FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

23. Amazonas


Fic: Os Descendentes Divinos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Amazonas

Anne acompanhou Harry ate um enorme aposento os guardas que carregavam seu irmão o deixou em cima de uma das varias camas que tinha naquele aposento foi ai que ela percebeu que lá devia ser uma espécie de enfermaria olhou para os lados e viu Siegfread numa cama a alguns metros deles perto dele estava Aquiles com o peito enfaixado e pelo que parecia uma dúzia de curandeiros que vestiam túnicas brancas e vermelhas.

Voltou sua atenção rapidamente para Harry e percebeu que pelo menos três curandeiros tentavam lhe rasgar a camisa para ver os danos em seu peito, mas toda vez que rasgavam a camisa ela voltava ao normal logo em seguida, então ela se aproximou mais do irmão. Os curandeiros pararam de tentar abrir a camisa dele ao vê-la se aproximando. Ela tocou de leve o rosto do irmão que parecia estar dormindo, mas se mexeu levemente com o toque, seu rosto estava pálido pela perda de sangue. Depois de observar isso ela tocou no peito do irmão e as roupas da Alcatéia sumiram do nada assustando os curandeiros que olhavam com atenção aos movimentos da jovem.

Harry estava com uma camisa que antes era branca, mas agora estava vermelha com o sangue, e uma calça jeans normal, algo que parecia bem casual. Estava sem sapatos, provavelmente destruídos na luta. Com mais um movimento dela a camisa empapada de sangue sumiu e os curandeiros soltaram exclamações de surpresa por verem dois cortes em forma de X que pegavam dês do peito do rapaz até uma parte do abdômen, o sangue ainda fluía e por causa disso ele não puderam ver muito coisa.

Um curandeiro se aproximou para cuidar de Harry, mas estacou, tentou se debater, mas não conseguia se mover, olhou para Anne que estava distraída, ergueu uma das mãos a deixando a alguns centímetros da pele do irmão, uma luz vermelha emanou da palma da mão dela e ela foi passando levemente por todo ferimento. O sangue sumia conforme a mão dela passava, os médicos puderam ver o corte feio dava para ver em algumas partes do peito o osso do rapaz, mas depois de um tempo todo o corte se cicatrizou numa forma lenta, mas eficiente não deixando marcas era como se nunca estivesse lá. Depois que terminou isso Anne olhou mais uma vez para o irmão e viu várias marcas roxas e vermelhas provavelmente costelas e ossos quebrados e luxados.

_Cuide dele. Falou Anne sem olhar para os curandeiros que abriram caminho quando ela passava por eles e ia em direção a Siegfread, que ainda estava cercado por pela menos uma dúzia de curandeiros desesperados que falavam em algum idioma desconhecido para a garota, mas não se importou continuou andando na direção do cavaleiro.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

OS curandeiros que cuidavam de Siegfread não sabiam o que fazer apesar de saber da imortalidade do cavaleiro os cortes que aviam pelo corpo dele não parava de sangrar com nada que eles usavam tentaram poções élficas, mas o corte se fechava e no segundo seguinte voltavam a abrir.

_Saiam da frente. Ouviram os curandeiros olhando de onde vinha a voz e encontraram uma garota de no máximo doze anos e cabelos negros, era uma das amigas do tão esperado enviado. _Saiam da frente. Ela repetiu e logo foi atendida chegou perto de siegfread que estava inconsciente e sem camisa somente com uma calça de tecido desconhecido, mas esta já aparentava manchas vermelhas quando ela olhou para os ferimento dele viu que o estrago era grande provavelmente por ser imortal agüentou mais do que Harry, mas se ele fosse um mero mortal já teria ido para o outro mundo há muito tempo.

Aviam dezenas de cortes alguns largos e fundos outros eram tão finos que se não estivessem sangrando ela não perceberia suas mãos foram envolvidas por uma aura vermelha e os curandeiros viram vários flashes de luz e apenas trinta segundos e quando a garota parou deu as costas para o cavaleiro e encarou um curandeiro que tinha um brasão em forma de dragão no peito então deduziu ser o chefe.

_Faça uma pasta com raiz de Lótus azul e um chá com as folhas da mesma planta passe a pasta nos cortes superficiais e nos lugares de luxação ou que esteja quebrado de lhe o chá para beber ainda quente não quente não pelando mesmo que ele reclame isso ira curar os ferimentos internos. Depois disso ela voltou rapidamente a caminha em direção do seu irmão, observou um certo movimento atrás de uma pilastra que tinha na enfermaria, mas não ligou.

_Por que me ajudou? Quando ouviu essa pergunta Anne parou e virou seu rosto para o cavaleiro que abrira os olhos passou rapidamente os olhos pelos curandeiros que estavam surpresos pelos vários cortes profundos que antes aviam em todo peito abdômen e costas do cavaleiro terem sumido sem deixar marca.

_Por que você deu uma boa diversão para meu irmão. Falou num tom neutro, mas um sorriso nasceu em seus lábios em seguida voltou a caminhar ate Harry.

_Estou em divida com você e juro que nem que eu tenha de retornar dos mortos eu a pagarei. Falou Siegfread para a garota essa apenas levantou a mão num sinal claro de tanto faz.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Harry abriu os olhos e tudo que viu foi um teto branco meio embaçado, mas se lembrou rapidamente do que havia acontecido sentiu uma mão pequena em cima de sua mão olhou para a esquerda e encontrou os grandes olhos azuis de Anne que sorria levemente.

_A próxima vez que você me der um susto desse eu mesmo te mato. Falou Anne ainda sorrindo, o que fora retribuído pelo rapaz.

_Onde estão os outros? Perguntou Harry olhando somente para a irmã.

_Estão em outro aposento eles estão bem. Respondeu a garota. _E não se preocupe você só ficou uma hora desacordado.

_Parece que foram séculos. Falou Harry tentando se levantar, mas logo sente a mão de Anne em seu peito o forçando a se deitar de novo.

_Fique ai quietinho. Ordenou a garota num tom levemente mandão o que fez Harry rir um pouco.

_Vá descansar um pouco e avise aos outros que eu já estou bem. Falou Harry olhando de esguelha para um pouco mais atrás da irmã. _E não se preocupe estou seguro aqui afinal eles não tentariam fazer nada contra mim.

_Certo. Falou Anne se levantando da cadeira que estava sentada. _Mas como eu vou encontrar o pessoal?

_Eu lhe ajudo senhorita. Falou uma voz calma de uma mulher de seus vinte e três anos e olhos castanhos escuros que acabara de entrar na enorme enfermaria Anne hesitou por alguns segundos, mas seguiu ao receber um aceno afirmativo de seu irmão.

Assim que as portas se fecharam Harry fechou mais uma vez os olhos e sua respiração se suavizou mais um pouco como se estivesse dormindo. De trás de uma pilastra uma garota de longos cabelos negros como ébano e olhos cinzentos ela abriu um sorriso debochado e olhando para o rapaz liberou uma forte intenção assassina que fez Siegfread se sentar rapidamente em seu leito e olhar desconfiado para a garota que se aproximava da cama do Enviado este porem parecia estar dormindo.

A jovem estava já ao lado direito da caba de Harry e levantou a mão levando ela em direção do peito do rapaz, mas quando estava a alguns centímetros dele uma segunda intenção assassina se instaura no local era forte muito forte as paredes parecia estar tremendo com aquilo a pressão no ar triplicou e a jovem curvou os joelhos tentando a todo custo não cair, aquela aura assassina era emanada Por Harry a jovem o olhava espantado assim como Siegfread já que aquela intenção era mais forte do que na hora da luta.

Harry do nada abriu os olhos, a aura opressora pareceu aumentar e quando ele encontrou os olhos da jovem ela sentiu um tranco para trás o som de carne sendo dilacerada por uma lamina seu peito doía algo molhava ele ela levou a mão ate seu peito e encontrou sangue o sangue manchava quase toda roupa sentiu seus joelhos cederem para o peso do corpo, mas lutou para ficar de pé, começou a cair para trás, então ela piscou lentamente e quando abriu mais uma vez os olhos lá estava ela de volta a enfermaria ainda com a mão na direção do peito do enviado com a diferença que agora ela tremia sentiu o rosto molhado de suor e por instinto pós a mão no peito, mas não havia nenhum ferimento olhou mais uma vez espantada para Harry que sorria de uma forma marota se esqueceu momentaneamente o que havia acontecido, mas logo se recuperou ao sentir a aura assassina dele desaparecer por completo e só ai percebeu que a sua própria intenção assassina havia sido despistada então deu alguns passos para trás até bater num leito que ficava a menos de um metro do de Harry.

_Quem é você? Perguntou Harry sentando na cama e olhando interessado para a garota um brilho apareceu em seus olhos, mas logo disfarçou, pois notou que a jovem parecia desconfiada e na defensiva. _O gato comeu a sua língua? Brincou o rapaz sorrindo de olhos fechados ele ouviu o silvo baixo de uma lamina indo em sua direção, mas não fez nada nem mesmo abriu os olhos.

_Por que você não desviou? Perguntou a Jovem com uma espada curta quase que encostada no pescoço de Harry este apenas tombou levemente a cabeça de lado como se achasse graça e voltou a abrir os olhos.

_Você não queria me ferir. Respondeu com uma simplicidade ate que infantil que fez a jovem sorrir levemente, mas ao perceber isso voltou a ficar seria. _Sabe não é nada certo alguém vir aqui numa enfermaria e direcionar uma aura como aquela para um interno e depois apontar a lamina de uma espada no pescoço do mesmo interno. Comentou o rapaz sem se importar com a proximidade da lamina ele dizia tudo isso olhando diretamente nos olhos cinzentos da jovem que se sentiu incomodada como se ele estivesse vendo muito alem de seus olhos. _Posso saber o seu nome?

_Megara. Respondeu a jovem sem se mover um centímetro se quer seus olhos faiscavam na direção do enviado não entendendo como ele poderia estar tão calmo e o porque daqueles olhos a incomodarem tanto.

_Você é bonita. Comentou Harry olhando Megara de cima a baixo o que a faz corar levemente e apertar mais o cabo da espada seus olhos faiscaram de raiva como se aquele elogio a tivesse ofendido.

_Cuidado Homem se não eu resolvo cortar o seu pescoço de verdade. Falou ameaçadoramente Megara.

_Harry. Falou o rapaz que ao ver a confusão no rosto da jovem se apressou em dizer. _Meu nome é Harry me chame assim.

_Chamo como eu quiser homem. Harry levantou uma sobrancelha curioso então deu mais uma olhada em Megara notou que ela usava o que parecia ser uma camisa ou algo muito parecido de cor marrom escura seus cabelos longos estavam presos com um laço verde escuro usava algo parecido com uma saia que ele não deixou de notar estar acima do joelhos ela não usava brincos os olhos eram cinzentos como já sabia, mas escondia um que de rebeldia e então ele viu uma verdadeira guerreira por trás daqueles olhos em alguns pontos da “camisa” tinha algo como folhas então um leve estalo veio à mente do rapaz que por alguma razão se sentiu azarado.

_Amazona. Falou Harry seu tom de voz era de quem estava falando com sigo mesmo. _Se todas as Amazonas forem tão bonitas quanto você eu tenho certeza que vou fazer de tudo para termos um bom convívio. Megara corou levemente mais uma vez ela se sentiu incomodada, mas o que era aquela sensação estranha. _Dá para tirar esta espada do meu pescoço?

_Você não me teme? Perguntou Megara afastando a espada do pescoço de Harry estranhando a naturalidade dele o que não era comum já que muitos homens temeriam saber que tem uma amazona segurando uma espada a centímetros do seu pescoço, mas ele era diferente.

_Eu deveria? Apesar de Harry achar esta pergunta soar um tanto infantil não pode deixar de sorrir ao ver aquele velho brilho de raiva nos olhos da jovem ela era interessante. _O que você iria querer comigo em Meg?

_Não me chame assim. Gritou Megara nervosa e ficou mais nervosa ainda ao ver que o sorriso do rapaz aumentara percebendo que ele queria deixá-la fora do serio. _Se você não fosse o maldito enviado eu juro que te cortaria o pescoço e...

_Hum ta nervosinha. Falou Harry a interrompendo. _Realmente fica muito bonita quando esta nervosa. Harry não sabia de onde vinha aquilo, mas estava gostando de provocar a Megara. _Você não concorda Siegfread? Perguntou ao cavaleiro que observava tudo com interesse e quando ouviu a pergunta não agüentou e caiu na risada junto com Harry fazendo a amazona ficar mais nervosa ainda.

_Hora seu. O rosto de Megara estava rubro de raiva ela tirou mais uma vez a espada da bainha numa grande velocidade e já a direcionou de cima para baixo em direção de Harry, mas quando a lamina ia tocá-lo ele simplesmente desaparece e a cama é partida em duas. _Onde você esta seu covarde f...

_Estou aqui. Fala Harry ao ouvido de Megara que se arrepia levemente e se vira olhando para cama que estava encostada e lá encontra o enviado sentado nela.

_Eu vou te cortar. Falou Megara entre os dentes os olhos espremidos em direção do rapaz.

_Você tem certeza que quer isso? Harry já não mais sorria seus olhos estavam sérios e Megara parecia hipnotizada assim como o rapaz que colocou sua mão na face direita dela que suspirou levemente Harry se aproximou ate ficar poucos centímetros do rosto dela. _Afinal se você quisesse isso não teria hesitado no ultimo golpe. Falou num tom mais baixo de voz um sorriso malicioso nasceu de seus lábios. _Mas creio que eu possa ter me enganado afinal como eu saberia disso? – Ele soltou o rosto de Megara e se afastou devagar seus, olhos tinham um brilho malicioso e a garota pareceu se ligar de que estivera próxima de mais do rapaz, mas ao contrario do que Harry imaginara, ela simplesmente dera as costas para ele e saiu rapidamente da enfermaria o deixado com um ar confuso.

