FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Three


Fic: Irrésistible TL com continuação


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________



Depois do meu interrogatório matinal nós saímos do dormitório feminino logo após nos vestirmos.

Ah, eu já disse como eu AMO fim de semana? O castelo fica tão... Florido ;D

Caminhávamos rindo, já que nós, como amigas, só zoamos de nós mesmas quando estamos sozinhas, ou seja, o assunto delas mudou de mim e meus “ex’zes” para quadribol, esmaltes e qualquer outra coisa que se pode falar. E sabe, acho que é exatamente por isso que eu amo elas.

Agente é amiga desde o primeiro ano (apesar de que, no início, eu não me dava muito bem com a Lene ;] Mas hoje somos unha e carne) e nunca nos traímos, já brigamos, claro, mas a maior briga durou quinze minutos (e então Dorcas e Emmeline já estavam abraçadas chorando e pedindo desculpas) e podemos confiar inteiramente umas nas outras. Agente aceita e gosta de cada uma como ela é, e sabe, isso é bem legal.

-Summer Breeze, it makes me feel fine – Lene começou a cantar e nós nos entreolhamos sorrindo. Agente simplesmente ama essa música, porque foi a música que começou a tocar no nosso “casamento” como amigas, saca?

-Blowing thought the jasmine in my mind – Todas cantamos juntas atraindo atenções. Isso é só porque agente canta bem :D (Os: Música do Jason Mraz, acho ;P)

-E aí, o que agente vai fazer esse ano? – Alice perguntou deitando-se de bruços em um banco de pedra. Lene sentou na ponta do banco, eu me apoiei no encosto ao lado dela, Dorcas sentou-se em cima do bumbum de Alice e Emmy sentou-se no chão.

-Acho que agente devia fazer tipo um lual na beira do lago, o que acham? – Eu sugeri e todas aprovaram.

-Okay, então vamos falar com o diretor logo para ver se ele deixa – Emmy disse sempre certinha, se levantando e limpando a saia.

-Mas e se ele não deixar? – Marlene perguntou e então sorriu maliciosamente como todas nós, entendendo.

-Faremos de qualquer jeito, Lene querida – Eu disse sorrindo.

-Se ele quiser, ele ajuda, mas... – Alice sorriu.

-Se ele não quiser, exploda-se – Dorcas terminou rindo, e então todas se levantaram e nós juntamos nossas mãos, onde, nas costas delas, havia escrito por magia “SLP”, que você não vai querer saber o que é, e euzinha da silva é que não vou contar, segredo nosso :XX

Sorrimos quando as letras, antes em preto, se tornaram douradas. É, nossa amizade sempre vai ser verdadeira. Quando não for, as letras continuarão em preto. Simples assim.

-Tudo bem, o que vocês acham? Agente vai nessa festa na sexta? – Alice perguntou com um convite nas mãos de uma festa que ia ter no salão comunal dos Lufas.

- Mas é lógico que agente vai nessa festa, eu tenho que estrear minha saia nova – Dorcas disse e agente riu.

-É mesmo, eu tenho uma blusa que eu tenho que usar – Marlene disse se sentando em uma janela no corredor.

Eu sorri maldosamente.

-É aquela blusa escrito “quer um beijo?” e atrás “vem buscar”? – Perguntei sorrindo, mas Dorcas negou por Lene.

-Não, essa eu pedi emprestada, por ser vermelha e naquele modelo legal, combina perfeitamente com minha saia jeans nova – Ela disse e nós rimos da “patricisse” dela.

Mas ninguém pode falar nada, ela não é Patty. Aliás, ninguém no grupo é.

-Não, amores, minha blusa dessa vez é muito melhor... Roxa, escrito em prata bem grande na frente “ I don’t wanna dogs around me tonight. So, stay away” – Ela nos olhou com cumplicidade e desviou o olhar para Sirius, que passava pelo corredor sorrindo para nós.

Nós começamos a gargalhar enquanto ele se aproximava, e ele foi ficando irritado.

