FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo



______________________________
Visualizando o capítulo:

1. One


Fic: Irrésistible TL com continuação


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________



“Caramel complexion
With the sexiest expression
Curly hair and corn rows
Very nice physique cool clothes
He looked at me
I looked at him
He asked me what I was thinking
Because he walked so beautiful
I didn't know what to say to him”

“Pele cor de caramelo
com a expressão mais sexy
Cabelos cacheados
Excelente físico, boa aparência e roupas legais
Ele olhou para mim, eu olhei para ele
Ele me perguntou o que eu estava pensando
Como ele era tão lindo
eu não soube o que dizer para ele”

Perfect man – Destiny’s Child

Sabe, eu normalmente o odiaria. Odiaria aquela camisa mal abotoada, a gravata sem nó jogada no pescoço, o sorriso maroto o tempo inteiro no rosto, os olhos castanhos e suas nuances verdes perfeitamente emoldurados pelos óculos discretos e arredondados, a voz grave, os cabelos espetados, o físico esculpido por anos de quadribol...

Pois é. Mas, engraçado, como esse garoto consegue me fazer não odiá-lo. Acho que é impossível para um ser humano (vulgo: qualquer um) odiar Tiago Potter. E, entenda, não são só as piadas engraçadas dele, as risadas que não dá para não rir junto (mesmo que internamente), algumas brincadeiras engraçadas (eu disse algumas )...

É ele inteiro. Ele parece estar tentando me enlouquecer. A camisa mal abotoada deixava uns três botões abertos, e, sabe, isso realmente mexe com os sentidos. Ainda mais quando ele começou a usar um perfume¹ que se espalha no ar quando ele chega e um colar de contas de madeira bem pequenas e escuras em volta do pescoço, bem hippie² mesmo. É SIMPLESMENTE IMPOSSÍVEL ESTUDAR ASSIM!

É, eu estou na biblioteca, esse ser está na minha frente estudando. Merlim, será que ele não sabe que essa camisa branca dele parece uma bata³ e está transparente?

Céus, nunca abençoei tanto o quadribol quanto hoje.

-Lily, tudo bem? – Ele perguntou olhando para mim estranhamente.

-Não, não está tudo bem, Potter – Eu disse rispidamente, como sempre.

“Não enquanto não desabotoar essa sua camisa” pensei e quase gargalhei. Pareço estranha, eu sei, mas é que é engraçado pensar que esse garoto simplesmente me transforma em uma pilha de hormônios enquanto estou perto dele.

-E por que, Lily? – Juro que quase dei a resposta que minha mente dissera instantes atrás. Mas logo voltei a minha pose normal.

-Por nada, Potter. Esqueça – Levantei-me rapidamente e dei a volta na mesa, indo para o corredor da biblioteca para ir embora.

-Nada disso, Lil’s. Agora fala – Ele correu na minha frente e me barrou, parando bem perto de mim, encostando aquela dádiva de Merlim (lê-se: tórax) em mim, fazendo eu realmente me perguntar se ele tinha alguma idéia do efeito que isso causa em uma garota.

-N-não vou falar nada, Potter. S-saia do meu caminho – Ótimo, minha voz saiu tremida, gaguejei e não consegui encará-lo nos olhos.

Ou seja: Ele vai insistir T.T

-Vamos sair daqui – Ele pegou meu braço firmemente, mas sem machucar nem nada. Fomos em silêncio para fora da biblioteca e ele nos trancou em uma sala.

Por que eu não lutei contra isso? Oras, você já viu o tamanho do braço dele? *Pára, lembra, suspira, volta ao normal sacudindo a cabeça* pois é, para uma garota, sozinha, que esqueceu a varinha no dormitório não é realmente fácil se livrar de quase 1,80 de pura massa muscular (e, tenho de admitir, pura tentação), queridinhas.

Não mesmo >.<

Ele começou a andar de um lado para o outro na sala, espalhando no ar aquele perfume maravilhoso dele. Merlim, eu não consigo mais controlar meus pensamentos.

E, quer saber? Desisto de tentar. É inútil e frustrante.

“Tonight I’ll be you naughty girl, I’m callin’ all my girls...”

Eita musiquinha chata, faz umas duas semanas que ta na minha cabeça. E mesmo depois de duas horas ouvindo músicas de comercial (daquelas chatas, que fica na cabeça) ela NÃO SAIU.

É, minha vida é uma desgraça. Estou trancada em uma sala com o garoto mais HOT que eu já conheci e não posso nem ao menos tocá-lo, e ainda por cima estou com uma música na minha cabeça que me instiga a fazer certas coisas que criancinhas não deveriam ver na novela das oito.

Não mesmo >.<

Ele continuou caminhando até que suspirou, colocou as mãos sobre a cabeça com os dedos entrelaçados e caminhou até uma janela, observando o céu.