_Não sei dizer se você é simplesmente um louco ou um suicida. Falou Siegfread quebrando os pensamentos do rapaz que se volta para ele. _Provavelmente um sortudo. Falou mais uma vez rindo brevemente. _Você deve ter sido o único homem que chegou tão próximo de uma amazona sem ela ser obrigada a isso afinal ela só deixam homem chegarem próximos dela uma vez por ano e por obrigação.

_É eu acho que sou tudo isso que você falou e muito mais. Falou Harry seu tom distraído fez Siegfread ter um ataque de risos. _Mas se você quer saber eu ate que gostei dela. Harry ficou parado por um instante tentando saber o por que dele dizer isso, mas logo deu de ombros. _Da para parar de rir?

_Desculpe. Falou Siegfread segurando o riso sem muito sucesso. _Mas tipo eu vivi com você um bom tempo sendo o seu professor e me parece que você não se dava tão bem assim com mulheres. Harry corou de leve, mas logo abriu um sorriso maroto e seus olhos brilharam.

_Para tudo tem uma primeira vez e depois uma segunda e por ai vai. Falou o rapaz fazendo siegfread entender o que ele falara.

_Boa sorte então. O cavaleiro falou e depois voltou a deitar, mas falou antes de fechar os olhos. _Só que você vai ter trabalho, pois esta ai é a filha da líder das Amazonas.

_Bom eu gosto de me arriscar mesmo. Diz Harry pulando da cama logo suas roupas da Alcatéia apareceram menos o capuz então foi em direção da saída da enfermaria assim que abriu a porta deu de encontro com outro cavaleiro só que este usava uma capa azul de linho e os olhos eram profundamente negros.

_Mestre Osíres quer recebê-lo. Falou o Cavaleiro deixando claro no tom de voz que não achava a Harry grande coisa, mas este nem se importou e apenas seguiu o cavaleiro por um quase que interminável corredor e depois de quase meia hora em silencio que nenhum dos dois fizera questão de quebrar. _Espere aqui. Ordenou o Cavaleiro ao pararem em frente a uma imensa porta de uma madeira branca como a neve vários entalhes que demonstravam dês de seres mitológicos ate mesmo deuses era bem bonita não avia maçaneta na porta, mas mesmo assim ela se abriu quando o cavaleiro a tocou e ele entrou rapidamente sem dar tempo de Harry ver a sala por trás das portas.

Harry ficara quase cinco minutos achando aquilo um tédio ate que a porta abriu e de dentro da sala veio uma luz fraca, ele nem esperou apenas avançou e entrou na sala com a vista meio que ofuscada, mas logo se acostumou e viu uma enorme sala uma enorme mesa circular estava posta no meio da sala sentados nessa mesa estavam todos os seus amigos mais algumas pessoas interessantes assim por dizer. Olhou atentamente para os integrantes da mesa viu Hermione conversar com uma mulher alta de cabelos dourados e pele branca que parecia irradiar um pouco de luz os olhos dela pareciam serem azuis olhou mais uma vez pela mesa e sorriu ao encontrar Megara conversando com uma mulher de uns trinta anos, cabelos negros e olhos cor de ônix, um pouco alta pele morena, mas de certa forma parecida com a garota, ele levantou uma sobrancelha ao ver as roupas dela que eram iguais a da garota, a única coisa que a mulher tinha que a outra não tinha era uma pequena mascara em forma de águia pendurada nas costas por um fio de prata. Olhou para a esquerda destas duas meio que relutante, mas viu algo um tanto quanto estranho parecia uma arvore de quase seis metros um rosto parecia estar entalhado no tronco com um longo nariz e olhos cor de musgo ele conversava num tom lento um o que parecia ser um tritão muito parecido com um dos aliados de Harry, mas este deixou de lado percebeu que o tritão segurava um tridente azul turquesa também viu ao lado do tritão um anão carrancudo aparente mal-humorado com as palavras de outro anão que estava a seu lado olhou com uma certa graça um Sátiro era pequeno um pouco maior que os anões com sua longa barbicha e olhos negros este olhava atentamente do outro lado da mesa o que pareceu ser uma Ninfa de cabelos azuis claros, mas não dava para ver os olhos, pois esta estava de costa para Harry.

_Seja Bem vindo Harry Potter. Falou uma voz grave numa cadeira maior que as demais aparentava ser um trono branco mármore sentado nele alguém que parecia a copia do diretor Dumbledore com as longas barbas brancas como a neve que brilhavam com a luz da sala e o nariz curvo só que os olhos dele eram prateados o que diferenciava do velho diretor alem da voz que era mais grave. Todas as conversas cessaram imediatamente o rapaz viu pelos cantos dos olhos Megara se mexer incomodada e sorriu levemente o cavaleiro que tinha acompanhado Harry agora aparecera a suas costas e colocou sua mão direita no ombro do rapas apertando com força.

_Ajoelhe-se perante o regente da Terra Perdida. Falou o cavaleiro com um tom grave e seco e bem autoritário.

_Você gosta dessa mão? Perguntou Harry sem olhar para o cavaleiro exibindo um sorriso tranqüilo e calmo o que desmentia totalmente o tom sombrio e ameaçador da voz dele o que fez o cavaleiro tremer e todos prestarem mais atenção nele. _Não me curvo perante ninguém nem mesmo perante a um deus. Os membros da Alcatéia se sobressaltaram ao ouvir aquilo e olharam de Harry para Osíris custando a entender aquilo.

_Insolente. Sussurrou o cavaleiro pondo a mão desocupada no cabo de sua espada, mas antes que a puxasse fora arremessado para trás com uma força tremenda, mas antes de bater nas enormes portas que agora estavam mais uma vez fechadas ele parou no ar.

_A próxima vez que me ameaçar. Harry se virou para o cavaleiro que o olhava atônito. _Eu o mando vivo para o inferno. O cavaleiro despencou no chão caindo sentado e tremendo levemente Harry, no entanto voltou-se para os demais com o mesmo sorriso calmo de antes. _Eu o saúdo Osíris regente do velho continente. Falou olhando diretamente para os olhos prateados do regente.

_Sente-se, por favor, meu caro Enviado. Falou Osíris calmamente como se nada tivesse acontecia apesar de que os demais na mesa pareciam não encarar do mesmo jeito que ele. Harry caminhou ate uma cadeira vaga bem no meio de seus amigos assim que sentou nela ela brilhou levemente e quando parou ela parecia ter ficado ligeiramente maior e parecia um trono só que era azul e prata acima dele tinha um brasão um circulo dourado com uma nuvem cinzenta e um raio dentro Osíris estranho aquilo, mas nada falou assim como Galadriel. _Eu sou Osíris como jaz sabes regente do continente perdido.

_Eu sou Galadriel rainha do povo da floresta. Falou a Elfa se levantando rapidamente, mas logo se sentou.

_Galateia rainha amazona. Falou a mulher ao lado de Megara. _E esta es minha filha.

_Creio que eu já a conheça. Falou Harry olhando intensamente Megara que desviou os olhos e depois ele olhou para Galateia com uma intensidade menor, mas não menos incomoda ao ver da rainha amazona.

_Meu nome fica complicado em seu idioma. Falou o tritão se levantando ele era no mínimo interessante, pés e mãos com membranas longas sendo os pés ligeiramente maiores que o normal, era esguio e escamas azuis e prata lhe cobria o corpo inteiro seu rosto era uma mistura de homem com peixe ou foi o que pareceu a Anne.

_Então o chamarei de Netuno. Falou Harry sorrindo para o Tritão que apenas confirmou com um aceno parecia um tanto surpreso com o nome, mas honrado.

_Eu sou Grendst, mas me chame d Grend. Falou o Anão que a pouco momento falava muito com o outro anão carrancudo. _Este é Calt me servo e amigo fiel.

_Sou Calisto não sou nenhuma rainha, mas fui escolhida entre as ninfas desse reino como porta voz. Falou a ninfa de cabelos azuis que lançava um olha malicioso a Harry que nada fez.

_Eu sou Filepteu, mas pode me chamar de Fil. Falou o sátiro sem tirar os olhos da ninfa que nem ligava para ele.

_Eu Sou Harry Potter o enviado dos Deuses com a maioria aqui saber. Falou Harry sem se levantar o tom dele era calmo, mas impunha um respeito escondido. _Creio que já conheces meus amigos então não precisaremos que eles digam os seus nomes. _A sim e qual o seu no0me? Perguntou para o ser que parecia uma arvore.

_Eu sou Derutine líder do conselho Ent. Falou o ser num tom lento e calmo seus olhos verde musgo abalizavam Harry com interesse.

_Eu conheço bem o povo dos elfos, anões, tritões e ate um pouco dos satiros e Ninfas todos que se encontram para fora deste reino.

_Você mantém contato com o nosso povo? Perguntou Calt interessado.

_A sim eles são bem sábios e ainda conservam seus costumes na forja acho que mesmo que o mundo acabace infinitas vezes vocês ainda manteriam os seus costumes na forja entre outros. Falou Harry fazendo o anão estufar o peito em sinal de orgulho. _Também tenho contato com o povo Elfo de Dämmerung eles sentem falta de manter contato com vocês. Falou olhando para Galadriel que ficou pensativa.

_Infelizmente não podemos sair deste lugar sem que um portal elfo abra do lado de fora. Falou Galadriel com um tom vago.

_Veremos o que podemos fazer depois. Falou Harry agora olhando para o tritão que ele chamava de Netuno. _Você é parecido com Julian Rei dos tritões do pacifico.

_Julian? Perguntou Netuno.

_Anne que o chamou assim então o nome pegou. Falou Harry apontando para a garota a sua esquerda. _Acho que o nome dele é Kijksn ou pelo menos tem esse som quando ele me falou. Netuno parecia surpreso tentou falar umas duas vezes, mas não saiu som algum, mas na terceira vez ele conseguiu.

_Meu irmão. Falou Netuno. _Não o vejo dês do termino da ultima era.

_Falaremos isso depois. Falou harry agora olhando direito a sua volta. _Onde esta o líder dos Centauros?

_Ele não costuma a comparecer a este conselho aqui eles ainda não confiam muito em humanos nem mesmo em mim. Falou Osíres.

_Interessante. Falou Harry mais para si do que para os outros. _Creio que sabes para que vim aqui.

_Você quer uma aliança com nos. Quem falou foi Galateia seu tom era entediado e olhava para Harry com desgosto. _Já avisamos que nos não nos meteremos em uma luta que não é nossa eu digo isso em nome de meu povo a guerra entre os enviados não tem nada a ver com o velho continente.

_Em parte ela tem razão. Falou Galadriel analisando a Harry com interesse. _Toda vez que um enviado aparece ele nunca recebe nossa ajuda direta o povo do Continente Perdido não faz parte do seu mundo e você deve ser o sexto enviado que vem ao nosso mundo pedindo nossa ajuda e creio que será o sexto que recusaremos e mesmo assim tenho certeza que vai sair vitorioso como os outros seis.

_Acho que vocês não entendem a gravidade do problema. Falou Harry.

_Nos entendemos a gravidade de seu problema sabemos que o seu inimigo é forte, mas você também é e tem amigos tão fortes quanto. Falou Filepteu num tom sábio.

_Nada que você diga nos fará mudar de opinião. Falou o tritão num tom de pesar.

_Eles estão certos o Maximo que podemos fazer é treiná-lo e aos seus amigos como um sinal de solidariedade. Falou Osíres.

_Chega. Gritou Harry se levantando e batendo as mãos na mesa que tremeu fortemente todos os olhavam com surpresa seus amigos ainda estavam surpresos em ouvir tudo aqui agora mais ainda ao ver ele com aquela expressão de raiva e olhos agora com um brilho dourado o restante da mesa também estava surpresa não era uma reação esperada comparado aos últimos enviados que ali apareceram. _Seres tão sábios e vividos como vocês deviam ser mais sábios não tolos que não ouvem nada alem do que querem. O tom de Harry era gélido e autoritário Osíres se encostou em seu trono e juntou as mãos olhando pacientemente ao enviado esperando ele terminar.

_Por que nos chamas de tolos? Perguntou Derutine no seu tom lento de voz.

_Por que são tolos. Falou Harry então foi como se longas cortinas tampassem as grandes janelas do salão apesar de não haver nenhuma cortina ali, mas o salão ficou escuro, mas logo um brilho apareceu acima da mesa redonda era como um enorme globo que emanava um brilho azul escuro dentro do globo milhares de estrelas irradiavam os seus brilhos brancos algumas um brilho amarelo ate mesmo azul, mas havia nove estrelas vermelhas e brilhantes que se destacavam essas estrelas estavam quase que alinhadas. _Em minhas pesquisas eu encontrei varia coisas antigas algumas a quais vocês acharam perdidas, mas a que mais me preocupou e me chamou a atenção foi essa. Ele apontou para o globo cheio de estrelas, mas especifico para as estrelas vermelha. _Dentro em breve não importa nenhuma batalha entre enviados nenhuma batalha entre humanos, pois o que vai acontecer só acontece a cada cinco mil eras onde todos os portões são destrancados e seres aprisionados voltam a caminhar a esse mundo, mas estes voltam para os portões em menos de um ano, mas tem sete seres mais preocupantes que qualquer um que não retornarão aos portões.

