiu, tinha que fazer aquilo... Tinha que beijar aquele pescoço, e foi o que fez. Hermione arrepiou-se com o contato dos lábios dele na sua pele, depois virou. Não dava mais pra segurar, parecia que precisavam um do outro urgentemente. Um beijo intenso teve inicio, mas não foi só isso. Outras carícias também acompanharam aquele momento, até que Harry a colocou na cama.



Parecia estudá-la, olhava-a nos olhos, o que iria fazer? Beijou mais uma vez seu pescoço. Hermione não oferecia resistência, queria aquilo tanto quanto ele, não dava pra negar, ela então sorriu. Harry começou a beijá-la, queria sentir cada parte dela, queria ser o mais carinhoso possível, queria fazê-la feliz. Nunca sentiu tanta vontade de amá-la! Harry nunca teve tanta certeza de que Hermione era realmente o amor da sua vida quanto naquele momento.

Não, não fora apenas uma atração, havia algo mais, algo que não sabiam que nutriam, algo que começou a despertar a partir daquele dia, o dia do primeiro beijo, e agora finalmente uniu Harry e Hermione. Foi então que aconteceu, tiveram uma noite de amor, a primeira de ambos. Para eles simplesmente inesquecível... Quando terminaram, Hermione estava deitada sobre o peito nu de Harry, ele alisava seus cabelos.



_ Harry... - chamou ela - O que nós... O que nós acabamos de fazer?



_ Nós nos amamos Hermione - foi tudo que ele disse, antes dela beijar-lhe os lábios. Finalmente entenderam, amavam-se e não podiam mais segurar aquele sentimento.





N/A: Oiiee gente!! Bom... desculpemmmmm a demora em atualizar, mas entendam... tava em época de vestibular, tinha que estudar, neh?! Sei que o capitulo não está muito grande, desculpem-me! Se estiver muito ruim tambem, desculpa aí oks?! Bom... eu ia fazer uma NC, mas acabei desistindo... achei melhor deixar assim mesmo... tow sem imaginação essas tempos, imagine aí p fazer NC!! Deixa p lá neh!!? Valeuz a todos que leram, votaram e comentaram!



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Isis Brito em 13/02/2012

Quase tive um ataque cardíaco lendo tudo isso...

Merlin, que capítulo incrível!! Que história linda!! *----------* 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.