-Do que estão rindo, meninas? – Sirius perguntou confuso e galanteador quando nos alcançou. Enlaçou minha cintura com um braço e a de Emmy com o outro, mas eu tenho certeza que é só pra encher o saco da Lene.

-De você. – Eu disse e ele tentou esconder a irritação.

-E por quê? – Ele perguntou encarando Marlene desafiadoramente.

E sabe, essa não é realmente a coisa mais certa de se fazer quando ela está se roendo de ciúmes.

- Segredo – Eu disse sorrindo e Emmy fez um x em cima da boca com os dedos.

-Ah, fome – Dorcas disse olhando de Sirius para Lene e de Lene para Sirius.

-Vamos comer – Alice pegou Dorcas e Emmy pelas mãos, e Emmy já estava me levando quando Lene pegou meu braço, fazendo com que eu ficasse.

Ela me olhou parecendo brava e fez com que eu engolisse em seco.

As meninas olharam pesarosamente para mim, mas eu sabia que tinha que resolver alguma coisa com a Lene, e essa era a hora.

-Tudo bem, quero esclarecer umas coisinhas... – Marlene começou, deixando Sirius confuso.

-Fala, Lene – Eu disse e ela pareceu se acalmar, lembrando-se de que a culpa não fora de ninguém.

Achei estranho ela não ter deixado ninguém perguntar sobre minha ficada com ele enquanto eu estava com o Verissateum, mas agora eu entendi.

Ela queria que ele respondesse.

-Quando foi a última vez que vocês ficaram? – Ela perguntou e Sirius arregalou os olhos, ficando pálido.

-C-c-como é que é? – Ele parecia á beira de um ataque. Suspirei.

-Fazem exatos três anos, Lene. Foi no ano que o Potter começou a me chamar pra sair – Eu disse e ela pareceu satisfeita com a resposta, Sirius parecia sem entender nada.

-E foi aonde, exatamente? –Ela voltou a perguntar mantendo uma pose indiferente. Mas eu sabia que ela estava um pouco chateada.

Só que eu não sabia que ela gostava dele ><

Droga, em que diabos eu fui me meter?

-No armário de vassouras no sétimo andar – Ele respondeu por mim e eu o olhei, soltando um sorrisinho amarelo. Ele me salvara, minha voz já estava presa na garganta.

-Como assim num armário de vassouras? – Agora ela parecia perplexa.

Nós dois sorrimos marotamente.

-Sabe, estávamos voltando da cozinha, tínhamos acabado de tomar um chocolate quente e Sirius estava me contando como tinha acertado um balaço na cabeça do Goyle no jogo contra a sonserina... – Eu comecei a narrar e ele riu.

-E então Lily começou a rir, e a gata do Filch começou a nos seguir... – Ele continuou, os dois relembrando mentalmente aquela noite.

-Daí nos escondemos no armário de vassouras... – Eu continuei, lembrando que ele abrira a porta rapidamente e eu entrei, ele entrando logo depois. Foi realmente difícil, mas estávamos no terceiro ano, hoje acho que nós dois já não caberíamos lá dentro ><

-E a Lily não pôde resistir a mim, sabe... – Ele piscou pra mim e eu ri.

-Uhum... – Eu disse ironicamente – Foi você que me agarrou, Black, poupe-me – Eu disse rindo.

-Tudo bem, tudo bem, foi isso mesmo. Mas você bem que gostou – Ele disse e eu corei.

-Depois disso repetimos isso, sem a maldita gata do Filch, umas duas vezes, mas sabíamos que não ia durar mesmo...

-E então acabou, e continuamos amigos desde então – Ele terminou sorrindo marotamente para Lene e me abraçando pelos ombros.

-Acho que já sei o que queria saber. Obrigada aos dois – Ela disse formalmente e pulou da janela, virando as costas para nós e começando a andar.

-Marlene McKinnon, venha já aqui – A voz do Six se tornou um tanto séria de mais, nunca vi ele assim *.*

Só a Lene pra conseguir que Sirius Black fique sério u.u’

Marlene se virou para nós dois, e pelo brilho nos olhos dela eu vi que ela estava tentando segurar as lágrimas. Porque oh, não, Marlene McKinnon não chora na frente de ninguém que não sejam as amigas dela.