_O que você quer dizer? Perguntou Galadriel já sabendo o rumo da conversa.

_Em pouco tempo haverá um alinhamento dos planetas um evento que encadeia uma enorme força mítica que afeta tudo. Falou Harry Osíris se levantara de seu trono olhando atentamente o globo. _Vocês são tolos em achar que eu vim aqui para pedir ajuda com Voldemort, pois este só vai ser o aperitivo queira eu ganhe ou não por que o que esta por vir vai puxar todos nos para uma guerra épica. A luz da sala voltou o globo desaparecera então todos os integrantes da mesa estavam em silencio Osíres ainda se encontrara em pé. _Tome. Falou Harry acenando com a mão e então vários cadernos apareceram bem à frente de todos os seres da mesa menos no pessoal da alcatéia. _Ai diz tudo o que deves saber. Ao dizer isso se sentou.

_Harry do que você esta falando? Perguntou Hermione sem entender nada refletindo a mesma curiosidade de quase todos menos de Luna e Anne.

_Posso falar com eles a sos? Perguntou olhando para Osíres que confirmou e se levantou com os cadernos flutuando a sua frente assim foram quase todos se levantando e curvando-se levemente para ele e indo em direção da saída. _Rainha Galateia espere. Falou Harry antes que esta saísse da sala a fazendo parar assim como Megara que parecia impaciente e não entendia muito tudo aquilo ao contrario da mãe. _Tenho de pedir um favor para você. Falou mais uma vez só que logo se apressou antes que a rainha recusasse. _Preciso entrar em seus domínios para falar com o Oráculo. A rainha das Amazonas o olhou atentamente.

_Esta permitido, mas só se fores sozinho e uma Amazona terá de acompanhá-lo. Falou a rainha.

_Concordo. Falou harry.

_Amanha ao nascer do sol às portas do Palácio uma Amazona o ira escoltar ate lá não tente fugir ou fazer algo por que se não seras morto. Ao terminar de dizer isso saiu.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Harry se virou para seus amigos que o observava atentamente Luna parecia levemente interessada sem aquele ar sonhador que sempre lhe acompanhara Anne já estava meio que perdida em seus próprios pensamentos nunca soubera a historia completa, mas estava a ponto de saber ou pelo menos quase toda ela. Ele olhou párea Shade ela era a única aprendiz que estava ali bom ela faria parte de seu grupo particular então um dia ela saberia partes da historia.

_O que eu vou contar para vocês não deve sair daqui não deve ser pronunciado com qualquer um que já não saiba dela, pois isso é um segredo guardado há muito tempo nem eu sei totalmente os detalhes dessa historia tudo o que eu sei eu achei em um único livro cujo eu guardo a sete chaves e mesmo assim a furos nele. Harry falara aquilo em tom serio e decidido seus olhos verdes escureceram de tal maneira que assustou a todos ate mesmo a Luna e Anne. _Shade você vai ser a única entre os aprendizes a saber disso não devera comentar falar ou pensar nisso na frente dos outros muito menos contar a alguém nem mesmo ao seu irmão. Shade parecia surpresa o que fosse aquilo com certeza era algo grande muito maior que qualquer coisa talvez maior e mais importante do que a própria visita ao Ultimo Imperador. _Estão de acordo? Perguntou e todos afirmaram com um aceno de cabeça, um leve arrepio passou pela espinhas deles e todos pensaram ao mesmo tempo que o que quer que ele falasse ia mudar suas vidas, então viram o rapaz respirar fundo e a voz que saiu de sua boca parecia mais velha do que jamais fora e mais forte do que qualquer coisa que imaginaram. _A muitas eras alguns dizem que em tempos alem do tempo, mas não foi no primórdio da humanidade. A sala pareceu tremer como a um terremoto e então ela desapareceu todos estavam chocados olhando para os lados, mas tudo o que viram foi uma imensidão azul o sol brilhava com uma força tremenda, mas não viram a Harry em lugar nenhuma, mas a sua voz veio como o sussurro de um vento que predizia uma tempestade.

“Ouve uma batalha entre o céu e o tempo uma batalha pelo poder cujo desencadeou grandes poderes nesse tempo nos humanos já vivíamos nesse mundo e começávamos a nos espalhas pelo mundo como formigas seres de poderes imagináveis regiam o universo em harmonia, mas com a batalha entre o céu e o tempo tudo mudou. O tempo ganhara por uma artimanha de sua mãe Terra e então o céu caiu ouve escuridão por muitos dias.”

Todos viram o céu azul ficar negro como piche não havia estrelas nem nuvens olharam para baixo e viram as águas de um mar azul, ficarem vermelhas como sangue e toda a vida que lá existia parecia deixar o convívio dos vivos e um vento furioso cortava o céu.

“Mas então o Tempo subiu ao trono de seu pai e pôs ordem ao mundo os ventos que castigara a terra e seus habitantes se aquietaram perante o novo rei as águas quase sem vida voltaram a sua cor azul límpida com uma única ordem do novo rei e o céu azul retornou, mas não retornou por ordem do novo rei, pois o antigo céu não o reverenciava então o rei criou um novo céu e se pós acima dele, mas o estrago na terra já estava feito, as águas estavam quase que desabitadas as florestas apenas crescia a relva rala e os humanos, os poucos que restaram, fugiram para além de seu domínio, procurando abrigo de outros seres tão grandes quanto o tempo, mas então o rei se levantou de seu trono e com a chuva repovoou os mares para cada gota de água que caia nas águas do mar nasciam novos seres para habitá-la, para os animais ele pegou um pouco da poeira do tempo e jogou sobre as florestas e lá nasceram os mais diversos animais e para o homem este mandou outro ser o fazer e depois mandou espalhar mais uma vez ao seu reino”.

Todos viram mais uma vez o céu ficar um azul límpido e as águas do mar retornarem a sua cor maravilhosa refletindo assim o sol em suas águas, mas depois disso foi como se o tempo andasse numa grande velocidade, pois eles viram o dia e a noite passarem muito rápido.

“Mas algo aconteceu, uma única profecia fez o tempo que era um tirano entre os imortais ficar preocupado com o seu reinado, pois fora profetizado que assim como ele derrubara seu pai um dia um novo céu renasceria e quebraria o céu artificial que seu pai fizera e o derrubaria de seu trono o tempo vendo seu reino ameaçado passou a engolir todos os seus filhos homens assim que eles nasciam”.

Choro, eles ouviram choros de criança ecoarem pelos céus o que os fez estremecer com aquilo, mas então viram algo envolto em panos dourados descer do céu do dia e ir em direção a uma ilha ao sul e lá ficou.

“Mas um filho fora salvo pela mãe e mandado ao reino dos homens escondido em uma ilha que se tornaria sagrada o menino cresceu com o tempo ficou forte e todo o seu esplendor divino já poderia ser visto ele fez grandes façanha então ele ergueu a cabeça ao céu e jurou derrubar o tirano dos céus e com a ajuda de sua mãe faz com que o tempo vomitasse seus filhos que havia engolido de uma vez então os três se uniram”

A terra e o céu pareciam tremer com aquelas palavras o mar se agitava com uma força tremenda trovoes, relâmpagos e raios cortavam o céu que estava envolto por uma nuvem negra como o ébano gritos de guerra estrondosos como as mais fortes cachoeiras, ilhas afundaram outras eram consumidas pelo fogo que desceu do céu e mais algumas desapareciam desse mundo sem explicação do nada tudo ficou quieto ouviram ao longo alguém gritar, as nuvens negras desapareceram e o céu parecia rachar e se estilhaçou em milhares de pedaços, mas um novo céu estava por baixo daquele e uma energia estranha dizia que aquele era definitivo os estilhaços do céu artificial caíram na terra como chuva e pela segunda vez lhe devolveram a vida que lhe havia sido tirada.

“O novo céu subiu ao trono e dividiu o seu reino com seus dois irmãos, deu a um o poder dos mares e este se instalou em um palácio submerso e reinou com bravura e honra e ao outro o poder sobre o mundo dos mortos onde ele controlaria o destino não só de humanos mas de qualquer ser que morresse ele decidiria quem ia para os Elíseos e quem iria para as sete prisões. Mas longe dali uma profecia que nem o mais poderoso ser poderia destruir apareceu das bocas das musas do destino nórdico e que envolveria a todos os imortais”.

O ambiente mudou agora o céu estava coberto por nuvens brancas, uma neve caia levemente sobre o solo, abaixo dele uma floresta ártica de árvores enormes que resistiam ao avanço da neve. Grandes alcatéias de lobos andavam entre as árvores, alguns cervos estavam lá, além de ursos e outras criaturas menores. Montanhas ao longe que pareciam serem feitas de neve.

“A profecia dizia respeito a uma grande guerra onde todos os deuses batalhariam feras antigas seriam libertas e o mundo tanto dos imortais quanto dos homens cairia em uma obscura guerra que daria fim a quase tudo existente a profecia também pode ser conhecida como O Crepúsculo dos Deuses”.

A terra tremeu mais uma vez e os céus pareciam lamentar aquilo, pois uma fina chuva começou a cair juntamente com a neve. Olharam para uma das grandes montanhas e ela pareceu tremer como se algo tentasse escapar de lá e ao longe um estrondoso uivo de um lobo um uivo familiar.

“Nenhum imortal poderia destruir tal profecia, mas então uma primordial se manifestou perante a profecia a senhora da vida e da morte em seu tom calmo de voz que acalmou a neve e a chuva a montanha parou de tremer e o uivo se extinguiu”.

Então a paisagem mudou mais uma vez eles estavam em um lugar ensolarado, uma floresta densa abaixo deles e um céu límpido acima umas brisas suaves.

“Ela não podia destruir a profecia, mas podia modificá-la então ela o fez da seguinte forma” uma pausa foi feita então a voz de Harry voltou. “Haverá uma grande guerra onde todos os deuses cairão, mas não morrerão, seus espíritos ainda viverão para que um dia retornem para banir o mal, mas para isso precisarão de um mortal, os deuses negros se levantarão das sombras e acolherão um ser cujo lhes sirva e lhes liberte da prisão em que foram selados, mas este enviado das trevas devera primeiro derrubar o Enviado dos Deuses se conseguir, então os portões se abrirão e os sete espíritos malignos mais uma vez viverão para trazer a escuridão a esse mundo, mas para combatê-los os Sete deuses do bem virão para combatê-los e a batalha que seguir decidira o futuro do mundo“.

Tudo ao redor deles oscilou como as águas turvas de um lago todos sentiram seus corpos puxados para baixo fecharam os olhos ao verem o solo chegar rápido, mas o impacto não veio abriram os olhos e se viram mais uma vez sentados no grande salão mais uma vez todos estavam suados e olhavam para Harry como se tentassem entender o que estava acontecendo ate mesmo Anne o olhava desse jeito.

_Alguma pergunta? Falou Harry num tom irritantemente calmo como se nada de mais tivesse acontecido.

_O que foi isso agora pouco? Perguntaram Fred e Jorge ao mesmo tempo.

_Quando alguém ouve essa historia consegue ver algumas imagens nada de mais. Falou Harry dando de ombros.

_Isso é inacreditável. Falou Hermione olhando numa intensidade assustadora para Harry como se ele tivesse feito ou digo algo que ela era totalmente contra o que provavelmente é verdade. _Harry você sempre falou algumas coisas relacionadas a deuses e eu sempre fui cética você também disse que quando chegássemos aqui eu passaria a acreditar, mas ainda não vi nada veja bem Harry você só esta falando não esta mostrando eu ainda não acredito em deuses para falar a verdade eu mal acredito em demônios.

_Hermione você por um acaso ouviu o nome do regente desse lugar? Perguntou luna seu tom avoado sumira por completo e ela olhava duramente para a amiga que por um instante pensou ver um brilho prateado nos olhos da loira.

_Osíres. Falou Hermione então lhe veio à mente um grande livro que ela havia lido há muito tempo provavelmente quando tinha treze anos, pois se lembrava de Rony ter escrito a ela falando que estava no Egito espera era isso aquele nome. _O deus da morte. Sussurro de uma forma audível fazendo todos olharem para ela.

_Deus da morte? Do que vocês estão falando? Perguntou Rony e Draco ao mesmo tempo ambos se encararam por breves segundos e desviaram os olhos.

_Osíres também conhecido como O ser bom. Falou Harry se sentando em sua cadeira que parecia um torno. _Na mitologia egípcia Osíres foi um grande deus que governou as duas terras que eram o Alto e o Baixo Egito de antigamente ele era um bom faraó ouvia aos seus súditos e lhes ensinava diversas coisas, mas um dia O Ser Bom foi traído pelo seu irmão Sett e foi preso em uma caixa fúnebre, vocês tem de saber que os deuses egípcios viviam por muito tempo, mas não eram imortais eles envelheciam ou podiam ser mortos por outros seres então quando Osíres foi preso na arca ele passou muito tempo lá e acabou morrendo sua esposa Isis uma grande deusa e feiticeira depois de muito procurar achou o corpo de seu esposo, mas não havia o que fazer, pois este já fora para o outro mundo, o sepultou dignamente, mas Sett descobriu que o corpo de Osíres fora achado e com medo de que os seguidores se enfurecessem contra si, ele despedaçou o corpo de seu irmão e os lançou aos quatro cantos do mundo. Isis descobriu isso e ficou indignada e juntamente com Tot o escrivão dos deuses e Anúbis o chacal do deserto procuraram e acharam os pedaços do deus morto e com um grande ritual eles criaram a primeira múmia e com isso trouxeram de volta a alma de Osíres ao seu corpo, mas este não mais poderia viver nesse mundo, pois já atravessara os portões da morte e lá criou seu reino.