Por Merlim, será que ele realmente não entende que assim o sol bate de relance nele, e isso faz com que se acentue a cor morena da pele dele?

...

É, pelo jeito não >.<

-Lily – Ele me chamou e fez sinal para que eu me aproximasse dele.

Que Merlim me proteja *.*

Fui passo á passo até ele, como se fosse para a guilhotina, e não até o garoto mais Hot que conheço até o momento. Lógico, eu fui assim porque realmente não sabia se ia conseguir me conter tendo ele tão perto, quando minha maior vontade era jogá-lo na parede e beijá-lo, abrir aquela camisa dele e...

-Lily, você está estranha – Ele sentenciou e tirou-me de meu adorável e pecaminoso devaneio. Suspirei.

-Potter, você não tem nada a ver com isso – Eu disse rispidamente.

Tiago pegou meu queixo com uma mão e encarou meus olhos como se pudesse decifrar tudo, atravessar minha alma, ler minha mente e penetrar no meu coração.

Parece exagero?

É porque não era com você >.<

-Você está mentindo – Ele disse, e sabe, eu detesto quando ele faz isso. Ele sempre sabe de tudo só de olhar pra mim, e nunca falha. Tudo bem que minhas amigas e os Marotos também conseguem, mas, sabe, não é muito legal ser lida e se trair a cada mentira que diz.

-Tá, Potter, estou, e daí? Que droga isso, estou simplesmente can-sa-da de todo mundo conseguir saber quando eu minto, droga! – Eu explodi me afastando dele, tentando esconder minhas mãos um tanto trêmulas.

-Tudo bem Lily, eu sei que não é legal, mas eu estou realmente preocupado com você! Você tirou 7 no último exame de poções, sua matéria favorita! Decididamente tem algo errado com você – Ele disse.

Cínico.

Até parece que ele não sabe que o que tem de errado comigo é a camisa dele abert...

-Vamos, Lily, me conta o que há de errado – Ele foi até mim e pegou minhas mãos entre as dele e me encarou, fazendo-me baixar os olhos. Só então ele olhou para minhas mãos, ao notar que estavam absurdamente trêmulas.

-Você tem comido direito? – Ele me perguntou e me fez fitá-lo com uma mão. Certo.

Neguei com a cabeça e ele suspirou profundamente, virando-se de costas e passando as mãos pelos cabelos, em um gesto de profunda impaciência.

-Por quê? – Ele perguntou agora sem me fitar. Ele me deu brecha para mentir, sacou?

Estranho >.<

-E-eu não sei – Eu disse com voz trêmula e ele se aproximou rapidamente de mim, parecendo bravo.

-Não mente pra mim, Lily. Não mente – Ele segurou meu rosto entre as mãos e me obrigou a fitá-lo, tirando assim minha chancezinha de mentir.

Maldito ¬¬°

-Por sua causa – Eu disse baixinho e, pela cara perplexa dele, ele parece pensar que ouviu mal.

- Por minha causa? Minha causa? Merlim, garota, o que foi que eu te fiz? - Ele perguntou veementemente, agora mais confuso, mas ainda assim determinado.

E, sabe, ele fica realmente lindo assim *.*

-Você não fez nada. Sua camisa é que faz - Se antes ele parecia confuso, agora ele está mais perdido que cego em tiroteio.

É, eu acho que também ficaria assim se a garota que gritava aos quatro ventos que preferia namorar um trasgo vomitando lesmas do que ficar á meio metro dele estivesse dizendo que estava sem comer direito por causa dele e que a camisa dele era a culpada verdadeira.

É, ficaria sim >.<

Ele olhou para a camisa, perplexo.

-O que diabos a minha camisa tem a ver com a sua comida? - Ele perguntou tentando entender.

É, eu devia imaginar que ele não entenderia que, com aqueles botões abertos, o peito dele ficava naquele “chove não molha”, ou melhor, “mostra não mostra” que me fazia ficar o tempo inteirinho do café desejando que os botões escorregassem de dentro das casinhas e abrissem aquela camisa de uma vez.

Pode acreditar, eu quase me esqueço da comida desse jeito >.<

-Tem a ver que a sua camisa ... – A voz morreu na garganta quando ele a tirou para examiná-la, achando que tinha algo errado, talvez algum feitiço ou algo assim.

PELAS CALÇAS DE MERLIM! O QUE É AQUILO? =OO~~

Comecei a olhar fixamente para o peito dele enquanto ele, ingenuamente, procurava algo errado na camisa. Pelas barbas de Merlim, ele tem tudo no lugar, é bem moreno, dá vontade de...

E então a cena deixou de ser ingênua. Ele olhou para mim e seguiu minha linha de visão até chegar ao lugar que eu estava olhando. Então me olhou novamente, por cima dos óculos, ainda curvado pela tentativa inútil de achar algo na camisa, e arqueou uma sobrancelha.

