FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. Capítulo VIII


Fic: O casamento dos meus sonhos...


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



N/A: Se não for trágico, pelo menos vai ser engraçado... xD


Capítulo VIII – O casamento



- Quê? Você me chamou aqui para assumir o casamento? – ela erguia a sobrancelha, desaprovando - De que você está falando? Não pode passar toda a responsabilidade para mim!

- Vai tudo correr bem, está tudo perfeito. E depois? Você fica com toda a comissão.

Penny calou-se.

- É mais de dez vezes o que ganho por ano.

- Tá bom, mas, Hermione, de onde você tirou a idéia de casar com o Mark? Que loucura.

- É, não faz o mínimo sentido. Mas, vai que dá certo!

- Talvez... O seu pai tá bem feliz, ele já veio até com o seu vestido.

- Eu sabia que ele traria.

“Pelo menos vou casar na praia.”

- Tem certeza que quer no mesmo horário da festa de Gina?

- Sim.

- É por causa do Harry né? Não quer vê-lo casando. A garota que desde pequena está sempre à frente. Está casando pra ficar à frente dele de novo.

- Penny... – Hermione ergueu a mão. O que quer que ela houvesse dito doía e incomodava Hermione. E ela sabia o porquê.


********************

Harry puxou Gina para conversar.

- Dá azar ver a noiva! Podemos conversar depois do casamento. – ela cortou. A cerimônia iria começar.

- Espere um minuto. – ele a puxou de novo – Por que quer se casar comigo?

- O quê??? – ela arregalou os olhos.

- Potter, está me assustando.

- Você nunca me chama de Potter.

- Porque você não gosta. – ela cortou novamente.

- Nunca disse que não gostava.

- Aonde quer chegar?

Harry tornou a repetir.

- Por que quer casar comigo?

- Está brincando? Está me despachando no dia do meu casamento?

- Só preciso que me responda o que perguntei.

Os olhos de Gina lacrimejaram.

- Isto não está acontecendo comigo.

- Não Gininha. – ele falou em um tom extremamente brando.

- Nada de “Gininha”! Não me chame de Gininha, desgraçado egoísta! – ela estava linda dizendo isso.

- As razões da universidade já não valem! Nós mudamos, acho que sabe disso.

Ela soluçou. Harry soltou um muxoxo.

- Olha Gina, se você me ama de verdade. Eu vou até a praia e nós casamos.

- Faria isso? – ela enxugou o rosto num lencinho.

- Sim. Toda essa gente...

- Que você não conhece nem a metade. – ela riu. – Você e eu...

- Está pronta?

- Acho que sim! – ela sorriu. O sorriso morreu e a preocupação surgiu instantaneamente - Preciso só de um segundo.

Eles se entreolharam. Ririam se a situação não fosse tão grave.

- Não, não quero me casar. – Gina falou primeiro.

- Como deixamos as coisas chegarem tão longe? – Harry praguejava, percorrendo o quarto com o olhar e sem ponto fixo.

- Não sei. – Gina choramingou baixinho. - O que é que vamos fazer?

- Aí está a parte boa do problema. O que nós dois quisermos. – Harry lembrou-se de Hermione quase involuntariamente.

- Há muito não sei o que eu quero...

- Mas eu sei... – Harry e Gina saíram ao mesmo tempo do quarto. Gina correu sem direção passando pelos convidados e Harry foi atrás de certa coordenadora de casamentos...

- Essa é a noiva! É a noiva? – Penny apontou para uma Gina fugitiva, assim como vários convidados o fizeram.

- Sim, é. – Geri, sua chefe, confirmou com imenso desagrado, gritando para algum segurança para que barrassem a ruiva.

- Vai voltar?

- Não. – Harry subitamente chegou e respondeu.

- Ai meu Deus! Acho que vou desmaiar. – Penny se desequilibrou pensando no fiasco. Vou matar a Mione por me deixar aqui sozinha! Não sei o que fazer.

- Respire fundo. – Harry falava devagar. – Agora me responda: onde está Hermione?

- Bem mais a leste daqui, no Ocean’s Mirror. Casando...

- CASANDO? Quer dizer que a Mione tá casando???

- Sim entendeu... C-a-s-a-n-d-o. Exatamente o que você deveria estar fazendo agora.

Harry ficou sem fôlego. Jamais chegaria a tempo. Mas precisava tentar.



**********************

- Está linda, Mione. – seu pai sorria, coroando-a com flores. Havia seis pessoas na cerimônia. Além do padre e do noivo, havia os dois melhores amigos de Hermione e seu pai.

Ela caminhou lentamente até Mark. Não demoraria muito agora.

- Estamos aqui reunidos na presença destas testemunhas...

************************

- Conhece algum atalho para Ocean’s Mirror? – Harry perguntava para um surfista loiro que se encontrava na praia.