_Como um deus da Morte pode ser chamado de O ser bom? Perguntou Neville tremendo levemente.

_Geralmente deuses da morte são vistos como impiedosos por seus julgamentos quase que imutáveis e por mais que alguém suplicasse, eles dificilmente mudavam de idéia Osíres era um bom ser no mundo humano e no mundo dos mortos lá juntamente com o Chacal Anúbis e o escrivão Tot eles pesavam o coração dos morto e se estes estivesse muito pesados pela ambição, avareza ou qualquer outro mal eles eram enviados para castigos aos olhos humanos cruéis se seus corações fossem bons eles descansariam em uma vida pós-morte calma e se preparariam para voltarem aos seus corpos para mais uma vez viverem. Falou Luna olhando diretamente para Harry. _Mas os egípcios eram seres que acreditavam na vida pós-morte e também muito devotos aos seus deuses e não julgavam Osíres por castigarem os injustos o que em outras crenças foi diferente como na crença Grega onde Hades o deus dos mortos era considerado cruel, mas não era pelo menos se não fosse contrariado.

_Espera ai. Falou Gina meio que perdida olhando para Harry. Você disse que todos os deuses caíram no tal Crepúsculo dos Deuses então por que Osíres esta aqui?

_Aparentemente tem uma regra nessa profecia que originalmente falava que dois deuses permaneceriam vivos para recomeçar tudo, mas Danna ou Dannu a grande mãe modificou a profecia e para manter o equilíbrio um único deus devia voltar ou renascer no termino de uma era para reger não só Atlântida, mas o mundo esse deus é escolhido aleatoriamente e ele deve manter o equilíbrio na Terra Media como os Nórdicos chamavam o mundo humano e outros mundos toda vez que uma era termina outro deus deve tomar o lugar do antigo e assim por diante ate que aja a ultima guerra, ou seja, isso pode durar a eternidade. Falou Harry num tom de quem explicava algo muito simples para uma criança de três anos.

_E como você espera que nos acreditemos que esse Osíres que é regente de Atlântida seja o mesmo da mitologia Egípcia? Perguntou Shade juntando as mãos em cima da mesa.

_Vocês são livres para acreditar no que quiserem. Falou Harry sem olhar para nenhum dos seus amigos. _Não vou obrigá-los a acreditar em algo que não acreditam, mas em breve vocês mudarão de idéia dentro de pouco tempo haverá um alinhamento dos planetas será algo grandioso não só os planetas, mas as luas estarão alinhadas e isso desencadeara uma grande energia creio que nesse dias se ate um trouxa simplesmente dizer “Expeliarmos” ele conseguira fazer o feitiço então imagine seres que já tem poderes mágicos ou outros poderes e chegando nesse dia os portos dos infernos se abrirão e independente de eu derrotar Voldemort ou não os deuses das sombras virão para destruir tudo a sua frente e depois reconstruir tudo a sua imagem e semelhança será o maior caos mesmo quando o alinhamento passar o que não deve demorar mais do que uma hora e meia.

_Bom quanto aos poderes aumentarem eu não duvido. Falou Hermione analisado as palavras do amigo. _Afinal quando há um alinhamento que causa um mero eclipse solar ou lunar pode haver uma pequena oscilação na magia latente ou ate ativa.


_Muito bem vamos acabar com essa discussão. Falou Harry se levantando. _Nos ficaremos um tempo aqui procurem aprender tudo o que podem Fred e Jorge você irão falar com as Ninfas elas apreciam mais a companhia de homens mortais do que mulheres Hermione e Neville vocês coletarão o maior numero de dados que conseguirem aqui dês de plantas, poções e feitiços medicinais quanto de ataque ou confecção de armas para isso vocês podem contar com a ajuda de Siegfread e de Galadriel. Harry fez uma pausa e olhou para Gina. _Gina e Shade eu quero que vocês falem com os sátiros eles apreciam muito mais a companhia de mulheres lindas como vocês. Ambas coraram levemente quando ele disse isso e draco se mexeu incomodado. _Draco você ira ao encontro dos Centauros ofereça aliança e diga que podemos fazê-los entrarem em contato com o clã da Floresta proibida se eles duvidarem mencione Beiron e você Rony acho que você deve conversar mais com Osíres ele é muito mais velho que aparenta ser tem mais experiência em combate do que qualquer um aqui bom acho que Siegfread também depois você fala com ele também procure saber o Maximo sobre estratégias, feitiços, métodos de treinamento ou qualquer outra coisa Anne você o ajudara nisso. Harry olhou agora para Luna que parecia voltar ao seu antigo ar aluado. _Luna você devera sair daqui e ir direto para o domínio das Amazonas elas não tolerariam que eu fosse lá sem autorização, mas você, creio que elas abram uma exceção mesmo que para isso você tenha de derrotar algumas ofereça uma boa aliança você é a segunda no comando da Alcatéia faça o que for preciso para honrar a confiança que eu deposito em você e se elas se recusarem fale que elas não precisam se reportar a mim e sim somente a vocês e as outras Lideres. Depois dessas Ordens Harry ficou em silencio, mas ninguém se mexeu, pois sabiam que ele ia falar. _Vocês que estão aqui são de minha mais alta confiança são meus amigos, companheiros e irmãos não importa em que posições estejam na Alcatéia dês de lideres a simples aprendizes então pedirei isso para vocês. Ele olhou para cada um. _Não demonstrem fraquezas aqui, pois existem seres muito poderosos que irão querer lutar com você afinal nos derrotamos alguns dos guerreiros mais fortes desse lugar sejam sábios e escolham suas lutas não entrem em provocações e se vocês forem obrigados a lutarem Uma pequena pausa em que Harry abre um sorriso maroto. _Vençam de tal forma que ninguém mais lhes desafiem. Um coro se “Sim” foi ouvido e todos se levantaram arrastando as cadeiras e indo em direção da porta. _Luna fique um instante. Depois de todos saírem Luna e Harry se encararam por alguns segundos.

_O que você quer Harry? Perguntou Luna.

_Primeiro quero que você cumpra a missão que eu te dei antes de virmos pra cá. Falou olhando intensamente para a loira que jurou ver um brilho dourado nos olhos do moreno. _E segundo, quero saber a quanto tempo você tem conhecimento de tudo. Não fora uma pergunta e sim uma ordem que saiu da boca dele.

_Dês de que eu tinha sete ou oito anos na época eu não entendia direito isso, mas minha mãe me contava varias historias parecidas ela tinha um livro grande e lia para que eu dormisse talvez isso contribuiu para o meu jeito diferente de ser. Luna sorriu levemente. _Ai quando eu completei nove anos eu fiquei sabendo que minha mãe pesquisava coisas relacionadas a isso no Ministério, ele estavam tentando alcançar o suposto mundo dos deuses, mas essa pesquisa era antiga e eles descobriram varias coisas incomuns uma delas foi o Véu da Morte que fora descoberto em mil e setecentos, depois da morte de minha mãe foi como se alguém sela-se minhas memórias, não me lembrava das historias que ela contava nem de alguns momentos que vivemos, disseram que foi o choque da perda, mas não sei ao certo. Ela suspirou e pela primeira vez Harry viu um ar triste em volta da amiga. _Quando eu te conheci no quinto ano, a principio eu tinha flashes de memória onde eu lembrava de uma coisa ou outra da minha mãe. No fim do ano eu já me lembrava de quase tudo, inclusive de partes da historia que você me contou, mas foi quando você tocou o medalho que ela me deu foi que eu lembrei de todas as historias e todos os momentos, minha mãe provavelmente estava me preparando para o que vinha temendo. Que ela fosse morta. Uma única lagrima escorreu do olho esquerdo de Luna então Harry chegou mais perto dela e a abraçou. Foi como se ela percebesse que podia desabafar e retirar toda aquela dor, então ela caiu no choro, falar sobre aquilo era doloroso. Por alguma razão aparentemente só agora ela se dera conta que a mãe nunca ia retornar e o choro desesperado era um sinal de que ela compreendia.

_Não se preocupe luna eu estou aqui, todos nós estamos. Falou Harry num tom mais leve. _Eu não conheci os meus pais, por isso não sei como é a dor que você sente, mas não se preocupe, pois mesmo sem saber eu nunca deixarei de te levantar e quando você cair de te alegrar, quando estiver triste de estar com você e não só eu farei isso, mas todos os seus amigos, você não esta sozinha e nunca esteve.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Faltava poucos minutos para o sol nascer e Harry já estava nos portões do castelo de Osíris a espera da guia amazona que o levaria até o Oráculo. Resolveu esperar antes do momento certo, pois imaginara que se chegasse em cima da hora ou um pouco depois da amazona essa já acharia uma profunda ofensa. Os primeiros raios de Sol banharam o céu escuro o fazendo clarear levemente, ao longe a cor alaranjada do amanhecer não demorou nem um minuto e sua guia apareceu andando hesitante como se não tivesse certeza de que realmente queria fazer aquilo.

_Oi Meg. Fala Harry ao ver a sua guia e um sorriso maroto nasce em seus lábios, a princesa amazona ficou vermelha, ele só não soube se era de raiva ou vergonha.

_Não me chame assim. Sibilou Megara fazendo Harry escolher a primeira opção, mas não por isso que ele pararia de chamá-la daquele jeito. _Vamos logo. Ordenou já virando as de costas para o rapaz que aumenta o sorriso.

_Bom dia para você também. Falou Harry achando graça do jeito da princesa amazona, afinal não era todo dia que se via alguém que tentava evitá-lo a todo custo e de certa forma o odiava. Se bem que alguns de seus inimigos provavelmente faziam isso, mas tinha algo diferente nela. _Como nos vamos?

_Portal. Respondeu Megara começando a andar seguida de perto por Harry que logo se emparelha com ela. _Há meia hora daqui tem um portal que nos leva para os domínios das amazonas. Ela ouviu o rapaz rir baixinho, ela depois sentiu a mão dele em seu ombro a fazendo parar e o primeiro pensamento dela foi desvencilhar, mas não o fez apenas ficou olhando ele ficar de frente para ela.

_Vamos fazer assim. Falou harry ainda com aquele sorriso que ela achava irritante. _Durante nossa pequena excursão nós tentaremos nos dar bem, você tenta não ter impulsos assassinos em minha relação e eu bom eu tento parar de provocá-la.

_Se for assim pare de sorrir. Falou Meg com impaciência não gostava daqueles olhos verde esmeralda lhe encarando com aquela intensidade, como se visse muito mais alem dela ou será que gostava?

_Desculpe não posso. Falou o moreno. _Sabe, eu gosto de sua companhia e esse seu jeito rígido com respeito aos homens é um tanto incomum e engraçado. Ele curvou levemente a cabeça para a direita. _Afinal por que as amazonas não suportam homens mesmo?

_Por que não se pode confiar neles. Respondeu se afastando dois passos do rapaz. _Estão sempre tentando nos mudar, sempre tentando nos dominar. Eles querem subjugar a nós, acham que não somos importantes, destroem nossa honra com seus conceitos, homens procuram sempre o caminho da destruição e da guerra.

_Você realmente acredita nisso? Perguntou mais uma vez Harry, o que a fez ficar pensativa. Aqueles conceitos eram passados de geração em geração em seu povo, vinha dês de antes dos domínios das amazonas fazerem parte do continente perdido. _Luna parece subjugada ou oprimida? Megara ficou em silêncio, conhecera Luna ontem, ela fora ao domínio das amazonas tentando conversar, a principio ela foi recebida com hostilidade, afinal ela servia a um homem, se subjugara a ele, mas ela não se importou, derrotou cinco das guerreiras de sua aldeia em alguns minutos sem nem ao menos se cansar. Tinha umas propostas boas sobre a aliança da tal organização que ela fazia parte, mas mesmo assim quando sua mãe perguntou a ela sobre o Enviado, a loira só abriu um sorriso leve e dissera que ele nunca a forçara a nada e que ela era livre para fazer o que quisesse. _A vida e o mundo se estendem muito mais além dos domínios das amazonas, até mesmo dos domínios do continente perdido. Escolhas sempre são feitas, nem sempre são sabias assim como as ações de cada pessoa, mas uma coisa é certa, viver por conceitos desse tipo sem saber a verdade vale tanto quanto viver uma vida olhando somente para o passado. Depois de dizer isso ele se virou e começou a andar. Megara ficou parada por alguns segundos, mas logo voltou a andar mostrando o caminho para ele, mas mesmo assim sua mente fervilhava com as palavras dele.

Por que ela odiava os homens? Bom ela nunca estivera tempo o suficiente com um homem para realmente saber o por que disso, ta já ficara mais de cinco minutos com o Enviado, o que foram o suficiente para querer arrancar os pescoço dele, mas sabia que não era pelo fato dele ter feito algo errado, era porque ele a incomodava de algum jeito, talvez os olhos esmeralda que a encarava com grande intensidade ou o sorriso que ele sempre tinha quando falava com ela, aquilo a irritava, mas por não saber o por que ficava tão mais abalada do que pelo ato mesmo. Pensou em falar com sua mãe, mas mudou de idéia ao se lembrar dos costumes rígidos de seu povo. Ela odiava o enviado, mas não sabia o por que e isso era irreal afinal não se pode odiar alguém só por a deixar corada ou por se incomodar com os seus olhos.

_É aqui? Perguntou Harry tirando Megara de seus pensamentos. Eles estavam em frente ao que parecia ser a entrada de uma floresta só que tinha algo diferente ali.