E nem eu faço isso >.<

Sirius foi até ela e abraçou-a firmemente.

AAAI QUE FOOOFOO *.*

Vi Lene desabar ali mesmo e começar a chorar, enquanto ele acariciava os cabelos dela. Coloquei uma mão no ombro dela, que soluçava, e me aproximei.

-Ele pode ter ficado comigo, mas a coleira dele tem o seu nome, Lene. Eu já vou – Eu sussurrei no ouvido dela e ela pareceu se acalmar enquanto ele se dirigia com ela para uma sala.

Eles tem muito o que conversar. Eu realmente não achei que ela fosse ficar triste com o que nós contamos, por Merlim, nunca passou disso. E ela mesma pediu isso, ela sabe ><

Bom, pelo menos agora ela tem uma BIG chance de se acertar com o Sirius. They are so cute when they’re together *.*

Queria ter alguém assim, sabe, pra contar como os dois contam um com o outro, mesmo sem perceberem. Eles se gostam, essa é a verdade. É o tipo da coisa que dura pra sempre, sabe? \õ/

-Oi ruiva – Potter me abraçou pela cintura e por trás em um corredor vazio, me beijando no rosto. Dei um sorriso forçado – O que foi? – Ele perguntou virando-me para ele.

-Ah... Não é nada... – Eu disse, mas já estava triste. Por que todos podem ter alguém com quem contar, menos eu?

-Ás vezes o que você procura está na sua frente – Um quadro ao meu lado, de uma mulher morena sentada em uma cadeira, me disse e piscou para mim. Tiago olhou para mim sem entender nada.

Observei-o e refleti sobre as palavras da bruxa. O Potter? Nããão. Eu já disse desde o início. O negócio é físico, não tem como negar que a química entre nós é ótima. Mas não passa disso. Química.

-Tem certeza que não é nada? Sabe, eu ia te levar pro jardim, mas se você não quiser nós poderíamos ficar aqui dentro – Ele disse e eu desabei em lágrimas, me sentindo sozinha. Abracei-o e ele me envolveu com os braços, foi quando eu senti como se nada pudesse me atingir.

O que será isso? A tristeza passa de uma hora pra outra e eu sinto como se estivesse protegida de tudo e de todos, um calorzinho gostoso no peito, uma vontade imensa de passar a eternidade abraçada á ele.

Voz consciente na minha cabeça: Lily, é o Potter.

O que eu estava falando mesmo? Ah, é. Tudo química.

Soltei-me dele rapidamente e sequei meu rosto, tentando a todo custo me recompor.

-Lily – Ele me chamou e pegou meu queixo, fazendo-me encará-lo – Eu sempre estarei com você. Tudo bem? – Ele disse isso e eu vi somente sinceridade. Mas não consegui imaginá-lo comigo enquanto se casa com outra e tem filhos com ela, vivendo feliz pra sempre. Enquanto eu preciso dele.

Céus, eu preciso dele.

Não, não preciso não. Volta ao normal, Lily.

Certo.

Certo...

-Potter, me deixa em paz. Acabou – Eu disse e saí rapidamente dali, indo para o banheiro. Lá joguei água no rosto e me recusei a chorar novamente, por mais que tivesse vontade.

Eu não tenho por que chorar. Sempre vivi feliz sozinha, e vai continuar assim. Mesmo que todas as minhas amigas gostem de um cara e que o cara que elas gostam goste delas também, mas eles só não saibam disso. Mesmo que um quadro tenha me dito que o que eu quero está na minha frente.

Mesmo que minha maior vontade é poder compartilhar tudo com alguém.

É isso aí.

Antes só que... Acompanhada?

Hum...

Esquece, vou pro dormitório ver se acho alguns chocolates.

Porque vontade dá e passa.

Simples assim.

FUI!

_____________________________________________________________________________________

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.