-Lily? – Ele me chamou e eu corei da cabeça aos pés, me virando de costas.

Pude sentir ele se aproximando de mim. Pude sentir o olhar dele na minha nuca. Pude sentir que ele estava com aquele sorriso malicioso que fazia minhas pernas bambearem. E foi sentindo tudo isso que o ouvi sussurrar roucamente, no tom de voz mais sexy que já ouvira na minha vida:

-Então é isso, Lily? – Ele foi se aproximando de mim, eu podia sentir o calor dele emanando até minhas costas, isso indicava que ele não estava muito longe. Minhas entranhas se reviravam, meu coração saltava, eu sentia como se estivesse descendo de uma montanha russa, as mãos suando, o frio na barriga, tudo mais.

Com mais um passo ele colou o peito dele ás minhas costas e eu me tencionei toda, prendendo a respiração e fechando os olhos. Tiago começou a beijar meu pescoço por cima do cabelo, mas logo tirou o empecilho do meio, beijando lentamente e diretamente minha pele já em brasas.

Ele beijava com calma, acho que sentindo textura, gosto, sei lá. Ele parecia querer me testar, eu sentia o olhar dele no meu rosto de vez em quando, mas eu só fazia manter os olhos fechados, me segurando para não gemer.

Uma das mãos dele desceu até minha cintura, me pressionando contra ele. Céus, isso é muito bom...

Nem sei como aconteceu: quando me dei por mim já estava virada para ele, ele me encarando com aquelas orbes castanhas com suas nuances verdes. Ele me abraçou firmemente, encaixando o topo da minha cabeça no queixo dele. Rendi-me ao abraço, aninhando-me no peito descoberto dele, fechando os olhos.


Mal aí, garotinhas, mas ele é meu

Pegou minha cintura e me empurrou contra uma parede, beijando-me, pressionando-me contra a pedra fria, e eu correspondi ao beijo com o mesmo fervor. Beijamo-nos por mais alguns minutos, e logo terminamos aquela “sessão” com leves selinhos. Ele encaixou o queixo em meu pescoço, respirando profundamente de encontro á minha pele.

Ps: Ele sabe que é meu ponto fraco.

Maldito ¬¬°

Desvencilhei-me dele e ajeitei minha roupa, jogando a camisa dele para ele, enquanto ele me olhava aturdido.

-Pensei que tínhamos nos entendido, Lily – Ele me disse enquanto eu alisava a saia, toda amarrotada pelo “amasso” que eu tive com ele.

-Pois pensou errado, Potter. O fato de... – Corei - Digamos simplesmente que o fato de eu achá-lo razoavelmente atraente - (Nessa hora pensei “pelo amor de Merlim, quem é que eu to tentando enganar? Ele é um Deus!”) – Não significa que esteja caindo de amores por você, e nem que tenhamos nos acertado, por assim dizer. Se é que temos realmente algo para acertar, Potter - Eu disse rispidamente e abri a porta, mas ele me parou antes disso.

-Me permita, por favor – Ele pediu colando o tórax nas minhas costas e colocando a mão sobre a minha, na maçaneta da porta, fazendo-me fechá-la. E então afastou os cabelos do meu pescoço e beijou-o, fazendo minhas pernas ficarem bambas e ele ter que me segurar firmemente pela cintura. Ele sugou avidamente aquela área e eu não consegui pensar em mais nada, virei geléia nos braços dele novamente.

Logo depois disso consegui me desvencilhar dos braços dele novamente e saí da sala rapidamente, correndo para qualquer lugar. Sabia que agora ele devia estar sorrindo maliciosamente e pensando na minha ousadia. Eu agora só conseguia pensar na boca dele, os beijos, os toques...

Hoje, decididamente, eu não durmo. (6)

Fui para o dormitório feminino correndo para não ter nem a remota possibilidade de topar com ele no caminho. Tranquei-me no banheiro e taquei-me debaixo do chuveiro quente.

Tentei reviver todas as sensações que ele me proporcionou, mas era impossível. Já era final de tarde mesmo, não tínhamos mais aulas, vesti meu pijama e deitei na cama, revivendo aquilo tudo mentalmente várias vezes e adormecendo após a... Vigésima vez, acho....

Só espero que amanhã... Ah, sei lá o que eu quero pra amanhã. Que amanhã fique nas mãos de Merlim e suas calças.

É isso aí (y)

¹ Imaginem o que quiserem, garotinhas, eu A-M-O o Acqua Di Gio da Armani e Kaiak da natura xD
² Homenagem á uma friend :D
³ Gente, qualé, NÃO imaginem nada gay no Jay, okay? PELOAMORDEMERLIM :3

______________________________________________________________
_______________________

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.