_É sim. Respondeu Megara dando um passo a frente e em seguida um grande arco de terra se levantou do chão, ela o ultrapassou rapidamente sendo seguida de perto pelo moreno que ao fazer isso fechou os olhos com força por causa da luz ofuscante e depois de alguns segundos abriu mais uma vez os olhos. Ele estava em meio a uma floresta árvores ora juntas, ora separadas, ele se encontra numa trilha. Olhou para o chão e viu folhas secas e algumas plantas e galhos pequenos sem contar as raízes das arvores que vez ou outra entrava na trilha. _Vamos logo. Falou mais uma vez a princesa começando a andar sendo seguida de perto por Harry que registrava tudo com uma perícia incomum.

_E como anda Luna? Perguntou ele distraidamente.

_Bem. Responde brevemente, mas logo depois voltou a falar. _ela é bem forte, mas a principio nós desconfiamos, pois ela servia a um homem, mas aparentemente você deu a falsa sensação de liberdade a ela.

_Ela não me serve. Falou Harry voltando de seus pensamentos. _Ela me segue por que quer, nunca a forcei a isso, ela é forte e independente, ela é livre para fazer o que quer, mas ela também se comprometeu a um compromisso e independente de mim ela deve cumpri-lo digo isso por que a qualquer momento eu posso morrer ou desaparecer. Essa ultima palavra saiu meio que a um sussurro.

_Essa tal Alcatéia, como ela é? Perguntou a princesa.

_É uma organização independente de qualquer outra coisa, ela é basicamente o refugio daqueles que não querem lutar ao lado de Voldemort, muito menos do ministério ou de Dumbledore que são as duas forças de oposição ao Enviado das Trevas. Harry ouviu um barulho de galho quebrar, mas não ligou muito então continuou. _Nós da Alcatéia não temos um lado para dizer a verdade, nós lutamos contra Voldemort por que ele dá muito trabalho e trás destruição, mas mesmo depois dele cair continuaremos a lutar e se acharmos que o ministério ou outro grupo estiver exagerando, ou fazendo algo que aos nossos olhos pode ser ruim, nós lutamos para modificar.

_Hum. Falou a amazona. _Que Leis vocês seguem?

_Inúmeras a principio eram poucas, pois tinha muita pouca gente ao nosso lado, mas as pessoas começaram a ver ali um lugar para proteger suas famílias e para se testar e crescemos rapidamente. As leis mais básicas são quase as mesmas que em qualquer lugar, é crime assassinar a alguém de nossa sociedade até mesmo fora dela, mas isso só se conta se não haver um motivo, roubos também são crimes, temos leis que protegem e favorecem as mulheres e uma que é a principal.

_E qual seria essa? Perguntou Megara levemente interessada ao ouvir a parte das leis que protegem e favoreciam as mulheres.

_Qualquer um pode desafiar ao seu superior. Se alguém de um nível mais baixo ganhar de alguém de nível mais alto este então toma o lugar de seu superior, mas isso só vale para quem esta entre o exército ou combatentes, cidadãos comuns não podem fazer isso, apesar de que mais de cinqüenta por cento da Alcatéia faz parte dos grupos de elite ou exército. Harry respirou fundo e viu a mais ou menos uns cem metros uma única torre acima de algumas arvores.

_Mais algum tempo e chegamos. Falou Megara voltando a ficar quieta ela raramente fora ali, geralmente era sua mãe que conversava com o Oráculo. Ela mesma nunca o vira, pensava que era um homem talvez o único que vivia dentro dos domínios das Amazonas, só que ela nunca soube ao certo como ele fora parar ali, nem quantos anos tinha já que nunca ouvira falar de alguém suceder o oráculo. Depois de uns trinta minutos ela parou estava a uns dez metros de uma torre de mais ou menos trinta metros, uma única porta de madeira as pedras que formava a torre circular eram negras e grandes, de lá vinha uma energia indecifrável. _Vá você, pois não tenho nada o que falar com ele. Falou a princesa se sentando em um tronco de árvore, enquanto via o moreno ir em direção da porta, mas quando ele ia tocá-la, a porta se abrira sozinha e ele entrou logo depois a porta fechou levemente.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Harry entrou na torre sem estranhar o fato da portar abrir sozinha. O interior era bem diferente do que ele imaginara, parecia que ele estava dentro de uma ampla caverna de teto alto e escuro. O chão era estranhamente liso, archotes iluminavam as paredes da caverna e dava uma claridade meio fraca, mas o suficiente para qualquer um enxergar, mais a frente ele via um altar onde tinha um único suporte para um livro bem grande e grosso, o que provavelmente Hermione gostaria, ele estava aberto no que parecia ser a metade, mas mesmo assim não parecia estar perto do fim.

_Seja bem vindo Harry Potter. Falou uma voz doce mais a frente e a figura de uma mulher alta, de cabelos castanhos claros apareceu do nada bem em frente ao livro como se o estivesse lendo, ela trajava roupas verdes claras que eram meio transparentes constatou o rapaz meio incomodado.

_Nem vou perguntar como você sabe o meu nome. Falou Harry num tom divertido de voz, tentando encarar os olhos da mulher, mas ela estava de cabeça baixa e pela distância ele não podia os ver. _Mas sabes o porquê de eu ter vindo aqui?

_Seus sonhos. Falou a mulher sem levantar o rosto do livro e fazendo um aceno leve com a mão para que ele chegasse mais perto. _Você quer saber o que eles significam.

_E você ira me dizer?

_Talvez. Falou a Oráculo. _Mas você tem certeza que quer saber?

_Se eu não quisesse não teria vindo aqui. Responde o moreno com o mesmo tom divertido.

_A algo neles que nem mesmo eu posso ver. Falou a Oráculo seu tom de voz ficou sombrio e seus cabelos se agitaram com um vento inexistente. _Nesses tempos há muito pouco que eu posso ver, mas eu lhe aviso de uma coisa. Uma pausa curta a qual Harry prendera a respiração. _Cuidado com o que você mais presa, pois será tirado de você, cuidado com o seu coração, pois ele será arrancado com brutalidade pelos seus próprios sentimentos, cuidado ao atravessar o pântano dos sete mundos, pois nele poderá cair, mas o mais importante tome cuidado, pois sua fúria poderá destruir tudo a sua volta mesmo você não tendo consciência e não importa se será amigo ou inimigo. Ela levantou a cabeça e Harry sentiu uma presença muito poderosa e antiga se instalar na caverna. Os olhos dela eram negros como o ébano, não avia uma única parte branca e ele pode ver como num flash o passado, onde via várias coisas, dês de antigas guerras até épocas de paz ou o presente obscuro onde ele viu pessoas morrendo, inocentes ou não, e um futuro nebuloso onde só se ouvia vozes espaçadas. _Ao contrario dos outros mortais você só tem dois caminhos que lhe levarão para o seu futuro, os dois caminhos farão você se tornar uma das maiores lendas da terra, um dos seres mais poderosos desse ou ate de outros mundo, mas cuidado pois Luz e Escuridão são os caminhos e em ambos haverá tantos sacrifícios quanto possa imaginar e mesmo que já tenha escolhido um lado poderá ser puxado para outro.

A caverna começou a tremer, a voz do Oráculo estava tão forte que ressoava ate o canto mais sombrio da caverna o moreno olhou para trás e não encontrava a porta em que entrara, só via a escuridão pois os archotes tinham se apagado e a única fonte de luz vinha da Oráculo.

_Não temerei ao meu futuro. Falou Harry indo em direção da Oráculo sem temer nada. _Não cairei nas sombras do esquecimento. Ele estava mais perto do oráculo a ponto de ver mais de perto o livro e via nele de relance o seu nome. _Não temerei a morte. Agora ele já estava ao lado do Oráculo que parecia não percebe-lo ali. _E não temerei a vida. Uma porta se abriu atrás do altar ela estava em pleno ar. _Não ficarei preso a lembranças do passado pois estas não me ajudarão eu guiarei o meu destino para onde eu quiser, alcançarei o inalcançável e cumprirei minha missão ate esse dia chegar nem mesmo a morte poderá me tocar nem as sombras me dominar. Ele atravessou a porta que se fechou rapidamente e viu que se encontrava no mesmo lugar que estava antes de entrar na torre o chão tava tremendo, mas logo parou, olhou para trás e a torre continuava lá imponente e escura como uma mancha no ar olhou para frente e viu Megara já em pe olhando com curiosidade para ele.

_O que o Oráculo te disse? Perguntou a amazona sem conter sua curiosidade.

_Tudo o que eu deveria saber, mas nada do que eu realmente queria saber. Falou Harry um movimento é ouvido entre as folhagens da floresta então ele fica alerta, cada sentido dele se apurou ao Maximo de tal forma que ele ouvi até mesmo as batidas do coração de Megara e ate de outros animais ali ele viu que a amazona também ficou alerta então ele olhou para a esquerda um coração batia muito forte naquela direção era grande com certeza aquele ser no mínimo tinha uns seis metros de altura, mas era bem silencioso, não, ele não tocava o chão, por isso não ouvira os passos da criatura então conseguiu sentir uma energia podre não uma mas varias pelo menos trinta.

Harry se aproximou de Megara como se nada tivesse acontecendo ela percebeu o movimento dele e também resolveu agir como se nada tivesse acontecido ela viu ele apontar para uma arvore a esquerda deles era uma macieira não entendeu o por que dele fazer questão para que ela olhasse aquilo. Então das arvores apareceram pelo menos trintas seres alados. Eram altos a parte abaixo da cintura era como a de uma águia de penas negras o tronco era curvo e escuro dele vinha um cheiro de podridão enorme a cabeça de certa forma pequena e careca e toda enrugada como se tivesse sido deformada olhos de um amarelo gélido de rapino a boca era de lábios finos que mostravam dezenas ou ate centenas de dentes afiados e verdes e pretos aparentemente podres a criatura tinha asas como as de morcego só que ao termino delas se viam mãos com três dedos com longas unhas verde musgo se fosse definir aquelas criaturas com uma única palavra seria horrendas.

_Harpias. Murmurou Harry o cheiro de podridão das criaturas era tão forte que mão dava para respirar. _Voldemort. Murmurou mais uma vez pensando em como o Lorde das Trevas conseguira aquelas criaturas.

_São dezenas. Falou Megara desembainhando sua espada foi como se um borrão negro passasse a sua frente e a lamina de sua espada estava partida em duas as malditas Harpias eram rápidas. _Não vamos conseguir são muitas.

_Corra ate a macieira e pegue três maças e volte aqui eu lhe dou cobertura. Falou Harry uma bainha branca como a neve apareceu a sua frente então ele puxou uma espada totalmente negra da bainha que desapareceu, a presença do moreno desapareceu num piscar de olhos e não deu tempo para Megara retrucar pois pelo menos cinco Harpias vinham em sua direção mas foram afastadas por um brilho vermelho sangue que veio da espada de Harry em seguida ela saiu correndo em direção da macieira.

O rapaz viu uma Harpia vindo em sua direção com grande velocidade deu um passo para o lado desviou das garras do monstro e lhe cortou uma das asas a fazendo cair no chão urrando de dor o sangue negro caíra no solo matando a vegetação ali existente mas ele não se importou e logo cravou a espada no crânio da criatura mais duas Harpias vinham em sua direção ele desviou da primeira e logo em seguida com um giro da espada lhe cortou ao meio a outra não se abalou e pulou em cima dele as garras dela cravaram sem suas costelas a espada escorregou de sua mão a dor era grande sentiu seu corpo se anestesiar então percebeu que as garras daqueles monstros eram venenosas com as duas mãos bateu onde era para ser as têmporas da criatura esta ficou tonta com o movimento em seguida caiu de lado inconsciente foi como se Harry chamasse a Espada pois esta logo estava de volta em sua mão olhou para Megara viu pelo menos seis Harpias atrás dela prontas para dar o bote fatal então foi como se todo o tempo desacelerasse de tal forma que as Harpias mal se mexiam o barulho das asas delas diminuiu e ele rapidamente já estava ao lado da Amazona, que já alcançara a macieira e o tempo voltou com força total mas as Harpias recuaram antes de dar o bote pois no lugar da amazona encontrara ao rapaz de olhos verdes escuros que por alguns segundos ficaram dourados mas voltaram a cor original ele sorriu um sorriso frio que fez ate mesmo elas tremerem e das mãos dele um brilho amarelado em seguida uma enorme onda de calor e as seis criaturas tinha virado cinzas Harry cambaleara o veneno da Harpia tava agindo rapidamente sentiu sua vista falar por alguns segundos ate ele não conseguir enxergar mais nada provavelmente um efeito do veneno das garras das harpias ele estava cego pelo menos momentaneamente mas seus ouvidos captavam ao menos som e o cheiro podre das criaturas aladas as denunciavam.

_Peguei. Falou Megara a sua direita.

_Jogue duas das maças bem ao meio da formação delas. Falou o moreno sem olhar para Megara que estranhou por alguns instantes mas logo fez o que ele mandou e foi como se toda a intenção das Harpias de mata-los desaparecesse e agora elas estavam concentradas nas duas maças elas se debatiam entre si para ver quem ficaria com a fruta a briga estava ficando feia pelo menos era o que parecia pelo som ouviu alguns corpos caírem. _Quantas sobraram? Perguntou fazendo a amazona só então perceber que ele estava cego.

_Sete. Respondeu agora mais apreensiva com a atual situação do Enviado, sua missão era guia-lo em segurança ate o Oráculo e depois escolta-lo para fora dos domínios das Amazonas.