- Por que a pressa Potter? – Draco estava confuso.

- Mione vai casar!

- Quê? Com quem?

- Acho que com o amigo dela... – Harry observou o quanto a frase soava estranha. – ...Então, um atalho?


*************************


- ...para unir este homem e esta mulher no sagrado laço do matrimônio. Este contrato não deve ser considerado levianamente, mas cuidadosa e seriamente, com um conhecimento profundo das suas obrigações e responsabilidades. – o padre continuava, impacientando todos os “convidados”.

Estava anoitecendo.


*************************

Draco indicara o caminho.

- Dê um soco nele por mim, Potter. – “Aquele idiota estragou a minha pegada de verão”.

Harry voltou um segundo e golpeou Draco.

- Eu sei que era você quem queria pegá-la, Malfoy.


*************************


- Se alguém tiver alguma coisa a declarar, que impeça que este casal possa unir-se pelo matrimônio, que fale agora ou se cale para sempre.

Ninguém se opôs.

- Perfeito. Passemos à frente.

- Não. Eu me oponho. - O pai de Hermione ergueu a mão.

Rony adiantou-se, aliviado.

- Graças a Deus. Eu também me oponho.

- O que está acontecendo? – Hermione revirou os olhos.

- Olho os seus olhos e sinto náuseas. – o Sr. Granger começou a falar. - Não é isto que você quer, é o que eu quero. – ele abaixou a cabeça. – Que vergonha!

Hermione foi até ele.

- Tenho sorte em ter um pai como você. O senhor tem razão. O amor não é uma noite encantada... não é um conto de fadas. Nem sequer o amor à primeira vista. A vida real não funciona assim. Mark é um bom homem. Não se preocupe, papai. Sei o que estou fazendo.

- HERMIONE? Onde está a Hermione? – Um Harry totalmente ofegante chegava ao pequeno hotel onde estavam casando.

O Sr. Granger entrava na defensiva, como se protegendo Hermione da polícia.

- Sou o pai dela. E você quem é?

- O médico! – Miranda gritou.

- Sou Harry Potter, o médico, e amo a sua filha.

- Então você é o cara? – O sr. Granger falou um tanto ofensivo, mas Harry estava disposto a enfrenta-lo. Enfrentaria até o padre pra levá-la dali.

- Desculpe-me, mas sou!

- O que aconteceu com a Gina? – Hermione interrompeu uma possível discussão.

- Não nos casamos.

“Parece que isso virou epidemia.” Hermione pensou.

- Você deveria estar se casando, Harry. – ela o repreendeu. Ele não ligou.

- E vocês? Casaram?

Mark balançou a cabeça negativamente.

- Hermione não me ama. Ela ama você Harry. Ela fez até algumas besteiras com raiva de você – Mark censurou Hermione, lembrando-a de Draco.

“Esse sujeito é legal”. Harry pensou divertido. Rony se fez presente:

- Agora me explica melhor... Quem é você?

Harry suspirou.

- Sou Harry Potter.

- Dã, Ronald! – Miranda ergueu as sobrancelhas. – O Harry, o amor da vida dela.

- Quer dizer que você a ama? – Rony continuou.

- Sim.

- E ela o ama... E nenhum dos dois se casou hoje?

- Sim! É o que estou a dizer.

- Que raio estás fazendo aqui parado, falando com a gente? – Rony empurrou Harry. – eu levo a Mione até você.

Eles se encararam longamente. Mal ouviram o padre iniciar.

- Estamos aqui reunidos na presença destas testemunhas...

- EI! Desculpa interromper cara – Rony olhava para o padre – mas você já falou tudo isso aí, dá pra chegar logo no final?

Todos, exceto o padre, riram.


**************************


Hermione estava numa suíte. A lua cheia do dia dezessete, tão planejada por Hermione acabara sendo a lua de seu casamento. Ela a olhava, vagamente. Comia confeitos de chocolate e selecionava-os pela cor. Um moreno se aproximava às suas costas.

- Por que você só come os marrons? – Harry tomou um belo banho após a cerimônia.

- Porque uma vez, alguém me disse que tinham menos corante, porque o chocolate já é marrom. E ficou gravado em mim.

Harry sorriu ao lembrar-se daquele dia no parque.

- E você ficou gravada em mim. – ele beijou seu pescoço, sensualmente.

- Onde será que está a Gina?

Harry ergueu-a.

- Provavelmente no Tahiti... Seria nossa outra lua-de-mel. Ela precisava encontrar sua própria vida. E eu...

- Você o quê? O que o Sr. Potter quer?

Ele chegou ao seu ouvido. Girou-a lentamente, guiando-a.

- Quero dançar com você...






N/A: fic pequenininha... só fiz pq amei o filme... então, gostaram?
COMENTEM! Se vocês não gostaram... COMENTEM TBM! Adoro vcs ;*





Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.