_Essas setes não vão cair no mesmo truque então pegue a maça que sobrou e acerte uma das Harpias com ela. Falou Harry fazendo Megara sorrir e com um movimento a amazona tacou a maça na direção da Harpia esta nem soube o que lhe atingira pois já cairá morta no chão com o impacto as outras seis restantes voaram com força para a Amazona. _Agora o resto é com você. Falou Harry caindo de joelhos não sentia suas pernas a Amazona olhou com fúria para as criaturas a primeira que chegou perto ela agarrou com força e a jogou no chão.

A Harpia que caíra tentou se levantar mas sentiu uma enorme pressão sobre sua cabeça que estourou com o peso Megara fizera cara de nojo ao ver suas botas sujas do sangue da criatura a segunda Harpia que alcançou a amazona não teve tempo de reação pois a princesa simplesmente pulara em suas costas e com um forte puxão arrancou as azas dela a terceira nem esperou a companheira tocar o chão e já atacou com força mas antes de alcançar a Amazona esta já havia pulado em sua direção e acertou uma joelhada em sua boca o impacto fora forte o suficiente para fazer algumas arvores balançarem as três Harpias restantes resolveram atacar ao mesmo tempo e quando estava a cinco metros de Megara esta se abaixou e tocou o solo com as mãos e milhares de estacas de prata apareceram em sua frente as Harpias não podiam desviar e todas foram empaladas dando o seu ultimo suspiro olhando para a Amazona que sorria vitoriosa sem perceber um movimento a suas costas mas quando percebeu foi tarde, a Harpia sem asas havia se levantado e tentou atacar a amazona por trás com as garras dos pés mas encontrou outro corpo no caminho lá estava Harry de pe com a enorme garra da besta crava em seu peito e com a espada negra cravada na garganta da besta que fechou os olhos morta soltando a garra dói corpo do rapaz.

_Você esta bem? Perguntou Harry tossindo sangue logo em seguida e antes de receber a resposta caiu de peito no chão inconsciente aparentemente o veneno da Harpia já estava alcançando todo seu corpo.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

A aldeia das amazonas era grande Luana ate achou grande de mais para ser chamada de aldeia, mas nada disse, já estava lá a algum tempo conseguira a “confiança” de Galateia a líder das amazonas conhecera outras amazonas e também viu mais três irmãs de Megara duas mais velhas e a outra um ano mais nova. Luna se encontrava ao centro da Aldeia observando as atividades das amazonas quando viu Megara aparecer apresada e passar por ela sem nem ao menos perceber a loira.

Luna sentiu um mau pressagio e saiu correndo atrás da princesa amazona não demorou muito e ela se encontrava na maior casa da aldeia, a casa da Rainha entrou sem cerimônia e viu a princesa entrar nos aposentos da mãe.

_Minha mãe, temos problemas. Falou Megara se curvando levemente para a mãe sem ligar para suas irmãs mais velhas que lá se encontravam.

_O que ouve? Perguntou Galateia se levantando sentiu um cheiro podre vir da filha e depois viu algumas manchas verde musgo por sobre as roupas dela. _Quem lhe fez isso?

_O enviado ele foi ferido. Falou Megara sem parar para pensar que estava usando um tom mais preocupado do que devia ao se referir a um homem. _Fomos atacados por Harpias quando ele saiu da torre do Oráculo.

_Isso não nos diz respeito. Falou uma de suas irmãs ela era alta e tinha os mesmos cabelos negros mas os olhos eram verdes musgo seu tom de voz era de desdém. _Que ele vá falar com Osíris não temos nada a ver com um homem.

_Ele foi ferido me protegendo. Falou Megara desesperada sua mãe a olhou atentamente por alguns segundos e depois desviou os olhos. _Sua irmã esta certa que ele procure o regente.

_Ele vai morrer antes de sair de nossos domínios. Falou Megara desesperada. _Ele foi ferido no peito perto do coração se não fosse ele eu estaria morta.

_Ora minha irmã pelo jeito você esta bem envolvida com esse homem. Falou a segunda irmã esta diferente da irmã tinha cabelos loiros escuros e olhos negros um sorriso zombeteiro nasceu em seus lábios. _Que ele morra não temos o por que de nos preocupar com um verme e não me importa que você possa estar sentindo algo por ele o que já é algo contra nossas leis. Uma certa satisfação passou pelos olhos das irmãs mais velhas afinal Megara era a favorita de sua mãe e se ela saísse do caminho as duas teriam caminho livre para um dia suceder o comando da mãe.

A grande casa tremeu com força uma presença assassina se instalou por todos os cantos da casa o ar era sufocante mas quem mais senti os efeitos eram as irmãs mais velhas de Megara a porta do quarto da rainha amazona se desintegrara com um forte estrondo e por trás dela apareceu Luna com uma estranha aura prateada a circulando seus olhos azuis enevoados brilhavam com fúria ela adentrou no quarto e a casa parou de tremer mas a presença assassina ainda era sentida só que agora estava inteiramente concentrada no quarto Megara depois de sentir a aura assassina do Enviado pensou que ninguém mais podia exercer alguma parecida ou ate mais forte que a dele mas mudou de idéia ao sentir a aura de Luna.

_Traga-o para cá. A voz que saiu de Luna veio num tom autoritário e poderoso seus cabelos loiros começaram a flutuar num vento inexistente.

_Quem você pensa que é para nos dar ordens. Falou a irmã mais velha de Megara a que tinha cabelos negros ela deu um passo para frente como se não ligasse para aquela intenção assustadora.

_Traga-o aqui pois se ele morrer você sabe as conseqüências que isso ira causar e pode ter certeza que ela será pior pois vocês não estarão preparadas. Falou Luna mantendo os olhos na rainha amazona que a encarava com a mesmo intensidade.

_Muito bem, mas depois você terá de agüentar as conseqüências. Falou Galateia a intenção assassina de Luna desaparecera e o rosto dela voltou a ficar tão calmo como normalmente ficava o que fizeram os outros integrantes do aposento imaginar se ela era realmente a dona daquele poder.

_Aceito. Disse Luna dando as costas para a rainha e suas filhas mas parou fora do quarto. _Onde ele esta? Perguntou a megara.

_A trezentos metros da entrada da Aldeia. Respondeu Megara e em seguida Luna já não se encontrara mais no local.

_Fique contente Megara pois ela te salvou. Falou a irmã de cabelos negros.

_Fique contente você Helena, pois se nos o deixássemos morrer os amigos deles destruiriam o nosso povo. Falou Megara num tom baixo e depois olhou para a segunda irmã a loira. _E você Antitefe sinta-se alegre pois ela nos mataria antes de você puxar o punhal. Falou olhando para a mão esquerda da irmã que estava dentro das vestes onde havia um punhal de lamina azul. _Minha mãe peço desculpas pela minha conduta mas ele salvou a minha vida e você sabe as conseqüência disso.

_Você agora pertence a ele. Falou Galateia com tom de pesar na voz. _Ate que ele lhe libere de tal compromisso.

_Há ele é um homem, se sentira feliz por ter uma das tão temíveis Amazonas de joelhos perante ele. Falou Helena com tom de escárnio.

_Ele não é assim. Falou Megara sem se segurar as outras três integrantes do quarto a olharam com surpresa. _Acredite, ele é diferente de qualquer historia que tenhamos ouvido.

_Basta. Falou Galateia seus olhos perfuravam a filha como se quisesse olhar para alem dela. _Antitefe e Harmonia saiam daqui e mandem prepara uma cela no centro da aldeia lá ficara o homem ate que se cure e vá embora eu o quero lá para que fique bem a vista de todas as nossas companheiras e você Megara quero conversar com você.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

_Por que você resiste tanto a morte? Perguntou uma voz grave na interminável escuridão que era a mente de Harry naquele momento.

_Por que eu ainda tenho de cumprir o que me foi destinado e só assim eu terei o direito de morrer. Responde Harry não olhando para nenhum dos lados.

_Outro poderá cumpri-lo. Falou a voz grave.

_Ninguém pode cumprir o meu destino e este também não é o único motivo. Falou Harry ainda sem olhar para os lados. _Eu prometi proteger a uma pessoa e deverei fazer isso ate que ela não precise mais de proteção.

_Mesmo que para isso você tenha de viver mil anos? Perguntou a voz grave.

_Nem que para isso eu tenha de viver mil eras. Respondeu Harry então tudo ficou silencioso por algum tempo.

_Muito bem se ainda queres viver não irei interferir. Falou a voz grave.

_Quem é você? Perguntou Harry sentindo seus olhos se fecharem, mas antes deles se fecharem por completo ouviu a resposta.

_Eu sou você.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Harry se mexeu incomodado sentia uma dor no peito provavelmente pela garra da Harpia sabia que não estava morto pois somente Voldemort podia fazer tal feito. Estava sendo observado ele sentia estavam por todos os lados suas pernas ainda estavam pesadas mas soube que poderia move-las então abriu os olhos sentiu aqueles que o observava recuar provavelmente de susto olhou para o teto era de palha ou algo parecido fez um pequeno esforço e se sentou no que parecia ser uma cama improvisada sentiu fisgadas de dor por todo o corpo aquele maldito veneno ainda não sairá por completo de seu corpo provavelmente em algumas horas. Olhou para os lados e só ai ele percebeu estar no que parecia uma sela que mais parecia uma jaula não havia paredes somente grades para todos os lados a jaula ou cela era grande ele viu centenas de mulheres o olhando com curiosidade algumas garotas da sua idade e ate mais novas não havia um único homem ou menino então ele percebeu que provavelmente estava numa aldeia amazona apesar que pelos inúmeros tetos que ele via alem das pessoas aquilo não podia ser chamado de aldeia.

_Tome homem. Falou uma mulher que estava com uma lança na mão ela guardava a porta da cela e lhe havia jogado com mais força que o necessário uma tigela com alguma coisa dentro que ia de encontro com o seu rosto provavelmente na intenção de acerta-lo mas ele a pegou o conteúdo da tigela ia ser arremessado nele mas pareceu retornar sozinha ao interior da tigela a guarda fez uma cara de decepção e deu as costas para Harry as outras mulheres que o observava nada diziam as mais novas pareciam curiosas com ele afinal nunca um homem tinha estado ali e provavelmente elas não tinham ficado tempo o suficiente perto de um para pode-lo ver tão calmamente.

_Obrigado. Falou Harry sentindo uma onda de surpresa vir de algumas amazonas ate mesmo da guarda não foi preciso usar legilimência para saber que a maioria ali nunca tinha ouvido um homem falar provavelmente achava que estes nem sabiam fazer isso mas não se importou olhou para o interior da tigela era alguns pedaços de carne assada não havia talher então ele deu de ombros olhou para o braço esquerdo e o viu enfaixado se sentiu incomodado mas antes começou a comer numa calma incrível. _Aí tem um pouco de água aí? A pergunta não fora respondida a guarda fingiu nem ouvir e sorriu de uma forma debochada..

Harry não se abalou ele se levantou deixando a tigela vazia na cama olhou para o resto de seu corpo agora percebera que estava sem camisa e o peito enfaixado suas pernas estavam normais apenas uma pequena atadura no tornozelo direito, seus dois braços estavam enfaixados não era de se esperar que aquelas amazonas estavam tão próximas provavelmente pensariam que aqueles ferimentos não o deixaria se mover muito por algum tempo. O rapaz sorriu e foi ate a porta da sela, a guarda pareceu perceber e se voltou para ele séria Harry pegou uma pedra grande um pouco maior que sua cabeça que estava ao lado da cela e então fez força a pedra começou a rachar o som de pedra trincando se espalhou por todos os lados ate que as ataduras de seus braços começaram a rasgar e depois eram jogadas para os lados por um vento inexistente as ataduras de seu peito também e em seguida a pedra quebrou por completo ele olha para as mãos e flexiona os dedos não estava nada mal provavelmente fora Luna quem tratara dele era só o resto do veneno desaparecer de seu corpo que ele voltaria ao normal em algumas horas se abaixou mais uma vez e pegou um dos pedaços da pedra que havia quebrado ele era pontiagudo olhou em volta e sorriu levemente e sem hesitar cortou o braço o sangue fluía rapidamente as que observavam estranharam tão movimento depois de quase um minuto o ferimento se fechou sozinho sem deixar cicatriz ele acenou com a mão e o sangue tanto em seu braço quanto o do chão desapareceram.

_Aí o carcereira chame a Luna. Pediu o moreno já sabendo que a Amazona fingiria que não ouvia então ele voltou para a cama e pegou sua varinha que sempre levava nas vestes fez um aceno com ela e a vasilha que antes tinha a carne agora estava limpa outro aceno e ela se encontrava cheia de água pura o que causou uma certa surpresa nas amazonas. Depois de beber um pouco ele resolveu dar um olhada melhor a sua volta, a aglomeração havia diminuído ele pode ver que as ruas da aldeia eram largas ele parecia estar no centro olhou para perto da entrada da vila e viu o que parecia ser um guindaste usado em épocas antigas ele levantava uma grande rocha retangular, devia ser pesada, tinha três amazonas puxando a corda para que a pedra ficasse no ar e calmamente ela ia levantando viu perto da rocha três crianças elas não deveriam ficar em baixo daquilo. Então o tempo pareceu parar a corda arrebentara e as três meninas estavam bem de baixo um grito e todas as suas observadoras olharam para aquela direção então sentiram uma leve brisa e por fim ficaram surpresas olharam para a cela e confusas o homem não estava mais ali estava a frente segurando a rocha as meninas estavam de olhos fechados e não perceberam ainda.

_Vocês estão bem? Perguntou Harry fazendo as meninas abrirem os olhos e ficarem boquiabertas ao vê-lo segurando acima da cabeça aquela rocha elas estavam mudas deviam ter uns nove anos nunca viram um homem de perto, mas estavam paralisadas pelo medo de antes. _Sabe isso é meio pesadinho então você podem, não sei, tipo sair de baixo? Perguntou num tom divertido as meninas pareceram se ligar e saíram de baixo da rocha harry olhou para o que parecia ser as mães das garotas e sorriu mas não foi correspondido. _Vocês vão usar isso para alguma coisa?

_Não. Foi a única resposta que obteve e foi de uma das meninas que salvara ele sorriu para ela que corou levemente então se concentrou uma fina aura verde pareceu ao seu redor então a rocha fora arremessada para o alto mas não caiu no seu lugar caiu milhares de pontos luminosos como pequenas estrelas ele se endireitou sentiu uma leve tontura devia ser pela falta de sangue afinal ele fizera aquilo para se livrar do resto do veneno mas se manteve em pe ai percebeu que estava quase cercado por pelo menos uma dúzia de amazonas com lanças nas mãos ele sorri e abriu os braços e caiu para trás ia bater com força no chão quando um portal azul apareceu no chão e ele o atravessou em seguida reapareceu ao dentro da sela.

_Não faria isso de novo enviado. Falou uma voz feminina perto da cela e Harry olha na direção dela vê uma menina parecia ser mais nova que ele por volta de uns quatorze anos cabelos negros muito familiares a ele e olhos escarlates e quentes.

_Harry. Diz o Rapaz sorrindo levemente a garota por um segundo quase riu mas mudou rapidamente de expressão. _Eu me chamo Harry nada de enviado.

_Não ligamos para o seu nome. Falou a garota.

_Dafine. Falou Harry fazendo a garota o olhar surpresa. _Bonito nome o seu, é filha mais nova de Galateia ou seja irmã mas nova de Megara, muito interessante a sua mente.

_Pare de ler a minha mente. Falou a garota amarrando a cara e por um segundo alguns pensamentos um tanto impróprios para o momento vieram a sua mente o que a fez corar levemente.

_A mente não se é um livro para ler. Falou Harry já contando mentalmente quantas vezes já explicara aquilo. _Pelo menos é o que um professor me disse, mas cá entre nos isso também me parece leitura de mente. Harry olhou atentamente para a garota viu uma energia verde ao redor dela era a aura vital dela mas estava incompleta. _Pergunte a sua mãe sobre o seu irmão. Falou Harry deitando na cama e fechando os olhos.

_Eu não tenho nenhuma irmã mais nova. Falou Dáfine

_Eu disse irmão não irmã. Falou o rapaz ainda deitado de olhos fechados. _Sua aura vital esta incompleta isso geralmente acontece com gêmeos. Explicou sem nem abrir os olhos. _E se você quiser eu posso te ensinar você a fechar a sua mente para que mais ninguém consiga ver os seus pensamentos.

_Depois falamos. Disse a garota e Harry percebeu uma ligeira mudança em seu tom de voz como se ela estivesse pensativa. _Agora você terá de me acompanhar ate a arena.

_E o que eu faria num lugar assim? Perguntou Harry se sentando mais uma vez na cama mas ainda continuava de olhos fechados.

_Sua companheira nos desafiou e devera pagar. Falou Dafine então ela sentiu um frio na espinha a aglomeração de amazonas parecia ter diminuído mais, mas ainda tinha algumas que viam e ouviam a conversa dos dois.

_Pagar? Perguntou Harry suspirando fundo tentando se acalmar não aceitaria que nada fosse feito contra sua amiga.

_Ou ela vai ser condenada a morte. Uma ligeira queda de temperatura fez as amazonas ao redor da cela se arrepiarem. _Ou terá outra pena. Dafine terminou então viu o enviado abrir os olhos o brilho verde que antes tinha nos olhos dele diminuiu de tal forma que a assustou.

_Se alguém tocar nela eu mato. Falou Harry aquele tom de voz aqueles olhos eram como o de uma fera, só esperando o momento para dar o bote então todas as amazonas riram daquela frase ate mesmo Dafine, como se achasse que aquele homem não pudesse fazer nada contra uma aldeia inteira de amazonas. _Eu não estou brincando. A voz agora saiu mais grave e a queda de temperatura se acentuou mais.

_E o que você poderia fazer ai? Perguntou a guarda da cela num tom de deboche. _Pudemos vês que esta fraco e que usou de muito esforço para mover aquela pedra.

_Berserk. Essas palavras saíram como um sussurro dos lábios do rapaz mas foi o suficiente para que todas ficassem quietas de repente. _Me leve ate essa tal arena. Falou Harry e a porta da cela fora arremessada por cima dos telhados das casa da aldeia o que assustou as amazonas que se puseram em posição de ataque e viram o homem sair da cela e ficar frente a frente com Dafine ela era alguns centímetros menor que ele para não dizer muitos.

_Vamos. Disse ela se virando e começando a andar as amazonas abriam caminho para ela. _Mas não tente nada pois esta cercado.

_Eu derrotei Aquiles e Siegfread o que vocês acham que podem fazer comigo? Perguntou Harry num tom de deboche e em seguida ele sentiu uma onda de ódio vindo de todas.

_Nos podemos ser piores do que você pensa. Falou Dafine ainda andando e sem olhar para ele mas sentiu um arrepio na espinha logo em seguida tudo ao redor dela ficou escuro e ela viu a sua frente um par de olhos verdes selvagens mas logo tudo voltou a clarear e ela viu que estava suando não demonstrou estar abalada e continuou a andar.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Meia hora depois Harry estava em um local um tanto curioso parecia ser uma arquibancada circular que caberia provavelmente mais de dez mil pessoas e apesar disso ela estava quase completa então ele pensou que aquela Aldeia era só uma parte do reino das amazonas mas não se abalou em um lado da arena logo na primeira fila tinha um torno marrom escuro sentado nele estava Galateia ele estava de frente para o trono mas a alguns degraus acima ao lado direito dela estava Megara que evitava olhar em sua direção ao lado esquerdo da Rainha estavam duas mulheres uma de cabelos negros que supôs ser a irmã mais velha de Megara e outra de cabelos loiros suspeitou ser igual a primeira. Ele foi direcionado ate a frente da rainha Dafine tomou o seu lugar ao lado de Megara que mesmo assim não lhe olhava nos olhos.

_Homem você sabe por que esta aqui? Perguntou Galateia.

_Para chá e biscoitos? Falou Harry num tom divertido de voz viu pelo canto dos olhos Dafine reprimir um sorriso assim como Megara, mas também percebeu uma certa hostilidade das irmãs mais velhas.

_Não seja insolente. Falou a mulher de cabelos negros.

_Helena. Falou Harry olhando diretamente nos olhos da mulher. _A primogênita de Galateia boa guerreira e por alguma razão quer separar a minha cabeça de meu corpo. Falou o rapaz gora ele estava olhando para a loira. _Antitefe boa mente é mais lógica do que Helena mas também quer me ver morto pelo que vocês dizem ser insolência, a sim você tem uma infância bem divertida.

_Você contou algo sobre nos? Perguntou Helena para Megara que negou com um aceno da cabeça e logo direcionou os seus olhos para Dafine que se apressou a fazer o mesmo. _Então como ele sabe tudo isso?

_Legilimência. Falou Harry sem se importar com o olhar assassino da amazona. _Se quiser depois eu te ensino. Foi rápido Helena tirou de uma bainha media uma espada fina que zuniu no ar ela ia em direção do pescoço do rapaz, então uma aura assustadora saiu dele e ela sentiu milhares de facas lhe atravessando o corpo sentiu o sangue escorrer pelos ferimentos estava morrendo começou a cair para frente mas sentiu alguém lhe aparando a queda então ele se viu de volta ao local não sentia nenhum ferimento se afastou de Harry que a havia segurado para que evitasse cair no chão ela se afastou rapidamente dele com um certo receio aquela energia havia desaparecido. _Toma. Diz o rapaz lhe estendendo sua a espada de Helena que olhou para as próprias mãos.

_Homem, sua amiga infligiu nossas regras e por isso deve pagar, mas creio que você também deve enfrentar um castigo para se provar forte e digno de nossa confiança. Falou Galateia o olhando com um certo nojo. _Tua companheira enfrentara cinco das mais forte Amazonas de meu reino se ela sair viva ela estará livre.

_Quem vão ser as vitimas de Luna? Perguntou Harry olhando em volta via centenas ate milhares de amazonas quietas ou cochichando entre si esperando o que parecia ser um espetáculo.

_Você Vera. Falou Galateia se levantando então ela respirou fundo e sua voz saiu poderosa. _Irmãs, estamos aqui para que Luna Lovegood cumpra a sua sentença. Ela devera passar por cinco de nossas mais poderosas guerreiras. Ouve uma pausa onde as espectadoras bradaram em sinal de animação em poder ver aquela luta. _Que entre a acusada. Falou Galateia e em seguida luna entra por uma passagem do lado oposto do trono da rainha ela parecia bem pelo menos tinha aquele olhar sonhador.

_A primeira oponente será Kátia a desbravadora. Falou uma segunda voz vindo não se sabe de onde, mas ecoava por toda a arena e ouve uma grande ovação gritos de alegria e palmas para incentivar a mulher alta de cabelos longos e lisos presos no que parecia ser um rabo de cavalo ela entrara por uma passagem a poucos metros do trono.

_Luna termine rápido com isso. Gritou Harry a amiga que pareceu sair de seu mundo aluado e acenou para ele como se nada tivesse acontecendo.

_Que comece a luta. Falou a voz da tal locutora invisível.

Kátia avançou rápido para Luna, mas esta nada fez apenas fechou o punho esquerdo e quando a amazona esta a uns trinta e cinco centímetros dela desferiu um soco com as costas do punho arremessando a amazona para a esquerda ela bate com força na arquibancada uma nuvem de poeira se ergue mas então se ouviu a voz de Luna.

_Próxima. A loira parecia calma e a poeira baixou Kátia estava inconsciente. _Mande as outras de uma vez.

Foi como se as outras oponentes tivesse ouvido e elas saíram de todos os cantos da arena e chegaram ao mesmo tempo até Luna, que cruzou os braços a frente do rosto, em seguida o punho de uma das suas atacantes acerta os seus braços a fazendo percorrer alguns metros para trás ainda com os pés no chão uma segunda amazona avançou, Luna desviou e acertou uma joelhada em seu estômago em seguida pegou a oponente a segurando pela cabeça e a curvou rapidamente seu joelho se encontrou mais uma vez com a oponente só que dessa vez foi direto no peito assim que o joelho fez contato com o peito da amazona Lua a soltara e a amazona fora arremessada para trás fazendo um trajeto em arco ate tocar o chão sem se mexer.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

_Muay tai. Falou Harry meio que distraído, mas chamou a atenção da rainha por alguns segundos.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Agora só restavam três amazonas que pegaram espadas para atacar a Luna, esta desviou do primeiro ataque das três e depois desapareceu em seguida apareceu atrás das três ela encostou a mão nas costas de uma amazona e sussurrou algo como “Estupefaça” e a amazona fora arremessada para frente caindo inconsciente, as outras duas restantes não esperaram a loira se recuperar e tentaram lhe cortar a cabeça mas esta se inclinou para trás e viu as laminas passarem a milímetros de seu rosto, em seguida ela se levantou e encostou uma mão em cada amazona que se sentiram paralisadas.

_Expeliarmus. Falou Luna as duas ultimas amazonas voaram para trás e caíram entre as espectadoras da arquibancada Luna não se importou muito e foi ate a amazona em que acertara uma joelhada no peio as mãos dela ficaram azuis e ela se abaixou ate a amazona e lhe tocou o peito ela arqueou e depois se levantou de sobressalto respirando fundo. _Eu ganhei. Falou Luna agora caminhando ate Harry e se curvando levemente antes de ficar ao seu lado este apenas sorri ainda não se acostumara com aquelas coisas. _Mais alguma coisa? O silencio se instalara na arena ate mesmo Galateia estava surpresa olhou em volta todas as amazonas que lá se encontraram pareciam petrificadas a luta durara pouco mais de dois minutos.

_Você se provou forte. Diz Galateia ela parecia dizer aquilo com esforço como se não acreditasse que alguém que seguia a um homem pudesse fazer aquilo.

_Sinta-se feliz que quem enfrentou suas amazonas foi Luna. Disse Harry num tom desafiador não estava gostando dos pensamentos da rainha Amazona. _Ela ainda se segurou pois não via motivo para essa luta já se você enfrentasse um dos membros dos Cavaleiros Negros a primeira coisa que ele faria é matar suas guerreiras sem pensar.

_Cavaleiros Negros? Perguntou Antitefe curiosa mas logo desviou os olhos como se tivesse feito algo errado.

_Uma das elites de Voldemort entre eles se encontram mulheres valorosas e tão cruéis que nem mesmo hesitariam em matar qualquer um em sua frente apesar que uma delas prefere torturar seu oponente lentamente ate que ele perca sua própria consciência e se esqueça de quem é e depois cia no próprio labirinto de sua mente enlouquecido. Falou Luna seu tom era neutro mas o brilho frio de seus olhos demonstrava que ela não gostava daquele grupo. _A sim como as Harpias chegaram aqui? Perguntou olhando para Harry.

_Voldemort. Respondeu o rapaz desviando os olhos da Amazona. _Harpias são seres que conseguem localizar suas presas em qualquer lugar provavelmente ele as mandou atrás de mim.

_Então ele já deve saber que nós nos encontramos no continente perdido. Falou Luna.

_Provavelmente só que ele não sabe que eu sou o enviado o que provavelmente vai mudar em breve. Falou o rapaz suspirando. _Sinto a fúria dele agora mesmo ele esta falando com o Ceifador de Almas. Um arrepio passou pelas princesas ao ouvir aquilo a rainha pareceu imersa em seus pensamentos em seguida se levantou e sua voz saiu poderosa e alta.

_Minhas irmãs Luna se provou digna de continuar viva agora vamos ao desafio do Enviado dos Deuses se ele vencer o seu desafio provara digno de nossa confiança se perder devera ser morto pelas nossas lanças. Ela fez uma pausa na qual a platéia vaiava ao moreno algumas o chingava e ele apenas sorria despreocupado. _São três provas a, primeira ele realizara agora, ele devera domar os lobos Bestas. A platéia se afastou mais das primeiras filas e um buraco se abriu no chão de lá subiu uma enorme gaiola coberta por um pano escuro Harry foi se posicionar em frente a gaiola, só que a alguns metros dela o pano desceu e revelou enormes lobos negros duas vezes maior que o normal suas caldas eram serpentes longas olhos vermelhos e dentes branco perolado.

A gaiola se abriu eram mais ou menos cinco lobos um lançou uma labareda azul na direção de Harry que defendeu com o braço esquerdo este congelou instantaneamente ele olhou surpreso para o braço. mas logo tratou de se concentrar e sorriu. nuvens negras tamparam o sol e um vento gélido veio do norte os olhos do rapaz ficaram amarelos selvagens ele sorriu mais ainda e Galateia e suas filhas puderam ver presas longas e caninas, as Bestas Lobos pararam ao sentir a presença mais selvagem que a deles e se encolheram no chão.

_Sentem. Ordenou Harry num tom autoritário e os lobos se sentaram obedientes com suas línguas para fora como meros cachorros de estimação. _Venham. O tom de Harry agora era divertido e ele batia as mãos os lobos avançaram ate e o derrubaram começaram a lamber o seu rosto e ele ria alto com isso. _Gostei de vocês acho que vou leva-los. Depois de falar isso ele se levanta e os lobos ficam ao seu redor dele. _Próximo desafio. Pediu a rainha amazona esta estava furiosa não esperava que aquele homem pudesse fazer tal coisa.

_Enfrentara as minhas filhas mais velhas. Falou a rainha olhando para as duas filhas que avançaram mais para dentro da arena, mas pararam ao ouvirem os rosnados dos lobos.

_Vão lá com a Luna e fiquem quietos. Falou Harry para os lobos apontando para garota loira e foi como se eles tivessem entendido, pois logo estavam ao lado da loira que fazia cafuné nas suas enormes cabeças.

Foi só os lobos saírem da frente que Helena avançou em direção do rapaz, foi rápido, ela tentou lhe acertar um soco no rosto mas este simplesmente mexeu a cabeça para o lado, mas sentiu um corte no rosto, elas eram boas, usavam a pressão do ar aproveitou que ela estava surpresa e lhe agarrou pelo braço a arremessando ao chão em seguida pulou uns dois metros de altura dando um mortal para trás, dois segundos depois disso uma lamina longa do estilo celta acertou o local onde ele estava inicialmente viu que quem manejava a espada era Antitefe. . A platéia estava quieta analisando cada movimento dos combatentes e exclamaram com o movimento do rapaz.

Mal o moreno colocou o pe no chão ele já se abaixou para evitar mais um golpe da espada, mas deu por falta de Helena então sentiu mãos agarrando suas pernas, como ela fizera aquilo ele não sabia ao certo mas não tinha tempo para pensar se curvou para trás mais uma vez para escapar da espada de Antitefe em seguida ele tocou o solo um forte onda de choque fez a arena estremecer e as mãos lhe soltara os pés a tempo dele dar um chute no estomago de Antitefe e a arremessar para trás mas esta deu um giro no ar e caiu em pé. Um movimento de vento e logo atrás dele estava Helena ele se virou rápido tentando a atingir com um soco mas ela defendeu uma massa de ar saiu daquele choque ele pulou pára trás olhou para cima e deu três passos para a direita em seguida Antitefe crava a espada ate a metade no chão.

“Estou Fraco” Pensou harry agora vendo as duas guerreiras correndo ao redor dele em ata velocidade o veneno já saira de seu corpo mas seus efeitos ainda eram sentidos mesmo que bem menos que antes sem contar que ele perdeu muito sangue para tirar o resto do veneno de seu corpo então tudo ao redor dele ficou silencioso e ele sentiu todo o seu corpo pulsar olhos verdes selvagens brotaram em sua mente.

“_se não consegue lidar com isso eu o farei.” Disse uma voz grave no fundo de sua mente em seguida tudo ficou escuro ao seu redor olhou para cima e viu uma única luz no alto como se fosse uma estrela solitária então seu corpo ficou entorpecido e ele não tinha mais vontade de se mexer e se sentou no chão olhando para o alto estava preso em sua própria mente.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Lua sentira algo estranho mo ar um cheiro de perigo uma nuvem de pássaros negros saiu voando das arvores ao redor sentiu o chão pulsar como se um grande coração pulsa-se de baixo de seus pés mas então a mesma presença ameaçadora que ela sentiu há pouco tempo atrás no expresso de Hogwarts apareceu saindo do corpo do amigo que estava de cabeça baixa ouvia as amazonas dizerem que ele havia perdido a vontade de lutar e se entregara mas não era aquilo.

_Droga. Falou Luna alto olhando para a rainha amazona que aparentemente sentira a mudança do rapaz. _Satisfeita agora? Perguntou as princesas ao lado de Galateia não entenderam de imediato ate que a terra tremeu com força e a pior presença se instalou no local era como uma fera acuada exibindo que sairia viva e o ar ao redor da arena ficou tão pesado que era ate difícil de respirar e o silencio se instalou no local.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Harry levantou a cabeça e então Helena e Antitefe pararam de correr e sentiram um frio imenso em suas espinhas os olhos do rapaz estavam opacos como os de uma besta olharam para luna por um instante esta devolveu o olhar como se dissesse “Foram vocês que quiseram isso” os Bestas em forma de lobo que estavam pero de luna se deitaram com a cabeça baixa temerosos.

_Vamos acabar com isso. Falou Helena então ela e Antitefe avançaram para Harry mas antes de toca-lo foram arremessadas para longe por uma onda de ar que se desprendeu do corpo do rapaz.

Harry sumiu por um instante e reapareceu ao lado de Helena ele a levantou pelo pescoço com o braço esquerdo como se ela não fosse nada mais do que uma folha ele ouviu um silvo no ar e então levantou a mão direita e agarrou a lamina da espada de Antitefe como se ela não fosse nada mais que um pedaço de madeira ele sentiu algo quente em contraste com o frio da lamina viu um filete vermelho descendo da palma de sua mão que se fechava ao torno da espada.

_É só um humano. Falou Antitefe aproveitando a distração do adversário e lhe acertando um chute na nuca ele solta tanto a espada quanto Helena que cai no chão procurando sugar o Maximo de ar que poderia.

_Vou mata-la. Falou Harry se virando párea Antitefe e em seguida lhe direcionou o punho mas ele não atingiu o alvo aparada em frente a princesa amazona estava Luna segurando o punho do amigo os olhos enevoados dela brilharam em um tom prateado.

_Saia. Ordenou Luna a princesa que não se mexera tentando imaginar como aquela garota aparecera em sua frente sem nem ao menos ela perceber. _Pegue sua irmã fique ao lado de sua mãe. Ordenou mais uma vez a loira só que dessa vez o tom dela era mais autoritário e sombrio o que fez Antitefe não pensar duas vezes e pegar a irmã que ainda estava abaixada respirando fundo e logo estava ao lado de sua mãe. _Acorde Harry. Pediu Luna num tom mais amigável

_Saia do meu caminho. Ordenou o rapaz a olhando nos olhos como se visse para alem dela mas Luna não se mexera ainda segurava o punho do amigo então ela sentiu uma forte pressão de ar e foi arremessada para trás caindo em pe e cruzando os braços acima da cabeça em seguida lá estava Harry com a perna esticada a terra tremeu e tudo ao redor deles começou afundar num cratera eles estavam no meio o rapaz sumiu e mais uma vez apareceu a frente de Luna e estava pronto para lhe acertar mais um golpe quando sentiu uma lamina fria em seu pescoço olhou para a esquerda e lá estava Megara o olhando com dureza olhou mais em volta e viu centenas se não milhares de Amazonas lhe apontando as mais diversas armas ate mesmo Galateia estava ali.

Ele se endireitou ficou ereto como a um rei, mas não demonstrava ter perdido a aura assassina que estava no lugar se amplificou de tal forma que muitas amazonas caíram de joelho varias viram seus corpos serem atravessados por espadas e facas mas quando estavam preste a desmaiarem piscavam e se viam sem nenhum ferimento. Harry girou em torno de si e quando todas as armas já estavam em sua direção um sobretudo negro apareceu e o som metálico foi ouvido quando as amazonas se afastaram só viram uma esfera negra que desapareceu e lá estava o enviado ainda vivo ele alcançou a amazona mais próxima e a puxou para perto de si em seguida lhe arremessou para por cima de algumas amazonas ouviu o som de algo caindo no chão mas não queria saber olhou para Luna que estava chocada aparentemente ela pensara que ele tinha sido pego pelos ataques das amazonas mas não foi. Ele fechou mais uma vez o punho girou em torno de si e ia acertar uma amazona mais parou a centímetros de seu rosto uma onda de vento forte foi produzida pelo golpe mas as amazonas não se moveram.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Harry sentia que não devia estar ali quieto ele ouvia sons alguém lutava sentiu uma dor aguda em sua mão e a olhou viu um corte aparecendo nela olhou para a luz que parecia uma estrela e ela se aproximou mais viu um luta forte e então viu luna ela ia receber um golpe certeiro no peito ia mata-la, mas aparentemente seu corpo parou a dormência que o dominara começou a desaparecer dando o lugar para uma raiva enorme não queria fazer aquilo então viu Megara seu corpo inteiro congelou principalmente quando viu que ia acerta-la com um golpe particularmente forte.

_Não ouse. Gritou harry em sua própria mente o grito ecoou.

_Por que deveria? Perguntou mais uma voz em sua mente.

_Por que eu ordeno, este é meu corpo. Falou Harry então tudo ao seu redor ficou branco e do chão a poucos metros dele subiu uma sombra era isso que aquela coisa era uma sombra escura e sem corpo que tinha uma forma um tanto familiar apenas os olhos demonstrava um cor que não o negro da escuridão olhos amarelos mais puxados para o dourado olhou para baixo e não encontrou sua própria sombra.

_Quem é você? Perguntou o moreno.

_Eu sou você. Respondeu a sombra. _Sou parte de sua essência sua fúria e escuridão, sou algo que você aprisionou por muito tempo e agora livre não quero mais ser aprisionado.

_Seria impossível aprisiona-lo pois como disses tu és minha outra metade minha escuridão e minha fúria você faz parte de mim e sem você eu não existo. Falou Harry se aproximando da sombra. _Fiz errado ao tentar me livrar de você, mas fiz isso por medo de ser igual aqueles contra quem eu luto.

_Nunca seremos iguais a eles. Falou a sombra também caminhando em direção a Harry.

_Eu sei. Falou Harry agora ele e a sombra estavam bem pertos um do outro. _Vamos acabar com esse conflito pois eu sei que um dia precisarei de você então vamos voltar a ser um só.

_Assim seja. Falou a sombra então ela perde a forma e envolve a Harry em seguida desaparece o moreno sente uma nova força ao seu redor então grita fechando os olhos.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Harry abriu os olhos ainda estava com o punho estendido para Megara ele lembrara claramente da discussão com seu lado sombrio uma onda de dor se espalhou para o seu corpo.

_Luna me traga Anne. Falou Harry ainda sem se mexer ele encarava os olhos de megara olhos esse que ela percebeu estavam com seu brilho de volta. _Me desculpe. Diz mais uma vez fechando os olhos o braço caiu e seus sentidos estavam se esvaindo mas antes de perde-los por completo ouviu uma voz diferente em sua mente não era a sombra mas outra coisa mais antiga ela dissera algo como “Descanse pois esta para enfrentar algo maior e pior” mas depois desmaiou por completo Megara o amparara antes dele chegar ao chão.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Longe dali Anne se levantou de súbito sentiu um aperto no peito Rony e Osíres a olhavam com desconfiança o ruivo também sentiu um aperto no peito só que não na mesma intensidade.

_Harry precisa de mim. Diz a garota olhando para Rony.

_Acho que todos nos sabemos. Falou Rony ao ver na sala do trono todos os lideres da Alcatéia aparecerem através de um portal azul ate mesmo Draco e Shade só faltava ali Luna.

_Vou ate ele. Falou Anne mas estacou ao sentir seu braço ser segurado por Rony.

_Se ele precisar ele te chama. Falou o ruivo em seguida outro portal azul aparece e de lá sai Luna. _Eu disse.

_Venha Anne. Falou A loura e ambas desapareceram através do portal para um destino que muitos sabiam mas ninguém poderia segui-las.

_Espero que ele esteja bem. Falou Hermione transmitindo a preocupação de todos.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>


N/A: Espero que vcs gostem e comentem bastante.........t+

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.